Socialista Morena
Politik

10 versões “hereges” para Jesus: liberdade de pensamento e a neo-inquisição virtual

A versão do Evangelho que reputam como a única é apenas a versão vencedora: a versão dos que mandam, dos que fizeram a “santa” inquisição e ganharam à custa de muitas “conversões” ao cristianismo obtidas sob tortura

enquanto isso, no twitter...
Cynara Menezes
05 de janeiro de 2015, 23h18

Pouco antes do Natal, divulguei no twitter um texto escrito pela psicóloga norte-americana Valerie Tarico abordando o fato de as relações sexuais não consentidas estarem na origem da maioria das religiões, inclusive na concepção de Jesus Cristo (leia aqui o original e aqui, uma tradução). E perguntei: “Então, na verdade, Deus estuprou Maria?” Alguns dias depois, durante minhas férias, o post foi descoberto por algumas personalidades tuíticas (sei que parece ridículo, mas elas existem), que atiçaram a turba furiosa contra mim. Conservadores disfarçados de moderninhos, em fúria, defendendo a santa madre igreja da bruxa infiel.

Qual uma herege medieval, fui xingada, agredida, ameaçada de processo e até de excomunhão (?!). Teve um cara que me lembrou que eu havia pecado “contra o espírito santo”, como se eu, agnóstica, acreditasse em pecados. Muitos devem ter achado uma pena que a época em que se queimavam pessoas na fogueira por discordar dos textos “sagrados” tenha ficado no passado, e eu me salvei de virar churrasquinho nas mãos de reaças imbuídos do espírito natalino (sic). Não foi só aqui: nos EUA, Valerie também foi atacada como uma feminista que “odeia Cristo, odeia os homens e odeia as mulheres que os amam”. Incrível como os “jovens de direita” (ugh) são iguais em toda parte.

O que essas pessoas não sabem porque a falta de leitura também é uma característica comum aos jovens reaças– é que esta versão do Evangelho que eles reputam como a única em realidade é apenas a versão vencedora: a versão dos que mandam na Igreja, dos que fizeram a “santa” inquisição e ganharam a parada à custa de muitas vidas ceifadas e “conversões” ao cristianismo obtidas sob tortura. Mas, queira a direita ou não, houve diversas outras versões “hereges” para a vida de Jesus Cristo, exterminadas junto com seus defensores exatamente da forma que os neo-inquisidores adorariam para mim: na fogueira.

(Curioso é que, apesar de se arvorarem em defensores da religião, os jovens conservadores tampouco leram a Bíblia, ou não se escandalizariam assim, já que o que não falta no Velho Testamento são estupros, incestos, assassinatos e todo tipo de barbaridade cometida em nome do Senhor.)

Como nasceu Cristo? Depois de queimar muita gente que contava os fatos de maneira diferente, a igreja católica conseguiu, enfim, o seu “consenso” sobre a história de Jesus, aceita pela maioria dos cristãos sobre a Terra. Acredita nela, porém, quem quiser, ninguém é forçado. Felizmente, hoje em dia é possível mostrar, sem medo de morrer ou ir preso, que existiram divergências desde o princípio dos tempos, todas elas também cristãs. Eis algumas das versões antigas e novas para a história de Jesus:

inri

 Jesus Cristo é filho adotivo de Deus  O bispo de Antioquia, Paulo de Samósata, defendia que Jesus Cristo não era filho de Deus de fato, mas sim, filho adotivo. Ou seja, era apenas um ser humano iluminado que chegou à divindade, tornando-se filho de Deus a partir do batismo, e não desde o nascedouro. Essa crença, chamada Adocionismo, e seus seguidores, foram perseguidos pela igreja católica no século 3. Paulo de Samósata foi obrigado a abandonar seus postos eclesiásticos.

jesus

 Jesus não é uma divindade  Ário, presbítero de Alexandria por volta do ano de 319, sustentava que só existia um Deus. Jesus era seu filho, mas era um semideus, não uma divindade e por isso não conseguiu salvar a si mesmo ao ser pregado na cruz. Condenado por heresia pelo concílio de Nicéia no ano de 325, Ário e seus seguidores foram excomungados pela igreja.

cataros

3  Jesus era só um profeta  Os cátaros, divergência importante do cristianismo nos séculos 12 e 13, não acreditavam que Jesus era filho de Deus, embora se dissessem cristãos. Diz-se que a caça aos “hereges” seguidores do catarismo, que pregava a igualdade entre homens e mulheres, foi uma das principais razões para o surgimento da Inquisição. Centenas de milhares de cátaros foram chacinados e sua doutrina, sistematicamente destruída.

FOR USE WITH STORY VEGETARIANS

4  Jesus era vegetariano  Em 1881, o reverendo inglês Gideon Ouseley teria achado um manuscrito no Tibete que seria um “evangelho perdido”. O Evangelho dos Doze, em referência aos apóstolos, foi publicado pela primeira vez em 1901, e trazia versões vegetarianas para as lições de Cristo. “Não comereis a carne nem bebereis o sangue de nenhuma criatura abatida”, dizia o texto, nunca reconhecido, para alegria dos carnívoros pecadores. Alguns dizem que o próprio Ouseley inventou o evangelho para defender o vegetarianismo.

jevous

(imagem do filme Je Vous Salue Marie, de Godard)

5  Maria foi estuprada por Deus  Esta versão não foi inventada pela psicóloga que citei, ela existe. Especula-se que Maria tivesse entre 12 e 13 anos na época da concepção de Cristo. 14, no máximo. Fica difícil, assim, aceitar a versão vigente de que a menina deu o consentimento ao anjo Gabriel para que fosse “impregnada” pelo Espírito Santo. Os cristãos consideram suficiente o fato de ela supostamente ter respondido: “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a sua palavra”. Outros podem achar que não.

verhoeven

6  Maria foi estuprada por um soldado romano  Estudioso da Bíblia, o cineasta holandês Paul Verhoeven (sim, aquele de Robocop) publicou em 2007 um livro chamado Jesus de Nazaré onde sustenta que Maria foi estuprada por um soldado romano chamado Pantera, e assim concebeu Jesus Cristo. Estupros por soldados, diz Verhoeven, eram comuns naquela época. Jesus, portanto, seria um homem, não o filho de Deus. Um profeta radical que não operou nenhum milagre, ao contrário do que dizem os Evangelhos. O cineasta tenta filmar o livro desde então, mas até agora, nada.

judas

7  O filho de Deus é Judas  No conto Três Versões de Judas do seu livro Ficções (1941), o escritor Jorge Luis Borges cria um teólogo chamado Niels Runeberg, um especialista em refutar a biografia do “traidor” de Cristo. Numa delas, o segredo bem guardado por séculos: Jesus não pode ter sido o filho de Deus, porque era infalível. Judas, sim, era humano, capaz de erros. “Deus se fez total­mente homem até a infâmia, homem até a repro­va­ção e o abismo. Para salvar-nos, poderia ter eleito qualquer dos destinos que tramam a perplexa rede da história; poderia ter sido Alexandre ou Pitágoras ou Rurik ou Jesus; escolheu um ínfimo destino: foi Judas”.

8  Judas é um herói  No filme A Última Tentação de Cristo (1988), Martin Scorsese apresenta Judas como o herói responsável por tornar Jesus Cristo o “Messias” adorado por milhões em todo o mundo. Em uma versão paralela da história, o filme mostra o que teria acontecido se Judas não tivesse traído Jesus: teria se casado com Maria Madalena, teria tido muitos filhos, teria morrido velhinho, feliz e sem glória.

cogumelo

9 – Jesus é um cogumelo alucinógeno  Talvez a mais maluca (e a minha favorita) das versões sobre Cristo, o livro The Sacred Mushroom and the Cross causou barulho em 1970 ao sustentar que Jesus era, na verdade, uma ficção criada a partir do Mestre da Justiça dos essênios. Seu autor, o arqueólogo John Allegro, membro da equipe que traduziu os Manuscritos do Mar Morto, afirmava que nunca houve um Jesus Cristo e que esta era uma forma de referir-se em código ao cogumelo Amanita Muscaria, utilizado de forma mística pelos primeiros cristãos. Obviamente o livro lhe desgraçou a carreira, mas seus estudos estão sendo reconsiderados. Pessoalmente, acho que faz todo sentido.

deus

10  Jesus é vítima de Deus, não dos homens  Em O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991), de José Saramago, Jesus é a vítima de um Deus tirano e egocêntrico que lhe dá a missão não desejada de representá-lo na Terra. Assombrado, o Cristo se sente mortificado pelas crueldades que serão feitas em seu nome: seres humanos degolados, mortos a tamancadas, flechados, empalados, queimados na fogueira. No fundo, o comunista Saramago pintou um Jesus muito mais humano do que o megalomaníaco que aparece nos Evangelhos, mas foi execrado pela igreja católica. Fosse em outra época, o que teria sido dele?


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(95) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Maia Kaefman em 06/01/2015 - 00h25 comentou:

Se Jesus era um amanita seus milagres passam a ser plenamente explicáveis! Hehehehe, boto fé nesse tal allegro; se non è vero è ben trovato!
Então seriam os apóstolos paneoulus e psilocybes? Hahahaha

Responder

Lenir Vicente em 06/01/2015 - 02h35 comentou:

Gosto da versão de José Saramago. É claro que para escrevê-la, grande erudito que era, estudou detalhadamente todos os evangelhos e outras versões sobre o "Messias".Comunista , agnóstico , acho q que não se poderia esperar que o escritor desse a Jesus uma descrição parecida com tantas outras versões, criadas e inventadas ao sabor das conveniências de época, por tantos mercenários da fé.A versão dele, embora mais literária, é a mais crível Para uma pessoa como eu, que foi criada dentro dos preceitos do cristianismo, e que convivi com uma mãe que mudou de católica para protestante quando percebeu que o catolicismo estava se afastando "daquele espírito de dar o pão sem olhar a quem", não foi difícil deixar de acreditar em religiões. Todas elas.. Acho que tiram a liberdade das pessoas e aprisionam a fé, como foi feito com a Teologia da Libertação. Se Leonardo Boff tivesse vivido na época da inquisição, certamente teria sido queimado na fogueira. É interessante ver o Papa Francisco defender a " Igreja para os pobres", como um renascimento das ideias de Cristo, num momento em que tantos têm tão pouco e poucos têm tanto.Á essa Igreja minha mãe retornaria.Quanto a fé, creio na bondade das pessoas, porque tive o privilégio de conviver com uma pessoa extremamente bondosa.Então tenho fé no homem. Creio também na beleza infinita da harmonia do Universo e dia sim, dia não, chamo essa harmonia de Deus. .E muito frequentemente acho que o inferno são os outros. Não é Socialista Morena?

Responder

    M. Emilia Lino Silva em 06/01/2015 - 17h43 comentou:

    Gostei! Eu acho o inferno e o demonio incompatíveis com a ideia de um Deus infinito e onipresente, jå que o inferno ė a ausência de Deus. Ele também é onipotente, mas então por que eles vivem dizendo"isto não é de DDeus?

    Douglas em 07/01/2015 - 20h29 comentou:

    Em nenhuma lugar da biblia se afirma a existência de inferno. É fácil pegar falas falsas de algumas igrejas e tentar contradizê-las. Faça um estudo bíblico conforme deve ser e verás que estas errada.

Vitor Ferreira em 06/01/2015 - 03h25 comentou:

Olá. Eu estava olhando o feed da Carta Capital em um novo app que instalei, e acabei por me interessar em ler este texto. Triste fico em ler uma crítica sem base, sem nenhuma tentativa de imparcialidade, apenas para tentar colocar um ponto de vista como certo. Seria engraçado ser chamado de direitista por não concordar com uma opinião, pois acredito que ser de esquerda é respeitar e lutar pelo o que é correto.

O primeiro ponto é: onde você queria chegar com a frase questionada em seu primeiro parágrafo? Parece evidente para qualquer pessoa que esse nível de pergunta busca somente uma coisa: chamar atenção! Qual seria o motivo lógico e onde o raciocínio, com base em um texto sem muita qualidade, poderia chegar em ponto de produtividade? Poderíamos pensar em uma polícia que bate em manifestante para depois se por como vítima para a mídia. Não devemos fazer o que a direita faz! Não se combate radicalismo com radicalismo, e sim com sabedoria e imparcialidade. Não adiante provocar respostas no twitter, para depois tentar criar um texto "inteligente" na tentativa de buscar a "superioridade".

Não adianta ficarmos escrevendo textos e mandando mensagens no twitter como indireta para cristãos, ou sobre Brahman para implicar com o hinduísmo, ou sobre boi para implicar com fazendeiro, ou sobre futebol para implicar com flamenguista e assim vai… Melhor deixar isso para a nossa adolescência. Preconceitos e julgamentos atrapalham nossos pensamentos. Livre-se deles e verá as coisas de maneira mais clara. Pelo menos tento isso todo dia, por mais difícil que seja. As vezes é bem mais simples deixar as pessoas acreditarem no que querem, ao invés de querer combater isso. Vale lembrar que a pessoa pensa a mesma coisa de você, então por que vocé a pessoa correta?

Ainda não cheguei nem no segundo parágrafo do seu texto então tentarei ser breve. Você falou de idade média e esse é o meu tema favorito! Pena ter que lê algo que parece ainda estar naqueles livros da escola datados. A inquisição citada foi de fato uma coisa terrível, mas você sabe ao menos o que ela foi? Sabe quando surgiu e o objetivo? Sabe pelo menos como era a sociedade pré-inquisição? Inquisição, como falei, foi algo horrível mas não a cite sem saber o que foi. Troque a fonte! Saia dos livros da escola ou de sites da internet, e procure os documentos da qual os historiadores leram a história. Ou busque pelo menos algum doutor em idade média para ler. Régine Pernoud ou o brasileiro Ricardo da Costa é uma boa sugestão.

Responder

    Israel em 06/01/2015 - 16h32 comentou:

    Também não entendo esse preocupação de ateus e agnósticos com os evangelhos, cristãos, católicos e afins. Tremenda baboseira.

    dbacellar em 06/01/2015 - 18h23 comentou:

    A preocupação é exagerada, mesmo. O cristianismo católico formou-se em consequência de séculos de seleções de correntes, de reformas e de contra-reformas. Qual religião não o foi?

    O que incomoda a ateus (como eu sou) é que cada religião se apresenta como única verdade por ser uma manifestação divina. O fato de que o deus em questão tenha mudado de ideia diversas vezes durante a história deveria invalidar tais religiões. Mas não invalida, claro, por uma questão de fé e de dogma. Religião não é uma questão de lógica, mas sim de explicações e de suporte que a lógica não provê. Essa discussão é estéril.

    dbacellar em 06/01/2015 - 18h16 comentou:

    Leia tudo antes de criticar. Por mais que o texto seja superficial (e Cynara não é nem pretende ser especialista no tema), tem méritos. A leitura completa traria respostas para algumas de suas dúvidas.

    Os dois parágrafos são apenas relato de fatos acontecidos, coloridos por estereótipos populares sobre a inquisição. Nada de mais. Aliás, você leu o post citado pela autora ou o artigo sobre o qual ele comenta? Eu li a ambos e o texto é interessante.

    Finalmente, chamadas via Twitter tendem a ser um pouco sensacionalistas: quando não o são, não atraem o leitor para o site.

    Jônathas Arruda em 07/01/2015 - 07h55 comentou:

    Mas aqui é um blogue. Não há lógica em se cobrar imparcialidade. Blogues são justamente para o posicionamento de seus mantendo resposta, oras. Mas críticas são muito bem vindas. Gostei do texto, trouxe curiosidades. Muitas das estórias eu nem conhecia.

    Raphael Gomes em 07/01/2015 - 22h35 comentou:

    Incrível como alguém que não sabe ler (e admite que não leu tudo) se põe a comentar com tanta propriedade. É impressionante a sua incapacidade de compreender que o objetivo do texto é refutar de maneira bem humorada a intolerância dos religiosos que atacam violentamente (fisicamente ou não) os que descordam deles. Isto é um blog, e não um curso de doutorado em história das religiões, qualquer pessoa com um mínimo de inteligência deveria entender isso. Você deveria mesmo estudar a graciosidade que foi a inquisição e o holocausto feminino decorrente dela, estudar a Idade Média, ler Huzinga ou Jacques Le Goff, e talvez daí aprender a interpretar um texto e contextualizar seu objetivo.

    Sobre a "implicância" de ateus contra os religiosos, se você esteve fora do sistema solar nos últimos anos, eu lhe atualizo: gays não podem se casar em grande parte do mundo por imposição dogmática das pessoas religiosas que em vários lugares (e até aqui no Brasil) os agridem por causa de sua orientação sexual; mulheres não têm direito sobre o próprio corpo não podendo escolher abortar por causa do lobby cristão na política e muitas acabam morrendo por ter de recorrer a clínicas clandestinas, guerras e atentados são cometidos em nome das religiões (sim, inclusive das cristãs); pessoas criadas dentro de educação religiosa dogmática e pseudo-moralizante vêm fazer comentários esdrúxulos em blogs porque mesmo que digam que deixaram a religião, sua limitação intelectual não permite que se libertem da culpa castradora e por isso elas se ofendem sempre que veem algum comentário brincalhão com Jesus. É suficiente?

    E outra coisa, sobre a sua tão "evoluída" atitude esquerdista de não revidar (aliás, o velho ranço cabresteiro cristão de dar a outra face), abaixar a cabeça só serve para facilitar a mira da paulada.

    Abraços e melhoras da sua condição mental.

    Super Sincero em 13/01/2015 - 01h50 comentou:

    Ish… Aderiu ao ideário feminista, e jura que sabe tudo sobre o ser humano. E ainda acha que pode dar conselho a outros para que melhorem a condição mental deles?! Melhore a sua… se puder. Precisar, você precisa.

    Mona Lisa em 13/01/2015 - 18h17 comentou:

    Você seria melhor ouvido se tivesse seu próprio blog que, sim, é um espaço para pessoas exporem suas ideias como quiser. O artigo é muito interessante e sua resposta é maçante. Sabe por que? por não ser necessária. Por ser "mais do mesmo" escrito diferente, por conter o gostinho batido de dar voz a quem, "supostamente", está sendo combatido, aquela coisa de direito de resposta e de defesa e, finalmente, pelo mau gosto de sugerir leitura ao autor do texto, pouco disfarçando uma superioridade de conhecimento. Por isso é maçante. Por outro lado, fosse uma opinião superior de verdade, que trouxesse novidade e esclarecimento, seria bastante aproveitável, já que você escreve bem pra caramba!

Vitor Ferreira em 06/01/2015 - 03h26 comentou:

Minha família sempre foi de esquerda, então nasci nisso e sigo isso. Mas isso que li hoje não representa a classe:
"Incrível como os “jovens de direita” (ugh) são iguais em toda parte.". Incrível como a esquerda pode ser tão preconceituosa e de tão pouco pensamento como alguns dos mais radicais da direita em que ela mesmo combate. Sempre discuti e defendi a esquerda com pessoas de direita, mas tem que se reconhecer onde está o lado positivo lá, e não… NÃO são todos iguais. A esquerda existe justamente para combater isso!! Como devemos agora fazer o mesmo? Isso não é esporte para cada um escolher um time e lutar, isso é coisa séria e devemos pensar o bem do nosso futuro. Brigas infantis e preconceito já passaram de época. Como disse, deixa pra nossa adolescência.

Sobre o terceiro parágrafo ficou evidente que você realmente acha que os outros tem pouca leitura, mas é uma acusação séria. Durante todo o seu texto mostra muita falta de conhecimento e leitura do mesmo jeito, então porque eles que estão errados? Começando pela frase seguinte onde você fala do Evangelho sem ao menos saber como o novo testamento foi feito. Fala dos cristãos sem saber o mínimo da história!! Daria no mesmo que eu vir aqui e criticar o povo da palestina e sua religião sem ao menos conhecer o que estou falando. A maior prova foi você colocar o Evangelho "vencedor" na mesma frase em que cita a inquisição como meio, ignorando DEZ (10) séculos de diferença. Pode argumentar que foi uma analogia, mas podemos buscar maior conhecimento antes de criticar algo.

O quarto parágrafo continua os erros. A Bíblia não se lê, se estuda. Sabe ao menos como o Antigo Testamento, do qual você citou de forma pejorativa, foi escrito? Ou melhor: juntado? Sabe de quando são as história, quem as criou, qual era forma de aprendizado da época, a sociedade e afins? Novamente, não devemos criticar o que não conhecemos. Será que isso não era pra ser um fundamento para qualquer pessoa de esquerda? Se não quer buscar, por preguiça ou falta de interesse, sobre as coisas de determinada religião:
não tenha um pensamento que você acha lógico por uma lida mínima, como certo! O desconhecimento de coisa palpável gera incertezas lógicas. O que você desconhece, mas teve o mínimo de contato, pode gerar
pensamentos lógicos mas que não condizem com a verdade. A pena de morte não é solução para violência, por mais que no primeiro momento podemos pensar nisso. Nem a raça negra é o motivo de alguem ser criminoso, e nem a religião é ruim pelo fato de não a entendermos.

Vou parar por aqui porque vou acabar escrevendo um texto. 🙂 . O quinto parágrafo já mostrou, de novo, em que não teve o mínimo trabalho para pesquisar para escrever o texto. O que me fez refletir o porque estou respondendo isso. Talvez seja para tentar fazer alguém ser um pouco menos radical. O resto eu não vou me dar o trabalho.

Sem rancor, só tenta ser menos radical. Também não sou perfeito e somos cheios de pecados (risos! :). Afinal, você disse que não tinha pecado porque não acredita em pecados, mas, tirando a parte religiosa, pecado pros cristãos pode ser visto como simplesmente "errar". Creio que você também não se ache uma pessoa perfeita.

Abraços! 🙂
Viva a esquerda!! Moderada…

Responder

    Thaywan em 06/01/2015 - 16h58 comentou:

    Realmente incrivel sua resposta ao texto, senti o mesmo ao ler o artigo. Mesmo tendo como base um pensamento "esquerdista" e não acreditando no cristianismo como é pregado hoje, achei o texto preconceituoso e escrito de forma a denegrir a fé alheia.

    Caio em 06/01/2015 - 19h53 comentou:

    O "esquerdismo way of life" é uma forma de religião. E fanatizante.
    Afeta todo um sistema de crer, pensar e sentir da pessoa.
    Envolve uma "moral", uma "fé", um auto-virtuosismo que justificaria certos desvios da "moral convencional". Tem seus sacerdotes, santos e mártires, tem a promessa de um paraíso numa sociedade utópica da qual eles estão sempre em busca.
    Como a proto-religião maniqueísta intolerante que é, sempre vai se incomodar com quem tem fé diferente.
    Não tem um deus, mas tem um diabo, aliás vários diabos, que se manifestam nas formas de pensamento divergentes.
    Nada contra "ser de esquerda", se identificar com os valores socialistas, sejam morenos ou loiros.
    Mas o que vejo são certos excessos por parte de alguns escritores e pensadores.
    Não tinha necessidade disto, Cinara.

Carlos Framil em 06/01/2015 - 12h33 comentou:

Jesus não existiu, mito solar como tantos outros.

Responder

    Carlos José em 26/01/2015 - 13h54 comentou:

    É mesmo, a História da Humanidade só está dividida em antes e depois dele!

Rafael Bisoffi em 06/01/2015 - 16h32 comentou:

Excelente texto! Só uma correçãozinha, você usa o verbo "refutar" provavelmente com sentido errado (teria sido uma erro de digitação, e você teria querido dizer "reputar"?) neste trecho: "O que essas pessoas não sabem –porque a falta de leitura também é uma característica comum aos jovens reaças– é que esta versão do Evangelho que eles refutam como a única em realidade é apenas a versão vencedora: a versão dos que mandam na Igreja, dos que fizeram a “santa” inquisição […]" . Pode parecer uma chatice, mas fica um pouco confuso. "Refutar" quer dizer "discordar", acho que você quis dizer "a versão com a qual eles concordam" neste trecho. Provavelmente foi um erro de digitação, e você quis usar o verbo "reputar", seria interessante corrigir, para evitar confusões. De qualquer forma, um texto brilhante, como, aliás, todos que você escreve.

Responder

    morenasol em 06/01/2015 - 16h39 comentou:

    tem toda razão, digitei mal! corrigido, obrigada ; )

Berne em 06/01/2015 - 16h39 comentou:

O século 21 é o século da caretice. Agora quase tudo é estupro (só de dizer isso, muita gente vai me considerar um estuprador em potencial). No futuro não haverá sexo (oficialmente). Todos nascerão na proveta. Sexo (estupro) será crime inafiançável. Os homens serão considerados seres inferiores (as mulheres finalmente venceram; agora são elas as opressoras-ideologia=quem oprime quem). Eternos escravos de suas senhoras que, cheias de grana e de poder, escaparão para os porões da noite do submundo alimentado por elas para praticarem ilegalmente o ato que tanto condenam. Na surdina tudo vale. A hipocrisia é a verdadeira filha de Deus.

Responder

    morenasol em 06/01/2015 - 16h50 comentou:

    estupro é igual a sexo? oi? que parte de "não consentido"você não entendeu?

    Berne em 06/01/2015 - 18h03 comentou:

    O sexo será ilegal, independentemente do consentimento da pessoa; portanto, na lei, o sexo e o estupro serão uma coisa só. Assim como hoje, usar drogas é considerado crime, não importando o consentimento. As leis são malucas; os tempos mudam toda hora. No século XIX, histeria era um fenômeno psíquico estritamente feminino.

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h32 comentou:

    Será?

    Vc prevê o futuro?

    Esse site é o antro dos descambados – qdo não é 8 é 80.

    Super Sincero em 13/01/2015 - 01h58 comentou:

    Você sabe ao menos o que significa a palavra "consentimento"? Não existe sexo consentido, exceto, é claro, no sexo profissional, em que o cliente paga o que deseja, e terá somente o que pagou. Fora disso, não há que se falar em consentimento em um ato mútuo. Seu péssimo entendimento da matéria advém do fato de que você julga que o homem deve pedir permissão à mulher para fazer sexo, sob o argumento de que o sexo é um favor que a mulher faz ao homem, e que ela, mulher, não se beneficia dele e, portanto, deve autorizar o ato, que seria, portanto, de interesse exclusivo do homem. Nunca pedi permissão a mulher alguma para fazer sexo com ela, e jamais pediria. Só faço sexo com mulheres que entendam que elas sim estão se beneficiando em fazer sexo comigo. Quem faz o favor sou eu. E, claro, só faço se quero, e se quero, não há que se falar em "consentimento", em "autorização". É ato de mútuo interesse, coisa que sua visão feminista chinfrim lhe impede de ver.

    dbacellar em 06/01/2015 - 18h47 comentou:

    Só para jogar gasolina na fogueira, o conceito de estupro é relativamente moderno, tem uns 300 anos, se me recordo bem. Sexo sempre foi visto como função biológica e, por séculos, decidido pelos homens. Desta forma, cabia ao pai ou ao irmão proteger a honra da moça, protegendo sua 'virtude' para o casamento, garantindo assim o dote do noivo ou outros benefícios do acordo entre as famílias. Sugiro ler "História do Estupro" (Histoire du Viol : XVIe ‑XXe Siècles), de Georges Vigarello, para mais informação sobre o assunto.

    Berne em 14/01/2015 - 17h28 comentou:

    Estupro é uma questão de ponto de vista.

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h35 comentou:

    Estupro não é questao de ponto vista. Aliás é do estuprador que não via como estupro.

    Que houvesse estupro antigamente e a lei nao punia é uma coisa, mas dizer que nao havi estupro…

    Nossa é cada comentario idiota!

Alan kevedo em 06/01/2015 - 16h59 comentou:

Nada me parece mais apócrifo do que esses três evangelhos sinopticos e aquela ameaça de evangelho gnóstico que é o de João. Contudo, algo me parece irrefutável desde Niceia: botar cabresto em adetos e medir a capacidade intelectual dos ocidentais, para saber-se até onde enfiar a mão, no bolso desses povos que entre outras coisas, até hoje crê em promessas pré -eleitorais.

Responder

ludimila em 06/01/2015 - 18h49 comentou:

Sou esquerda, sou cristã e nao sou de acordo com o "massacre" que tentaram fazer com você nas redes.À proposito aprendi com Cristo que o correto é por Ele, morrer … não matar.
Sobre o velho testamento, ler contexto cultural e histórico, algumas biblias de estudo com notas de rodapé;
Sobre seu texto vê-se que assim como tem pessoas agredindo as outras em nome do Senhor, tem pessoas como você tratando de forma desrespeitosa e preconceituosa as outras pessoas em nome de si mesmo. Abraço;

Responder

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h39 comentou:

    Sou de direita, sou ateu e não há santos nessa historia nem esquerda nem direita. Os massacrados numa situação sao massacradores noutra.

    E ela nao tratou de forma desrespeitosa pessoa nenhuma. Religião é ideia e nao pessoa e nao merece ser respeitada.

    Respeitar religiao que defendia determinar que A é santo e B é pecador segundo ponto de vista de um livro? As unicas ideia que devem ser desrespeitadas é democracia, justiça – coisa que não se acha perfeito em nenhum ser humano mas que tem valor mesmo assim.

Hugo em 06/01/2015 - 18h58 comentou:

Gostei do texto. Penso que não foi intenção ter bases bem fundamentadas mesmo, mas cumpre a intenção – se bem entendi – de mostrar que os Evangelhos sinópticos trazem apenas a visão vencedora sobre a vida de Cristo. Se puder ler e dizer o que acha deste texto: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/in… seria interessante saber sua opinião, grato. Abraço.

Responder

Daniel em 06/01/2015 - 19h19 comentou:

Caramba! nenhum historiador sério leva a sério a hipótese de Jesus não ter existido. É impossível frente aos registros e evidencias. Se o cara arruinou a carreira não foi por conta da religião, mas do próprio meio científico. Como essa pode ser sua hipótese favorita?

Responder

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h42 comentou:

    1) Nenhum historiador? Ainda que todos historiador alegassem possibilidade dele ter existido, isso não provaria nada. E se ele existiu seria filho de um deus ou apenas humano?

    2) Que registros que evidencias? livros, fabulas, lendas? Então Aquiles existiu porque Homero e outros autores mencionaram ele.

    Vá estudar mais q é melhor

Cleuber em 06/01/2015 - 19h30 comentou:

Em relação ao texto, talvez cega pelo feminismo fundamentalista, não percebeu que o texto de Lucas 1, trata cronologicamente, primeiro, do aviso que ela conceberá (futuro) e dará a luz ao filho de Deus. Segundo, houve o consentimento de Maria após isso.

Outro ponto é que o fato de alguém ser de alguma religião ocidental não o faz de direita! Que reconceitualização !

Todas as versões apresentadas foram posteriores aos evangelhos que fazem partem do cânon da bíblia, alguns muitos séculos depois. Neste caso, talvez seja preferível acreditar num história contada de forma original, a outra que foi interpretadaespeculada por terceiros.

Responder

    hugo em 08/01/2015 - 12h24 comentou:

    Fundamentalista é quem baseia seu discurso religioso no texto bíblico como verdade absoluta. É exatamente o que você está fazendo. O texto de Lucas 1 não impede que existam outras teorias. Não significa que ele é um fato, nem por ser o primeiro texto, e muito menos considerando que ele fala que foi um ANJO que anunciou o nascimento de Jesus (não sei você, mas eu sempre acho mais difícil de acreditar em anjos do que em linhas racionais).

    Nem vem querer dizer que feministas são fundamentalistas porque isso não faz sentido, é uma velha jogada de reacionário.

    Super Sincero em 13/01/2015 - 02h07 comentou:

    Feministas são, SIM, fundamentalistas. E feminismo PRECISA ser fundamentalista, pois não há como o feminismo vingar sem que seja ele, o feminismo, a base, o fundamento, da moral humana. O feminismo se funda no argumento de que GOD IS WOMAN, e, observe, não no argumento de que GOD IS A WOMAN (o que já seria uma aberração). A sutil diferença é altamente importante. Só há feminismo se a sociedade acreditar e aceitar que a mulher é o ser supremo, e, portanto, a baliza do mundo, e quem tem o direito e o poder de ditar as regras morais e éticas a serem seguidas pelos seres humanos, sendo que elas estarão sempre acima de tais regras. É impressionante como homens feministas se julgam inteligentes, quando são mais manipulados que qualquer cristão fundamentalista que criticam.

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h44 comentou:

    Super Sincero -> ainda bem q o nick não é Super Certo. Porque há diferença entre estar certo e ser sincero.

    Sinceramente muita gente acredita em algo, o que não quer dizer que isso seja real.

    Super Sincero em 22/01/2015 - 01h42 comentou:

    É eu que digo: há muita gente que acredita feminismo com sendo algo bom, o que nem longe é real. É preciso ser super sincero para mostrar o que é real. Eu sou. Eu mostro.

simoes coelho em 06/01/2015 - 20h53 comentou:

o grande Marx ja dizia sabiamente que a religiao é o ópio do povo. se vivesse hoje ia ver que é a melhor maneira de arrancar dinheiro do povo para uso proprio em nome de qualquer deusinho inventado.

Responder

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h45 comentou:

    Ele criticou as religioes com teor sobrenatural e criou uma religiao politico-social: COMUNISMO – q tb tem seus fanaticos

Anderson em 06/01/2015 - 21h52 comentou:

Pouco importa se Jesus era humano ou uma divindade. Porque não se segue suas palavras, seus ensinamentos, os seus atos? Ex.: Amar ao próximo como a si mesmo; Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus; Que o seu sim seja sim e que o seu não seja não; Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça e tudo mais vos será acrescentado….. Ficam procurando picuinhas gastando tempo e energias com pormenores e não são capazes de realizar uma vírgula daquilo que jesus ensinou. Quem sabe assim, seguindo seu projeto de vida, seríamos um pouco melhores, mais fraternos para enfrentar a dureza da vida.

Responder

    @alinevpina em 07/01/2015 - 05h24 comentou:

    Obrigada, ao menos uma pessoa aqui que entende a verdadeira palavra de Jesus.

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h48 comentou:

    E porque não seguir as palavras de Buda?
    Budismo é muito mais interessante e prega as mesas coisas e até mais.

    Tá querendo enfiar goela abaixo a pratica religiosa até mesmo de descrentes?

    OBS.: Jesus nao amou o proximo qdo entrou no Templo e açoitou mercadores.

Amaro em 06/01/2015 - 22h18 comentou:

Quem realmente quer saber sobre religioes e "mitos", deveria estudar África, ali está a verdadeira história que depois foi distorcida, alterada,manipulada…tudo começa na África ( não o que hoje chamamos de África), tudo vem de lá……trindades, mitos, deuses,etc….

Responder

Bruno Campos em 06/01/2015 - 23h25 comentou:

A tentativa de desacreditar Jesus Cristo é antiga, principalmente a tentativa de desacreditar a sua ressurreição. Faz parte de um estratagema de Satanás. Mas todo o evangelho foi escrito e escolhido conforme a vontade do Espírito de Deus. Todo o antigo testamento, que já existia muito antes de Cristo aqui na terra, fala do próprio Cristo. O Salmo 22 é uma descrição da crucificação de Jesus Cristo, assim como o capitulo 53 de Isaias. Livros que foram escritos cerca de mil anos antes de Cristo.

Responder

    roberto quintas em 07/01/2015 - 21h48 comentou:

    Bruno, o sr ao menos leu o texto por inteiro? O sr tem algum conhecimento de história, seja do Cristianismo, seja da Igreja? Ainda que fiquemos em uma análise literária deste livro, a Bíblia se contradiz. Se compararmos com o Torah, que é a base do Antigo Testamento, a coisa fica pior ainda. Se incluirmos os apocrifos e outros textos gnósticos, não vai sobrar muita coisa do que o sr [e a Igreja] consideram como inspirados pelo espírito Santo.

Bruno Campos em 06/01/2015 - 23h31 comentou:

Quando Deus pediu a Abraão que sacrificasse o seu único filho, Deus sabia que Abraão iria obedecer, mas era uma lição para Abraão, para que ele compreendesse que por amor a Deus ele iria às últimas consequências. Ele precisava de tal entendimento, pois seria o patriarca do povo de Israel. É assim que Deus ensina as pessoas, não é num passe de mágica, mas através de um trabalho que dá a pessoa a chance de se desenvolver. Então quando Abraão levantou o cutelo para matar o filho, o anjo lhe interrompeu, e lhe mostrou um cordeiro amarrado pelas pontas, simbolizando Jesus Cristo, o Filho de Deus, que seria preso pelas pontas e sacrificado para a redenção da humanidade com Deus.

Responder

Bruno Campos em 06/01/2015 - 23h37 comentou:

Jesus Cristo quando ressuscitou Lázaro, poderia ter dito à pedra que cingia o túmulo, para que se retirasse, mas ele pediu que removessem a pedra. É como se Deus quisesse que participássemos do milagre. Então lhe disseram: Senhor, mas já cheira mal. E ele respondeu: eu não disse que se creres, verás a glória de Deus? Então tira a pedra. Removeram a pedra e Ele chamou: Lázaro, vem para fora. Lázaro saiu do túmulo como uma múmia, então Jesus lhes pediu que desatassem aqueles tecidos que envolviam o corpo de Lázaro. Ele também poderia ter feito isso no milagre, mas assim não procedeu.

Responder

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h51 comentou:

    PROSELITISMO DETECTED!

    MIMIMIMI + BLABLABLA = ZZZZZZZZ

Márcio em 07/01/2015 - 05h04 comentou:

O que me espanta é a falta de leitura e conhecimento da Idade Média, da Inquisição e da própria História do Cristianismo. Além disso, os erros teológicos existentes no texto foram vergonhosos. Para quem afirmou que reaças não leem foi um mico histórico.

Responder

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h53 comentou:

    Entao dá aula de historia aí ô sabichão: Mostra a verdade absoluta.

    falar sobre "Historia" de jesus é como falar de historia de papai noel – dá no mesmo se mentem sobre outra mentira

MARCO A. DE AZEVEDO em 07/01/2015 - 05h06 comentou:

Prezada, nada mais natural do que surgir mais um(a) tresloucado(a) como você, num universo que você se acha impar; saduceus, fariseus, agnósticos como você sempre existiram e sempre refutaram as Santas escrituras, porém, uma coisa lhe digo: De Deus não se zomba; tudo o que o homem plantar, isto também ceifará.

Responder

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h55 comentou:

    e quem crê numa virgem emprenhada por espirito? Ah e vc é normal? ta doido ô doido!

    Espirito = esperma?

Marcus Rock em 07/01/2015 - 11h47 comentou:

Bom, mas você é feminista, e, portanto, nada mais é preciso dizer a seu respeito. Porque lixo humano maior que feminista não há. E com você bem sabe, a farrinha de vocês chegou ao fim. As mensagens que você recebe todos os dias são suficientes para que você saiba que gente de bem odeia feminismo e, principalmente, odeia feministas e sua apologia pela morte e pela promiscuidade.

Responder

    morenasol em 07/01/2015 - 15h07 comentou:

    antifeministas são de direita. e lixo humano é você. este é seu último comentário aprovado aqui. se você não sabe ler, está escrito no aviso: comentários CIVILIZADOS serão aprovados. curioso: quem se proclama "gente de bem" em geral são os piores calhordas. adeus

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h57 comentou:

    Nao exagera!

    tem maçã podre em todo lugar: Machos/Femeas, Preto/Brancos, Esquerda/Direita, Ateu/Religioso, etc..

Bruna em 07/01/2015 - 13h17 comentou:

Eu já tive um encontro com Jesus, Ele é real e ama todos vocês!!

Responder

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h58 comentou:

    É?! entao chama ele aí. Tô afim de encontrar com ele

sergio em 07/01/2015 - 13h40 comentou:

Cara autora… primeiro lhe falta o respeito a crença e religião de outras pessoas….segundo vc apresenta "n" versões do que é verdade; terceiro, vc prefere acreditar na versão de uma ou poucas pessoas, do que naquela mundialmente aceita; quarta: parece -me que a inquisição saiu fora dos padrões cristãos e precisou-se de uma nova reforma através de Lutero; Toda teoria só é válida com a comprovação na prática. Há muitos resultados satisfatórios dos que seguem a Cristo, como também, ha exceções; sem resultados práticos não há como seguir a Cristo, porque é algo que não se vê, só se houve falar. Agora se Cristo é um mito, falso ou uma mentira a senhora vai se dar bem, mas, se for a verdade, o caminho, o filho de Deus, peço que Deus lhe tenha misericórida

Responder

    morenasol em 07/01/2015 - 16h13 comentou:

    amém

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 18h59 comentou:

    Religiao é ideia e nao merece respeito. Pessoa sim.

    E deveria pregar em outro lugar. Mania essa de cristao fazer proselitismo e propaganda religiosa.

Ricardo G. Ramos em 07/01/2015 - 14h13 comentou:

Jesus nunca existiu. Assistir A Vida de Brian, no original inglês Life of Brian, filme dos Monty Python realizado em 1979 por Terry Jones, membro do grupo.

Responder

    Antonio Aprisidio em 09/01/2015 - 13h02 comentou:

    Como, se eu falo com ELE a todo momento?

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 19h09 comentou:

    Eu falo com elfos imaginarios tb

    @Centralista1 em 19/01/2015 - 19h09 comentou:

    mesmo se ele existisse a questao é: Era filho de algum deus? Se não, era apenas um homem.

AcacioMelo em 07/01/2015 - 14h15 comentou:

Cynara Menezes praticou censura descarada: escolheu 10 versões, dentre as mais burlescas, e publicou.
Assassinou tudo o mais, provado e não provado, num vale-tudo para chamar a atenção, já que ficar nu (como na canção) hoje passa em branco.
Quem se dizia de esquerda cuidava em não ser tão canhestro e idiota.
Saudosismo? Pode ser.

Responder

    Raphael Gomes em 07/01/2015 - 22h37 comentou:

    Faça o seu blog e escreva o que quiser.

Francisco em 07/01/2015 - 14h23 comentou:

Desde que com fundamento e seriedade, é possível sustentar qualquer hipótese teórica para o problema da existência de um personagem histórico em cuja memória se funde um culto religioso.

No plano teológico, cada religião terá sua explicação, fundada na revelação (Cristo como uma divindade integrante da trindade no catolicismo ou um profeta no maometanismo, por exemplo) e por isso infensa à discussão exclusivamente racional.

Zombar de um religioso dizendo que, à luz de argumentos racionais, históricos, biológicos, físicos ou quais se queira, Cristo não pode ter sido concebido sem relação sexual ou que Xangô não pode manipular trovões é simples ignorância. É ignorar o que significa uma religião, desconhecer seu papel cultural e desrespeitar o direito de crença alheio.

A intenção do texto é clara, expor teorias para provocar os religiosos. É deprimente que quem se ache tão tolerante e democrático use o pretexto de defender a liberdade de expressão apenas para agredir o sentimento religioso de outros. Esse é o progresso que se opõe aos reacionários? O entusiasmo adolescente com a equiparação do deus alheio ao efeito de um cogumelo alucinógeno é apenas grosseria e falta de educação.

Aplaudamos a coragem iluminista dos neo-iconoclastas, sempre tão bravos a criticar o cristianismo. Gostaria de ver a mesma coragem na redação de um artigo que, seguindo a tese 5 e inspirado na defesa dos ideais feministas, tecesse suas considerações acerca do casamento de Maomé com uma Aisha ainda criança, ou mesmo da misoginia tão presente em certas vertentes do islamismo contemporâneo.

Responder

@Mathias_Math em 07/01/2015 - 16h16 comentou:

Pode tecer algo sobre o islamismo?

Responder

Allan A. Santos em 07/01/2015 - 18h52 comentou:

Ignorantes. Arrogantes. Senhores da verdade. Somos todos assim!
Queremos ser notados, vistos, aplaudidos…Putz! Que lástima nossa raça humana!
E a História (com "H") existe relatada em algum manuscrito, livro, ou meio digital?
Quem aqui pode negar que o que temos são relatos convenientes aos fatos ocorridos? Estórias?
Quem relatou?
Que intenção real ele tinha? E sua instrução daria pra dividir o que era fato e o que era um entendimento fantasioso do que acontecera?
E hoje? É diferente?
Cada verdade de um, é a mentira pra outros. Ou não? Eu tenho meu mundo, minha realidade, meu entendimento de verdade. Os outros, os deles. Respeitemos, então.
Se houver um dia (ou já há e não sabemos) uma máquina do tempo na qual possamos voltar e presenciar o que de fato aconteceu, desejo que mandem uma criança e um cachorro para descreverem o que viram. São muito mais confiáveis do que qualquer babaca (incluindo a mim) que tenha anos de estudos e conhecimento.

Que Odin , Seth, Deus, Buda e a Santíssima Ciência nos perdoem!

Responder

Gustavo em 07/01/2015 - 23h21 comentou:

Faz uma charge de Maomé para nós, por favor?

Responder

Sunda em 08/01/2015 - 02h59 comentou:

A Sra. Socialista Morena sabe muito bem que ninguém vai levar uma rajdada de metralhadora se fizer piada com Jesus ou com a Igreja Católica. É exatamente por isso que ela o faz. Agora, o mesmo não se pode dizer de quem faz piada com Maomé, conforme o exemplo eloquente de ontem nos ensina. Será que a Sra. Socialista Morena é corajosa o bastante para começar a ridicularizar o profeta Maomé e o fundamentalismo islâmico?

Responder

Edilaine em 08/01/2015 - 11h11 comentou:

É bacana ver que ainda existem pessoas capazes de pensar diferente da maioria. Gostei do texto e gostaria de saber mais.

Responder

@AgenorMartinsNe em 08/01/2015 - 11h30 comentou:

Cada igreja, cada religião e cada pessoa, inclusive as de poucas leituras e muito saber adquirido no decorrer da vida, tem um Cristo Jesus, mas ela se contenta em ouvir os "intelectuais" para poder discernir os seus conhecimentos de costumes que é simplesmente uma lei na vida até a morte. Jesus era um Carpinteiro é o que diz a Bíblia ou uma das Bíblias existentes, então por ser um trabalhador braçal Jesus não era afeminado, por ser um pregador ele era um reacionário e, se ele tinha uma Missão ele a cumpriu conforme o Calendário, e se recebeu o Espírito Santo ou nasceu (digo veio em forma de ser humano) para recebê-lo no Batismo por enviado, o fez diligentemente, ressuscitou e cumpriu seu mandato. E não andou por aquelas bandas.

Responder

Jorge em 08/01/2015 - 12h23 comentou:

Cynara,
faz um com o profeta Maomé. Isso, sim, seria contestador.

Responder

Marcelo Xavier em 08/01/2015 - 18h45 comentou:

Caí aqui no seu blog por um feliz acidente e pretendo vasculhá-lo do começo ao fim. Em relação a essa postagem, a tal da patrulha do politicamente correto está a todo vapor nos dias de hoje. São pessoas incapazes de um pensamento próprio, incapazes de ponderarem sobre o mundo que as rodeiam, por isso aceitam de bom grado – e até muito agradecidas – a cartilha do politicamente correto, que nada mais é que o pensamento pronto e estabelecido sobre os mais diversos assuntos, é o pensamento adquirido como mais um produto de massa, como fosse uma nova marca de refrigerante ou coisa que o valha. Também tenho um blog e já sofri, certa vez, uma perseguição por parte de um grupo da juventude católica.

Responder

Antonio Aprisidio em 08/01/2015 - 19h04 comentou:

FÉ EM JESUS COMO MANDAMENTO E NÃO COMO OPÇÃO
O lugar de JESUS na salvação, na igreja, na História, no destino humano e na consumação dos séculos é enorme. No princípio mais remoto, antes da criação do mundo, ELE estava com DEUS e por intermédio dELE tudo o que existe foi criado (Jo 1. 1-3). No fim da História, todas as criaturas de todo o espaço (no céu, na terra e no mundo dos mortos) cairão de joelhos (inclusive você, Cynara Menezes) e declararão abertamente que JESUS CRISTO é o SENHOR (Fp 2.10-11). Será a festa mais bonita e de maior tamanho nos anais da História; a apoteose das apoteoses, o apogeu dos apogeus, a plenitude das plenitudes, a glória das glórias.
Se essa é a posição de JESUS no tempo e no espaço, a fé em JESUS não é uma questão de escolha, como o apóstolo João nos faz enxergar: “ O que ELE [DEUS, o Pai] manda é isto: que creiamos no SEU Filho, JESUS CRISTO, e que nos amemos uns aos outros, como CRISTO nos mandou fazer”.
Há muita gente que crê em JESUS e é incapaz de amar. Há muita gente que ama e é incapaz de crer. Uma parte do mandamento diz respeito à fé; a outra parte diz respeito ao amor. Não é o caso de abraçar um e rejeitar o outro. Quando o mestre da lei perguntou a JESUS qual era o mais importante mandamento de todos, o SENHOR respondeu que era o amor (Mateus 22. 36-37). Quando em outra ocasião, a multidão perguntou a JESUS “o que é que DEUS quer que a gente faça?”, o SENHOR respondeu de pronto: “ELE quer que vocês creiam nAquele que ELE enviou!” (Jo 6. 28-29). Aquele que DEUS enviou era ELE mesmo!
A fé em JESUS pode surgir por força de admiração, por força das evidências, por força da persuasão, por força do mandamento e por força da impossibilidade de fuga. Esta última não é a fé que salva. Está reservada para o fim do fim dos tempos!
É muito melhor crer em JESUS agora do que depois que ELE tiver voltado!

Refeições Diárias Com Os Discípulos – Editora Ultimato

Responder

Alê em 09/01/2015 - 06h56 comentou:

Ainda bem que os cristãos atualmente não adotam a violência contra escritores.. Já pensou se essa blogueira fizesse críticas a Maomé? Se bem que ela me parece sem maiores repercussões.

Responder

Marcellus em 10/01/2015 - 23h31 comentou:

Tremenda colcha de retalhos. Todo mundo dando tiro para todos os lados, preocupados em saber se Jesus era casado, gay, se nasceu de uma virgem ou não, se era moreno, se tinha olhos azuis ou não, etc. Alguém já parou para pensar e meditar apenas no espírito de suas palavras?

Responder

Juliana em 11/01/2015 - 05h17 comentou:

Cynara admiro sua visão de mundo, e concordo, em grande parte, com sua posição politica.No entanto, é como o próprio Jesus disse:
“Naquela hora, exultou Jesus no Espírito Santo e exclamou: Graças Te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do Teu agrado.” Lucas 10.21 Os pequeninos não são os pobres ou ignorantes, mas são os humildes de espirito.
ps. Eu amo ler!
ps2. Não existem apenas religiosos extremistas.
ps3Bjos no seu coração. E por mais que você não creia, Deus a abençoe, para você continuar fazendo esse trabalho maravilhoso na carta capital, no qual eu acompanho e que me ajuda a ter uma visão de mundo diferenciada. ;*

Responder

    Super Sincero em 12/01/2015 - 23h38 comentou:

    Pois pare de ler as bobagens dessa doidivanas, e gaste seu tempo com um boa gramática. Você está precisando.

Iskra em 12/01/2015 - 01h04 comentou:

Cynara você é linda ! Belo texto, aliás coisa corriqueira para você !

Responder

Severino Pontes em 12/01/2015 - 01h10 comentou:

Ninguém está obrigado a gostar de religião "a", "b" ou 'c". Ninguém está obrigado a gostar de fulano e nem de sicrano. Mas, tem a obrigação de respeitá-los. O respeito é a chave da convivência pacífica.

Responder

Paulo Mota em 12/01/2015 - 12h51 comentou:

Corajoso artigo.Aguardo ansiosamente um semelhante sobre Maomé.

Responder

Antonio Celso Sgaria em 12/01/2015 - 14h18 comentou:

Minha querida e capacidada de que por meio da escrita consegue expor seus pontos de vista ou de outrem. Uma pena. ou não, que a sós eu não seja. Eu não consigo dar sentido das coisas que sei por esta forma, apenas consigo quando sou questionado, e não pra qualquer pessoa que preparada psicologicamente. A vezes necessito elaborar a correta pergunta para poder continuar focar o questionador. Eu, me enrolo completamente quando tento me manifestar sobre algo que sei dar clareza e sentido. O q posso t adiantar, é q ninguém consegue explicar as coisas como as que expôs nesta matéria, por que? Até este momento não sabiam sequer que foi a galinha que veio antes do ovo. Veja, ovo não perpetuaria uma espécie pelo fato óbvio de q precisa estar fecundado pelo galo antes, para fecundá-lo a galinha já havia de ter vindo. veja como a coisa é fácil para uns e impossíveis para todos? Então, não duvide q eu possa logicamente vir a dirimir todas as dúvidas. tenho 53 anos, não fiz nada ainda publicamente, é uma primeira vez que m disponho ( talvez não por acaso ) abrir-me a uma proficional, e foi com vc. qual a lógica usada para que se possa compreender como tudo tem explicação? Que ninguém entende que é claramente normal e justificável, até o q nos parece barbárie? Sozinho não sei se estou sendo sensato, e não pagando micro. Vc decide, abraços de uma criatura composta como vc….

Responder

Jandui em 12/01/2015 - 14h42 comentou:

muito barulho para um personagem de ficção.
http://www.str.com.br/Atheos/jesus.htm

Responder

carlos henrique em 13/01/2015 - 13h53 comentou:

Cynara, estamos criando um semanário com linha editorial de centro-direita. Não quer ser uma de nossas colunistas de política e economia? Cobrimos qualquer oferta do Mino Carta.

Responder

    morenasol em 13/01/2015 - 19h06 comentou:

    hahahaha boa

oliveira castro em 13/01/2015 - 15h40 comentou:

Sendo fruto ou não da ficção mais extraordinária entre as histórias, continua criando mudanças em várias sociedades, contagiando e mudando as vidas das pessoas. Eu diria que ele simplesmente nada mais é, o maior revolucionário da história da humanidade.
Interessante que segundo os antigos, sempre zombaram dele!

Responder

Evy em 13/01/2015 - 23h10 comentou:

Oi Cynara, achei interessante o texto. Apenas quero deixar um comentário sobre o seguinte parágrafo: "(Curioso é que, apesar de se arvorarem em defensores da religião, os jovens conservadores tampouco leram a Bíblia, ou não se escandalizariam assim, já que o que não falta no Velho Testamento são estupros, incestos, assassinatos e todo tipo de barbaridade cometida em nome do Senhor.)". Pra mim seu texto também errou igual os jovens conversadores que falam da bíblia sem ler… Realmente a bíblia teve histórias horrendas de massacres, estupros, poligamia e tudo mais, mas devemos considerar que na época do velho testamento Israel vivia em guerra e tirando os assassinatos nas guerras, em todas essas situações, a bíblia deixa claro que Deus é contra todas essas atitudes do seu humano. Não existe nenhuma passagem da bíblia que Deus apoie a bigamia ou estupro, Deus sempre deixa claro que o ser humano é livre para fazer o que quer, com consequências, sejam boas ou ruins.

Responder

Lee Lucas em 16/01/2015 - 10h49 comentou:

Jesus pode ter sido um Mandela de seu tempo. Humano, nada divino. Foi crucificado apenas para servir de exemplo, não porque estaria cumprindo alguma profecia, e nunca realizou milagres. E quanto a Judas, pode muito bem ter sido namorado de jesus. Seu beijo não foi o beijo do traidor, mas do amante que se despede.

Responder

Cícero em 19/01/2015 - 09h18 comentou:

Ao longo dos séculos, não existiu outra instituição no mundo que tenha praticado tantos crimes e acobertado tantos ditadores sanguinários como a Santa Igreja Católica.
Durante as cruzadas, cavaleiros católicos, instigados por bispos dessa igreja idólatra, saquearam cidades, torturaram e mataram milhares de seres humanos para impor, pela tática do terror, os seus dogmas e SUA própria doutrina embasada nas tradições do Império Romano, e não nas Escrituras. Os que não aceitassem o "seu doutrinamento” eram mortos de forma cruel, impiedosa e violenta. No ano de 1099, por ordem do Papa, os cruzados invadiram Jerusalém e massacraram, num só dia, 70 mil pessoas, entre elas 20 mil crianças. Na França, o Rei Luiz (que hoje é tido como um santo católico) condenava à morte quem se opusesse ao Papa, matando-os em pelourinhos com ferros em brasas. Em 1231, a Igreja Católica criou a terrível “Santa Inquisição” (ou Santo Ofício) que julgou, condenou e matou 1 (um) milhão de pessoas que não concordavam com seus dogmas. Antes da sentença de morte, as vítimas eram submetidas a cruentos flagelos e mutilações, a pele dilacerada e os ossos quebrados por torturadores católicos. Os que não aceitassem a conversão, durante o flagelo, eram queimados vivos em fogueira de madeira verde para que a agonia se prolongasse. E enquanto o fogo martirizava o corpo da vítima, os inquisidores católicos louvavam a Deus.

J. Cristo é pra mim, tão somente um homem inteligente, de cérebro iluminado, que fundou uma Doutrina, arrebanhou seguidores, sua doutrina cresceu e obcecou grande parte da humanidade. É desse modo que entendo Jesus. NADA MAIS.

Responder

Cícero em 19/01/2015 - 09h38 comentou:

Ao longo dos séculos, não existiu outra instituição no mundo que tenha praticado tantos crimes e acobertado tantos ditadores sanguinários como a Santa Igreja Católica.

Durante as cruzadas, cavaleiros católicos, instigados por bispos dessa igreja idólatra, saquearam cidades, torturaram e mataram milhares de seres humanos para impor, pela tática do terror, os seus dogmas e SUA própria doutrina embasada nas tradições do Império Romano, e não nas Escrituras. Os que não aceitassem o "seu doutrinamento” eram mortos de forma cruel, impiedosa e violenta. No ano de 1099, por ordem do Papa, os cruzados invadiram Jerusalém e massacraram, num só dia, 70 mil pessoas, entre elas 20 mil crianças. Na França, o Rei Luiz (que hoje é tido como um santo católico) condenava à morte quem se opusesse ao Papa, matando-os em pelourinhos com ferros em brasas. Em 1231, a Igreja Católica criou a terrível “Santa Inquisição” (ou Santo Ofício) que julgou, condenou e matou 1 (um) milhão de pessoas que não concordavam com seus dogmas. Antes da sentença de morte, as vítimas eram submetidas a cruentos flagelos e mutilações, a pele dilacerada e os ossos quebrados por torturadores católicos. Os que não aceitassem a conversão, durante o flagelo, eram queimados vivos em fogueira de madeira verde para que a agonia se prolongasse. E enquanto o fogo martirizava o corpo da vítima, os inquisidores católicos louvavam a Deus.

J. Cristo é pra mim, tão somente um homem inteligente, de cérebro iluminado, que fundou uma Doutrina, arrebanhou seguidores, sua doutrina cresceu e obcecou grande parte da humanidade. É desse modo que entendo Jesus. NADA MAIS.

Responder

Cícero em 19/01/2015 - 09h46 comentou:

Excelente e bastante instrutivo seu texto, Cynara! E instrutivo, sobretudo, para aqueles que, "apesar de se arvorarem em defensores da religião", na sua maioria jamais leram a Bíblia e, o pior, não conhecem os Fatos registrados na História. SIM! Cristãos são apenas leigos fanáticos, tocados (conduzidos) como gado por homens inteligentes e astutos, que se autointitulam padres, pastores, missionários, apóstolos, bispos, papas, etc., os quais, dotados de admirável oratória e belos discursos, conseguem cegar seus seguidores que, uma vez obcecados pela fé sem razão, passam a ser facilmente manipulados como marionetes pelos seus sacerdotes obsessores. ENTRE A FÉ E A RAZÃO, OPTO PELA A RAZÃO.

"Aquele que não raciocina é um intolerante. Aquele que não pode raciocinar é um tolo. Aquele que não ousa raciocinar é escravo." (William Drummond).

A Bíblia escravizou o Homem.

ALBERT EINSTEIN (1879-1955) já dizia: "a bíblia não passa de uma coleção de lendas infantis." Não Einstein, diria eu se tivesse tido a honra de conhecê-lo: – A bíblia não é livro pra ser lido por crianças… A bíblia é uma coleção de contos fictícios aterrorizantes, marcados por ódio, barbáries, guerras, "incestos, assassinatos", crueldade, violência e muito, MUITO SANGUE derramado de inocentes, tudo em nome de um Deus a quem os cristãos chamam de Deus do amor. Ora que amor é esse que, segundo a lenda narrada em Gênesis, MATA por afogamento, num suposto dilúvio, os seus próprios filhos e também animais? [Gênesis, 6:7], [6:17]? Ora o que os os animais fizeram para merecer a morte trágica pelas mãos de Deus? [Gênesis, 7:4]

Deus manda Abraão matar seu filho, Isaque, mas antes de degolar Isaque, Deus pede no lugar dele um carneiro. [Gênesis, 22:2-13]. Pergunta-se: dá pra acreditar numa estória dessa? Só alguém sádico pediria para um pai matar seu próprio filho. Não! definitivamente, a bíblia não passa de uma compilação de lendas brutais e sanguinárias contadas de pai para filho, de geração a geração, pela tradição oral até chegar aos nossos dias na sua forma escrita. E isso porque não se falou aqui de coisas sem lógica alguma narradas nessas lendas, como no caso de Caim, que após matar Abel, casou!!!! Pergunta-se: casou com quem se só havia, na estória, Adão, Eva e Caim? Teria Caim traçado sua própria mãe, Eva? Realmente, não dá para acreditar em tamanha fantasia narrada no livro dito sagrado pelos cristãos.

Por isso, parabenizo a Cynara, por trazer à baila um tema tão relevante e em hora tão oportuna. É preciso que as pessoas saiam dessa escuridão em que se encontram desde a Idade das Trevas, quando Igreja e Estado se mancomunaram, inventando dogmas, para MANIPULAREM O POVO, DOMINAREM PELA FORÇA E PELO MEDO, A FIM DE SE MANTEREM NO PODER E, DESSA FORMA, NÃO PERDEREM AS SUAS REGALIAS.

As idéias contidas, em boa parte transcritas, nesta valiosíssima crônica da Socialista Morena, coadunam-se com o que penso e cultivo.

Responder

Giuliano em 20/02/2015 - 12h26 comentou:

Como é bom viver num país com liberdade de expressão, não é mesmo? Assim você pode dizer e escrever a quantidade de bobagens que você quiser! Pena não ser assim nos países que ostentam o símbolo do seu blog. "ah que chato esse direitista!" É mesmo? Pergunte ao pobre prefeito de Caracas, ou à mulher do promotor Alberto Nisman. SABE DE NADA, INOCENTE!!! rsrs

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura, Direitos Humanos

Evangélicos progressistas, graças a Deus


Por Fernanda Lelles, para o Socialista Morena   De acordo com o último Censo, realizado em 2010, 22,2% dos brasileiros são evangélicos –ou 42,3 milhões de pessoas. Achar que todos eles pensam igual ao presidente…

Politik

O evangelho da intolerância


Jesus Cristo disse: “Amai ao próximo como a ti mesmo”. Esta frase, por si só, demonstra o absurdo que é pessoas auto-denominadas cristãs basearem sua conduta na intolerância. É incoerente com as palavras de Cristo,…