Socialista Morena
Maconha

A direita está certa: devemos imitar os EUA. E legalizar maconha, casamento gay e aborto

Os reacionários brasileiros adoram os Estados Unidos. Costumam passar, inclusive, as férias em Miami –o que corrobora seu profundo mau gosto, já que o país é imenso e tem dezenas de outras cidades mais interessantes. Para a direita tupiniquim, os EUA são a Terra Prometida, onde jorra leite e mel. A economia deles é fantástica, […]

(Marcha pró-aborto nos EUA. O aborto é legalizado no país desde 1973. Foto: Peter Keegan)
Cynara Menezes
05 de agosto de 2014, 20h06
(Marcha pró-aborto nos EUA. O aborto é legalizado no país desde 1973. Foto: Peter Keegan)

(Marcha pró-aborto nos EUA. O aborto é legalizado no país desde 1973. Foto: Peter Keegan)

Os reacionários brasileiros adoram os Estados Unidos. Costumam passar, inclusive, as férias em Miami o que corrobora seu profundo mau gosto, já que o país é imenso e tem dezenas de outras cidades mais interessantes. Para a direita tupiniquim, os EUA são a Terra Prometida, onde jorra leite e mel. A economia deles é fantástica, a educação, a saúde, o cinema… Eles admiram até a junk food, aquela comida péssima que fez os índices de obesidade irem à estratosfera por lá. Enfim, se dependesse dos reaças, o Brasil imitaria o Tio Sam em tudo. Tudo mesmo? Será?

Claro que não! Existem conquistas dos norte-americanos que a direita brasileira faz tudo para esconder de você. Quando se trata destes assuntos, eles preferem mirar o Irã, o Afeganistão ou qualquer nação islâmica radical onde as mulheres andam de burca e onde tudo é proibido em nome de Deus. A Terra Prometida dos reaças, na verdade, é um mix de Estados Unidos por fora e país fundamentalista por dentro. Uma miragem para enganar trouxa.

Imagine se a reaçada brasileira, que adora macaquear os EUA, iria querer que nós imitássemos, por exemplo, a lei de aborto norte-americana. A obscura direita nativa, que em toda eleição tenta criar celeuma em torno do aborto, prefere ocultar do povo que, na terra de George Bush e Barack Obama, pode-se interromper a gravidez legalmente em absolutamente TODOS os 50 Estados desde 1973. A interrupção pode ser feita até a 22ª semana de gestação e, em 17 Estados, o atendimento ao aborto é realizado pelo serviço público de saúde. Nos demais, em clínicas particulares.

O aborto, além de ser um direito e uma escolha da mulher, é uma questão de saúde pública. Centenas de mulheres morrem anualmente por causa de abortos mal-sucedidos no Brasil, porque, é claro, eles continuam a ocorrer mesmo proibidos por lei. E o número de abortos com a legalização, ao contrário do que a direita costuma dizer, vem caindo a cada ano nos EUA. Segundo um estudo divulgado em março deste ano, o total de abortos praticados nos EUA caiu para o mesmo patamar de antes da decisão da Suprema Corte, em 1973 (leia aqui).

abortografico

 

Outra coisa que nós poderíamos imitar dos gringos: 23 Estados e o Distrito de Colúmbia, onde está situada a capital, Washington, já aprovaram leis descriminalizando o porte de pequenas quantidades de maconha; 22 Estados permitem o seu uso medicinal; e dois deles, Colorado e Washington, legalizaram a maconha inclusive para o uso recreativo.

Um dos argumentos patéticos da direita burra (ups, pleonasmo) contra a legalização da maconha e contra até se discutir abertamente este tema é que existem “assuntos mais importantes” para se tratar. Nada mais falso. A proibição da maconha sustenta o tráfico de drogas e aumenta a criminalidade. Quer assunto mais urgente do que reduzir a violência? Só para se ter uma ideia, em Denver, no Colorado, os crimes caíram em 10,6% apenas cinco meses após a legalização da maconha no Estado.

A legalização da maconha nos EUA também está quebrando o narcotráfico no país vizinho, o México. Outro aspecto importantíssimo: com a legalização, as cadeias dos EUA, as mais populosas do mundo, não vão lotar de meninos negros levados em cana apenas porque fumavam um baseado, como ocorre hoje. O próprio presidente Barack Obama denunciou: “Garotos de classe média não são presos por fumar maconha. Garotos pobres são. E há mais garotos afro-americanos e latinos entre os pobres e com menos condições de se defender para evitar penas duras”. A criminalização da juventude pobre e negra por causa da maconha também ocorre no Brasil. Mas a direita não está nem aí.

Um terceiro item para imitarmos dos norte-americanos: o casamento gay. O governo federal, 21 Estados e o Distrito de Colúmbia reconheceram legalmente a validade dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Em junho deste ano, o presidente Barack Obama estendeu todos os benefícios federais do matrimônio tradicional aos casais gays. Isso inclui as leis de imigração: estrangeiros casados com gays norte-americanos passaram a ter o direito de permanecer no país, como acontece com os heterossexuais.

obamamichelle

(Obama e Michelle recepcionam o casal gay Jim Darby e Patrick Bova durante a recepção do Orgulho LGBT na Casa Branca, em junho. Foto: Pete Souza)

O mais interessante é que Obama nem sempre pensou assim. Seu pensamento sobre o casamento gay evoluiu a partir de 2012, quando declarou publicamente: “Em certo momento eu concluí que para mim é importante ir em frente e afirmar que casais do mesmo sexo devem ter o direito de se casar legalmente”. Em junho, durante uma recepção para gays e lésbicas na Casa Branca, Obama disse: “Se nós somos de fato criados iguais, então a maneira que amamos outra pessoa também deve ser igual”.

Portanto, faço aqui um reconhecimento: a direita está certa! Vamos copiar os Estados Unidos já. Eles são realmente um modelo para nós.

UPDATE: em 26 de junho, a Suprema Corte dos EUA aprovou o casamento gay em todo o país.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(127) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Conrado em 05/08/2014 - 22h28 comentou:

Mas, sob a suposta esquerda (essa que detém o poder atualmente, há 12 anos) essas questões avançaram no Brasil? Ultimamente o único argumento da (pseudo)esquerda brasileira, diante da inércia do governo no que se refere aos tais avanços (social, jurídico, político, etc.) é tentar ditar e rotular o que vocês acham que é a direita.

Responder

    Conrado em 05/08/2014 - 22h30 comentou:

    Só mais uma coisa: Acho um barato considerarem a mídia tradicional "parcial" mas estabelecerem moderação a priori nos comentários em um veículo "alternativo". Viva a liberdade. Abraços…

    morenasol em 05/08/2014 - 22h34 comentou:

    liberdade de não querer trolls na minha página. ok?

    Conrado em 05/08/2014 - 22h44 comentou:

    Ok. E com razão. Ultimamente anda difícil argumentar civilizadamente. Com a direita e com a esquerda. 😉

    Marcelo em 29/12/2014 - 01h20 comentou:

    Falta de conhecimento faz com que a pessoa não entenda que direita e esquerda são conceitos ligados a padrão econômico e liberal e conservador são conceitos que independem da questão econômica. Cuba, Coréia do sul e china sao regimes ditos de esquerda, mas são conservadores.

    Rodrigo em 06/08/2014 - 00h15 comentou:

    E quantos projetos relacionados a maconha, aborto e união homossexual foram travados por políticos de direita, especialmente a nossa querida bancada evangélica? Próximo!

Car em 05/08/2014 - 23h25 comentou:

Hahahah legalização da Maconha ira diminuir a violencia no no Brasil? HahahahahahhHah faça me rir , o que dizer da carga altissima de impostos que seria posto nesse produto?
O que dizer de os produtos mais contrabandeados serem cigarros e bebidas(ou seja drogas legalizadas).
O que dizer do argumento que as pessoas plantariam sua maconha? (Como assim vc planta o feijão que vc come?)
Maconha não faz mal , como não se já tem estudos que estão mostrando isso?
O que dizer das pessoas que dizem que a Maconha acabará com o tráfico? ( Como assim o traficante não vive so de Maconha)
Hahahaa isso me faz rir nessa esquerda sonhadora atacando a direita com falta de argumentos chamando de burra mas na verdade são os mais burros

Responder

    ciencia em 06/08/2014 - 15h36 comentou:

    Existem estudos mostrando que maconha não faz o mal que muitos dizem. Recomendo que vc leia "Maconha, Cérebro e Saúde", redigido por dois dos mais respeitados neurocientistas do Brasil. Ótima revisão bibliográfica sobre os estudos científicos sobre o assunto.
    Leia o projeto sobre legalização e verá que o plantio está incluido. Você cairia de costas se soubesse a quantidade de pessoas que nesse exato momento planta no Brasil.
    Sugiro que o Sr. leia e se informe.

    Car Alho em 06/08/2014 - 19h51 comentou:

    contra preconceito não existe diálogo, deixa rir-se sozinha se não precisa de nada para faze-la-rir

    Car em 06/08/2014 - 21h07 comentou:

    http://blog.comshalom.org/carmadelio/37718-holand
    E o que vc diz disso amigão?
    Disso aqui também http://www.epochtimes.com.br/legalizacao-maconha-
    Aqui amigão também http://www.testededrogas.com.br/asdrogas.php?drog

    bruno em 07/08/2014 - 20h30 comentou:

    A carga de impostos não aumenta o preço da cannabis, o preço é mantido para evitar perda do mercado para o tráfico e para não incentivar o consumo.
    Não há como comparar o volume de dinheiro gerado pelo tráfico de substâncias ilícitar, em quanto que 30% dos cigarros vendidos são ilegais, nas substâncias ilícitas, é 100%, e movimenta mais de 2 bilhões de dolares anualmente. Nesse mercado, 80% são usuários de cannabis.
    Obviamente você não tem nenhum contato com a cultura canábica, muitos já plantam sua própria cannabis. O cultivo caseiro, possibilita ao usuário o cultivo de uma cannabis de alta qualidade, e com bastatne facilidade, por ter sido uma planta de coevolução com o ser humano, além de possibilita a criação de clubes de cultivo, tanto para uso recreativo quanto para o medicinal.
    Nenhum de nós maconheiros nunca falou que a maconha não fazia mal algum, acho que usada abusivamente sem responsabilidade pode sim fazer mal, já sabe-se que pessoas com histórico de ezquisofrenia devem evitar, principalmente certas variações da planta, os estudos mostram uma variedade de beneficios causados pela cannabis, desde propriedades anti-canceriginas até o aumento do apetite (muito importante para soropositivos).
    Não sou economista, mas se você retirar 80% dos consumidores de uma loja, com certeza essa vai a passar por maus bocados.
    A legalização das demias substâncias, tendo em vista o bem estar do usuário cidadão é outro passo mais longo.

    Rogério Bezerra em 09/08/2014 - 14h06 comentou:

    Impostos? E a sonegação dos enricados? Fazendas, casas pagas em dinheiro vivo como em Jurerê, aviões e carros importados… Dinheiro levado pro estrangeiro de dois em dois meses? Depois a empresa quebra e a grana tá lá fora… E os empregados ficam sem seus direitos…
    Deves morar em Boca do Ratão, na Fórdida! A sorte da direita é que foi o democrático e paciente Lula o eleito. Fosse Brizola… As contas de 64 seriam acertadas! Quanto as drogas, creio ser o comércio que gera violência. É o Capetalismo!!!

    Leonardo Oliveira em 07/09/2014 - 14h45 comentou:

    Na verdade existem estudos que mostram que algumas propriedades do canabis podem ser usadas para tratar mal de parkinson!

    Francisco em 28/12/2014 - 22h56 comentou:

    Na realidade, a direita brasileira quer a mexicanização do Brasil. Hoje, todos sabem, o México, um país satélite dos EUA, sofre com o narcotráfico. Quem benefício o México teve dos americanos? É isso que a direita quer, sutilmente, acreditem….Não se faz mais direita inteligente e culta como nas décadas de 30, 40 e 50.

Geiziane em 06/08/2014 - 00h15 comentou:

Cynara apesar de concordar com vc em quase tudo,não concordo quando vc se rebaixa ao que há de pior nos reaça.Não a concordo com vc chamando a direita de burra,é muito mal educado.

Responder

    Vitor em 06/08/2014 - 18h06 comentou:

    Perfeito Geiziane… Também achei a ideia de comparar esses temas com os EUA boa, mas a linguagem é muito ofensiva, acaba caindo em descrédito…

    Mauricio em 06/08/2014 - 22h14 comentou:

    Concordo. Não é porque a direita faz esse tipo de comentário ad hominen que nós da esquerda devemos nos rebaixar. Ia compartilhar esse texto porque é muito bem argumentado. Só não vou mais compartilhar justamente por causa disso. Acho que a educação é o primeiro passo para uma discussão.

Conrado em 06/08/2014 - 00h20 comentou:

Não falei? rsrsrsrsrsrs… Anda difícil não. Anda impossível.

Responder

Um liberal em 06/08/2014 - 00h29 comentou:

Muito bom, Cynara!
Faço parte de um coletivo liberal (sim!) e você não imagina como é triste ver o nosso movimento infestado desses direitistas como os que você fala no texto. Defendem liberdade no máximo na economia e querem se chamar de liberais com essas posturas claramente anti-liberdade. E se for falar de luta contra opressões então…
Não sou assíduo leitor de seu blog, esse texto me chegou por compartilhamento de um amigo e me surpreendi, afinal, não é todo dia que um liberal concorda com a ~socialista~ morena! Hahaha.
Abraços!

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 00h37 comentou:

    é porque sua cabeça é aberta. o mal do mundo de hoje são os fundamentalistas, estes são perigosos. abraço

    Alhudo em 06/08/2014 - 19h53 comentou:

    liberalismo não necessariamente significa ser direitista, há muitos esquerdistas liberais, aqueles que concordam com um controle mínimo pelo estado, desde que o equilíbrio social seja mantido, ou estou errado?

joao em 06/08/2014 - 02h32 comentou:

moça o casamento gay já é liberado no brasil faz tempo

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 19h48 comentou:

    a união civil. casamento igualitário é outra coisa

    Anna em 25/08/2014 - 21h06 comentou:

    No entanto, a união civil e o casamento garantem constitucionalmente os mesmos direitos subjetivos.

Thammy em 06/08/2014 - 02h41 comentou:

Parabéns pelo texto, ótimo! Compartilho da mesma ideia que a sua. Liberdade já!

Responder

Lucas em 06/08/2014 - 02h43 comentou:

Se não me engano, o casamento gay está mais avançado aqui que nos EUA? Tá bom que aqui é na base de uma orientação do Supremo, mas pelo menos vale no país inteiro.

Responder

Allan em 06/08/2014 - 05h23 comentou:

Um erro comum entre as feministas é o de simplificar a questão da legalização do aborto. É muito simplório e parcial afirmar que se trata de um direito da mulher de dispor do seu corpo sem mencionar outras coisas envolvidas. Não pretendo entrar na discussão se o aborto deve ou não ser legalizado nesse comentário. Entretanto, acredito que qualquer análise deve passar no mínimo pela ponderação entre dois princípios: de um lado, o direito à liberdade da mulher, e do outro, o direito à vida do feto. Qualquer que seja a escolha implicará na prevalência de um dos princípios e na mitigação do outro. Se formos honestos assumiremos que não se trata de uma questão simples.

Responder

    @primaguiar em 06/08/2014 - 14h16 comentou:

    Tanto o Código de 1916 quanto o de 2002 escolheram a teoria natalista (teoria que diz que a personalidade começa, para a pessoa física, a partir do nascimento com vida) para indicar o momento do início da personalidade da pessoa física, estando regulada no Novo Código Civil nestes termos:
    "Art. 2º – A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro."
    Ante o exposto, pode-se observar que o nascituro, de acordo com a Lei nº 10.406, de 10/1/2002, não é pessoa e só o será se vier a nascer com vida.
    E, apesar de ter alguns direitos (patrimoniais, de filiação, etc.), a expectativa à vida não é um deles.

    Mais alho, pfv em 06/08/2014 - 19h54 comentou:

    erro clássico é dizer que um feto possui direitos!

    ursula em 28/12/2014 - 22h36 comentou:

    O pior é q ele possui, engravide alguém pra vc ver, rsrs

Robert Zimmermann em 06/08/2014 - 06h02 comentou:

"Os reacionários brasileiros adoram os Estados Unidos. Costumam passar, inclusive, as férias em Miami(…)" kkkkkkkkkkkkkkkk

me perdoe… mas nada mais "reaça" do que sair rotulando os outros de "reaça"… e ainda apontar onde tais reaças passam suas férias… isso nada mais é do que disseminar ódio e preconceito

Responder

    Adson Fernandes em 06/08/2014 - 17h43 comentou:

    Infelizmente o que envenena um bom debate é o preconceito ideológico. Tanto da direita como o da esquerda.

Eduardo Vieira em 06/08/2014 - 06h35 comentou:

O que eu gosto mais ainda é o Food Stamp: http://www.fns.usda.gov/snap/supplemental-nutriti
É um programa suplementar, do tipo "você ganha pouco a gente ajuda"… Lendo os requerimentos para participar (eligibility requirements, no painel à esquerda), aprendemos sobre os valores para participar e receber, tanto em isenções de impostos quanto valores em dinheiro, sem ser necessário ter filhos, mas podendo ter casa própria veículo particular, etc…
Participar do programa não nos exclui de outros programas como SSI (renda de suplementariedade assistencial) e TANF (assistência temporária para famílias em necessidade)…
Favor notar o link "en español" no topo à direita. Noam Chomsky disse, em uma de suas recentes palestras, que 60% das crianças no país dependem de Food Stamps, ouvi o mesmo sendo dito por Cornell West…
Não vou falar qual o programa que há por aqui, com características que não posso nem dizer que são parecidas, porque tanto em acesso, quanto em valores, não existe realmente comparação, mas devo avisar que o link NÃO FUNCIONA para pessoas que se recusam a aceitar um programa desse tipo, principalmente os que acham que um certo país é perfeito, acredite, eu já compartilhei no Orkut DeLuxe (feicebuqui), já inseri o link em conversas longas onde sou alvo de saraivadas de ódio incandescente. Não funciona. Aparentemente o que os olhos não vêem, a consciência não sente.

Responder

    Luiz em 06/08/2014 - 12h21 comentou:

    Isso server?
    -Bolsa Família
    -Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE
    -Distribuição de Cestas de Alimentos para Grupos Populacionais Específicos
    -Promoção de Hábitos de Vida e de Alimentação Saudável
    -Rede de Equipamentos Públicos e Serviços de Alimentação e Nutrição – Redesan
    -Programa de Alimentação do Trabalhador – PAT
    -Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – Sisan
    -Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – Sisvan
    -Promoção de Aleitamento Materno e de Práticas Alimentares Adequadas na Infância
    -Programas Nacionais de Suplementação de Vitamina A e Ferro

    E nem estou contando os programas em nível estadual, ou programas de auxilio a agricultura familiar.

    camila em 08/08/2014 - 12h38 comentou:

    Não entendi seu comentário sobre o food stamps. Vc acha bom ou ruim ?

Paulo Vieira em 06/08/2014 - 10h21 comentou:

Legal reclamar da direita. Mas a esquerda aqui faz? Primeiro que esse país nosso não tem direita. Qual partido se assume liberal? Liberal é o menos à esquerda do outro partido.

Responder

Diogo em 06/08/2014 - 11h58 comentou:

Por que os Esquerdas Caviar também não imitam os EUA em relação ao combate a corrupção, respeito a Suprema Corte do país, combate a impunidade, segurança nacional, tributação, infraestrutura, imprensa democrática, educação, tecnologia, medicina de ponta ?! …. Pra ficar melhor : por que vocês esquerdopatas não copiam a liberdade de expressão, o direito de ir e vir e pluripartidarismo na amada e idolatrada Cuba ?! Por que não copiam os direitos humanos na China ?! Por que não copiam o sistema de abastecimento alimentar da Venezuela ?! E os feitos da cortejada Coreia do Norte ein ?! …. Incrível a tamanha dicotomia e hipocrisia ! Cynara, me responde algo : os ''reaças'' se espelham nos EUA e com certeza morariam lá … e você, moraria em Cuba por uns 10 anos pra fazer valer o amor ao socialismo que tu tens ??? … Espero que meu comentário passe por seu ''filtro'' democrático e que, quem sabe, você me responda com honestidade intelectual … Abraço ! OBS : defina o que é TROLL pra ficar mais claro e não parecer haja censura nesse blog democrático.

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 15h26 comentou:

    troll é gente que xinga, gente baixa. se você não sabe a diferença entre um comentário educado e uma agressão, não sou eu quem vai explicar

    Marcos Cardoso em 06/08/2014 - 20h03 comentou:

    Gente que xinga tipo "direita burra (pleonasmo)"?

    Vitor em 06/08/2014 - 20h37 comentou:

    Essa resposta eu quero ver…

    morenasol em 06/08/2014 - 21h36 comentou:

    chamar de burro é xingar? não. quem me chama de burra eu deixo, normal. é coisa pior, o nível da direita é tão baixo que você não tem ideia

    Jefferson em 09/08/2014 - 17h04 comentou:

    Defina com clareza o que é nível baixo da "direita" por favor, por que eu acho que está se contradizendo neste ponto.

    Car em 06/08/2014 - 21h09 comentou:

    Eu gostaria de saber onde eles ta te xingando aqui ou está sendo baixo?

    morenasol em 06/08/2014 - 21h35 comentou:

    obviamente os que xingam são deletados

    Car em 06/08/2014 - 23h40 comentou:

    Mas ofender durante o texto inteiro outras pessoas que não pensam como vc pode?
    É que eu so gostaria de saber que quesitos vc leva em consideração para dizer que alguém esta sendo baixo

    morenasol em 07/08/2014 - 00h17 comentou:

    vou te dar uma dica: a leitura do texto não é obrigatória, lê quem quer

    Vitor em 07/08/2014 - 12h49 comentou:

    Já ouviu falar no "faça o que eu digo, não faça o que eu faço?"… hehehe

    Bacellar em 07/08/2014 - 02h16 comentou:

    Eu ando trabalhando tanto pra deixar de ser esquerda pão-com-mortandela pra chegar a esquerda-caviar…Mas está difícil!

    Meu consolo é que nunca serei direita-alfafa! uhashauhshuahsuhuah

Luiz em 06/08/2014 - 12h07 comentou:

Que esquerda? Que direita?
O centro esquerda esta no poder a mais de 20 anos e nada mudou.
Para de se iludir, nenhuma dessas questões esta sendo segurada por questões de orientação política. Esses assuntos não avançam na política brasileira, porque a influencia crista é muito forte.
Você também faz parte disso porque você não tem coragem de apontar a verdade, que esta na cara de todos mas todos tem medo da represália cristã.

E a premissa do artigo esta totalmente incorreta. A grande maioria da direita(republicanos) se opõe a todas essas legalizações.

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 15h25 comentou:

    é, o choro é livre por lá também

Faz-me rir em 06/08/2014 - 12h09 comentou:

Socialista morena, assim vc decepciona!!!! Será que a "direita" no Brasil tem mais "amigos" fundamentalistas que a "esquerda"? Não é isso que o governo demonstra…. Sem contar que após 12 anos no poder, não percebi nenhuma medida inovadora pró discriminalização de drogas, aborto ou união gay…. Ao contrário, oq vi, e muito, foram longos abraços nesses países cujas mulheres são violentadas e a população oprimida…. Ou será que estou tendo alucinações????

Responder

meenganaqueeugosto em 06/08/2014 - 14h10 comentou:

Só não entendo como tu fala tanto de socialismo e esquerda, aborda assuntos interessantes como legalização de drogas, aborto, casamento gay etc, e fica pagando pau pra política do PT em outros textos como se fossem os salvadores de alguma coisa pra essas questões. Quais políticos do PT estão discutindo assuntos como este citados no teu texto? São quantos anos de mandato sem nenhum dessas questões serem ao menos discutidas? Quantos passos demos dentro desses assuntos?

Responder

Fabio em 06/08/2014 - 15h54 comentou:

Só faltou lembrar que existe uma "direita" no Brasil que também defende a liberação das drogas. De todas. São os libertários (ou libertarianos). Movimento político que tem crescido no Brasil sobinfluência direta do mesmo movimento que ocorre nos EUA. Trata-se da defesa da liberdade individual, INCLUSIVE a liberdade econômica, que é atacada por muitos movimentos esquerdistas marxistas.

Responder

Francisco M. S. M em 06/08/2014 - 15h55 comentou:

Parabéns! seu comentário é sim verdade absoluta. Tanto é que muitos do que aqui retrucaram o fizeram com muito ódio estampado. Pessoas como você, regadas de conhecimentos, irritam a elite direitista desse país(Os chamados "donos da verdade e monopolistas do conhecimento").

Responder

João Brasileiro em 06/08/2014 - 17h07 comentou:

Faltou citar a democratização da mídia, que o FCC já faz por lá a muito tempo.

Responder

FzooG em 06/08/2014 - 17h11 comentou:

Aborto é assassinato cruel, maconha e outras drogas são necessárias para conter outros crimes que importunam a sociedade, como roubos e assaltos, casamento é só homem e mulher, homossexualismo é doença antiga, respeito e retorno da CID para tratamento, mas cura acredito que não existe. Inversão de valores é a máxima desta "nova ordem mundial"…. desconstruir para destruir!

Responder

Antonio em 06/08/2014 - 17h18 comentou:

Parabéns Cynara pelo texto. Falam tanto da violência contra a mulher, Lei Maria da Penha e etc, mas a questão do aborto hoje tratado no país é a maior violência praticada contra a mulher. Sou favorável que a mulher decida se quer ou não ter o filho e o Estado deve dar condições clínicas. Quanto ao casamento gay, é a maior discriminação que ocorre hoje contra um grupo minoritário. Quanto a maconha, não dá para conviver com o cheiro do fumo nas vias públicas. Se querem legalizar que regulamente e se crie espaços específicos para o uso, longe de quem não curte.

Responder

Vitor em 06/08/2014 - 17h44 comentou:

O ponto do texto é excelente, devemos sim imitar os EUA ou qualquer país que legaliza casamento gay, aborto e maconha… Agora, o excesso de clichês, a necessidade de atacar os que pensam diferente e a falta de educação da linguagem do texto são dispensáveis, não agregam nada ao tema. Seja mais elegante Cynara e não se nivele por baixo com quem vc critica…

Responder

Anderson de Sá em 06/08/2014 - 17h45 comentou:

Você tem uma escrita deliciosa

Responder

@verdadeAbsolu em 06/08/2014 - 18h33 comentou:

Vamos comecar primeiramente copiando as coisas boas dos EUA, como a economia, life style, cultura, empreendorismo, liberdade, democracia e politica. Depois passomos para as ruins como o assassinato de recem-nascidos

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 19h39 comentou:

    "assassinato de recém-nascidos". encontre o erro

    FzooG em 07/08/2014 - 17h08 comentou:

    não encontrou não, se tem embrião tem bebê, pois só precisará de "calor e comida" para crescer, estudar é bom…………e não vem com essa de que embrião é só célula, se divide, religião e etc. O correto é proibir pobre de ter mais de um filho, dar camisinha e parar de apoiar estes grupos promiscuos.

    morenasol em 07/08/2014 - 19h02 comentou:

    "proibir pobre de ter mais de um filho". sem comentários

    FzooG em 08/08/2014 - 00h46 comentou:

    Aprendamos com a China Comunista.

Marcio M. em 06/08/2014 - 18h52 comentou:

A Cynara deveria ter sido abortada já que ele defende tanto isso, assim não estaria aqui falando besteira, kk

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 19h38 comentou:

    a minha mãe ESCOLHEU me ter. difícil entender, mas o que esperar da direita? ; )

Jao em 06/08/2014 - 19h11 comentou:

Reaças? Argumentos patéticos da Direita burra?

Péssimo uso de vocabulário e artigo tendencioso e sem fontes.

Mal da pra acreditar que uma revista tem
Coragem de deixar algo assim ser publicado.

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 19h38 comentou:

    as fontes estão em vermelho no texto, basta clicar

Romualdo em 06/08/2014 - 19h22 comentou:

Gostei do texto, apesar de ser de esquerda, fico meio em dúvida com relação ao aborto, porque se tivéssemos sidos abortados pelas nossas mães, hoje não estaríamos comentando aqui neste blog. Talvez tenhamos que voltar com "controle de natalidade e planejamento familiar", onde em anos atrás estes assuntos foram praticamente abandonados por certos setores conservadores e religiosos no País.
O Brasil vem aos poucos caminhando em outra direção, já foi aprovado pelo STF o casamento gay e logo deve entrar em discussão no congresso nacional, a liberação da maconha. Com relação aos EUA, um outro assunto que não foi comentado é que a Polícia deles é totalmente desmilitarizada e a nossa direita, adora ver este entulho autoritário rodando pela ruas da nossa nação.
Abraço !

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 19h37 comentou:

    a questão, romualdo, é que a minha mãe ESCOLHEU me ter. é esse o ponto. a escolha é da mulher. se eu sou contra o aborto, outra pessoa pode não ser

Renata em 06/08/2014 - 20h28 comentou:

Cynara, vou fazer uma crítica construtiva. Acho que tratar com agressividade quem pensa diferente de você – chamando-os de "burros", "reaças" e menosprezando a inteligência alheia – é o jeito mais rápido de ganhar opositores à sua causa, de suscitar aversão, em vez de ganhar simpatizantes… Quem pensa como você não precisa de textos como o seu pra se convencer, pq já está convencido, mas quem pensa diferente até poderia mudar de lado, caso suas palavras não fossem tão agressivas, caso você não chegasse chutando, sabe? Se você defende a igualdade, então deveria ser você a primeira a tratar os outros – mesmo os que pensam diferente de você – com respeito. Tentar convencer em vez de partir pra agressão. Em última análise, esse comportamento defensivo gera discórdia e acirra ainda a polarização política. Acho que atua contra a causa. Abç

Responder

    morenasol em 07/08/2014 - 00h16 comentou:

    adoro polarização política

    Valmor em 07/08/2014 - 00h22 comentou:

    Se me permite dizer, mas polarização política é uma tremenda burrice pois é justamente o reforço da incomunicabilidade através do maniqueísmo. Uma sociedade democrática se realiza através da conscientização, e esta, por sua vez, é desenvolvida com o diálogo, e a partir daí a capacidade de se ampliar cada vez mais a compreensão e o entendimento entre as pessoas.

    Vitor em 07/08/2014 - 12h52 comentou:

    Polarização e educação são coisas diferentes…

    Valmor em 07/08/2014 - 18h51 comentou:

    De fato: polarização é a prática da ignorância, é o que gera a banalidade do mal e, portanto, a alienação do outro através do preconceito, da lógica maniqueísta do "ou tu é amigo e te aceito, ou tu é inimigo e te persigo, seja te escravizando, te marginalizando ou mesmo te executando".

    O que precisamos é daquilo que Jaspers chamou de "comunicabilidade ilimitada".

    Renata em 08/08/2014 - 20h04 comentou:

    Uma pena.

Lúcio Carvalho em 06/08/2014 - 20h34 comentou:

Essa Carta Capital está cada vez mais patética com esse discursinho de direita x esquerda. A impressão que dá é que é um monte de mauricinho e patricinha que se autointitulam revolucinários (só se for de boutique)! Kkkkkk Adoro entrar no site de vocês para dar boas risadas com as palhaçadas que vocês publicam.

Responder

Cleber em 06/08/2014 - 20h59 comentou:

Que texto mais cheio de achismos. Em que centros públicos se fazem abortos nos EUA? Aqui a saúde é toda particular, minha cara anti-direitista.
Aliás, dá uma pesquisadinha sobre o aborto na USSR, que era prática comum até 1991, quando, com a queda do capitalismo, as primeiras camisinhas foram importadas do ocidente pro país, que nunca se interessou em produzí-las.
E de onde você tirou os dados de que a legalização da maconha no Colorado está afetando o tráfico do méxico? Existem diversas drogas sendo traficadas por lá, e o Colorado é só um dos 50 Estados.
Aliás, por quê que você vê proibição da maconha como uma coisa da 'Direita'? Só por que os líderes comunistas em geral liberam (ou oferecem de graça pros soldados, como o ditador da coréia do norte)? Ou pq a maioria dos estudantes de ciências sociais se consideram esquerdistas e adoram fumar unzinho?
E obs: norte-americanos não é a melhor definição pra quem nasce nos EUA, pois também envolve Canadá e México.

Responder

    morenasol em 06/08/2014 - 21h05 comentou:

    os links estão no post, em vermelho. basta clicar

Raniere Marinho em 06/08/2014 - 22h24 comentou:

É nessas horas que penso em queimar minha bandeira do PT!

Responder

Diogo em 06/08/2014 - 23h40 comentou:

Cynara não está por dentro das normas vigentes sobre o casamento homoafetivo no Brasil.

Responder

BOCA em 07/08/2014 - 00h49 comentou:

Eis uma socialista brasileira morena, chapada de maconha, com uma gata nuazinha ao seu lado, falando um monte de bobagens. Eu discrimino disso tudo apenas a sua burrice!

Responder

    morenasol em 07/08/2014 - 11h22 comentou:

    dã?

Bacellar em 07/08/2014 - 02h01 comentou:

Espero que tenham sido boas férias!

Larguei um pouco de mão o ativismo cannábico pra partir pras próximas mas gostaria só de dizer uma coisa:

Liberdade Ras Geraldinho! Cadeia Zezé e Gugu Perrela!

Responder

Nana /blue em 07/08/2014 - 05h20 comentou:

É uma pena que a direita brasileira ainda não assimilou o sistema de cotas para negros nas Unicersidades, como nos Estados Unidos e nem tampouco, reconhecer que o sistema de renda mínima não deixa o capitalismo de lá fenecer, pois a maioria do povo sempre consome e o giro financeiro é muito maior do que as notícias dos comentaristas econômicos da Globo que atendendo as ordens dessa direita, para dar entender que o país está indo para o buraco estão mais confusos que cego em tiroteio.Pela manhã o noticiário fala-se que a inflação baixou, no outro a situação está pela hora da morte. Acho que a direita está envergando o mastro que eles se agarraram para por em prática um modelo que eles acharam ideal para o país. Ainda falta muito para essa direita e a maioria da esquerda entender que a desigualdade social e econômica , sobretudo, na saúde onde há diferença nos procedimentos cirúrgico na aplicação de anestesia entre mulheres negras e brancas, o que pode-se esperar para a legalização do aborto ?

Responder

Nigro em 07/08/2014 - 10h04 comentou:

Ridiculo texto.
Essa Morena confunde as coisas com conceitos rasos. Liberdade economica é uma coisa. Babaquices pseudomoralistas sao outra.

Obviamente sou amplamente favoravel aos três tópicos. Especialmente o aborto. Isso é baboseira religiosa. Quer for contra, não o pratique. Quanto à maconha, ainda que seja contra o seu uso, acredito que é escolha de cada um.

Devemos copiar sim os EUA. Fortalecer as empresas, privatizar em massa- inclusive a petrossauro, acabar com o bndes.
Baixar os impostos. Construir mega estradas espetaculares, para andar com carrões pela metade do preço daqui, sem ipva, com asfalto de primeira e gasolina por uma merreca.
Liberar o porte de arma, para podermos ter a escolha de nos defendermos, estourando os miolos de quem o merecer.
Liberar o jogo, afinal nao somos crianças. O dinheiro é meu, se quiser me matar no jogo- problema meu.
Quanto ao “junk food”- fale por voce. Em minhas viagens aos EUA o mais proximo que chego disso é o Cheesecake factory-Camarões gigantes deliciosos BEM mais baratos que aqui. Mo mais só restaurantes mesmo, com carta de vinhos espetaculares, inclusive com vinhos Argentinos e Chilenos- pela metade do preço daqui , isso depois de viajar 5000 milhas!
God bless America.

Responder

Jorsom em 07/08/2014 - 11h22 comentou:

Quero deixar uma sugestão para a proposta da legalização do aborto. Acho que vai agradar tanto as feministas quanto aos religiosos. Sabemos que a saúde pública no Brasil ainda está longe do nível desejado por todos nós e a utilização dos hospitais públicos para o uso de mulheres que queiram abortar só vai piorar uma situação que já é caótica. A sugestão é bem simples, uma campanha em rede nacional, nas escolas e nas universidades incentivando os casais que no momento caliente não tenham em mãos um preservativo. O slogam seria mais ou menos assim: "Ligue para a farmácia e peça um preservativo e faça sexo oral a dois enquanto o entregador chega". Seria uma forma simples de resolver uma questão muito complexa.

Responder

    Rosa em 08/08/2014 - 15h12 comentou:

    Hahahahahahhahahahahahahhahahahahahahhaha isso foi ótimo!!!!!!!!!!

Fabiano Araújo em 07/08/2014 - 15h42 comentou:

Concordo quando a colunista diz que os conservadores brasileiros, ao preferirem Miami, quando visitam os EUA, revelam um extremo mal gosto. Os EUA tem locais muito mais interessantes para serem visitados. Por exemplo: 1) a Nova Inglaterra, particularmente o Estado do Vermont, que é lindíssimo no verão, saborear deliciosos pratos, a base de lagosta do Maine; 2) o Parque do Yellowstone; 3) o Grand Canyon, uma das maravilhas do mundo, e os desertos dos estados do Oeste, destacando-se o deserto do Utah com seus maravilhosos arcos de rochas; 4) o vale do rio Mississipi, em particular, New Orleans, com sua rica cultura, tanto musical (o berço do jazz) e culinária (a cozinha criolla); 5) a floresta das Séquóias, o ser vivo que tem a maior perspectiva de vida ( algumas destas árvores, ainda vivas, nasceram antes da chegada dos europeus à América) na Califórnia. Quando se vai aos EUA, pode-se até mesmo visitar Miami e a Flórida, porém, se a visita a isto se resumir é uma visita muito pobre e eu sei que os conservadores brasileiros tem horror (e medo) da pobreza.

Responder

    nigro em 07/08/2014 - 21h08 comentou:

    Bom, gosto é gosto. As viagens à Florida são populares em função da facilidade de vôos para compras e para ir aos Parques de Orlando.
    Acrescento à sua lista o Havaí. Fernando de Noronha é bonito, mas fica bem para trás em todos os quesitos.

    Obviamente há programas bem mais interessantes, e vale dizer, muito mais interessante que qualquer programa que se possa ter aqui na Banânia, onde não há nenhuma infra-estrutura turística e as atrações são- como você diz- pobres.

    morenasol em 07/08/2014 - 22h26 comentou:

    "banânia". típico de papagaio que só repete a direita burra. não tá feliz no brasil, cai fora

    Nigro em 08/08/2014 - 11h21 comentou:

    Que argumento!

    Vitor em 08/08/2014 - 19h54 comentou:

    Quanta raiva nesse seu coraçãozinho…

    Jefferson em 09/08/2014 - 17h12 comentou:

    Parabéns para o argumento vulgo preconceituoso. E da-lhe liberdade de expressão.

Steiger em 07/08/2014 - 16h46 comentou:

Sendo cidadão Suiço entendo que é melhor macaquear os EUA do que o Brasil ou a Venezuela, ambos lugarzinhos chinfrins……

Responder

    morenasol em 07/08/2014 - 19h03 comentou:

    e o que você está fazendo comentando aqui? comenta lá na suíça

    Steiger em 07/08/2014 - 19h08 comentou:

    Lá é dificil encontrar comunistas, as pessoas vão para a escola e aprendem a pensar desde criança…

    morenasol em 07/08/2014 - 22h28 comentou:

    mentira. em toda parte existem socialistas, inclusive nos EUA. chora

Turco em 07/08/2014 - 17h11 comentou:

*Só sobre o aborto*É muito simples colocar um gráfico, analisá-lo e pintar uma conclusão. Dizer que a partir da legaliza'cão do aborto houve queda brusca em tal prática é a falácia. Duas coisas:
1 – Entre 1973 e 1980 houve um aumento de 13 pontos no gráfico. Ou seja, após a legaliza'cão, o número subiu estratosfericamente. MAS…
2 – O declínio come'ca na década de 80, OU SEJA, durante o BOOM da AIDS. Este fato levou as pessoas a recorrerem à prática do sexo seguro. Além disso, campanhas sobre o uso da camisinha surgiram com for'ca e a educacão sexual nas escolas passou a ser vista com muito mais aten'cão.
Portanto, meus caros, foi a coescientiza'cão e o aumento da educa'cão (sexual) que levou a esse declínio, e não a legalizacão que, na realidade, que fez o número de abortos quase dobrar em menos de sete anos. Abra'cos!

Responder

Jefferson em 07/08/2014 - 19h09 comentou:

Acho lindo este discurso de direita, bem preconceituosa, de que adoram os EUA, como se estivessem cultuando o demônio e que devemos ser que nem eles. Este papo acho bem contraditório mas vamos lá.

Você levantou os temas que a direita deveria apoiar, já que os EUA adotam em quase todos os estados estes três temas que você citou no seu artigo.

Sobre o aborto, que lá existem leis desde 1977 e que as taxas são baixas, comparadas com a data em que a lei entrou em vigor. Eu vejo com muita ressalva este tema, pois você coloca por uma questão de feminismo e não no contexto ético e também jurídico. A nossa lei já aprova o caso de aborto quando é consumado por meio de estupro e abrir um precedente para que todos o façam vai levar um tempo danado, desde preparar os hospitais e postos de saúde, caso seja habilitado, para poderem efetuar este procedimento, já tendo consciência que o nosso sistema de saúde prioritariamente deveria ser melhorado para poder também efetuar as práticas de aborto, sem falar que há cidades onde nem existem hospitais públicos, como ficara então nesta situação.
Seria muito mais viável fazer um investimento em educação, reforçando a ideia do planejamento familiar, para que a prática do aborto seja evitada, pois podemos de um certo modo, por ser absurdo de acontecer, de haver um grande número por simplesmente descuidar, se torna uma forma simples de se resolver o "problema", evitando que atrapalhem o futuro das mães e descartando a vida de fetos, tendo que mudar esta abordagem de forma jurídica.
Sobre a discriminação da maconha, já há membros da "direita" que defendem este tema, mas precisamos pensar em outros aspectos:
Vai reduzir de fato a criminalidade, pois o problema maior é com as drogas como crack e cocaína?

Responder

Jefferson em 07/08/2014 - 19h23 comentou:

Continuando
Vai ser permitido usar em qualquer lugar?
Qual a quantidade considerada ideal para ser chamado de usuário?
Vai diminuir de fato o tráfico?
Se for para combater o tráfico, acho melhor liberar tudo, não concorda?
E outra, como pode provar que ao adotar uma medida como essas de fato vai diminuir a criminalidade. Não se pode tomar apenas este dado como o principal para concluir esta afirmação.
No fim, não há o que defender sobre as relações homoafetivas. Já há um consenso aqui no país e que já caminha para esta decisão de permitir não só a união como também, no futuro, de direitos e benefícios a estes casais. Logo não há o que defender neste aspecto, por mais conservador que seja a nossa visão de "direita".

Por fim, a "esquerda", que teoricamente defende estes temas, durante os 12 anos, pouco fez para abordar, seja por medo dos eleitores, seja também por não ter interesse de fato em propor no congresso uma votação no que seria o melhor. Logo, podemos destacar que não cabe a "copiar' tudo que o EUA faz, pois é algo que demanda tempo e planejamento adequado, mas eu vejo que muito menos a esquerda se movimenta a respeitos destes temas considerados polêmicos.

Responder

    morenasol em 07/08/2014 - 22h28 comentou:

    amigo, se pode hoje em dia fumar CIGARRO em qualquer lugar? então por que maconha poderia? usa a cabeça um pouco antes de escrever…

    Jefferson em 09/08/2014 - 17h21 comentou:

    Amiga, e onde você acha que cigarro pode ser consumido em qualquer lugar? Existem estados e se não me engano, já é uma lei federal, que proíbe o uso de cigarros em restaurantes, repartições públicas entre outros. Logo, minha colocação não é tão "burra" como foi a sua resposta. Na Holanda por exemplo, não é todo lugar que se pode fumar maconha, ou seja, eles delimitam lugares para o consumo.

    Pense muito mais antes de responder viu.

marcelo batista em 08/08/2014 - 00h08 comentou:

Vc fumou uma para escrever isso , né. DEUS me livre de tanta atrocidade. Principalmente a legalização da morte de crianças inocentes.

Responder

marcelo batista em 08/08/2014 - 00h10 comentou:

Se vc quer realmente melhorar o mundo, lute pela familia.
Ps. sou petista.

Responder

paulo claudio em 08/08/2014 - 01h01 comentou:

Nossa quantas merdas escreveu esta dona "vermelhinha" ! Se acha o último biscoito do pacote e só escreve MERDA ! De onde você tirou tantas estultícies ? Qual a pesquisa que você se firma para afirmar tantas pérolas? Esquerda festiva nós conhecemos ,mas quem é de "direita" a não ser o imaginário "fascista" que tem a sensatez de discordar de vocês. Aborto e Planejamento Familiar : é simples,basta um plebiscito, e aproveita inclua no pacote a pena de morte para o DI MAIOR e a redução da menoridade para o DI MENOR, com amplos debates entre a mídia "vermelhinha" e a "nativa",isso não é democrático ? Casamento gay,isto é problemas das "bonecas",ninguém tem nada com isso,desde que os caras não encham o saco daqueles que os ignoram,como é o meucaso.Maconha ,vou além de você, sou a favor da liberação total das drogas,com a cobrança de impostos e "advertência escrota do Ministério da Saúde", garanto que os traficantes.PCC e outras pragas defendidas pelos "direitos dos manos" que vocês tanto gostam, iriam para a falência ou no mínimo "concordata.".Igualdade de direitos da mulher,com exceção das classes mais baixas quew carecem de Educação desprezada por este desgoverno, já é um assunto superado que dispensa comentários. Prefiro o modelo dos EUA do que Cuba e Venezuela que beiram seu ORGASMO. Vou lhe postar o mesmo que posto para o seu patrão Mino Carta: quando beber não escreva !

Responder

Regis Ferreira em 08/08/2014 - 11h16 comentou:

A maconha não quebrou o narcotráfico no México. O Estados Unidos nunca esteve tão violento. O melhor é combater as drogas legais como o álcool. Concordo que usuários de maconha que são ricos são tratados diferentes dos que são pobres em qualquer lugar o mundo. O aborto é direito da mulher escolher se quer ter filhos ou não. Afinal,quem vai criar é ela. E a droga como a maconha não é legalizada em países comunista com Cuba, China e Coréia do Norte. São países capitalistas como Holanda, Alemanha, França, Estados Unidos entre outros os mais liberais em relação a valores morais. O socialistas brasileiros querem a economia dos países comunistas e a liberdade dos países capitalistas mais ricos ocidentais.

Responder

Camila Delaney em 08/08/2014 - 13h33 comentou:

Olá leitores e Cynara,

Li o artigo com atenção e queria colocar algumas coisas:

1) um comentário cri cri, eu sei, mas sou tradutora e essas coisas me incomodam; não se diz junkie food e sim junk food. Junkie food seria a comida que um viciado em heroína comeria — e não nego que eles comam junk food com frequência!
2) Não é bem verdade que o aborto seja legalizado totalmente aqui nos EUA. Sim, a nível federal existe o direito ao aborto mas, como talvez você saiba, os estados aqui tem muito poder legislativo e executivo. Ainda que exista o direito ao aborto, a prática é muito distinta. Em 20 estados existem restrições significativas ao acesso ao aborto. Por exemplo, em estados como Indiana, Michigan e South Dakota, mais de 90% dos condados não tem uma clínica de aborto. Também existem estados que exigem permissão do marido para realização do aborto, e outros que o proíbem após a vigésima semana de gestação. Como mencionei, a questão da distância das clínicas de aborto é muitas vezes um empecilho à realização do aborto. E decididamente não é verdade que se pode ir à uma clínica governamental assim sem mais nem menos para fazer aborto. Primeiro porque nem sequer existem essas clínicas (ou são pouquíssimas) e também porque me parece (posso estar errada) que não se pode usar verba federal ou estadual para aborto. A clínica mais conhecida aqui se chama Planned Parenthood, que tem origens não muito nobres no movimento eugênico.
3) Eu concordo com muitas das coisas que você disse, mas seu jeito adolescente de escrever " os reaças são burros… " e "adoram Miami" enfraquece sua escrita e da mais munição à direita para criticar nós da esquerda. Além do que, o que tem de brazuca rico e direitista em Nova Iorque…
4) Para finalizar, eu acho que seria mais respeitoso à sua revista, seu blog, seus leitores, os americanos e brasileiros americanos (como eu) que você pesquisasse um pouco mais e ponderasse com cuidado as coisas antes de publicar os seus pensamentos ôba ôba estilo tudo que eu digo é lindo porque o digo eu.

Abraço,

Camila

Responder

    morenasol em 08/08/2014 - 16h12 comentou:

    obrigada pela correção, querida. você está certíssima. corrigido!
    quanto às tentativas de modificação da lei do aborto pelo conservadorismo, nenhuma conseguiu modificar substancialmente a decisão da suprema corte e o aborto permanece permitido em todos os estados. deixo um link aqui para você http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/89882-esta
    abraço!

    Vitor em 08/08/2014 - 19h57 comentou:

    Parabéns Camila, melhor comentário que vi por aqui…

@ninha_diegues em 08/08/2014 - 14h00 comentou:

O poder da ironia. haha Gostei do texto.

Responder

Rosa em 08/08/2014 - 15h05 comentou:

Gostei muitissimo do texto e de todos os outros que eu li, mas depois pensando sobre esse em especifico conclui que: os EUA são uma das piores referencias em respeito aos direitos humanos, então conclui entre varias informações que ja guardei na cabeça sobre os EUA e suas atividades ao longo da história que tais conquistas (as citadas no texto) nada mais são do que uma forma de give the people what they want e fazer os americanos após conquistar tais direitos crer nesse ideario maluco de que os EUA são o melhor modelo de país e liberdade e assim estes americanos "manipulados" apoiariam o governo dos EUA nas batalhas que eles travam ao redor do mundo privando tudo e todos de qualquer liberdade com a desculpa de meio para fim para todos terem o sonho americano de liberdade (que é o melhor né?!), sendo que cá pra nós, todo mundo que se informe minimamente sabe que o governo americano tem, em todas as suas investidas ao redor do planeta, intenções que visam somente mais controle, ou sei la o que para eles. Ou não? Que acha? A proposito, estudei com seu filho no ginasio. Foi uma grata surpresa linkar e saber que ele é seu filho. Abraços.

Responder

Daniela Amorim em 09/08/2014 - 15h44 comentou:

Essas questões de casamento gay, aborto ou qualquer que seja não são temas a ser resolvidos por ideologias políticas, não temos um governo extremista com verdades absoluta.
Mudando de assunto, nunca entendi o culto a esse " american way of life". Prefiro o meu Brasil do jeitinho que ele é.

Responder

Mauro em 09/08/2014 - 22h35 comentou:

Em relação ao casamento gay, eu sou a favor,porque a legalização beneficia os gays, e não causa impacto negativo à coletividade, nem aos não gays.

Quanto ao aborto, antes é preciso uma campanha ( melhor do que a que já existe) de educação sexual nas escolas e na midia, para que quando ele for legalizado, as crianças e os adolescentes já sejam pessoas mais maduras e conscientes.

Quanto à maconha, há que se fazer uma distinção: não é a maconha que é medicinal, e sim substâncias que a compõem .

Bem antes de se legalizar a maconha, é preciso ter mais estudos conclusivos sobre o efeito de sua legalização, na sociedade.Ainda não existem estudos que comprovem se vai ser melhor ou pior.O próprio presidente do Uruguai, que liberou, não sabe a resposta.

Não tenho opinião formada mas eu sou contra a liberação de uma coisa que não se sabe o efeito.Acho uma irresponsabilidade.
É preciso pensar em todos os envolvidos, e nas consequências.O direito de quem não usar tem que ser tão preservado quanto o do usuário.
Vivemos num país em que as pessoas não respeitam as leis, se respeitassem não estaríamos discutindo isso , porque não teríamos os usuários de drogas.
O cigarro, para quem não fuma, é insuportável, provoca alergias e males decorrentes da ingestão passiva.E o fumante não paga indenização ao fumante passivo para isso.Muitas pessoas que fumam são mal-educadas e não respeitam os não-fumantes.Se liberar a maconha, sem leis rígidas do seu uso, como é que ficam os que não fumam e acham o cheiro insuportável?Vamos ter praias para "maconheiros e não-maconheiros"?Já que o cheiro vai longe.
Discordo totalmente da autora do texto no sentido de que não se trata de discussões de direita e de esquerda.E sim, o que é melhor ou pior para a sociedade como um todo.Não podemos reduzir o discurso a essa dicotomia.

Nos EUA existe um estudo que mostra que o número de acidentes com automóveis nas estradas americanas com usuários de maconha é parecido com o de álcool.E aqui?Quantos são causados com a proibição, e quantos se for liberado?E acidente de trabalho?Quais seriam as penas e as indenizações?
Quais as consequências para os usuários passivos, se é que é possível de ocorrer?
Geraria intolerância?
Qual é o custo social com a proibição e qual seria com a legalização?
A rede de saúde está preparada para as consequências?

Responder

Aleandro Chavez em 09/08/2014 - 23h40 comentou:

Por que o aborto deveria ser permitido apenas até a 22 semana de gestação?
Com permissão legal ou não, mulheres abortam de forma clandestina após esse limite. E como é mais arriscado, a necessidade de atendimento médico é maior.
Por que não dar a liberdade para a mulher abortar em qualquer fase da gestação, caso deseje?

Responder

Flaliman em 13/08/2014 - 16h02 comentou:

Esquerdista brasileiro, adora Havana, mas ir para lá que é bom ninguém merece, Paris disparado é a primeira opção…

Responder

Danilo Henrique em 13/08/2014 - 20h08 comentou:

1. Sou a favor da liberação de todas as drogas, desde que não se tratem as doenças que estas causam com dinheiro público, entretanto, no Brasil, o buraco é mais embaixo. Não podemos simplesmente adotar medidas liberais, sejam quais forem, políticas, financeiras ou sociais, sem uma implementação gradual de uma nova mentalidade social.

Essa mentalidade passa por uma noção de autonomia e autocrítica essenciais para qualquer população e que não existem aqui.

As drogas, liberadas, deixariam um tráfico fortemente armado, pobre e sem recursos. O que você acha que esses caras fariam? Procurariam emprego?

Claro que não! Usariam seus arsenais em assaltos e sequestros para sustento próprio.

Com outras medidas sociais paternalistas, inevitavelmente, criminosos dos mais perigosos seriam adotados pela iniciativa pública, perdoados de seus crimes pregressos e passariam a fazer parte de um movimento social político e bem organizado!!!!!

Vamos transformar traficantes, que matam, roubam, sequestram e não a mínima para a sociedade em milícias revolucionárias armadas.

Sem chance! As drogas devem ser liberadas em um estágio já adiantado de conscientização das gentes

Senão esse será o ingresso a uma guerra cívil

Responder

Danilo Henrique em 14/08/2014 - 18h43 comentou:

A "direita" é um "panelão" né?

A "direita" brasileira é dividida em liberais e conservadores, que geralmente divergem muito entre si

Os liberais defendem regulamentação das drogas (diferente de liberar as drogas é regular as drogas de forma inteligente) mas de forma que o Estado não assuma nenhum tipo de escolha ou responsabilidade do indivíduo

Os conservadores, mais apegados a tradição formal, costumam defender a proibição de todas as drogas psicotrópicas, em alguns casos, de todas as drogas, inclusive tabaco e cigarro

Os liberais costumam defender que o Estado não interfira em nenhum tipo de casamento. Cada pessoa deve ter liberdade de escolher seu matrimônio e cada instituição deve ter liberdade para promulgar o casamento da forma que bem entender.

Os conservadores defendem o padrão de casamento tradicional, baseado em valores tradicionais.

Os liberais e conservadores costumam ser a favor da criminalização do aborto. Os liberais porque acreditam que o aborto é uma decisão tomada contra o direito de existir, direito que não pode ser suprimido pela menoridade, uma vez que não está relacionado a esfera pública, mas sim privada; Os conservadores pelos mesmos motivos e mais ainda porque defendem a tradição da sacralidade da vida

Ou seja, confundir liberal com conservador é como confundir um social-democrata com um leninista

Texto paupérrimo, falta embasamento filosófico. Se quiser aulas de filosofia cobro barato dona Morena, prometo que vai melhorar muito seus textos!

Responder

Samuel em 21/08/2014 - 02h11 comentou:

Só uma pequena observação quanto à diminuição na criminalidade e a sua relação com a maconha. A criminalidade caiu porque, adivinhe, um dos crimes mais autuados era/é o de porte ilegal de maconha. Quando o porte deixa de ser ilegal, passa a ser ilegal prender as pessoas que possuem quantidades aceitáveis de maconha, e diminui-se a criminalidade. Ninguém mata mais ou menos por falta de maconha, ou rouba mais ou menos por conta da maconha. O que acontece é que quando um crime deixa de ser crime, o criminoso deixa de ser criminoso.

Responder

Yuri em 09/11/2014 - 23h43 comentou:

A autora se "esqueceu" de mencionar que segundo o site que consta no link em que ela indicou, o motivo das diminuições no número de abortos nos EUA se deveu a diminuição substancial dos casos de gravidez e nascimentos devido em boa parte aos métodos anticoncepcionais adotados por lá. Ou seja, proporcionalmente em relação ao número de mulheres grávidas, o número de abortos estadunidenses cresceu bastante.

Responder

CArlos em 28/12/2014 - 13h45 comentou:

Sobre armas para poder se defenderem a Esquerda Burra (Ops, pleonasmo) não que falar né mesmo.
Sobre obedecer a democracia que foi contra Esquerda Burra (Ops, pleonasmo) yambém fogem de falar.

Responder

Alexandre em 28/12/2014 - 13h51 comentou:

Cynara, vi que a publicação se deu em agosto de 2014. O casamento entre pessoas do mesmo sexo no Brasil existe desde maio de 2014… Casamento igual ao dos heterosexuais. Não entendo como um avanço tão importante para nossa sociedade continua obscuro e com nomenclaturas bobas para continuar diferenciando e/ou desmerecendo os homosexuais nessa questão… Parceria civil, casamento igualitário etc. E sobre a maconha, nesse país, só não fuma quem não quer… E o jogo? E os Cassinos? O Brasil só tem dois problemas: Corrupção e Hipocrisia. Lamento, mas você está mal informada. Os EUA deveriam nos imitar em muitas coisas também… rsrs

Responder

@mfbrana em 28/12/2014 - 23h10 comentou:

Foi-se a época em que a esquerda brasileira que está no poder possuía esse discurso. Para manter tal poder, é necessário tomar medidas populares / retrógradas e 'esquecer' a ideologia, afinal, o voto do 'brasileiro médio' pesa demais nas urnas! (Mais um motivo para acabarmos com a reeleição).

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

Daniel Pxeira, o cartunista brasileiro que ganhou o mundo pelas mãos de Demi Lovato


Cantora norte-americana se posiciona nas redes sociais contra a absurda proposta de "cura gay" utilizando palavras em português e charge de recifense radicado em Brasília

Maconha

Criminalização da maconha e racismo


Nos Estados Unidos, os negros têm quase quatro vezes mais chances de serem presos por causa de maconha do que os brancos, embora fumem tantos baseados quanto os primeiros. No Brasil, a maioria dos presos…