Socialista Morena
Politik

Advogados do casal Lula: “Dona Marisa não poderá ver o reconhecimento de sua inocência”

Nestes dias horríveis que estamos vivendo, assistindo o sofrimento do ex-presidente Lula e de sua família, e com o coração cheio de desalento por ver no que nosso país está se transformando, um dos textos que mais me tocou foi este: a carta dos advogados de Lula e de sua mulher, Marisa, sobre o que […]

(Marisa recebe a medalha de mérito da Aeronáutica em 2007. Foto: Ricardo Stuckert)
Cynara Menezes
04 de fevereiro de 2017, 12h07
(Marisa recebe a medalha de honra ao mérito da Aeronáutica em 2007. Foto: Ricardo Stuckert)

(Marisa recebe a medalha de mérito da Aeronáutica em 2007. Foto: Ricardo Stuckert)

Nestes dias horríveis que estamos vivendo, assistindo o sofrimento do ex-presidente Lula e de sua família, e com o coração cheio de desalento por ver no que nosso país está se transformando, um dos textos que mais me tocou foi este: a carta dos advogados de Lula e de sua mulher, Marisa, sobre o que acontece agora, em termos jurídicos, após o falecimento dela.

É uma nota não muito longa, mas que machuca por explicitar a dura realidade de que Marisa morreu sem poder provar que era inocente. Em setembro do ano passado, o juiz Sergio Moro transformou a mulher de Lula em ré, ao mesmo tempo que dizia “lamentar” a inclusão de Marisa e “haver dúvidas quanto a seu envolvimento”.

A ex-primeira-dama partiu deste mundo com dedos acusadores sobre si. Uma mulher, como disse aqui e repito, digna e honesta, acusada de ser corrupta. Marisa nem sequer poderá provar que nada fez de errado, porque, com sua morte, se extinguem as duas ações penais contra ela. A dor da injustiça fere e me enche de indignação.

Leiam abaixo. Reproduzo na íntegra.

***

D. Marisa não poderá, lamentavelmente, ver triunfar o reconhecimento de sua inocência por um juiz imparcial.

A consequência jurídica do seu falecimento nesta data (03.02.2017) será a extinção, em relação a ela, das duas ações penais propostas –de forma irresponsável– pelo Ministério Público Federal.

Foi com muito orgulho que atuamos na defesa de uma pessoa digna e honesta, que foi injustamente perseguida e vítima de falsas acusações.

Reafirmamos nossa expectativa de que prevaleça a justiça nas ações que propusemos em seu favor, com o objetivo de reparar sua honra e imagem e ainda responsabilizar aqueles que cometeram os atos ilegais e arbitrários que resultaram nas violações que tanto a impactaram.

Em 4 de março de 2016, D. Marisa teve sua casa invadida por um exército de policiais e viu sua vida e intimidade, assim como a de seus filhos e netos, expostas na mídia nacional e internacional. Os danos foram insuperáveis.

Reafirmamos igualmente o compromisso de lutar por uma justiça imparcial, fundamental ao Estado Democrático de Direito.

(Assinam: Cristiano Zanin Martins, Valeska Teixeira Martins, Larissa Teixeira e Roberto Teixeira)

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Surreal: PMDB afasta Geddel a pedido e Kátia Abreu por CRITICAR Temer


O caso deixa bem claras as regras do partido: se você for corrupto, só sai se pedir. Mas se denunciar os malfeitos, corre o risco de ser expulso

Direitos Humanos

Youtube vai tirar do ar vídeos que propagam mentiras contra Marielle


A ação pede ainda que o Google forneça os IPs dos computadores que postaram os vídeos para posterior identificação dos autores pela polícia