Socialista Morena
Politik

Ao veranista elegante

Como se comportar na praia? O que é “in” e o que é “out” em um dos verões mais badalados do planeta, o brasileiro? O Socialista Morena dá algumas dicas para ser um veranista bacana. – Plástico e praia começam com a letra P, mas a compatibilidade entre estas duas palavras termina aí. Plástico e […]

Cynara Menezes
05 de janeiro de 2013, 01h57

Como se comportar na praia? O que é “in” e o que é “out” em um dos verões mais badalados do planeta, o brasileiro? O Socialista Morena dá algumas dicas para ser um veranista bacana.

– Plástico e praia começam com a letra P, mas a compatibilidade entre estas duas palavras termina aí. Plástico e praia não combinam. Não deixe plástico na praia, mesmo que não seja seu.

– O ideal é não fumar na praia, mas se for fumar, seja elegante e não deixe a bituca por lá. Muita gente reclama dos políticos quando vê as praias sujas, mas não faz a sua parte. Em muitas praias onde fui recentemente observei que as bitucas de cigarro são o que mais empesteia a areia. Fumante, leve sua bituca para longe da praia!

– Use protetor solar, sempre. Mais forte no rosto e mais fraco no corpo. Se você não for branco total radiante e passar protetor fator 60 no corpo todo não vai queimar nada! Tampouco use um protetor 15 e fique exposto ao sol do meio-dia. Use protetor 30, tome sol aos poucos e vai conseguir um belo bronzeado.

– Para as crianças, o dobro de protetor solar, no corpo todinho delas. E muito líquido.

– Amadores vão à praia entre as 11 da manhã e as 3 da tarde. Os profissas vão antes das 11 e após as 3. Se for impossível seguir este esquema, fique embaixo da barraca e vá pro sol só na hora de dar um mergulho.

– Se você quiser relaxar e comer tudo que é porcaria na praia, beleza –desde que não sinta culpa alguma por isso. Mas se quiser aproveitar a temporada na praia para ficar em forma, recomendo: caminhadas na areia e o spa do coco. As caminhadas ao final do dia ou de manhã cedinho vão fazer maravilhas pelo seu corpo rapidinho. Usar o carro o menos possível e fazer tudo a pé também é fazer exercício. Além disso, o bronze disfarça imperfeiçõezinhas do tipo estrias e celulite. Sério.

– O que significa o spa do coco? Ora, muita água de coco, a carne do coco para enganar a fome na praia, picolés de frutas (de coco, mas também de cajá, graviola, limão, maracujá…), muitos peixes e frutos do mar no lugar de carne vermelha e, de sobremesa… cocada, claro. Só duas refeições ao dia são suficientes: um belo café da manhã e um almojanta no final da tarde. Digo duas refeições porque é impossível evitar os tira-gostos entre elas. Por isso, fuja dos salgadinhos industrializados. Se for comer frituras, prefira camarão frito, lula frita, peixe frito…

– Evite comidas pesadas e abuse das comidas cruas: saladas, ceviche, sushi, carpaccio… Delicioso e refrescante.

– Não coma lagostas a não ser que saiba a procedência: está na época do defeso da lagosta em todo o litoral brasileiro até maio. Não é proibido vender lagosta no verão, mas é preciso exigir a declaração de estoque emitida pelo Ibama. Não compre de ambulantes e vendedores na praia. É absurdo, mas oferecem lagosta o tempo todo no verão, mesmo a pesca sendo proibida. Se você aceitar, esta prática nunca acabará. As pessoas lembram das baleias, mas esquecem dos outros habitantes marinhos que precisam de proteção. Lagostas não!

– Não existe verão sem moqueca. Também são imprescindíveis as caipirinhas, caipiroscas, pisco sour, margueritas e toda espécie de coquetéis refrescantes. Este ano constatei que sangria, feita com vinho de qualidade, não causa ressaca. Recomendo.

– Definitivamente, peteca não é um esporte viril. Mas repare bem, não deixe de praticar sua petequinha só porque eu estou falando isso. Pelo contrário, acho que todos os homens heterossexuais deveriam colocar sua macheza à prova jogando peteca na praia. Me convidem para assistir.

– Eu acho que tirar fotos na praia com o ipad é muuuito cafona. Mas cada um, cada qual.

– Esqueça o tênis com meia. Abuse das havaianas de manhã, de tarde e de noite. Na praia ou no restaurante fino. As brasileiríssimas havaianas se tornaram ícone fashion do verão em todo o planeta.

– Pôr-do-sol: aplaudir ou não? Confesso que não tenho nada contra aplaudir o pôr-do-sol. É um espetáculo tão lindo, grátis, e a gente nunca se lembra dele… No momento raro em que se está ali, com tempo para apreciar esta maravilha, por que não aplaudir? Eu até assobiaria.


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(6) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Visitante em 05/01/2013 - 02h16 comentou:

Gostei! Mas como assim "duas refeições ao dia"? rs

Responder

    morenasol em 05/01/2013 - 02h39 comentou:

    refeições, uai. porque provavelmente você vai passar o dia petiscando ; )

Cícero em 05/01/2013 - 04h01 comentou:

Além de caminhada, água de coco, moqueca de peixe e caipirinha, gosto também de vôlei de praia.

Responder

Helder em 05/01/2013 - 04h57 comentou:

Maravilha, anotado! rs

Responder

Alzimar Ramalho em 05/01/2013 - 13h35 comentou:

Que tal ser out jogo de frescobol e futebol entre 8h e 18h?

Responder

Cyntia Campos em 11/01/2015 - 12h19 comentou:

Eu não aplaudo o pôr-do-sol, pra não dar vontade de gritar "Toca Raul!" 🙂

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Para enfrentar o calor, um Bellini


Dizem que o Bellini foi criado nos anos 1930 ou 1940 no Harry’s Bar, em Veneza, frequentado por escritores como Truman Capote e Ernest Hemingway, a cantora Maria Callas e o cineasta Orson Welles. O…