Socialista Morena
Mídia

Aos nossos leitores: jornalismo artesanal & comida artesanal

A editora do site tem um comunicado importante para os leitores e assinantes do Socialista Morena

Colagem Ana Persona
Cynara Menezes
09 de março de 2018, 19h55

Colagem Ana Persona

Dizem que a vida é feita de paradoxos e a minha vida hoje é um paradoxo só. Nunca fui tão feliz profissionalmente, meu trabalho é reconhecido, não tenho patrão, escrevo apenas sobre o que quero escrever e me sinto gratificada com o retorno e o carinho dos leitores. Por outro lado, ainda não consegui que este site, que entra agora em seu quarto ano inteiramente independente, seja financeiramente sustentável.

Sei que tudo é uma questão de hábito. Foi graças ao hábito que a mídia comercial se sustentou todos estes anos, ao convencer leitores a assinar suas revistas e jornais. Hábito que sofreu um sério abalo com o advento das redes sociais, mas que persiste. Quantas pessoas você conhece que leem a Veja, por exemplo, apenas por hábito? O hábito de assinar os sites alternativos vai se firmar com o tempo, tenho certeza. O difícil é a gente conseguir aguentar até lá.

Atualmente, o Socialista Morena oscila entre os 500 e os 800 assinantes pelo Paypal ou pela Caixa Econômica Federal, o que permite que ele pelo menos pague seus custos e que eu receba o mínimo para sobreviver. No entanto, não é o suficiente para pagar as contas e tampouco para bancar uma equipe de colaboradores, o que seria ideal. Em julho, investi na ampliação do blog, que se transformou em um site, com mais postagens e novo visual. No entanto, isso não se reverteu em um número de novos assinantes que possibilitasse a contratação da jornalista Kátia Guimarães, que estava escrevendo para o site. Precisaríamos de pelo menos 1.000 novos assinantes para pagá-la.

Em seu quarto ano independente, o Socialista Morena é um sucesso, tem quase 500 mil seguidores no facebook, mas o paradoxo é que ainda não se sustenta. E enquanto não se sustenta, me vejo obrigada a buscar outras fontes de renda. O que farei é usar outra habilidade: a cozinha

Os números do site têm sido excelentes e a página no facebook é um sucesso, com quase 500 mil seguidores, mesmo com os tais algoritmos prejudicando a mídia alternativa e com uma política rígida de só permitir seguidores educados e de bom nível intelectual (fãs do Bolsonaro e demais reaças acéfalos são sumariamente bloqueados). Quer dizer, estamos crescendo, mas o paradoxo é que o site não se sustenta. E enquanto o site não se sustenta, me vejo obrigada a buscar outras fontes de renda. Mas uma coisa é certa: não quero mais ter patrão, me acostumei com essa vida sem chefe e acho que já não tem volta.

Nestes anos todos em que trabalho em casa, aproveitei para ampliar minhas pesquisas como cozinheira autodidata e hoje me tornei uma razoável especialista em culinária latino-americana e padeira artesanal. Exercitei este lado entre amigos, familiares e também nos bazares que o site promove uma vez por ano. Então, o que quero anunciar aqui é que irei usar esta outra habilidade para complementar minha renda. Continuo, portanto, na trilha do jornalismo operário que tanto admiro. Também estes operários da palavra tinham que buscar outras fontes de sustento para sobreviver…

Meu ceviche

A princípio, participarei em eventos e feiras em Brasília, uma vez por mês. O primeiro acontecerá neste domingo, no Eixão Norte, na altura da SQN 113, durante o Encontro de Bolhas de Sabão Gigantes. Como adoro bolhas de sabão, acho que este evento de estreia é um bom sinal. Vou levar chás gelados, dindins (geladinhos) alcoólicos e sem álcool, e ceviches de peixe e vegano de banana verde com manga. Considero cozinhar também uma ação política: utilizo o máximo possível de produtos orgânicos e o menos possível de industrializados. Educação alimentar é uma parte importantíssima da educação que a gente dá para nossas crianças.

Apareçam por lá. O bom disso tudo é que proporcionará uma relação mais direta com os leitores do site e me tirará um pouco do isolamento do home office.

Além da culinária, este ano o site também irá promover cursos de conscientização política da juventude. Estamos em busca de um parceiro que nos ceda um local para que eles aconteçam. Manterei vocês informados.

Não se preocupem: continuarei me dedicando a nosso site com todo amor, profissionalismo e honestidade, mas quando sumir, vocês já sabem: é porque estou cozinhando.

*APOIE A ILUSTRADORA: Todas as doações deste post irão para a ilustradora Ana Persona. Se preferir, pode doar diretamente para ela: Ana Paula Cerqueira, banco Santander, agência 0642, conta corrente 01.025.128-9, CPF 028.045.236-59. Obrigada por colaborar com uma nova forma de fazer jornalismo no Brasil, bancada pelos leitores.

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(13) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Maria de Fatima Lima em 09/03/2018 - 20h38 comentou:

Nós vamos superar tudo isso. A revolução está sendo forjada dia a dia. Você vai conseguir, querida! Vou compartilhando os eventos!

Responder

MARCOS MADEIRA em 10/03/2018 - 19h56 comentou:

estarei fazendo um deposito tipo anual
direto cta ds CAIXA

Responder

    Cynara Menezes em 10/03/2018 - 20h30 comentou:

    obrigada!

André Bacelar em 11/03/2018 - 21h46 comentou:

https://www.mrmoneymustache.com/blog/ Blogue de quem se aposentou aos 30 anos e vive até hoje sem patrão.

Responder

Aurelio Medina Dubois em 12/03/2018 - 11h19 comentou:

Prefiro apoiar o sítio através de um depósito “tipo anual” na sua conta corrente na CEF.

Se possível, favor acrescentar seu CPF nas instruções para doação.

Isto me permitirá fazer um DOC do Banco do Brasil para a CEF no caixa automático.

Ver o caso do apoio à ilustradora Ana Persona/Ana Paula Cerqueira.

Atenciosamente.

Responder

    Cynara Menezes em 12/03/2018 - 16h30 comentou:

    aurélio, o CPF é 396.537.815-53. obrigada!

cg em 12/03/2018 - 15h27 comentou:

Bom, chega de fritar coxinhas!!!
Estou com saudades!
Preciso de uma dose de inteligencia URGENTE!!!!

Responder

Sergio Souza em 13/03/2018 - 16h36 comentou:

Gostei daquela matéria de fritar o ovo usando a folha da bananeira! Sensacional!

Responder

Maurício em 13/03/2018 - 17h23 comentou:

Nosso pensamento político é totalmente diferente. Isso é fato! Mas independente disso, torço por você e pelo seu sucesso. Gosto do seu site e dos seus textos. Admiro sua vontade de querer fazer algo novo e de estar batalhando por isso. Imagino, não é fácil.

Eu sempre ofereci ajuda, mas talvez pelo medo você não aceite. E eu até entendo isso. De qualquer forma, te desejo muito sucesso e de coração espero que esse número aumente muito ao logo desse ano.

Responder

    Cynara Menezes em 13/03/2018 - 18h26 comentou:

    obrigada. na sociedade que sonho, há lugar para todos

    Sergio Souza em 14/03/2018 - 11h35 comentou:

    Também sonho com isso também. Em que possamos dar nossas opiniões sem sermos gritados como esquerdopata ou reacionários! Hoje, o que impera é desconstruir o outro!Desgraçadamente!

Vagner Silva em 19/03/2018 - 01h56 comentou:

Você é uma linda alma que desponta da presente realidade vil…

Responder

    Cynara Menezes em 19/03/2018 - 10h23 comentou:

    obrigada <3

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Self-made journalist (ou jornalista de mim mesma), uma experiência


Após quase oito anos em Carta Capital, deixo a revista para alçar vôo solo e me dedicar apenas ao blog Socialista Morena. É, ao mesmo tempo, uma nova etapa em minha carreira e uma despedida…

Mídia

Para inglês ver: como a imprensa brasileira ajudou a prolongar o tráfico de escravos


Por Charles Nisz* A expressão “para inglês ver” tem uma origem triste. Ela surgiu por causa de uma lei promulgada em 7 de novembro de 1831, cujo texto proibia o tráfico escravista. Com penas fortes,…