Socialista Morena
Politik

Após ver Temer falando em “democracia”, Maduro responde: “aprendiz de ditador”

Michel Temer, que chegou ao poder por meio de um golpe parlamentar, mais uma vez se arvora em "professor de democracia" da Venezuela. Eleito pelo povo, Nicolás Maduro não deixa por menos e o chama de "golpista"

Maduro com a Constituição. Foto: governo da Venezuela
Cynara Menezes
07 de agosto de 2017, 15h18

Não se trata de ser contra ou a favor do governo de Nicolás Maduro, mas de coerência: não há como negar que é risível ver Michel Temer, que chegou ao poder por meio de um golpe parlamentar, criticar o presidente do país vizinho como se tivesse sido eleito para o cargo e fosse doutor em democracia. “Não há mais espaço para alternativas não democráticas na América do Sul”, disse Temer, no domingo, ao justificar a suspensão da Venezuela do Mercosul.

“Esperamos que a Venezuela encontre o caminho para a recomposição da ordem democrática, no respeito à diversidade de visões e posições. Queremos uma Venezuela que, de volta à democracia, possa voltar também ao Mercosul, onde será recebida de braços abertos”, disse Temer, em vídeo divulgado no twitter.

Não é a primeira vez que o ilegítimo Temer se arvora em “professor de democracia” da Venezuela. Em maio passado, ele recebeu Lilian Tintori, a mulher do líder opositor Leopoldo Lopez, e disse a ela que “o protesto é um direito, que o povo tem o direito de protestar, é um direito universal e que não pode ser reprimido”, como se as manifestações contra seu governo não estivessem sendo violentamente reprimidas pela Polícia Militar, como atestou a ONU.

A resposta de Nicolás Maduro não tardou. Em seu programa de TV dominical, o presidente eleito da Venezuela chamou Temer de “aprendiz de ditador”.

“O governo golpista de Michel Temer, rechaçado por 95% dos brasileiros, acaba de publicar um vídeo falando de Venezuela como se fosse presidente da Venezuela. Dando ordens ao presidente da Venezuela. Como se chama isso? Abuso, intervencionismo. Um sujeito que ninguém elegeu. Ninguém elegeu Michel Temer, ele deu um golpe de Estado. No Brasil há um governo de facto, repudiado por toda a sociedade brasileira, e o presidente Michel Temer quer dar ordens aqui. Aqui o senhor não dá ordens, Michel Temer. Prepare as malas que o povo brasileiro vai tirá-lo daí, mais cedo que tarde. Aprendiz de ditador!”

 

O que os venezuelanos não sabem é que, se a oposição a Temer copiasse a venezuelana, jogando cocô na polícia, atirando coquetéis molotov e até incendiando pessoas, ninguém na mídia comercial apoiaria, como fazem de forma uníssona quando se trata da oposição a Maduro. Pelo contrário: a Folha, por exemplo, que anunciou no sábado, 6 de agosto, que vai chamar Maduro de “ditador”, nunca fez o mesmo com Temer, chamando de “golpe” ou no mínimo questionando a forma como ele chegou ao poder, ao contrário de muitos veículos internacionais.

Bem, para um jornal que cedeu veículos à repressão e chamava o golpe de “revolução” não chega a ser surpreendente.

Em tempo: a “ditadura” de Maduro não está promovendo nenhuma mudança para destruir os direitos dos trabalhadores do país, ao contrário da “democracia” de Temer.

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(8) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Marcus em 07/08/2017 - 15h30 comentou:

Pelo menos podemos tirar o Temer!

Responder

    Gilmar em 08/08/2017 - 01h08 comentou:

    Tentamos lembra-se..por ruas, mídia e câmara tudo dominado

    Marcelo em 08/08/2017 - 08h51 comentou:

    Podemos tem certeza?

Alexandre Domingos de Andrade em 07/08/2017 - 18h31 comentou:

Isso é sério?

Maduro, na otica comunista, é democrata e Temer não é?

Responder

Daniela em 08/08/2017 - 11h44 comentou:

Maduro não se elegeu pelo povo. Foi pela Smartmatic . Como a chapa Dilma Temer.

Responder

Jurandir Paulo em 08/08/2017 - 11h45 comentou:

Me parece que uma melhor tradução na frase final “pichón de dictador” seria “filhote da ditadura”. Algo a nós melhor conhecido. Algo mais Brizola. Pichón é pombo, filhote. O sentido que ele quer dar é de que ele não passa de fruto de um golpe, alinhado com o velho regime autoritário.

E parabéns pelo site!

Responder

Joaquim Ernesto Daper em 08/08/2017 - 15h33 comentou:

“Ninguém elegeu Michel Temer” Eu tbm votei nele… mas eu assumo. Erramos mesmo, faz parte rs

Responder

Claudino Adeodato em 08/08/2017 - 19h28 comentou:

O Temer ou filhote de golpista não tem moral nenhuma para criticar o Maduro.
A sociedade venezuelana tem coragem para enfrentar a polícia com Instituto de.buscar seus objetivos.
Cadê as panelas? Que não batem mais.
Onde estão Vem Pra Rua, Movimento Brasil Livre? O dinheiro dos partidos que os patrocinaram acabou?

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Trabalho

Sindicato de Jornalistas e funcionários denunciam censura de Temer na EBC


No domingo, 21 de maio, enquanto ocorriam manifestações contra o presidente Michel Temer e em favor de eleições diretas em 19 Estados e no Distrito Federal, a Agência Brasil, órgão noticioso público, só informou a…

Trabalho

Com Temer ou sem Temer: “reforma” que tira direitos dos trabalhadores avança no Senado


Enquanto a Nação é distraída com o julgamento, pelo Tribunal Superior Eleitoral, da chapa Dilma-Temer nas eleições de 2014, avança no Senado a “reforma” que pretende acabar com os direitos dos trabalhadores e revogar a…