Socialista Morena
Cultura

Calendrag: coletivo de Brasília lança calendário com drags homenageando mulheres históricas

Entre as retratadas, a cantora Nina Simone, a vereadora Marielle Franco e a apresentadora Elke Maravilha

A drag Naomi Leakes como a cantora Nina Simone. Foto: Thiago Sabino
Da Redação
06 de dezembro de 2018, 13h14

Pelo segundo ano consecutivo, o coletivo Distrito Drag, que reúne ativistas drag queens de Brasília, lançam o Calendrag, onde artistas homenageiam mulheres cis e trans históricas. Entre as homenageadas estão a apresentadora Elke Maravilha, Janaína Dutra, a primeira travesti portadora de carteira profissional da Ordem dos Advogados do Brasil, Madame Satã, transformista brasileira, a travesti Rogéria, a artista plástica mexicana Frida Kahlo e a brasileira Tarsila do Amaral, a estilista Zuzu Angel e Marielle Franco, a vereadora do PSOL que foi executada no Rio no início do ano em um crime até hoje sem solução. A drag Márcia Pantera revive Marielle na capa do calendário.

Veja neste post algumas das fotos do Calendrag. Para comprar, clique aqui. A renda deste ano será revertida para a União Libertária de Travestis e Mulheres Transexuais (ULTRA) e a Casa Frida, organizações de atendimento às mulheres cis e trans. O valor restante será utilizado para projetos do Coletivo Distrito Drag.

A estilista Zuzu Angel pela drag Rubi Ocean. Foto: André Gagliardo

Madame Satã pela drag Lushonda. Foto: Victor Diniz

Homenagem à advogada Janaína Dutra pela drag Nancy Hallow. Foto: Júlia Bandeira

Marielle Franco por Márcia Pantera. Foto: Bruno Cavalcanti

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(2) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Pedro Alfredo em 10/12/2018 - 23h00 comentou:

‘Tô nem ai para essas feministas..
o termo “Machista” é bem pejorativo e foi construído pelo movimento feminista para oprimir homens e deixá-las passar com suas vontades raivosas.

Sou Machista e não será esse “bulling” de Mulheres que querem rebaixar os homens no mundo (depois de conquistado pelos “machistas” as custas de muito sangue) que me irá fazer entregá-lo à mulher gratuitamente, isso pq elas resolveram isso. Tô fora..

Responder

    Cynara Menezes em 11/12/2018 - 15h12 comentou:

    uiuiui, machinho reprimido. quando mimimi

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

Essa revolução tem fins meramente ilustrativos. Por Banksy


Numa noite de terça, durante o verão, eu tentei pintar numa ponte ferroviária sobre a Portobello Road, no oeste de Londres, pôsteres mostrando o ícone revolucionário Che Guevara escorrendo gradualmente para fora da imagem. Todo…

Cultura

Exposição de Frida no instituto Tomie Ohtake peca por esconder comunismo da pintora


“Estou cada vez mais convencida de que o único caminho para se chegar a ser um homem, isto é, um ser humano e não um animal, é ser comunista” (Frida Kahlo) Em termos estritamente artísticos,…