Socialista Morena
Cultura

Carnaval e História: Pelourinho lembra heróis negros da Revolta dos Búzios

Filhos ou netos de escravos, líderes da revolta foram executados por lutar pela independência, pela República e pelo fim da escravidão

Foto: Camila Souza/GOVBA
Da Redação
06 de fevereiro de 2018, 18h47

A decoração do carnaval no Pelourinho, em Salvador, lembra os 220 anos da Revolta dos Búzios e seus pouco conhecidos heróis negros. Filhos ou netos de escravos, Lucas Dantas, Manoel Faustino, Luiz Gonzaga e João de Deus, foram executados em 1799 por lutar, um ano antes, pela independência do Brasil, pela proclamação da República e pelo fim da escravidão. Os corpos dos quatro foram expostos em praça pública: as cabeças de Lucas Dantas, Manuel Faustino e João de Deus ficaram espetadas nas principais vias da cidade; e a cabeça e as mãos de Luís Gonzaga ficaram pregadas na forca.

Os demais envolvidos na Revolta dos Búzios, conhecida também como a “revolta dos alfaiates” ou Conjuração Baiana, foram submetidos a 500 chibatadas no Pelourinho, onde agora são homenageados. Em sua maioria gente humilde, trabalhadores e aprendizes da profissão de alfaiate (daí o nome), os revoltosos também foram condenados ao degredo e seus nomes considerados “malditos” até a terceira geração. Em 2011, o feito dos quatro foi reconhecido pelo governo federal e seus nomes entraram para o Livro dos Heróis da Pátria, depositado no Panteão da Pátria e da Liberdade, em Brasília.

A iniciativa de homenagear os líderes da Revolta dos Búzios foi do governo do Estado (PT), não da prefeitura (DEM).

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

João Junior em 07/02/2018 - 10h19 comentou:

Justa e merecida homenagem.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Direitos Humanos

MPF quer aumentar para 300 mil multa a Bolsonaro por ofender quilombolas


Segundo o órgão, o valor da multa, que deve refletir a gravidade do fato e a capacidade econômica do réu, não foi proporcional

Direitos Humanos

Negros estrangeiros residentes no Brasil detonam nossa fama de “país sem racismo”


Traduzi esta matéria que saiu na NPR, a rádio pública dos Estados Unidos, sobre o racismo no Brasil.  Preparem-se para sentir muita vergonha (original aqui). *** Por Lourdes Garcia-Navarro, da NPR Há uma piada entre…