Socialista Morena
Politik

Sem ter o que fazer, polícia do DF investiga morte do cão de Dilma

Nunca foi política, nunca foi combate à corrupção. E agora beira a psicopatia a perseguição da direita à presidenta Dilma Rousseff

A presidenta Dilma com o labrador Nego em seu programa eleitoral em 2014
Da Redação
10 de novembro de 2017, 14h46

Nunca foi política, nunca foi combate à corrupção. E agora beira a psicopatia a perseguição da direita à presidenta Dilma Rousseff, mesmo após arrancá-la do cargo. Como se não tivesse nada mais importante a fazer em uma cidade que está entre as mais violentas do país, a polícia civil do Distrito Federal resolveu dedicar seu tempo à investigação da morte do cão labrador de Dilma, Nego, que foi sacrificado em 2016 por estar com uma doença crônica, mielopatia degenerativa canina, que causava sofrimento ao animal.

A investigação foi motivada pelo pedido do deputado federal Ricardo Izar, outro que parece não ter nada o que fazer enquanto o povo paga seu salário. Izar denunciou Dilma por supostos “maus tratos” ao cão à Procuradoria-Geral da República durante o processo de impeachment. Após a presidenta ser derrubada, a denúncia foi encaminhada à Justiça Federal de Brasília, que ordenou a investigação.

É lamentável que, mais uma vez, queiram usar a relação de carinho e lealdade entre um cachorro e sua dona para reforçar a sórdida campanha acusatória que criou o ambiente para o Golpe de 2016

Indignada, a presidenta Dilma soltou nota criticando o uso doentio pelos antipetistas de sua amizade com o cachorro Nego, que com ela conviveu durante 11 anos, para atacar sua honra. “É lamentável que, mais uma vez, queiram usar a relação de carinho e lealdade entre um cachorro e sua dona para reforçar a sórdida campanha acusatória que criou o ambiente para o Golpe de 2016, por meio do fraudulento impeachment sem crime de responsabilidade”, diz a nota.

“Essa campanha hedionda, baseada em falsidades, violência, intolerância e preconceito se perpetua mesmo agora, um ano após ter sido consumado o golpe parlamentar que retirou Dilma Rousseff do poder. A perseguição chegou a ponto de o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot determinar a abertura de um inquérito policial. Como se investigações mais graves não devessem ser apuradas, como a compra de votos para a aprovação do impeachment. Aos olhos do mundo, vale tudo para achincalhar a imagem e a honra de Dilma Rousseff.”

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(6) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Luís Fraga em 10/11/2017 - 16h53 comentou:

Dá pra ver o nível do Janot só por esta atitude. Que calhorda.

Responder

ari em 10/11/2017 - 20h31 comentou:

É para rir ou para chorar?
Coisas tais demonstram o tamanho da tragédia em que se transformou o Brasil

Responder

Jefferson em 10/11/2017 - 21h12 comentou:

Ótimo artigo

Responder

Gustavo Horta em 12/11/2017 - 10h03 comentou:

Lembrando de um povo feliz agonizante que espera o milagre do Messias em 2018. Pobre povo que nem imagina que o golpe não tem fim.

gustavohorta.wordpress.com

Responder

Zilton Rocha em 12/11/2017 - 14h44 comentou:

Vejam o que disse o gênio, que morreu em 1871:

Navio Negreiro VI

Existe um povo que a bandeira empresta
P’ra cobrir tanta infâmia e cobardia!…
E deixa-a transformar-se nessa festa
Em manto impuro de bacante fria!…
Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta,
Que impudente na gávea tripudia?
Silêncio. Musa… chora, e chora tanto
Que o pavilhão se lave no teu pranto! …

Responder

O Desafiador em 12/11/2017 - 23h50 comentou:

Quer dizer que a PF é de direita? Tá, parei por aí.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

PF confirma fim do grupo de trabalho da Lava-Jato em Curitiba; panelas seguem mudas


A Polícia Federal divulgou nota nesta quinta-feira, 6 de julho, confirmando notícia veiculada pelo site da revista Época sobre o fim do grupo de trabalho da Lava-Jato em Curitiba. A justificativa oficial é de que…

Politik

Saiu do portal e matou a família


Os mortos e feridos na chacina de Campinas são as primeiras vítimas fatais do ódio à esquerda estimulado pela mídia nos últimos anos. Para arrancar o PT do poder, revistas, jornais e emissoras de rádio…