Socialista Morena
Politik

Ironia: Temer diz a opositora venezuelana que “protestar é um direito e não pode ser reprimido”

Lilian Tintori, esposa do líder oposicionista Leopoldo Lopez, preso desde 2014 acusado de incitar a violência durante os protestos contra o governo de Nicolás Maduro na Venezuela, veio falar de democracia com ninguém menos que o presidente do Brasil, Michel Temer. Lilian esteve em Brasília e ouviu do presidente ilegítimo que “está preocupado” com a […]

A oposicionista venezuelana Lilian Tintori e Michel Temer hoje no Planalto. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Cynara Menezes
12 de maio de 2017, 00h21

Lilian Tintori, esposa do líder oposicionista Leopoldo Lopez, preso desde 2014 acusado de incitar a violência durante os protestos contra o governo de Nicolás Maduro na Venezuela, veio falar de democracia com ninguém menos que o presidente do Brasil, Michel Temer. Lilian esteve em Brasília e ouviu do presidente ilegítimo que “está preocupado” com a situação venezuelana e que nosso país está “pronto a prestar ajuda humanitária à Venezuela”.

A opositora a Maduro saiu do encontro animada. “O presidente Temer hoje abriu as portas para o povo venezuelano. Isso significa muitíssimo. Há uma força regional que muitos estavam esperando”, disse. Segundo Lilian, a Venezuela vive “uma ditadura desumana, cruel” que “não permite sequer que o povo se expresse”.

À noite, Lilian Tintori publicou um vídeo em seu perfil no twitter em que disse ter ouvido de Temer que “o protesto é um direito, que o povo tem o direito de protestar, é um direito universal e que não pode ser reprimido”. Ela contou para ele que na Venezuela atiram bombas e balas de borracha nos manifestantes que vão às ruas contra o governo. “Não mais repressão”, disse.

Aparentemente, o presidente ilegítimo esqueceu de mencionar a forte repressão policial às manifestações da oposição às suas reformas, as bombas de gás contra os índios e a proibição de que o povo entre no Congresso para acompanhar as mudanças que afetarão seu trabalho e sua vida. Também esqueceu de contar para Lilian que o maior fabricante de balas de borracha é conselheiro do Planalto.

 

Temer também comentou o encontro com Lilian e sua sogra, Antonieta Lopez, no twitter. Ele disse que está do lado do povo… da Venezuela.

Enquanto isso, na Venezuela, a oposição joga bombas de cocô na polícia. Qual seria a reação de Temer e da mídia chapa branca se a oposição ao governo dele fizesse o mesmo?

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Hoje roubaram o futuro das crianças pobres do Brasil. Agradeçam aos paneleiros


Das sacadas gourmet dos apartamentos de classe média alta e alta, soavam panelas contra o governo Dilma. No asfalto, vestidos com suas camisetas da CBF como se fossem legítimos patriotas, pediam “educação e saúde padrão…

Politik

PF acha malas de dinheiro em suposto “bunker” de Geddel Vieira Lima em Salvador


A operação Tesouro Perdido é um desdobramento da Cui Bono, que investiga fraude na liberação de créditos da Caixa entre 2011 e 2013, quando Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica