Socialista Morena
Politik

Pelo mesmo crime de Azeredo, 4 petistas já foram presos; pela Lava-Jato, 5

É patética a tentativa da mídia comercial de comparar o caso do ex-governador tucano com o de Lula

Imagem rara de tucanos presos no Paraná. Foto: divulgação/Polícia Ambiental
Cynara Menezes
28 de abril de 2018, 12h15

É absolutamente patética a tentativa da mídia comercial de comparar a condenação do tucano Eduardo Azeredo no mensalão com a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava-Jato. Não vou nem falar sobre a diferença de estatura entre as duas figuras: um, ex-governador mineiro e político obscuro do PSDB; outro, uma das personalidades brasileiras mais prestigiadas mundialmente no século 21 e ex-presidente que continua à frente das pesquisas mesmo na cadeia.

Vou só exibir os fatos e os números. Azeredo está sendo condenado em segunda instância mais de cinco anos depois que se concluiu o julgamento do “mensalão petista”. Sendo que, na época, a própria procuradoria-geral da República sustentou que o suposto esquema começara em Minas na tentativa de reeleição do governador tucano em 1998, ou seja, pelo menos quatro anos antes da primeira eleição de Lula, em 2002. Em 2013, quatro petistas (Delúbio Soares, João Paulo Cunha, José Genoino e José Dirceu) foram mandados à prisão. Quanto a Azeredo, em 2014, quando o “mensalão tucano” estava prestes a ser concluído no STF, o então deputado federal renunciou ao mandato, e, sem foro privilegiado, o processo retornou à primeira instância.

Para que houvesse equiparação possível, seria preciso que a Justiça condenasse e prendesse tucanos do porte de Alckmin, Serra, Aécio, Aloysio e FHC ao mesmo tempo. Ninguém, em sã consciência, acredita que algum dia isso irá acontecer

Cinco anos depois de os petistas já terem sido presos e alguns até soltos, é que o pioneiro do “mensalão” foi condenado, em segunda instância, a 20 anos de prisão pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais por 3 votos a 2. Detalhe: um dos desembargadores que votaram a favor dele fez uma defesa enfática de Azeredo e inclusive o chamou de “nosso governador”. Mas o tucano continua solto. Qual a razão para isso a não ser o partido ao qual pertence? Dizem que é porque o resultado “foi apertado”. Acostumado à impunidade, o ex-governador disse não estar preparado para a hipótese de ser preso. “É uma cobrança descabida, é um excesso o que está se fazendo em cima de mim”, afirmou a uma rádio.

Enquanto Azeredo continuava solto, outros processos envolvendo tucanos eram sumariamente arquivados ou prescreviam. E aí veio a Lava-Jato. Em quatro anos, embora vários tucanos de alta plumagem tenham sido citados por delatores, até agora nenhum foi condenado ou preso. Já em relação ao PT a velocidade da Justiça, famosa por andar a passos de tartaruga, bateu todos os recordes. Atualmente, há cinco petistas presos pela Lava-Jato, sendo que um, José Dirceu, em prisão domiciliar, está prestes a voltar para o Complexo de Pinhais, na grande Curitiba. Entre os presos do PT, dois ex-ministros (Dirceu e Palocci), um tesoureiro (Vaccari) e um ex-presidente da República.

Como os jornais têm a cara de pau de comparar a perseguição jurídica que o PT está sofrendo desde que Lula chegou ao poder ao caso isolado de Azeredo? Segundo a Folha, em editorial, a condenação do tucano “enfraquece a tese da blindagem tucana” pela Justiça. “Vai se desfazendo a tese de que o partido —por suas boas relações com o establishment— estaria imune às ações anticorrupção”, diz o jornal.

Se é para fazer comparações, por que não comparar o caso de Lula ao de FHC dois ex-presidentes? Lula foi condenado por aceitar favores de empreiteiros, mas e FHC?

Parece piada uma coisa dessas. Para que houvesse equiparação, seria preciso que a Justiça condenasse e prendesse tucanos do porte de Geraldo Alckmin, José Serra, Aécio Neves, Aloysio Nunes Ferreira e Fernando Henrique Cardoso ao mesmo tempo. Ninguém, em sã consciência, acredita que algum dia isso irá acontecer, mas esta é a comparação possível. Não entre gigantes e ratos.

Aliás, se é para fazer comparações, por que não comparar o caso de Lula ao de FHC, já que são dois ex-presidentes? Lula foi condenado por aceitar favores de empreiteiros, mas e FHC? Em 1999, a Camargo Corrêa construiu um aeroporto vizinho à fazenda do então presidente da República, em Buritis, que era usado pela família Cardoso. Fazenda, aliás, comprada em uma transação para lá de esquisita em sociedade com o pecuarista Jovelino Mineiro. Sim, o mesmo Jovelino que “empresta” um apartamento em Paris para o ex-presidente tucano e sua família, tal qual Lula é acusado no caso do sítio em Atibaia.

Lula mora no mesmo apartamento em São Bernardo do Campo que sempre morou. E Fernando Henrique? Depois que deixou a presidência, trocou o bom apartamento que tinha em Higienópolis, bairro de classe média alta e alta em São Paulo, por outro muito maior, graças à amizade com um banqueiro que fez um precinho camarada.

O ex-presidente Lula também é “acusado” de ter recebido doações para seu instituto. Ora, o Instituto FHC também recebeu doações milionárias da mesma Odebrecht e até de uma empresa pública, a Sabesp. Mas casos envolvendo o ex-presidente tucano invariavelmente acabam em prescrição, como aconteceu em março com a denúncia feita por uma ex-namorada de FHC, a jornalista Miriam Dutra, de que Fernando Henrique usava uma empresa, a Brasif, para sustentar o filho que não era dele no exterior.

Por que esses paralelos não interessam à mídia comercial na hora de tentar desfazer a tese da blindagem tucana?

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(10) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

André em 28/04/2018 - 12h53 comentou:

Engracado como, quando vc se refere aos crimes do PT, você fala em perseguição politica, mas quando envolve o PSDB, são crimes de fato. Por favor, seja coerente.

Responder

    Cynara Menezes em 30/04/2018 - 11h54 comentou:

    que crimes? eles não são nem investigados

    Sergio em 02/05/2018 - 09h48 comentou:

    Nenhum dos dois lado admitirá que houve crime kkkkkkk. Você acha?

Humberto Luiz Lima de Oliveira em 28/04/2018 - 16h38 comentou:

Ao tempo em que a gente pode se sentir entristecido por esta convicção com provas que é a discrepãncia na aplicação da Justiça, por outro lado, esta visível aberração de uma indignação seletiva, de um punitivismo deslavado que é usado para fingir uma “moralização”, vem servir para lembrar aos ingênuos (reais e fingidos) que é a política que determina a justiça,no caso brasileiro. Uma política que se tornou partido não legalizado mas legitimado pela grande mídia.

Responder

João Junior em 29/04/2018 - 00h20 comentou:

– Por que esses paralelos não interessam à mídia comercial na hora de tentar desfazer a tese da blindagem tucana?

– Por que o jornalixo de direita é de direita?

Responder

sergio carlos Francisco em 30/04/2018 - 03h51 comentou:

Ah esses “santos” Tucanos!!!

Responder

Sergio em 30/04/2018 - 10h49 comentou:

Cynara, mas o que vem aí pela frente será isso mesmo! Aécio será preso e mais uns dois tucanos. Temer e mais uns dois mdebistas também. Alguns do PP também serão presos. E aí, eles dirão: “Limpamos” a política! E nivelarão todos os mal feitos desses sujeitos com os de Lula. É patético? Sim! Mas, é o que acontecerá. E em um país, “semianalfabeto”, politicamente escrevendo, o povo se sentirá feliz! Globalmente feliz! rsrs

Com já escrevi outra vezes, desgraçadamente o que há é uma radicalização de um lado e do outro: Ou se que quer criminalizar a política ou politizar a corrupção.

Responder

José Tarcísio Furtado Arruda em 03/05/2018 - 17h24 comentou:

JUSTIÇA POLITIZADA
Neste país por pulhas dominado
Com provas falsas se condena e prende,
E o mundo que se diz civilizado
Além de se espantar, nem mesmo entende

Como a Justiça faz tanta injustiça,
Fugindo às leis duma Constituinte,
Tal qual se um padre no sermão da missa
Negasse Deus ao seu rebanho ouvinte.

Certos togados quando estão em cena,
Se o réu de esquerda for duplica a pena,
Num processo anormal e antecipado;

Se de direita, quando não prescreve,
A pena é reduzida e fica leve
Se o verbo deletar for conjugado!
Tarcísio Arruda
03/05/18

Responder

biAhweRTher em 22/05/2018 - 19h57 comentou:

A parte o fato de tucanos serem poupados,
estou tentando entender como pode a blogueira ir para o google buscar uma imagem de crime ambiental para ilustrar seu texto, desqualificando uma causa que deveria ser da esquerda, fazendo piada do tráfico de animais silvestres.
Essa imagem é de um resgate de animais silvestres pela Polícia Ambiental em Umuarama.

Responder

    Cynara Menezes em 23/05/2018 - 14h51 comentou:

    a imagem é apenas uma ironia com o fato de que apenas o tucano ave é engaiolado. o político tucano nunca

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Direitos Humanos

STF proíbe conduções coercitivas (mas só depois que a Lava-Jato humilhou Lula e Marisa)


Embora o ex-presidente nunca tenha se negado a depor, o juiz Sérgio Moro ordenou a condução coercitiva do petista em março de 2016

Politik

Temer ganhou, mas será que levou?


O número alcançado pelo Palácio do Planalto não é suficiente para aprovar a "reforma" previdenciária, que precisa de 308 votos favoráveis. O momento parece propício para a oposição chamar o povo às ruas