Socialista Morena
Direitos Humanos, Maconha

Presidentes dos EUA que fumaram maconha

A maconha, tida como coisa de "loser", perdedor, vagabundo, foi usada, na juventude, por vários presidentes do país mais poderoso do mundo

O jovem Barry Obama fumando... cigarro
Cynara Menezes
06 de maio de 2013, 23h20

No Brasil dos anos 1970, circulava uma versão de Eu Te Amo, Meu Brasil, a canção ufanista de Dom e Ravel que foi uma espécie de hino da ditadura militar, dizendo assim: “Maconha no Brasil foi liberada, lálálálá. Até o presidente já fumou…” Imaginem se algum daqueles generais iria admitir ter experimentado fumar um baseado! Mas mais ou menos na mesma época, em 1971, o jornal underground The Chicago Seed publicou um artigo bombástico: nada menos que sete presidentes dos Estados Unidos até então teriam fumado maconha. As informações eram atribuídas a um certo “Dr. Burke”:

Presidentes e maconha

Fumar maconha é bastante popular nos EUA hoje em dia, mas poucas pessoas sabem que a erva já foi tão popular no país que sete presidentes a usaram.

Dr. Burke, presidente da American Historical Reference Society e consultor do Smithsonian Institute, incluiu os seguintes presidentes como usuários de maconha: George Washington, Thomas Jefferson, James Madison, James Monroe, Andrew Jackson, Zachary Taylor e Franklin Pierce.

A maconha era comum entre os plantadores de tabaco. Quando ela era misturada com o fumo, causava um leve efeito entorpecente. As folhas e resina (haxixe) eram usadas para temperar a comida e como remédio. Antes da Guerra Civil Americana, a maconha era usada para curar insônia, impotência e sobretudo como calmante.

“Antigas cartas de nossos primeiros presidentes se referem frequentemente aos prazeres de fumar maconha”, diz o dr. Burke. Existem inclusive referências históricas. Nunca houve interesse comercial sobre a maconha porque a planta era fácil de cultivar.

George Washington, James Madison e Thomas Jefferson cultivaram maconha em suas fazendas. George Washington disse preferir um bom cachimbo “de folhas de cannabis” a qualquer bebida alcoólica. Jefferson e Washington trocaram correspondência sobre as virtudes de fumar maconha e trocaram também diferentes qualidades de erva como um gesto de amizade.

Certa vez, James Madison declarou que, não fosse pela maconha, não teria os insights que teve na tarefa de criar uma nova e democrática nação. James Monroe, criador da Doutrina Monroe, fumava tanto maconha quanto haxixe. Madison trouxe o hábito de fumar haxixe da França, e continuou fumando até os 73 anos.

Pierce, Taylor e Jackson, todos militares, fumaram maconha com suas tropas. Assim como é hoje popular fumar maconha no Vietnã, na época da Guerra Mexicana era duas vezes mais comum entre nossos soldados. Pierce escreveu à família que a maconha era a única coisa boa a respeito da guerra.

***

A internet só iria existir décadas depois, mas o artigo se espalhou como fagulha no mato seco. O caso foi levado às autoridades de saúde e até à comissão do Congresso norte-americano que investigava o uso de drogas. Mas o instituto Smithsonian desmentiu que existisse um “dr. Burke” no seu quadro de consultores e a notícia foi dada como “hoax”, um boato. A suspeita de que alguns dos primeiros presidentes norte-americanos fumaram maconha, porém, permaneceu.

O que se sabe, como fato, é que vários deles realmente plantaram maconha em suas fazendas. George Washington sabia até mesmo como transformar as plantas macho, que não possuem THC suficiente para dar “barato”, em fêmeas, que possuem –isto está documentado. Será que era para fumar? Ou era só para plantar, já que as fêmeas também produzem sementes?

Mistério. Mas desde esta época, outros presidentes norte-americanos admitiram, sim, ter experimentado a maconha, a começar por Bill Clinton, que fez a mais patética revelação sobre baseados de que se tem notícia: “Fumei, mas não traguei”. Como seu amigo Fernando Henrique Cardoso, que afirmou ter apenas “sentido o odor” uma vez, embora, no passado, tenha perdido uma eleição por admitir que experimentou. (Hoje FHC é a favor da descriminalização da erva.)

George W.Bush também foi flagrado em uma conversa gravada admitindo ter usado maconha. “Eu não responderia questões sobre a maconha, sabe por quê? Não quero crianças pequenas fazendo o que eu fiz”, disse. Na fita, Bush faz gozação com o rival Al Gore por ter dito publicamente, na campanha de 2000, que fumou maconha. Mas seu sucessor, Barack Obama, é, sem dúvida, o mais bem resolvido dos presidentes norte-americanos em relação ao “pot” (gíria para maconha). “Fumei quando era garoto”, disse Obama, ainda senador, em 2006.

São frequentes as piadas sobre o presidente dos EUA e o uso de maconha. Ano passado, o ator Arnold Schwarzenegger reclamou que  a história de que ele e Obama fumaram baseado juntos nos anos 1970 era “a pior mentira” que já ouviu. Mesmo porque… “Ele não passava o baseado!”, riu o ex-governador da Califórnia.

Arnold mutcho loco

No livro Barack Obama: The Story, lançado em 2012, o biógrafo David Maraniss conta detalhes da vida de maconheiro de “Barry” no Havaí. Consta que sua turma, que se denominava Choom Gang (“choom” é um verbo que significa “fumar maconha”), tinha até uma kombi onde a regra era fazer sauninha: fumar dentro com o vidro fechado. E Schwarzenegger aparentemente sabe do que está falando, porque Barry tinha a mania de pular a fila do beck antes de sua vez, gritando: “Interceptado!”

Maraniss descreve Obama como um profissa do baseado. Ele seria, inclusive, conhecido como o inventor de uma técnica chamada TA (Total Absorção), que consistia em exalar o mínimo possível de fumaça. “Quando você estava com Barry e seus amigos, se você exalasse o precioso pakalolo (gíria havaiana para maconha que significa ‘fumo entorpecente’) em vez de absorvê-lo inteiramente em seus pulmões, recebia uma penalidade e perdia seu turno na próxima vez que o baseado passasse na roda”, escreveu Maraniss.

Com as recentes flexibilizações sobre uso da maconha nos EUA, que já é permitida para uso medicinal em vários Estados e também para uso recreativo em dois (Washington e Colorado), o presidente parece cada vez mais relaxado em tratar do tema. Há duas semanas, ele mesmo fez piada sobre o velho hábito de fumar baseados durante o tradicional jantar com os correspondentes estrangeiros na Casa Branca. “Eu lembro quando BuzzFeed era apenas algo que eu fazia na faculdade por volta das 2 da madrugada”, disse Obama, fazendo um trocadilho entre o popular site de notícias e a larica, a fome que dá depois de fumar maconha. Gargalhadas gerais. Veja:

Não é mesmo hilário que a maconha, tida por muitos como coisa de “loser”, perdedor, vagabundo, tenha sido usada, na juventude, por vários presidentes do país mais poderoso do mundo? Tanto liberais quanto conservadores, diga-se de passagem. Trata-se, sem dúvida, de um bom paradigma para mudar conceitos em relação ao uso recreativo da erva. Ou seriam preconceitos?


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(7) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Rafael em 07/05/2013 - 13h17 comentou:

Até que enfim uma matéria interessante, não uma esquerdice insana. De fato é hipocrisia a criminalização desta droga (maconha) e a legalização daquela (álcool, por exemplo). Fora os custos absurdos e a quantidade de mortos na (já perdida) guerra contra as drogas.

Responder

    Chulé em 14/09/2017 - 13h16 comentou:

    Vc poderia estabelecer a relação que encontrou entre a esquerda e o artigo por favor ?

Aline em 07/05/2013 - 13h17 comentou:

Para mim maconha ainda é um tabu, mas reconheço que se trata de um preconceito e, como tal, não tem embasamento racional, é um ranço que ficou da educação recebida em escola católica. Acho que permanecerei careta, mas procuro me informar ao máximo sobre o assunto para não deixar minha caretice afetar a liberdade individual das pessoas. Sobre o assunto, acho interessante o texto de Túlio Vianna, que pode ser lido neste link: http://tuliovianna.org/2011/05/29/legalizar-a-mac

Responder

Marcos em 09/05/2013 - 15h07 comentou:

Boa, Cynara! Gostei demais do texto e da foto que o acompanha…

Pena que, depois de tudo, Barry virou um marionete dos donos do mundo. Lamentável!

Responder

Jair bolsonaro em 23/08/2017 - 05h20 comentou:

Bolsonaro 2018 mas eu fumava maconha na adolescência ta ok.

Responder

José de Oliveira Luiz em 31/05/2019 - 10h16 comentou:

Se você pensa que Canabis é droga,
Canabis não é droga não,
Canabis nasce no quintal e drogas lá na drogaria.
Pode me chamar de bonconheiro,
isso até acho graça.
Só não quero ser medicado
e muito menos ser criminado.
Não sou doente nem criminoso.
Vê se te toca
E se a fumaça que não vês te incomoda, desliga motor do carro e não faz churrasco.
Cantar com a música de Você pensa que cachaça é água.

Responder

José de Oliveira Luiz em 31/05/2019 - 10h18 comentou:

Ver meu vídeo no YouTube
” Memória de Gari Cannabis “

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Novo presidente de Cuba denuncia na ONU prisão política de Lula


Discurso de Miguel Díaz-Canel veio um dia depois que líderes mundiais deram gargalhadas de Trump por se gabar de suas "conquistas"

Politik

Para atingir Maduro, Trump dificulta viagem de coxinhas venezuelanos a Miami


Presidente dos EUA inclui Venezuela em sua "lista negra" afirmando que o foco das restrições serão os funcionários do governo, mas medida atinge todos os cidadãos do país