Socialista Morena
Direitos Humanos

Professor fere estudante em “aula de segurança” defendida por Trump

Pai do estudante ferido disse que o incidente mudou sua visão sobre a proposta de Trump de armar professores

Montagem: The Onion
Da Redação
15 de março de 2018, 12h29

Deu na CNN: um professor feriu acidentalmente um estudante de 17 anos enquanto dava uma “aula de segurança” na Seaside High School, na Califórnia. Dennis Alexander, que é prefeito da cidade e oficial de reserva do Departamento de Polícia da cidade, apontou a arma para o alto e sem querer a disparou. O estudante foi ferido superficialmente por fragmentos da bala ou do teto da sala, segundo o chefe de polícia.

As autoridades se perguntam por que um professor apontaria uma arma carregada para o teto na frente de estudantes. Seguramente é efeito do “conselho” dado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, para que professores sejam treinados para atirar e recebam bônus por isso. A sugestão veio da National Riffle Association, que patrocinou a campanha de Trump com 30 milhões de dólares.

Pelo menos 500 pessoas morrem todos os anos nos EUA feridos acidentalmente por armas de fogo, boa parte delas crianças. Segundo um estudo publicado em 2017, a cada ano mais de 5 mil crianças norte-americanas recebem tratamento de emergência por algum ferimento a bala

O pai do estudante ferido, Fermin Gonzales, disse que o incidente mudou sua visão sobre a proposta de Trump de armar professores. “Eu estava inclinado a apoiar pessoas armadas em escolas. Depois de hoje, entendo por que as pessoas dizem que não deveria haver armas nas escolas. Se houver um acidente, pessoas podem morrer”, afirmou.

À parte as chacinas que já colocaram Trump como campeão em número de massacres, pelo menos 500 pessoas morrem todos os anos nos EUA feridos acidentalmente por armas de fogo, boa parte delas crianças. Segundo um estudo publicado em junho do ano passado pela revista Pediatrics, a cada ano mais de 5 mil crianças norte-americanas recebem tratamento de emergência por algum ferimento a bala. Cerca de 21% dos casos são acidentais.

Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Marcelo em 19/03/2018 - 07h50 comentou:

O Senhor Donald Trump a cada dia, com as suas diatribes, abala as relações sociais.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

56% dos homens dos EUA acham que o machismo acabou; 63% das mulheres discordam…


Há alguns dados sobre as diferenças de gênero que são impossíveis de contestar: os homens ganham mais que as mulheres, ocupando cargo idêntico, sem nenhuma justificativa; as mulheres são o principal alvo da violência doméstica…

Direitos Humanos

Em um ano, defensor das armas Donald Trump vira recordista de massacres


Presidente de direita já é o mais sangrento da História: dois dos cinco atentados a bala mais mortais aconteceram desde que ele tomou posse