Socialista Morena
Cultura

Quando a senhora vai receber os índios no Palácio, presidenta Dilma?

Publiquei este texto no início do mês. Acho que agora é um momento importante para trazê-lo à tona de volta. No poder, o PT se distanciou de suas bandeiras (escrevi sobre isso aqui). A voz das ruas mostrou que é preciso resgatá-las. Daria, aliás, um ótimo cartaz nas manifestações: “Dilma, receba os índios!” ••• Por […]

Cynara Menezes
26 de junho de 2013, 12h00

(o filho do índio terena Oziel Gabriel, morto no Mato Grosso do Sul pela Polícia Federal no último dia 30 de maio)

Publiquei este texto no início do mês. Acho que agora é um momento importante para trazê-lo à tona de volta. No poder, o PT se distanciou de suas bandeiras (escrevi sobre isso aqui). A voz das ruas mostrou que é preciso resgatá-las. Daria, aliás, um ótimo cartaz nas manifestações: “Dilma, receba os índios!”

•••

Por Cleber César Buzatto, no Brasil de Fato

É público e notório o fato de que os povos indígenas vivem, no Brasil, o momento mais difícil, de maior ataque e violação aos seus direitos, desde o período da ditadura militar. A agenda oficial da presidenta Dilma Rousseff, passados mais de dois anos de seu mandato, considerando de forma particular o mês de maio de 2013, nos oferece um qualificado indicativo para entendermos o grau de envolvimento do governo brasileiro na conjuntura político indigenista e agrária no Brasil. Neste sentido, julgamos importante citar alguns dos compromissos oficiais da presidenta, neste mês,  que consideramos intimamente vinculados ao tema.

No dia 03 de maio, Dilma participou da abertura oficial da Exposição de Gado Zebu, a Expozebu, em Uberaba, Minas Gerais (MG). Na ocasião, Pelé, “embaixador” da campanha do Time AgroBrasil, promovida pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e Sebrae, entregou à presidenta da República o título de sócio nº 20.000 da Associação Brasileira de Gado Zebu. Ao lado de Pelé e Dilma, dentre outros, estava a presidente da CNA, senadora Kátia Abreu (PSD/TO), representante máxima do ruralismo anti-indígena no Brasil.

No dia 08 de maio, a presidenta se reuniu com a Ministra da Casa Civil, Gleise Hoffmann. A audiência ocorreu momentos após a Ministra ter prometido, à bancada ruralista e a uma claque de latifundiários representantes de sindicatos vinculados à CNA, em audiência na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados, que o governo suspenderia procedimentos de demarcação de terras indígenas, com base em estudos da Embrapa, e mudaria o procedimento de reconhecimento e demarcação destas terras. A mesma ministra voltou a prometer suspensão de demarcações a políticos e “produtores” rurais do estado do Rio Grande do Sul (RS) no dia 23 de maio – no seu estado natal, o Paraná, a suspensão de demarcações foi solicitada ao Ministério da Justiça no dia 07 de maio.

Ainda no dia 08 de maio, a presidenta esteve reunida, no Palácio do Planalto, com Fábio Barbosa, presidente-executivo do Grupo Abril S/A. Não custa lembrar que o Grupo Abril S/A controla, dentre outros veículos de comunicação, a revista Veja, histórica defensora das teses do agronegócio, aliada de primeira hora da ditadura militar e violenta algoz dos povos indígenas, entidades indigenistas e movimentos sociais do campo no Brasil.

Na agenda oficial consta ainda que, no dia 20 de maio, Dilma visitou a Associação de Fornecedores de Cana de Pernambuco, em Recife, e que, no dia 28 de maio, recebeu, em audiência particular, no Palácio do Planalto, a presidente da CNA, senadora Kátia Abreu (segundo encontro em menos de um mês).

(a senadora Kátia Abreu, da CNA, é recebida por Dilma no Planalto, um dia antes de o índio Terena ser morto)

Há mais de dois anos, representantes dos 305 povos indígenas do Brasil pedem uma audiência com Dilma Rousseff. Em abril, cerca de 700 representantes destes povos chegaram a ocupar a parte externa do Palácio do Planalto cobrando uma conversa com Dilma. Até o momento, no entanto, a presidenta não encontrou tempo em sua agenda para qualquer reunião oficial com os líderes indígenas. No entanto, como podemos ver acima, em menos de um mês, Dilma dedicou seu tempo de presidenta da República para, ao menos, cinco agendas oficiais com o agronegócio e seus representantes políticos. Representantes estes responsáveis por dezenas de instrumentos de ataque aos direitos dos povos indígenas previstos na Constituição Brasileira, a exemplo das Propostas de Emendas Constitucionais (PECs) 215/00, 038/99 e 237/13 e do Projeto de Lei (PL) 1610/96.

Há mais de dois anos, os Guarani e Kaiowá, do Mato Grosso do Sul (MS), tentam, sem sucesso, serem ouvidos por Dilma. Em menos de um mês, Dilma reservou tempo para falar cinco vezes com porta-vozes dos invasores das terras tradicionais deste povo. Vale ressaltar que a invasão das terras indígenas por latifundiários foi a causa central das 852 mortes violentas de indígenas no Mato Grosso do Sul, nos últimos 10 anos, dentre elas as de Nísio Gomes, do tekoha Guaiviry, em novembro de 2011, de Eduardo Pires, do tekoha Arroio Kora, em agosto de 2012, e a do jovem Denilson Barbora, da aldeia Te’Yikue, em janeiro de 2013.

Dilma parece nem cogitar a possibilidade de usar parte de seu tempo de presidenta da República para sair do Palácio e falar com os povos na ocupação do canteiro de obras da UHE Belo Monte, em Altamira (PA), que pedem para serem ouvidos acerca de decisões que dizem respeito à sua existência futura enquanto povos. Mas Dilma reservou tempo suficiente, neste mês de maio, para visitar, falar e ouvir os donos de gado zebu, em Uberaba (MG), e os donos de canaviais, em Pernambuco.

Em mais de dois anos de mandato, Dilma ainda não falou com os povos indígenas. Ela foi a única presidente desde a época da ditadura a não recebê-los. No entanto, em menos de um mês, ela teve tempo para falar, pelo menos, cinco vezes com seus algozes. A agenda da presidenta Dilma revela a opção do governo.

Cleber César Buzatto é secretário-executivo do Cimi (Conselho Indigenista Missionário)


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(13) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Aline em 03/06/2013 - 19h42 comentou:

A meu ver é o ponto mais baixo do governo Dilma: a omissão diante dos problemas enfrentados pelos povos indígenas e diante dos avanços das bancadas ruralista e evangélica. Numa pesquisa realizada por este blog, sobre o que faltava para que o governo Dilma fosse verdadeiramente de esquerda, eu já havia comentado sobre a questão dos povos indígenas.

Responder

Rafael em 04/06/2013 - 15h48 comentou:

Foi o judiciário que impediu a homologação das terras demarcadas para esses indígenas desde 2001. As fotos e vídeos mostram o enorme contingente de brucutus da Polícia Militar do Estado de MS que foi pra cima dos manifestantes. Agora, toda a imprensa, inclusive aquela que se diz Brasil de Fato e Socialista Morena, descarrega tudo no Governo Federal, travado pelo Judiciário desde sempre.

Responder

Ariel em 05/06/2013 - 17h45 comentou:

Dilma na questão de Direitos Humanos é um FRACASSO TOTAL.

OU sucesso. Não sabemos de que lado ela está!

Responder

Denis em 06/06/2013 - 19h30 comentou:

concordo!.. Os indios, acima de tudo sao nossos irmaos.. temos que reconhecer-la, temos que apoiar-los e respeitar-los…

Responder

Anônimo em 15/06/2013 - 17h43 comentou:

Por que no texto Dilma é presidenta e Kátia Abreu é presidente?

Responder

Ricardo em 25/06/2013 - 15h42 comentou:

É estranho ver apoio de socialistas a um governo que se destaca justamente na área econômica… Acho que a questão dos direitos humanos – ignorar índios e ribeirinhos por exemplo – reflete bem quais as diretrizes deste governo… "Mas uma economia voltada para o conjunto da nação" Será mesmo? Entre um passo a frente e outro pra trás, a verdade é que o país não saiu do lugar. O que houve foi uma "melhora" do populismo junto a cegueira que o consumismo trouxe. Até se inverter essa lógica governista de perder os anéis e os dedos para tal "governabilidade" todos os índios já estarão extintos, seja por genocídio ou políticas de negação de sus culturas… E não vamos falar dos milhões que vivem nas periferias – aumentadas AINDA pelo êxodo rural – em estado de privação, uma nação de zumbis.
Algumas críticas estão vindo agora, porque este governo está "pela hora da morte" como provedor da cidadania. Pode até ser que o Brasil seja uma "empresa lucrativa", mas e aí, até quando?

Responder

    Tania em 30/06/2013 - 16h05 comentou:

    Concordo plenamente Ricardo.

Marcos em 27/06/2013 - 15h19 comentou:

A Carta do MPL em Salvador falou desta questão… Ainda falta o Manifesto: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhe

Responder

Oswaldo em 28/06/2013 - 02h29 comentou:

Cynara, você percebeu a mudança radical na agenda da presidência? Essa semana ela recebeu:

1) Movimento Passe Livre
2) Movimentos Urbanos
3) Centrais Sindicais (num encontro que incluiu representantes do MST)
4) Movimentos da Juventude
5) Movimentos GLBT

De fato, você tem razão: falta receber lideranças indígenas. Mas as coisas ainda estão acontecendo.
E também é fato é que essa mudança de uma agenda 100% tecnocrata para uma agenda 100% política não se deu por acaso. Muito menos deve-se ao caráter "espontâneo" e "apartidário" que insistem em atribuir às demandas das manifestações.

Uma curiosidade: você já viu a convocação misteriosa para uma "Greve contra a corrupção no Brasil" prometendo "parar o país" no dia 1º de julho? Nenhum movimento social (inclusive destes que eu listei acima) é o autor da convocação. Entretanto ela tem se espalhado de forma impressionante. Há pessoas que não participaram de manifestação alguma até agora e estão dispostas a participar dessa "Greve geral contra a corrupção", estão animadas com a ideia de "parar o Brasil", embora não saibam responder a origem do convite.

Responder

Tania em 30/06/2013 - 16h04 comentou:

Realmente! este governo não tem mais salvação! Tenho dito que o PT, na sanha pelo poder, deixou de lado todas as suas bandeiras, se é que um dia as teve de verdade. Kátia Abreu e Dilma Roussef! Francamente! Não podemos mesmo ficar calados diante dessa demonstração de descaso com os problemas das minorias. A propriedade privada neste país está ameaçada. Embora este governo fale em função social da propriedade não é isto que temos visto. Pois constantemente é o contrário que acontece. A propriedade outrora ocupada por famílias, minorias sociais como os indígenas e os pobres enxotados de suas casas que se encontram nas chamadas "áreas de interesse social", são destituídas de suas moradias para dar lugar a obras faraônicas para a copa, ou para dar lugar a sanha gananciosa do agronegócio e de seus representantes maiores – vide Kátia Abreu. O que quero dizer aqui, é que o povo precisa acordar, e ver que essa lorota da terra cumprir sua função social, não tem acontecido, ou tem acontecido, mas no inverso da história, ou seja, para atender interesses de uma minoria que detém o agronegócio, ou as empreiteiras que mandam e desmandam nas áreas, fazendo com que as áreas atinjam um supervalorização imobiliária. Hoje em dia, temos visto promotores e juízes agirem em favor de grandes capitalistas, expulsando pessoas pobres de suas casas, retirando o direito à propriedade privada, garantido na constituição, para atender esta ou aquela Lei esdrúxula de função social da propriedade. O povo brasileiro precisa ter seu direito a moradia e posse de seu território garantido de fato, e não camuflado sob uma lei que ao ser aplicada, se torna maior do que o seu direito de ter seu lar, sua casa, seu território. É o fim.

Responder

lana duarte em 05/07/2013 - 15h46 comentou:

Também acho que esse país em relação aos índios táa uma vergonha…porque tanto preconceito?Ainda não entendo são seres humanos igual agente.Triste realidade!

Responder

Anderson em 15/07/2013 - 23h33 comentou:

Morena,

Leia aterradora entrevista com cientista da UFMT sobre o agronegocio no Brasil:
http://www.viomundo.com.br/entrevistas/wanderlei-

Um adendo a informação prestada na ultima ou penultima resposta da entrevista acima, quando o bravo cientista comenta sobre o minguado apoio( 10 mil reais) ao pequeno agricultor se comparado aos milhoes dedicados ao grande que se curva ao agronegocio: o pequeno é obrigado a consumir transgenicos e agrotoxicos para receber estes 10 mil !!!! Resultado do nefasto lobby promovido por escroques como katia abreu, em defesa dos interesses economicos(tudo pelo lucro!) monstrengos como Monsanto, Syngenta, Dow, Basf, Pepsico, Coke entre outras. por conta deste lobby o Brasil é o maio consumidor de agrotoxicos do mundo! Bilhoes de litros anuais!
Somos todos envenenados por conta deste lobby! alimentos, pessoas, bichos, terra, ar, manancias!
E os fabricantes de venenos tambem fabricam remédios! uma industria da morte! Destruição de florestas, envenenamento de bacias hidrograficas, esmagamento de familias campesinas (3 mil escolas foram fechadas no campo ano passado!) povos da floresta, quilombolas!
A SOLUÇÃO: APOIO MASSIVO A AGROECOLOGIA!!! Hoje sem apoio algum do governo!

Dia destes Carta Capital publicou no website texto dúbio sobre agronegocio, tentou criticar, mas acabou louvando, com certo cinismo. E não deixaram um comentario meu passar, como quase sempre fazem.
Site Carta MAior, progressista por vezes, pouco publica sobre agronegocio. Silencio similar diante de alianças com maluf, sarney, temmer, katia abreu e outros vermes.

Este país foi esmagado por 2 ditaduras fascistas, desde então 600 famílias(representadas pelas 8 da TV aberta)
dominam este país amparadas pela endemica corrupção.

"O Veneno esta na Mesa"
http://www.youtube.com/watch?v=8RVAgD44AGg

"Mundo Segundo a Monsanto"
http://www.youtube.com/watch?v=gE_yIfkR88M&fe

Responder

Ali em 08/08/2013 - 21h52 comentou:

PresidentE.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cyberia

Resultado da enquete: o que Dilma precisa fazer para seu governo ser de esquerda?


O que Dilma precisa fazer para que seu governo seja efetivamente de esquerda?, eu perguntei. Os leitores do blog responderam: muito. Falta reforma agrária, falta imposto sobre as grandes fortunas, falta se desvincular dos setores…

Vídeos

A infância roubada das crianças Guarani-Kaiowá


Documentário Guarani-Kaiowás Ivy Poty – Flores da Terra joga luz sobre a infância e a juventude deste povo indígena massacrado pela ganância do homem branco