Socialista Morena
Cultura

Sicko – S.O.S. Saúde, de Michael Moore

Nos EUA, se você não tem dinheiro para pagar pela assistência médica, podem abandoná-lo na sarjeta no meio do tratamento

Cynara Menezes
11 de março de 2013, 18h54

Você que critica o SUS (Sistema Único de Saúde), muitas vezes sem nem usá-lo, acha que temos a pior saúde pública do mundo, não é? Isso é porque você não conhece o sistema que funciona no “país perfeito” dos capitalistas: os EUA. Lá, se você não tem dinheiro para pagar pela assistência médica, podem abandoná-lo na sarjeta no meio do tratamento. Exagero? Assistam Sicko (2007), o documentário de Michael Moore sobre o excludente sistema de saúde norte-americano.

Nos últimos 20 anos, o cineasta Michael Moore vem se especializando em mostrar as falhas do capitalismo –as sórdidas, deprimentes falhas de um sistema que, diante dos equívocos do socialismo real, tenta-se vender ao mundo como “o melhor”. Neste documentário, Moore prova que o sistema de saúde de seu país não só cedeu ao lobby dos planos de saúde privados como nem sequer é fiscalizado pelas autoridades, permitindo crueldades absurdas para um país “rico”.

E não melhorou com a reforma anunciada aos quatro ventos pelo presidente Barack Obama, dois anos atrás. Segundo Moore, mesmo com a reforma, as empresas privadas ainda estão no comando da saúde nos EUA. No documentário, o cineasta mostra como a saúde norte-americana é pior do que a britânica e muito pior do que a de… Cuba. Vejam com seus próprios olhos. O filme está completo, com legendas em português.


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(14) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Liza Polito Ayub em 11/03/2013 - 19h21 comentou:

Este documentário é sensacional. Obrigada por compartilhá-lo com seus leitores, Cynara.

Responder

pedro borges em 11/03/2013 - 19h53 comentou:

sou usuário do sus. no que me diz respeito, o atendimento é péssimo. fui durante muitos anos, muitos mesmo, cliente de convênios médicos. n oque me diz respeito, o atendimento também é péssimo, pouca coisa melhor que o sus, mas nos convênios pagamos ainda mais que pelo sus (dizer que não pagamos pelo sus é ingenuidade). comparar convênio com sus, sistema público de saúde com sistema privado estadunidense é comparar o péssimo com o ainda pior.

Responder

    Alexandre em 12/03/2013 - 05h00 comentou:

    O meu pai, diabético em hemodiálise, foi usuário do SNS (Sistema Nacional de Saúde em PORTUGAL) onde recebia o tratamento "gratuitamente". Claro que pagávamos com nossos impostos, mas esses são trocado em comparação com o custo real das máquinas e pessoal assistente.
    Por quê eu conto a história do meu pai em Portugal? Porque nós nos mudamos para o Brasil e ele continua recebendo o MESMO tratamento (com máquinas menos modernas, mas que fazem o mesmo trabalho). Logo, o SUS, funciona sim e o atendimento é bom.
    O problema do SUS é não ser financiado o suficiente para atender tanta gente, mas isso, entre outros fatores, se deve às muitas doenças que os brasileiros contraem por serem mal nutridos (porque são pobres) ou ferimentos porque o país é muito violento.

    Arthur em 17/03/2013 - 05h05 comentou:

    Aonde vocês moram no Brasil? O SUS ser ruim não quer dizer que todas as suas unidades são ruins, sem exceção. Apenas a maior parte.

    As doenças dos brasileiros não se resumem à subnutrição, dado que o EXCESSO de gorduras e doces (como a Diabetes) estão entre os principais problemas de saúde do Brasil. Tampouco todos os lugares do país são violentos e milhares de pessoas entram em hospitais com um tiro no peito.

vinncent em 12/03/2013 - 04h15 comentou:

Eu sou Americano. É a verdade. Imagina essa historia aqui. Logo depois que nós formamos, um amigo meu foi atropelado por um carro enquanto ele andava de bicicleta. Ele acorda, no meio da rua, sangrando violentamente, e uma ambulância estava chegando. Mas, ele não ia morrer (ou lhe parecia que não ia morrer) e ele não tinha um plano de saude. E nem trabalho nem dinheiro – 23 anos. Por tanto ele decide se recusar da ambulância – se ele fossa para o hospital ia ser muito, muito caro, 5, 10, 15 mil dolares, ou muito mais. Ele simplesmente andou para casa, mancando, tomou um banho e dormiu. Claro que isso é muito perigoso. Mas evitou custos. mas SÓ QUE NÃO. Uma semana depois, chega a conta. 2 mil dolares pela ambulância. 2,000! E ele nem tinha ligado. Mas teve que pagar. Mas, sem dinheiro, deu calote, e isso quebrou o 'credit' dele significando que vai ser muito dificil para ele comprar casa ou carro. Enfim. É a verdade

Responder

    Alan em 12/03/2013 - 04h29 comentou:

    Que historia…. rs. Já escutei outras críticas ao sistema americano e essa me impressionou .

Rafael Leal em 12/03/2013 - 13h32 comentou:

De um lado, a indústria alimentícia americana cuida para que os habitantes do país continuem batendo recordes de percentuais de obesidade entre os países industrializados (70% dos americanos são considerados como acima do peso. e 45% já são considerados obesos mórbidos, um absurdo). Do outro, o sistema de saúde americano, inteiramente privado em seus planos de saúdes e centros médicos, se beneficia com toda a carga de problemas de saúde que vem junta com a obesidade que vitimiza tantos americanos, lucrandos bilhões de dólares com o exército de doentes criados pela cultura fast food do país. Ou seja, o capitalismo yankee chegou a um tal nível de sofisticação que se dá ao direito de aplicar em seus habitantes o mesmo princípio de engorda que reserva a animais de abate, tudo em nome do lucro fácil e constante.

Responder

Garoto do Brazil em 13/03/2013 - 00h40 comentou:

Olha, eu não sei onde vocês vivem, mas tenho que discordar. O SUS faz até bem seu papel quando é pra combater dedo cortado e gripe de nenê, mas saindo disso o sistema é bagunçado, lento e, para complicar, corrupto (alô, dedos de silicone!).

Eu mesmo aqui em São Paulo tive que esperar uns 6 meses para conseguir marcar um raio duma consulta oftalmológica, que no fim caiu praticamente às vésperas do Natal, de manhãzinha, numa clínica quase do outro lado da cidade para mim… preferi não ir e pagar uma consulta particular depois.

Não confio nos números cubanos. Como dados médicos, são excelentes armas de propaganda: não me consta de américo-cubanos voltando pra ilha dos Castro para ter tratamento. E, na média, quem tem a melhor assistência médica e expectativa de vida, as populações dos EUA ou do Brasil? Bom, acho que as evidências falam por si.

Ah, sim, o cultuado NHS britânico tem filas de espera também. Quem quiser tratamento rápido e para problemas que são considerados “estéticos” (isto é, boa parte da odontologia e cirurgia plástica) vai ter que pagar por fora.

Acho que o ideal seria um sistema privado de administração pública, como é o Medicare australiano.

Responder

Daniela Ferron em 14/03/2013 - 04h39 comentou:

Olá Cynara. Sempre leio seu blog mas é a primeira vez que comento.

Adorei o tema desse último post, porque estamos vivendo um momento em que é muito importante defendermos o nosso sistema de saúde pública. Embora o SUS realmente tenha um sub-financiamento que diminuiu em muito a qualidade que deveria ter, ele é nosso direito e garante o acesso a saúde gratuito para milhões de brasileiros.

Infelizmente, diversos empresas brasileiras de planos de saúde estão sendo compradas por multinacionais norte-americanas, que já praticam o canibalismo dos planos de saúde americanos a décadas, e chegam aqui no Brasil com a mesma intenção de lucrar com a saúde dos brasileiros a custa de cláusulas de doenças pré-existentes para negar atendimento, entre outras práticas abusivas e desumanas. O mais perigoso é que a presidente Dilma está se reunindo com essas empresas para negociar isenções fiscais e dotações orçamentárias paras as mesmas.

Isso é MUITO perigoso, é um ataque contra nosso sistema de saúde! PRECISAMOS DE MAIS INVESTIMENTOS NO SUS e não de DOAÇÕES E INCENTIVOS PRA PLANOS DE SAÚDE PRIVADOS E EMPRESAS AMERICANAS.

Se for possível, gostaria de divulgar o abaixo assinado CONTRA a Concessão de Renúncia de Impostos e Incentivos Fiscais, Dotações Orçamentárias e Extra-orçamentárias Públicas para Planos Privados de Saúde. O link é esse: http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2013N37108

É importantíssimo que nós brasileiros juntemos esforços para defender nosso sistema de saúde pública, e cobrar para que ele seja financiado devidamente e realmente atenda ao que está disposto em nossa Constituição: "SAÚDE É UM DIREITO DE TODOS E DEVER DO ESTADO".

Responder

André em 14/03/2013 - 17h38 comentou:

Obrigado, querida socialista morena! Acabei de ver o filme. Os EUA são realmente o supra-sumo do capitalismo.

Responder

Arthur em 17/03/2013 - 04h52 comentou:

Documentário sensacional. Obrigado por compartilhar conosco!

A Cynara em momento algum disse que o SUS é bom. É evidente que, mesmo com todo o sensacionalismo da mídia, o SUS é um Caos. Mesmo o sistema americano sendo pior que o nosso, não quer dizer que devemos parar de lutar por um sistema público de saúde de qualidade no Brasil!

Responder

Wendy em 19/03/2013 - 03h02 comentou:

Nosso SUS, com todas as suas mazelas, pelo menos dá um mínimo de atendimento. A ideia, a cultura, a noção de atendimento gratuito e universal existe na Constituição. Faltam recursos, mas é mais fácil de conseguir isso do que mudar a mentalidade do parlamento e do governo dos Estados Unidos. É o ápice do neoliberalismo – se virem, liberdade total, zero fiscalização, zero controle, só pelo mérito, quem pode, pode, quem não pode… morre! E ainda tem gente que diz "- veja bem, não é bem assim…" com relação a Cuba e com relação aos norte americanos. Tá.

Responder

Ana Izabel em 01/05/2013 - 19h33 comentou:

Acho engraçado muitos de nós vivermos reclamando das coisas e não fazendo nada para melhorá-las. Muitos não conhecem nem mesmo seus direitos, os programas que o governo oferece e só sabem criticá-los. Quem assistiu o documentário, viu muitos lá dizerem que tudo que foi conquistado por eles, se deveu a muita luta, a dar a cara a tapa, a movimentações. Se reclamar da boca pra fora resolvesse alguma coisa, já seriamos a maior potencia mundial, pois o que melhor sabemos fazer é reclamar da vida.
O SUS é sim o melhor sistema de saúde do mundo, atende a todas as necessidades do povo, e "de graça" (claro que com os impostos que pagamos).
É muito fácil colocarmos a culpa nos governantes, esquecendo que fomos nós mesmos que os colocamos lá e que poderíamos tirá-los a qualquer momento. E se não o fazemos é por que concordamos com o que está sendo feito. Não sabemos lutar devidamente pelos nossos direitos. O SUS na teoria é lindo, e só depende de nós torná-lo real. Isso irá acontecer assim que pararmos de pensar no "eu" e começarmos a pensar no "nós'' 😉

Responder

Carolina em 19/11/2013 - 13h42 comentou:

Documentário muito bom!

A grande verdade é que o SUS é bom, aliás, é ótimo! Como podemos ver através do documentário, contrastando com nossa realidade, a verdade é que o SUS é o único sistema de saúde que realmente tem o objetivo de ATENDER E AJUDAR A POPULAÇÃO.

O grande problema do SUS é a corrupção interna e a falta de investimento nesse sistema que tem tudo para ser realmente de 1º mundo.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Governo Temer inicia substituição de médicos cubanos por profissionais brasileiros


O apoio das entidades da classe médica ao golpe que arrancou do cargo Dilma Rousseff está sendo recompensado celeremente pelo governo ilegítimo de Michel Temer. O ministério da Saúde anunciou hoje que apenas profissionais brasileiros…

Feminismo

A médica holandesa que envia Cytotec pelo correio a grávidas com zika


Rebecca Gomperts se especializou em aborto cirúrgico e criou um barco para fazer aborto na costa de países onde a prática é ilegal