Socialista Morena
Politik

Surreal: Temer admite ter voado em avião de Joesley, mas diz que não sabia que era dele

Após a divulgação, pelo site de vazamentos Antagonista, de que uma viagem da família Temer aparecia nos diários de bordo do Learjet PR-JBS, jatinho pertencente ao delator premiado Joesley Batista, dono da JBS, o Palácio do Planalto soltou a nota mais surrealista destes tempos surrealistas: admite que Temer e Marcela de fato voaram em aeronave […]

(O então vice-presidente Temer em viagem a Portugal, em 2015. Foto: VPR)
Cynara Menezes
07 de junho de 2017, 15h18
(O então vice-presidente Temer em viagem a Portugal, em 2015. Foto: VPR)

(O então vice-presidente Temer em viagem a Portugal, em 2015. Foto: VPR)

Após a divulgação, pelo site de vazamentos Antagonista, de que uma viagem da família Temer aparecia nos diários de bordo do Learjet PR-JBS, jatinho pertencente ao delator premiado Joesley Batista, dono da JBS, o Palácio do Planalto soltou a nota mais surrealista destes tempos surrealistas: admite que Temer e Marcela de fato voaram em aeronave particular, sem pagar, até o paradisíaco resort Transamérica Comandatuba, na Bahia, mas que o então vice não sabia a quem pertencia o avião. A viagem, de ida e volta entre São Paulo e o resort, aconteceu em janeiro de 2011, quando ele era vice-presidente da República.

Na terça-feira, 6 de junho, confrontado com a informação, Temer negara a viagem e dissera ter voado em avião da FAB. O Planalto chegou a soltar uma primeira nota oficial com o desmentido: “O então vice-presidente Michel Temer não foi a Comandatuba em janeiro de 2011. Ele foi no mês de abril para compromisso com o grupo LIDE e utilizou aeronave da FAB para seu deslocamento. Michel Temer também usou avião da FAB para deslocamento a Porto Alegre, no mês de janeiro”, informou a assessoria do presidente.

Agora, o presidente aparentemente lembrou que voou até Comandatuba com a família num avião particular, mas continua a ter amnésia em relação ao dono dele. Detalhe: o prefixo do jatinho é PR-JBS, mas Temer nem desconfiou que pertencia à… JBS. Leia a nota do Palácio do Planalto:

“O então vice-presidente Michel Temer utilizou aeronave particular no dia 12 de janeiro de 2011 para levar sua família de São Paulo a Comandatuba, deslocando-se em seguida a Brasília, onde manteve agenda normal no gabinete. A família retornou a São Paulo no dia 14, usando o mesmo meio de transporte. O vice-presidente não sabia a quem pertencia a aeronave e não fez pagamento pelo serviço.”

As relações do presidente com o empresário estão sendo investigadas desde que, no último dia 7 de março, Temer manteve um encontro no meio da noite, no Jaburu, com Joesley Batista. O empresário gravou o presidente, que nada fez enquanto Joesley lhe contava ter subornado um procurador e dois juízes, o que lhe rendeu um pedido de impeachment por prevaricação da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Vai chover emenda: Janot denuncia Temer, Padilha, Moreira e ala presidiária do PMDB


Mesmo afirmando que uma quadrilha ocupou o poder no lugar de Dilma, o PGR apresentou parecer contrário ao pedido de anulação do impeachment feito pela presidenta eleita

Cultura

“Você não está só”: canção coloca Lula ao lado de Gandhi, Mandela, Rosa Parks…


Radicado nos EUA, brasileiro Daniel Téo cita ex-presidente preso em Curitiba entre as maiores vítimas de perseguições e violência da História