Socialista Morena
Feminismo, Politik

Uma xoxota para Barbie

Em janeiro deste ano, a Mattel, fabricante da Barbie, anunciou o lançamento de novas formas físicas da boneca, sempre criticada por servir como espelho de crianças ao mesmo tempo em que possuía um corpo irreal, inatingível. Agora tem Barbie mais cheinha, mais alta e mais baixinha. Assim, a boneca se aproximou dos seres humanos “normais”. […]

Cynara Menezes
08 de março de 2016, 15h08

pussyafrica

Em janeiro deste ano, a Mattel, fabricante da Barbie, anunciou o lançamento de novas formas físicas da boneca, sempre criticada por servir como espelho de crianças ao mesmo tempo em que possuía um corpo irreal, inatingível. Agora tem Barbie mais cheinha, mais alta e mais baixinha. Assim, a boneca se aproximou dos seres humanos “normais”. Mas e quanto à ausência de xoxota? Quando é que a Barbie vai ter xoxota?

A Barbie tem peitinhos e tem bunda. Mas, no lugar da vagina, a boneca não tem nada. Ali entre as pernas é um lugar reto, sem nem mesmo o partidinho no meio característico. Inspirada pela falta de xoxota da boneca, a artista plástica brasiliense Viviane Cardell criou uma série de Toy Pussies, xoxotas em diversas cores e formatos, como uma forma de celebrar a vagina. Tem xoxota loira, morena, com boca, depilada, com pelos, africana, japonesa, em homenagem a Brigitte Bardot…

“Acho que a Barbie podia ter xoxota, sim. Não precisava ser nada explicito, exagerado. Ela não tem lábios, nariz, orelhas? As orelhas, por exemplo, são um relevinho sutil. Bastava isso, um pelinho, uma insinuação. Mas… Nada? Da forma como está, é assustador”, diz.

De fato é bem estranho.

barbiexoxota

“Até o Ken tem um relevinho mínimo”, lembra Viviane. Realmente, o Ken, namorado da Barbie, tem um montinho representando o pinto e usa uma espécie de cuequinha.

kenpinto

A falta de xoxota da Barbie é tal que seu nome é utilizado para denominar a cirurgia de “labioplastia”, ou seja, a redução dos grandes e pequenos lábios que algumas mulheres vêm fazendo para tornar a xoxota mais… discreta. Isso mesmo, tem gente que paga para ficar com a xoxota igualzinha à não-xoxota da Barbie! (Clique aqui para ler uma reportagem da Nina Lemos sobre esta bizarrice.)

Neste Dia Internacional da Mulher, o blog exibe as xoxotas de Viviane Cardell como uma forma de protesto contra o excesso de puritanismo das bonecas. E para –quem sabe?– inspirar os fabricantes de brinquedo para que comecem a tratar o corpo humano com menos tabu. Coloquem xoxotinhas nas bonecas! É natural.

Tem gente que vai dizer que colocar xoxotas em uma boneca serviria para estimular a sexualidade precoce das crianças. Como assim? Toda criança tem xoxota –ou piru. Quer dizer que pode estimular o consumo desde a mais tenra idade (com a Barbie, inclusive), pode usar roupas inadequadas, pode usar salto alto, mas não pode mostrar uma xoxota?

Com vocês, as Toy Pussies.

pussy

pussy2

pussy3

pussy5

pussybardot


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Justiça do RS manda tirar do ar vídeo porco de Danilo Gentili contra Maria…


O desembargador Túlio de Oliveira Martins, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) considerou “misógino”, “humilhante” e “uma agressão às instituições” o vídeo postado nas redes sociais pelo pseudohumorista Danilo Gentili, do…

Politik

O machão e o machista


Fecho os olhos e tento lembrar da primeira vez que percebi alguém de outro sexo diante de mim. Teria seis, sete anos, não sei. Sei que senti algo de diferente nele, de estranho. Não importa…