Socialista Morena
Politik

Vai chover emenda: Janot denuncia Temer, Padilha, Moreira e ala presidiária do PMDB

Mesmo afirmando que uma quadrilha ocupou o poder no lugar de Dilma, o PGR apresentou parecer contrário ao pedido de anulação do impeachment feito pela presidenta eleita

Triunfal: o procurador-geral Rodrigo Janot em sua sessão de despedida no Supremo. Foto: Felipe Sampaio/SCO/STF
Da Redação
14 de setembro de 2017, 23h30

Quanto custará ao Brasil a segunda denúncia do procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer e dois ministros do seu governo, além da ala presidiária do PMDB? Da primeira vez que o Planalto teve de barrar a aceitação da denúncia pela Câmara, em agosto, pelo menos 3 bilhões de reais em emendas parlamentares foram liberadas. Como será desta vez?

Em sua despedida da PGR, Janot, que deixa o cargo na próxima segunda-feira, denunciou ao Supremo Tribunal Federal os integrantes do chamado “PMDB da Câmara” por organização criminosa. São acusados o presidente da República, Michel Temer; a ala presidiária do PMDB, composta por Eduardo Cunha, Henrique Alves e Geddel Vieira Lima, o “homem da mala” Rodrigo da Rocha Loures, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o ministro da Secretaria Geral, Moreira Franco. O esquema envolveria 587 milhões de reais em propinas.

Segundo a denúncia, o grupo de Temer praticou ações ilícitas em troca de propina utilizando diversos órgãos públicos, como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados. O presidente ilegítimo é acusado de ter atuado como líder da organização criminosa desde maio de 2016, ou seja, desde que assumiu a presidência no lugar de Dilma Rousseff. O procurador-geral, porém, mesmo afirmando que uma quadrilha ocupou o poder, apresentou parecer contrário ao pedido de anulação do impeachment feito pela presidenta eleita.

Temer e sua turma também foram denunciados por obstrução de justiça, pelos pagamentos feitos para evitar que o corretor de valores Lúcio Funaro firmasse acordo de colaboração premiada. O presidente é acusado de instigar Joesley Batista a pagar, por meio de Ricardo Saud, vantagens a Roberta Funaro, irmã de Lúcio Funaro. Os três são denunciados por embaraçar as investigações de infrações praticadas pela organização criminosa. Apesar da tentativa, Funaro firmou acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República, que foi homologado pelo Supremo, e as informações prestadas constam da denúncia.

Janot afirma que, além de praticar infrações penais no Brasil, a organização criminosa adquiriu caráter transnacional

O procurador aponta a “relação próxima e antiga” de Temer com Eliseu Padilha, Geddel Vieira Lima, Henrique Eduardo Alves, Moreira Franco e Rodrigo Loures -para se desvencilhar da ligação com este último, o presidente chegou a dizer em entrevista que só possuía uma “relação institucional”, embora tenha sido seu assessor pessoal. Eram eles, de acordo com a denúncia, que faziam a interface junto aos núcleos administrativo e econômico da organização criminosa a respeito dos assuntos ilícitos de interesse direto de Michel Temer, que, por sua vez, tinha o papel de negociar junto aos demais integrantes do núcleo político da organização criminosa os cargos a serem indicados pelo seu grupo e era o único do grupo que tinha alguma espécie de ascensão sobre todos.

Janot afirma que, além de praticar infrações penais no Brasil, a organização criminosa adquiriu caráter transnacional, o que pode ser demonstrado, principalmente, por dois de seus mecanismos de lavagem de dinheiro: transferências bancárias internacionais, na maioria das vezes com o mascaramento em três ou mais níveis para distanciar a origem dos valores; e a aquisição de instituição financeira com sede no exterior, com o objetivo de controlar as práticas de compliance e, assim, dificultar o trabalho das autoridades.

A denúncia associa o rompimento do bando com Dilma à demissão de Moreira Franco da Secretaria de Aviação Civil, em 2014, sem prévio ajuste com Michel Temer. Segundo disse a presidenta eleita em entrevista ao jornal Valor Econômico, Moreira foi demitido justamente porque era corrupto. “O gato angorá tem uma bronca danada de mim porque eu não o deixei roubar, querida. É literal isso: eu não deixei o gato angorá roubar na Secretaria de Aviação Civil. Chamei o Temer e disse: ‘Ele não fica. Não fica!'”, contou Dilma à repórter Maria Cristina Fernandes, em março.

O grupo de Temer teria praticado ações ilícitas em troca de 587 milhões de reais em propina, utilizando diversos órgãos públicos, segundo o PGR

A briga pioraria quando Eduardo Cunha se lançou candidato à presidência da Câmara, logo no início do segundo mandato de Dilma, em disputa com o candidato do PT Arlindo Chinaglia. Na interpretação de Janot, os caciques do PMDB achavam que o governo não estava agindo para barrar a operação Lava-Jato em relação aos “aliados” porque queriam que as investigações prejudicassem os peemedebistas; já os petistas desconfiavam que os peemedebistas queriam fazer uma manobra política para afastar a então presidente Dilma do poder e assumir o seu lugar, o que se confirmou.

Michel Temer assumiu a presidência da República em 12 de maio de 2016, provisoriamente, e, em definitivo, no dia 31 de agosto, já garantindo “espaços relevantes aos líderes do PP e do PMDB que já pertenciam a organização criminosa”. A quadrilha permaneceu praticando crimes nos anos de 2015, 2016 e 2017, diz Janot.

E há quem ainda ache que a corrupção no Brasil acabou com a saída do PT do governo.

Com informações da assessoria da PGR

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Sergio em 15/09/2017 - 14h21 comentou:

E tem dinheiro ainda???????????

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Série: por que estou ocupando? Hoje: Universidade de Brasília


No início do mês, o presidente ilegítimo Michel Temer disse que os estudantes que estão ocupando escolas e universidades contra as medidas de seu governo que prejudicam o futuro dos brasileiros nem sequer sabem o…

Kapital

Fifagate: um thriller, de Lanús ao Qatar


Como a derrota dos EUA para o emirado do Oriente Médio como sede da Copa de 2022 levou finalmente o FBI a investigar a corrupção na FIFA