Socialista Morena
Politik

“Bandidos de estimação”: quem será o próximo condenado que Bolsonaro indultará?

Seus filhos? O amigo Queiroz? O vizinho que matou Marielle?

Os bons companheiros. Foto: reprodução/instagram
Cynara Menezes
22 de abril de 2022, 10h53

O precedente aberto por Jair Bolsonaro ao indultar seu amigo Daniel Silveira, condenado a 8 anos e 9 meses de prisão pela máxima Corte do país por atacar a democracia e ameaçar ministros, é mais que perigoso. Na prática, Bolsonaro, tal qual um Luís XIV do século 21, se atribui poderes imperiais: “o Estado sou eu”. A partir dessa premissa, no futuro poderá libertar qualquer condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) que desejar.

Quem será o próximo beneficiado pelo perdão bolsonarista? Os próprios filhos do presidente, investigados por corrupção, peculato, lavagem de dinheiro, fake news, tráfico de influência e rachadinhas? O seu amigo Fabrício Queiroz, acusado de ser o mentor do esquema de apropriação do salário de funcionários dos gabinetes da família? Quem sabe o vizinho de Bolsonaro no condomínio Vivendas da Barra, Ronnie Lessa, o assassino de Marielle Franco? Amigos do presidente podem tudo, é esse o recado que o indulto transmite ao Brasil.

A leniência de Bolsonaro com o crime, para dizer o mínimo, não é de hoje. Só caiu na balela de que ele e sua gente não têm “bandido de estimação” quem quis cair. Mas, sem dúvida, indultar um criminoso condenado pelo Supremo cruza uma fronteira assustadora

Curioso é ver esta turma que dizia não ter “bandido de estimação” apelando a uma flagrante inconstitucionalidade para tirar um criminoso da cadeia, sob a desculpa mentirosa de que defendem a “liberdade de expressão”. Os mesmos “defensores da liberdade de expressão” que queriam prender o cartunista Aroeira por uma charge; os mesmos “defensores da liberdade de expressão” que colocaram o Ministério da Justiça atrás de um sociólogo por conta de um outdoor onde se comparava Bolsonaro a um “pequi roído”. A “liberdade de expressão” só vale para os bandidos de estimação do presidente.

Aliás, a leniência de Bolsonaro com o crime, para dizer o mínimo, não é de hoje. Só caiu na balela de que ele e sua gente não têm “bandido de estimação” quem quis cair. Bolsonaro disse que apoia a tortura de seres humanos, crime inafiançável e imprescritível; a família Bolsonaro acumula indícios de ligações com a milícia e homenageou milicianos; Bolsonaro já defendeu a sonegação de impostos; Bolsonaro torra milhões em dinheiro público para fazer campanha fora de hora; o MEC de Bolsonaro é investigado por oferecer propina em troca de verbas.

Me vem à memória o deputado Marcio Moreira Alves, cujo discurso na Câmara foi utilizado pelos militares em 1968 como desculpa para o AI-5. Silveira é como um Marcito às avessas: se o Supremo reverter o indulto, pode ser o mote para o “novo AI-5” que Eduardo Bolsonaro nunca escondeu ser a intenção desta turma

Mas, sem dúvida, indultar um criminoso condenado pelo Supremo com uma canetada cruza uma fronteira assustadora. Me vem à memória o caso do então deputado federal Marcio Moreira Alves, cujo discurso na Câmara foi utilizado pelos militares em 1968 como desculpa para endurecer o regime através do AI-5. Daniel Silveira é como um Marcito às avessas: se o Supremo reverter o indulto dado pelo presidente, isso pode se tornar o mote para o “novo AI-5” que Eduardo Bolsonaro nunca escondeu ser a intenção desta turma.

A maior preocupação de todos os reais defensores da democracia agora é com o que vai acontecer em outubro. Um presidente que não acata uma decisão da mais alta Corte do país aceitará a derrota nas urnas? Isso se houver mesmo eleição… O déspota que ocupa o Planalto mostrou mais uma vez que não há limites para sua sede de poder.

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
PIX: [email protected]
(2) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Paulo Roberto Martins em 22/04/2022 - 18h09 comentou:

Este foi o primeiro sinal palpável – e não simplesmente ameaças, como o psicopata sempre fez – de que ele não vai entregar o poder. A esquerda que se prepare. Se tivermos culhões devemos nos preparar para tirar este bandido do poder a bala. Não sobrará outro caminho. Quem viver,verá!

Responder

Bernardo Santos Melo em 22/04/2022 - 18h47 comentou:

Mussolini & Hitler permanecem norteando o superego de Genô .
Aguardemos as orientações Estado-Unidense.
Não há surpresas , “BANDIDO BOM É BANDIDO SOLTO “ , desde que pertença ao meu clã miliciano .
Admito ou melhor iludo-me que reações enérgicas ocorrerão , talvez Biden aperte algum parafuso no processo suicida de Genô .
Uma carta na manga adequadamente escondida poderá ser utilizada como emparedamento final , O POVO HUMILHADO UNIDO e NAS RUAS , … antes tarde do que nunca . Enquanto Marielle estiver PRESENTE , GENÓ não dormirá .

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Filhote da ditadura, presidente eleito do Paraguai é cara nova para a velha política


Entre as promessas de "Marito" Abdo, filho do secretário particular de Stroessner, está vetar qualquer tentativa de legalizar o casamento gay

Politik

Artistas montam banquinhas e conversam com indecisos pela democracia


Veja as fotos dos atores e atrizes que estão nas ruas mudando votos; eventos semelhantes estão acontecendo em todo o país