Socialista Morena
Cultura

Darcy Ribeiro, o melhor presidente que o Brasil nunca teve

“Como é que uma nação pode perder o amor por suas crianças? Como elas podem estar soltas no mundo, abandonadas? O Brasil não tem um bezerro abandonado, um cabrito. Um frango qualquer que você encontra, tem dono. Mas tem milhares de crianças abandonadas”, lamenta Darcy Ribeiro no documentário Um Vulcão de Idéias (2007), dirigido para […]

Cynara Menezes
17 de fevereiro de 2014, 22h30

(Darcy com índio Urubu Ka’apor nos anos 1950)

“Como é que uma nação pode perder o amor por suas crianças? Como elas podem estar soltas no mundo, abandonadas? O Brasil não tem um bezerro abandonado, um cabrito. Um frango qualquer que você encontra, tem dono. Mas tem milhares de crianças abandonadas”, lamenta Darcy Ribeiro no documentário Um Vulcão de Idéias (2007), dirigido para a TV Escola por Isa Grinspum Ferraz.

Um dos maiores desastres que a ditadura militar causou ao Brasil, em minha opinião, foi ceifar a carreira política do antropólogo Darcy Ribeiro. Ministro da Educação e da Casa Civil de João Goulart, Darcy teve seus direitos políticos cassados com o golpe. Tragicamente, as ideias que pretendia colocar em prática no governo Jango foram abandonadas –as chamadas reformas de base que ainda hoje fazem falta ao país. Se elas tivessem acontecido, em vez do atraso imposto por um governo fardado, a educação no Brasil seria outra. O Brasil seria outro.

Darcy voltou para cá em 1976, três anos antes da anistia, quando recuperou seus direitos políticos. Com Leonel Brizola, fez o projeto dos CIEPs, escolas em turno integral, realidade em qualquer país desenvolvido, mas não aqui, até hoje. “O Brasil inventou essa bobagem de escola em turnos. As cidades cresceram e em vez de fazer mais escolas, faziam turnos”, critica Darcy. “A escola em tempo integral é a escola do mundo civilizado. Os bobos pensam que eu inventei os CIEPs. É bobagem.” É impossível assistir ao documentário de Isa e não ficar impressionado com as ideias à frente de seu tempo de Darcy, que, um ano antes de morrer, em 1996, imaginem, já falava da internet como “uma coisa prodigiosa, a coisa mais importante que já aconteceu na história humana”.

Quanto mais escuto suas palavras, mais sinto uma saudade irreal do presidente maravilhoso que Darcy teria sido… Lula foi um grande presidente, mas ele deve saber que Darcy seria inigualável, sobretudo como sucessor de Jango. Um presidente com olhar para a terra, para os índios, os negros, para as crianças, para a educação, para o futuro. Para tudo que é preciso mudar no Brasil. Ou será que, por isso mesmo, nunca deixariam?

No início dos anos 1980, quando Darcy e Leonel Brizola falaram em “socialismo moreno”, um socialismo nosso, brasileiro, foram massacrados pelos jornais, ridicularizados. Nem governador do Rio de Janeiro Darcy conseguiu se tornar quando concorreu, em 1986. Imaginem o tamanho da perda: em seu lugar entrou Moreira Franco, apoiado pelas organizações Globo, que fizeram campanha incessante contra Darcy e Brizola. De maneira hipócrita, os mesmos jornais o homenageariam como “grande brasileiro”, “sonhador que chegou ao poder”, “intelectual que fazia” –quando morreu…

Não deixem de assistir ao documentário, é imperdível para quem já conhece e para quem quer conhecer o pensamento deste grande brasileiro. A propósito: hoje, 17 de fevereiro, faz 17 anos que o antropólogo, político e escritor Darcy Ribeiro morreu. Este blog, que se chama Socialista Morena por causa dele, nunca se cansará de homenageá-lo. Viva Darcy!


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(38) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Marino Mirante em 17/02/2014 - 23h13 comentou:

Viva, Darcy!

Responder

    Flavio Lima em 18/02/2014 - 20h04 comentou:

    Viva!

Lenir Vicente em 18/02/2014 - 01h14 comentou:

Será que o Brasil merecia Darcy Ribeiro? Aqueles que sabotaram os CIEPs devem trazer na consciência a desgraça de milhares de almas perdidas para o tráfico , Hoje o Rio seria outro porque a escola que ele idealizou daria às crianças do morro mais que educação. Era uma escola para formar consciências cidadãs. O melhor presidente que o Brasil não teve : Darcy Ribeiro. Ele devia ser leitura obrigatória nas escolas pra que todas as crianças soubessem que houve uma vez Um Brasileiro chamado Darcy Ribeiro que amava tanto o Brasil que sonhou uma escola onde todas as crianças aprenderiam a não ter medo nem do presente nem do futuro.

Responder

Francisco em 18/02/2014 - 02h01 comentou:

minha derrota é minha vitória. Detestaria estar no lugar de quem venceu…

Responder

Daniel F. Israel em 18/02/2014 - 09h48 comentou:

Sim, ele foi lembrado em vida. A associação à sua figura se deu na telenovela "O rei do gado", exibida após o "Jornal Nacional", entre 1996 e 1997.

Com o papel do senador Caxias, cujo nome considero duplamente injusto e de mau-gosto, o grande ator Carlos Vereza interpretou Darcy Ribeiro, à época exercendo o mandato como parlamentar no Senado.

A pesquisadora e professora universitária Esther Hamburguer (ECA-USP) tem um artigo na obra "A TV aos 50…", organizada por Eugênio Bucci, no qual discorre sobre a interface entre ficção e realidade na referida telenovela.

Responder

    ZENIO SILVA em 23/02/2014 - 01h17 comentou:

    Grande homenagem, o Darcy deve ter ficado comovido com isso!!!!
    Menos Daniel, bem menos, por favor!!!!

Gladistone Gripp em 18/02/2014 - 10h52 comentou:

Concordo em todos os sentidos! Darcy e muitos outros seriam fundamentais nas transformações que o Brasil tanto necessitava… e ainda necessita. Mais que nunca, e cada vez mais.
Tive a alegria de trabalhar nos CIEPS na década de 80 no interior do RJ. E reafirmo o que Cynara diz no texto; seríamos outro país, tanto pela Educação como pelas Reformas de Base que seriam implementadas, se não tivéssemos a grande e dura pedra da Ditadura no caminho.
Hoje, com 60 anos, educador que fui(sou) fujo da aposentadoria como professor que me deixaria com proventos em torno de R$900,00. Por aí pode-se avaliar o resto da história.
Como (quase) sempre você escreve com o coração e dá o tiro no lugar certo. Viva Darcy!

Responder

Ernesto Camelo em 18/02/2014 - 11h33 comentou:

Tive o privilégio do seu convívio, auxiliando-o nos primeiros passos no uso de microcomputadores, que segundo ele foi uma recomendação do Gabriel. " Qual Gabriel professor?" pergunto eu. "O Garcia Marquez responde Darcy", para minha estupefação. As ligações diárias do "Oscar (Niemeyer)", seu vizinho, e as incontáveis visitas de colaboradores, todos recebidos carinhosamente na sala do apartamento da Av. Atlântica, transformada em escritório. No início da tarde o convite: "vamos almoçar?", e a refeição simples, servida à mesa da cozinha, coberta por uma toalha de plástico quadriculada. Calça e camisa de tergal, sandálias, a pessoa mais brilhante e simples que conheci nestes mais de 60 anos de vida. Tinha a missão de ensiná-lo, imagine só. Dele recebi lições inesquecíveis de brasilidade, ousadia e arrojo. Quanta falta nos faz. Viva, Darcy!!!

Responder

    morenasol em 18/02/2014 - 17h21 comentou:

    maravilha de relato, ernesto

Alexsandro em 18/02/2014 - 13h01 comentou:

Foi uma grande oportunidade pedida, inclusive pelas próprias elites 'míopes'.

Responder

Henrique Ramos em 18/02/2014 - 13h47 comentou:

Você tem toda razão. A gente apenas pode imaginar como poderia ser o Brasil se tivesse sido diferente naquele momento, o quanto a gente podia ter avançado! E o Darcy não é o único. Josué de Castro tb teve sua carreira ceifada pela ditadura, e não conseguiu tirar do papel suas idéias.

Responder

    Priscila em 08/11/2014 - 20h20 comentou:

    Pois é, o mais triste é ouvirmos pessoas pobres defendendo a ditadura militar.
    Quando presencio este tipo de comentário vejo que o povo brasileiro não tem jeito mesmo.

Marcia Maresti Lima em 18/02/2014 - 15h08 comentou:

Eu sabia que o nome do seu blog era uma homenagem ao "socialismo moreno" de Darcy e Leonel. Admiro-a não só por isso, mas pelo conjunto da obra. Persista Cynara, por favor, o jornalismo moreno precisa muito de você. bjs

Responder

Ricardo G. Ramos em 18/02/2014 - 15h46 comentou:

Um imenso brasileiro. Obrigado morena. Viva Darcy!

Responder

F. Arranhaponte em 18/02/2014 - 16h32 comentou:

Jornalisticamente, acho que um pequeno acréscimo no trecho abaixo seria importante (em caixa alta só porque é a única forma de destacar aqui):

(…)em seu lugar entrou Moreira Franco, ATUAL MINISTRO-CHEFE DA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL DA PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF, TENDO ANTES SIDO O TITULAR DA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS DO MESMO GOVERNO, E apoiado NA ÉPOCA pelas organizações Globo (…),

Não fica mais informativo?

Responder

    morenasol em 18/02/2014 - 17h22 comentou:

    pra mim dá na mesma. moreira franco continua um zero à esquerda, em minha opinião. e "esquerda" aí nada tem a ver com ideologia

    Lucas em 19/02/2014 - 04h47 comentou:

    Para mim não dá na mesma, me desculpe, mas diferente de você eu não consigo fechar os olhos e tapar os ouvidos tudo pela famigerada governabilidade, ou melhor, pela dita "revolução" como ainda crêem alguns devotos.
    Eu gostaria de saber o que Darcy Ribeiro pensaria desse governo, como se sentiria em ser colocado de lado enquanto o zero a esquerda do Moreira Franco brinca de revolucionário no planalto.
    Contudo, já que você não pode esquecer de dar uma bela de uma bajulada no atual governo e em seu Messias, você poderia pelo menos relatar o que Leonel Brizola pensava do Lula, se interessa a alguém há algumas entrevistas esclarecedoras sobre a visão que o Brizola tinha do Lula, o verdadeiro Brizola e não esse projeto de puxa saco que milita aí pela internet. http://www.youtube.com/watch?v=RxYbd7Tvi7U http://www.pdt.org.br/index.php/pdt/lideres/verda

    morenasol em 19/02/2014 - 14h00 comentou:

    acho que sua capacidade cognitiva é pequena: "dá na mesma" sobre moreira significa que ele continua um zero à esquerda. de onde você tirou governabilidade? bem se vê que não é um leitor frequente do blog. aqui estou sempre criticando a tal "realpolitik", como nesse artigo sobre florestan fernandes: "o que ele pensaria das alianças do PT?" leia antes de vir com quatro pedras na mão. da próxima, seu comentário não será aprovado. aqui é minha casa e só recebo gente civilizada.
    http://socialistamorena.cartacapital.com.br/o-que

Paulo Cezar Soares em 18/02/2014 - 19h21 comentou:

Texto prmoroso. Parabéns.
Eu acho de uma hipocrisia sem tamanho quando políticos conservadores falam sobre educação
Caso os CIEPS tivessem continuado o seu curso, seguindo à risca seus objetivos educacionais, o Rio de Janeiro hoje estaria vivendo uma outra história.
..

Responder

getulio em 18/02/2014 - 19h46 comentou:

Darcy Ribeiro foi punido por ser brasileiro demais. Se o Brasil fosse o Brasil verdadeiramente, cada cidade brasileira teria uma escola bem grande e bonita com os nomes de Darcy Ribeiro & Anízio Teixeira.

Responder

Marilda Campos em 18/02/2014 - 21h24 comentou:

Cynara, conheci seu blog hoje. Foi um grande prazer ler seu texto sobre o Professor Darcy Ribeiro, pois tive a honra de integrar sua equipe. Fui a responsável pela implantação do Ciep Avenida dos Desfiles, o do Sambódromo. Sou uma militante da causa do horário integral, apesar de estar afastada da área da Educação há alguns anos e de haver me aposentado da rede estadual de Educação do Rio de janeiro. Mantenho um blog, bissexto é verdade, em que tenho publicado minhas reflexões sobre educação, Leonel Brizola e os Cieps, o Enem, a falsa polêmica sobre o livro de Português que ensinaria errado. Se você puder, dê uma passadinha por lá. Seu texto me conquistou. De minha parte, já me tornei sua leitora, também por identificação ideológica.

Responder

    morenasol em 18/02/2014 - 22h02 comentou:

    bem-vinda, marilda! obrigada, eu realmente adoro darcy e ele estará sempre por aqui, pode acreditar. vou conhecer teu blog. grande beijo

    Zelinda Martins em 26/02/2018 - 05h51 comentou:

    Olá, Marilda! Achei muito oportuno você se lembrar da crítica ao livro que ‘ensinaria o português errado’. Simplista demais essa opinião, não? Segundo tais críticos, falar das variedades da linguagem é uma afronta, não guiar-se pela norma culta é um desastre. Olha só quanto há de Darcy Ribeiro nessa polêmica: há identidades a serem reconhecidas e respeitadas. Sou professora e não me imagino repreendendo um aluno por usar sua variação linguística, pois seria negar a sua história. Em outros termos: como dizer a um aluno que sua forma de se expressar, aprendida em seu seio familiar, é errada, é burra? Há de se mostrar a norma culta e ensiná-la, mas nunca impô-la como única.

Bacellar em 19/02/2014 - 00h36 comentou:

Preciso muito ler esse cara.

Responder

Jayme em 19/02/2014 - 01h48 comentou:

Cem anos se passarão e Darcy será sempre contemporâneo

Responder

Thiago em 19/02/2014 - 18h14 comentou:

Além do Darcy, a Ditadura expulsou Paulo Freire e seu projeto educacional já iniciado em Angicos. Que Brasil seríamos…

Responder

Nilo Aguiar em 19/02/2014 - 21h56 comentou:

Darcy e Brizola são os meus dois ícones e nortes políticos. Sou filiado ao PDT, faço parte da executiva do partido em Rio Bonito, RJ e gostaria que a bandeira desses dois voltasse a tremular em nosso partido!

Responder

Ricardo Lima em 22/02/2014 - 22h06 comentou:

Darcy tem a capacidade de nos emocionar sempre. Viva, Darcy! Viva, Brizola! Inspire-se, Dilma!

Responder

Claudio Aranghathy em 26/02/2014 - 02h15 comentou:

Eu tive o prazer de conhece=lo pessoalmente no governo de Leonel Brizola, numa conversa dele(Darcy) com Cecilia Conde na epoca secretaria de educação, eramos os profissionais da cultura dando inicio as atividade culturais nos Cieps- um dos grandes sonhos de Darcy Ribeiro.

Responder

Italo em 26/02/2014 - 02h48 comentou:

Como é que uma nação pode perder o amor por suas crianças? Simples, sendo a favor da pena de morte, sendo a favor do aborto…não estão ensinando a amar nenhuma criança quando se é a favor destas nefastas ideologias que propagam a cultura da violência.

Responder

Sandro em 27/02/2014 - 17h39 comentou:

Amei o texto, pois amo Darcy Ribeiro e sua inteligência única que tanta falta nos faz em meio a tanta mediocridade política, social…,humana mesmo. Só uma pequena ressalva ao seu maravilhoso texto, Lula não foi um grande presidente.

Responder

    morenasol em 27/02/2014 - 17h43 comentou:

    lula foi um grande presidente. o melhor de todos –só não igual ao que darcy teria sido

Julio em 27/02/2014 - 22h00 comentou:

O Darcy não era um sujeito politicamente ambicioso, era um brasileiro cheio de boas ideias e intenções.
Floresceu o reconhecimento de sua grandeza naturalmente. Mas ainda assim viveu momentos de sua trajetória politica, em que esse seu brilho foi artificialmente ofuscado, secundarizado, para que outros estrelas de sua constelação, mais ambiciosas, pudessem luzir sobre o seu brilho natural.

Responder

adilson darriel em 01/03/2014 - 20h53 comentou:

o som esta baixo.

Responder

Luiz Apolonio em 12/05/2014 - 01h15 comentou:

Onde estão os que trabalharam com Brizola e Darcy para lutarem pela continuidade de suas obras e magníficas idéias e ideais. Aliás, onde estão as grandes idéias e os grandes ideais, em nossos dias? Dilma, reeleja-se e abrace-os, definitivamente.

Responder

Márcia em 16/09/2014 - 01h27 comentou:

Agradecida por ter encontrado neste blog tanta informação bacana e sensibilidade política. Viva Darcy Ribeiro! Viva Socialista Morena! Não percamos a esperança….

Responder

jaime.junior em 29/01/2015 - 16h51 comentou:

Cara Cynara,

Só é livre os que bebem(leem) em todas as fontes,todas…obrigado pelos textos.

Responder

Dan Moche Schneider em 23/05/2020 - 17h40 comentou:

Lindo documentario. Obrigado Darcy Ribeiro! Cabra bom, cabra da peste!

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

Cine Morena: Outrage – Enrustidos no Congresso


Em 2009, o premiado cineasta norte-americano Kirby Dick revelou, no polêmico documentário Outrage – Enrustidos no Congresso, que vários dos parlamentares que encabeçam o lobby contra os homossexuais nos EUA vivem uma vida dupla. O…

Cultura

Glauber Rocha, 74 anos: um gênio da raça


Se estivesse vivo, o cineasta baiano universal Glauber Rocha completaria hoje, 14 de março, 74 anos. Para mim, não existiu cineasta mais revolucionário do que Glauber, estética e politicamente. Che Guevara chegou a comparar a…