Socialista Morena
Politik

DiCaprio, Mark Ruffalo e Mark Hamill aderem à campanha para que os jovens tirem o título

"Que a força esteja com você!", brincou ator de Guerra nas Estrelas. Amanhã é o último dia para maiores de 16 anos se inscreverem na Justiça Eleitoral

Logo da campanha para o voto aos 16. Foto: reprodução
Da Redação
03 de maio de 2022, 10h41

Três atores de Hollywood, Leonardo DiCaprio, Mark Ruffalo e Mark Hamill, aderiram à campanha do Pirililili, convocando jovens a partir de 16 anos a tirar o título do eleitor para poderem votar em outubro. DiCaprio e Ruffalo já estão tuitando há vários dias em português convocando os adolescentes, e nesta segunda-feira o eterno intérprete de Luke Skywalker na saga Guerra nas Estrelas se uniu ao grupo.

Amanhã, dia 4 de maio, se encerra o prazo para os maiores de 16 anos se inscreverem na Justiça Eleitoral e se tornarem aptos a votar na eleição.

“Tirem o título de eleitor até 4 de maio, jovens do Brasil! May the 4th be with you… ALL!”, tuitou Hamill, também em português, fazendo um trocadilho com a famosa frase do filme: “Que a força esteja com vocês… TODOS!”. DiCaprio, que desde o início do desgoverno Bolsonaro tem se mostrado ativo nas redes sociais contra o desmatamento e as queimadas incentivadas pela extrema direita, agradeceu aos que estão participando da campanha de incentivo aos jovens a tirar o título.

Já o “Hulk” Mark Ruffalo lançou em seu perfil no twitter um concurso de vídeos feitos por jovens para estimular outros a tirar o título de eleitor e poder votar em outubro. A publicação já tem mais de 2 mil respostas e 65 mil curtidas.

Entre os vídeos destacados pelo ator está o de Raphael Vicente, que, junto com sua hilária família, tem mais de 2,5 milhões de seguidores no Tiktok.

Outro vídeo que está fazendo sucesso é o do ator brasileiro Silvero Pereira, o Seu Lunga de Bacurau.

A apresentadora e atriz Maisa também entrou na campanha.

A cantora Anitta e o sambista Zeca Pagodinho foram outras celebridades que fizeram tweets convocando os adolescentes a tirar o título.

E pelo visto a campanha pelas redes está funcionando: disparou nas últimas semanas o número de jovens que se inscreveu para ouvir “o barulhinho”. Segundo o pesquisador e analista de metadados Fabio Malini, a cada dois minutos um jovem reporta no twitter que tirou o título de eleitor. “Acho que é o movimento natural de pessoas mais jovens, que também são anti-Bolsonaro, que acabou de gerar esse buzz de títulos. E eles reportam, ficam falando continuamente no twitter que tiraram o título”, conta o analista.

Vem Pirililili!


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Bernardo Santos Melo em 04/05/2022 - 04h32 comentou:

Adiar o prazo é tudo que os jovens retardatários precisam , 60 dias mais , esta é é nova missão que o TSE precisa buscar .
Juventude votando , entendendo o grave momento político nacional , o risco NAZISTA parece ser outro assunto que os noviços eleitores começam a perceber .
ADIAR por 2 meses significará UM ESTÍMULO à CONSCIENTIZAÇÃO POLÍTICA da GERAÇÃO SUB 18 .

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

Quando pais, irmãos e maridos votavam pelas mulheres: o filme As Sufragistas


  Por Liliane Machado O cinema inglês resgatou um momento ímpar das lutas feministas ao redor do mundo com As Sufragistas, em cartaz nos cinemas brasileiros. O título remete ao movimento iniciado ainda no século 19,…

Cultura

Matrix é um filme trans? Revisitando as Wachowski sob uma ótica de gênero


A condição de transgênero na obra das irmãs cineastas nem de longe é tão simples quanto “a pílula vermelha é estrogênio”