Socialista Morena
Politik

“Dificuldade probatória”: tucanaram a falta de provas para tentar condenar Lula

Os procuradores do núcleo da Lava-Jato em Curitiba, incapazes de enxergar os malfeitos do tucano Aécio Neves ou do paranaense Rodrigo Rocha Loures, debaixo de seus narizes todos estes anos, continuam obcecados em prender o ex-presidente Lula, um político que dedicou sua vida ao Brasil e contra quem não há nenhum sinal de enriquecimento ilícito. […]

(Lula e a nova presidenta do PT, Gleisi Hoffmann. Foto: Ricardo Stuckert)
Cynara Menezes
03 de junho de 2017, 22h05
(Lula e a nova presidenta do PT, Gleisi Hoffmann. Foto: Ricardo Stuckert)

(Lula e a nova presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, no encerramento do Congresso do partido. Foto: Ricardo Stuckert)

Os procuradores do núcleo da Lava-Jato em Curitiba, incapazes de enxergar os malfeitos do tucano Aécio Neves ou do paranaense Rodrigo Rocha Loures, debaixo de seus narizes todos estes anos, continuam obcecados em prender o ex-presidente Lula, um político que dedicou sua vida ao Brasil e contra quem não há nenhum sinal de enriquecimento ilícito. Agora, diante da total e absoluta falta de prova de que Lula cometeu algum ato criminoso, lançam mão de uma apelação grotesca: pedem a condenação do ex-presidente por “juízo de convicção”, mesmo reconhecendo a “dificuldade probatória”. Como diria José Simão, tucanaram a falta de provas.

No twitter, o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, criticou o absurdo de se pedir a condenação de alguém sem apresentar as devidas provas contra ela.

Em nota, a defesa de Lula acusa a Lava-Jato de usar “teorias ilegais” contra o ex-presidente.  “As alegações finais do MPF mostram que os procuradores insistem em teses inconstitucionais e ilegais e incompatíveis com a realidade para levar adiante o conteúdo do PowerPoint e a obsessão de perseguir Lula e prejudicar sua história e sua atuação política”, diz a nota divulgada por Zanin Martins e Valeska Teixeira Martins. “As 73 testemunhas ouvidas e os documentos juntados ao processo –notadamente os ofícios das empresas de auditoria internacional Price e KPMG– provaram, sem qualquer dúvida, a inocência de Lula. O ex-presidente não é e jamais foi proprietário do triplex, que pertence a OAS e foi por ela usado para garantir diversas operações financeiras.”

Os advogados afirmam que nos próximos dias demonstrarão que “o MPF e seus delatores informais ocultaram fatos relevantes em relação ao triplex que confirmam a inocência de Lula –atuando de forma desleal e incompatível com o Estado de Direito e com as regras internacionais que orientam a atuação de promotores em ações penais”.

No twitter, Cristiano Martins também questionou a informação equivocada, veiculada pelo canal da Globo na internet, de que os procuradores pediram a prisão de Lula e não sua condenação, como de fato aconteceu.

Com este pedido de condenação do ex-presidente Lula sem provas, fica cada vez mais evidente para os brasileiros a perseguição judicial que o principal líder opositor do país está sofrendo. Digna de regimes totalitários.

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Mídia

Reaça “acusa” cervejaria de pertencer a Lula, cultuar Stalin e ser illuminati


Longe de se preocuparem com a paranoia do conterrâneo, os donos da gaúcha Solerun, de Nova Prata, estão comemorando o marketing involuntário

Politik

Nem o mais tolo coxinha é capaz de dizer que o Brasil melhorou


Lá se vão 30 dias que o juiz Sergio Moro trancafiou o ex-presidente em suas masmorras em Curitiba, mas o Brasil continua célere ladeira abaixo