Socialista Morena
Politik

Fora Trump: impeachment do presidente dos EUA passa na Câmara e vai ao Senado

Dez republicanos votaram contra o presidente; mesmo impichado, Trump pode se candidatar novamente em 2024

Foto: Shealah Craighead/WhiteHouse
Da Redação
13 de janeiro de 2021, 20h34

A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou nesta quarta-feira por 232 a 197 o impeachment do presidente Donald Trump. Trump foi acusado formalmente de incitar uma insurreição, após terroristas internos invadirem o Capitólio na última quarta-feira, dia 6 de janeiro, a duas semanas da posse do presidente eleito Joe Biden no próximo dia 20. Dez votos em favor do impeachment foram de parlamentares republicanos, colegas de partido de Trump. Já a votação entre os democratas foi unânime.

A votação foi realizada com as forças da Guarda Nacional e a polícia protegendo o Capitólio, rodeado por uma cerca de segurança erguida após o tumulto causado pelas declarações do presidente, derrotado em sua tentativa de reeleição. O processo segue para o Senado, atualmente de maioria republicana, que retorna do recesso em 19 de janeiro. Ameaçado pelo impeachment e banido das redes sociais, finalmente o presidente postou um vídeo condenado a violência que provocou.

Se Donald Trump for impichado, perderá algumas prerrogativas de ex-presidente, como o direito a uma pensão vitalícia anual de 219 mil dólares em valores atuais –cerca de 1,2 milhão de reais. Ele também perde os subsídios governamentais para manter um escritório e funcionários para cuidar do seu “legado”, o que no caso de Trump nem se imagina qual seria. Uma emenda constitucional de 2013 garante que ex-presidentes, mesmo os que forem afastados por impeachment, continuam a ser protegidos pelo serviço secreto.

Ao contrário do publicado em um tweet que se tornou viral, Donald Trump não perde automaticamente o direito de se candidatar novamente em 2024 se for impichado. É preciso que o Congresso decida isso em uma votação separada. Em 2020, outro processo de impeachment contra Trump também passou na Câmara, mas foi rejeitado pelo Senado. Na época, porém, nenhum deputado republicano havia votado contra ele.

Quem sabe isso não anima Rodrigo Maia a desengavetar um dos 60 pedidos de impeachment contra Bolsonaro? Siga o exemplo de Nancy Pelosi e lute como uma garota, Maia!

Com informações da Agência Brasil


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Bernardo Santos Melo em 14/01/2021 - 09h06 comentou:

Humanidade tem convicção da necessária regulação sobre FAKE NEWS , porém deletar desde já os RAJÁSICOS NEOFACISTAS merece aplausos aos controladores da WEB , nada é pior do que o ressurgimento de um novo Adolf Hitler .

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Macri também pode ter usado “estratégias” da Cambridge Analytica


Câmara Nacional Eleitoral argentina abriu investigação para elucidar atuação política no país da empresa britânica que ajudou a eleger Trump

Politik

Nascido nos EUA, nacionalismo branco é agora uma ameaça ao mundo


Como os racistas e xenófobos norte-americanos usaram as redes sociais para transformar sua ideologia de ódio em produto de exportação