Socialista Morena
Politik

Jornal Nacional: por que nem sempre “encostar na parede” é entrevistar bem

Ao contrário das telenovelas, o telejornalismo brasileiro não é exatamente um produto de exportação. O principal telejornal da principal emissora de TV do País tem praticamente o mesmo formato há 45 anos –a única diferença digna de nota, além da natural evolução tecnológica, é que hoje é apresentado por homem & mulher e não por […]

Cynara Menezes
19 de agosto de 2014, 20h27
dilmajn

(O constrangimento está no ar… Bonner, Patricia e Dilma no Jornal Nacional. Foto: divulgação)

Ao contrário das telenovelas, o telejornalismo brasileiro não é exatamente um produto de exportação. O principal telejornal da principal emissora de TV do País tem praticamente o mesmo formato há 45 anos a única diferença digna de nota, além da natural evolução tecnológica, é que hoje é apresentado por homem & mulher e não por dois homens. O “especial” semanal jornalístico da emissora possui, inclusive, o mesmo apresentador há 42 anos, com breves interrupções. E a “revista” dominical, que existe desde 1973, se firmou como tradição, mas já teve dias melhores.

São programas assumidamente inspirados na TV norte-americana, até mesmo nos nomes: o Good Morning, America é o principal noticioso nas manhãs dos Estados Unidos hoje. Lembra o nome de algum matutino brasileiro? Chacrinha já dizia: “em televisão nada se cria, tudo se copia”. E o pior é que as outras emissoras da TV aberta, em vez de partirem para algo novo, simplesmente copiam a cópia. Ou seja, não existe concorrência.

É um estilo de fazer jornalismo, como todos os demais, que evidencia cansaço. Apesar de ainda ser o telejornal mais visto, a audiência do Jornal Nacional tem caído nos últimos anos e hoje está na casa dos 20 pontos, de acordo com o Ibope. Nos EUA, fonte onde nosso telejornalismo bebe, o noticiário da TV a cabo ganhou proeminência na última década, CNN à frente. Mas o legal é que o telespectador lá na gringa tem a opção de assistir notícias a partir de um canal mais liberal o MSNBC ou um conservador a Fox News. Melhor: segundo um estudo recente, quase 40% dos que assistem a um também assistem ao outro.

Aqui, o coronelismo midiático coloca uma única emissora e seu telejornal como a fonte de informação primordial do País. Assim, a cada quatro anos, os candidatos à presidência da República vão todos parar no Jornal Nacional para responder às perguntas do casal da vez, sob as regras da emissora. Ir ao Jornal Nacional é quase uma forma contemporânea de ir pedir a bença ao coroné. Considera-se “vitorioso” o candidato que se sair bem do tiroteio baseado em “temas polêmicos”.

Para o repórter, a vantagem de se construir uma entrevista “batendo” é que você transmite a ideia de ser um profissional “imparcial”, aplicando ao jornalismo a máxima popular “o pau que bate em Chico, bate em Francisco”. Foi o que aconteceu nas entrevistas de Aécio Neves, Eduardo Campos e agora, com Dilma Rousseff. Nas redes sociais, vários comentaristas e leitores saudaram a “imparcialidade” do Jornal Nacional ao colocar Aécio (apontado pelos críticos à emissora de ser seu favorito) “contra a parede”.

É sempre bom lembrar a ânsia da rede Globo de tentar transmitir aos telespectadores “imparcialidade” em seu jornalismo desde que, em 1989, foi acusada de fazer, em pleno Jornal Nacional, uma edição do último debate entre os presidenciáveis Fernando Collor e Luiz Inácio Lula da Silva favorável ao primeiro de quem também se “desconfiava”, na época, ser o candidato da emissora. Collor ganhou a eleição, a Globo acabou reconhecendo não ter sido uma edição equilibrada e parou de editar debates.

Cada vez que “bate” em um candidato alinhado à sua ideologia, o Jornal Nacional tenta, portanto, bater também no fantasma de 1989. Mas bater não significa necessariamente fazer uma boa entrevista. Em minha opinião, entrevistar bem é arrancar revelações do entrevistado, boas frases e, sobretudo, mostrar se a pessoa de fato tem ou não ideias. Nenhuma das entrevistas feitas pelo Jornal Nacional nesta eleição (falta a de Marina Silva) soube arrancar revelações ou boas frases de ninguém, mas apenas Dilma Rousseff, do PT, deixou de exibir qualquer projeto seu na entrevista.

Aécio Neves disse que vai retomar o ritmo de crescimento; promover mais transparência; lutar contra a inflação; enxugar o Estado; ser renovador no campo ético, moral, e ampliar as boas políticas do governo atual. Eduardo Campos, em sua última entrevista, prometeu melhorar a vida do povo; acabar com a violência; fazer o Brasil voltar a crescer; melhorar a mobilidade urbana; construir a escola em tempo integral; dar passe livre para os estudantes no transporte público. Dilma Roussef prometeu que o Brasil continuará a ser um país de classe média. Só.

Por que isso aconteceu? Dilma é prolixa. Verdade. E há uma mútua antipatia entre o PT e a Globo. Isso é inegável e coloca uma “trava” imediata entre entrevistador e entrevistado. Mas houve, sim, uma diferença sutil de tratamento do Jornal Nacional para com Campos e Aécio: com eles, os apresentadores não rebateram as respostas no meio, dando-lhes pelo menos a oportunidade de mostrar algo do que propõem. As perguntas lhes serviram de escada, a famosa “levantada” para o sujeito chutar. Isso pode ser visto aqui, na primeira pergunta feita por William a Aécio Neves. Ou aqui, na primeira pergunta feita a Eduardo Campos por Patricia Poeta. Já na primeira pergunta a Dilma, a palavra “corrupção” foi mencionada SETE vezes ao todo foram treze (confira aqui). Com Aécio foram três; com Eduardo, nenhuma.

Dilma ficou sob fogo cerrado sem pausa. Absolutamente todas as perguntas vieram de maneira negativa e adjetivada, sem a sobriedade esperada de jornalistas “isentos”. Com Aécio e Eduardo, as perguntas duras serviram para dar ao candidato o direito de se explicar diante de milhões de espectadores, e à Globo, uma chance de se mostrar “imparcial”. Imparcialidade demonstrada, os dois apresentadores impuseram à presidenta-candidata acusações em vez de perguntas: “seu partido teve um grupo de elite de pessoas corruptas”, “corrupção não é o único problema”, “o resultado (da economia) é muito ruim”. Nenhum dos rivais de Dilma, ex-governadores de Estado, foi acusado desse jeito nem rebatido enquanto respondia. Na verdade, Bonner e Patricia “bateram” mesmo foi em Dilma; nos outros dois, foi direito de resposta, “outro lado”.

Dilma, uma técnica, após 4 anos de presidência continua com dificuldade de se expressar de forma fluida, ao contrário de seus oponentes, com longa carreira política. Mas esta técnica de “imparcialidade” usada com petistas no Jornal Nacional não facilita nem para um candidato com maior traquejo. Com Lula foi a mesma coisa em 2006: ele passou a maior parte do tempo contra as cordas, sem chance de transmitir qualquer conceito positivo. Mas, diferentemente de sua sucessora, Lula é um orador experiente e tem timing (assista à primeira entrevista de Lula candidato a reeleição em 2006 aqui). Fora de seu habitat, a dupla de entrevistadores também titubeou, e Dilma pôde emplacar pelo menos algumas defesas incisivas, como quando citou o “engavetador-geral da República” de FHC mas não projetos.

Se você quer ser “imparcial”, coisa que duvido existir, deve pelo menos se preparar para fazer uma boa entrevista elencando temas polêmicos, claro, mas focados no futuro do País, nas propostas do candidato, e não no passado. Por exemplo: Aécio Neves concorda com seu coordenador econômico Arminio Fraga que o salário mínimo “subiu demais”? Ou seja, pretende acabar com o gatilho do salário mínimo? E Dilma, vai fazer algo a respeito da violência policial, que ela mesma disse considerar um dos mais graves problemas do Brasil hoje? São questões que despertam o interesse de milhões de brasileiros e não foram nem sequer mencionadas na “principal” entrevista do “principal” telejornal da “principal” emissora. Fraco.

Acho que, para começar, 15 minutos é pouco tempo para uma entrevista. Um jornalismo de fato sério, consequente, exigiria no mínimo 30 minutos para cada candidato. Nos Estados Unidos, que nossos telejornais tanto imitam, o programa que faz as mais famosas entrevistas com candidatos à presidência chama-se justamente 60 Minutes. Eu sempre digo que as coisas bacanas dos EUA ninguém copia… Com esse tempo exíguo, só com muito boa vontade dos entrevistadores o que não houve com Dilma se consegue transmitir alguma ideia de fato. A presidente é favorita à reeleição, mas se ganhar, o que pretende fazer? No que depender do Jornal Nacional, continuaremos na dúvida.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(178) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Danilo Henrique em 19/08/2014 - 21h34 comentou:

Condenar a imparcialidade de uma emissora com um texto desses…kkkkkkkkkkk

Isso aqui é pior que blog de torcedor falando do próprio time

Deixaram para a Dilma,a nossa atual presidente (sim Morena, presidentE, comum de dois gêneros, você não sabe escrever e quer comentar jornalismo), o mesmo tempo que os demais. Acontece que Dilma foi evasiva, não soube ser objetiva nas respostas e o sistema das entrevistas não permitiu a candidata "escorregar"

O Bonner perguntou várias vezes para ela se ela era a favor ou não da decisão do partido em relação ao julgamento do mensalão e ela, Dilma, ficou tentando jogar a pergunta como se sua opinião fosse requisitada em relação a decisão judicial

Ou seja, ou a presidente não compreendeu a pergunta (o que acho impossível, já que agora temos alguém alfabetizado no executivo) ou quis ser escorregadia e não se comprometer com uma pergunta óbvia

Enfim, foi mais um presidenciável encostado na parede e que não soube responder de forma contundente.

A globo apenas está nos mostrando o quão despreparado são todos os nossos candidatos.

Sei que você é paga para defender o PT, então não vou pedir que você faça um jornalismo decente, mas, nessa condição, evite falar de imparcialidade. É melhor tentar defender uma pessoa partindo de suas virtudes e não dos supostos vícios de todos os demais.

Principalmente quando esse vício cabe mais a quem acusa do ao acusado.

Quer uma dica como seu leitor: Procure um assunto mais relacionado as pautas dos movimentos sociais. Já vi você escrevendo sobre esse tipo de tema, não é muito bom, mas é aceitável.

Que tal?

Uma boa semana e melhoras Morena

Responder

    Alvares em 19/08/2014 - 22h28 comentou:

    Meu jovem,

    antes de dar lição de gramática, há que se estudar (ou talvez bastasse informar-se…). Segue abaixo o que diz o Dicionário Houaiss sobre o substantivo "presidente" e sua forma feminina "presidenta". Ao que parece, uma parte dos reaças aprende gramática com Reinaldos e caterva, os quais, evidentemente, são ignorantes no assunto. Em certa medida, ser reacionário no Brasil tornou-se sinônimo de ser obtuso.

    A lamentar a falta de saber, despeço-me.

    Alvares

    "presidente

    substantivo de dois gêneros ( sXV)
    indivíduo que preside (algo) ver GRAM a seguir
    1 indivíduo que dirige os trabalhos numa assembleia, congresso, conselho, tribunal etc.
    2 pol título oficial do chefe do governo no regime presidencialista
    3 pol título oficial do chefe da nação nas repúblicas parlamentaristas
    4 título que às vezes se dá ao dono ou ao diretor-geral de uma empresa, clube, banco etc.

    adjetivo de dois gêneros 1664
    que preside, que dirige
    Gramática

    tb. ocorre o feminino presidenta" <—————– !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Murillo em 21/08/2014 - 02h18 comentou:

    Ahhh, a velha mania de julgar as pessoas citando normas gramaticais, subjugando-as e rebaixando seus argumentos em primeiro lugar unicamente para denegri-las pela sua "suposta ignorância". Acho que já temos analfabetos funcionais demais por estas terras, não é verdade? Por quê não largamos essa mania mesquinha de alvejar aqueles que possuem uma opinião que diverge à nossa? Provavelmente porque é mais fácil assim arrebatar os corações de pessoas que não possuem a mínima opinião própria, e se guiam apenas pelo calor de frases "sagazes" e bem colocadas.

    Isso me lembra quando eu estudava no longínquo Ensino Fundamental e as pessoas que eram "tiradas", recebiam um sonoro "vish".

    Iane em 21/08/2014 - 03h35 comentou:

    Falou Bonito!

    Jonas em 21/08/2014 - 18h41 comentou:

    Murilo, detonou em seu texto e em sua resposta. kkkkkkkk Merece print pra postar no facebook kkkk

    jucelito de souza em 21/08/2014 - 23h46 comentou:

    Perfeito Lilia. Não houve entrevista. Parecia o "batman" inquirindo um acusado!

    Paulo em 22/08/2014 - 02h37 comentou:

    Interessante que ela se define como PresidentA da República enquanto sua subordinada se define como PresidentE da Petrobras. Tambem deve ocorrer o feminino estudanta, né?

    Bel em 23/08/2014 - 00h09 comentou:

    No seu caso, deve ocorrer sim, sr. estudANTA. Vá estudar gramática, antes de falar uma besteira dessas, que só revela sua indigência intelectual.

    Danilo Henrique em 25/08/2014 - 14h54 comentou:

    Então amigo, já respondi isso em outras oportunidades

    O substantivo presidente deriva de uma antiga formação do português chamada particípio presente.
    Era composta da flexão do verbo + -nte

    Daí que temos:

    Ver -> Vide -> Vidente
    Amar -> Ama -> Amante
    Ser -> É -> Ente
    Presidir -> Preside -> Presidente

    Tais verbos deram origem a diversos substantivos comuns de gênero devido a sua etimologia.

    O termo "presidenta" consta em nosso dicionário bem como "boceta". São formas populares e não podem ser consideradas normativas, como nossa presidente insiste em fazer.

    Dicionário é a relação de palavras que existem em nossa língua e não a relação de regras gramaticais e lexicográficas existente existentes

    O domínio da gramática bem como dessas regras é o que torna um cidadão, de fato, alfabetizado e letrado. Sem esse domínio analítico e lógico não faz nenhum sentido a comunicação

    Seria como eu inventar a esmo aqui as palavras que fossem mais convenientes para o meu uso particular.

    Mas se quiser continuar na sua "novilíngua" sinta-se a vontade

    Agora você tem a opção entre a "presidenta" e a "sonhática"…rs

    O Brasil vai longe!!!

    Leonardo em 19/09/2014 - 14h39 comentou:

    rsrs, Mítico !

    Claudio Ramos em 19/08/2014 - 22h32 comentou:

    Eu não sou pago para defender o PT, mas me sinto no direito de discordar de seu ponto de vista, este tipo de entrevista não colabora para o enriquecimento do debate, o que se assistiu foi entrevistadores descompromissados com a informação, com o prestar serviço para o povo brasileiro, não discutiu propostas, não deixou a entrevistada responder, e desta forma não considero uma entrevista. Diante de todo esquema montado para desconstruir a imagem e a moral de uma Presidenta e mulher no minimo ficou ridículo. Esta é minha opinião, teria muito mais coisa para acrescentar porém percebo pelo seu tom no comentário é de alguém que não quer debater ideias, você quer é a discussão. E outra se todos que falam contrários a sua opinião são pagos o que posso entender da sua? você estar comprado?

    Paulo em 20/08/2014 - 15h52 comentou:

    Sim, mas o povo também precisa saber o motivo de tanto escândalo e o porquê da autoridade máxima do país consentir de que os seus aliados políticos, condenados como corruptos, são heróis na visão não só dela, mas como todos os militantes do partido. Eu devo confessar aqui que não voto em ninguém, mas não podemos concordar com atitudes desse tipo, principalmente quando estamos falando de uma presidente da república.

    Luiz em 20/08/2014 - 16h35 comentou:

    A presidente-candidata teve todo o direito de responder as perguntas. Ela é que não soube ou não quis respondê-las. Ela precisa aprender como dizer mais com menos palavras. Eram 15 minutos para todos os candidatos, e Eduardo e Aécio se sairam muito melhor do que ela.

    jucelito de souza em 21/08/2014 - 23h50 comentou:

    Luiz, o problema da entrevista não esta nas respostas. Está nas acusações que se mascaram de pergunta. Por que não houve pergunta no mesmo formato, a respeito do desvio de 3,4bi da saúde MG durante o Governo de Aécio?

    Paulo em 22/08/2014 - 02h41 comentou:

    Porque não foi julgado, muito menos condenado. No caso, a pergunta foi à candidata, não à presidente, e envolvia pessoas notadamente corruptas, condenadas pela corte máxima e PRESAS.

    Jessika em 19/08/2014 - 22h34 comentou:

    Sim para presidente e sim para presidenta… Ambos os termos estão corretos. Ela sabe escrever sim!

    Thiago em 19/08/2014 - 23h37 comentou:

    Criatura, a palavra "presidenta" existe sim. E assim como "parenta" é opcional: Está certo dizer "a presidenta" ou "a presidente", da mesma forma que está certo dizer "a parenta" ou "a parente".

    Quanto ao resto, concordo contigo. É lamentável querer que a Globo só faça perguntas previsíveis para os candidatos terem apenas o "trabalho" de repetir de forma ridícula aqueles velhos chavões de "saúde e educação".

    Paulo em 22/08/2014 - 02h43 comentou:

    Lamento mas a origem das palavras não é a mesma, apesar de parecidas. Presidente é que preside e parente é o que?
    De resto, quem quiser ouvir as "propostas" dos candidatos, que ligue no horário eleitoral.

    Danilo Henrique em 25/08/2014 - 15h00 comentou:

    Parenta não possui formação nas estruturas verbais de particípio presente, por isso seu uso não é considerado "coloquial" ou inadequado

    Presidente vem do antigo particípio presente.

    Ver -> Vide -> Vidente
    Amar -> Ama -> Amante
    Ser -> É -> Ente
    Presidir -> Preside -> Presidente

    Os idiomas, principalmente o nosso, possuem uma formação lógica. Por isso que eu não posso sair inventando palavras

    Apenas o uso consolida uma palavra, mas esse uso deve possuir algum sentido

    Presidenta não possui uma razão.

    É como o termo "governanta" que não diz exatamente do cargo de quem governa, mas sim, da cuidadora de uma casa

    O cargo oficial é presidente da república, porque é quem a preside. Não existe uma razão para chamá-la de "presidenta". Se não existe razão, então para quê chamar ela assim?

    Para construir um neologismo que denote uma participação especial em um cargo?

    Isso não tem sentido! Não é pertinente

    Fale a língua que quiser, eu continuarei com o português e sua boa lógica!

    livia gomes em 20/08/2014 - 00h45 comentou:

    Quando um pessoa acredita na Rede Globo, deve ser tratada como uma criança, que ainda é uma mente em branco… Sinto muito por vc, sinto mesmo. Mais ainda dá tempo de rever seus conceitos e de construir um senso critico de uma adulto.

    Luiz em 20/08/2014 - 16h42 comentou:

    Não sei se trata-se de acreditar ou não na Rede Globo. Acho que trata-se de acreditar na imagem e áudio do vídeo transmitidos abertamente ao público em rede nacional. Mas suas palavras parecem as de um papagaio, que escuta e repete o que os outros dizem. Você é que deve construir um senso crítico de uma adulta. Realmente, a Globo nos mostrou quão despreparados estão os candidatos, especialmente a candidata Dilma Rousseff, que se expressou de forma muito pobre e não conseguiu respondeu as perguntas dos entrevistadores.

    livia gomes em 20/08/2014 - 23h42 comentou:

    Luiz, quem parece um papagaio é vc, ou vc se acha um intelectual?? Tá muito longe de disso. Sou formada em História, não tenho pretensão de ser o onisciente, mas pelo pouco que o curso me ofereceu, tenho conciscencia do passado deste país e o que é realmente essa Rede Globo. Embora tambem qualquer imbecil, com um pouquinho de senso crítico sabe a que interesses eles defendem.

    Mayara Rodrigues em 20/08/2014 - 00h52 comentou:

    Diferente do Jornal Nacional, que finge imparcialidade, a posição do blog já está no nome: SOCIALISTA Morena.
    É um blog de esquerda, isso está claro, os comentários deste blog vão seguir princípios de esquerda e você pode concordar com ele, discordar, pode passar reto quando ver… A decisão é sua, o importante é que você está ciente do posicionamento deste canal, ele não está te manipulando. E isso também não significa que ele vai defender esse governo cegamente, só coloca logo pra você saber a posição do blog.

    Muito melhor do que fingir imparcialidade enquanto massacra esse governo todos os dias e omite os avanços sociais do Brasil dos últimos anos (ou da um espaço minúsculo a eles), enquanto também omite problemas quando o responsável em questão é de um partido no qual eles são favoráveis (pouco vejo sobre a crise da água em São Paulo, ou sobre o "tremsalão").
    Você lembra das mentiras da grande mídia em relação à copa? Diziam que os estádios não ficariam prontos, não teríamos aeroportos, que a copa ia mostrar ao mundo nossa incompetência (frase do Arnaldo Jabor), grandes mentiras pra colocar as pessoas contra o governo, e isso logo na reta final quando já não era possível fazer nada à respeito, como cancelar a copa, e que fez muita gente deixar de investir e lucrar com ela.
    O que eles fazem é um desserviço à população.
    Veja a carta de princípios, as empresas parceiras e os nomes dos doadores do Insituto Millenium: http://www.imil.org.br/institucional/parceiros
    Se você acusa a Cynara de ser paga pra defender o PT o que dizer então das empresas de comunicação que fazem esse "complô da família tradição e propriedade"?

    É uma pena esse e outros blogs serem um meio alternativo de se informar, um grão de areia no meio desses gigantes da comunicação que omitem suas posições mas colocam apenas a informação que eles querem que você saiba, usando os termos que eles querem que você reproduza e que são a única fonte de informação de grande parte da população. E sem um fortíssimo senso crítico essas vão ser manipuladas mesmo. Muita gente sai reproduzindo a desinformação num tom cada vez mais agressivo, o ódio se potencializa nas redes sociais e lá se vai o nível do debate…

    Panatta em 20/08/2014 - 03h34 comentou:

    Bravo, é vero…

    Vitor em 20/08/2014 - 14h58 comentou:

    Mayara, eu concordo com você, o que me deixa perplexo é as pessoas realmente acharem que o PT é um partido de esquerda… Olhe para o orçamento do país e identifique para onde o dinheiro realmente está indo. Compare quanto é gasto com pagamento de juros e quanto é gasto com bolsa família, por exemplo… A solução obviamente não é PSDB e Marina, mas fechar os olhos para as ações do PT não contribui em nada para que o país realmente tenha uma justiça social… E o PT em 12 anos pouco mexeu nos tópicos estruturais, que realmente farão a diferença.
    Abraços!

    Maria AliceG em 20/08/2014 - 02h07 comentou:

    As perguntas foram lançadas a Presidente Dilma de maneira contestativa e de forma crítica dentro do contexto. Jornalismo imaturo que mostra um posicionamento desde já.

    Patrick em 20/08/2014 - 16h11 comentou:

    Talvez o centro da entrevista estivesse focado nos pontos polêmicos (pelo menos ouvi, minutos antes do inicio da entrevista, esse foi todo o tempo que assisti a emissora no mês, o Bonner falando isso), logo, necessário seria respostas diretas e menos evasivas como foram as dadas pela PRESIDENTE/PRESIDENTA (o VOLP reconhece ambas).
    Surgir acusações de jornalismo imaturo e imparcial, relacionado única e exclusivamente ao fato, é, no minimo, tentativa clara e infundada de distorcer a realidade, qual seja; despreparo total da candidata (entrevista e direção da república) e baixíssima qualidade das resposta.

    Sergio S. em 20/08/2014 - 04h15 comentou:

    Pois eu concordo plenamente com o texto deste Blog.

    Marcelo em 20/08/2014 - 05h38 comentou:

    Mesmo que não estivesse correto "Presidenta", acho que seria interessante adotar para ressaltar a aceitação das mulheres nos meios antes tão discriminadas, e pelo visto ainda o são por alguns.
    Acredito que além de não entender de Ética, esta falta para muitos. Já a nossa Presidenta mostrou ser muito Ética não respondendo uma pergunta da qual quase a espancaram para responder. Ela agiu muito bem, apesar de muitos de nós já sabermos da resposta. Mas parece que os entrevistadores queriam mesmo causar um mal estar entre os poderes, se era esta a intenção, chuparam dedos. Para os que não entendem de Ética, vai um teste fácil que pode elucidar. Procure falar mal do seu irmão, na frente dele mas que ele não tenha como se defender no momento, e ainda sem ter todos os subsídios (provas em mãos), veja o que vai acontecer. E a Ética funciona para negativos e positivos quando usada por pessoas inteligentes. Se só falo o bem, quando deixo de falar , o silêncio pode significar que estaria falando mal. Precisa desenhar mais ou este rabisco já serve?

    Patrick em 20/08/2014 - 16h14 comentou:

    Muito ética com o partido. E a ética com a nação???
    Obvio que o silêncio já respondeu.

    Marcelo em 21/08/2014 - 01h59 comentou:

    Pelo visto você não entendeu. Esta Ética que citei é com relação a nação também, mas muito mais com relação ao convívio dos 3 poderes. Nem de perto considerei ou se considera com relação ao partido. Ela como Presidenta não responde mais pelo partido e sim pela nação como chefe do Executivo. O porta voz do partido é exercido por outra pessoa que não ela. Sinto muito contradizer, mas é desta forma que se mantém a paz, a governabilidade. Nisto ela tem sido muito correta. E ela falou que tem a opinião pessoal dela, mas não comentou nada, não deixou transparecer nada. Caso não entendas assim, sinto muito. Por outro lado, a Globo sabendo disto, formulou esta pergunta para que ela caísse em uma cilada, ela não caiu, mas quem desconhece esta Ética, acha que ela não quis responder simplesmente. Assim que a Globo vem manipulando a população, sabendo que a Presidenta não iria responder, iria dar esta impressão. E caso tivesse respondido, não duvido que na própria entrevista ela seria julgada e condenada por isto.

    Eduardo em 21/08/2014 - 11h35 comentou:

    Mas assim como os outros candidatos, ela foi entrevistada como candidata do PT e não como Presidenta… simples assim!

    Danilo Henrique em 25/08/2014 - 15h27 comentou:

    A questão não é polêmica, mas sim de qual postura de nossa presidente. Ela afirmar ou se calar não muda a contradição

    O Partido Dos Trabalhadores apoiou de forma pública e veemente os mensaleiros contrariando uma decisão do Supremo.

    É direito do partido. Mas partindo disso qual a posição da candidata Dilma Roussef?

    Dilma é presidente por cargo, mas como candidata deve possuir uma posição

    O correto seria ela falar: Concordo com o partido como integrante do mesmo e como candidata, agora como presidente da república não posso conflitar decisões de um outro poder

    Isso é a diferença mínima entre espaço público e espaço privado, diferença ainda mais vital que constitui a essência da isonomia de poderes

    Falar que defende a isonomia republicana sem conhecer o conceito de espaço público e privado é assumir que não conhece o que tais conceitos realmente representam

    Ouviu falarem isso em saiu repetindo. É como dizer que "presidenta" ta certo porque ta no dicionário e o Pasquale falou!!!!

    É desconhecer a essência das coisas!

    Isso é ser ignorante e é isso que nossa gente é. A política é apenas reflexo das gentes

    Somos ignorantes e é por isso que estamos abaixo da política!

    Entendeu minha crítica ou precisa desenhar?

    Jeferson em 20/08/2014 - 14h56 comentou:

    Concordo com voce 100%…..

    Jayyme Mello em 20/08/2014 - 19h46 comentou:

    ESTATUTOS DA GAFIEIRA

    Moço, olhe o vexame
    O ambiente exige respeito
    Pelos estatutos da nossa gafieira
    Dance a noite inteira, mas dance direito !
    Tá bem, moço?
    Olhe o vexame
    O ambiente exige respeito
    Pelos estatutos da nossa gafieira
    Dance a noite inteira, mas dance direito
    Aliás, pelo artigo 120…

    E, assim poeta popular, Jorge Veiga, lá das antigas, já ensinava ao cavalheiro folgazão a melhor maneira de se comportar na gafieira.

    Marcelo em 20/08/2014 - 21h22 comentou:

    Perfeito o seu comentário. Parabéns!

    Luiz em 21/08/2014 - 04h58 comentou:

    Meu amigo, perfeito. São despreparados demais, todos eles. E aqui realmente tem que defender a gerentona.

    Hamilton em 21/08/2014 - 16h45 comentou:

    Texto mais coerente que já li até agora. Essa turma vermelha tá um nojo, cambade corruPTos

    Alessandro em 21/08/2014 - 17h50 comentou:

    Engraçado… falas tanto de corruptos, e que me diz de tremsalão, crise de racionamento, falência da USP, aeroportos no meio do nada e na fazenda de tios, amordaçamento da imprensa em Minas…?

    Tsc, tsc… típico leitor da Veja. Cego ou mal-intencionado como tal…

    almir em 21/08/2014 - 23h27 comentou:

    Danilo,menos! Você está parecendo mais um defensor da globo! Seja mais claro e menos tendencioso!

    Danilo Henrique em 25/08/2014 - 15h15 comentou:

    Não defendo a globo. Só que é incoerente criticar o "mau jornalismo" cometendo o mesmo erro.

    Só isso! Coerência é bom para variar

    Alchimist da Silva em 22/08/2014 - 01h30 comentou:

    Você é bem encaixotadinho e posa de entendido e analítico.

    Danilo Henrique em 25/08/2014 - 15h13 comentou:

    Sei que sou foda, obrigado, beijos.

    Gilson em 22/08/2014 - 17h13 comentou:

    Esta dúvida do feminino já está ultrapassada, mas para alguns, é preciso desenhar. Em todo caso, o Prof. Pasquale Neto afirma que em alguns casos, o uso fixa como alternativas as formas exclusivamente femininas, em que o “e” final dá lugar a um “a”. Um desses casos é o de “parenta”, forma exclusivamente feminina e não obrigatória (pode-se dizer “minha parente” ou “minha parenta”, por exemplo). Outro desses casos é justamente o de “presidenta”: pode-se dizer “a presidente” ou “a presidenta". Também há "governanta", "monja", ëlefanta", "mestra", "infanta", entre outros. O pior de tudo isso, é concordar com os pseudo-jornalistas do JN. Uma verdadeira desinformação, um retrocesso do que é jornalismo. Uma pena.

    Danilo Henrique em 25/08/2014 - 15h12 comentou:

    Isso do Pasquale é bobagem

    Ele usa uma interpretação específica, que é a do Bechara

    Isso não existe no idioma. O Pasquale é um excelente professor de gramática mas não tem autoridade para mudar a língua

    O termo presidente tem origem no particípio presente, antiga formação do idioma português

    Já falei disso 100000000000 vezes desde que a dona "presidanta" assumiu o cargo

    Não existe nenhuma norma que conste em nosso idioma para formas "exclusivamente femininas ou masculinas". Governanta não é como presidenta, foi um erro de linguagem que foi incorporado a um cargo específico, que é a cuidadora da casa e não "quem a governa"

    A presidente da república ocupa um cargo bem específico, portanto o caso da governanta não se aplica a ela.

    Monja, elefanta, mestra, são incorporações defectivas, não são consideradas norma culta, mas sim coloquial consagrada por uso. Nenhuma dessas palavras tem sua origem em verbos

    Presidente vem de presidir, assim como vidente vem de ver, amante de amar e ente de ser (aquele que é, portanto ente).

    Não existe videnta, amanta ou enta, portanto não existe "presidenta". O Pasquale adora formas consagradas pelo uso.

    Isso é incoerente pela própria natureza da linguagem. A linguagem deve ser compreendida e portanto adequada a uma regra, um protocolo.

    Se o uso faz a linguagem então cada qual fala o que bem quiser e ninguém se entende!

    Você é mais um típico tonto que dá autoridade demais para cargos, nomes, status e pouca ou nenhuma autoridade para a razão ou a lógica.

    Se o Pasquale afirma que "presidenta" é correto ele pode ser quem for. Do ponto de vista da gramática pode estar correto, do ponto de vista da linguagem ele está incorreto.

    Só gramática não faz idioma.

    SIDNEI OLIVEIRA em 23/08/2014 - 20h02 comentou:

    De uma empresa que se fortaleceu apartir da compra fraudolenta da TV SP e do regime que implantou a Ditadura,digo,do regime americano (USA),que imparcialidade esperar!!!!???Mostre o DARF,Sonegadora!

    Matheus em 24/08/2014 - 15h39 comentou:

    Esse texto do Danilo matou a pau!

    Pedro em 21/10/2014 - 19h18 comentou:

    Com certeza, essa estagiária enfiada nessa revista calhorda, pelos ptralhas pensa que está ajudando o país com esses textos indecentementes parciais. No currículo que publicou dos candidatos, essa criatura teve a audácia de nem disfarçar que é paga pelo pt para ofender o candidato Aécio. Essa mulher é uma vergonha para a imprensa brasileira (como todo os demais blogueiros pagos pelo pt), e o que é pior ainda: é paga com o MEU ou TEU o dinheiro de TODO o povo brasileiro. Quero dizer pra essa dona aí, que a dilma, (em caixa baixa mesmo), nunca me representou, é uma ignorante. Será que a tal Cynara, vulgo Morena, não vê isso? Claro que não, ela quer o dinheiro que o pt lhe paga para escrever essas covardias, aliás bem próprio dos ptralhas, assaltantes do povo brasileiro. Mas eu entendo que isso é puro desespero, afinal, a boquinha vai acabar logo, logo, faltam poucos dias…aí….minha cara miliciana…se conseguir vá pra Cuba, o Fidel e quadrilha vai te arrumar um bom trabalhinho: vai vender água de coco na praia. kkkkkk….. você sua ingrata, vergonha da classe acaba de receber uma aulinha grátis do bondoso sr. Danilo Henrique, leia o texto que ele te doou pelo menos 100000000 vezes por dia, e assim aprender a escreve: (sim Morena, presidentE, comum de dois gêneros, você não sabe escrever e quer comentar jornalismo), Aceite também a dica que ele te deu, para escrever sobre os movimentos sociais… assim você vai treinando e quem sabe dentro de alguns anos você consiga escrever alguma coisa que preste? Viu, boçal, gente com boas intenções não faltam para ajudá-la! No meio tempo procure também tomar vergonha nessa cara…. dona cynara, vulgo morena…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    morenasol em 21/10/2014 - 22h54 comentou:

    normalmente eu não aprovo esse tipo de comentário de gente burra e agressiva. mas resolvi liberar o seu, porque seu nível e o de sua laia fica evidente ; )

Natalia em 19/08/2014 - 22h31 comentou:

Amigo, Danilo Henrique

A palavra presidentA existe e está correta sim!

Responder

    ferott em 20/08/2014 - 00h37 comentou:

    Existe. não está errado.
    Você pode falar "a presidenta", "a gerenta" ou "a atendenta".
    O uso coletivo deve determinar predileção ou confirmar as duas formas.
    Partindo desta lógica, provável que a palavra presidAnta torne-se mais correto que presidentA para se referir à atual presidente.

    Javier em 20/08/2014 - 12h52 comentou:

    Também existem estudantA? e ignorantA?

    leilajink em 20/08/2014 - 14h34 comentou:

    faça um esforço e consulte um bom dicionário . temos aqui um trecho da revista Língua Portuguesa que acabei de receber: "Se quisesse seguir a lei com um rigor, digamos, ortodoxo para seus hábitos, o brasileiro teria de oficialmente referir-se a Dilma Rousseff como "presidenta". Sim, a lei federal 2.749, de 1956, do senador Mozart Lago (1889-1974), determina o uso oficial da forma feminina para designar cargos públicos ocupados por mulheres. Era letra morta. Até o país escolher sua primeira mulher à Presidência da República."

    Patrick em 20/08/2014 - 16h17 comentou:

    A lei sobre a gramatica. Legal isso. kkkkkkkk

    bia em 21/08/2014 - 22h02 comentou:

    Parabéns! É raro alguém escrever tão bem na Internet!

    Bruno Alves em 21/08/2014 - 23h08 comentou:

    Querida Leila, faça um esforço e consulte um bom "dicionário". Eu não fiz o mínimo esforço para verificar sua fonte, mas não precisei me esforçar para saber que o Brasil tem o idioma português como língua pátria por ter sido colonizado por Portugal, que sim, este é berço da língua portuguesa. Logo, leis federais brasileiras não tem poder de embase para modificar o idioma. E sim, a palavra presidenta, por mais ridícula, esdrúxula e inaudível que seja, ela existe, mas NUNCA, nem triscando, nem no sonho, existe porque uma porcaria de senador criou uma lei pra definir isso.

    Roludo em 22/08/2014 - 01h06 comentou:

    Sim, é uma lei, mas gramaticalmente é incorreto. O particípio ativo de presidir é presidente, e não presidenta.

Maico Dal Ponte em 19/08/2014 - 22h43 comentou:

As entrevistas do JN abordam temas polêmicos, eu consegui entender que estes 15 minutos estariam dedicados à abordar os problemas ocorridos e escândalos, foi assim tanto com com Dilma e Aécio. Portanto, como assim uma "boa entrevista" precisa abordar as propostas???
Eles deixam bem claro que procuram deixar o minuto final para propostas do candidato. A Dilma não falou sobre seus projetos porque não sabe manter uma linha coerente de discurso.
Cynara Menezes, te falta um pouco de atenção!

Responder

    Sérgio Akira em 20/08/2014 - 19h53 comentou:

    A entrevista está transcrita no site da Globo: nota-se claramente que a maioria das perguntas, que já foram poucas, não focavam em projetos e propostas, o que mais nos interessam num presidenciável. Um bom leitor saberia notar as diferenças sem qualquer esforço!!

Ricardo G. Ramos em 19/08/2014 - 23h15 comentou:

Ontem, a Presidenta enfrentou com galhardia e inteligência a pauta da Rede Golpe no JN. A ansiedade dos entrevistadores, na pressa de mostrar serviço aos patrões, ficou evidente. Bonner e Poeta, dois sabujos a serviço da garantia de seus empregos, foram vergonhosos, tentando a todo momento cortar o fluxo de idéias de Dilma Rousseff em suas respostas. Não conseguiram. Levaram um banho de coerência e educação. Os apresentadores do jornal serão sempre aqueles "jornalistas" portadores do ódio a serviço da Casa-Grande. Nem pediram para agachar e já estão ajoelhados.

Responder

    Rodrigues em 20/08/2014 - 00h20 comentou:

    Meu Deus,respondeu as perguntas com inteligência? Banho de coerência???? Você viu o mesma entrevista que eu ví? tá certo, vou dar uma colher de chá, pra quem estava acostumado com o Lula, a Dilma é até inteligente… pelo menos não é semi-analfabeta.

    Camila em 20/08/2014 - 16h08 comentou:

    Esse Ricardo G. Ramos, eh bem provavel contratado do PT.
    Assim, como o quem publicou. heheh
    Achei que a Patricia Poeta e Willian, fizeram bem as perguntas,
    fizeram as perguntas que o povo queria saber!

    morenasol em 22/08/2014 - 17h22 comentou:

    e você, é contratada de quem? está acostumada a VENDER suas opiniões e acha que os outros fazem o mesmo?

    Patrick em 20/08/2014 - 16h19 comentou:

    Viche, esse deve ter visto alguma entrevista editada, se é que seria possível essa mulher sair-se bem em alguma entrevista.
    Cegueira PETISTA.

    LiliaElvira em 20/08/2014 - 20h56 comentou:

    Ricardo, acho que a PresidentA não teve chance de responder com galhardia, dado que o Bonner não lhe permitiu terminar sequer uma frase ! Agora, concordo que os apresentadores NÃO-jornalistas (jornalista tem ética, informa e NÃO BATE BOCA !) são os mesmos cheios de ódio a serviço da Casa-Grande. Tudo LAMENTÁVEL e triste…

    Guilherme em 20/08/2014 - 22h05 comentou:

    Ricardo, assisti a todas as entrevistas feitas com os candidatos à presidência, pelo Jornal Nacional. Em nenhuma delas consegui perceber algum tom tendencioso que pudesse favorecer qualquer candidato ou partido. As perguntas foram feitas com base em assuntos polêmicos, apresentando a seguinte "forma": apresentou-se uma questão que envolvia algum problema (seja ele escândalos de corrupção, saúde, educação, economia, segurança, etc.), o candidato comentara sua opinião acerca da questão imposta, e logo após era feita outra pergunta envolvendo o mesmo tema, só que dessa vez o candidato era questionado a apresentar uma solução para o problema (essa solução pôde ser entendida como proposta do candidato para sanar o problema).

Samuel em 19/08/2014 - 23h16 comentou:

Li, concordo em termos, mas acho que a coordenacao de campanha errou muito pq as perguntas e a forma foram todas esperadas, porque como vc mesmo escreveu, vem de receitas centenarias. Seria a assessoria tao ingenua que achava que esses assuntos nao seriam tocados de forma tao contundente? Nao acho que um governo de 4 anos de qualifique em 15 minutos, mas eu sou minoria e, sendo o J.N. o jornal mais visto e mais critico ao governo PT deveriam ter ido com as respostas e a forma preparada.

Responder

Lucila em 19/08/2014 - 23h20 comentou:

Acho que Bonner e Poeta não estão nem pensando em fazer jornalismo, com essas entrevistas. Acho que o que Bonner e Poeta querem, mesmo, é interpretar o papel do que ele, como editor-chefe que é/era do JN, julgava ser seu público-alvo: o Hommer. Aquele cidadão comum, raso, limitado, simpaticão, mas que é capaz de ser abjeto, pela sua ignorância. Aquele velho conhecido Almeidinha, da Carta Capital, que vive indignado com "tudo que está aí". E, bem, pelo que eu leio nas redes sociais, acho que ele está acertando em cheio…

Responder

    Patrick em 20/08/2014 - 16h21 comentou:

    Esqueceu do seu nome em seus exemplos.

    Rafael em 21/08/2014 - 03h26 comentou:

    Perfeita!

Alex em 19/08/2014 - 23h56 comentou:

Um texto mequetrefe, falando de imparcialidade sendo parcial a um partido ( não vi a mesma defesa com os outros candidatos, que foram colocados na parede também).

Responder

Ana Carolina Piaggi em 20/08/2014 - 00h02 comentou:

Fiquei muito incomodada com a entrevista e, principalmente, com os elogios ao Bonner. Ainda bem que existem pessoas sensatas nesse país, que tem conhecimento e analisam situações com algo além de partidarismo tolo. Parabéns pelo texto!

Responder

alexandre em 20/08/2014 - 00h42 comentou:

Coitado, mais um partidário do pt. só cego não vê para onde eles estão levando o Brasil.

Responder

    Luiz Gustavo Nunes em 20/08/2014 - 01h53 comentou:

    Cidadão, sua resposta-pronta precisa de atualização. Sequer leu o texto, sequer consultou a autoria do mesmo e rasgou um control+v no masculino.

Lucas de Paula em 20/08/2014 - 00h57 comentou:

Como você quer discutir imparcialidade se em uma edição anterior da revista, vocês mencionaram apoiarem a candidatura da candidata do PT? A hipocrisia tá grande aqui…

Responder

    Luiz RT em 20/08/2014 - 03h36 comentou:

    Meu senhor,leia a reportagem.Não seja tão burro.Até no EUA existem canais que declaram abertamente o seu apoio à uma determinada candidatura.A Rede Globo apoia o tal de Aécio,na maior cara dura.Assim como defendeu a ditadura militar.A revista inVeja,por meio de seus colunistas,ataca,semanalmente a presidenta.Assista as “meninas“ do Jô.Que democracia é essa?Carta Capital não esconde sua ideologia.Mas,não conspira contra políticos ou candidaturas.

João Paulo em 20/08/2014 - 01h16 comentou:

Irônico é ler:
"Já na primeira pergunta a Dilma, a palavra “corrupção” foi mencionada SETE vezes –ao todo foram treze (confira aqui). Com Aécio foram três; com Eduardo, nenhuma."

Quantas vezes a palavra "aeroporto" foi dita na entrevista do Aécio? Conta pra mim?

As perguntas foram direcionadas de acordo com o "universo" que cada partido está vivendo, com a prioridade de quem tem apenas 15 minutos para se expressar… vide a entrevista do "pastor sem noção" de hoje!

A culpa não é da Globo, nem do Bonner e nem da Poeta o fato do PT está diretamente relacionado ao maior esquema de corrupção da história do Brasil.

A crítica acima foi bem construída… mas o assunto cabe muita subjetividade. Eu, particularmente, gostei de todas as entrevistas, e não sou nenhum fã da globo, nem da Dilma, nem do Aécio, nem do Eduardo, nem do Bonner, nem da Poeta e nem do Neymar.

Mais irônico ainda é #cartacapital discursando sobre imparcialidade. Ainda que a Globo estivesse "de um lado" qualquer, então #cartacapital pode se posicionar e a Globo não? A Globo deve ser algum tipo de mídia universal, sem dono, sem raça, sem religião… ?

Na boa… parem de choramingar pelos cantos da web… se animem! Vocês ainda estão no poder! #enjoy

Responder

    morenasol em 20/08/2014 - 01h26 comentou:

    "aeroporto" aparece SETE vezes em TODA a entrevista. mas sério que você quer comparar o peso da palavra "aeroporto" com "corrupção" e "corrupto"?
    sobre a imparcialidade: cartacapital tem um lado, assumido. não é ela quem se arvora em "imparcial". é uma questão de falar a verdade, de não mentir ao leitor/espectador.

    Al baghdadi em 20/08/2014 - 02h00 comentou:

    E como você espera que uma pessoa interessar-se em uma mídia que já diz na capa que as notícias são tratadas de forma parcial?

    Flávio em 21/08/2014 - 01h53 comentou:

    Sua resposta é imparcial? Todas suas ações são imparciais? Mídia imparcial é igual o papai noel, sujeito abstrato inventado pra iludir a mente dos desavisados.

    João Paulo em 20/08/2014 - 02h25 comentou:

    Não é uma questão de comparar o peso das palavras A e B, mas sim como A e B estão relacionadas para os candidatos X e Y. Se A está para X e B está para Y, porque tanto cri cri quanto ao fato?

    A própria Carta Capital enfatizou bem o assunto do aeroporto com Aécio, porque diabos a globo não iria focar também neste item? Porque não tem tanto peso quanto a palavra "corrupção"? Para deixar a esquerda feliz?

    Se bem me lembro, foi citado também sobre o suposto mensalão mineiro. E o candidato foi bem claro que caso alguém do PSDB fosse condenado por corrupção como foi no mensalão, o tratamento por parte do partido seria de repúdio e não de idolatria, como foi no PT. Vamos ver no que dá, caso algum PSDBista seja preso…

    O mensalão vai viver para sempre nas entranhas do PT, porque não foi apenas um casinho de corrupção com baratas envolvidas… foram pessoas ligadas (e muito próximas) ao então ex-presidente Lula e toda a cúpula do PT. Zé Dirceu, Delúbio, Genoíno, Marcos Valério… estamos falando de condenação por corrupção ativa, passiva, lavagem de dinheiro, peculato, evasão de divisas, gestão fraudulenta, etc. Não é algo pra se esquecer numa entrevista de cunho eleitoral. É algo pra se envergonhar, e muito… é algo pra refletir em como os políticos envolvidos (e todos que os defendem, assim como os colunistas do Carta Capital) explicam para o seus filhos como fizeram, defendem e promovem esses tipos de crimes.

    Sobre a imparcialidade: quando a Globo foi específica quanto ao seu "suposto" posicionamento imparcial? Ela agora é obrigada a se posicionar, para o bel-prazer da esquerda e de quem mais quer que seja?

    Poxa, não ligo da esquerda ser tão calorosa e literária em seus discursos, mas custa assumir um fato consumado? O óbvio? Pedir isso em rede nacional é temerário, desculpem a Globo por isso.

    Regis em 20/08/2014 - 03h07 comentou:

    Deixe então que a Dilma "fale a verdade" e não enrole descaradamente como ela enrolou nas respostas das perguntas. A esquerda nunca muda, vive exigindo de seus adversários posições que ela não está nem um pouco disposta a assumir.

    oskanetto em 20/08/2014 - 15h42 comentou:

    Não vejo nenhum politico merecer destaque. Veja que o Pt é sempre acusado do mensalão, sabemos que o julgamento foi midiatico,até por está faltando mais conteúdo na história do mensalão. Até hoje não foi divulgado pela midia o conteúdo do processo 2474 que gerou o 470. Afinal falar de politica e do mensalão deveriamos saber o conteudo do processo 2474. sem falar na privataria ou trem, metrô, água , Tem gente grande nesse processo. Quem merece meu voto o teu e do resto dos Brasileiros.

paulo em 20/08/2014 - 01h27 comentou:

essa defesa da Dilma,na verdade demostra aqui que a defensora só expressou suas convicções políticas partidarias,demostrando assim que o continuismo desse sistema corrupto lhe interessa e muto. Quanto a globo e seus jornalistas, eu concordo em parte,mas que as perguntas foram coerentes com a realidade isso foram

Responder

Maria Izabel L Silva em 20/08/2014 - 01h45 comentou:

Se alguém chama aquilo de entrevista, então pare o mundo que eu quero descer. Foi um duelo. Uma selvageria. É só comparar com outros entrevistadores que sabem se posicionar, sem ser mal educados e agressivos. A Renata Loprete, por exemplo. Alguém acha que ela morre de amores pelo PT? Não. Mas entrevistou a Dilma de maneira respeitosa sem ser submissa. O Bonner se comportou ao modo da escoria que povoa as redes sociais. Aquele tipinho nojento, cínico, parcial, arrogante e cheio de ódio. Quase que ele manda a Presidente calar a boca. Estamos a caminho da barbárie. O Danilo Henrique é um exemplo. Que sujeitinho mal educado e grosso. Vem aqui, no blog da Cynara, cagar regras como se fosse a casa dele, e dizer o que ela deve e não deve escrever … Caramba, tô farta dessa ralé de facebook.

Responder

    Camila em 20/08/2014 - 16h18 comentou:

    Eu chamo de entrevista, ele entrevistou mostrando a furia do brasileiro, fazendo as perguntas
    que nao dava para calar, PT está diretamente relacionado ao maior esquema de corrupção da história do Brasil.

    Rafael em 21/08/2014 - 03h34 comentou:

    Fúria do brasileiro? Fúria pelos 5% de desemprego em média? Fúria pelos juros baixos? Fúria pela universidade para todos? Fúria pelo FIES? Fúria pela Transposição? Fúria pelo saída de cerca de 40 milhões da pobreza? Fúria pelos Mais médicos? Uma mentira muitas vezes repetida se transforma em verdade. Não existe motivo para fúria. Enquanto na Europa os países passam por uma crise e com alta no desemprego. Seguimos criando emprego e renda, assim como condições de habitação e farto crédito. Oras não queriam viver sob a égide do Capitalismo? A melhor maneira de governar neste sistema é este, criando condições para economia crescer e gerar empregos. Mimimi para se dar bem no circulo social, alunos formados no UNIFACE.

Miguel em 20/08/2014 - 01h48 comentou:

Só sei que o PT vai perder.
Só sei que quem frequenta a internet já esta cansada da patrulha vermelha.
Até eu, que antes já fui Lula, hoje reconheço que procuro um novo caminho.
O PT me traiu.
Como não sou 'mulher de malandro', como já dizia o poeta, vou estudar as outras opções.
E tenho dó de vocês…militantes vermelhos que defendem a corrupção a qualquer custo só porque não possuem a coragem de admitir e de aceitar que, aqueles em quem vocês confiaram e ainda confiam, erraram. E erraram feio.
Abraço.

Responder

    Wagner em 21/08/2014 - 03h36 comentou:

    Eu também já fui Lula cara, agora sou Dilma!!!!!

    Paulo em 21/08/2014 - 19h01 comentou:

    ¨so sei que o PT vai perder¨- pelo dito você não sabe nada .

martim em 20/08/2014 - 02h05 comentou:

e a LUCIANA GENRO psol quando vai ao Jornal nacional

Responder

carlos em 20/08/2014 - 02h11 comentou:

Me parece que parte das pessoas que comentaram aqui, de certa forma defende o nosso atual governo, acho que essas pessoas deveriam olhar as manchetes de jornais ou ao menos prestar atenção na realidade presente ao seu redor e ver nossa real situação, um "governo" onde corrupção é coisa de ficção para eles. Bom essa é minha opinião, só para deixar bem claro eu não sou filiado a nenhum partido político, apenas quero mudança em nosso país.

Responder

    Rafael em 21/08/2014 - 03h24 comentou:

    E eu lá preciso de manchetes para enxergar a realidade. Preciso ter senso crítico sobre o mundo que me cerca e que esta interpretação não se reduz a manchete de um jornal, seja ele de direita ou de esquerda.

Dyego Bandeira em 20/08/2014 - 02h24 comentou:

Desculpas mas vocês mesmos da imprensa que não sabem respeitar os colegas de profissão! É impossível uma entrevista igual para candidatos diferentes e para quem está no governo e para os oposicionistas. É ridículo tentar fazer a pecha nos outros de parciais quando você mesmo não é imparcial!!!

Responder

Jorge em 20/08/2014 - 03h45 comentou:

O legal é que a própria autora admite que imparcialidade não existe, ou ela acredita não existir. E seu texto deixa claro o quanto ela é parcial quanto ao PT. Parabéns. É jornalismo ruim criticando jornalismo ruim.

Responder

    Camila em 20/08/2014 - 16h20 comentou:

    disse tudo!

    João em 21/08/2014 - 11h59 comentou:

    Exato! E o mais interessante é que a Carta Capital não publicou nenhum texto semelhante quando o Bonner "encoxou" o Aécio e o Eduardo Campos… só se melindraram quando a "encoxada" foi na companheira Dilma… vá ser imparcial assim lá em Havana, KKKK. Não dá pra levar a sério, né?

    Igor Piotto em 21/08/2014 - 12h19 comentou:

    Acreditar que exista imparcialidade é como acreditar no papai noel. Todos têm ideologias, pensamentos e posições. Não é crime algum ser adepto de algo, contudo é direito de todo leitor, telespectador, ouvinte, ou o que quer que seja, saber a posição de quem lhe transmite a informação.
    Vocês hão de convir que se eu fosse PTista traria de uma forma os candidatos, se fosse PSDBista traria de forma inversamente proporcional.
    O mal é manipular as informações, como a Globo faz, sem deixar claro a seu público de que lado está. E levar toda essa massa de manobra à apoiar seus interesses.
    Concordo com Cynara, imparcialidade não existe!

Bitter em 20/08/2014 - 04h00 comentou:

Aécio teve uma entrevista dura. O finado Eduardo também. Todos acharam ótimo, pois só assim se consegue respostas objetivas, mesmo que de forma mais ríspida.

Eis que basta nossa presidenta cair na sabatina para o choro escorrer por toda a blogosfera progressista. Será que não percebem que esse chorume é óbvio demais?

Dizer que a Globo é a única fonte de informação só pode ser ignorância. Canal livre e Roda viva já entrevistaram os candidatos há muito tempo, e os debates também terão espaço na Band – sem contar a vasta cobertura dos portais na internet.

A querida jornalista, no afã de tentar justificar o injustificável, acaba recorrendo em fatos históricos NADA correlacionados ao evento atual… Foi apenas uma entrevista, de 15 minutos, dura para TODOS. Escrever mais que isso é prolixo e inútil.

Se sua candidata foi a que mais sofreu, é porque foi e é a mais despreparada.

Responder

    Fernando em 20/08/2014 - 16h18 comentou:

    Concordo Bitter. Inclusive a própria Carta ficou muito satisfeita com o arrocho sofrido pelo concorrente na reportagem "Bonner e Poeta fazem entrevista dura com Aécio Neves" de 11.08. Com esta publicação a revista assume sua postura de: pimenta no dos outros, é refresco…

    joão em 21/08/2014 - 12h00 comentou:

    falou tudo…

Marina NM em 20/08/2014 - 10h55 comentou:

Taca-lhe pau, Cynara!
Concordo com você – a entrevista foi FRACA. O Bonner e a Poeta são muito, mas muito FRACOS.
E devo admitir que a Dilma, minha candidata nessas eleições, precisa de um intensivo em oratória. Falta fluidez mesmo, infelizmente.
Um abraço

Responder

    leilajink em 20/08/2014 - 14h36 comentou:

    concordo plenamente. Precisa tentar a concisão

Kal em 20/08/2014 - 10h55 comentou:

Como você cita imparcialidade do Jornal, se aqui mesmo não existe esse conceito? Por que essa matéria não foi escrita quando os jornalistas botaram os outros dois candidatos na parede?

Responder

FzooG em 20/08/2014 - 11h06 comentou:

Não entendo por que o pessoal de esquerda ainda concede entrevista para o poder midiático, é só prejuízo, perde-se toda possibilidade de crescimento na campanha. Então o que ocorre? Na verdade fica claro que a nossa atual esquerda depende equivocadamente dessa mídia para eventualmente angariar votos de quem lhe consome, mas isso não será possível, pois essa mídia é declaradamente oposta a qualquer esquerda que se apresente e USA suas ferramentas para inverter, pormenorizar ou ridicularizar a proposta alheia. Campanha de esquerda deve ser feita nas ruas, em seminários, palestras, feiras, etc.

Responder

Juliana em 20/08/2014 - 11h18 comentou:

Todo petista é muito previsível!
Tornou-se hábito justificar a falta de preparo da Presidente, a falta de gestão no governo e incompetência dos militantes em tudo que vier a discordar dos mesmos!
É tão feio não ter argumentos plausíveis e criticar o próprio colega de profissão!
Seria mais bonito assumir a bronca… Mas, esperar o quê, de um partido que trata seus "cumpanheros" PRESOS como heróis!!!

Responder

    Marcelo em 20/08/2014 - 16h00 comentou:

    Você pode ser mais clara quanto a seus argumentos? Não vejo da mesma forma, até pelo contrário, exemplo de Ética, de Gestão, de Competência, de Honestidade, de Respeito, de Carinho para com o povo. Aqui não há justificativas, mas sim reforços no que de bom está ocorrendo com o Brasil neste momento de dificuldades no mundo afora. São fatos e números que demonstram isto. Mas sugiro não ler somente a Veja e assistir somente a Globo, nestes você poderá ter a impressão que construir aeroporto em terreno de família é coisa da hora, que mensalão do PSDB e do DEM é coisa de quadrinhos, que falta de água pode ser resolvida com tempos (espera um tempo que o tempo muda).

Antunes em 20/08/2014 - 11h33 comentou:

Desnecessário demais, Cynara. Como alguém que já está no poder, como uma presidente de um país, Dilma mais que ninguém tinha de ter a capacidade de enfrentar os defeitos e as polêmicas do seu governo. E ali estava óbvio que era enrolação por não ter o que falar, e não por ser prolixa. Ela basicamente foi prejudicada por seu partido e aliados. E ao optar em defende-los omissivamente, pagou o preço.
Criticar o modelo do Jornal Nacional, e usar antiamericanismo para tentar demonstrar como esse modelo é demoníaco (sério, achei isso podre), só demonstra uma tentativa desesperada de apagar os erros da candidata, ao tentar desqualificar o jornal. Por mais defeitos infinitos que a Globo possua, ali eles se saíram bem, e ponto. Vocês somente estão criticando de forma cega e urgente por temer que um erro evidente da candidata surta efeito.
Enfim, sabia que a Dilma havia se saído mal, mas pelo visto se saiu muito pior, beirando o desastre. Só pode. Voltarei ao blog apenas após a eleição… Abraço e boa eleição.

Responder

Rodrigo em 20/08/2014 - 11h36 comentou:

Cara Socialista Morena. Dos 15 minutos (vamos excluir os 40 segundos que a presidente falou a força) a Dilma falou por 10 minutos,ou seja,os entrevistadores tiveram 5 minutos para fazer perguntas das quais ela não respondeu,ignou,desviou e admitiu o erro. Lembrando também que quando perguntada sobre a economia ela disse desconhecer as fontes das perguntas e se negou a ver as mesmas [fontes]. Tem certeza que Dilma não teve chance ? E se o JN está sendo tão ruim nas entrevistas,porque a senhora só escreveu sobre isso agora que o chefe de estado do governo com mais caso de corrupção da história foi entrevistado ? Será que é porque você concorda com a manipulação do PT ? Sinceramente,eu esperava mais de você,Doce Socialista.

Responder

WAGNER em 20/08/2014 - 11h43 comentou:

ESTRANHO ESSA MATÉRIA NA CARTA CAPITAL. NÃO DEFENDO O JORNAL NACIONAL POR NÃO CONCORDAR COM A FORMA QUE A MATÉRIA É EXPOSTA, OU SEJA, SEM SAL NEM AÇÚCAR. MAS FIZERAM BEM A PROPOSTA DE COLOCAR NA PAREDE OS CANDIDATOS A ELEIÇÃO POIS NINGUÉM O FARÁ, COM EXCEÇÃO A RACHEL SHEHERAZADE NO SBT. OUTRA, O POVO DESTE PAÍS É IGNORANTE A PONTO DE ACREDITAR EM CAMPANHA ELEITORAL, VOTAR E DEIXAR NAS "MÃOS DE DEUS"! SÉRIO, SE NINGUÉM LEVANTAR A VOZ OU POR CONTRA A PAREDE UM POLÍTICO NO CARA A CARA, CONTINUAREMOS NESSA. POLÍTICO É NOSSO FUNCIONÁRIO E NÃO SE COMPORTA DESSA FORMA. ACHA QUE MANDA NA POPULAÇÃO, POIS QUANTO MENOR O GRAU DE INSTRUÇÃO, MAIS PODER TEM UM CARA QUE É DE CARNE E OSSO E ACHA QUE MANDA ATÉ NA JUSTIÇA. ABRAM OS OLHOS DO POVO SRTA. CYNARA MENEZES. NÃO CRITIQUE O QUE NÃO LHE CONVÉM. FAÇA A SUA MANEIRA ENTÃO E ACREDITE QUE TANTO DILMA, AÉCIO, CAMPOS (INFELIZ ACIDENTE MAL EXPLICADO), MARINA E OUTROS FARÃO O MELHOR PELO NOSSO PAÍS. POR MIM, ESSE ANO TERMINARIA EM IMPECHMENT E TODOS ESSES CANDIDATOS SERIAM INELEGÍVEIS! PARA O BEM DO BRASIL E NÃO PARA O BEM DE UNS E OUTROS.

Responder

Estevao em 20/08/2014 - 13h04 comentou:

Um dos piores textos que já li…

Uma frase que cairia bem agora é : "o pior sego é aquele que não quer ver"

Até mesmo um sego conseguiria enxergar que Dilma não soube passar confiança na sua entrevista. Se enrolou toda para explicar a corrupção do seu partido. E o pior, ainda falou que a inflação está em 0 % (ou seja, chamou toda a população brasileira de idiota!!!)… É lamentável um jornal como o Carta Capital ainda apoiar esse tipo de candidato. Não perderei mais tempo lendo esses jornaizinhos de quinta… flow

Responder

    morenasol em 20/08/2014 - 13h10 comentou:

    verdade… Segueira é difícil, mesmo

    Marcelo em 21/08/2014 - 02h16 comentou:

    Cuidado para você Estevão, não deixar seus próximos, também idiotas, porque você não deve ter percebido que a última medição de inflação foi 0%. E esta frase "o piro CEGO é aquele que não quer ver" pode ser usada por você com um espelho, quem sabe ajuda. Acredito que além de não entender de Ética, esta falta para muitos. Já a nossa Presidenta mostrou ser muito Ética não respondendo uma pergunta da qual quase a espancaram para responder. Ela agiu muito bem, apesar de muitos de nós já sabermos da resposta. Mas parece que os entrevistadores queriam mesmo causar um mal estar entre os poderes, se era esta a intenção, chuparam dedos. Para os que não entendem de Ética, vai um teste fácil que pode elucidar. Procure falar mal do seu irmão, na frente dele mas que ele não tenha como se defender no momento, e ainda sem ter todos os subsídios (provas em mãos), veja o que vai acontecer. E a Ética funciona para negativos e positivos quando usada por pessoas inteligentes. Se só falo o bem, quando deixo de falar , o silêncio pode significar que estaria falando mal. Precisa desenhar mais ou este rabisco já serve?

Robert Moog em 20/08/2014 - 13h15 comentou:

Uma blogueira de um site de uma revista sem expressão querendo ensinar o que é imparcialidade, jornalismo inovador e como fazer uma entrevista??? Será que a Cynara faria melhor se estivesse com as rédeas na mão??? Pelo demonstrado em sua pífia carreira até agora parece que não…. Encrencou com o uso excessivo da palavra "corrupção"… Talvez seja porque o governo Dilma esteve envolvido em tantas, já parou para pensar nisso??? Não consegue nem entender os motivos na diferença de abordagem para cada candidato… Como entrevistar igualmente dois candidatos onde um deles está tentando convencer sobre seu preparo em comandar o país e outro que já teve a chance está precisando defender sua continuidade????

Responder

    morenasol em 20/08/2014 - 15h21 comentou:

    deve ser por isso que você vem aqui TODO SANTO DIA, né? ; )

Robert Moog em 20/08/2014 - 13h23 comentou:

Dilma já disse que cederá uma entrevista ao SBT para Rachel Sheherazade…. Duvido que mantenha a palavra e não desista… Da rádio CBN ela já fugiu… Fazer campanha para o primeiro mandato é fácil, mas segurar o rojão da campanha à reeleição não é para qualquer um, Sr. Presidenta…. Afinal, o julgamento agora é baseado no que já foi realizado (ou não) e não somente nas promessas e programas futuros….

Responder

Robert Moog em 20/08/2014 - 13h25 comentou:

Adoraria ver uma entrevista dos presidenciáveis com Cynara Menezes….. Sentiria mais vergonha alheia do que com aquela entrevista do Criolo…..

Responder

BOCA em 20/08/2014 - 13h55 comentou:

A palavra corrupção foi mencionada só 7 vezes? … Tiveram dó da Dilma. Tinha que ser mencionada 7.777 vezes, em se tratando de PT!

Responder

    Marcelo em 29/08/2014 - 17h49 comentou:

    Sabe de nada inocente. Você sabe qual o partido mais corrupto do Brasil? Você sabia que o PT está longe da primeira colocação, tanto em quantidade quanto em posicionamento? Você sabia que o PT que incentivou e que criou condições de desvendar as corrupções no Brasil? E que, claro, por ser um partido democrático, honesto e de palavra, também teve membros investigados e alguns condenados? Mesmo assim está distante dos demais partidos. Você sabia que os maiores escândalos de corrupção no Brasil (são vários maiores que o Mensalão do PT) ainda não foram julgados e que todos eles são do PSDB e DEM? Você sabia que imprensa não divulga estes casos destes dois partidos? Você sabia que Joaquim Barbosa acelerou o "julgamento" do mensalão do PT enquanto os demais estão escorregando? Com todas estas situações parece que o PT é o mais corrupto mesmo. Então procure se informar para entender a realidade.

raka em 20/08/2014 - 13h57 comentou:

Excelente texto.!! Parabens.

Responder

Jonas Silva em 20/08/2014 - 14h09 comentou:

O problema que se impõe aqui é a falta de confiança, de credibilidade da emissora. Ninguém discute que é a mais vista. Que não temos uma concorrência eficaz. Mas o problema é o passado da TV Globo. Elogiar o quê? Elogiar quem? Passado sempre presente.Ficar mais de 20 anos apoiando o mesmo modelo insano de governo depõe contra a empresa. Modelo coronelista, sim, o modelo de jornalismo da Globo. Não foi à-toa que apoiou e se beneficiou do regime militar por mais de duas décadas. Parabéns pelo texto.

Responder

Daniel em 20/08/2014 - 14h39 comentou:

E cade a sua "imparcialidade" ?? O texto teria que ser do mesmo jeito, os temas abordados nas entrevistas foram os mesmos, temas polêmicos, como a partido da presidenta Dilma (PT) tem a maioria dos casos de corrupção do país todo, claro que ela teve mais o que se defender, e também por ser atual presidente tem mais casos a serem respondidos, os outros candidatos falam em projetos, em o que podem fazer para melhorar, o atual presidente tem que responder porque o que esta sendo feito não esta dando certo, porque teve um tempo para ser feito ou corrigido e ainda não foi feito, isso é obvio e claro em todos os países, então ao se falar em "imparcialidade" use do mesmo critério, e veja o parâmetro do ocorrido. ATT.

Responder

leilajink em 20/08/2014 - 14h47 comentou:

1- Temos aqui um trecho da revista Língua Portuguesa que acabei de receber: "Se quisesse seguir a lei com um rigor, digamos, ortodoxo para seus hábitos, o brasileiro teria de oficialmente referir-se a Dilma Rousseff como "presidenta". Sim, a lei federal 2.749, de 1956, do senador Mozart Lago (1889-1974), determina o uso oficial da forma feminina para designar cargos públicos ocupados por mulheres. Era letra morta. Até o país escolher sua primeira mulher à Presidência da República."
2- Entendo perfeitamente e a parabenizo pelo texto. Sabemos que o jornalismo não pode confundir agressividade com grosseria. A Presidenta demonstrou perfeito domínio sobre tudo o que lhe foi perguntado. As interrupções e grosserias ajudaram a fazê-la mais prolixa e menos objetiva. Mas foi firme e elegante. Emblemático: "eu não sei de onde são as suas fontes, Bonner, porque não sei se você sabe, mas existe uma coisa chamada ´ndices antecedentes" e para finalizar: "No meu governo nenhum procurador geral da republica foi chamado de engavetador geral"

Responder

Lenir Vicente em 20/08/2014 - 15h24 comentou:

Nunca vi tanta incompetência junta. Os dois locutores engasgavam nas próprias perguntas e não deixavam a entrevistada responder a contento. Não foi uma entrevista jornalística, foi uma ataque, mas Dilma saiu-se bem, apesar de não lhe ter sido permitido concluir suas respostas. Aqueles dois mais pareciam principiantes na frente de uma autoridade que eles sabiam ser mais esperta do que eles e, principalmente, saber mais do que eles. Não fizeram nenhuma pergunta objetiva, porque não queriam respostas objetivas.Queriam acossar a presidenta, mas só conseguiram mostrar qual mal preparados estavam para o papel. Em qualquer escola de jornalismo que se preze aquilo ali deveria ser mostrado "como não deve entrevistar uma pessoas". Se prova fosse, tomariam bomba.

Responder

Jayyme Mello em 20/08/2014 - 15h30 comentou:

Como nas outras eleições, o fogo cerrado contra quem eles não querem ainda é uma constante.

Os produtores brasileiros de soja, da maneira que se queira interpretar, ou seja; num período, ou numa safra, produziram (faturaram né?) exatamente, o mesmo volume financeiro que os "operadores dos pedágios" arrecadaram nas estradas nacionais.

De igual maneira, hoje, o transportador de carga, num longo trajeto, o pagamento de pedágios ida e volta, fica bem mais elevado, que o consumo de combustível, bem como as despesas com as refeições do condutor do veículo naquele trajeto.

Mas, voltando a tal soja, percebam, aliás, que a produção da soja brasileira neste tópico, serve apenas como exemplo. Portanto, assim como qualquer outra produção agrícola, é imprescindível o espaço para a aquela tal cultura que se queira plantar, o terreno, hectares e hectares de terras.

Além do tempo de arar a terra, plantar e colher, isso leva um bom tempinho em cada cultura agrícola. Também são preponderantes as sementes, máquinas e implementos agrícolas, os fertilizantes, adubos, defensivos etc. E, o mais importante nesse ciclo primário de produção, diuturnamente, o homem do campo e seus familiares.

O transportador de cargas bem como os meios de produção em linhas gerais, repassam suas despesas e finalmente, quem assume essa despesa injusta, no caso o pedágio, é sempre, o consumidor final.

A indústria do pedágio que não sofre com as intempéries da mãe natureza e, com uma diminuta equipe de arrecadação nas estradas, recebe antecipadamente, em dinheiro vivo.

É público e notório, que esses contratos (pedágios) como outros serviços públicos essenciais -, terceirizados, foram pactuados numa época. E que segundo consta, aproxima-se, agora, o prazo para a renovação.

Ora, sabe-se de antemão, que os que governam, hoje, em linhas gerais, têm pensamento diverso, daqueles que em tempos idos privatizaram os tais serviços públicos.

Portanto, é bem possível que, talvez ai esteja uma das tantas e tantas, razões para o continuísmo desses procedimentos em períodos eleitorais.

Esse equívoco, também faz parte da democracia ainda incipiente em nosso país. E, esses distúrbios serão corrigidos em muito breve, com uma educação igualitária “indistintamente” para todos, dai então, podemos em sã consciência pensar em meritocracia.

Responder

Renato em 20/08/2014 - 16h00 comentou:

QUANTO DINHEIRO VOCÊ OU SEU BLOG OU SUA PAGINA GANHA DO GOVERNO???
QUE PAIS VOCÊ VIVE???

Responder

Edu em 20/08/2014 - 16h02 comentou:

De fato, apesar dos 15 minutos os apresentadores tomam a maior parte desse tempo em perguntas mal formuladas. O candidato não consegue expor seu pensamento sem que haja interrupção durante a resposta.
Péssima a entrevista do Jornal Nacional. Se há pouco tempo para a entrevista, as perguntas devem ser diretas e sem rodeios exigindo respostas diretas.

Responder

Lenir Vicente em 20/08/2014 - 16h24 comentou:

Chacrinha tinha razão: "Em tv na se cria, tudo se copia". Mas competência não dá pra copiar. Aquela entrevista com a presidenta Dima foi uma aula de como não se deve entrevistar uma pessoas. Duas regras básicas do bom jornalista: fazer pergunta objetivas e deixar o entrevistado responder.

Responder

ricardo santos em 20/08/2014 - 16h41 comentou:

A Dilma é uma técnica não sabe falar..Coitada!!!

Responder

Ricardo em 20/08/2014 - 17h07 comentou:

Os pau mandados Willian e a Patricia… Coitada da Fátima! Ter que aturar um homem desse… Quando ela trabalhava com ele, era perceptível seu constrangimento… ele vomitando mentira uma atrás da outra, e ela com cara de envergonhada, às vezes até desviava o olhar. Bonner, o Zé Mané e a Patricinha… Eles se merecem!

Responder

Pedro Antonio CUnha em 20/08/2014 - 17h20 comentou:

Nosssa, mais uma prova, de que o governo compra certos web sites para fazer propaganda política barata a favor da corrupção !
è fato consumado de que o governo PT não está sendo bom para o Brasil a muito tempo, e isso baseado em informações de sites de economia política internacionais ! E mesmo assim ainda compra reportagens feitas como essa para tentar mascarar sua falta de preocupação com o povo brasileiro!
O Pt sempre quis ter um presidente no governo desde quando conseguiu não fez nada melhor que seus predecessores , mas por outro lado fez muito pior !
O País está afundado em dividas, o desemprego só cresce, e ainda sim o governo tenta nos cegar os olhos com falsas informações !
Como Lula já disse uma vez se o governo FHC não saísse ele iriam dar PT no Brasil.
Bom devo dar os parabéns para o Sr Luiz Inácio Lula da Silva e ao PT, pois o que o governo FHC não conseguiu fazer direito o PT tem feito muito bem todos os dias e o pior é vai vai se estender por muitos anos, devido a compra de votos por migalhas dadas a população criando uma falsa ideia de democracia, igualdade e crescimento do País !
Que pena para nós poucos brasileiros que não usufruímos dessas migalhas do governo por preferirmos trabalhar com carteira assinada ao invés de ficar mamando nas tetas do governo corrupto !
Orgulho de ser Brasileiro ! Cidadão honesto que pago meus impostos sem ver a menor melhora em nada nesse grande e amado Brasil !
Boa tarde a todos

Responder

marcos em 20/08/2014 - 17h34 comentou:

O formato das entrevistas feito pelo JN, foi igual para a todos os candidatos !! Quanto vc está ganhando para defender a presidenta ??

Responder

Lucia Franco em 20/08/2014 - 18h12 comentou:

A lei eleitoral, em seu artigo 73 proíbe o uso de imóvel pertencente a administração, direta ou indireta e em qualquer esfera, em benefício de candidato, partido político ou coligação. Diferente dos outros candidatos que foram entrevistados num recinto pertencente a rede Globo, a candidata Dilma Roussef recebeu os dois jornalistas em sua residência oficial, em Brasilia. Como não domino o assunto, gostaria de perguntar: afinal, a lei eleitoral foi ou não desrespeitada? Isso é ou não crime eleitoral?

Responder

leticia em 20/08/2014 - 20h21 comentou:

concordo em partes com que foi dito acima , porém acredito que o tratamento para com os outros candidatos existiu uma diferença porque a candidata Dilma já esta na presidência e nada mais justo ela explicar os absurdos de sua candidatura ao invés de fazer mais demagogia .

Responder

Andre em 20/08/2014 - 20h32 comentou:

Sem tirar razão da colunista, que escreveu de forma muito ponderada, como de hábito, fato é que a presidenta abusa da soberba. Dilma não tem apenas dificuldade de se expressar. Tem, de fato, dificuldades de se relacionar, o que fica claro quando usa e abusa do "meu filho". Realmente desejo que o projeto do PT prossiga, pois reconheço a necessidade de aprofundar os parcos avanços conseguidos. No entanto, eu que sou eleitor do PT desde meu primeiro voto, em 1986, me sinto muito desconfortável com a falta de autocrítica do partido. O PT não é vestal do templo – nem deve pretender sê-lo, tendo em vista a necessidade de arranjos que pauta nosso sistema político – mas tampouco pode ser prisioneiro dessa agenda conservadora que está aí. Sintomática a visita da presidenta ao Templo de Salomão. Posso ser voz isolada, mas esse tipo de coisa me incomoda, e muito.

Responder

Waldemir Filho em 20/08/2014 - 20h48 comentou:

Ao contrário das demais entrevistas, o tom com Dilma foi absolutamente agressivo… Não se dava o tempo devido para que ela pudesse desenvolver o raciocínio. Um horror! Mas, esperar o que da maior parte dos jornalistas da Globo e da própria empresa? É partidarismo em sua mais absoluta expressão! Preferia que fizessem o que boa parte da mídia estadunidense faz em época de eleições. Assume publicamente sua candidatura de apoio. Mais transparente com o leitor/expectador. Fecho com suas análises, Cynara! Waldemir Filho.

Responder

lúcio asfora em 20/08/2014 - 23h10 comentou:

Que incapacidade (ou falta de vontade) de perceber que a decisão da Globo de elevar os decibeis da última rodada de entrevistas com os candidatos tinha por objetivo atingir, unica e exclusivamente, Dilma Roussef ! Era ela quem se mantinha à frente das pesquisas e até mesmo, naquele momento, rumando para se eleger no primeiro turno conforme observado, então. Em contrapartida, nunca esteve tão evidente que tanto Aécio quanto Eduardo Campos mostraram-se ancorados naqueles percentuais que antecipam o fim da linha. Não eram mais os interesses de um ou de outro que estavam em jogo, para a Globo, e, portanto, nem por um segundo ela haveria de hesitar em jogar todo o seu peso sobre ambos, a fim de abrir caminho para o confronto com a candidata inimiga, onde poderia colher dividendos eleitorais, seu objetivo; já que o JN nos proporcionou, sem nenhum pudor, um dos mais degradantes espetáculos jornalísticos.

Responder

Calvin em 20/08/2014 - 23h41 comentou:

Platitudes quem quer vê horário eleitoral. Debates e entrevistas devem apontar incongruências, e felizmente ainda não foram emasculados pela lei eleitoral como até a internet foi.

Responder

Bolinha de Gude em 21/08/2014 - 00h15 comentou:

Só tenho uma coisa a dizer; Seus "Heróis" não são e nunca serão os meus .

A liderança do PT foi condenada, é uma liderança corrupta !

Se a presidente não teve a coragem de deixar o partido na hora que notou isso, ele mostrou ser favorável a isso tudo que aconteceu.
A rede globo quis mostrar aos menos estudados que o PT esta rodeado de corruptos e não tem moral para continuar como partido político., quis mostrar para os menos estudados porque os que tem um pouquinho de inteligencia já sabia de tudo aquilo que este partido esta envolvido.
Falando sobre o jornalista, Bonner; acredito que Dilma não quis falar, ela se preocupou em enrolar até dar seu tempo, e no final tentou mostrar que a culpa foi do jornalista. Ela não teve capacidade de responder uma pergunta se quer, enrolou, enrolou, até o tempo acabar, Isso foi um alivio para ela que estava despreparada achando que ia ter moleza para colocar suas propostas ultrapassadas e repetitivas.

Responder

Fernandes em 21/08/2014 - 00h50 comentou:

Muito Bem! As perguntas tratavam de temas polêmicos que estavam em evidência específica para cada candidato. O tempo dispensado (pequeno) não me agradou. As perguntas foram fortes para os três candidatos e via de regra nenhum dos três foi suficiente. Agora a Presidente Dilma foi entrevistada na sua residência, o que no mínimo lhe confere beneficio ou intransigência. Dilma esquivou-se de responder a todas as perguntas, dando continuidade ao que ela queria falar, demostrando impaciência, intransigência e "desconhecimento" ao não responder nem argumentar uma pergunta simples sobre corrupção no PT. e seus partidários se colocarem como mártires ao serem levados ao tribunal com provas concretas de corrupção. Penso que nenhum cidadão (também Dilma) pode ser responsabilizado por qualquer situação onde exista culpa/dolo de outro, então, na minha opinião A Presidente, como qualquer outro cidadão brasileiro, deveria ter emitido a sua resposta ou opinião pessoal, mas como sempre no PT só pode existir partidarismo. Não sou simpático a Aécio, tão pouco a Marina, mas o PT de forma alguma, partido que fecha um discurso de ajuda aos necessitados sem nenhuma contrapartida dos mesmos, e sem criar reformas de base que lhe permita definir com clareza o tempo necessário de tal concessão, para que no futuro não seja necessário criar concessões para os não necessitados do momento, afim de novamente ajustar "prejudicados." Dessa maneira vira bagunça e certamente favorece a corrupção, a desigualdade e a falta de seriedade com os recursos públicos.

Responder

    Fernandes em 21/08/2014 - 00h52 comentou:

    ok.

muhamed em 21/08/2014 - 00h51 comentou:

Texto muito mal elaborado,posição totalemnte favoravel a presidANTA!

Responder

Neusa em 21/08/2014 - 01h05 comentou:

Achei pouco jornalismo e de fato muito deselegante! tendenciosos.

Responder

Virginia em 21/08/2014 - 01h58 comentou:

A entrevista foi terrível! Todas as perguntas feitas à Dilma foram sobre assuntos que já foram mais do que esgotados pela mídia. Eu gostaria de saber, por exemplo, se algumas coisas que deram errado, que não funcionaram e que ainda deixam muito a desejar serão contempladas em um outro mandato e como elas seriam resolvidas. Exemplo, eu sou cientista, e a ciência no Brasil é uma grande piada de mau gosto. Um monte de dinheiro jogado para o alto sem qualquer gerenciamento adequado. Dificuldade em comprar materiais, burocracia colossal, falta de incentivo na ligacao pesquisa/empresa para o financiamento da pesquisa tecnológica. Isso eu queria saber como Dilma iria resolver. Educacão: a educacão é ruim, muito ruim e todos se esquivam do problema básico da educacão no Brasil que é o salário dos professores. Nenhum bom aluno no ensino médio quer ter uma carreira de magistário porque paga pouco e não há respeito. Como resolver isso sem quebrar o orcamento? Parecem perguntas bobas, mas são mesmo, porque os problemas são em coisas básicas. Mas… não adianta fazer isso tudo se o brasileiro, o povo brasileiro, não ajudar. Se o povo não mudar, não adquirir outra mentalidade nada feito, não tem governo que resolva. As pessoas precisam voltar ao início e pensar que o certo é o certo, o errado é o errado mesmo que te achem idiota. Não podemos levar vantagem em tudo, precisamos agir com mais ética, respeitar o seu próximo.

Responder

Ronaldo em 21/08/2014 - 10h22 comentou:

O que se deve esperar de uma revista que é produzida diretamente para defender um partido, o PT. Sinceramente, eu tenho pena, dó, uma tremenda hipocrisia.

Responder

Lucas Monte em 21/08/2014 - 14h00 comentou:

Brilhante texto 😀

Expressou bem aquilo que eu estava tentando explicar para algumas pessoas. No meu blog vou passar um bom período falando sobre eleições e já peço permissão para colocar seu texto lá, claro fazendo as devidas referências.

Responder

    morenasol em 21/08/2014 - 14h16 comentou:

    obrigada, pode reproduzir, sim

Jhonas em 21/08/2014 - 14h01 comentou:

Logicamente que uma socialista não iria falar mal da presidenTA… Aqui não tem os 60 minutes , mas tem espaço aberto para os principais candidatos debaterem as propostas , fazerem perguntas para os outros e etc..

Responder

Renan Olah em 21/08/2014 - 14h47 comentou:

Não entendo o pensamento do pessoal PTista, sério. Batem no peito e se vangloriam de ações centradas em uma maioria que vive na miséria, nos limites da pobreza, e aos que trabalham todos os dias e conseguem sobreviver na classe média baixa, nada fazem. E não venham me falar que o governo PTista lhes trouxe benefícios, pois com o mindset ridículo de "quanto menos miseráveis, mais rico o país", só "ganha" (vide aspas, pois nem mesmo os miseráveis ganham, pois num país onde uma cesta básica custa meio salário mínimo, o tal do Bolsa Família não passa de uma maneira ridícula de garantir votos de quem tem medo de perder a "boquinha" do governo) quem está na miséria, e se você está neste momento num computador com acesso à internet, na miséria lhe garanto que não está. Enquanto houver gente que acha bom um governo que só pensa nos mais pobres, vamos continuar apenas sobrevivendo, porque trabalhar o mês todo pra no final só pagar contas não é viver, e sim sobreviver.

Ah, e só uma dica, que acredito ser o exemplo do que o governo deveria se preocupar:

"País bom não é aquele país onde todo mundo pode comprar o carro próprio, e sim aquele onde todos podem desfrutar de um transporte público seguro e de qualidade".

Responder

Hilmar I S Ferreira em 21/08/2014 - 14h47 comentou:

presidente / presidenta [Variação e mudança linguística / Flexão nominal]

Estão todos chamando uma mulher presidente de presidenta, isso não está errado? Existe a palavra presidenta?
Fabiano (Brasil)

A palavra presidenta pertence à língua portuguesa.

Podemos fazer esta afirmação, por um lado, porque a palavra tem indesmentivelmente curso na língua (o que é possível aferir através da pesquisa em corpora e em motores de busca) e, por outro lado, porque está registada em todos os dicionários e vocabulários contemporâneos consultados, nomeadamente nas principais obras de referência da lexicografia portuguesa e brasileira, como o Vocabulário da Língua Portuguesa de Rebelo Gonçalves (1966) ou o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da Academia Brasileira de Letras (5.ª edição, 2009). Não sabemos ao certo desde quando é que este registo lexicográfico é feito, mas a palavra constava já do Novo Dicionário da Língua Portuguesa de Cândido de Figueiredo (1913) ou do Vocabulário Ortográfico e Remissivo da Língua Portuguesa de Gonçalves Viana (1914).

Refira-se ainda que Cândido de Figueiredo regista este vocábulo como neologismo (em 1913, pelo menos) e abona o seu verbete com uma referência à obra As Sabichonas, de António Feliciano de Castilho (1872), versão livre da comédia de Molière Les Femmes Savantes, onde a personagem Pancrácio se dirige várias vezes à personagem Teodora como "presidenta".

No entanto, como na maioria das questões linguísticas, o problema não se esgota aqui e inclui variáveis de ordem social, cultural ou mesmo política que têm de ser analisadas ou pelo menos ponderadas, o que origina a impossibilidade de respostas peremptórias neste campo.

Os dicionários veiculam frequentemente informações relativas ao uso das palavras, por vezes baseadas em critérios estatísticos (que é cada vez mais o caminho da lexicografia contemporânea), outras vezes baseadas no conhecimento linguístico dos lexicógrafos ou numa combinação de ambos. O registo encontrado nos dicionários para a palavra presidenta não é uniforme, e esta palavra ora surge sem qualquer indicação de uso (é o caso do Dicionário Houaiss ou do Dicionário Aurélio), ora é apresentada como fazendo parte de um registo de língua familiar (Dicionário Aulete), informal (Dicionário Priberam) ou popular (Infopédia). Nestes últimos casos, os registos do dicionário indicam-nos que o uso da palavra em situações de formalidade ou em que se pretende um discurso irrepreensível é desaconselhado, mas esta informação não é consensual.

Os cargos de presidência e de chefia têm sido, durante muitos anos, maioritariamente desempenhados por pessoas do sexo masculino e os substantivos correspondentes foram sendo registados na tradição lexicográfica como substantivos masculinos, reflectindo esse facto. À medida que a sociedade se vai alterando, torna-se necessário designar novas realidades, como seja o caso da feminização de alguns cargos, decorrente do acesso da população feminina a tais lugares.

A palavra presidente, durante muito tempo apenas substantivo masculino, passou a ser usada e registada nos dicionários como substantivo de dois géneros ou comum de dois (ex.: o presidente, a presidente). O uso de presidenta como feminino de presidente corresponde a um padrão raro em português, podendo ser encontrado em formas como giganta, infanta ou parenta, mas este uso tem sido feito ultimamente também como afirmação política, social ou cultural, nomeadamente de cariz feminista, de que são exemplos Dilma Rousseff, na presidência do Brasil, ou, a um nível mais restrito, Pilar del Rio, na presidência da Fundação Saramago.

Ver também: juiz / juíza, comissário / comissária, feminino de político

Helena Figueira, 17-Ago-2011
Share on facebook Share on twitter Share on email Share on print More Sharing Services 17

Notas:

As respostas são datadas e escritas segundo a ortografia da norma europeia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990.
A base do dicionário foi alterada a 1 de Abril de 2009, pelo que as referências em dúvidas anteriores a esta data podem não corresponder ao conteúdo actual. As respostas sobre questões ortográficas são maioritariamente baseadas na norma ortográfica portuguesa de 1945, contendo as respostas mais recentes indicações sobre a ortografia antes e depois do Acordo Ortográfico de 1990.
A bibliografia utilizada está disponível aqui.

PUB

Se continuar com alguma dúvida após consultar esta secção, poderá enviar-nos a sua questão.

Novidade
Conheça o novo FLiP 9 Brasil

Dicionário Priberam
Ver definição
http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Li

Responder

Gabi em 21/08/2014 - 15h09 comentou:

Ela mostro apenas não ser capaz de formular uma frase com sentido.
Estou esperando a entrevista no SBT…kkkk

Responder

Roberto em 21/08/2014 - 15h45 comentou:

Se a Dilma ou o Lula fossem apanhados dirigindo embriagados, e evitassem o bafômetro, seria a única questão da entrevista.
Falou-se do mensalão, mas apenas do mensalão do PT.
O do PSDB parece que não importa muito, apesar de ser anterior e tão ilegal e imoral quanto o outro.
O fato de nunca existirem CPIs nos governos do PSDB também parece não chamar a atenção da imprensa, apesar de, a cada acusação, se exigir CPI na esfera federal.
Enfim. O jogo é esse.
E a presidenta e o PT vão jogando.
E por enquanto vencendo.

Responder

Rafael em 21/08/2014 - 17h10 comentou:

Criticar a imparcialidade com uma revista e texto imparcial? Muito fácil confabular teorias a respeito da parcialidade da Globo, sendo que já li aqui varias matérias com o posicionamento explicito do autor. Achei sim as entrevistas muito boas e deu oportunidade para vermos aquilo que não veremos nas propagandas políticas, dessa forma, parabéns GLOBO.

Responder

francisco em 21/08/2014 - 17h59 comentou:

doce socialista : me diga em que pais do mundo o socialismo e o comunismo dio resultado

Responder

rosana em 21/08/2014 - 19h16 comentou:

Bom ver tantas pessoas tentando expressar suas idéias…da jornalista aos seus leitores….favoráveis ou não as pessoas assumem lados e isso é importante para vivermos democraticamente.
Vamos lutar nas próximas eleições para continuarmos tendo liberdade de expressão. Eu não desejo ditaduras de direita ou de esquerda. Desejo ver corruptos e corruptores responsabiizados simultaneamente por seus crimes, desejo ver os gestores públicos assumindo a responsabilidade por suas escolhas e atos, desejo ver os homens e mulheres que dilapidam o patrimônio público em benefício próprio ou de seus partidos, devolvendo o dinheiro aos cofres públicos, desejo ver o crime deles punido como o crime de qualquer homem comum. Não é muito…. é só um pouco de coerência e imparcialidade.

Responder

Rod em 21/08/2014 - 19h39 comentou:

Irônico ver uma blogueira falando sobre política brasileira e começa falando sobre emissoras de TV de outros países.

Responder

    morenasol em 21/08/2014 - 19h49 comentou:

    "outros países"? uai, não são vocês que adoram uma globalização? ; )

Angélica em 21/08/2014 - 19h54 comentou:

O que se viu nessa entrevista foi uma tremenda falta de ética e profissionalismo! Não é assim que o jornalismo brasileiro deve se comporta! Gostei do artigo.

Responder

Bruno Alves em 22/08/2014 - 00h10 comentou:

Para quem não entendeu o texto, o problema dela não é com a política, e sim com a emissora. O fato mais hilário de todos, é que Socialista Morena diz conhecer de entrevistas. Aí eu me pergunto: Em qual, dos canais "cópia das cópias" (que você mesma refere a televisão brasileira), exerce tal tão espetacular e sensacional papel de entrevistadora?

Responder

    morenasol em 22/08/2014 - 00h32 comentou:

    eu não trabalho em TV (ainda). trabalho em mídia impressa há mais de 20 anos. se você quiser encontrar algumas das excelentes (sem falsa modéstia) entrevistas que fiz, procure no site da folha de s.paulo. ; )

    Bruno Alves em 22/08/2014 - 21h37 comentou:

    Como posso pesquisar entrevistas suas em Folha de S. Paulo, sendo este o mesmo jornal que você criticou? Faço minha obrigação de respeitar sua idéia: Se o seu respeito pelo jornal morreu, morreu também suas excelentes entrevistas sem "falsa modéstia". Não há o que pesquisar! Não existe mais nem mesmo coerência! Não admira mais a sua crítica a respeito do Jornal Nacional, mas é lastimável conhecer o motivo pelo qual lhe doeu tanto o debate de Dilma Rousseff, principalmente no momento em que vive a atual situação política do país. Peço a Deus que pessoas deste país que pense da mesma forma que você, sejam a menor, minimalíssima, minoria possível da população.

Édson em 22/08/2014 - 00h35 comentou:

Um bela reflexão sobre os "15 minutes". E, este pessoal obtuso, reacionário que só sabe se queixar e opinar contra a Dilma e o PT, terá que se matar após as eleições (rsrs)!

Responder

Daniel em 22/08/2014 - 01h43 comentou:

E por acaso alguém da Carta Capital gosta de alguma coisa que transparece o lixo petista??

Responder

@ronildobrites em 22/08/2014 - 02h02 comentou:

Eu só queria saber porque a presidente não respondeu porque o PT não expulsa os corruptos, condenados e presos?

Responder

graça duarte em 22/08/2014 - 03h43 comentou:

Decidi votar em Dilma após a entrevista. Fiquei enojada com a postura dos entrevistadores que nem deixavam a presidenta responder.Um anti-jornalismo.

Responder

jose carlos em 22/08/2014 - 08h48 comentou:

Política econômica: O conservadorismo de Marina Silva http://jornalggn.com.br/blog/iv-avatar/politica-e

Responder

Candia em 22/08/2014 - 11h47 comentou:

Nada como criar uma polêmica para tirar o foco do vexame passado.
Obrigado !

Responder

Vandelucia Silva em 22/08/2014 - 16h44 comentou:

Ordinário esse artigo… nenhum meio de comunicação é imparcial. O dia em que o povo conseguir enxergar nas entrelinhas e não precisar da Rede Globo ou de matérias como essa, teremos um país diferente. Acho que não somos representados por nenhum partido ou candidato que no momento se propõe a participar dessa imundície atual, mas acima de tudo tenho asco desses ratos que estão atualmente no poder. Não passam de ladrões que nos roubam todos os dias, assaltam o nosso país no presente e no futuro. A coisa é tão bem feita que o cidadão de bem não quer entrar nessa corja.

Responder

narod em 22/08/2014 - 17h03 comentou:

Esperar algo diferente da globo, que mamou, cresceu e engordou durante a ditadura militar, editou debate pra prejudicar o Lula, que omite, distorce, mente e sempre foi porta-voz do conservadorismo endinheirado desta terra é no mínimo inocência. Sem a democratização dos meios de comunicação vai ser difícil construir uma verdadeira democracia.

Responder

Yara em 22/08/2014 - 17h58 comentou:

A carta capital vem publicando seus textos em favor ao governo petista a um tempo. E a globo tem se colocado contra. Isso aqui é uma briga de opinião descabida! Mude o foco e defenda seu governo e não fique criticando quem é contra.

Responder

    morenasol em 22/08/2014 - 19h54 comentou:

    eu critico quem eu quiser no meu blog. fica a dica ; )

@Vinicius_pats em 22/08/2014 - 23h12 comentou:

Dei risada lendo esse texto. A autora queria o Bonner tivesse inovação, não apenas copiasse os jornais americanos, mas se esquece que a tv é concessão estatal. Bom, falar isso não deve significar muita coisa pra maioria das pessoas, mas o fato é que os canais não serem totalmente livres, faz com que se crie um cartel de emissoras onde há pouca concorrência e por isso, pouca inovação. Setor público só copia. A concessão ainda tem algumas criações, mas não se espere muito.

Também fiquei impressionado com a afirmação que a Dilma não sabe responder bem, é muita inocência(ou cara-de-pau) falar uma coisa dessas. Dentre todos os entrevistados, ela foi a que se comportou melhor. Aécio quase gaguejou quando o aeroporto foi citado, não cortou o bonner, foi submisso. A questão é que ela não tinha como responder mesmo, a única estratégia que poderia tomar era gastar o tempo e demonstrar resistência às perguntas do Bonner.

Teve outras falhas no texto, mas deixa quieto… Quem não quer ver, não verá.

Responder

Heloísa Coelho em 22/08/2014 - 23h54 comentou:

O mesmo estilo de não deixar falar foi feito contra José Dirceu, no Roda Morta, naquela ocasião comandando pela inoperante e desleixada Marília Gabriela, que não teve pulso para pôr ordem no interrogatório. Não, não era uma entrevista. O objetivo não é obter informação, mas simplesmente sacanear o entrevistado.

Responder

Silvia Carla em 23/08/2014 - 21h27 comentou:

O problema é que pra fazer isso com ética tem que ser mt bom jornalista. Isso significa extrair do entrevistado mais do que ele estava disposto a falar sem fazer uma guerra e sem aparecer mais que o entrevistado, usando apenas a persuasão. Se não for assim se transforma numa guerra em que o jornalista se desespera procurando a todo custo fazer o entrevistado falar o que ele quer ouvir nem que para isso tenha que gritar, interromper a todo instante cortando o raciocínio do entrevistado. Aí já era, perdeu a entrevista. não é mesmo Bonner?

Responder

reina Morais em 24/08/2014 - 21h05 comentou:

A arrogância dos medíocres entrevistadores da Globo nada acrescenta a qualquer candidato. Os comentários posteriores, até de pessoas mais conservadoras foi de rejeição, nojo e indignação. quem e aquela Patricinha Poeta, o que ela entende de política? Acompanhava o chefe com interferências, caras e bocas. Sou socióloga, formada em sociologia e Ciência Política pela UFRJ , aluna de Evaristo de Morais, Afonso Arinos de Melo Franco dentre outros. Meu Curso começou em 1968. O texto acima e ótimo porém quero acrescentar algo, a Presidente Dilma e muito inteligente e não tem nenhuma limitação para responder perguntas.Usou uma técnica eficiente de responder prolixamente cada pergunta, adiando a próxima contendo desta maneira outras ofensas. Palmas para a Presidente e grande Estadista Dilma Rousseff. Assim o rei ficou nu. Os entrevistadores ansiosos, nervosos não atingiram seus objetivos. Agora sim no horário eleitoral a Presidente poderá discorrer tranquilamente sobre suas realizações. Inteligência e para poucos, apresentador de jornal e boneco falante.

Responder

Reina Morais em 24/08/2014 - 21h24 comentou:

Na semana que passou troquei alguns programas humorísticos pelas entrevistas realizadas pela rede globo. são mais divertidas, já temos a expectativa de que vamos assistir a uma farsa, onde não há ética, idoneidade dos que apresentam, afinal quem manda e o patrão e o boneco falante obedece. Apreciei a inteligência da presidente que deixou os entrevistadores aflitos ao se extender nas respostas não dando tempo para outras perguntas ofensivas. O humorístico mais divertido foi quando uma entrevistadora de quinto escalão copiando os outros quis encostar outro candidato na parede e ele ironicamente respondeu assim: Calma você está muito nervosa afinal o candidato aqui sou eu e não você. Voce está aqui para entrevistar e eu para responder. Não percam os próximos capítulos, a graça está na previsibilidade das ofensas, no cinismo mal disfarçado, na canastrice do entrevistador e na superação das nossas expectativas da capacidade de assistir até onde um ser humano pode chegar na relação patrão versus empregado tipo pagou eu executo. Ate as próximas, hilariantes entrevistas da rede Globo, mas não se esqueçam tem programa para todo mundo, tv bandeirantes e outras, tudo farinha só mesmo saco!!!!!

Responder

italo em 20/11/2014 - 14h59 comentou:

JN não faz jornalismo sério. Depois que começaram as operações da PF em 2002, passaram à chamar bicheiro de empresário do ramo de jogos(escondendo que são jogos ilegais que servem à diversos fins), tentaram, assim como a veja, desempatar as eleições com uma suposta bolinha de papel que teria causado traumatismo craniano em Serra, com imagens duvidosas atestada por perito. TUDO FALSO e também menos de 48 horas antes das eleições, quando os candidatos já não podem aparecer na tv, ou comício para se defender. É fato, não é conto de petistas ou bolivarianos, tentaram enganar eleitores amparados por liberdade de Imprensa. É sujeira com eleitor.

Responder

italo em 20/11/2014 - 15h12 comentou:

Nosso senso crítico tem mais à ver com a globo e a editora abril do que julgam os que tomam as opiniões de lá para espalhar como se fosse sua, ignorando o Império da globo sobre o mercado das comunicações e a maneira como foram conquistadas. Quem pensa que não paga para ver, tá pagando muito faz muito tempo, e leitura de conteúdo deles não esclarece nada, não é carregado de história do Brasil, ao contrário tem à frente sempre interesses políticos e partidários, que também não são claros.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Mídia

Desprezo da mídia ao Festival Lula Livre escancara que petista é preso político


Nem mesmo Chico e Gil cantando Cálice juntos pela primeira vez em 45 anos fez com que o show ganhasse destaque na imprensa "imparcial"

Cultura

40 anos do golpe no Chile – O papel sujo do Partido da Imprensa…


El Mercurio Miente. A faixa pendurada pelos estudantes da Universidade do Chile no dia 11 de agosto de 1967, é o equivalente chileno a “O povo não é bobo, abaixo a rede Globo”