Socialista Morena
Politik

Lutar ao lado de apoiadores do golpe ou lavar as mãos? Uma escolha difícil

No momento, tudo que sinto é raiva de quem nos jogou nesta situação e agora clama por "união" contra Bolsonaro

Charge: Aroeira
Cynara Menezes
26 de fevereiro de 2020, 21h28

E então, neste museu de grandes novidades chamado Brasil, descobriram que o presidente da República está disparando mensagens pelo whatsapp convocando para uma manifestação no dia 15 de março em favor do fechamento do Congresso Nacional. Qual a surpresa? Bolsonaro sempre defendeu isso. Bolsonaro homenageou torturador, a quem trata como “herói nacional”. Bolsonaro deu “nota 10” para a ditadura outro dia, não foi 20 anos atrás, não. Ele já era presidente.

Sim, sei muito bem que teremos de engolir as mágoas e lutar ao lado dos cínicos e irresponsáveis que urdiram um golpe de Estado contra uma presidenta eleita, movidos pelo ódio a um partido político e pelo desamor ao Brasil, jogando as instituições democráticas na lata do lixo. O plano deles deu errado: a mídia comercial, principal sustentáculo da conspiração que arrancou o PT do poder, achava que iria finalmente colocar no Planalto seu braço político, o PSDB. E deu Bolsonaro.

O presidente tem a faca e o queijo na mão para fazer o "novo AI-5" dos sonhos de seu filho Eduardo. O bolsonarismo domina setores importantes da PF, da PM, do MP, da Justiça e das Forças Armadas. A rigor, só não dá o golpe dentro do golpe porque não quer

Até o momento final da eleição, continuaram a enganar a população, colocando um professor e um energúmeno defensor da ditadura no mesmo patamar: “uma escolha muito difícil”, publicou O Estado de S.Paulo sobre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro, em editorial.

Não deixa de ser ironia do destino que tenha sido uma colunista do jornal a dar em primeira mão a informação de que o presidente estava insuflando golpismo pelo zapzap, coisa que, diga-se de passagem, o PT jamais fez ou faria. O “furo” fez a repórter virar imediatamente alvo das milícias virtuais de extrema direita. Uma escolha difícil, não era mesmo?

O presidente tem a faca e o queijo na mão para fazer o “novo AI-5” dos sonhos de seu filho Eduardo. O bolsonarismo domina atualmente setores importantes da Polícia Federal, da Polícia Militar, do Ministério Público, da Justiça e das Forças Armadas. A rigor, só não dá o golpe dentro do golpe porque não quer. As combalidas “instituições” estão contando somente com o “respeito” do presidente à democracia para que isso não aconteça. Um respeito que ele jamais teve –e todo mundo sabia disso.

Fico pensando em Dilma, que tomou soco na cara nos porões da ditadura a ponto de lhe arrancarem dentes, por ordem do monstro que Bolsonaro homenageou impunemente no dia da votação do impeachment: “o pavor de Dilma Rousseff”. A jovem Dilma não foi para o exílio. Ficou no Brasil e lutou bravamente contra o regime, ao contrário de muitos “defensores da democracia” que apoiaram sua destituição. E que engrossaram o coro dos que a chamavam de “terrorista”, como Bolsonaro, apenas por ódio ao PT.

Tudo o que sinto é raiva de quem nos jogou nesta situação e agora clama por "união" contra Bolsonaro. Raiva e tristeza pelo Brasil que nos roubaram. Lutar ao lado de calhordas e vendilhões da pátria é a real "escolha difícil". A outra opção é o aeroporto

Eu estou disposta a me tornar uma Dilma? Sacrificarei minha vida e minha família para lutar por um país que escolheu pelo voto o caminho da ditadura? Para defender uma imprensa que patrocinou mais uma vez um golpe? Seremos nós, de esquerda, eternos mártires para os futuros mal-agradecidos, falsificadores da História, nos transformarem em “bandidos”?

As únicas razões que me impulsionariam a lutar contra uma ditadura que, para mim, já está em curso desde que Bolsonaro tomou posse como presidente, enchendo o governo de militares, são a gente pobre deste país, que é quem mais vai sofrer, no final das contas; e as crianças, nossos filhos, que não merecem um horizonte de trevas. Ninguém mais.

Neste momento, porém, tudo o que sinto é raiva de quem nos jogou nesta situação e agora clama por “união” contra Bolsonaro. Raiva, angústia e tristeza pelo Brasil que nos roubaram, exatamente como em 1964. Lutar ao lado de calhordas e vendilhões da pátria é a real “escolha difícil”. A outra opção é o aeroporto.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(23) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

J Zeff em 26/02/2020 - 23h54 comentou:

Maravilha de matéria como sempre. Abraço…Vlw mesmo.

Responder

Chico Mello em 27/02/2020 - 08h09 comentou:

Mesmo realmente seja para alguns uma escolha difícil, para nós, nem tanto. Nossa decisão está tomada: golpistas são golpistas e lutar ao lado deles seria de uma imensa ingenuidade… Simples assim. O “povo” vai aprender da pior maneira possível que deve se preocupar mais com política do que carnaval, futebol, novela e reality show e religião, ou seja, na prática. https://frasistaneofito.blogspot.com/2020/02/sobre-golpistas-e-golpistas.html

Responder

João Bosco da Mota Alves em 27/02/2020 - 10h27 comentou:

Cynara, guerreira baiana.

Como repetia meu pai, coragem não é fome, que todo mundo tem. Você, como muitos, temos todo o direito de indignação. Henfil repetia: você já tomou sua dose de indignação hoje?

O que fizeram com nosso país foi jogar a comida na lama e, agora, nos pedem ajuda para recolher o que ainda é comestível. Além, é claro, de danificarem seriamente o fogão e a dispensa com o rancho.

Nossa raiva desses vendilhões talvez seja nosso resto de combustível.

Obrigado, guerreira, por nos levantar rumo ao combate.

Responder

EUGENIO em 27/02/2020 - 11h19 comentou:

Falou e disse. Como sempre.

Sou o tipo do otário que saía de BH rumo à Lapa pra gritar “não vai ter golpe” com o Lula, o Boff, o Chico etc e tal.

Houve e deu no que deu.

Esta eterna colônia merece o que tem: a mídia banqueira, os anticristos nas igrejas, a patuleia com sua baba bovina, a esquerda do palavrório e aquela coisa instalada no Planalto.

Saco cheio.

Responder

Romulo em 27/02/2020 - 11h32 comentou:

Perfeita analise!
Perdoem aqueles que creem que isto pode mudar. Pois, para mim esse povo tem una atrofia de carater, inteligencia e civismo e que nao tem apitidao para una sociedade civilizada.
Por isso estou me preparando para deixar esta Terra que se un día foi de sabias, hoje e dominada por abutres.

Responder

Luiz Augusto Reis em 27/02/2020 - 11h33 comentou:

Saiam, basterds, sonnuvabitches, vazem de cá
Baianinha arretada Cynara Menezes Socialista Morena
vamos pegar esse pessoal ae na porrada?!?

Responder

Marion em 27/02/2020 - 13h39 comentou:

Morena, vc representou nessas palavras o meu sentimento tb, Tenho uma filha e genro q estão fazendo mestrado em Portugal e não vejo perspectivas de um futuro p eles aqui no Brasil, não em curto prazo, infelizmente.

Responder

Ildson em 27/02/2020 - 15h06 comentou:

Para site, se não fosse a polêmica da sua matéria não ficava conhecendo esta maravilha.
Agora não perco mais suas matérias.

Ildson
Alagoinhas BA

Responder

    Cynara Menezes em 29/02/2020 - 19h05 comentou:

    bem-vindo e obrigada

Jose Severiano em 27/02/2020 - 17h07 comentou:

Duro e excelente artigo. Só há um caminho, mas que pela inércia, surdez, cegueira ou estupidez do povo, o mesmo não se une numa grande reação em que participem, minorias, movimentos socais, desempregados, mal empregados, miseráveis desta politica (se pode ser chamada assim, pois é genocida, em ttodos os sentidos).
O BRASIL é hoje um pais jogado nas trevas da idade-media ocidental.
Onde temos a corrosão praticamente de todas as constituições.
É, todos os grupos que falei acima tem que agir e JÁ.

Responder

Marines Bachini em 27/02/2020 - 18h33 comentou:

Cynara, te entendo perfeitamente! Mas fico pensando se não é hora da esquerda se tornar protagonista nessa história e ir pra rua lutar! Não seria nós lutarmos ao lado deles mas sim eles se quisessem vir atrás de nos! Hora das lideranças partirem pra cima! Ou vamos perder o bonde da história… É muita canalhice! Um abraço.

Responder

Rog Erio em 27/02/2020 - 23h57 comentou:

Porra bem por aí mesmo, vc deu nome, endereço e cpf ao que estou sentindo também… Se por um lado estou bem ciente de que não venceremos essa luta contra a barbárie sozinhos, por outro lado é terrivelmente preocupante vc saber que é só mandarem uma retórica vazia pífia e balançarem uma bandeira entoando o hino pra quem tá do seu lado pedir a sua cabeça insuflado por um Macarthismo tropical zé-ruela… Isso sem nem falar de ter suas pautas cooptadas pela elite do atraso de sempre.

Ao meu ver, 2 gigantescos empecilhos pra esquerda que faz jus ao nome nesse país são, 1)ir contra quem dita a realidade (ex.Bonner falou que tá tudo bem, então tá tudo ótimo/ Bonner falou que tá tudo ruim, então tá tudo uma merda); e 2)há que se dizer o óbvio, por mais inconveniente que ele o seja: Os valores do brasileiro médio são PROTO-FASCISTAS, prontofalei. Não foi só o PIG que engendrou o gosto pelo bolsolavismo cultural na população, e não foi só o superpack dos disparos de Zap que elegeram o Bolsonazi. Sejamos sinceros, ele é apenas uma das manifestações do germe que contraímos lá na nossa fase mais aguda de Republiqueta de Bananas…. ele é a efervescência do pensamento que enaltece o militarismo cego apenas porque sim, sintetizado na adoração da famosa frase “braço forte, mão amiga.”

Claro que uma ENORME parte desse quebracabeça é a falta de meios e de acesso a uma educação crítica e libertadora e demais condições materiais pra um pleno desenvolvimento cognitivo, com certeza. Mas por mais que tivéssemos tudo isso, ainda mantenho que um dos inimigos mais insidiosos do brasil ainda seria esse contingente não-insignificante da sua própria população que só quer lamber botas porque acha que é isso que um bom cidadão deve fazer.

É pros hospedeiros desse germe que um impeachment basta pra “botar tudo nos eixos”, para que “deixem os especialistas trabalhar” (“especialistas” aqui sendo quem a mídia disser que é, porque novamente o brasileiro médio não tem tempo pra perder se informando quando tem jornada tripla de trabalho e afins. Então fica mais fácil acreditar nos grandes canais de comunicação de massa. E assim seguimos sendo martirizados no balcão de negócios da História. Enfim… é só com muita raiva e angústia que dá pra pensar em ir pra rua com os liberalóides e ingênuos políticos mesmo, mas política é isso, a gente não tem que se gostar pra concordar com um mínimo comum.

Paz entre nós e guerra aos senhores, apenas e como sempre.

Responder

MARCOS DANIEL MORAES DE ARAUJO em 28/02/2020 - 07h25 comentou:

Ótimo, lúcido e triste artigo. A vontade que tenho é de ir embora e deixar todos na loucura que se instalou no Brasil. Minha solidariedade, Cynara.

Responder

Gilberto Pinto da Motta em 28/02/2020 - 16h32 comentou:

Uma lufada de lucidez, emoção e desabafo. Desabafo que tomo emprestado e faço representante autêntico de minhas emoções e sentimenstos. Difícil momento. Infeliz repetição quase eterna de babaquices, equívocos e disparates. Outra v portanto, vamos ao mar! (Gilberto Motta – Florianópolis/SC)

Responder

Helio Imbimbo em 28/02/2020 - 17h33 comentou:

Basta a esquerda voltar ao.poder que os cães raivosos da mídia retornam ao default comportamental de criar uma crise por dia, assinalada em todos os noticiários.

Responder

Roberto Oliveira em 28/02/2020 - 20h04 comentou:

É por aí ! Radicalizar para derrotar o Fascismo e as milícias instaladas em Brasília.

Responder

pinky wainer em 29/02/2020 - 08h31 comentou:

divido o mesmo sentimento.

Responder

Roberto em 01/03/2020 - 03h30 comentou:

Maravilhosa Cynara Menezes! Um beijo e um abraço fraterno! Muita força para nós para enfrentar o que está por vir, especialmente para os que, como eu, não tem a opção de correr para o aeroporto…

Responder

Rossi em 02/03/2020 - 23h39 comentou:

“O sol,há de brilhar mais uma vez
A luz, há de chegar aos corações…….” do N.Cavaquinho.
Ainda nos resta a arte.Mas para apertar a mão de um fhc,”cerra”,b.araujo,e “acepipes”,só com muito sabão e desinfetante depois,além do nariz tampado e máscara cirúrgica ,tendo sempre que esperar hora da traição.

Responder

Cristina Silveira em 05/03/2020 - 09h55 comentou:

Para mim é muito difícil a convivência com a tropa miliciana. São responsáveis pela desgraçaria no país. Não os desculpo, votaram de má-fé. A imprensa PIG recebe de mim, agora que são o alvo do PR Miliciano, o silêncio. Jamais vou esquecer o que essa canalha fez com a presidenta Dilma, para ficar só no exemplo dos ataques misóginos. Tenho é nojo.

Responder

LuisCPPrudente em 06/03/2020 - 11h52 comentou:

Só espero que no momento certo, nós da Esquerda, saibamos dar a resposta correta e o revide mais que certeiro e merecido nesses canalhas que apoiaram o golpe e clamam pelo nosso apoio. Pior que não sabemos quando será esse momento, quando teremos de democratizar os meios de comunicação (proibindo por lei que toda e qualquer igreja seja dona de rádio ou televisão, que não haja monopólio dos meios de comunicação nas mãos de bandidos como os atuais donos de meios de comunicação), determinando medidas legais para proibir a existência de partidos religiosos ou de pessoas que queiram usar a religião para assumir o legislativo (pois se o Estado é laico não há a necessidade de existência de nenhum partido para defender religião específica, o Estado laico e democrático permite a existência legal de toda e qualquer religião sem privilegiar A ou B). Mas torço mesmo para um paredón com os que jogaram a gente nesse buraco, mas é só uma vontade (da mesma forma que os golpistas tem vontade de nos extirpar).

Responder

Vitor Kirschner em 06/03/2020 - 16h01 comentou:

Nós, a esquerda, não fomos felizes ao deixarmos de manifestar nossa indignação sobre tudo que aconteceu nos últimos anos, pois esses fatos que levaram a estrema direita a voltar o poder após a ditadura. Todos os ganhos sociais que tivemos com o Lula, todas as conquistas com a presidenta Dilma, todas as bandeiras de todas as cores se perderam com o nosso silêncio. Os efeitos das crises internacionais, desde 2008, os crescentes números de assassinatos de pobres e negros, do narcotráfico e milicias que dominaram onde o Estado não entra, da falta de investimento inteligente em infraestrutura, do beneficiamento das famílias de banqueiros e empreiteiros, de deixar a lava jato destruir os nossos sentimentos sem fazer a meia culpa, por articular com congressistas como Eduardo Cunha e Renan Calheiros, ao fazer alianças com Governadores como Sergio Cabral e Garotinho e com prefeitos do tipo Eduardo Paes.
Concluindo, sem identificar a origem do problema, assumir a culpa e renovar a esquerda, nunca retomaremos o protagonismo da política nacional.

Responder

yared em 07/03/2020 - 12h01 comentou:

enquanto buscarmos por um “salvador da pátria” seremos sempre trouxas,enganados, traídos,esculachados,roubados e humilhados. o pit-bozo é mais uma cavalgadura que conseguiu extorquir 57 milhões de otários, alegres e alienados que o presentearam com um arreio e uma linda sela em forma de faixa presidencial..

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Golpe parlamentar: Câmara dos Deputados analisa PEC que facilita impeachment


A Câmara dos Deputados está analisando uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que facilita o rito de impeachment do presidente da República. Se for aprovada a proposta, de autoria do deputado federal Rogério Rosso (PSD-DF),…

Direitos Humanos

Paulo Coelho: “fui torturado pela ditadura que Bolsonaro quer celebrar”


Em artigo, escritor conta como levou choques elétricos nos genitais e foi colocado numa solitária em 1974 apenas por ser um artista