Socialista Morena
Politik

O mundo precisa de mais dancinhas de Neymar e menos Quenelles

O mundo está se tornando um lugar estranho para se viver. A notícia de que o ex-treinador da seleção espanhola Javier Clemente pediu punição para os jogadores brasileiros Neymar e Daniel Alves por terem comemorado um gol dançando me deixou estupefata. Nós já estamos acostumados a ver o estilo brincalhão do menino Neymar, sempre improvisando […]

Cynara Menezes
27 de fevereiro de 2014, 14h15

(A dancinha de Neymar e Daniel Alves…)

(…e o gesto polêmico de Anelka)

O mundo está se tornando um lugar estranho para se viver. A notícia de que o ex-treinador da seleção espanhola Javier Clemente pediu punição para os jogadores brasileiros Neymar e Daniel Alves por terem comemorado um gol dançando me deixou estupefata. Nós já estamos acostumados a ver o estilo brincalhão do menino Neymar, sempre improvisando coreografias na beira do gramado, mas, ao que parece, na Espanha este tipo de celebração é considerado ofensivo ao time adversário.

Vejo três questões aí: a primeira, óbvia, é que quando o jogador faz uma dancinha não está tentando atingir seus oponentes, e sim agradar à própria torcida. Em segundo lugar, acho uma tremenda cara de pau, para dizer o mínimo, que times europeus queiram importar jogadores brasileiros mas exijam que eles se comportem como “atletas do primeiro mundo”. Tipo: venha para cá, mas deixe seus “maus hábitos”, como sambar (!) por lá. “Jogue bem, mas não seja quem você é.” Isso pode? Não consigo deixar de ver como uma forma de “domar” o craque brasileiro, mesmo tirando proveito (econômico, sobretudo) de sua arte.

Por último, me parece que a “civilizada” Europa tem muito mais com o que se preocupar do que com dancinhas. A profunda crise capitalista no continente trouxe a intolerância, a xenofobia e o racismo, que estão ressurgindo com força em vários países, inclusive na Espanha. Não podemos esquecer que aqui mesmo na América do Sul, há três semanas, o brasileiro Tinga foi vítima de insultos racistas em campo ao jogar no Peru. Aliás, o treinador que pretende puni-lo agora foi acusado várias vezes de racismo e, no passado, criticou o estilo “espalhafatoso” dos brasileiros e até o cabelo de Neymar. E cismam com uma dancinha? Sério?

No final do ano passado, Nicolas Anelka, atacante francês do britânico West Bromwich, repetiu em campo um gesto criado por seu amigo “comediante” Dieudonné M’bala M’bala, que está sendo interpretado como uma releitura da saudação nazista. Foi divulgado hoje, 27 de fevereiro, que Anelka foi multado em 80 mil libras e suspenso por cinco partidas por ter feito a saudação (leia aqui).

A “quenelle” seria, segundo Dieudonné –espécie de Danilo Gentili local ligado ao líder de extrema-direita Le Pen–, apenas uma manifestação contra o sistema. Mas as seguidas declarações anti-semitas do “humorista”, que já levou várias multas da Justiça, não deixam margens a dúvidas. Detalhe: Dieudonné é negro, de mãe francesa e pai camaronês.

Com a ajudinha de Anelka, no final do ano passado a “quenelle” se tornou viral e se espalhou pela internet (veja aqui). Milhares postaram nas redes sociais fotos fazendo o polêmico gesto –inclusive no museu do Holocausto, na Alemanha, ou diante de um cartaz com a menina judia Anne Frank, que morreu em um campo de concentração durante a Segunda Guerra Mundial.

O ministro do Interior da França chegou a anunciar sua intenção de proibir as apresentações de Dieudonné, desatando uma polêmica no país sobre até onde vai a liberdade de expressão, assunto muito em voga no Brasil ultimamente, por razões similares. Em entrevista recente, ao criticar um jornalista francês de origem judia, o “comediante” provocou: “Quando o escuto falar me pergunto: e as câmaras de gás? Que pena”. Na França é proibido por lei fazer declarações anti-semitas. Sobre a “quenelle”, o governo reafirma a certeza de que se trata de uma saudação nazista, claramente anti-semita.

Diante de tantas manifestações de intolerância e da “quenelle”, me parece absurdo estarem querendo punir Neymar por ter feito uma dancinha. Talvez seja exatamente isso que está faltando ao esporte: saber levar na esportiva. Rir, mesmo diante da derrota. Os torcedores espanhóis têm algo a aprender com o menino santista. A dança de Neymar evoca alegria. A “quenelle” evoca ódio. Mais dancinhas e menos “quenelles” é do que o futebol precisa. E o mundo também.


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(39) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Luis Garcia em 24/02/2014 - 22h50 comentou:

Morei muitos anos na Espanha e ao ver que o dito técnico era Javier Clemente não me surpreendeu. Clemente tem um largo histórico, é tipo um Bolsonaro do futebol. Na Espanha mesmo é muito mal visto pela maioria, tanto pelas sua ideias em relação ao futebol em si como pela sua visão equina da vida.

Responder

marcos em 25/02/2014 - 00h04 comentou:

a questão posta não é a dancinha, mas o momento da dancinha. o barcelona já estava vencendo por 5 a 0, os jogadores nem estavam mais comemorando acintosamente os gols, em respeito aos adversários (não falam tanto de fair-play?). mas neymar vai, faz um gol e dança. é menosprezo. ninguém o vê — e já se falava sobre isso quando ele jogava no brasil — dançar quando faz um gol com o próprio time perdendo de 3 a 0. por quê? por que não dançar em todos os gols? só quando tá ganhando é fácil. acho temível o gesto do anelka. sendo feito no futebol inglês, histórico em gestos antissemitas, em especial contra o tottenham (os adversários imitam gases, como se fosse uma câmara de gás), a coisa toma mais vulto ainda. no todo, cabe a discussão, é frutífera. mas acho errado comparar as coisas. uma é discussão de respeito ao adversário (como medimos o que uma pessoa sente?), outra de preconceito estúpido, com o perdão pelo pleonasmo.

Responder

    Ricardo G. Ramos em 25/02/2014 - 16h50 comentou:

    Concordo. Faltou "feeling" ao inocente jogador do Barça, embora o desculpe pois estava voltando de grave contusão e a comemoração fez parte de uma espécie de desabafo particular. A coisa deliberadamente racista deve sofrer punição rigorosa. O coraçãozinho feito com as mãos de alguns jogadores, torcedores et caterva merece 50 chibatadas na bunda.

Ted Tarantula em 25/02/2014 - 00h56 comentou:

A esquerda de repente caiu de amores por copa do mundo, futebol, seleção brasileiras e outras "tonterias" afins…esperando capitalizar politicamente a estupidez e o fanatismo popular, do mesmíssimo modo como a ditadura fez em 1970, o que foi copiosamente denunciado pela esquerda, alegando que os gritos de gol do Brasil no México serviam para abafar os gritos dos torturados nas masmorras…daí, depois do AI 5 padrão FIFA, me ocorre perguntar de novo como é mesmo a citação que fala da historia que se repete como farsa????

Responder

    morenasol em 25/02/2014 - 14h26 comentou:

    que viagem, hein? este post é sobre tolerância, não é nem mesmo sobre futebol. acho que vocês estão paranóicos demais, recomendo terapia.

    Robert Zimmermann em 27/02/2014 - 05h39 comentou:

    Eu achei bem pertinente o comentário do Ted Tarantula. Afinal, o esquerdismo way of life tem de englobar tudo o que possa render alguns trocados, inclusive o futebol. No mais, é realmente patético ver como o discurso muda ao sabor do $…

    Ted Tarantula em 27/02/2014 - 20h46 comentou:

    Bob Zimmermam???? mais conhecido do vulgo como Bob Dylan??? muito me honra seu apoio à minha modesta intervenção, grande bardo…

Ricardo em 25/02/2014 - 04h28 comentou:

Talvez deveriam punir o Neymar por se fazer de criança para fugir da responsabilidade na sua transferência para o Barcelona, onde milhões foram sonegados. O problema não é a dancinha: é o proposital ausência de responsabilidade, cultuada através do estilo "largado" e "nem aí" do jogador, bastante interessante para a Globo, para seu pai, para o Santos e para todo mundo que ganha dinheiro com ele. Nisso sim a Espanha deu exemplo.

Responder

cilene em 25/02/2014 - 04h35 comentou:

um no Brasil se leva tudo na brincadeirinha…o preconceito…a violência…o caixa dois do pais do Neymar..e se continua fazendo dancinha… esse tal Neymar tem que fazer gols.

Responder

Belisa Evangelista em 25/02/2014 - 11h16 comentou:

Cara Cynara Menezes,

Adoro o seu blog, que sigo ha algum tempo. Parabens e obrigada por nos mostrar uma visao diferente daquela exposta pela grande midia brasileira e mundial.

No entanto, esse texto sobre o Diedonne me deixou decepcionada, exatamente porque repete sem reflexao aprofundada a opiniao consensual da grande midia e do governo franceses. Moro na França ha 4 anos e lhe garanto que esse caso tem sido bastante deturpado, tanto pelos opositores desse comediante quanto por uma parte dos seus proprios fas! A realidade e muito, mas muito mais complexa e sutil do que o que voce descreve. Se voce estiver interessada, gostaria muito de trocar ideias sobre esse assunto. Se voce ler em frances, posso lhe enviar alguns textos. Se nao, posso traduzi-los e tambem escrever a minha propria opiniao. Pra comecar, afirmo com muita seguranca: Dieudonne e um militante anti-racista e a tal quenelle nao e anti-semita. Ele critica, sim, a politica do Estado de Israel. Nao podemos confundir as coisas…

Acredito que um blog dessa qualidade tem o papel de ouvir sempre o outro lado da historia, a outra versao dos fatos.

Obrigada,
Belisa
P.S.: desculpe a falta de acentos.

Responder

    Adriana em 25/02/2014 - 14h13 comentou:

    Belisa Evangelista, desculpa me meter no assunto, mas fiquei interessada nesses textos. Será que você poderia compartilhar esses links aqui nos comentários mesmo? (pode ser em francês)
    Obrigada!

    belisa evangelista em 26/02/2014 - 09h44 comentou:

    Lua, Maria de Fatima e Adriana, coloquei alguns links la embaixo…

    Maria de Fátima em 25/02/2014 - 14h19 comentou:

    Seu comentário é interessante, mas votei negativo por engano quando fui votar no anterior, sei que não fará nenhuma diferença, mas decide comunicar-lhe por uma questão própria. Parabéns.
    ps: tentei reverter mas não foi possível.

    morenasol em 25/02/2014 - 14h28 comentou:

    não sei não, belisa. pesquisei bastante e vi que há uma guinada à direita do dieudonné nos últimos anos. além disso, suas declarações duvidando da existência do holocausto e "brincando" com assuntos como câmaras de gás acho que não deixam margens a outras interpretações.

    DEUS EX MACHINA em 25/02/2014 - 15h46 comentou:

    Exatamente. Ele se mostra anti semita nos seus atos, apesar de pregar contra o estado de Israel do ponto de vista da influencia deleteria no ocidente. Ao mesmo tempo eh pro-imigracao, imensamente a favor da igualdade dos homens. O assunto eh delicado por aqui, a maioria dos frances nao esta entendendo nada…

    Lua em 25/02/2014 - 18h12 comentou:

    Também fiquei curiosa. Vejo partilhamentos apoiando esse gesto no Facebook, de pessoas nem um pouco racistas, inclusive judeus. É certo que esse histórico do Diedonne preocupa, mas me parece pertinente a colocão de o gesto estar sendo deturpado e que a coisa toda é verdadeiramente sutil. Eu também gostaria de saber mais.

    Dario Achkar em 27/02/2014 - 17h48 comentou:

    Perfeito Belisa… o lobby judaico deve estar bastante empenhado em deturpar a real mensagem do humorista… como não só boa parte da mídia corporativa, mas também os principais anunciantes estão na mão de judeus, é bastante provável que isto esteja acontecendo… a propósito… não tenho nada contra judeus… tenho sim e muito, contra um monte de coisas que eles tem feito pelo mundo… sempre lembrando que existem judeus que não compactuam com a barbárie…

    valeu pela luz que trouxe ao assunto…

    abraços,

    Dario

    alvaro em 04/03/2014 - 10h39 comentou:

    Vive la dieudosphere, viva Belisa!

belisa evangelista em 25/02/2014 - 11h18 comentou:

ah, pra completar o texto anterior, concordo que o mundo precisa de mais dancinhas do Neymar sim!

Responder

DEUS EX MACHINA em 25/02/2014 - 11h20 comentou:

Otimo texto, mas Dieudone (negro e africano) ligado a Le Pen eh um pouco complicado. Ele eh anti-semista e nao prega os principios do FL, partido de extrema direita.

Responder

belisa evangelista em 25/02/2014 - 11h43 comentou:

*antissemita

Responder

    DEUS EX MACHINA em 25/02/2014 - 15h43 comentou:

    me desculpe o erro crasso!

    belisa evangelista em 25/02/2014 - 17h04 comentou:

    eu tinha corrigido o meu proprio texto 😉

Paulo Soares em 25/02/2014 - 13h59 comentou:

as "dancinhas" de Neymar não tem nada de "alegria" ou "irreverência". na verdade são um produto mercadológico muito bem pensado por sua assessoria de marketing. esta última dancinha por exemplo é a mesma "coreografia" que certo grupo de axé music usará no carnaval bahiano. ou seja, Neymar estava participando da estratégia de promoção do novo produto. sou torcedor e acompanho o futebol, mas reconheço que Neymar, mais além de um jovem craque é, nas mãos dos capitalistas e da mídia que o promovem, uma commoditie!

Responder

Edmundo em 25/02/2014 - 18h22 comentou:

Moro na Espanha a 25 anos. Sei nada mais além do que saiu na imprensa, do que ocorreu ou ocorre na França e o caso do jogador frances em Londres e seu gesto considerado antisemita. Mas lhe digo uma coisa, se vc quer falar de tolerancia arranje um exemplo melhor. Este caso da dança do Neymar que não é caso nenhum, é vista como normal aos olhos de nós brasileiros, mas aos olhos dos espanhóis é pura falta de respeito ao adversário. E neste sentido vai contra os principios do esporte em geral. Já anos atrás, quando o Robinho chegou por aqui e jogava no Real Madrid, junto ao Ronaldo e Roberto Carlos, aconteceu a mesma coisa. Robinho marca o gol e sai correndo pra um lado do campo comemorar. Junto chegam o Ronaldo e o Roberto Carlos, daí o Robinho comanda a dança da baratinha. Os tres deitados no chão de barriga pro ar esperneando e dando risada. Naquela época tiveram que pedir desculpas. E isso sendo o Real Madrid que manda muito na liga espanhola. O técnico era o Fabio Capello, se não me engano e o ano era 2007 eu acho.
De acordo contigo que necessitamos todos mais tolerancia e entendimento, e que há uma onda facista na Europa também. Mas isso é devido ao enorme desemprego e a enorme diferença entre pobres e ricos. A ultra direita só aproveita o espaço que todos os partidos deixaram aberto. Essa onda é uma coisa Européia que não se resolveu desde a 2ª Grande Guerra. Na Espanha tá cheio de facista frequentando estadios mas não são eles que reclamam das dancinhas. No caracter e na cultura espanhola, o respeito no trato e nas formas é fundamental.

Como diz o velho ditado de St. Ambrosio: "si fueris Rōmae, Rōmānō vīvitō mōre; si fueris alibī, vīvitō sicut ibi" ou seja "Se estás em Roma faça como os romanos, se estás em outra parte faça como eles fazem." coisa que qualquer imigrante faz em qualquer país. O Neymar é um imigrante também.

E de resto, a Europa nunca foi da alegria, como nós entendemos a alegria. Por falar nisso… bom carnaval a todos.

Responder

    Martins em 25/02/2014 - 21h53 comentou:

    Não concordo e discordo como imigrantes em qualquer pais porque o brasil é bom exemplo disso como é que a fifa e todos os clubes pregam não racismo e a não intolerância e quando tem a primeira oportunidade deixam claro isso ,os brasileiro tem por sua características serem assim e a Europa e próprio barcelona quando contratou sabia.Brasileiro a baixa a cabeça pra tudo que é europeu é incrível ,acho que essa é uma ótima oportunidade ainda mais com a copa no Brasil se exercitamos a tolerância .

    Edmundo em 26/02/2014 - 18h34 comentou:

    Desculpa, mas não acho que brasileiro abaixe a cabeça pra tudo. Isso é antigo e ultrapassado daquela velha dicotomía "culpa do colonizado e a culpa do colonizador". Já foi esta história. O mundo 2.0 é diferente mas as culturas e seus costumes são pilares difícieis de remover. Dizem que para mudar um país leva 30 anos porque só assim se pode criar uma geração que pense diferente, mesmo assim a cultura de um povo leva mais que isto.
    O teu exemplo FIFA é na verdade regra da organização em todo o planeta. Além do mais o assunto nunca foi olhado com a lente do racismo por aqui. Jamais vi um comentário sobre o caso neste sentido. Mais bem, o enfoque é a disciplina do respeito no futebol. Aonde se dá o caso de racismo puro e duro nos estadios, como foi o Balotelli, na Itália, acho que o próprio Roberto Carlos, na Turquia, o caso no Perú, entre outtos, são casos onde o racismo se expressa desde a torcida, e não dentro do campo. E lhe digo uma coisa, nas arquibancadas européias tá cheio de grupos facistas, e os próprios clubes estão tentando evitar este povo nos estadios, como o Real Madrid que recentemente proibiu o grupo UltraSur em suas arquibancadas.
    Mas voltando ao fato do baile Neymar, volto a dizer, a ética do esporte é o respeito ao adversário em primeiro lugar. Isso em qualquer lugar. Olha aí outro exemplo: O goleiro defende o penalti e dá uma banana por adversário
    http://www.marca.com/2014/02/26/futbol/futbol_int

    E quanto ao extranjeiro: Se vc recebe um convidado em sua casa e o cara come tua comida com o pé na mesa e arrota na cara de todos vc vai gostar? No Brasil, e no mundo, tá cheio de exemplos de intolerancia, discriminação e racismo disimulado como é o rico e o pobre, as classes sociais, o caipira e o cosmopolita, o norte e o sul, o evangélico e o ubandista e aí por diante.

    Precisamos de muito amor e entendimento, compreensão e tolerancia. E sim mais baile e menos blablabla.

belisa evangelista em 25/02/2014 - 23h27 comentou:

Texto em defesa de Dieudonne, de um site verdadeiramente alternativo, em frances: http://www.cercledesvolontaires.fr/2014/01/16/die

Entrevista do escritor Alain Soral em defesa de Dieudonne, em ingles com legenda em frances: http://youtu.be/G8gdbXHsVks

Video de Jacob Cohen, judeu antisionista (por favor, revisem a diferenca entre antissemitismo e antisionismo), em frances: http://youtu.be/rE27zRRqR9c

Conferencia de Alain Soral, em frances: http://www.egaliteetreconciliation.fr/Conference-

Quem estiver interessado(a) pode me pedir um resumo traduzido do conteudo desse material.

Responder

Carlos em 26/02/2014 - 00h07 comentou:

Jogador de futebol brasileiro, regra geral, é um morto de fome. Daí ele ganha dinheiro, vai para a Europa e acha que lá é a extensão da laje da casa dele. É pagode, samba, suor e cerveja mas se esquece que respeito é bom e eles gostam.Além do mais, é bem verdade que é um saco essas dancinhas, essas agradecimentos a deus pelo gol ou essas camisas venerando o senhor jesus. Tipico de mentes involuídas….

Responder

    Thiago em 26/02/2014 - 11h48 comentou:

    Pelo jeito quem não respeita alguém aqui é você Carlos.Engraçado é que C.Ronaldo dança "ai se eu te pego" em comemoração ao gol e ninguém vê problema.Recentemente Bastian Schweinsteiger dançou "leke leke" também comemorando um gol.Eu me pergunto: Qual é o problema do jogador brasileiro fazê-lo?

    Carlos em 26/02/2014 - 18h51 comentou:

    Na verdade, na minha opiniao, nenhum deles poderia dançar essas porcarias e a bem da verdade, a questão é que brasileiro está queimado no mundo inteiro.

roberto vianna em 26/02/2014 - 15h36 comentou:

li com atenção o texto e os comentários,mas constato:pela foto,parece-me que a platéia gostou da dancinha,todo mundo sorrindo,é o que importa.

Responder

Dario Achkar em 27/02/2014 - 17h53 comentou:

honestamente eu acho natural que o técnico estabeleça uma norma de conduta para jogadores… é como em qualquer empresa… cada uma tem suas normas de conduta… pedir punição é exagerado, mas se a firma não quer, o funcionário tem que obedecer… eu adoro expressões de celebração, nada contra, mas particularmente acho essas dancinhas do futebol o fim da picada… muito cafona…

Responder

Dom_Marcelo_1 em 28/02/2014 - 18h09 comentou:

Socialismo soviético e nacional-socialismo possuem muita coisa em comum além do nome

Responder

    morenasol em 28/02/2014 - 20h15 comentou:

    blá-blá-blá

Rodrigo em 28/02/2014 - 20h25 comentou:

Eles gostam de afirmar uma divisão entre "civilização" e "barbárie" extremamente falsa. Gostam de caracterizar a si mesmos como "civilizados" e aos outros como "selvagens", mas basta olhar quem promove guerras (inclusive com uso de duas bombas atômicas), quem financia indústrias de armamento, quem afirmou e ainda afirma seu domínio no mundo por meio dos mais variados métodos de violência, ainda se demonstrando imperialista, colonialista e escravagista para ver de que lado estão os selvagens. Bando de homens das cavernas de terno e gravata.
Já consigo imaginar o vídeo motivacional extraído do Youtube usado por esse técnico antes de entrar em campo: "Slavery, The Game". Quando sair certamente vai ser o jogo número um dos torcedores europeus.
Os norte-americanos, com ajuda decisiva dos negros, tornaram a NBA um puta espetáculo que dá gosto de assistir até nos intervalos. Já europeu é chato pra caralho. Eu gosto de música clássica (como não gostar?), mas aquela ària da Champions é chata pra caralho. Sem contar os mascotes deles. Tem coisa mais idiota do que colocar um menino de uniforme como mascote como fizeram na copa de 74?

Responder

Marcelo Silveira em 09/03/2014 - 23h09 comentou:

Crítica completamente equivocada a Anelka e Dieudonne. O que se esconde por trás desse "linchamento" não são nada mais que os interesses de Israel e as poderosas associações sionistas.

Quem quiser entender o que realmente se passa, leia o artigo abaixo:
http://www.voltairenet.org/article181997.html

Responder

    belisa em 23/03/2014 - 23h40 comentou:

    Muito bem Marcelo! obrigada por essa indicaçao, finalmente um texto em português.

Jonas Eduardo em 17/03/2014 - 14h03 comentou:

Mais dancinha e mais "quenelle".

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Direitos Humanos

Bolsonaro é processado por quilombolas de todo o país pelo crime de racismo


Por Katia Guimarães* Conhecido por não medir palavras na hora de ofender minorias, o deputado de extrema-direita Jair Bolsonaro (PSC-RJ) corre o risco de, finalmente, morrer pela boca. Depois das últimas declarações em palestra no Clube…

Cultura

Fotógrafo recria divindades hindus com a pele morena escura que deveriam ter


Imagens desafiam racismo no país, onde o negócio do clareamento movimenta 400 milhões de dólares anuais. Que dizer do Jesus "loiro"?