Socialista Morena
Politik

Roberto Freire, o ex-crítico do aparelhamento que aparelha o MinC com derrotados do PPS

O ex-deputado federal e ex-comunista Roberto Freire, atual ministro da Cultura do governo ilegítimo, dedicou os últimos anos a criticar, onde quer que pudesse, o “aparelhamento” do Estado pelo PT e seus aliados. No twitter, são incontáveis as postagens de Freire acusando os petistas de “aparelhar”. PT aparelhando o Estado vem desmoralizando uma a uma […]

Cynara Menezes
07 de abril de 2017, 11h33
freireaparelhamento

(Quem te viu, quem te vê. Foto: José Cruz/Agência Brasil)

O ex-deputado federal e ex-comunista Roberto Freire, atual ministro da Cultura do governo ilegítimo, dedicou os últimos anos a criticar, onde quer que pudesse, o “aparelhamento” do Estado pelo PT e seus aliados. No twitter, são incontáveis as postagens de Freire acusando os petistas de “aparelhar”.

Em sua página no youtube, ladeado por fotos dos ídolos e padrinhos políticos José Serra e Geraldo Alckmin, Roberto Freire também ataca em vídeo o “aparelhamento do Estado” pelo PT.

Em fevereiro, durante cerimônia de entrega do prêmio Camões ao escritor Raduan Nassar, Freire não suportou ser criticado e vaiado e… atacou o “aparelhamento” em nota oficial da pasta para a qual foi indicado graças aos bons serviços prestados ao PSDB pelo seu partido-puxadinho, o PPS. “O Ministério da Cultura lamenta, mais uma vez, a prática do Partido dos Trabalhadores em aparelhar órgãos públicos e organizar ataques para tentar desestabilizar o processo democrático.”

Pois bem: Freire chegou ao poder e, em vez de “desaparelhar”, como prometeu, ou de governar “sem aparelhamento”, como disse ser possível, o que fez o ex-comunista? Aparelhou! Segundo a Folha de S.Paulo, o ministro da Cultura pendurou 18 nomes do PPS na pasta – a maioria candidatos derrotados do partido do qual é presidente eterno-, com pouca ou nenhuma experiência na área. Mas, segundo o ministro, quando ele faz não é aparelhamento. “A escolha dos nomes para a equipe se dá por critérios republicanos. Nossa preocupação é com a competência, a experiência”. Ah, bom!

Os servidores do ministério da Cultura divulgaram nota de repúdio ao APARELHAMENTO da pasta por Roberto Freire. Confira a íntegra abaixo.

Os servidores do Ministério da Cultura, reunidos em assembleia geral no dia 5 de abril de 2017, às 15 horas, no Edifício Sede do MinC, decidiram, por unanimidade, expressar posicionamento contrário ao aparelhamento do Ministério da Cultura e ao desmonte das políticas culturais.

Entendemos que há claro comprometimento do processo de ocupação de cargos por critérios técnicos iniciado na gestão do ex-ministro Marcelo Calero. Naquela ocasião, mais de 40 servidores efetivos foram selecionados para ocuparem funções comissionadas e cargos de confiança junto ao MinC por meio de um edital de seleção pública em que pesaram aspectos de experiência e formação.

A atual gestão do Ministério optou por não dar continuidade a procedimentos de seleção por critérios que sejam publicamente conhecidos. O único critério que parece ter sido adotado é o de pertencer ao mesmo partido do atual ministro.

A ASMINC se solidariza com os servidores que tiveram sua ocupação em cargos comissionados efetivada por meio de processo seletivo e que foram exonerados para dar lugar aos indicados políticos.

Entre os casos emblemáticos está o de um servidor que ocupava o cargo de Coordenador-Geral de Institucionalização. Após ter sido selecionado no referido processo seletivo, ele se mudou de Recife para Brasília para o exercício de suas novas atribuições. O servidor estava em uma viagem de trabalho no Tocantins quando recebeu uma ligação informando de sua exoneração do referido cargo. Ele foi substituído por Eliseu de Oliveira Neto, do PPS.

A falta de transparência nos processos de ocupação de cargos compromete inclusive a eficiência das políticas públicas conduzidas pelo Ministério da Cultura. As mudanças intempestivas de cargos prejudicam a continuidade das políticas culturais.

Dessa forma, a Associação de Servidores do Ministério da Cultura, atendendo ao clamor da assembleia, posiciona-se contrariamente à ocupação de cargos por critérios exclusivamente políticos.

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Direitos Humanos

Senador da base de Temer chama estudante agredido por PM de “baderneiro”


Por Katia Guimarães* Enquanto o país assistiu com indignação à agressão sofrida pelo estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás, Mateus Ferreira da Silva, de 33 anos, no dia da greve geral, e…

Politik

Gravação prova que grampo era na presidência (de quebra, prova que Lula falava ACERVO,…


Áudio divulgado agora à noite prova que o grampo estava localizado no Palácio do Planalto. Observe que é a secretária da presidência quem liga para Lula. Ouve-se o toque de chamada e a respiração da…