Socialista Morena
Direitos Humanos

Vidas Secas

Fabiano e Baleia voltaram à realidade no Brasil desgovernado de 2021

Menina yanomami de 8 anos pesando apenas 12,5kg. Foto: divulgação
Willian Novaes
01 de dezembro de 2021, 10h22

Fabiano e Baleia voltaram à realidade na primavera de 2021.

Renasceram da dureza da vida, dos tempos sombrios. Do cinismo do capitalismo. Da crueldade de quem manda no país.

A tristeza de vidas secas em tempos tão modernos é de acabar com os sonhos e esperanças. Ande nas ruas, olhe pro lado do seu visor e veja as latas sendo aquecidas por braseiros em plenas avenidas milionárias. Os acampamentos dos sem teto, sem comida e sem dignidade estão espalhados por tudo o que é canto. A fome que sempre existiu agora agiganta em nosso Brasil desgovernado de 2021.

Lembro de uma mulher rica me afirmando que índio não serve para nada. Juro que quando ouvi isso não entendi, mas que merda ela está falando. Discutíamos o papel dos sem-terra, aí com raiva nos olhos ela gritou:

–Pior que os sem-terra são os índios.

Fabiano e Baleia por Aldemir Martins em 1963

Ela falava com frieza e hoje entendo ainda mais aquela fala de quem enfeitou a casa para promover esse presidente genocida. Imaginando ela olhando com desprezo essa foto de uma criança yanomami de 8 anos que pesa apenas 12 quilos em 2021.

A fragilidade desse corpinho me choca, junto com a manchete de ontem do UOL, das pessoas que desmaiam de fome em plena primavera de 2021 em São Paulo.

Eis um Brasil que assola os mais carentes, ainda mata os jovens negros e periféricos, beneficia os mesmos de sempre, que vivem na sua ignorância e maldade com visitas esporádicas para Miami.

Dizem que um país nunca morre, hoje tenho dúvidas…


(2) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Bernardo Santos Melo em 01/12/2021 - 13h40 comentou:

Quando Dom Evaristo teve sua paróquia reduzida por determinação do Vaticano iniciou-se o fim da Teologia da Libertação e o avanço evangélico , surgindo o grande negócio bíblico Brasil à fora .
Sem consciência sociopolítica nosso povo marchou para Teoria da Prosperidade , desde então o HUMANISMO entrou em colapso e o PT afastou-se das bases .
Coroando este movimento , as Igrejas Empresas do Lucro progrediram e adentraram na política nacional , a ponto de hoje alocarmos no STF o tal sujeito extremamente evangélico .
Neste reino da grana , vale tudo , de GENOCÍDIO a Alckmim vice de LULA , o REI MERCADO venceu .
Sobraram poucos Lancelotti , Boulos , Randolfe , Erundina , Freixo , Stedile , Eliane BRUM e a própria Cynara Morena .
Nunca vi Chico Buarque tão acuado , até prêmio lhe foi negado pela BESTA NACIONAL.
Um país MARREQUIZADO não romperá a FOME e certamente continuará extinguindo minorias e enaltecendo o TIO BANNON .

Responder

edmur alves em 02/12/2021 - 16h11 comentou:

Frente a esse horror que se vislumbra nas ruas, vendo gente pobre me implorando um prato de comida; homens descalços pedindo um par de chinelos; a fome presente como num país pós-guerra. Fiz uma poesia que penetra nessa ferida aberta que lateja sob os olhares mortos de muitos que passam pelas pelas ruas. Choca a indiferença e a falta de indignação dos que se acomodaram com essas visões dantescas.
Aqui vão três estrofes da poesia.

“(…) Tempos medonhos, que violenta.
Gente roendo ossos,
Gente reprimida,
Que até parece bicho
Saqueando caminhão de lixo
Em busca de comida.

É muita ferida
Nessa gente sofrida
Clamando pelo direito à vida,
Revirando na imundície do pátio,
Que em meio à tanta tranqueira
Como na poesia
De Manoel bandeira.

Brotam nestas plagas feridas
Fertil semeadura macabra
Tantas covas no chão, Meu Deus,
Quantas mortes sofridas (…)”.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Feminismo

Patrícia Lélis: “quero Eduardo prestando serviço numa instituição LGBT”


PGR denunciou o deputado, filho do presidenciável Jair Bolsonaro. Em prints, ele ameaça a jornalista e a chama de "puta"

Politik

Os 171 dias de governo: um balanço das “realizações” de Bolsonaro até agora


Confira o que Bolsonaro já fez e julgue você mesmo se são projetos que engrandecem e contribuem para nosso futuro como nação