Socialista Morena
Politik

Vitrines das lojas na era comunista evidenciam vulgaridade da sociedade de consumo

Entre 1986 e 1990, o fotógrafo norte-americano radicado no Canadá David Hlynsky fez aproximadamente 8 mil fotos das vitrines das lojas na Europa comunista. Em vez de focar nos distúrbios e protestos que já começavam, ele andava por ali fotografando a vida das pessoas na cortina-de-ferro, prestes a se abrir, quando elas lhe chamaram a […]

Cynara Menezes
16 de junho de 2015, 14h05
vitrines

(Sucos em Moscou, 1990. Fotos: David Hlynsky/Thames & Hudson)

Entre 1986 e 1990, o fotógrafo norte-americano radicado no Canadá David Hlynsky fez aproximadamente 8 mil fotos das vitrines das lojas na Europa comunista. Em vez de focar nos distúrbios e protestos que já começavam, ele andava por ali fotografando a vida das pessoas na cortina-de-ferro, prestes a se abrir, quando elas lhe chamaram a atenção. Sem os avisos de “liquidação” comuns no mundo capitalista, as vitrines lhe pareceram naïve, primitivas e “irônicas”.

O muro de Berlim ainda não havia caído e, pouquíssimo tempo antes de aqueles países serem invadidos pelos McDonald’s da vida, as imagens trazem de fato uma certa ingenuidade que faz as vitrines se aproximarem muito mais da arte do que do consumismo. Este ano, a editora Thames & Hudson reuniu 170 das fotos de Hlynsky no livro Window-Shopping through the Iron Curtain.

À parte os inúmeros problemas da fracassada experiência comunista no Leste europeu, é impossível deixar de refletir, olhando a simpatia kitsch dessas vitrines, sobre a vulgaridade do capitalismo e sua sociedade de consumo. Pura nostalgia do que foi e do que poderia ser. Clique aqui para ver mais fotos no site de David Hlynsky.

vitrines2

(Loja de brinquedos em Moscou, 1990)

vitrines3

(Fotos pintadas a mão na Iugoslávia, 1989)

vitrines4

(Praga, 1986)

vitrines7

(Iugoslávia, 1989)

vitrines5

(Budapeste, 1989)

vitrines6

(Cracóvia, Polônia, 1988)

vitrines8

(Budapeste, 1989)

vitrines9

(Moscou, 1990)

vitrines10

(Até os açougues tinham seu charme… Moscou, 1990)

vitrines11

(Batons em Moscou, 1990)

O livro:

livrovitrines

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Kapital

Como os capitalistas financiaram o nazismo de Hitler e o fascismo de Mussolini


A mais recorrente mentira que a direita tenta espalhar e que encontra receptividade em jovens sem leitura e que se contentam com meia dúzia de frases nas redes sociais, é que o sanguinário Adolf Hitler…

Cultura

Andy Singer: o humor contra a estupidez do automóvel


Publicado pela primeira vez no Brasil, cartunista e cicloativista estadunidense dá entrevista exclusiva a nosso colunista de mobilidade urbana