Socialista Morena
Politik

Justiça morosa, justiceiros a jato (mas só em relação a Lula)

A justiça brasileira, campeã em lentidão, bate recorde de celeridade e marca para janeiro o julgamento do líder de todas as pesquisas

E de repente a tartaruga ficou rápida. Ilustração de Grandville (1803-1847)
Guilherme Coutinho
14 de dezembro de 2017, 14h52

A justiça brasileira é uma das mais lentas e ineficientes do mundo. A mais recente versão do anuário estatístico Justiça em Números, publicado pelo CNJ, apontou que o País possui 80 milhões de processos sem julgamento. Ainda segundo o órgão, cerca de um terço das pessoas presas estão aguardando julgamento, e não raramente vemos casos de trabalhadores que faleceram sem conseguir seus direitos, que se arrastam por décadas nos tribunais. No entanto, para o julgamento de Lula, líder de todas as pesquisas presidenciais, a justiça bate recorde de celeridade e marca a sentença para janeiro. A justiça continua lenta. A guerra jurídica é que anda rápida.

Lawfare, ou guerra jurídica, é o uso da lei como arma de guerra, visando atingir um inimigo político. O caso específico de Lula se encaixa perfeitamente no conceito, que em momento algum se confunde com o de justiça. Lula foi condenado por Sérgio Moro por corrupção e lavagem de dinheiro a 9 anos e meio de prisão, em uma sentença polêmica, aplicada ainda que não houvesse provas contra o líder petista. No entanto, mesmo condenado pelo juiz curitibano, Lula continuou liderando as pesquisas de intenção de voto, ameaçando os adversários e deixando clara a possibilidade de a esquerda ganhar a quinta eleição consecutiva no Brasil. O establishment precisava reagir.

O caso de Lula se encaixa perfeitamente no conceito lawfare, que em momento algum se confunde com o de justiça e sim do uso da lei como arma para atingir um inimigo político

De acordo com a Lei da Ficha Limpa, para tornar Lula inelegível era necessária uma condenação em segunda instância. A lentidão peculiar da justiça brasileira seria um gargalo óbvio para o objetivo final de todo esse processo, que é retirar Lula do pleito do ano que vem. Foi então que o TRF4 conseguiu causar surpresa e espanto a todos ao anunciar o julgamento após apenas 196 dias da condenação de Moro. Um recorde mesmo para a operação Lava-Jato. O processo já havia sido o que mais rápido subira de instância, demorando apenas 42 dias entre Curitiba e o início dos trabalhos em Porto Alegre.

Para parar Lula, uma justiça lenta, que impede cidadãos de usufruírem direitos, que mantém presos sem julgamento e que permite a pessoas culpadas permanecerem em liberdade até a prescrição de seus crimes, tramitou processos com uma velocidade típica dos tribunais de exceção. Não é o caso do tríplex (origem do processo) que está sendo julgado, mas o Lula como figura política e líder carismático. Da condução coercitiva ao recente bloqueio de sua aposentadoria, o que tem existido contra Lula é perseguição política, partidária e midiática. Querem dar sangue aos inimigos e estão agindo como justiceiros.

O TRF4 conseguiu causar surpresa e espanto a todos ao anunciar o julgamento após apenas 196 dias da condenação de Moro. Um recorde mesmo para a operação Lava-Jato

O TRF4 sabe que não estará julgando uma mera causa penal. Eles estarão, sobretudo, decidindo o novo presidente do País, e muitos interesses vão estar em jogo no dia 24 de janeiro. Resta saber se os desembargadores vão dar sequência à guerra jurídica, agindo como justiceiros ou se farão a autêntica justiça, tão escassa por essas terras. Em todos os casos já está claro que este não é um tribunal comum para Lula, que após a data saberá se será um condenado ou o futuro presidente do Brasil.

 

 


(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

DANIEL MENDES em 16/12/2017 - 11h52 comentou:

Melhor seria exigir celeridade para todos os casos e mudança profunda nas estruturas causadoras dos escândalos!!!!!

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Papa Francisco chama a mídia de golpista. Falava do Brasil?


Pontífice acusa a mídia comercial de caluniar e difamar dirigentes e de criar o ambiente, junto com a Justiça, para os golpes de Estado

Politik

Um ano depois, onde estão os principais defensores do impeachment e onde está Dilma?


Hoje, 17 de abril, faz um ano da tenebrosa sessão em que uma Câmara corrupta votou pela abertura do processo de impeachment de uma presidenta honesta, Dilma Rousseff. Onde estão hoje os principais personagens desta…