Socialista Morena
Politik

O povo não consegue derrubar Temer, mas a Globo está conseguindo

O povo detesta Michel Temer, mas foi preciso a emissora dos Marinho entrar na jogada para que os pauzinhos se mexessem contra o presidente da República: o deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), relator da denúncia por crime de corrupção passiva contra Temer, deu, nesta segunda-feira, 10 de julho, parecer favorável à admissibilidade da investigação pelo Supremo Tribunal Federal. A denúncia […]

(Manifesatantes
Cynara Menezes
10 de julho de 2017, 20h25
(Manifesatantes

(Manifestantes contra Temer na avenida Paulista. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

O povo detesta Michel Temer, mas foi preciso a emissora dos Marinho entrar na jogada para que os pauzinhos se mexessem contra o presidente da República: o deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), relator da denúncia por crime de corrupção passiva contra Temer, deu, nesta segunda-feira, 10 de julho, parecer favorável à admissibilidade da investigação pelo Supremo Tribunal Federal. A denúncia foi apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

“Não é fantasiosa a acusação”, afirmou Zveiter. “É preciso que se faça a investigação. São várias as pessoas envolvidas e a verdade precisa ser esclarecida. É necessária a investigação dos fatos. Estão demonstrados na denúncia sólidos indícios da prática delituosa.” Para o deputado, é importante que o presidente se defenda das denúncias, independente de se é ou não culpado delas. “Há indícios graves, e não é fantasiosa a denúncia”, reforçou.

Zveiter, alvo de um vídeo de artistas pedindo que aceitasse a denúncia, frisou que seu voto não foi dado diante de provas concretas contra o presidente, e explicou que nesse momento bastam os indícios. “Devemos decidir se há indícios suficientes para abrir o processo. As provas concretas são necessárias apenas no julgamento. Nesse momento, é necessário que a Câmara autorize, porque há a descrição dos fatos, o que torna inviável sua não autorização”, disse.

Agora que a Globo está empenhada em arrancar o presidente do cargo, ninguém duvida mais que isso aconteça. É a “troca de funcionário” prevista pelo embaixador Samuel Pinheiro Guimarães: Michel Temer sai para que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, acelere a aprovação das reformas. Triste perceber que, se houvesse o triplo de gente nas ruas pedindo sua saída, o presidente ilegítimo continuaria lá. Mas bastou a emissora se mobilizar, para a casa de Temer começar a cair.

Especialista em golpes, a Globo quer descartar o mais rápido possível o homem despreparado e atolado em denúncias que ajudou a colocar no poder após patrocinar o impeachment contra Dilma Rousseff, presidenta legitimamente eleita. Posando de baluarte da ética, a emissora parece se esquecer que, se dependesse dela, quem estaria no poder era Aécio Neves, flagrado pedindo dinheiro ao empresário Joesley Batista.

Bem dizia Leonel Brizola sobre o gigantesco poder paralelo da emissora da família Marinho: “O poder da Globo é incompatível com a existência de um povo livre. Nenhuma nação que se preza admitiria uma situação como a que está criada aqui com a Globo”. Em qual país do mundo uma televisão usurpa do povo o poder de escolher seu presidente?

(Com informações da Agência Câmara)

 

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

PEC das Diretas é aprovada na CCJ do Senado. Agora é derrubar Temer


Por Katia Guimarães* A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou nesta terça-feira, 31 de maio, o texto original da PEC 67/2016, do senador Reguffe (sem partido-DF), que prevê eleições diretas em caso de…

Politik

Reforma política: não adianta reclamar dos políticos e não acompanhar o que está mudando


Esta é uma semana crucial para a reforma política: a partir desta terça-feira, haverá votações importantes na Câmara. Na pauta, a ampliação do fundo partidário e o famigerado "distritão'. Fique de olho