Socialista Morena
Mídia

TV diz que filha de Edir rejeitou um dos três irmãos adotados; rapaz morreu de overdose

Jornalistas da emissora portuguesa TVI sustentam que Viviane não quis ficar com o caçula das crianças, o que contraria tanto as leis portuguesas quanto as brasileiras

Os irmãos Luis e Vera. Falta Fabio na foto. Foto: reprodução TVI
Cynara Menezes
14 de dezembro de 2017, 17h58

Enquanto a mídia comercial brasileira, de forma suspeita, continua a ignorar o tema, a reportagem da emissora portuguesa TVI revela mais detalhes da escabrosa denúncia de tráfico internacional de crianças contra a Igreja Universal. Ontem, na terceira da série de dez reportagens, as jornalistas Alexandra Borges e Judite França acusam a filha de Edir Macedo, Viviane, de ter rejeitado um dos três irmãos que adotou, entregue a outro pastor da Universal, Romualdo Panceiro, braço direito do dono da Record, e levado para o Rio de Janeiro.

O caçula dos três irmãos, Fábio, morreu em julho de 2015, aos 19 anos, vítima de uma overdose em Nova York, nos Estados Unidos, segundo a imprensa portuguesa, que, ao contrário da brasileira, está investigando o caso, assim como o Ministério Público. Já começam a aparecer, inclusive, outras mães que acusam abertamente a igreja Universal de ter “roubado” seus filhos. No episódio de ontem à noite, as jornalistas da TVI sustentam que Viviane não quis ficar com o mais novo das crianças, entregando-o a Romualdo, o que contraria tanto as leis portuguesas quanto as brasileiras: em caso de adoção, irmãos não devem ser separados.

No programa, Fábio aparece em vídeo, aos 4 anos de idade, sendo instigado a repetir trechos da Bíblia e até o endereço da sede da Igreja. Em 2014, o próprio pastor havia revelado, ao site da Universal, os problemas do filho adotivo com as drogas, mas culpou a “antiga responsável” por ele em Portugal pelo problema, em um relato pouco esclarecedor, para dizer o mínimo.

O caçula dos três irmãos, Fábio, morreu em julho de 2015, aos 19 anos, vítima de uma overdose em Los Angeles, nos Estados Unidos, segundo a imprensa portuguesa, que, ao contrário da brasileira, está investigando o caso

“Nós adotamos o Fábio em 1998, quando ele tinha 2 anos. Ele era português e quando tinha 6 anos, a Justiça de lá determinou que ele deveria voltar para a antiga responsável por ele. Eu estava em São Paulo quando isso aconteceu. A Marcia ia visitá-lo em Los Angeles, onde ele morava, mas não tínhamos condições de continuar nessa rotina. A mãe que pegou a guarda dele dos 6 até 19 anos trabalhou a cabeça dele contra a gente, dizendo que nós é que não queríamos ficar com ele. Ela mudou de casa e perdemos o contato com ele. Quando ele completou 18 anos, essa mãe o colocou na rua. Foi quando ele conheceu a droga e passou a dormir na rua. Em 2013, fomos transferidos para Los Angeles e, em dezembro passado, ele achou a Marcia no Facebook. Ele pediu ajuda. Nós o trouxemos para cá (Los Angeles), mas mesmo aqui conosco ele teve uma overdose. Não foi fácil, já que, depois de 13 anos, o filho que havia sido entregue no Altar de Deus volta para a gente cheio de problemas. Nós oramos por ele intensamente, até que, recentemente, eu fui inaugurar uma igreja em Boston e ele foi comigo. Nesse dia, ele chorou por 40 minutos, como nunca havia feito antes. Então, decidiu mudar. Ele disse para mim: ‘Pai, eu quero me batizar.’ Hoje, ele já é outra pessoa, assiste aos cultos todos os dias e está cada vez mais envolvido com as coisas de Deus.”

Fábio com o pastor Romualdo. Foto: reprodução facebook

Um ano depois, porém, Fábio morreu. Na época, a mulher do pastor, Marcia, postou no facebook que o rapaz “estava dormindo e teve uma parada cardíaca” e que não importa como a pessoa morre.

Mas a imprensa portuguesa afirma que a causa da morte do adolescente foi uma overdose. Ontem, o jornal sensacionalista Correio da Manhã, o maior em circulação no país, soltou a notícia em manchete.

O Correio também publicou que a avó de duas crianças gêmeas procurou o jornal para denunciar que a IURD levou suas netas. Acolhidas no Lar da Universal em Lisboa porque a mãe não tinha condições de cuidar delas, as meninas Cristela e Daniela, de um ano, foram dadas à adoção mesmo tendo o pai interessado em sua guarda. “A primeira vez que fui ao lar correram comigo. Não me deixavam ver as meninas e fui atendida pela janela”, disse Odete, funcionária pública aposentada. O Diário de Notícias informou que as mães de dez crianças que teriam sido levadas do lar pretendem acionar o Estado português por ter permitido a saída delas do país.

O mais estranho da história até agora é que os dois filhos adotivos de Viviane, Luis e Vera, no vídeo que gravaram para defender a igreja, dizem, em uma fala aparentemente lida, que o irmão acabou de falecer, quando sua morte ocorreu dois anos atrás. “Estamos tristes por algumas razões. Acabamos de perder o nosso irmão, por um problema de coração”. Confira.

O canal informativo SIC apontou as inconsistências entre a história das crianças contada por Viviane em seu diário na internet e a versão dos próprios filhos adotivos. Nas postagens de 26 de janeiro do ano passado, que foram tiradas do ar, Viviane diz que a adoção foi negada pelas autoridades portuguesas porque, na época, a soma das idades dela e do marido, o pastor Julio Freitas, era inferior a 50 anos, o que, pelas leis do país, é um impeditivo. Já Luis e Vera afirmam ter sido “adotados de uma forma legal por uma família americana”.

Em nenhum dos relatos a filha de Edir Macedo menciona a existência de uma terceira criança.

A versão em cache dos textos deletados do diário de Viviane

Uma coisa bate inteiramente com a reportagem: os irmãos afirmam ter o sobrenome “Katz”, como o da ex-secretária de Edir Macedo, Alice, que as jornalistas acusam ser a pessoa que tirou irregularmente as crianças de Portugal para entregar à filha e ao genro dele nos Estados Unidos.

O envolvimento de Fábio com as drogas não é o único entre as crianças adotadas pelos pastores e bispos da Universal. Outro neto adotivo de Edir, Filipe, filho de Cristiane e de Renato Cardoso, contou ao próprio avô, em entrevista, sobre seu envolvimento com a cocaína, do qual se dizia arrependido. Não se sabe ainda se Filipe também foi adotado em Portugal.

Hoje à noite, no quarto episódio da série, a TVI promete mostrar evidências de que os meninos eram “maltratados” por Viviane e seu marido Julio Freitas.

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Kei em 15/12/2017 - 18h18 comentou:

Meu Deus…difícil de acreditar em tal escândalo . Adoção não é desta forma. Mas td deverá ser esclarecido tem de se haver resposta p uma acusação tão horrenda dessa. Tô pasma…

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Bachelet passa o 44º aniversário do golpe em confronto com fundamentalistas


Aprovação da descriminalização do aborto em três circunstâncias e do casamento igualitário deixou a presidenta do Chile em rota de colisão com a direita conservadora

Politik

Bonequinhas de luxo


A invasão do Pinheirinho, em São Paulo, no começo do ano, fez nascer um movimento superbacana que mostra como é possível juntar gente em uma ação “política” fazendo o que se gosta: no caso, bonequinhas…