Socialista Morena
Feminismo

Comunistas transam melhor? Parte II: sexo oral na Coréia do Norte, mito ou realidade?

Antes que os reaças venham em bando para cá dar chilique, digo que não, a Coréia do Norte não é meu “modelo” para nada. Para mim, o regime norte-coreano é fechado demais para servir de exemplo a qualquer socialista moderno. Socialismo para mim é sinônimo de liberdade, e um país socialista ideal obviamente ia querer […]

Cynara Menezes
11 de dezembro de 2013, 14h31

(Quem vê cara não vê cunnilingus. Será?)

Antes que os reaças venham em bando para cá dar chilique, digo que não, a Coréia do Norte não é meu “modelo” para nada. Para mim, o regime norte-coreano é fechado demais para servir de exemplo a qualquer socialista moderno. Socialismo para mim é sinônimo de liberdade, e um país socialista ideal obviamente ia querer mostrar para o mundo o que tem de melhor. Não é o caso da Coréia do Norte, que se diz comunista, não socialista, e vive cercada de mistério. Apesar dos pesares, ainda prefiro Cuba. Mas, como vocês sabem, o socialismo moreno não segue modelo algum.

No entanto, em minhas investigações sobre a vida privada dos comunistas e em sequência ao post sobre sexo na Alemanha Oriental (leia aqui), achei uma animação em flash muito interessante sobre… a prática de sexo oral na Coréia do Norte. O duo de artistas visuais formado pelo sul-coreano Young-hae Chang e pelo norte-americano Marc Vogue –que assina os trabalhos como Young-Hae Chang Heavy Industries–, pegou um suposto discurso de Kim Jong-Il (1941-2011), o falecido presidente norte-coreano, e traduziu para o inglês, com música de Nina Simone. Na obra, denominada Cunnilingus na Coréia do Norte, os artistas dão voz a Kim garantindo que os norte-coreanos são mestres na arte do sexo oral e por isso satisfazem muito mais suas mulheres do que os vizinhos do Sul.

Mais do que isso, o líder norte-coreano atribui estas habilidades à dialética e ao comunismo. Ou seja, assim como ocorria na Alemanha Oriental, a falta de religião, aliada à emancipação feminina, seriam fatores libertadores também para os habitantes da Coréia do Norte, pelo menos na cama. Sem dúvida o texto faz algum sentido ao colocar que na Coréia do Sul, como no resto do mundo ocidental, as mulheres têm um papel de “dona de casa” tido como subalterno que inexiste nos países comunistas. Faz parte do ideal comunista que mulheres e homens trabalhem, lado a lado, e dividam naturalmente os cuidados com a casa e os filhos. É disso que, no fundo, Kim Jong-Il fala, focando no cunnilingus.

Não se sabe se o discurso é real. Vários blogs, como o brasileiro Baixa Cultura, investigaram o assunto sem chegar a nenhuma conclusão. Nesta entrevista, Young-Hae Chang diz que sim: inspirado na arte concreta, combinou letras e música sobre um texto de fato existente. Se verdadeiro, o discurso lança alguma luz sobre a vida íntima de Kim Jong-Il, pouquíssimo conhecida. Dizem que possuía uma “brigada do prazer”, com várias jovens mulheres a seu dispor, o que não soa nada libertador do ponto de vista feminista. Mas o depoimento de uma das garotas desta tal brigada, que logrou escapar para a Coréia do Sul, chama a atenção. Segundo ela, apesar de irascível, Kim Jong-Il era surpreendentemente carinhoso com as moças que trabalhavam para ele –nem sempre utilizadas sexualmente (leia mais aqui e aqui).

Relatos de dissidentes que deixaram a Coréia do Norte confirmam que a vida sexual dos jovens de lá é bem mais liberal do que nós podíamos imaginar. “O partido não está em posição de regular as relações entre os homens e as mulheres”, disse uma refugiada. “As autoridades podem controlar tudo, mas elas nunca ditariam regras de amor entre os homens e as mulheres norte-coreanas”. Há relatos de que os jovens, nas universidades, possuem uma vida social (e sexual) bastante similar aos ocidentais. (Detalhes aqui.)

O aborto, porém, é proibido. E a homossexualidade é um mistério. O que se sabe é que não há nenhuma lei que a proíba. Oficialmente, o governo norte-coreano diz que “de acordo com a tradição, indivíduos de qualquer orientação sexual não mostram sinais de afeto em público. Como um país que adotou a ciência e o racionalismo, a Coréia do Norte reconhece que muitos indivíduos nascem homossexuais e os trata com respeito. Os homossexuais nunca foram reprimidos na Coréia do Norte, como acontece em muitos países capitalistas. Entretanto, também enfatizamos a harmonia social e moral e rejeitamos muitas características da cultura gay ocidental, que consideramos consumista, classista e promíscua”.

Nesta reportagem, embora se confirme que não existem leis proibindo e que é possível que a homossexualidade seja tolerada por lá, ao mesmo tempo se informa que é exigido de todos os norte-coreanos o matrimônio e filhos, sem distinção da orientação sexual. Dissidentes também falam que ser homossexual é considerado um sinal de “decadência capitalista”, assim como acontecia em outros países comunistas.

Mas como será a intimidade nas alcovas hetero norte-coreanas? Bem, a se considerar as palavras do “grande líder”, muito animada. Confira a arte de Young-Hae Chang Heavy Industries em português (basta clicar na imagem abaixo) e julgue você mesmo. É, no mínimo, muito divertida.

Abaixo, a animação original em inglês (eu acho mais bacana):


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(125) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Omar em 11/12/2013 - 14h50 comentou:

Interessante sua afirmação de que a Coréia do Norte é comunista, não socialista…argumente mais sobre isso! Por que você considera a Coreia do Norte comunista, não socialista, aliás diga-nos: o que você entende por comunista e por socialista!

Responder

    Luiz em 11/12/2013 - 16h09 comentou:

    Também fiquei confuso com essa afirmação da Cynara e, pra falar a verdade, pelo que me lembro do que li de Karl Marx, a Coréia do Norte está longe de ser comunista.

    morenasol em 11/12/2013 - 16h28 comentou:

    mudei para "se diz comunista". socialista é que não é. melhorou? ; )

    Davi em 11/12/2013 - 16h18 comentou:

    Esqueça cara, ela não sabe responder isso.
    Apenas leia o que ela escreve e ria do começo ao fim

    Lucas em 11/12/2013 - 18h39 comentou:

    Realmente eu não sei se é para rir ou chorar, como é deplorável ver alguém que não acredita no que escreve, apresentando idéias atabalhoadas, sem a mínima fundamentação. Ninguém esta pedindo um tratado sobre o "Socialismo Moreno", mas a defesa apresentada pela autora é tragicômica – Socialismo é liberdade, liberdade sexual, liberdade para o uso de drogas recreativas, liberdade para todos dançarmos ciranda cirandinha de mãos dadas, regado a um bom Cabernet Sauvignon e uma erva medicinal. Mas vamos dizer a verdade, alguém algum dia imaginou que Cunnilingus seria usado para defender o socialismo? Imagino que socialistas de todo o mundo devem estar extasiados com esta defesa. Bom, como a Cynara parece não ter muito ideia do que é Socialismo, e muito menos Comunismo, poderíamos batizar o regime norte-coreano de Socialismo Cunnilingus, já temos o socialismo moreno, então se a ideia é avacalhar com o socialismo mesmo, que tal o Socialismo Cunnilingus? E aí, gostou Cynara?

    Rodinei em 11/12/2013 - 16h29 comentou:

    Também gostaria de saber sobre isso. No meu entendimento Coréia do Norte não tem nada de Comunista.

    Marcelo Paz em 11/12/2013 - 16h44 comentou:

    Pobre Marx, deve ser remexer no tumulo toda a vez que a Cynara posta aqui…

    Gustavo em 11/12/2013 - 18h39 comentou:

    A Coreia do Norte é Juche.

    Felipe em 11/12/2013 - 20h54 comentou:

    Perfeito… Pergunta providencial da qual certamente não decorrerá uma resposta minimamente consistente…
    Valeu!

    Cg_ em 19/12/2013 - 16h05 comentou:

    Como dizem os adolescentes… Cynara só quer causar ! Os textos dela não tem compromisso algum com a realidade. São a utopia dentro da utopia. Até quem é socialista mesmo, ou quem conhece um mínimo das diferenças entre socialismo e comunismo percebe que ela nem se deu ao trabalho de estudar um pouco o assunto antes de postar o texto pseudo-engraçadinho…

    As vezes ela até recorre a expressão "esquerdista" , por estar confusa sobre a terminologia do assunto sobre o qual ela escreve. E que suspotamente deveria conhecer.

    Será que Carta Capital paga a ela para escrever?

    radiestesia2001 em 12/12/2013 - 00h25 comentou:

    Basicamente, depois das atrocidades de Stalin, ficou meio démodé se dizer comunista, então a moda hoje é o seguinte.
    Quando o regime em questão não confessou atrocidades ele é chamado de Socialista, e nos casos em que tais atrocidades são conhecidas por todos e não podem ser negadas então eles são tachados de comunistas.
    Bom, mas Não era assim que se definia Socialismo e comunismo na velha escola, questionará qualquer um que se deu ao trabalho de ler a respeito (o que obviamente não é o caso da colunista), bom, neste caso………………….Que se dane, o que vale é que os termos foram remodelados para parecerem mais bonitinhos nos tempos atuais.
    Mas cada vez que leio Carta Capital aprendo algo, hoje aprendi que ao contrário do que dizem a maioria dos especialistas existem países comunistas sim, e a Coréia do Norte seria um deles……………….

    Ze borba em 12/12/2013 - 10h30 comentou:

    Sei não. Tô achando a Cynara muito reaça, Coréia do Norte é sim um belo modelo comunista ou socialista, nos moldes sonhados por Marx ou Gramsci. Fim do individualismo e tudo pela coletividade. O único daquele grupinho que já havia falado do perigo do comunismo foi Bakunin, que sonhava com a liberdade plena. Para ele, o Estado, e não as empresas ou os ricos, o verdadeiro opressor. Esse Bakunin era um anarquista sabido.

    Chicó em 12/12/2013 - 14h40 comentou:

    Háaaaaa meu filho vai ler Marx, recomendo dois textos curtos (Critica ao programa de Gotha, e Manuscritos) Não me venha com essa de Bakunin não! O que é o Estado? Enquanto tu da voz pro maçon, os ideais dele, não por acaso se casam com a teologia neoliberal. Nem Coreia do Norte é comunista, nem Cynara é socialista! E Marx quer o fim do Estado! entretanto, ele não o vê como uma entidade metafisica, como viu Bakunin!

    Flavio em 12/12/2013 - 09h18 comentou:

    Erro tipico de quem não entende nada de socialismo e comunismo, tem que ser muito leigo para misturar (com uma notável frequência) estes dois termos.

AnônimoIgnorante em 11/12/2013 - 14h54 comentou:

Oi Cynara, interessante esse texto, sou completamente ignorante sobre o assunto Coreia do Norte, mas certa vez vi uma imagem em que mostravam os cortes de cabelos femininos aceitos na Coreia do Norte, sabe se isso é verdade? Se for fica um pouco estranha essa equiparação dos sexos, a não que ser que exista também um para os homens, nesse caso fica mais igual, mas ainda assim, assustador e autoritário. Obrigado

Responder

    morenasol em 11/12/2013 - 17h12 comentou:

    eu acho que a falta de liberdade é igual para ambos os sexos

dias gomes em 11/12/2013 - 16h05 comentou:

Coreia do norte… comunista…!?

Responder

    joao em 13/12/2013 - 07h12 comentou:

    nada REAL é comunismo para os esquerdinhas. Comunismo será sempre uma utopia platonica que nunca sera respinsabilizada pelos lixos que emergiram devido a sua luta. Será que eu fui o unico que parou para questionar se o ideal de comunismo é viavel, possivel ? e não só isso, se o socialismo totalitário seria o melhor caminho para atingi-lo caso fosse possivel ? Apesar dos arranjos teoreticos de marx, não vejo comoa criaçãod e uma elite totalitaria detentora do poder politico e economico possa ser o melhor caminho para a destruição posteriord essa mesma elite. Marx explicou isso, eu sei, mas convenceu.

    Se um mendigo bebado inventasse essa teoria, acho que ninguem daria a minima. Mas como foi marx, utilizando conceitos filosoficos hegelianos pra dar uma ar de autoridade ao modelo, as pessoas levam como verdade. Complicado.

    Luiz em 03/01/2014 - 21h02 comentou:

    Marx era bêbado, e só não era mendigo porque era caloteiro e gigolô.

Paulo em 11/12/2013 - 16h09 comentou:

Você é doente, não há liberdade no socialismo, nunca teve, esse regime sempre foi totalitário.

Responder

Haroldo em 11/12/2013 - 16h13 comentou:

Quem é socialista exemplo a ser seguido cara jornalista? Gostaria de saber os parametros de comparação

Responder

    Paulo em 12/12/2013 - 22h44 comentou:

    Socialista exemplo não existe e nunca vai existir. É só uma ilusão que uns teimam em acreditar, como se fosse uma religião de fanáticos. Invariavelmente, qualquer tentativa em se implementar o socialismo – ou comunismo, mais precisamente – acaba em opressão ou retrocesso até ruir a tentativa. Aí não vão faltar aqueles que alegam "mas esse não era o verdadeiro socialismo…"Até que se inicie uma nova tentativa de se implementar o "verdadeiro socialismo". Sei de todos os males do capitalismo, mas nem por isso deixa de ser a alternativa mais viável.

Henrique em 11/12/2013 - 16h20 comentou:

Socialismo com liberdade foi aplicado em qual país?

Responder

    Andre em 11/12/2013 - 16h39 comentou:

    sua chamada esta sendo encaminhada para caixa de mensagem e esta sujeita a ser apagada após o recebimento púúúúúú …
    Infelizmente ela não vai te responder isso… até mesmo pq ela não respondeu a pergunta do OMAR

    Fabio em 11/12/2013 - 20h42 comentou:

    É uma resposta fácil, que parece difícil em função da classificação que a direita capitalista faz dos diversos regimes atuantes no mundo.
    Socialismo refere-se a qualquer uma das várias teorias de organização econômica, advogando a administração, e a propriedade pública ou coletiva dos meios de produção, e distribuição de bens e de uma sociedade caracterizada pela igualdade de oportunidades/meios para todos os indivíduos, com um método igualitário de compensação . Atualmente, teorias socialistas são partes de posições da esquerda política, relacionadas com as atuações de Estado de bem-estar social, isto é, não combina nada com ditadura…
    Atualmente vários países da Europa, principalmente no norte, caminham para essa direção através da apropriação pelo coletivo do sistema habitacional (não especulativo), do transporte franqueado, da saúde em geral (remédios, tratamentos, internações), da educação (gratuita em todos os níveis, incluindo materiais escolares e bolsas para subsistência), da cultura farta e gratuita, da igualdade de oportunidades, dos programas sociais, de várias medidas que obviamente se opõe terrivelmente ao capitalismo…
    Esses países, tais como Noruega, Irlanda, Holanda, Suécia, Bélgica e vários outros, receberiam classificação socialista, não fosse a pressão da direita internacional que tenta impedir que as populações mais ignorantes se afeiçoem por esses sistemas.

    Lucas em 11/12/2013 - 22h29 comentou:

    Sinceramente me parece mais uma confissão de que não existem bons exemplos nos regimes verdadeiramente socialista, ou você, assim como a Cynara, não se identifica com o modo de organização social, político e econômico que é característico ao socialismo. Dessa maneira adota uma estratégia simples, escolhe sociedades eminentemente capitalistas em acordo com seus princípios e vontades e as rotula de socialistas para provar a factibilidade do mesmo. Discordo completamente de você em relação aos seus exemplos de socialismo, o fato dos países citados possuírem melhor distribuição de renda e justiça social não os torna socialistas, aliás, muito longe disso, continuam sendo sociedades baseadas no consumo e na exploração do trabalhador, acontece que muitas vezes o trabalhador explorado não é o sueco, holandês, etc… Gostaria de entender como um país com uma das maiores indústrias armamentistas do mundo, no caso a Bélgica, o qual produz e vende suas armas em países subdesenvolvidos, pode ser considerado socialista só porque em seu território a população goza de maior justiça social. E a Suécia então, além de uma forte indústria armamentista, da Volvo, ainda tem a empresa modelo IKEA, que se utiliza de trabalho escravo em países subdesenvolvidos para engrossar a fortuna do maior bilionário da Europa, mas tudo bem para você, uma vez que os suecos tem um bom sistema de saúde e educação. Só para terminar, que Irlanda é essa que você citou? pois a República da Irlanda que eu conheço, até alguns anos, era um dos países mais pobres da Europa e atualmente encontra-se no meio de uma enorme bolha imobiliária, além de ser extremamente dependente do capital financeiro.

    Henrique em 12/12/2013 - 11h17 comentou:

    Noruega socialista….na boa, não dá para falar mais nada………

    Rodrigo DC em 13/12/2013 - 11h14 comentou:

    Mas alguém no Brasil que luta para que os serviços sejam como na Noruega, vocês reacionários o rotulam de comunistas. Vou citar ainda um outro país. A Inglaterra ainda possui um vasto sistema de bolsas-auxílios (em torno de doze tipos). Quanto aos trinta reais para cada criança de uma família miserável aqui no Brasil, vocês lutam para acabar isso, como se isso fosse crime, como se as famílias fossem lixos e vagabundas, como se o país fosse quebrar por causa disso.

    Vitor em 12/12/2013 - 16h06 comentou:

    Meu Deus! Nos ajude!

    Marta em 12/12/2013 - 16h45 comentou:

    Sei…. Mas pra tudo isso precisa de dinheiro, né não? Esse é o problema do socialismo Latino Americano: pensa que dinheiro pra sustentar todas essas bondades dá em árvore…. Todos os regimes socialistas acabaram por falta de dinheiro.

    Rogério em 12/12/2013 - 23h38 comentou:

    Holanda socialista? Tá brincando!

    Lucas em 14/12/2013 - 18h35 comentou:

    Leia sobre o socialismo na Iugoslávia, que é conhecido como titoismo. Josip Broz Tito queria um socialismo livre da influência soviética, ou seja, um socialismo que não fosse monstruosamente autoritário.

henrique em 11/12/2013 - 16h30 comentou:

Coreia do Norte comunista com o aparato do Estado grandioso como é? Embora o fim do Estado não seja obrigatório no comunismo, é um tanto contraditório.

Responder

    Chicó em 12/12/2013 - 14h23 comentou:

    Não, não amigo, o fim do Estado é obrigatório no Comunismo!

    Felipe em 14/12/2013 - 21h50 comentou:

    Sim, e ele é substituido pelo "orgão gestor" = "partido único" como sempre aconteceu e sempre será inescapável. Ou você acha mesmo que a UTOPIA de estado internacional socialista vai se regular como, quem vai definir , qual orgão, a relação das trocas entre as pessoas, as leias??? Os comites? Isso se chama partido meu caro. Alguem sempre estará fazendo o papel do estado. Só se for um MERCADO puro.

Saulo em 11/12/2013 - 16h38 comentou:

Sei não, mais acho que lá não tem muita comida pra ter força pra fazer um amor de verdade!!!

Responder

    morenasol em 11/12/2013 - 19h37 comentou:

    quem te disse que há fome por lá?

    Vitor em 12/12/2013 - 16h08 comentou:

    Tem abundância de comida lá… Igual de papel higiênico na Venezuela…

    olga em 12/12/2013 - 02h00 comentou:

    piada intensamente de mau gosto, é bom repensar seus conceitos. antes fome que uma mente imbecil

    Henrique em 12/12/2013 - 11h21 comentou:

    http://www.hrw.org/world-report/2013/country-chap

    North Korea continues to face serious food insecurity in 2012, following a major famine in 2011. In November 2012, the World Food Program (WFP) and Food and Agriculture Organization (FAO) estimated that 2.8 million vulnerable people, equal to slightly more than 10 percent of all North Koreans, face under-nutrition and a lack of vital protein and fat in their daily diet. The troubling food situation is the result of several factors, including a dry spell that heavily impacted soybean production in the first half of 2012; economic mismanagement; and the government’s blatantly discriminatory food policies that favor the military and government officials

    Leandro em 12/12/2013 - 16h15 comentou:

    Quem te disse isso? os EUA?

    Felipe em 14/12/2013 - 21h52 comentou:

    É tudo mentira Yankee, esses malditos imperialistas que nos obrigam a consumir celulares!! Não há fome em Cuba , nem na Coreia do Norte. São paraisos terrestres que a mídia controlada pelo titás internacionais querem nos esconder. Lá sim há liberdade, imprensa livre, livre iniciativa, comida farta, lá inclisive, é até permitido você abrir um restaurante e vender comida !!! Sem concessão do governo !!!

Thiago em 11/12/2013 - 16h42 comentou:

Isso que dá ser socialista de apartamento. A riqueza produzida pela sociedade socialista é em cima de trabalho forçado pelo estado ou achas que as metas estipuladas pela Gosplan, quando não atingidas, não haviam sanções. Liberdade, Freedom, isso não existe no socialismo. Avisa a Gosplan que não obteve resultado nas pesquisas para ver onde te mandavam. Essa é a liberdade que os socialistas de apartamento vangloriam. O regime socialista é pior que o capitalista, pois é o Estado que te explora, diferente do capitalismo que o indivíduo tem a opção de escolher por quem quer ser explorado.

Responder

    morenasol em 11/12/2013 - 17h11 comentou:

    "socialista de apartamento". o que você sugere? socialista de fazenda? oca? caverna?

    Rodrigo DC em 13/12/2013 - 11h19 comentou:

    Esses "direitistas de Veja" estão cada vez mais malucos! Daqui a alguns dias vão começar a falar que não podemos mais comprar arroz, feijão e carne no mercado, porque é preciso pagar, e pagamento e supermercado são coisas que eles, os inteligentes capitalistas, inventaram. Qualquer um que é simpatizante do socialismo, portanto, não merece comer, nem morar (apartamento é uma invenção capitalista), nem vestir…

    Fabio em 11/12/2013 - 20h23 comentou:

    Que equívoco Thiago, no capitalismo o estado te explora, e muito mais, só que redistribui para uma elite dominante se locupletar, sem saúde, sem educação, habitação, segurança… É só observar a América Latina dos anos 70 e 80, e a qualidade da elite financeira dessa região, improdutiva e caríssima, e tudo sob mando dos seus amigos do norte…

    Felipe em 11/12/2013 - 21h25 comentou:

    Em tempos de "prosperidade" econômica, essa turma tá mais pra socialista caviar… 😉

    Perfeito… Pergunta providencial da qual certamente não decorrerá uma resposta minimamente consistente…

Rodrigo em 11/12/2013 - 16h53 comentou:

Sinceramente, este blog é um dos mais divertidos da internet brasileira. A começar pelo paradoxal slogan em inglês!
Adoro o descompromisso com uma anállise mais profunda apenas para promover o "esquerdismo way of life".
Vida longa à Cynara (desde que não tente se eleger a qq cargo político)!

Responder

    Vitor em 12/12/2013 - 16h10 comentou:

    Sempre achei fantástico o "way of life"… Kkkkkkkkkkkkkkk
    Coerência realmente não é o forte…

    Rodrigo DC em 13/12/2013 - 11h24 comentou:

    Nos EUA e na Inglaterra existem socialistas, meus caros. O próprio Obama hoje é acusado de ser comunista (pelos seus ídolos bobocas, como Lobão, Olavo de Carvalho e Rodrigo Constantino) A língua inglesa então é uma invenção capitalista? Que ideia!

Emerson em 11/12/2013 - 16h55 comentou:

Dona jornalista,
conheço essa artista há muito tempo, e me parece *bastante* óbvio que o texto é satírico.

Responder

    morenasol em 11/12/2013 - 17h09 comentou:

    "essa artista". você conhece tanto (e leu tão bem o texto) que diz que se trata de uma artista quando são dois homens os autores ; )

Márcio em 11/12/2013 - 17h04 comentou:

Voltando ao texto, o Sexo é uma das mais evidentes manifestações culturais de um povo. Por exemplo: Os nativos do nosso continente não beijavam as suas parceiras na boca, habito que foi introduzido pelos europeus. Sendo assim, acho um pouco leviano citar grandes diferenças nos hábitos sexuais entre norte-coreanos e sul-coreanos sendo que eram a mesma nação até os anos 60.

Responder

    morenasol em 11/12/2013 - 17h10 comentou:

    acho que você deveria ver também o documentário que está no outro post sobre o tema. faz muita diferença ser capitalista ou não após quase 50 anos

Ricardo Nunes em 11/12/2013 - 17h13 comentou:

A liberdade sexual coreana, já que está atrelada a falta de uma religião oficial no país, como em quase todas nações que se declaram socialistas, é próxima a liberdade sexual que vimos na Rússia que herdou todos os seus costumes desde a antiga URSS. Putin aprova essa "liberdade" toda. Claro, assim como esta jornalista que é, mega esclarecida rs..

Responder

Valmor em 11/12/2013 - 17h23 comentou:

Moça, todos os regimes que até hoje se declararam "comunistas"/"socialistas" foram capitalismos de Estado.

Responder

    Omar em 11/12/2013 - 18h38 comentou:

    Falou pouco, mas falou tudo!

    Valmor em 12/12/2013 - 17h08 comentou:

    Pois é, comunismo/socialismo, para Marx, é o fim do Estado e do Mercado, e portanto do próprio Capital. Em suma: é a transição do homem alienado que age pelo Ego (o Ter) para o homem consciente (Ser).

    "Ter ou Ser, eis a questão"

    O Ego cria o Capital como emanação de sua divindade, e a partir daí o Estado e o Mercado como projeções do Capital, e nisso utiliza-se tanto da figura do Senhor como a do Escravo para manter o seu domínio. A busca pela liberdade, fraternidade e igualdade plenas se traduz na superação das necessidades afetivas e materiais do homem, pois é através do uso das necessidades humanas como anzol que se reproduz a dinâmica do Senhor-Escravo, tornando o homem um eterno dependente.

    Felipe em 14/12/2013 - 21h59 comentou:

    Isso ai. Foi preciso na definição final do socialismo. É a morte completa do individuo. Moraremos todos numa fazenda sendo escrever sem termos nada. Acredite, um pouco de estado existirá, sob o nome de um partido. É sempre assim.

Jeferson em 11/12/2013 - 17h53 comentou:

Socialismo e comunismo são tudo a mesma coisa, esse conceito difuso é reflexo dessa educação pseudo-comunista que se tem aqui no Brasil. Mudaram o nome mas é tudo a mesma porcaria, enquanto os outros países crescem os espertos aqui do Brasil ficam tentando reinventar a roda, acham que um estado controlador e dono de tudo é a solução. Só esquecem que nada vem de graça, um estado desse tamanho custa caro e alguém paga por isso.
Aqueles que reclamam do "capitalismo selvagem" e apoiam um governo mais social (termo novo pra socialista), são os mesmo que reclamam que a gasolina está cara. Não conseguem enxergar que é as coisas são tão caras aqui no Brasil em virtude dos altos impostos cobrados para sustentar um estado enorme e ineficiente.

Responder

    Fausto em 12/12/2013 - 01h53 comentou:

    E você é daqueles que acreditam que empresas são instituições de caridade, que são abertas para pagar impostos ao governo. Deve ser por isso que no Brasil existe um mercado de "alto padrão" – leia-se "caro" – como em poucos países do mundo para esse pessoal filantropo poder "brincar de viver".

    Jeferson em 26/12/2013 - 14h49 comentou:

    Não são instituições de caridade, são organizações que visam o lucro, isso tem que deixar de ser visto como algo "feio". Acho que você deve se informar melhor sobre a tributação aplicada sobre as empresas, temos umas das maiores tributações do mundo e nenhum serviço de qualidade. Esse estado regulador, governado pela esquerda (por mais que vocês digam que eles não são) é uma porcaria. Vamos aos fatos, me digam algo que funciona nessa estrutura…bolsa família??reforma agrária?? hahahahaha
    Acredito que é dever do estado estimular os empreendedores, a criar e também lucrar, pois aquela que arrisca o capital o seu tempo tem de lucrar. Agora se você acha que está certo do jeito que está, que é melhor um povinho que acha que emprego público e assistencialismo é a solução, o nosso conceito de um país melhor é bem diferente

    André Dantas em 12/12/2013 - 17h02 comentou:

    Poxa, Jeferson… Sua sorte é que você realmente não tem a menor ideia do que é o assunto acerca do qual você resolveu opinar. Se algum dia, por algum motivo que não posso sequer imaginar, você resolver estudar e entender os conceitos de capitalismo, socialismo, comunismo, Estado, etc. e, por acaso, reler essas poucas linhas que escreveu aqui, ficará extremamente envergonhado do seu alto grau de ignorância.
    Infelizmente você não é o único, sequer é exceção.

Omar em 11/12/2013 - 17h56 comentou:

"Socialismo para mim é sinônimo de liberdade", volto a perguntar: o que você entende por socialismo e comunismo, Cynara? Não sei se eu é que não sei nada de socialismo e comunismo – o que pode ser o verdadeiro problema, admito – ou você é quem não conhece um parágrafo de qualquer obra de Karl Marx!

Responder

    Fabio em 11/12/2013 - 20h47 comentou:

    Socialismo refere-se a qualquer uma das várias teorias de organização econômica, advogando a administração, e a propriedade pública ou coletiva dos meios de produção, e distribuição de bens e de uma sociedade caracterizada pela igualdade de oportunidades/meios para todos os indivíduos, com um método igualitário de compensação . Atualmente, teorias socialistas são partes de posições da esquerda política, relacionadas com as atuações de Estado de bem-estar social, isto é, não combina nada com ditadura… Atualmente vários países da Europa, principalmente no norte, caminham para essa direção através da apropriação pelo coletivo do sistema habitacional (não especulativo), do transporte franqueado, da saúde em geral (remédios, tratamentos, internações), da educação (gratuita em todos os níveis, incluindo materiais escolares e bolsas para subsistência), da cultura farta e gratuita, da igualdade de oportunidades, dos programas sociais, de várias medidas que obviamente se opõe terrivelmente ao capitalismo…

Simone em 11/12/2013 - 18h18 comentou:

Sempre tive uma dúvida. De Cuba para os EUA são cerca de 90 milhas. Pq nunca se ouve falar sobre americanos tentando nadar ou atravessar com balsas velhas para Cuba mas se ouve falar de cubanos tentando atravessar de Cuba para Miami. A distância não é a mesma? Nunca entendi esse pq. Talvez coisa da midia burguesa e vendida ao capital……:-)

Responder

    Paulo Henrique em 11/12/2013 - 20h32 comentou:

    É mesmo? Porque será que há incontáveis pessoas todos os anos arriscando a vida para entrar lá vindas de… países capitalistas… será que estão fugindo do regime opressor?

    Muito interessante querer comparar uma ilha minúscula que sofre bloqueio econômico até hoje com a maior potência imperialista do planeta. Ainda sim, se formos comparar algumas coisas, como o sistema de saúde pública, o "gigante" fica corado de vergonha.

    Simone em 12/12/2013 - 01h02 comentou:

    O gigante não cora, existem ótimos planos de saúde, para quem pode pagar é claro, como tudo nessa vida, pq se a saúde não tem preço a medicina tem custos. Gente, cadê meu Greencard?

    Fabio em 11/12/2013 - 20h51 comentou:

    Já houve muitos casos, principalmente de "ex-fugitivos" cubanos, que assim que se vêm com uma doença mais complicada, com custos altos para tratamento, vão buscar na ilha da magia a sobrevivência para não morrerem abandonados pelo estado americano… Se você procurar na internet descobrirá que muito americanos médios morrem sem tratamento em casa para não arruinar as finanças da família por 2, 3 gerações, os mais espertos "nadam" para cuba ou para países da Europa que têm a medicina socializada…

    Simone em 12/12/2013 - 01h45 comentou:

    Alguém pode me explicar então pq tem um milhao e meio de cubanos em miami e um milhão e meio de brasileiros em miami mas nao tem um milhão e meio de americanos em havana nem um milhão e meio de americanos em governador valadares. Gente, me ajuda ai, eu preciso entender,…

    Vitor em 12/12/2013 - 16h14 comentou:

    Ilha da Magia mesmo… Você trabalha e o salário vai pros Castro como em um passe de mágica…

    Luiz Paulo em 14/12/2013 - 18h11 comentou:

    Super! Brilhante mesmo. Alguém aqui atreve-se a responder a questão? Vamos. Estamos curiosos.

Lucas em 11/12/2013 - 18h47 comentou:

Cynara estou mandando 2 links, é um material raso, do Wikipedia mesmo, mas para quem esta iniciando no assunto já é um começo. http://pt.wikipedia.org/wiki/Socialismo http://pt.wikipedia.org/wiki/Comunismo

Responder

Marcelo Portuária em 11/12/2013 - 18h57 comentou:

Parabéns pelo trabalho historiográfico, senão geográfico em melhor emblema.
Beijão.

Responder

durval em 11/12/2013 - 19h05 comentou:

O socialismo deixa todo mundo pobre. O capitalismo deixa a metade do povo na pobreza. Portanto o capitalismo é melhor. Prefiro um capitalismo que deixe todo mundo rico. No Brasil já existe o socialismo pois de rico mesmo só tem um por cento da população. Essa tal de classe média que andam apregoando aos quatros cantos, ganham de 800 a 1200 reais.. Imagine o pobre.

Responder

    uriel em 12/12/2013 - 00h32 comentou:

    metade?

    Luiz Paulo em 14/12/2013 - 18h13 comentou:

    Sem dúvidas que o socialismo é uma droga.

Bacellar em 11/12/2013 - 19h12 comentou:

Arquisabido que comunistas trepam melhor, se o muro tivesse caído pro outro lado não teria sido inventado o azulzinho salva-brocha – coisa de capitalista estressado meia-bomba! ;]

Responder

Isaac em 11/12/2013 - 19h21 comentou:

Só pra constar, a um tempo atrás o Kin Jong Filho mandou matar a namorada porque ela apereceu num filme pornografico. Dizer que a mulher é emancipada na Coreia do Norte é uma mentira deslavada, POR FAVOR para de falar besteira sem saber.

Responder

    Fabio em 11/12/2013 - 20h53 comentou:

    Quem te contou isso? Sua tia?

    Pedro em 11/12/2013 - 22h43 comentou:

    Mentira deslavada é essa afirmação absurda da mídia burguesa. No mês passado o ditador coreano inclusive mandou ressucitar sua ex-esposa, que fez um show com sua banda, Bochonbo. ATÉ QUANDO DITADORES SANGUINÁRIOS MATARAM E RESSUCITARAM SUAS ESPOSAS?!?!?!?1

    Pedro em 11/12/2013 - 22h44 comentou:

    ressucitarão*.

    Bruno Lage em 12/12/2013 - 16h04 comentou:

    O engraçado foi que ela ressuscitou, haha.
    http://pensarnetuno.blogspot.com.br/2013/11/canto

    André Dantas em 12/12/2013 - 17h09 comentou:

    Então ele é poderoso mesmo, porque não tem nem um mês que a morta fez um show… Vai lá que ele tem poder para ressuscitar as namoradas…

Cleiton Zimmer em 11/12/2013 - 20h13 comentou:

Socialismo? Cuba? Liberdade? O que você andou bebendo?

Responder

    Vitor em 12/12/2013 - 16h16 comentou:

    Talvez sejam "drogas recreativas"…

Luis Zanuto em 11/12/2013 - 20h50 comentou:

Esses machistas do caramba. Ninguém comentou sobre dar mais prazer às mulheres. A maioria dos homens são preguiçosos demais para querer entender mais de sexo oral bem feito.
Isso faz milagres no humor das mulheres. rsrs Depois que investi mais tempo e atenção nas preliminares (que não precisam durar só cinco minutos viu preguiçosos) minha vida sexual melhorou sobremaneira e minha relação com as mulheres também.
Abaixo à preguiça masculina na cama, na cozinha, no banheiro, na rua até. kkkkk

Responder

    Omar em 13/12/2013 - 11h12 comentou:

    Apelando para o bom e velho espantalho!!!

LCDM em 11/12/2013 - 21h25 comentou:

Nao eh que ela estah certa?

The majority of the assaults were committed in the Soviet occupation zone; estimates of the numbers of German women raped by Soviet soldiers range from the tens of thousands to 2 million.[2][3][4][5][6] In many cases women were the victims of repeated rapes, some as many as 60 to 70 times.
…..

"Cases of mass rape occurred in major Polish cities taken by the Red Army. In Kraków, Soviet entry into the city was accompanied by the wave of rapes of women and girls, and the widespread theft of personal property. According to Prof. Chwalba of Jagiellonian University, this behavior reached such a scale that the Polish communists installed in the city by the Soviet Union, composed a letter of protest to Joseph Stalin himself. At the Kraków Main station, Poles who tried to rescue the victims of gang rape were shot at. Meanwhile, church masses were held in expectation of the Soviet withdrawal.[6]

Polish women in Silesia were the target of mass rape along with their German counterparts even after the Soviet front moved much further west"

Reputaçao eles tem, agora se era sexo bom, nao sei, sou capitalista, nao entendo nada de sexo.

Fontes: Wikipedia
Livro: Berlin: The Downfall, 1945 – Antony Beevor

Responder

    morenasol em 12/12/2013 - 14h11 comentou:

    você confunde sexo com estupro. preocupante

Pedro em 11/12/2013 - 22h05 comentou:

Não, não é verdade os "12 modelos de cabelo". Também não é verdade a "descoberta dos unicórnios" (tratava-se de uma grota que tinha esse nome, como "chapada dos veados" ou coisa do tipo. A descoberta arqueológica que se deu no local foi divulgada de forma absolutamente errônea pela mídia burguesa, tentando atacar o governo popular da Coreia como um grupo louco e sádico).
Também não é verdadeira a afirmação de que os norte coreanos são "obrigados a chorar" quando um líder morre. Trata-se de uma reação cínica meramente cultural. A prova: procure por vídeos de funerais da morte de líderes sul-coreanos, e verá a mesma reação.

Agora, em relação às afirmações liberais ideológicas da Cynara: me parece se aproximar mais de um idealismo pequeno-burguês do que com o materialismo dialético (sem ofensas, mesmo). Falar de liberdade quando se trata de um país que tem menos de 10% de suas terras cultiváveis, que sobreviveu à insanidade dos generais americanos durante a guerra da Coreia (que bombardeou Pyongyang, por exemplo, com uma média de 2 bombas pra cada morador da cidade), que é constantemente provocado pelo governo títere e fascista sul coreano (pra perceber isso basta pesquisar pouco sobre as leis anticomunistas de "segurança nacional" no lado sul) e que sofre inúmeros bloqueios, talvez mais absurdos ainda que os cubanos, só pode vir de alguém que faz análises baseados em idealismos pessoais, absolutamente desconexos da realidade histórica e política.

Enfim, pra quem quiser conhecer a verdadeira Coreia Popular, sem influência de gente que castiga seu povo com guerras imperialistas, sugiro o seguinte blog, de estudantes que inclusive foram pra Coreia mais de duas vezes;

solidariedadecoreiapopular.blogspot.com.br

Responder

    Marcelo Paz em 12/12/2013 - 13h17 comentou:

    Também é mentira que o nascimento do Kin Jong-il previsto por uma andorinha e que ele nasceu numa base secreta no topo da montanha mais alta da Coréia do Norte, e que quando ele nasceu um arco-iris apareceu e uma nova estrela brilhou no céu?

BRUNO em 11/12/2013 - 22h09 comentou:

"rejeitamos muitas características da cultura gay ocidental, que consideramos consumista, classista e promíscua" TÍPICA AFIRMAÇÃO DE GENTE INTOLERANTE QUE QUER IMPOR SUA VISÃO DE MUNDO. NÓS GAYS ADORAMOS CONSUMIR, VIVER EM GRUPOS (ATÉ PARA NOS PROTEGERMOS DE PESSOAS COMO A AUTORA DESTE BLOG) E FAZEMOS MUUUUITO SEXO (TODO DIA COM UM DIFERENTE SE POSSÍVEL).HAHAHA POR ISSO, A ESQUERDA É UM PERIGO PARA A LIBERDADE!

Responder

Fabio em 11/12/2013 - 22h53 comentou:

Nao me convenceu.
Achei totalmente ilusória, generalista e inocente as duas constestações, tanto que comunistas transam melhor quanto que sexo oral na coreia do norte seja mito ou "realidade".
Primeiro porque todas as afirmações foram baseadas na realidade teórica, e sempre existem exceções à regra (ou seja, a realidade foge da teoria. Nenhuma teoria é perfeita)
Segundo, conheco muitas pessoas (homens e mulheres) que se encantam por submissão, tem fetiche pela dominação e pela demonstração de poder.
E terceiro, é totalmente ilusório acreditar que no ocidente todas as mulheres são, necessariamente, submissas ao homem., Conheco muita mulher por ai que não é submissa, ao mesmo tempo que conheco mulheres submissas. A questão é que, as vezes a mulher gosta dessa posição em que está, se sente confortável e feliz dessa forma (sendo submissa ou não). E acho que sexo precisa de conforto mental para ser bem realizado.
Falar que a origem social da pessoa comprova que ela transa melhor é a mesma coisa que acreditar que os gritos de faculdade em jogos universitários são dignos de reflexão e aceitação.

Responder

samuel smith em 11/12/2013 - 23h22 comentou:

kin jong pai era assumidamente pedofilo, tem uma série de fotos que mostra o olhar sádico dele pras menininhas e seu fetiche por pés infantis, uma 'jornalista' ignorar isso soa bem leviano, e até hoje não sei se esse blog é sarcástico, irônico ou alienado

Responder

cristian em 11/12/2013 - 23h25 comentou:

Liberdade?? Isso foi uma ironia??? Ela prefere a liberdade cubana??? Só faltou dizer oque vai fazer com essa liberdade toda sem ter site, google, twitter, facebook e ainda uma porção de carrascos vigiando e censurando o conteúdo. Jeeeesus como vim parar aqui….

Responder

Xavier em 11/12/2013 - 23h28 comentou:

Os norte-koreanos estão entre os mais subnutridos do mundo; após 50 anos de separação entre as koreas os habitantes do norte são em média 20% mais baixos que os do sul; a expectativa de vida na korea do sul é de 81 anos, enquanto no vizinho do norte é de 69 anos; quase todo o território do norte, excetuando-se a capital, vive às escuras, sem energia elétrica e até sem carvão; há evidências de que norte-koreanos com frequencia alimentam-se de algas, ervas e pequenos animais, como roedores; e há diversos relatos de prática de canibalismo entre os próprios, incluindo casos de matar o próprio filho quando bebê;

Face a isso a "socialista morena" vem falar em cunilíngua?? Santo Deus!!!!

Responder

Daniel Venturi em 11/12/2013 - 23h39 comentou:

“Socialismo é sinônimo de liberdade” “Ainda prefiro Cuba” hahahahahahahahahahaha

Responder

zabarov em 12/12/2013 - 00h04 comentou:

Pelo nível dos comentários há poucos cunnilinguísitas na área. Viva as mulheres! Viva a alegria q elas nos proporcionam [e a alegria q a elas podemos proporcionar]. Os cães ladram e os socialistas continuam seguindo o bom caminho.

Responder

Jorge em 12/12/2013 - 00h57 comentou:

Acho que voce perdeu o rumo de vez.

Responder

Everaldo em 12/12/2013 - 01h27 comentou:

Não conheço nenhum blogueiro(a) liberal que consiga mostrar com mais nitidez o abismo intelectual da esquerda brasileira. Seus posts são muito bons. Assumir a figura de uma socialista descolada como personagem para apresentar as contradições e mazelas do socialismo é muito eficaz. Continue com o bom trabalho e o bom humor. Como sou novo por aqui gostaria de saber: é possível sugerir pautas? Que tal mostrar como o socialismo fez dos cubanos exímios nadadores de longa distância. Ou como os alemães da antiga Alemanha Oriental se tornaram os melhores saltadores em altura graças à uma construção comunista. Ou como os venezuelanos estão aprendendo a fazer a higiene pessoal sem usar papel, implementando uma verdadeira política verde. Mostre aos céticos e aos críticos do governo Maduro que a falta de papel higiênico na Venezuela será normalizado assim que o governo normalizar, via racionamento alimentar, a produção de matéria fecal. Por falar nisso, Morena, sou seu fan.

Responder

    morenasol em 12/12/2013 - 14h10 comentou:

    muito interessantes suas sugestões, anotadas. obrigada ; )

Plinio Santos em 12/12/2013 - 02h09 comentou:

Apenas dois comentários:
1) É como eu sempre disse: comunistas e socialistas (morenos ou não) são bons apenas de boca, NADA MAIS.
2) Realmente, na Coreia do Norte os direitos das mulheres são iguais aos dos homens, ou seja: NENHUM! 😀

Responder

Kaiser Schwarcz em 12/12/2013 - 04h59 comentou:

Morena, que tal uma matéria sobre prostituição nos países comunistas (antigos e atuais)?
Existia? Era muito ou pouco? É coisa só de capitalista? Afinal, a mulher deve ou não ter o direito de cobrar por sexo?

Responder

    morenasol em 12/12/2013 - 14h08 comentou:

    muito boa sugestão, anotado

Chicó em 12/12/2013 - 13h54 comentou:

"Apesar dos pesares, ainda prefiro Cuba. Mas, como vocês sabem, o socialismo moreno não segue modelo algum."
Mesmo porque a URSS acabou caindo e as diretivas de moscou hoje só se dirigem aos países do Leste Europeu

"Faz parte do ideal comunista que mulheres e homens trabalhem, lado a lado, e dividam naturalmente os cuidados com a casa e os filhos".

O que!? Hein? Se o ideal comunista não for a superação do trabalho, prefiro o capitalismo. Detesto essa ideia de homogeneização, uniformização, diretivas estabelecidas num megafone instalado numa praça. E principalmente a ideia do trabalho como um novo Deus. Não lembra Auschwitz?
Pior é pessoas que se dizem socialistas, colocar a Coreia do Norte, Cuba etc. Como comunistas!
Na boa enquanto não se fizer uma critica profunda e radical da URSS e todas revoluções burguesas (independência da Africa, independência de Cuba, etc, etc.) Os reaças irão sempre criticar e sempre terão na maioria das vezes razão.
Isso porque a esquerda pedante resume comunismo a uma economia planificada de Estado, é triste e os ossos de Marx revira-se no túmulo!
Na boa Rosa Luxemburgo sempre teve razão…

Responder

Plinio Santos em 12/12/2013 - 15h34 comentou:

Então, está provado: comunistas e socialistas (morenos ou não) são apenas bons de boca, nada mais.

Responder

Bruno Lage em 12/12/2013 - 15h51 comentou:

País comunista? Hãm? A Coréia Popular é um país socialista, que adaptou o leninismo para a realidade coreana. Já leu sobre a Juche? Você precisa estudar um pouco antes de querer emitir opinião sobre tudo. Como diria Mao, "quem não pesquisa não tem direito a palavra."

Recomendo esse blogue, nele você encontra artigos e textos escritos por pessoas que estudam a Coréia Popular há alguns anos, já fizeram visitas ao país… são pessoas que realmente CONHECEM a realidade do país.
http://solidariedadecoreiapopular.blogspot.com.br
http://solidariedadecoreiapopular.blogspot.com.br

Responder

Marta em 12/12/2013 - 16h56 comentou:

Existe um fenômeno interessante no Brasil. O do comunismo imaginário. Tá cheio de gente por aí, amigos meus inclusive, que propagam com fúria as maravilhas do comunismo e socialismo que dizer, além de ditaduras e pobreza "para todos". O que me espantam nessas pessoas é que são comunistas de IPhone no bolso e que levam as crianças pra passar férias em Orlando, tirando foto com o Mickey!!! Só acredito em socialista/comunista que saí distribuindo dinheiro por aí.

Responder

    Rogério em 12/12/2013 - 23h47 comentou:

    Tem coisa mais maravilhosa do que dispor de todas as facilidades do capitalismo para poder falar mal dele?

Fatima em 12/12/2013 - 18h15 comentou:

" Os homossexuais nunca foram reprimidos na Coréia do Norte, como acontece em muitos países capitalistas."
Mesmo? Como vc concluiu isso? Morro de pena dessa pseudo jornalista! Mais legal é que faz caras e bocas tentando ser "sex e inteligente", quaquaquaqua.

Responder

    morenasol em 12/12/2013 - 19h12 comentou:

    a frase não é minha, é do governo norte-coreano, como está claríssimo no texto –por isso aparece entre aspas. você sabe para que servem as aspas em um texto? recomendo a leitura, a releitura e mais uma vez até você conseguir entender ; )

Cristiano Alves em 12/12/2013 - 18h32 comentou:

Aos canalhas de direita,

Primeiramente, mais respeito com a jovem, bastardos de direita! Só por que ela é de esquerda, querem insinuar que ela é alcoólatra ou coisa do tipo?

Segundo, o que esse LCDM posta é mera mentira de um historiador anticomunista e falsificador como Antony Beevor. Conheço seu livro, primeiramente ele usa como fontes fotos do Ministério da Propaganda de Goebbels e dados de livros de duas feministas alemãs, Helke Sander e Barbara Johr, que analisaram dados de 2 maternidades alemãs onde 12 de 237 (5%) e 20 de 567 (3,5%), nascidos em 1946, foram registrados como russos. Segundo as alemãs, 9 casos foram registrados como resultado de "estupro". Assim essas "feministas", com a ajuda da propaganda de Goebbels e 9 casos, mutiplicando tudo isso chegaram a 2 milhões. Se utilizássemos o mesmo método para com as tropas aliadas ocidentais, chegaríamos ao absurdo número de 13 milhões, como foi calculado por Nikita Mendkovich em seu artigo "Quem estuprou a Alemanhа", com inúmeras consultas epistemológicas(Aqui o artigo: http://actualhistory.ru/51 ). Mas foi esse clamor de Beevor, que fez de seu livro sobre os "comunistas estupradores" um best seller, afinal, não há modo melhor e mais fácil de ganhar uma grana no ocidente do que escrevendo mentiras comunistas. Já aviso, se a casa não estiver em dia, escrevam sobre "Como Stalin comia criancinhas no jantar", ou sobre "Como Lenin comia órgãos de seus opositores". Rapidinho vão ganhar dinheiro!

Osmar White, correspondente ocidental simpático aos americanos e ingleses, escrevia que enquanto os crimes dos Exércitos Americano e Britânico ficavam impunes na Alemanha, o Exército Soviético punia casos isolados de estupro, e isso até mesmo o anticomunista Soljenytsin reconhece no Arquipélago Gulag. Segundo O. White, os americanos chegaram a organizar um bordel no campo de concentração de Bunchenwald, e seus comandantes faziam vista grossa!

Goebbels escreveu que "nossa propaganda sobre os russos teve tanto sucesso dentre a população, que levamos os berlinenses ao pavor extremo", daí não é difícil entender por que autores hitlerófilos como A. Beevor use como fonte justo essa propaganda. É curioso, como apareceram tantos "milhões" de "mulheres estupradas pelos comunistas" só depois de 30 anos.

Não quero aqui parecer "idealista" ou nefelibata a ponto de acreditar que pelo menos um militar comunista, lembrando das mais de 10 milhões de soviéticas estupradas, violentadas ou, pior, esquartejadas, como tombou cheia de glória a lendária Zoya Kosmodemyanskaya, tenha recorrido a assaltos sexuais contra alemãs como forma de vingar a tragédia e o estupro de seu povo pelos fascistas. Todavia, relembro aqui o que disse certa vez um veterano do Wermacht acerca das tropas comunistas:

"se eles(os soviéticos e poloneses) fizerem com o nosso povo pelo menos 1% do que fizemos com seu povo durante 6 anos, dentro de umas semanas não restará sequer um alemão vivo"

Cristiano Alves, autor de A Página Vermelha

Responder

    Renato em 15/12/2013 - 17h46 comentou:

    Claro tudo que não vá de acordo com propaganda da mídia estatal soviética é invenção dos nazistas, mesmo clichê de sempre de quem só leu propaganda marxista como tal mente que leu outras fontes. Estupros aconteciam do lado ocidental também, mas nada comparado ao ao que o exército vermelho fez. Soldados russos não foram punidos por estuprar mulheres na Alemanha (e outros territórios ocupados). Aleksandr Solzhenitsyn diferente do que você diz admite candidamente que, era comum os soldados russos estuprar e então matar uma mulher alemã sem sofrer conseqüência por tal ato. Mais tarde, ele escreveu um poema descrevendo o que viu.

    Leia o propagandista oficial stalinista Ilya Erenburg.

    Especificamente, os seus artigos no "Pravda" ou "Red Star" 1941-45. Ele incentivou abertamente crimes de guerra contra civis alemães.

    Veja também seus folhetos distribuído para o Exército Vermelho (especialmente o "Kill", distribuído aos milhões de soldados, é chamado alemães "cães raivosos", "escorpiões "e" répteis ").

    De 1944 Ehrenburg abertamente incitava soldados do Exército Vermelho a cometer estupros de todas as mulheres alemãs que encontraram. Quer que eu citá-lo? Eu poderia, mas é muito nojento.

    Os estupros em massa foi ação orquestrada, proveniente de Stalin e o politiburo soviético. O que não significa alguns soldados soviéticos não se comportou decentemente – quanto mais crédito a eles. Também li e ouvi alguns relatos de oficiais soviéticos tentando intervir e parar os estupros – e ser punido por isso. O número real de vítimas nunca será conhecido, mas 2 milhões para a Alemanha e, pelo menos, 100.000 para Berlim são as estimativas vem repetidamente através. Não se trata apenas de "estupro", mas a tortura e o homicídio terríveis de não só de mulheres, mas crianças e idosos – em uma escala maciça. . Algumas vezes eles castraram os homens e meninos antes de matá-los. Algumas vezes eles arrancaram seus olhos fora. Algumas vezes eles os queimaram vivos. Algumas mulheres depois de serem estupradas em grupo foram crucificadas sendo pregadas em portas de celeiros enquanto ainda vivas e usadas como alvo para praticar tiro. Deve haver uma mudança cultural gigantesca feita pela ideologia comunista que mudou o comportamento do povo russo. O comunismo tem a tendência de arruinar a moral e as fronteiras culturais em todas as partes do mundo. Atrocidades ainda mais sangrenta e bestiais aconteceu na China comunista, que deveria ser o centro da cultura na Ásia. Mas até hoje o comunismo e seus líderes são elogiados em grandes procissões na Rússia, Riga e mesmo no Ocidente. Quanto maior a justiça foi feita na ideologia nazista, o comunismo ainda aguarda seu julgamento.

Cristiano Alves em 12/12/2013 - 18h48 comentou:

Sobre o artigo.

Conheço o trabalho da Socialista Morena, que traz muitos artigos interessantes. Lamento, entretanto, que esse artigo traga muitas incoerências. Que a autora do site goste do modelo cubano, isso é uma opção que ela faz, inclusive positiva, mas infelizmente isso não deve servir de motivo para o menosprezo e nem deboche do governo coreano.

A autora do site nos informa:

"Não é o caso da Coréia do Norte, que se diz comunista, não socialista, e vive cercada de mistério"

Quando eu tinha 14-15 anos uma rápida busca pela rede em suas dezenas de mecanismo de busca(na época não existia Google) me fez perceber que a Coreia do Norte não se diz "marxista-leninista", mas sim guiada pela "ideia Juche", chamada por uns de kimilsunguismo. Não apenas há textos sobre a Ideia Juche, como há inclusive críticas(de esquerda) acerca dessa ideia pelo imortal comunista britânico William Bland, da Aliança Marxista-Leninista do Reino Unido. Quer dizer, algo primário que até uma criança é capaz de perceber. Por favor, vamos usar a internet com responsabilidade e ser mais racionais, não é por que Kim usa longas capas e sobretudos em vez de boné e jaqueta como Fidel que ele não merece nossa consideração e respeito, num país diariamente oprimido pelo imperialismo e ameaçado com a chantagem atômica.

E que mistérios são esses? Há muita gente visitando a Coreia do Norte, inclusive 3 heroicos brasileiros que, mesmo sendo pressionados pelos colegas, difamados pela direita, ousaram cruzar a fronteira de Koryo! Há sites de notícia coreanos na internet, e sites de brasileiros sobre a Coreia.

E por que a vida íntima de Kim Jong deveria ser de nosso interesse? Quem se interessa pela vida sexual do "grande negão" Obama? Somos brasileiros, e não Brazzeleiros.

Eu deixo aqui uma crítica no sentido de evitar certos clichês empregados por revistas antipopulares, clichês que em nada agregam à luta por um mundo melhor.

Responder

Gabriel F. Marques em 12/12/2013 - 20h20 comentou:

Para fuder com 70 milhões de pessoas na China de Mao e 20 milhões na Rússia de Stálin, comunista tem que ser bom de sexo mesmo.

Responder

Marcelo em 13/12/2013 - 13h24 comentou:

Esse texto é piada, certo? Não sei o que é mais engraçado, esse papo de comunista que transa melhor ou "socialismo e liberdade" na mesma frase. Pode-se sonhar também com escravidão e liberdade, sol durante a noite, óleo misturado com água, água no deserto… teoricamente, tudo é possível, até socialismo com liberdade. Quem sabe, algum dia alguém invente. Cuba é que não conseguiu!
Aliás, um cidadão mais acima para do "bloqueio econômico" a Cuba. Que eu saiba, esse bloqueio é americano (posso falar estadunidense pra ele entender). Cuba é livre pra fazer comercio com outras "potencias" como a China, Russia, Venezuela, Coreia do Norte… negociar com os EUA se torna fundamental só quando é pra defender um regime ditatorial e falido!

Responder

Rodrigo DC em 13/12/2013 - 17h51 comentou:

Cynara, respondendo à pergunta do título, eu acho que os comunistas da Coreia não transam melhor. A pornografia ensina as pessoas, e ela é um produto do capital. Há mais apelo ao sexo na sociedade capitalista. Mas, claro, isso pode ser um problema, já que, como o corpo, o gozo e o desejo se transformam em produtos, muitas pessoas podem não ter acesso a eles (como acontece nesse sistema), dando vazão às sua pulsões de algum outro modo, por uma outra via: doenças psicológicas cuja origem é sexual, consumo e vício em imagens vendias pela indústria pornô, atitudes violentas como o estupro, busca pela prostituição, etc. Talvez, por falta desses produtos, o comunismo pode valorizar melhor o amor (livre ou não, não sei, pois não tenho conhecimento sobre a cultura na Coreia ou em Cuba)

Responder

Renato em 15/12/2013 - 13h22 comentou:

cLaro que transam, principalmente as norte-coreanas que são vendidas como escravas sexuais para China, esse é texto mais ridículo que já li.

Responder

Adriano Rocha em 17/12/2013 - 15h33 comentou:

Cynara, sei que o blog tem como um de seus assuntos e linha de pensamento o que vc chamou de "utopiapolitik", e, portanto, entendo quando vc fala que a Coreia do Norte NÃO É teu modelo de Socialismo. Mas, Cynara, NUNCA houve modelo bem sucedido (repito: bem sucedido) de Socialismo em lugar nenhum, assim como NUNCA houve modelo bem sucedido (idem ibidem) de Capitalismo em lugar nenhum e assim como JAMAIS houve, e provavelmente jamais haverá, modelo de Socialismo (verdadeiro) com Liberdade em nenhum lugar do mundo. Em todos os modelos socialistas tentados a partir do Séc. 19, a grande maioria da população foi mantida em contínuo estado de degradação, mediocridade artística/intelectual e opressão…igualzinho a tudo quanto é regime capitalista!! E a própria essência do marxismo é anti-liberdade por natureza: para existir e supostamente "dar certo", funcionar como Marx queria, TEM que ser totalitário, TEM que controlar a população com mão-de-ferro paranóica, TEM que criar uma classe ultra-elitista de intelectuais tecnocratas supostamente "iluminados" para conduzir o processo socialista que, fatalmente, se degenera numa nomenklatura totalitária, ditatorial e opressora. Não basta crer em utopias para ser socialista…há que se ser completamente desligado da realidade, viver num mundo de fantasia absoluta! Não existe utopia, Cynara. Todos os sistemas de governo e organização social, política e econômica das Sociedades humanas estão fadados ao fracasso, todos são irremediavelmente opressores e criadores de multidões oprimidas e infelizes, todos os sistemas são falhos, injustos e cruéis porque foram todos criados por membros de uma espécie falha, injusta e cruel: o ser humano. E pior: todos TEM que ser estabelecidos, postos em prática, conduzidos e administrados por membros dessa mesma espécie fratricida e ultra-egoísta. É "humanamente" IMPOSSÍVEL que Capitalismo ou Socialismo deem certo algum dia! Ainda que existam muitas "exceções à regra" na espécie humana (e creio que você seja uma delas), os postos de controle (aliás, esta maldita palavra, CONTROLE, está na raiz de toda opressão) de qualquer sistema são, mais cedo ou mais tarde, inevitavelmente ocupados pelos mais cruéis, egoístas e injustos exemplares da espécie (ainda não temos robôs que nos administrem, e nem sei se isso seria também uma boa ideia…rs), pois são exatamente estes que têm o perfil dos que buscam, e alcançam, o poder (outra palavra maldita que está na raiz das nossas infelicidades) a qualquer custo nos sistemas de governo humanos. Esquece essa bobeira de esquerdismo e socialismo. A Luta é contra todo tipo de controle de cima pra baixo, contra todo "poder supremo" humano nessa Terra. Acorda, Cynara!! Valeu.

Responder

    morenasol em 17/12/2013 - 15h39 comentou:

    todas as conquistas que você tem em termos trabalhistas são decorrentes da existência do socialismo. antes dele, não havia oito horas de trabalho, férias, 13 salário… o socialismo, ainda que não tenha "dado certo" em lugar nenhum, como você diz (partindo do princípio que o capitalismo "deu certo" em algum lugar), é necessário para contrabalançar um capitalismo predatório e cuja base é a exploração do homem pelo homem. pense nisso.

Cg_ em 19/12/2013 - 16h17 comentou:

Cynara, a gente já percebeu que você escreve sobre regimes de esquerda, mas é um pouco confusa e desinformada a respeito do assunto…

Mas deixa titia te corrigir em um aspecto também…
"Sem dúvida o texto faz algum sentido ao colocar que na Coréia do Sul, como no resto do mundo ocidental, as mulheres têm um papel de “dona de casa” tido como subalterno que inexiste nos países comunistas"

Você está colocando todas as regiões da Coréia do Sul, mais todo o resto do mundo ocidental, no mesmo pacotão? Sério mesmo?

No Brasil as mulheres respondem por 49,3% do mercado de trabalho.
Segundo dados da OIT, em 2008 as mulheres já representavam 51.7% do mercado de trabalho.

Vamos estudar múltiplas fontes antes de postar desinformação, como prega o bom jornalismo?

Responder

mari em 23/12/2013 - 20h20 comentou:

Mulherzinha boba. Não faz idéia do que é a Coréia do Norte.

Responder

HelenBorbs em 22/04/2014 - 02h37 comentou:

Gostei demais do texto e do tema… adooro saber mais coisas sobre esses países e regimes do que o tradicional clichê da ditadura que a mídia golpista e esse bando de pseudo-intelectuais ficam repetindo fazendo lavagem cerebral. Valeu Cynara.. adoro seus textos!

Responder

Héber Pelágio em 11/02/2020 - 12h46 comentou:

Conforme já mencionado por mim noutra ocasião, a maior prova de que o socialismo é INCOMPATÍVEL com a liberdade de expressão é o fato de que blogs de esquerda – como o da Socialista Morena – costumam censurar os seus comentários quando percebem que não têm argumentos para rebater as suas críticas. Não obstante, posso confessar que me senti surpreso ao ver que, no primeiro artigo escrito com essa matéria, este site publicou normalmente a minha postagem mencionando a onda de estupros promovida no Leste Europeu ao final da II Guerra Mundial a título de “exemplo” acerca de como os “comunistas transam melhor”.

Agora, pretendo fazer mais um teste acerca da “compatibilidade” entre o pensamento socialista e o princípio da liberdade de expressão ao mencionar a seguinte página, que é uma tradução de um artigo originalmente escrito na Wikipedia em francês e está disponível para a leitura que qualquer um com acesso à Internet. Vejam:

“Em maio de 1968 apareceram colados nas paredes da Sorbona oito cartazes em nome do Comitê de Ação Pederástica Revolucionária (Comité d’Action Pédérastique Révolutionnaire, CAPR), que lançava um apelo às minorias sexuais (“pederasta, lésbicas, etc.”) para se conscientizarem do “[seu] direito de expressar livremente [suas] opções ou [suas] particularidades amorosas e para promover com [seu] exemplo uma verdadeira liberação sexual”. No dia seguinte foram arrancados por ativistas de esquerda que consideravam que manchavam a causa da Revolução. Foi editada então uma tiragem de 500 exemplares que foram distribuídos em Odéon e na Sorbona. Os autores da ação foram os ativistas homossexuais Guy Chevalier e Pierre Hahn, naquele então estudantes de letras modernas, que decidiram redigir o panfleto ao constatar a ignorância da questão homossexual pelos movimentos de Maio do 68.

Desde 1968, a defesa da pedofilia tornou-se muito polêmica no seio dos grupos de extrema esquerda e entre os meios de direita. A dissolução em 1971 do grupo maoísta/libertário Vive le Révolution, dirigido por Roland Castro, deveu-se em parte aos debates internos sobre o assunto. Na mesma época, a redação da revista Politique-Hebdo recusou publicar, segundo testemunho do seu redactor chefe adjunto naquele então, Hervé Hamon, uma entrevista com René Schérer por causa das suas “posturas pró-pedófilas”. Tankonalasanté, revista crítica da instituição médica, deixou de ser publicada após uma corrente favorável à pedofilia tentasse utilizá-la como vetor das suas ideias.

O status especial dos intelectuais na França, que tinha permitido a alguns escritores, como Henry de Montherlant ou André Gide, reconhecer confortavelmente a sua preferência pelos menores, ou como Roger Peyrefitte, obter um sucesso escandaloso, permitiu a outros, como Tony Duvert e Gabriel Matzneff, manter desde o final dos anos 1960 discursos abertos favoráveis à pedofilia. Duvert, que em 1967 tinha publicado o seu primeiro romance, Récidive, e em 1973 tinha ganho o Prêmio Médicis com a obra Paysage de fantaisie, iria declarar-se pedófilo abertamente. Em 1974 publicou Le Bon sexe illustré (publicado no mesmo ano em português pela editora Afrontamento com o título O sexo bem comportado), ensaio onde critica a educação sexual e a família e defende que “deve ser reconhecido aos menores, crianças e adolescentes, o direito de fazer amor”. Em 1975 iria desenvolver suas ideias em profundidade em um novo ensaio, L’Enfant au masculin, onde diz ter tido parceiros sexuais de seis anos. Matzneff, que iria falar abundantemente nos seus livros sobre a sua preferência pelos adolescentes de ambos os sexos, sem ser atacado pela mídia, ao mesmo tempo que iria colaborar em jornais como Le Monde, iria publicar no mesmo ano Les Moins de seize ans, um opúsculo onde exalta o amor pelos adolescentes. Ainda em 1974, o filósofo René Schérer, professor do Centro Universitário Experimental de Vincennes, publica o ensaio Émile perverti, onde questiona que as relações sexuais sejam prejudiciais para as crianças e lamenta que a educação contemporânea denegue e exclua as “relações pederásticas entre mestres e alunos”. Em 1976, Schérer e o romancista Guy Hocquenghem iriam dirigir um número da revista Recherches sobre infância e educação, com o apoio, entre outros, de Michel Foucault e François Châtelet, que iria marcar o apogeu desse tipo de discurso intelectual sobre a pedofilia e a hebefilia. Esse tipo de obras eram apoiadas geralmente por editores que aderiam a uma perspectiva revolucionária ampla antes que à defesa de uma preferência sexual específica. Elas evidenciavam, segundo editores e jornalistas, a situação de uma estratégia global de questionamento da sociedade, e eram reivindicadas principalmente em nome da liberdade de expressão.

Nessa época, os discursos a favor da liberação sexual das crianças ganhavam posições à sombra de movimentos como a antipsiquiatria e o ativismo homossexual. Alguns grupos informais do socialismo radical, como os Comitês Comunistas pela Autogestão, e outras organizações mais importantes, como a Liga Comunista Revolucionária iriam apoiar os pedófilos. A defesa destes, bem como os discursos ambíguos sobre a sexualidade infantil, apareciam como um desafio às proibições Desde a Fronte Homossexual de Ação Revolucionária, criada em 1971, ou a revista Le Gai Pied, lançada em fevereiro de 1979, até filósofos como Michel Foucault, que denunciava a separação sexual entre crianças e adultos como um “novo regime de controle da sexualidade”, todos iriam exigir o reconhecimento das “sexualidades periféricas”. Alguns meios, como os jornais de esquerda Le Monde e Libération, iriam contribuir para a difusão dessas ideias publicando petições sobre o assunto, cartas abertas e entrevistas com pedófilos que explicavam a sua experiência.

Em maio de 1977, o jornal Libération, adicto às teses da revolução sexual desenvolvidas abertamente desde Maio do 68, publicou um artigo (que iria ser publicado novamente em 1 de março de 1979) titulado “Naissance du “front de libération des pédophiles””, onde era lançado um apelo para participar em uma reunião para criar o Front de Libération des Pédophiles (Frente de Liberação dos Pedófilos, FLIP). A primeira reunião do FLIP iria acontecer no dia 2 de abril no campus de Jussieu e nela iriam participar cerca de trinta pessoas. O FLIP não sobreviveu por causa das divergências surgidas entre os participantes, mas alguns dos mais radicais fundaram, a meados de 1977, a Front d’Action et de Recherche pour une Enfance Différente (Frente de Ação e Pesquisa por uma Infância Distinta, FRED), que em dezembro do mesmo ano definiu um programa, publicou alguns textos em 1978 e finalmente desapareceu no início de 1979 por falta de organização e por causa de dissensões entre seus membros.

Em julho de 1979 foi fundado o Groupe de Recherche pour une Enfance Différente (Grupo de Investigação por uma Infância Distint, GRED), que iria se tornar a primeira associação pedófila duradoura da França. Membro do Comité d’Urgence Anti-Répression Homosexuelle (Comitê de Urgência Anti-repressão Homossexual, CUARH), e da Associação Internacional de Gays (IGA), o GRED iria manifestar no seu boletim Le Petit Gredin a vontade de “ampliar o seu público para os “profissionais” da infância, para os próprios pais, para os juízes e para os educadores. E para as crianças!”, com o objetivo de se tornar um instrumento de debate, além do ativismo, atitude que iria adoptar também nas conferências e mesas-redondas nas quais iria participar como convidado. Ele iria desaparecer em 1987.

Petições francesas contra a idade de consentimento

Entre 1977 e 1979, enquanto era debatida uma reforma do Código penal no Parlamento francês, inúmeros intelectuais franceses assinaram petições e cartas abertas solicitando a despenalização de todas as relações consentidas entre adultos e menores por baixo de 15 anos (idade de consentimento na França), sem límite de idade. A mais notável, publicada no jornal Le Monde em 26 de janeiro de 1977 e reproduzida também por Libération, titulava-se Lettre ouverte sur la révision de la loi sur les délits sexuels concernant les mineurs e era escrita em apoio de três cidadãos franceses que compareceram ao Tribunal de Versailles sob as acusações de “atentado ao pudor sem violência sobre menores de menos de 15 anos” e de terem fotografado seus parceiros durante os seus jogos sexuais. Dois deles estavam em prisão preventiva desde 1973, fato que a carta qualifica de “escandaloso”. O texto salienta que as crianças não “foram vítimas da menor violência”, sublinha que as relações foram “consentidas”, e afirma que “existe uma desproporção manifesta, por um lado, entre a tipificação como “crime” que justifica tamanha severidade, e a natureza dos fatos imputados; e por outro lado, entre o caráter antiquado da legislação e a realidade cotidiana de uma sociedade que tende a reconhecer nas crianças e nos adolescentes a existência de uma vida sexual”.

Entre 1977 e 1979, enquanto era debatida uma reforma do Código penal no Parlamento francês, inúmeros intelectuais franceses assinaram petições e cartas abertas solicitando a despenalização de todas as relações consentidas entre adultos e menores por baixo de 15 anos (idade de consentimento na França), sem límite de idade. A mais notável, publicada no jornal Le Monde em 26 de janeiro de 1977 e reproduzida também por Libération, titulava-se Lettre ouverte sur la révision de la loi sur les délits sexuels concernant les mineurs e era escrita em apoio de três cidadãos franceses que compareceram ao Tribunal de Versailles sob as acusações de “atentado ao pudor sem violência sobre menores de menos de 15 anos” e de terem fotografado seus parceiros durante os seus jogos sexuais. Dois deles estavam em prisão preventiva desde 1973, fato que a carta qualifica de “escandaloso”. O texto salienta que as crianças não “foram vítimas da menor violência”, sublinha que as relações foram “consentidas”, e afirma que “existe uma desproporção manifesta, por um lado, entre a tipificação como “crime” que justifica tamanha severidade, e a natureza dos fatos imputados; e por outro lado, entre o caráter antiquado da legislação e a realidade cotidiana de uma sociedade que tende a reconhecer nas crianças e nos adolescentes a existência de uma vida sexual”.

No dia 4 de abril de 1978 foi emitido pela rádio de Paris um debate em profundidade entre Michel Foucault, Jean Danet e Guy Hocquenghem, no qual eles explicaram as suas razões a favor da eliminação da idade de consentimento. Essa conversa viria a ser publicada em francês com o título La Loi de la pudeur.

Em 1979, Libération publicou uma carta semelhante em apoio de Gérard R., um cidadão francês acusado de um “delito sexual sobre menores”, que estava à espera de julgamento há dezoito meses. A carta estava assinada por 63 pessoas, entre elas Pascal Bruckner, Georges Moustaki e Christiane Rochefort. Ela informava que Gérard morava com meninas de 6 a 12 anos, “cujo aspecto resplandecente mostra aos olhos de todos, inclusive seus pais, a felicidade que elas acham [no Gérard]”.”

Sugiro que vocês leiam mais a respeito em

Apesar do artigo mencionar que “Desde 1968, a defesa da pedofilia tornou-se muito polêmica no seio dos grupos de extrema esquerda e entre os meios de direita”, o que muito provavelmente é devido à intervenção de algum editor de esquerda, observe que praticamente TODOS os intelectuais citados que assumiram a defesa da pedofilia eram/são militantes de esquerda.

De fato, parece estar finalmente comprovada de forma CABAL tese defendida pela Socialista Morena no sentido de que “os comunistas transam MUITO melhor” do que esse pessoal da direita, que só vive defendendo a preservação do sistema capitalista!

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Coreia do Sul dá claros sinais a Trump: vá fazer guerra em outra parte


Com o mundo em crise, os EUA querem lucrar promovendo alguma guerra. Mas a Coreia do Sul manda seu recado a Trump: aqui, não

Politik

Futebol é coisa de comunista


Não, não sou eu quem está dizendo isso: é a amalucada direita norte-americana, eterna fonte de inspiração da direita tupiniquim e de risadas para nós. Mais de 20 anos após a queda do muro de…