Socialista Morena
Feminismo, Politik

Comunistas transam melhor?

  O documentário Liebte der Osten Anders? (“Comunistas transam melhor?”, na tradução do título em inglês), dirigido em 2006 por Andre Meier, parte da premissa, comprovada estatisticamente, de que no lado comunista do muro de Berlim as pessoas faziam mais e melhor sexo que do lado capitalista, e tenta explicar por quê. É surpreendente descobrir […]

Cynara Menezes
04 de agosto de 2013, 21h10

 

O documentário Liebte der Osten Anders? (“Comunistas transam melhor?”, na tradução do título em inglês), dirigido em 2006 por Andre Meier, parte da premissa, comprovada estatisticamente, de que no lado comunista do muro de Berlim as pessoas faziam mais e melhor sexo que do lado capitalista, e tenta explicar por quê. É surpreendente descobrir que, apesar da censura e da proibição da pornografia, os alemães orientais (e sobretudo as alemãs) tinham mais liberdade sexual do que os ocidentais. Mais orgasmos, inclusive.

A principal razão, defende Meier, é que, até a descoberta da pílula, as comunistas eram mais independentes do que as comportadas alemãs do lado capitalista. Durante a Segunda Guerra, com os homens no front, as mulheres alemãs foram obrigadas a ir à luta para sustentar a família e aprender tarefas consideradas “masculinas”, como construir casas. Depois que eles voltaram, porém, enquanto na República Federal da Alemanha (capitalista) as mulheres retornaram às prendas domésticas, na República Democrática da Alemanha (comunista) elas continuaram trabalhando fora. No final dos anos 1960, uma em cada três mulheres trabalhava fora na Alemanha Ocidental; do lado Oriental eram 70%. Historiadores e sexólogos defendem no documentário que este papel protagonista da mulher influía positivamente em sua vida sexual.

“Em nenhuma área a emancipação feminina avançou tanto quanto na sexualidade. As mulheres davam as regras na cama. Isso era muito típico da Alemanha Oriental”, diz um especialista ouvido no filme. “Mais tarde as alemãs orientais foram reduzidas a caricaturas, mas eram elas que usavam as calças”, afirma outro. Ele fala isso e eu penso imediatamente em Angela Merkel, a toda poderosa chanceler que cresceu do lado comunista. Merkel foi beneficiada por uma emancipação que começara já no pós-guerra. Ou seja, quando as ocidentais passaram a lutar para conquistar espaço no mercado de trabalho, a maioria das orientais já possuía uma carreira.

Outros fatores para a liberação, por incrível que pareça, partiram do Estado comunista. Se do lado capitalista não houve educação sexual nas escolas até meados dos anos 1960, em 1962 os alemães orientais já assistiam programas sobre o assunto na televisão, voltados para crianças. Na Alemanha Oriental o casamento perdeu muito cedo a função de legitimar a sexualidade. Homens e mulheres também dividiam as tarefas do lar, bem antes de que isto se tornasse uma questão no Ocidente. O aborto foi legalizado na Alemanha comunista em 1972! Os alemães orientais sofriam a repressão do Estado, mas não a da igreja como os ocidentais, com efeito enorme sobre a sexualidade. Livres da religião, os/as comunistas se dedicavam sem culpa aos prazeres da carne. A alcova não era alvo da Stasi, a temida polícia secreta.

De acordo com o documentário, nos anos 1970 e 1980 os heterossexuais gozavam de liberdade sexual quase plena na Alemanha Oriental. O mais importante sexólogo do lado comunista, Siegfried Schnabl, deu a deixa em uma entrevista: “Lenin disse que sob o comunismo não deveríamos aspirar ao ascetismo e sim aos prazeres da vida. Isso inclui uma vida amorosa satisfatória”.

Outro aspecto interessante é que, do lado comunista, a prática do nudismo era amplamente aceita e começava no seio familiar (leia aqui uma reportagem sobre o tema publicada pelo jornal britânico The Telegraph). Isso explicaria a foto que circulou na rede da senhora Merkel nua numa praia da Alemanha Oriental durante a juventude –há dúvidas se é ou não a chanceler, mas que parece, parece.

Angela Merkel nua em pelo (e com um corpitcho de arrasar) numa praia comunista. Será?

Tudo muda com a queda do muro, em 1989, e a chegada da pornografia e da prostituição. Mas será que, pelo menos sexualmente, os comunistas eram mais felizes e não sabiam? Clique aqui para assistir, é imperdível. Infelizmente não está disponível na rede com legendas em português, só em inglês.

Entendo que o diretor quis focar no mundo hetero e no feminismo, mas faço um reparo à ausência no filme do tema da homossexualidade, bastante reprimida pelos regimes comunistas de maneira geral –que o digam os cubanos. Outro documentário, Unter Männern — Schwul in der DDR (Entre homens – gay na RDA), de Ringo Rösener e Markus Stein, aborda o tema e conta que houve repressão à homossexualidade também na Alemanha Oriental. Mas não foi, parece, tão grave como o que ocorreu na URSS ou em Cuba. Pelo contrário, houve certa liberdade para os gays nos primeiros anos da Alemanha comunista, que descriminalizou a homossexualidade um ano antes que a Alemanha Ocidental. O próprio sexólogo Schnabl publicou textos onde defendia a existência dos homossexuais como “normal”.

Sem contar que aqueles beijaços na boca que o presidente alemão oriental Erich Honecker gostava de sapecar nos colegas comunistas eram meio homoafetivos, né não? Dizem que a comunistada saía correndo quando o Honecker aparecia. Bem, nem todos.

Foto clássica do líder soviético Leonid Brejnev recebendo um beijaço de Honecker, aquele safadeenho

Veja um trailer do filme (em alemão):


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(147) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Fabio de O. Ribeiro em 04/08/2013 - 22h21 comentou:

Na boa…. no tempo em que eu participei do movimento estudantil (década de 1980) trepar com uma mina de esquerda exigia longas demonstrações teóricas e práticas de comprometimento com o marxismo-leninismo e certificados de devoção sobre-humana à revolução. As minas sem ideologia ou de direita queriam apenas trepar. Portanto, eu e muitos de meus companheiros militavamos na esquerda e fodiamos com a direita sem qualquer crise existencial ou ideológica. Ha, ha, ha…

Responder

    Nany em 05/08/2013 - 10h59 comentou:

    Você está se baseando na "liberdade sexual" propagada no Capitalismo, que de um jeito ou de outro culmina na prostituição. Ter liberdade sexual é relacionar-se com alguém apenas por afinidade e principalmente tendo o respeito do outro. Diferente desse sistema que vivemos que as pessoas se relacionam por interesse$…

    Fábio de O. Ribeiro em 05/08/2013 - 16h20 comentou:

    Seu blá, blá, blá de feminista reprimida ou repressora não me comove, nem me excita.

    Fernando em 05/08/2013 - 18h45 comentou:

    AHAHAHHAHA

    marcio em 07/08/2013 - 15h53 comentou:

    a feminista não é repressora. tantos anos a militar na esquerda e ainda não entendes conceitos basicos.

    Karl Marx fazia em 08/08/2013 - 12h56 comentou:

    Pior que a feminista é o Blah blah blah chato de esquerdista que não sabe se divertir… Sexo é tesão, não intelectualismo vazio…

    Eduardo Padua em 08/03/2015 - 21h50 comentou:

    BOA, Fabio!!! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

    Anna Ribeiro em 05/08/2013 - 20h20 comentou:

    Curioso, mesmo de esquerda ninguém nunca precisou me demonstrar nada. Até porque existem muitas pessoas que não tem conhecimento para tanto, mas não por isso eu teria menos atração sexual por ela. Seria um grande preconceito. Conheço muitos que pensam da mesma maneira e acho seu comentário burro e genérico.

    Rafael F. em 05/08/2013 - 23h16 comentou:

    hahaha, fale por você…

    Mina conservadora que é tão recatada e dos ~bons costumes~ que parece até terem nojinho de sexo trepar mais facilmente que as de esquerda? Isso eu nunca vi.

    Na minha experiência nunca vi esse ritual aí não, na hora do sexo boa música e boa bebida já conversava pela gente. Esse seu papo tá mais pra pseudo-estereótipo criado por direitista, viu…

    Leo em 11/11/2014 - 01h03 comentou:

    Concordo plenamente Rafael.

    Eduardo Padua em 08/03/2015 - 21h52 comentou:

    O cara rotula a tal "mina conservadora" e acusa o outro de estereotipar a "mina de esquerda"??? WTF??? Realmente, esquerdistas e lógica não combinam,,,

    Marcelo em 06/08/2013 - 03h15 comentou:

    Cara, isso continua assim até hoje. Agora essa resposta foi a mais moralista: "Você está se baseando na "liberdade sexual" propagada no Capitalismo, que de um jeito ou de outro culmina na prostituição. " Só um metadiscurso extremamente generalista e metafisico como é, geralmente, o discurso feminista, conseguiria provar que liberdade sexual culmina na prostituição. Liberdade sexual é liberdade sexual po, não tem o que punhetar em relação a isso… é poder meter a vontade.. agora vai dizer que o desejo de foder diariamente é criação do capitalismo? Aff.. então os romanos eram capitalistas e não sabiam! Os celtas em seus rituais de fertilidade tb!

    Alice em 06/08/2013 - 14h18 comentou:

    Pra quem não entendeu a matéria eu vou tentar explicar de novo, quem sabe a quantidade de comentários machista e desrespeitosos diminui. Pois bem o documentário fala de uma prática que existia dentro de uma sociedade como um todo. Não fala de mulheres que são de esquerda ou de direita dentro da sociedade capitalista, não fala nem mesmo de quem fode com quem, ou o quanto mais fácil era foder dentro na sociedade da Alemanha oriental. Analisa que as mulheres da sociedade da alemã oriental tinham mais liberdade sexual e que elas tinham mais qualidade no sexo e porque elas eram assim, quais eram as condições práticas que permitiam isso. Liberdade sexual, não é sair trepando por aí a torto e a direito, liberdade sexual é mais algo como eu posso sair por aí trepando a torto e a direito sem que ninguém ache nada sobre isso, mas eu também posso não transar com ninguém e ter meus próprios critérios para decidir se eu vou ou não transar. Entendeu?

    Paulo Mendes em 07/08/2013 - 11h13 comentou:

    É Fábio, todos nós fomos porcos-chauvinistas e passamos pelas mesma "crises ideológicas".

    abolicionista em 13/08/2013 - 14h01 comentou:

    Não, são só babacas conservadores que não sabem fazer uma mina gozar.

    abolicionista em 13/08/2013 - 14h15 comentou:

    Cara, já trepei com várias garotas de esquerda e de direita e não vi nada disso. O problema é que você não conseguiu oferecer um produto muito atrativo para elas. As minas de direita que saíam com você não queriam só trepar, queriam casar. Você precisa aprender que a mulher também quer gozar, não é só o homem. Além disso, se você souber do que uma mulher gosta, ela vai querer trepar com você sempre, não importa se ela é de esquerda ou de direita. E, acredite, se você não souber satisfazer essa mulher, outro irá fazer isso no seu lugar.

    Vai ver que enquanto você estava discutindo ideologia, seus colegas de movimento estavam colocando a coisa em prática, se é que você me entende.

    S_Xenon em 18/09/2013 - 03h53 comentou:

    Pela lógica proposta os Anarquistas teriam o melhor sexo de todos!!!

    Kaiser Schwarcz em 12/12/2013 - 04h53 comentou:

    Putz, O Fábio só comentou da experiência dele. Outros podem ter tido experiências distintas.
    Nem tudo tem que ser uma guerra entre direita-esquerda e homens-mulheres.

    Syk4 em 18/12/2013 - 07h03 comentou:

    Também na boa – e usando seu vocabulário para melhor me fazer entender -, você nunca foi um "revolucionário". E "as mina de esquerda" percebiam isso. E exatamente por isso não "trepavam" com você. E, para seu desespero, ao contrário das "branquinhas" de direita como a decotada Fernanda Lima, as Socialistas Morenas ainda fazem – a exemplo das guerreiras de Atenas -, muitas exigências aos seus homens. Exigências que você ainda não é capaz de atender. Por isso, a exemplo da sua saudosa "década de 1980", elas ainda preferem os homens "de esquerda", que amam mais – e melhor – que você.

    Preto Velho em 22/12/2013 - 17h09 comentou:

    Xi rapaz, então tá querendo dizer que você se cansou de mulher que pensa?

    Milton Tedesco em 27/12/2013 - 12h29 comentou:

    Nos meus tempos eu era bem de esquerda, mas não era socialista, era esquerda light, mas na faculdade eu passei pro lado bem esquerda da vida, cheguei a fumar maconha só pra pegar mais minas, era divertido a atmosfera, decorei todos os jargões e discursos, era muito bacana aquele tempo. Melhores anos de minha vida foram passados com essa galerinha de esquerda e trepei muito com essas meninas revolucionárias e coisas assim.
    No fundo eu pensava que todo mundo tinha decorado uns discursos e estava teatrando lá, como eu que era de esquerda social democrata, mas aquele teatrinho era tudo do melhor que havia na vida, na república as festinhas com as minas, todo mundo comia todo mundo e era tudo esquerda nas festinhas, nos churrascos e tudo mais.
    Agora é foda que todo mundo cresceu esse lance, a galera casou, arranjaram empregos capitalistas e tudo mais, mas eu tenho certeza que todo mundo tem um pouco de saudades daqueles tempos de juventude, ideologia, sexo livre e tudo mais.

Luciana em 04/08/2013 - 22h25 comentou:

Conclusões: é muitíssimo melhor ser mulher no comunismo do que no capitalismo. O comunismo empodera e liberta a mulher, o capitalismo a escraviza e controla. Deve ser porque comunistas não dão a mínima para herança, por isso não há razão para escravizar a mulher. E, a principal conclusão: os capitalistas são chatos, conservadores e caretas, enquanto os comunistas se divertem mais e são mais bem humorados.

Responder

    Liberal-fascista em 05/08/2013 - 18h28 comentou:

    Boa sorte com isso quando a sua vagina for parte da propriedade comunal…

    cláudio klaus em 06/08/2013 - 00h00 comentou:

    Acredito que o "Liberal-fascista" acima privatizou a perereca da mulher dele, resta saber se ela não está liberando pra economia globalizada. Se somos a favor da socialização dos meios de produção, porque privatizar os de reprodução? Ide e trepai pregou o nosso põe como diz o sábio Henri Cristo… Grande Luciana, concordo com você. hasta la victoria siempre, siempre i siempre al disfrute.

    Wilker em 07/08/2013 - 15h40 comentou:

    Não Luciana, esse caso foi específico, note que as mulheres só tiveram essa liberdade de trabalho pois não havia homens suficientes para lhe dar com as necessidades, se houvessem, a coisa teria sido bem diferente.

    Anaczz em 07/08/2013 - 20h52 comentou:

    Mesmo que o motivo tivesse sido apenas esse…
    Uma coisa que acho que ninguém comentou e que aparece de passagem no filme, é a criação de equipamentos sociais para liberar a mulher/família das obrigações tradicionais: creches e escolas de qualidade, lavanderias, fornecimento de alimentação, etc. Isso faz uma grade diferença na liberação da mulher. Só para o trabalho? Para tudo! Até para fazer sexo melhor.

    Débora em 24/12/2013 - 01h00 comentou:

    *lidar

    Patricia Sukita em 08/08/2013 - 04h34 comentou:

    Adorei seu ponto de vista rsrs…

    S_Xenon em 18/09/2013 - 03h57 comentou:

    Será Luciana? Conheço gente de esquerda e de direita que são legais e divertidas, pois são pessoas que toleram a opinião do próximo… e as pessoas mais chatas que conheço são as pessoas que usam argumentos como os seus… Comunas comem criancinhas, reaças merecem ser enterrados numa vala…. sério, quem fala esse tipo de coisa não pode ser feliz

    Xerxes em 01/12/2014 - 18h19 comentou:

    Diga isso para as mulheres na Coréia do Norte, sob o regime comunista, que vivem nos campos de concentração em pleno século XXI.

    Artur em 01/12/2014 - 19h18 comentou:

    Sem dúvida concordo plenamente a vida humana é mais livre e múltipla!!!

    gean carlos em 28/03/2015 - 01h06 comentou:

    os regimes comunistas são bem mais divertido ha ha ha! ora diga os 2 milhões de Ucranianos e Ucranianas que morreram de fome e ou violentadas pelas forças "libertarias e revolucionarias soviéticas. e os 20 milhões de Russos que não concordaram com a "democracia socialista" de lenim e stalim e foram dizimados o que vocês andam bebendo pra terem uma visão tão medíocre da liberdade e aplaudirem tanto as atrocidades cometidas por bandidos socialistas!

Lenir Vicente em 04/08/2013 - 22h43 comentou:

Nada mais coerente com os ideais de luta contra uma sociedade desigual. Quebrar as barreiras impostas pelos dogmas de uma igreja arcaica (ainda hoje) onde a mulher era submissa ao homem, foi uma das vitórias conquistadas pelo comunismo.

Responder

    Paulo em 06/10/2013 - 18h55 comentou:

    Lenir, o homem capacho.

William em 05/08/2013 - 00h02 comentou:

Eu acho que a comparação com a Cuba da época é válida, mas lembre-se que naquela época a maior parte do mundo ocidental era homofóbica ou pelo menos fazia questão de ser. Seria completa se você tivesse mostrado, ainda que resumidamente, o desenvolvimento desta questão na ilha. É preciso mencionar os importantes avanços de Cuba sobre a questão do homossexualismo nas duas ultimas décadas, iniciando-se com uma autocritica bem demonstrada no filme "Morango e Chocolate" (1993), acabando com os resquícios homofóbicos da constituição em 1997 e atualmente tendo como importante porta bandeira, Mariela Castro. A questão do aborto também foi legalizada antes da Alemanha Oriental, em 1959. Os cubanos, apesar de serem parecidos em muitos aspectos com os demais povos latinos que tendem a ser machistas, não costumam sofrer dos mesmos dilemas e tabus quando o assunto é sexualidade, que numa sociedade como a brasileira está impregnada de falsa moral.

Responder

    Aloísio em 05/08/2013 - 13h22 comentou:

    Tem entrevistas e estudos, com e da própia filha do Raúl Castro, que mostra mais ou menos como Cuba tratou a questão da homossexualidade. Ainda acho que ficou no patamar dos regimes capitalistas para a época como o William escreveu. E não sei se muito mais negativo que os regimes socialistas.

    Alexandre em 05/08/2013 - 15h44 comentou:

    Cuba mudou muito sobre a questão da homossexualidade após a década de 1990. É importante frisar o esforço da sociedade cubana quanto a isso. Veja o filme Fresa y chocolate (Morango e chocolate), de 1994. Há uma forte autocrítica em relação a perseguição sofrida pelos homossexuais. E antes que digam que não conheço, eu fui à Cuba e debati muito essa questão.

Bárbara em 05/08/2013 - 01h30 comentou:

Só tem esse documentário em alemão?

Responder

    Ligia em 30/03/2014 - 00h33 comentou:

    vai aprender alemão! <3

Rafael Leal em 05/08/2013 - 01h42 comentou:

Toda a repressão social e cultural que existia na Alemanha Ocidental no período pós-guerra acabou culminando na história de uma certa garota chamada Christiane F, como bem sabemos.

Responder

Rafael J Santos em 05/08/2013 - 03h12 comentou:

Teve uma coisa que me deixou com a pulga atrás na orelha: deixa eu ver se entendi, você quis dizer que a URSS era comunista, ou mesmo socialista?

Responder

    João Pedro em 05/08/2013 - 16h28 comentou:

    URSS = União das Repúblicas SOCIALISTAS Soviéticas. Isso responde???

    sonayra Duarte em 24/12/2013 - 00h59 comentou:

    Ideologicamente sim! não economicamente na pratica.. e a ideologia movia o mundo.. hoje só a compra move o mundo.. e ele tá falando de Guerra Fria.. não era o socialismo IDEAL era o real e não poderia ser o ideal, só se o comunismo imperasse em tudo.. pois sistemas economicos são mundiais e não locais..

Felipe em 05/08/2013 - 04h21 comentou:

http://www.npr.org/templates/story/story.php?stor

Responder

Filipe em 05/08/2013 - 05h22 comentou:

Cynara, você é um charme.

Responder

Aloísio em 05/08/2013 - 13h26 comentou:

Em relação ao texto "as mulheres dominavam a relação na cama" depois de terem sua emancipação. Uai, isso é fator relacionado ao sexo/prazer dos dois sexos ou a liberdade sexual/prazer exclusivamente feminino?

Responder

    Flor em 08/08/2013 - 15h28 comentou:

    Aloísio,
    Em qualquer transa morna o gozo do homem está garantido… Para a mulher, no entanto, isso é bem mais complexo.
    Quando for trepar, deixe a mulher te dizer o que ela deseja e precisa (estimule-a a fazer isso) e acredite: com o aumento do prazer dela você terá mais prazer também.

Vitor em 05/08/2013 - 13h33 comentou:

Transar é de graça e não exige infraestrutura, claro que os comunistas vão fazer mais…

Responder

    Matal de Souza em 05/08/2013 - 18h25 comentou:

    E os capitalistas só têm tesão para o lucro!

    Artur em 01/12/2014 - 19h22 comentou:

    Tá tão ruim que você tem que pagar pra isso!!! atrás de prostitutas por exemplo!!!

    Ricardo em 11/08/2013 - 00h37 comentou:

    E eu estou bem contente com a infraestrutura que o capitalismo me oferece… 'Bastante' mesmo!

Guilherme daCunha em 05/08/2013 - 13h45 comentou:

Quando comecei a ler o texto desconfiei que teria sido escrito por uma mulher, quando cheguei na parte q argumenta homossexualidade tive certeza. Não sei se concordo com grande parte do texto, esses vídeos eram simplesmente PROPAGANDAS do governo, onde um tenta mostrar pro outro que é melhor. Tem um monte de vídeo desses com um monte de temas diferentes feitos nessa época com intenções políticas. Quanto a mulher, mulher transa bem com homem quando gosta de homem e do homem, mas tb transa bem com mulher se gostar de mulher. Não existe mais liberdade do que + ou – 60% das mulheres afirmarem o fato de terem tesão por outras mulheres, isso é real e está acontecendo nesse momento, é só pesquisar. Não vejo mais por que discutir esse tipo de assunto, vão e façam o que querem e pronto, só n esperem ser respeitadas por algum homem se vcs não merecerem esse respeito, o q tb é um fator libertário pra nós não termos mais que arcar com as disfunções psicológicas e sociais femininas, é quase uma abolição da escravatura.

Responder

    morenasol em 05/08/2013 - 15h46 comentou:

    não sei se teu problema com as mulheres é machismo ou recalque, guilherme. sinceramente

    mar em 07/08/2013 - 03h29 comentou:

    que coisa mais antiga e machista Sr. guilherme . quer dizer que o homem pode transar e nada fica de imoral , já as mulheres que se sentirem libertas para transar vc diz que arquem com as consequências. Machismo frustado é de matar . Isto significa , pensamento arcico, medieval , religioso , egosísta, hipócrita, tiranos , etc…..etc…etc..

    Sonayra em 24/12/2013 - 01h02 comentou:

    " só n esperem ser respeitadas por algum homem se vcs não merecerem esse respeito" Nós merecemos esse respeito e ponto.. não é uma questão a ser analisada por você.. é um fato a ser respeitado,, é a lei é dura mais é a lei! 🙂 #maxismofazmalasaudeeareputação!

    Bordô em 27/03/2015 - 22h06 comentou:

    Sério? Você entrou no blog "Socialista Morena", com a foto da autora ali no canto, demorou quanto tempo mesmo (?) para entender que se trata de uma mulher, mas isso aconteceu porquê ela "argumenta homossexualidade" e para você mulheres são "mais homossexuais" que os homens!?

    Nossa cara! Que incrível você!

Mak em 05/08/2013 - 13h58 comentou:

Pelo que sei o pessoal de Berlim oriental transava "tanto" e tinha tantos orgasmos que no desespero para descansar de tanto "prazer" se atirava contra o muro de Berlim, sob o risco de ser fuzilado, tentando pular para o lado, aquele que não transava muito. De repente era o pinto (ou outras partes pudendas) estavam ardendo demais e eles queriam tirar umas férias dos orgasmos múltiplos.

Responder

Paulo em 05/08/2013 - 16h02 comentou:

Os orientais faziam mais sexo por que era a unica coisa que lhes restava. O lado comunista era tão maravilhoso que tiveram que construir um muro e uma Cortina de Ferro para os ocidentais não invadissem aquele paraíso de tantas liberdades !
As mulheres orientais tinham mais liberdade sexual ? Claro, todo inconsequente é mais "livre", afinal sem a consciência moral pode-se fazer o que quiser sem o peso da consciência. Engravidou ? Basta abrotar (matar a criança que não pode se defender, nem se escutar o grito de dor) !
Este é o socialismo, a redução de adultos a condição adolescente mimados, … ou pior … , como dizia Karl Marx em seus tempos de poeta :
"Os vapores infernais elevam-se / e enchem o cérebro / até que eu enlouqueça / e meu coração seja / totalmente mudado / vê esta espada ? / O príncipe das trevas / vendeu-a para mim"
Pra finalizar, outra perola do sacerdote mor desta nova religião de fanáticos inconsequentes :
"Então vagarei semelhante a um deus vitorioso / Pelas ruínas do mundo / E dando as minhas palavras uma força dinâmica / Sentir-me-ei igual ao Criador. "

Que cada um tire a conclusão que achar mais acertada.

Responder

    Ricardo em 11/08/2013 - 00h38 comentou:

    Há pessoas com uma grande capacidade para escrever baboseiras.

    Sonayra em 24/12/2013 - 01h04 comentou:

    Concordo, que existem pessoas que tem uma grande capacidade de escrever varias linhas, pra falar besteira.. por que ele só falou um palavrão? olha que não gosto.. fica melhor.. pelo menos nós não teriamos certeza que ele era um ignorante, agora entrou pro rol da fama.. BESTEIROL MOR!

    Carol em 21/09/2013 - 06h24 comentou:

    muito bonito reacionario
    somos inconsequentes por lutar por justiça.
    e a mulher é dona de seu corpo

Paulo_Gustavo em 05/08/2013 - 16h28 comentou:

Eu só não entendo uma coisa: se o lado oriental era tão melhor assim, pq as pessoas de lá fugiam para o lado ocidental? Pq não o oposto?

Responder

Marcelo Paz em 05/08/2013 - 17h30 comentou:

O Freikörperkultur era popular na DDR porque era uma das poucas maneiras das mulheres se expressarem, não porque que elas eram "livres" e as compatriotas do lado capitalistas eram donas-de-casa submissas. Em Berlim, no DDR Museum, tem uma parte que fala bastante sobre este fenômeno, e deixa bem claro que aquilo era mais por uma "falta do que fazer" do que uma mulher realmente emancipada. Lembrando que o poder de intrusão da Stasi na vida cotidiana dos alemães orientais era tanta, que se uma mulher se vestisse fora do padrão, utilizando roupas "capitalistas", muitas contrabandeadas da BRD, sofriam um pesado assédio moral. O nudismo na DDR não tem nada a ver com alguma liberdade e sim numa resposta a um dos estados mais repressores do mundo pós-guerra.

Responder

    Ligia em 30/03/2014 - 00h40 comentou:

    gente, mas do lado ocidental os alemão também não são nada puritanos. A relação do alemão com o corpo e a sexualidade é muiiito diferente da do brasileiro e outros latinos. Não dá pra explicar, tem que vivenciar: digo isso porque morei na alemanha, fui aos vários locais de nudismo (coisa mais comum e "familia", tem em qualquer parque) e ouvi e vi muita coisa sobre sexualidade e corpo beeem mais aberta e sincera que no Brasil. E olha que eu morei com uma família católica classe média alta. até meio "reaça" pros padrões alemães.

    Luiz em 27/06/2014 - 15h14 comentou:

    "O nudismo na DDR não tem nada a ver com alguma liberdade e sim numa resposta a um dos estados mais repressores do mundo pós-guerra."

    Então a Angela Merckel fazia parte da FEMEN da Alemanha Oriental, certo?

Marcelo O da Silva em 05/08/2013 - 17h39 comentou:

Pessoas diferentes perguntam o que acho (me interessa o tema: por uma intuição de que o muro viria abaixo rápido, larguei faculdade de jornalismo e lugar numa redação pra ver ao vivo a coisa ruir, casei com uma berlinense, passei diversos invernos e não passo dois anos sem visitar a Chopelândia).
A primeira coisa é dizer que sim, não é apenas uma sacada bene trovata. Mas olho: acadêmico ou não, todo mundo quer ver sua tese bombando. Tanto mais num tema chamativo.

A segunda coisa então é saber o quanto essa “verdade” que a tese tenta vender se verificava na prática. Acho que ela tenta dourar com teorizações que “agreguem valor”, como se diz no economês, uma motivação determinante bem mais prosaica (pobreza material) e um segundo grande fator herdado de hiperestruturas culturais bem anteriores às sacadinhas sociológicas tipo Comunas Fodem Mais.

Motivação Número 1: O que as pessoas faziam pra passar o tempo nos tempos da vovó? De dia não sei, mas noite fodiam.

A vida na Alemanha Oriental era materialmente uns 20 anos defasada em relação à Ocidental – e já na largada da divisão do país.

(Digressão curtíssima: Os americanos perceberam que se não tirassem os ocidentais da miséria pós-guerra esses se tornariam rapidamente comunas também. Então, dê-lhe empréstimos e facilidades pra reconstrução, via Plano Marshall. Que fizeram os soviéticos com os chopelanders orientais? Cobraram indenizações de guerra já na manhã seguinte à capitulação, freando a reconstrução do país e alongando o período de privações-desenvolvimento. Burrice típica do Stálin, que só sabia fazer guerra, e não negócios, ciência, desenvolvimento ou qualquer outra coisa pacífica.)

Havia menos brinquedos, menos objetos pra cultuar ou cultivar, menos coisas pra ler, menos informação, menos tudo pra consumir. Tudo isso induz mais comunicação entre as pessoas, mais relacionamento e mais solidariedade entre vizinhos, amigos e parentes. Era necessidade material: se tu não emprestavas tua calculadora (raríssimos engenheiros tinham) pro vizinho, ele não te emprestava o estéreo (outra raridade) dele pra tua festinha. Networking e simpatia são tudo em meio à privação. Antissociabilidade e autossuficiência (razões comuns nas críticas clichês sobre a ‘frieza’ dos afluentes chopelanders) aumentava em muito o fardo existencial. Famílias e amigos se ajudavam quando alguém ia casar ou comemorar aniversário redondo – e nem era questão de dinheiro, mas de achar onde teria espumante, vodca, peru, chocolate, discos dessa ou daquela banda, guardanapo, o que fosse.

Comunicação cedo ou tarde resulta em fornicação. Claro que isso também resulta em diálogo na hora da brochada ou de não se ter orgasmo, conforme ressalta a pesquisa.

O segundo fator é geocultural, o que rende mais uma última digressãozinha.

Muita gente perde de vista nessas horas que a Alemanha é rachada no meio pelo chamado Equador da Salsicha Branca, que corta um ethos protestante de outro católico na altura de Frankfurt. Acima dele, mais racionalidade, mas cosmopolitismo e também mais sobriedade (parentesco e férias entre escandinavos e congêneres), abaixo dele, tudo aquilo que conhecemos bem no mundo mediterrânico, com suas intuitividades, paróquias e sentimentalismos (férias na Itália, carnaval e salsicha doce). A Alemanha Oriental ficava quase totalmente alinhada à parte de cima – e era regida desde lá (Berlim Oriental) com um centralismo que o outro lado (uma federação de estados , Bundesrepublik), não sofreu.

Qual comportamento sexual se relacionaria mais com o protestantismo deles: a conhecida e invejada liberalidade sueca ou o moralismo italiano? Pois é. Não devia haver surpresa. Some-se a isso, claro, um estado socialista, ou vá lá, comuna, que trombeteava ser laico e tornava mais fácil a educação sexual. Sem padrecos pra encher o saco. O resto da argumentação deve ter sim seu valor, mas se não é nessa a área que você ganhe o seu pão, dá pra dizer que ela cheira um pouco a papinho de consultor pra valorizar o próprio trabalho.

A parte dos campos e praias de nudismo é a mais fraquinha de todas. Existia e existe em todos lugares da Chopelândia décadas antes das duas guerras.

Abraço

Responder

    S_Xenon em 18/09/2013 - 04h06 comentou:

    O que me deixa mais espantado é que ninguém respondeu ou argumentou a favor ou contra vc… Parece que vc é a única pessoa que realmente teriam argumentos baseado na pratica (casar com alguém da Alemanha pré-unificação)
    Tem uma briguinha comuna-reaça, e vc passa incólume… pq?

    Ligia em 30/03/2014 - 00h50 comentou:

    perfeito Marcelo! texto tem a ver com um comentário q fiz acima. Pra entender sexo e nudismo na alemanha, é preciso realmente vivenciar. Até algumas pessoas abaixo do "Wurstäquator" são mais liberadas que os brasileiros…

    Em tempo ( ainda sobre vivências) trepada boa é o "best kept secret" dos homens da capital do capitalismo… claro estou falando de democratas, não republicanos, né?

Marcio Cursino em 05/08/2013 - 17h40 comentou:

Fazer um documentário sobre sexo de comunistas usando imagem do cinema capitalista chega a ser RIDICULO…
AHAHAHAHAHAHAHA

Responder

    Dandi em 06/08/2013 - 13h00 comentou:

    Cinema capitalista? Desde quando? Existe arte, cinema, livros, revistas, resumindo, cultura em ambos os lados.

    Se é assim, joga teu smartphone, computador, televisão e todos esses bens "capitalistas" fora, meu amigo, pois todos precisam de satélites para operarem e o primeiro satélite foi soviético.
    Capitalistas propagando tecnologia usando o satélite socialista chega a ser RIDICULO. HAHAHAHAHAHA

    Williams em 10/08/2013 - 12h38 comentou:

    Satélite socialista? Tás falando sério? Será que algum smartphone, computador ou GPS que nós compramos no Brasil não opera para empresas capitalistas, com seus respectivos satélites arrendados conforme determinação de preços capitalista? Fala sério.

abolicionista em 05/08/2013 - 17h43 comentou:

HAHAHA! Os reaças vão pirar!!

Responder

abolicionista em 05/08/2013 - 17h55 comentou:

Mais interessante do que ressuscitar o debate da guerra fria, é interessante relacionar essa questão da decadência do sexo no capitalismo ao que alguns dos psicanalistas contemporâneos denominam "imperativo do gozo". A partir dos anos 60, o capitalismo descobriu que não era necessário reprimir todos os instintos sexuais de seus cidadãos, que era possível torná-los lucrativos. A publicidade se tornou muito mais apelativa e passou a criar padrões de comportamento e a moldar subjetividades. É claro, o gozo obrigatório não e tão satisfatório quanto o gozo proibido. No gozo obrigatório proposto pelo capitalismo o sujeito conserva suas energias e sua integridade, para poder continuar a gozar mais (goze, mas com segurança, etc); já o gozo proibido é uma entrega muito mais arriscada, na qual o sujeito é despossuído, perde sua integridade. Talvez a melhor coisa a fazer em relação ao sexo seja resistir à tentação de esclarecê-lo, de torná-lo limpo e saudável, de espiritualizá-lo.

Responder

    Sonayra em 24/12/2013 - 01h14 comentou:

    A gente é um estudo.. Gente historia é otima… falar do passado é bom.. não é uma venda dos herois, perdedores.. é dialetica.. historia.. sociologia… entender o processo historico de mudanças nas discussões de generos

Bacellar em 05/08/2013 - 21h03 comentou:

Sim. Sem dúvida, muito melhor.

Responder

Eduardo em 06/08/2013 - 00h33 comentou:

tão bom que acabou né? Esquerdinha esquerdinha, cai na real.

Responder

Luiz Moraes em 06/08/2013 - 02h26 comentou:

[_______ N Ã O _______]

Responder

Joana em 06/08/2013 - 13h42 comentou:

Os pesquisadores CONTARAM quantos orgasmos as mulheres da Alemanha ocidental e da oriental tiveram durante esse tempo? Isso é ridículo, parte do pressuposto errôneo de que relações sexuais advindas de casamentos não podem ser tão prazerosas quanto relações sexuais advindas do "amor livre". A considerar a quantidade de mulheres que vivem na base do prozac hoje em dia depois de passar 15 anos transando com quem queriam e depois dos 30 não conseguir encontrar um marido, vcs estão errados. No mínimo, isso é non sequitur.
Além do mais, se isso for verdade na Alemanha, não prova de maneira alguma que mulheres comunistas transam melhor.

Por fim, talvez os soviéticos tenham dado uma boa lição às alemãs quando invadiram o país em 1945 e estupraram praticamente todas elas, incluindo crianças, algumas por horas seguidas, mostrando o grande respeito que os comunistas têm pela sexualidade alheia.

Responder

    Marcelo Paz em 06/08/2013 - 19h23 comentou:

    Excelente ponto levantado Joana… provavelmente os soldados soviéticos transavam melhor também!

    Adriana em 06/08/2013 - 21h02 comentou:

    Vc está incorrendo no mesmo erro que aponta no texto:
    "A considerar a quantidade de mulheres que vivem na base do prozac hoje em dia depois de passar 15 anos transando com quem queriam e depois dos 30 não conseguir encontrar um marido, vcs estão errados."
    Vc por acaso fez uma pesquisa estatística com amostragem significativa com mulheres com mais de 30 anos para saber quantoas tomam Prozac?

    E francamente, uma mulher justificando estupro como "boa lição", pelamordedeus, hein?

    Bruno em 07/08/2013 - 16h50 comentou:

    Adriana
    O excesso de maconha tá prejudicando seu cérebro, pq ali é descaradamente uma ironia.

    Marcelo em 27/06/2014 - 18h59 comentou:

    Adriana, não acho que foi isso que ela quis dizer. Ela não quis dizer que fosse algo merecido, mas que o que eles fizeram mostrou que não são boas pessoas.

    Julia em 08/08/2013 - 02h21 comentou:

    Acho que as que estão tomando prozac são as casadas, viu..

    Carol em 21/09/2013 - 06h33 comentou:

    vc deve ser uma casadinha mal comida, e burra tambem,
    Isso ai de estupros com certeza vc viu em algum documentario americano.
    O nojo.
    vc tem talento pra escrever baboseiras.

    Matheus Cajaíba em 12/11/2013 - 03h31 comentou:

    "Isso ai de estupros com certeza vc viu em algum documentário americano."
    Sim, os soviéticos foram uns anjinhos, é tudo mentira dos americanos feios, capitalistas horríveis.

    Marcelo em 27/06/2014 - 19h00 comentou:

    Não preciso estar lá para saber que ela têm razão. Em guerras sempre há estupros. Mas não são só os comunistas, o que não os justifica, é claro, de maneira alguma.

    Marcela em 23/12/2013 - 19h40 comentou:

    Ainda fico em choque quando vejo mulheres colocando estupro como merecimento, em absolutamente qualquer circunstância, e ainda pior, colocando casamento como o objetivo principal e única forma de satisfação na vida feminina. Uma pena tanto atraso.

    João em 30/12/2013 - 11h55 comentou:

    E do lado capitalista, não houve estupros? Francamente…

    Marcelo em 27/06/2014 - 19h01 comentou:

    Isso não justifica o lado comunista. O que ela está dizendo é que não podem ser pessoas boas. Você está fazendo um "tu quoque", mas isso não muda nada.

Marx engodo em 06/08/2013 - 15h02 comentou:

Essa esquerda é maluca! Todos os atores e atrizes pornos são comunistas, todos, por isso que fazem filmes e os comercializam, uns chegam até a abrir franquias próprias, lógico, pra ganharem mais grana, e mais e mais até esfolar, hehe…Só rindo. Lembro quando o Francis, aquele, o Paulo, quando fazia "BUUUUUU" não sobrava um comunista pra contar história, agora é com o Olavo de Carvalho (apesar de falar muita, muita merda), é só o cara abrir a boca q o povo canhoto vaza, o Sr. Bruno Altman q o diga, olha lá no opera mundi a surra q o coitado tomou, não quero dizer aqui q a esquerda é melhor, ou a direita é fantástica, até porque, isso simplesmente não existe no BRAZIL conlônia, a esquerda é esmagadora maioria, mas faltam-lhes argumentos. Boa tarde, esquerdopatas!!

Responder

    abolicionista em 06/08/2013 - 17h34 comentou:

    Se você acha que o sexo ideal é aquele praticado em filmes pornôs, sugiro procurar se informar melhor. O mercado pornográfico é parte do problema causado pelo modo como o qual as sociedades de massa tratam o fenômeno sexual: ou seja, como mercadoria. O sexo mercantilizado é esse simulacro vazio que você vê nos filmes pornográficos. Quanto às personagens citadas, cada um tem o direito de cultivar seus ídolos, apenas não acho inteligente personalizar posições políticas.

    Marx engodo em 06/08/2013 - 18h42 comentou:

    Grande filósofo, o mérito da questão, lembra? Gostar, se satisfazer, aproveitar o sexo, muitas das pessoas da industria pornográfica estão lá pq gostam, além de ganhar uma grana. Esta matéria é inócua. Não acha inteligente tomar partido? Diga isso para quem escreve neste veículo. Olha o título, amigo, diz que quem não é esquerda não goza, ou tem menos libido, no mínimo. É de uma pretensão absurda. Com relação ao ídolos, concordo, foi só pra quebrar o gelo. Cada um sabe de sí.

Jean Carvalho em 06/08/2013 - 15h10 comentou:

O prazer carnal é a única coisa que resta em um regime apodrecido, totalmente controlador e totalitarista, como é a praxe dos regimes comunistas/socialistas.

Se isso fosse suficiente, os alemães orientais não teriam quebrado o Muro de Berlim com anto vigor. Definitivamente, liberdade, direitos individuais, melhores condições de vida e menor repressão estatal e a chance de mudar sua realidade e fazer projeções sejam mais importantes do que orgasmo.

Responder

    abolicionista em 06/08/2013 - 17h38 comentou:

    Tem razão quanto ao fato e que o regime soviético esmagava os indivíduos, contudo, o capitalismo tampouco oferece hoje, para a maioria de seus cidadãos, essas oportunidades que você menciona, infelizmente dois terços da população mundial estão sendo jogados na lata do lixo e é quase certo que seremos atingidos, nas próximas décadas, por uma catástrofe ecológica de nível global. Se isso é melhor que o ser humano pode fazer, quero mudar de espécie.

    Marx engodo em 06/08/2013 - 19h07 comentou:

    O capitalismo, no sentido abrangente é uma merda por si só, fadado ao fracasso, mas de toda sorte, dentro da configuração está a liberdade, o indivíduo como senhor de si, advogando em causa própria, e sendo responsabilizado unitariamente, o ser coletivo quando em prol de um bem maior perde a consciência de tal forma, que podemos explicar as maiores das atrocidades cometidas ao longo da história, e sem mais delongas. Apesar de ser jovem, passei alguns anos intoxicado com Marx e Engels, de trás pra frente e de frente pra trás, apesar de muito bonito, vemos nitidamente, que não querem participar como proletário, mas sim como senhores feudais, hj gosto bastante de Slavoj Žižek, mas também faz muito rodeio. Enfim, o comunismo aparece para cuidar da biosfera, dos problemas socias, mas, principalmente, para tomar o poder, poder, poder, poder e alguma grana (e q grana!). Os regimes socialistas falharam, ahhhhh, mas é porque o comunismo nunca foi implantado, é o que dizem! Mas quanta baboseira, o manifesto comunista explica grande parte das atitudes do pt. O bem e o mal não existe, não para nós, somos a medida de tais formalidade. Deixando assim o ideal comunista imaculado, em um pedestal inatingível, mas se assoprar forte, ele cai. Boa tarde!

Fernandohcr em 06/08/2013 - 17h29 comentou:

A Alemanha Oriental Comunista era tão, mas tão, mas tão boa, tonha tanto sexo e suruba lá, que tiveram que construir um muro enorme pra evitar as pessoas do lado "opressor" ocidental a pular lá pra dentro!!

Responder

Luiz Moraes em 06/08/2013 - 20h00 comentou:

Sem ladainha… papo reto:

Uma boa/bom fodedora/o, é igual a saber sambar (mexer) ou jogar futebol bem…

Já se nasce sabendo! Independente do que se faça ou se pense sobre a vida.

Não adianta ver filme pornô nem ter vivido na Alemanha, pois, o mau fodedor… rss até o saco atrapalha!…

Vamos parar de sacanagem… Sexo é sexo, politica é politica…

Com exceção do pessoal de Brasilia que vivem enfiando na gente, é claro…

Responder

Foucher em 06/08/2013 - 20h29 comentou:

Mais de 90% dos que escrevem suas reaçoes são homens, ja dá pra ver que as mulheres brasileiras ainda nao se emanciparam sexualmente do modo de agir do machao brasileiro. Para eles xoxota nao tem ideologia, como eles eles dizem: tudo que cae na rede se come. Voltando com mais seriedade ao estudo, sao os valores judeus-cristaos transmitidos ha milênios que levam a repressao sexual, quanto mais a mulher é livre de preconceitos, quanto mais ela quebra certos tabus, mais ela se libera na cama e fora da cama. O muro foi criado pelas religioes, como no Leste houve a separaçao da religiao com o Estado, as mulheres se sentiram à vontade para pular o muro. So que na Alémanha o muro era outro!

Responder

John em 06/08/2013 - 22h33 comentou:

O mais sensato hoje é meter na esquerda e na direita, porque ficando no meio se tem acesso aos dois lados… 😉

Responder

Luis em 07/08/2013 - 00h02 comentou:

Achei o texto interessante e vou ver o filme. Contudo também fiquei com algumas pulgas atrás da orelha. Uma é o que a Joana escreve no post acima. De fato, como foram feitas estas pesquisas? Outra questão é a relação trabalho – emancipação – liberdade e atividade sexual. Não sei não, mas provavelmente o trabalho diminui a libido e não o contrário. Então, essa é uma associação no mínimo questionável.

Responder

Alexandre em 07/08/2013 - 01h38 comentou:

Ou vai ver que é porque lá não tinha televisão. Abraços.

Responder

El_National em 07/08/2013 - 03h22 comentou:

Então deixa eu ver se entendi: Em um país, onde, não existia liberdade alguma… onde todos eram privados de tudo… onde a repressão reinava ao ponto de pessoas tentarem pular um muro feito para impedir que elas fugissem, fazendo, com que, ficassem aterrorizadas… e então estão me dizendo que tais pessoas transavam melhor com base no que?

Que existia liberdade lá? HAHAHAHAHAHAHAHAHA que elas eram livres? Com tio Stalin e seus gulags?

Responder

Paulo Longo em 07/08/2013 - 11h09 comentou:

Excelente documentário, inclusive me inspirou o fazer um trabalho semelhante defendendo que estar na miséria contribui para a boa prática sexual. Minha teoria está baseada nas estatísticas que demonstram que quanto maior é a pobreza maior é a taxa de natalidade.

Responder

Víctor R em 07/08/2013 - 12h51 comentou:

Resumo da história: Comuna esquerdopata só pensa no passado, só olha para o passado, pois o presente e o futuro não tem espaço para esse peleguismo…

Responder

fgrdjr em 07/08/2013 - 15h50 comentou:

boa polemica, tema picante …

Responder

Mauro em 07/08/2013 - 15h59 comentou:

Deve ser difícil ter um orgasmo dormindo do lado da cortina de ferro.

Responder

tiaporanga em 07/08/2013 - 18h45 comentou:

Cynara, deve ser um pé-no-saco postar algo interessante e ver depois comentários imbecis de gente com problemas de interpretação de texto e leitura. Minha solidariedade.

Responder

    nádia em 07/08/2013 - 23h51 comentou:

    pode crer, to rindo muito com os comentários reaças e machistas… triste vida

Nelson deAzevedoNeto em 07/08/2013 - 20h46 comentou:

Ô^Ô!!!… Resumindo: A causa do "comunismo" pós moderno é implantar uma espécie de SURUBA SOCIAL GLOBALIZADA!!!… E o hino desta Nova (des)Ordem Mundial será um grande sucesso "Vira vira" dos irreverentes e falecidos Mamonas Assassinas:
(Refrão)
Roda-roda vira, solta a roda e vem
Me passaram a mão na bunda e ainda não comi ninguém
Roda-roda vira, solta a roda e vem
Neste raio de suruba, já me passaram a mão na bunda
E ainda não comi ninguém!

Êta Nóis!
😉 🙂

Responder

Carolina em 07/08/2013 - 21h24 comentou:

É incrível o que um Blog faz para obter audiência: Um Nu frontal de Angela Merkel é o que os germânicos chamam de Ultima ratio.

Responder

nicolau em 08/08/2013 - 00h24 comentou:

No comunismo pornografia e pederastas eram mandados na cadeia! O resto é propaganda comunista pra enganar os Babacas Liberastas Degenerados do ocidente! A Rússia e Europa do Leste, são a Tumba do comunismo!

Responder

Cubanita em 08/08/2013 - 01h37 comentou:

Buenos dias, siento no poder expresarme en portugues. Hoy aprendi que sé leerlo. Tambien sé que muchos brasilenos entienden el espanol, gracias por su comprension. Me llamo la atencion este articulo porque he pasado varios meses en Cuba, uno de los ultimo paises comunistas como muchos saben…Cuba es como un libro abierto de economia socialista, apasionante para quien se interesa a la Historia o a la Economia. El tema de la sexualidad nos interesa a todos. Interesante teoria de la sexualidad liberada de las ataduras de la religion, tiene su logica…
Tengo dos ejemplos contrarios sin embargo a esta teoria
Primero Cuba claro donde hombres y mujeres estan muy liberados sexualmente (para bien y para mal) y donde sin embargo el 75% de la poblacion pratica la religion de la santeria (mezcla de religion africana y cristianismo)
Otro ejemplo, Francia, que hizo su liberacion sexual en los anos 60 siendo un pais de tradicion judeo-crisitiana…divorcion pildora, aborto mas tarde.
Creo que cuando no hay libertades individuales, el ser humano quizas use la ultima que le queda, la libertad mas intima, la libertad sexual…
Fantastico blog!

Responder

Roland Scialom em 08/08/2013 - 02h19 comentou:

Além do que é mostrado no documentário, acrescento o seguinte: pessoas que vivem menos estressadas por causa do dia a dia, trepam mais e melhor. Num regime comunista onde as pessoas levavam uma vida mediana, o trabalhador experimentava menos stress por causa da competição por ascensão social e por causa da ameaça de desemprego.

Responder

Guilherme em 08/08/2013 - 15h27 comentou:

Putz se a alemanha oriental era tão boa assim, porque será que 3 milhões fugiram para o lado ocidental quando a URSS tomou conta do país?????

Responder

Lea em 09/08/2013 - 01h20 comentou:

O texto é tendencioso e quer ressaltar o comunismo.
A ideia de que a mulher que trabalha fora tem mais orgasmos é um premissa que soa como verdadeira, mas com grandes probabilidades de ser falsa. A mulher que trabalha fora é mais estressada e a que fica em casa mais relaxada e fantasiosa. Não estou defendendo com isso que as mulheres devem ficar em casa, ok? É só outro ponto de vista sendo levantado, para não ficarmos presos aos velhos clichês.

Responder

collins em 10/08/2013 - 02h20 comentou:

Claro, se o "documentário" falasse o contrario ele seria uma piada … mas como fala do comunismo é serio…
Tem cada uma . O nível de maluquice bipolar é tão grande que daqui a pouco vai ter pesquisa de quem defecava mais e melhor (kkkkk)…. Isso ta virando piada pronta . Queria saber, se uma pesquisa, tão "seria" quanto essa publicasse que o comunista brochava mais que o capitalista , se iriam comentar também com tanto orgulho …

Responder

William em 10/08/2013 - 12h34 comentou:

Se os comunistas transam melhor eu não sei. Mas que matam melhor, exploram melhor e desumanizam melhor do que quaisquer outras pessoas, isso sim.

Aí socialista morena, pode começar sua sessão de censuras, assim como Médici, Geisel e outros ditadores brasileiros entre 1964 e 1988.

Abraços.

Responder

Ranielly em 12/08/2013 - 07h22 comentou:

Sugiro o Filme Freza Y Chocolat ou Morango e Chocolate, filme "cubano" que conta a história de um Homossexual e um Jovem Cristão na Ilha. Muito bom.

Responder

herbo em 12/08/2013 - 19h36 comentou:

Sem dúvida esse foi o pior apelo que eu já vi na minha vida. Tentar convencer pessoas a serem comunistas pois elas transariam "mais e melhor", este último um conceito relativo usado como parâmetro científico pela pseudo-jornalista.

Vemos como o comunismo é bom para a sexualidade em paises como Cuba, onde a prostituição infantil é comum, ou para a rússia onde homossexuais são assassinados sem problemas.

Responder

Fidel em 15/08/2013 - 21h05 comentou:

Ok, galera, sugiram assuntos para a esquerda. Valendo.

Responder

Alex Santa Rosa em 16/08/2013 - 20h05 comentou:

Cara comuna,
Extremamente panfletário e ideologicamente enviesado o documentário… Aliás um excelente produto de propaganda para vender ; …as delícias do comunismo…
A única coisa que eu posso concordar com esse doc. é quanto fato de que uma sociedade sem Deus , teoricamente apenas, tenderia a se libertar das amarras dos controles dos corpos e da sexualidade que tais istituições pressupõem – o que tenho dúvidas é se eles conseguiram efetivamente exterminar essas práticas religiosas dentro da intimidade das famílias e da prática cotidiana, individual, solitária, das pessoas que tendem a sabotar tais mandamentos ditados por uma superestrutura – a burocrática comunista, bem entendido –

Por outro lado não é bem conhecido por todos a máxima de que o proibido, o velado seria mais excitante e gostoso!?
Como já foi dito abaixo porém é de se estranhar que com tanto e tão bom sexo disposição os orientais arriscavam a própria pele para buscar a "repressão sexual do ocidente"; a primazia do sexo então não passa de um delírio freudiano.
Por fim uma reparação: os calorosos beijos dos "camaradas" Leonid Brejnev e Honecker, era muito mais corriqueira entre os soviéticos, particularmente os russos, e tal prática não tem nada a ver com o comunismo… tradição antropológica.

Responder

Mauro em 19/08/2013 - 19h51 comentou:

Ateus transam melhor que crentes… É só isso! Nada a ver essa extrapolação.

Responder

Andrei em 21/08/2013 - 15h46 comentou:

Claro, a Alemanha comunista era bem melhor! hahaha
Que conclusão ridicula a de que "as comunistas transam melhor". Só podia ser coisa de comunista. Falta de intelecto mesmo.
Isso nem cabe discussão, todos sabem, e o tempo provou, qual o sistema funciona melhor.

Responder

Plinio em 21/09/2013 - 12h10 comentou:

Isso prova que a esquerda mente mais…hahahahha

Responder

Niilistat em 23/09/2013 - 04h46 comentou:

Respeito muito a luta das mulheres e gostei do artigo, liberdade sexual e gozo pleno sempre para todos, porém, dizer "Mas não foi, parece, tão grave como o que ocorreu na URSS ou em Cuba. Pelo contrário, houve certa liberdade para os gays nos primeiros anos da Alemanha comunista, que descriminalizou a homossexualidade um ano antes que a Alemanha Ocidental. "
Também é um baboseira, foi grave sim, e os gays são perseguidos até hoje seja por capitalistas e comunistas, colar todos os assuntos assim dessa maneira, não é um maneira certa de analisar as coisas, cada luta, cada corpo, cada maneira de se relacionar tem sua nuances e óbvio que essa tal liberdade no regime comunista, não poupo os gays nem nos primeiros anos, vou acompanhar o blog, mas cada assunto no seu lugar e colocado de maneira franca,ok?

Responder

Ivan, o Terrível em 15/10/2013 - 17h10 comentou:

Esses comunistas século XIX perderam a disputa em TODOS os aspectos contra o liberalismo; liberdade, progresso, índices de qualidade de vida e o kct… agora inventam que se fod** melhor no comunismo: algo totalmente pessoal e impossível de auferir. Ou seja, já que em TODOS os dados objetivos o comunismo se provou um lixo total, apela-se para o intangível. Daqui a pouco vão dizer que em Berlim Oriental se peidava mais cheiroso….. Vão pro inferno cambada de vagabundos!

Responder

Carlos H. Pontes em 12/11/2013 - 06h32 comentou:

Na Alemanha Oriental transava-se no mais absoluto silêncio , pq sempre havia um ou mais punheteiros da STASI ouvindo tudo .

Responder

Filho de Banqueiro em 28/11/2013 - 17h26 comentou:

Comunistas não tomam banho nem lavam a xeroca. Prefiro uma patinha limpinha e cheirosinha, de premência com lingiere da La Perla, obrigado

Responder

    morenasol em 28/11/2013 - 19h54 comentou:

    normalmente eu deleto comentários grotescos como este seu. mas vou deixar este para as pessoas verem qual o nível da reaçada. puá!

Diego - DF em 12/12/2013 - 04h04 comentou:

Minhas preferências esquerdistas e aparência que lembra ao Che me renderam muitas noites de luxúria. Papo delicioso seguido de sexo delicioso seguido de papo delicioso, círculo vicioso e virtuoso! 😀

Responder

Já era em 22/12/2013 - 17h11 comentou:

Paulo, o homem pseudo.

Responder

Nélson Carlin em 24/12/2013 - 02h33 comentou:

Há bem pouco tempo o ex-Presidente Bill Clinton, afirmara: “o Comunismo é ruim mas a gente se acostuma com Ele”. Não tive a curiosidade de saber por que dissera isso ou se foi uma brincadeira Dele, diante das crises por que estavam passando ou se diante dos impasses entre o Partido Republicano e Obama (caso Obamacare). A verdade é que Ele disse. Agora diante da notícia em questão me pergunto: como Ele é meio chegado em sexo não estaria Ele propugnando pela causa comunista por interesse próprio?. De qualquer forma, a notícia em anexo pode ser muito pedagógica ao atenuar a “paura” que os capitalistas têm de comunistas. Ao que parece o diabo não é tão feio como se pinta e possivelmente Clinton já tenha percebido isso, no seu interesse ou talvez, até no interesse de seu próprio País, uma vez que ainda estão em crise com o regime econômico que adotam lá (Economia de Mercado). Como se observa pela leitura do texto de Cynara Menezes, há uma explicação lógica para o fato de os comunistas transarem melhor: não existe lá a preocupação com a situação econômica e com preceitos religiosos e dessa forma se tem mais liberdade para se transar com afins e também sem o complexo de culpa. Acho apenas que demoraram muito para repassar essas notícias para cá, mas antes tarde do que nunca!!!

Responder

Ivan em 24/12/2013 - 14h18 comentou:

O ócio intelectual produz fantasias tais como essa. Pura falta do "O que fazer". Trepar é trepar e ponto. Seja em que ideologia a criatura "sobreviva". A LIBIDO É ALGO INERENTE AO SER ANIMAL. O ato sexual é decorrência natural de uma reação também natural. Pesquisa?…..hahahaha

Responder

Alex em 24/12/2013 - 22h00 comentou:

Realmente quando se trata de Alemanha Ocidental X Oriental, para a combalida Alemanha Oriental "vencer" em algum aspecto o lado capitalista, tem que se apelar para estudo sobre sexo. Vamos ter ideologia, porém como tudo na vida, evitemos os excessos né, kkkkk

Responder

Emma Bovary em 26/12/2013 - 17h07 comentou:

Que texto louco! Nada a ver! Para transar com um comunista você tem que concordar com tudo o que ele ou ela falem.Tudo mesmo! Se você tiver um ponto de vista diferente a respeito de alguma coisa, como a influência de aspectos culturais no motor da história, o eventual parceiro comunista brocha e nunca mais quer ver a sua cara.

Eu queria assinar a carta capital, mas já que vou me deparar com coisas como essa, sobre a sexualidade atrás do muro, eu não vou assinar. Eu não vou fazer assinatura de revista nenhuma

Responder

Eumesmo em 27/12/2013 - 12h16 comentou:

Então lá era comunismo? Posso cobrar isso em futuras postagens que dizerem que lá era uma merda?

Responder

Peter em 27/12/2013 - 22h56 comentou:

No comunismo a mulher continuou sendo objeto. Claro que serão livres, pois machista gosta de ver mulher pelada. Agora a prova irrefutável de que o Comunismo não é nem de longe igualitário, é que não havia nenhuma mulher nos comandos importantes. Vocês citam a Angela?? O cabeça dela pensa como capitalista. Basta ver o que a Alemanha é hoje.

Responder

Peter em 28/12/2013 - 15h18 comentou:

Quanta imbecilidade. Transam melhor sim. Que o digam os guerrilheiros estupradores, pederastas e pedófilos da esquerda (tem um nas linhas do partidão que estava do lado do braço direito do governo recentemente).
Mas o que da pra tirar de bom é q o lado que anexou e prevaleceu na alemanha foi o do bom senso enquanto que a esquerda comunista libertinaria foi se apagando.
Menos uma para vcs. Afinal comunista gosta disso. Tergiversar, dialogar, transar, se drogar e não fazer nada enquanto o Estado o sustenta.

Responder

Vitor em 05/01/2014 - 00h21 comentou:

Título pretencioso, não é porque o cidadão morava na Alemanha Oriental, que ele era comunista, se pudessem fugiam de lá num piscar de olhos.

Responder

Carlos Mogliori em 08/01/2014 - 19h27 comentou:

Há quem defenda que o capitalismo fode mais que o comunismo. Leia a matéria e tire as suas conclusões.

Responder

André Bomfim em 20/01/2014 - 14h56 comentou:

Desculpe minha ignorância, mas isso não seria infantil demais? pq taxar o outro como aquele q não faz sexo? os anos passam e só muda o tipo de insulto. poxa, antes de sermos de direita ou esquerda, religiosos ou ateus, branco ou preto, somos seres humanos, somos brasileiros. taxar o outro como isso ou aquilo só nos separa! somos todos irmãos e irmãs. esse texto vai até contra o sentido de comunista, que ao meu simples entender,seria uma comunidade humana, e não de gente com a mesma opnião. a gente tem que sempre se lembrar que o outro apenas tem uma opnião, modo de pensar, de se comportar diferente do nosso, só isso. Se em algum caso vc achar que ele está errado de alguma forma, fale isso de coração pra ele. converse, argumente, faça ele ouvir o seu lado e mesmo que ele não concorde, respeite-o. não adianta debochar de sua opnião. isso só gera ainda mais rancor e ódio. se vc acha que está certo sobre determiando assunto, vc tem o dever de compreender e ser até certo ponto tolerante com quem ainda não achou a luz. nada de taxá-lo de burro, alienado, que não faz sexo. Isso já aconteceu inumeras vezes em nossa história. Mas antes os insultos eram negro, herege, homossexual, judeu… enfim, tantos. vamos nos unir cada vez mais e não nos desagregarmos!

Responder

Maria Clara em 24/01/2014 - 16h10 comentou:

"Liebte der Osten Anders" é alemão e não inglês. E sexo bom é sexo gostoso, seja de direita, esquerda, centro avante… Aff, onde vamos parar com as pessoas querendo politizar e polemizar tudo, até os instintos mais básicos do ser humano?!

Responder

Alberto em 20/11/2014 - 12h07 comentou:

Estava na net e por acaso encontrei esse texto. É sério, estão discutindo quem trepa melhor baseado na suposta ideologia do indivíduo. Isso que é reduzir o ser humano a um pedaço de carne. Que hospício. Cynara (escreve assim?), você é bem bonita e deve ter boas intenções. O capitalismo ou economia de mercado não é uma ideologia, é o que as pessoas fazem quando o governo não interfere. Ele não é um sistema perfeito pois isso não existe, mas é o menos pior. Socialismo ou comunismo sim é uma ideologia, pois é implantado de cima para baixo à força. Ele significa a fusão do poder político com o poder econômico e a máxima concentração de poder na mão de poucas pessoas, e isso nunca é bom. Lembre-se, a estrada para o inferno está pavimentada de boas intenções. Deus te abençoe.

Responder

Marcelievsky em 05/12/2014 - 14h11 comentou:

Engraçado que se formos analisar o comportamento que a esquerda adota na economia é o justo oposto. Deve ser alguma aversão. Acho que a esquerda deveria "masturbar" mais os conceitos de economia.

Responder

Augusto em 04/02/2015 - 11h08 comentou:

Cheguei à seguinte conclusão: transar com Dilma, Eleanora Menicucci, Erenice Guerra, Maria do Rosário ou Jandira Fehgalli (urghhh) é melhor que transar com qualquer mulher que se diga "de direita" incluindo modelos, jornalistas e atrizes. WOW! kkkkk

Responder

Esquerda loca em 09/02/2015 - 20h08 comentou:

Da serie "Vamos usar a sexualidade da mulher para favorecer nossos governos " .. Voce aí que já esta toda reprimida pelo tanto de regra que te cagaram a pau a vida inteira, agora além de chupar bem um pau, gemer gostoso, não ter celulite, ser dona de si, segura e confiante , lavar louça e cozinhar, temos mais uma! Essa vai solucionar todos os seus problemas! SEJA COMUNISTA!

Responder

Adriano em 08/03/2015 - 22h42 comentou:

Pô, Cynara, essa doeu! Que documentário mais superficial, simplista e tendencioso é esse?? Conheci um alemão oriental que se radicou aqui no RJ depois da queda do muro, leciona alemão e faz traduções, e o bicho tá felicíssimo com as mulheres brasileiras, arruma uma namorada atrás da outra (mas é namorada mesmo, de morar junto e tudo) e, quando perguntado o porque de tanta felicidade e de tanto namoro, responde que é para "tirar o atraso" da infelicidade sexual que era viver na Alemanha Oriental, onde, segundo ele (Andreas é o prenome), as mulheres eram péssimas de cama, fracas, chatas, sem criatividade e, sobretudo, sem carinho (meio secas, sem paixão, sem amor, sem tesão). Isso dito por um alemão oriental que hoje está na faixa dos 45 anos. Abre o olho, morena!

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Íbis, o coronel comunista da PM


O perfil do coronel, que passou à reserva ano passado, traz esperança na área de segurança pública: de esquerda, se define como "comunista herético", também é a favor da descriminalização das drogas

Cultura

Nós achamos a Coreia do Norte bizarra. Mas e a Coreia do Norte, o…


A mídia internacional não para de dar notícias estranhas sobre a Coreia do Norte, um dos países mais fechados do planeta. Uma hora publicam que lá é obrigatório ter o corte de cabelo igual o…