Socialista Morena
Feminismo

Multiplicando Marielle: fundo dará bolsa de 40 mil reais a lideranças femininas negras

Inscrições podem ser feitas até o dia 4 de outubro e o resultado sairá no dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra

Foto: Mário Vasconcellos/CMRJ
Da Agência Brasil
02 de setembro de 2019, 21h03

Um ano e meio após o assassinato da vereadora Marielle Franco, um programa lançado nesta segunda-feira no MAR (Museu de Arte do Rio) pretende multiplicar as mulheres negras em posições de poder e influência. O Fundo para Equidade Racial –Fundo Baobá–, uma organização sem fins lucrativos criada em 2011, abriu as inscrições para o Programa Marielle Franco de Aceleração do Desenvolvimento de Lideranças Femininas Negras, em temas como cultura, educação, negócios, desenvolvimento econômico e olhar feminino.

As inscrições para os dois editais do projeto serão abertas nesta terça-feira, 3 de setembro, no site do fundo. O edital Programa de Aceleração do Desenvolvimento de Lideranças Femininas Negras oferece bolsa de formação técnica e política, no valor de 40 mil reais cada uma delas, a 60 mulheres negras de todo o país, com duração de 18 meses.

Já para o edital Fortalecimento de capacidades de organizações, grupos e coletivos de mulheres negras, serão selecionadas dez instituições que terão aporte financeiro de 170 mil reais cada, durante 18 meses para desenvolver suas capacidades institucionais e melhorar suas habilidades de gestão, finanças, marcas e capacitação.

A ideia, segundo Selma Moreira, diretora executiva do Fundo Baobá, é fazer com que as ideias e ideais das mulheres e instituições negras circulem e tragam novos resultados para o bem público

Em entrevista à Agência Brasil, a diretora executiva do Fundo Baobá, Selma Moreira, disse que as organizações negras historicamente sempre tiveram mais dificuldades de acessar recursos. “Então, para nós, o processo de formação é fundamental para permitir que as organizações estejam mais preparadas para conquistar seus espaços. É disso que se trata.”

Desde sua criação, em 2011, até o final do ano passado, o Baobá apoiou 101 projetos, sempre focados na promoção da equidade racial. Os investimentos somaram quase 6 milhões de reais. “Isso pensando sempre em atuar em editais que sejam primeiro um modelo democrático, para que as organizações tenham condições iguais de concorrer aos recursos”, afirmou a diretora. Os projetos envolveram temas como cultura, educação, negócios, desenvolvimento econômico e olhar feminino.

A ideia, segundo Selma Moreira, é fazer com que as ideias e ideais das mulheres e instituições negras circulem e tragam novos resultados para o bem público. As inscrições podem ser feitas até o dia 4 de outubro e a divulgação dos projetos vencedores ocorrerá no dia 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra, que homenageia Zumbi dos Palmares, último líder do maior dos quilombos nacionais.

O início dos processos de integração e formação está previsto para janeiro de 2020.

Com informações da Agência Brasil


Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

A mais terrível de nossas heranças – Darcy Ribeiro


Este texto é para quem não percebe a importância das cotas, das políticas de ação afirmativa, para reparar uma injustiça histórica. Às vezes penso que muitas pessoas não têm noção do que significa para um…

Cultura

Por que nos EUA não tem batucada?


Por que a música dos negros norte-americanos é tão diferente da música brasileira, de Cuba, do Caribe?