Socialista Morena
Politik

Protestar contra tudo é o mesmo que protestar contra nada

Não há, em minha opinião, nada mais assustador acontecendo hoje no Brasil do que o avanço dos fundamentalistas no Congresso Nacional. Aprovar projetos contra o direito de cidadãos de viverem plenamente sua orientação sexual, de usarem o próprio corpo da maneira que desejarem e de serem felizes ao lado do ser amado é o maior atentado […]

Cynara Menezes
19 de junho de 2013, 19h36

(Yasmin Brunet no protesto: frases de efeito vazias de conteúdo)

Não há, em minha opinião, nada mais assustador acontecendo hoje no Brasil do que o avanço dos fundamentalistas no Congresso Nacional. Aprovar projetos contra o direito de cidadãos de viverem plenamente sua orientação sexual, de usarem o próprio corpo da maneira que desejarem e de serem felizes ao lado do ser amado é o maior atentado à liberdade individual que pode existir. No entanto, na última quarta-feira 18 havia TRÊS manifestantes no plenário da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara protestando contra a aprovação do projeto da “cura gay”. Enquanto isso, do lado de fora, por todo o país, milhares de pessoas protestavam contra… Contra o quê mesmo?

Ao contrário do que alguns pensam, defender os direitos dos homossexuais não é pouca coisa. São brasileiros com direitos e deveres como todos nós. Mas, prestem atenção, não são só os homossexuais que os fundamentalistas ameaçam: no início do mês, a bancada evangélica conseguiu aprovar, na Comissão de Finanças e Tributação, o Estatuto do Nascituro, que prevê o pagamento de um salário mínimo às mulheres que optarem por não abortar em caso de estupro, projeto apelidado pelas feministas de “bolsa-estupro”. Se aprovado no plenário, o estatuto inviabilizaria outra conquista da sociedade brasileira, a pesquisa com as células-tronco embrionárias, liberadas pelo Supremo Tribunal Federal em 2011. Os fundamentalistas se articulam ainda contra as religiões de matriz africana.

Há mais de dez dias, a palavra “liberdade” está sendo usada a toda hora nas manifestações que sacodem o País a pretexto de exigir a diminuição das tarifas de ônibus e outras questões menos claras. Vi incontáveis faixas com “liberdade de expressão” nas passeatas. Mas não vi nenhuma falando em “liberdade de culto”, “estado laico” ou “respeito à diversidade”, que são o mesmo que liberdade, não tem diferença. Acho absolutamente decepcionante que, num momento como este, temas tão urgentes sejam esquecidos ou trocados por “inflação” e “corrupção”, para citar dois exemplos de itens genéricos bradados pelos manifestantes –ou pela mídia que tenta explicar as razões de eles estarem nas ruas.

Eu sinceramente pensei que, com tanta gente mobilizada, as pautas progressistas, tão necessárias e tão ameaçadas, fossem vir à tona: o estado laico, a questão indígena, o meio ambiente, os direitos dos cidadãos LGBTs. Que nada. O que vejo nas ruas é um festival de generalizações. Artistas divulgam nas redes sociais frases de efeito vazias: “Ou o Brasil muda ou o Brasil para”, “Ou para a roubalheira ou paramos o Brasil”. Essas palavras podem soar bonitas, mas não significam nada na prática. São apenas slogans escritos em uma cartolina por pessoas despolitizadas que não parecem genuinamente comprometidas com o País. “O gigante acordou” é trecho de propaganda de uísque. “Vem Para a Rua” é jingle de automóvel. Trechos do hino nacional ou de canções do Legião Urbana são poéticos porém inúteis.

(Isso daqui chega a ser burrice: só se “tira” políticos do Congresso –ou da presidência– pelo voto. Acordem!)

Excluíram as bandeiras dos partidos de esquerda do movimento para que ele fosse “apartidário”. Ok. Mas desde que elas saíram, o volume de pessoas nas ruas aumentou e as manifestações perderam em conteúdo. Vejo gente saltando diante das câmeras de TV que nem no carnaval e assisto a entrevistas onde os participantes não conseguem concatenar meia dúzia de ideias para justificar por que estão ali. Resumem-se a dizer que protestam “contra tudo”. Contra tudo o quê, cara-pálida? É mentira que o Brasil esteja totalmente ruim para que seja preciso protestar contra TUDO. É contra a Copa? Ótimo. Pelo menos é UMA razão. Quem protesta contra tudo, a meu ver, não está protestando contra coisa alguma. Afinal, o protesto é à vera ou é só para postar no Facebook?

Uma manifestação se distingue de uma turba pelas reivindicações e pelas causas que possui. Uma manifestação sem rumo e sem causa pode se transformar facilmente em terreno fértil para aproveitadores e arruaceiros, como vimos diante da prefeitura de São Paulo na terça-feira e, na noite anterior, diante do Palácio dos Bandeirantes. Sim, eles são minoria, mas uma minoria de gente perigosa que agora já parte para saques e destruição do patrimônio público e privado. Sou totalmente contra o uso da violência em manifestações. Numa democracia, é perfeitamente possível protestar sem partir para a ignorância.

Cabe à polícia investigar quem são estas pessoas e puni-las. Aliás, a Polícia Militar brasileira tem sido um caso à parte nos protestos das últimas semanas: como é possível que os policiais sejam capazes de bater em manifestantes inocentes e cruzar os braços diante de vândalos? Será que a PM não sabe decidir quando é ou não necessário intervir duramente? Não conseguem distinguir manifestantes de arruaceiros? Que tipo de treinamento recebem, então? Isso também é feito com dinheiro do contribuinte, sabem?

(Veja no vídeo abaixo os vândalos agindo em Belo Horizonte sem que a PM de Minas Gerais mova um só dedo para impedi-los)

Sou e sempre serei a favor do povo nas ruas, batalhando por seus direitos, protestando e exigindo um futuro melhor. Isso é exercitar a cidadania. Mas eu aprendi que manifestações têm pautas. Qual é exatamente a pauta destes protestos? Se for pela tarifa, o pessoal do Movimento Passe Livre deve se sentar para negociar com o prefeito Fernando Haddad, que, a meu ver, errou em não fazer isto desde a primeira hora. Se for por algo mais além da tarifa, como sentimos, os manifestantes precisam encontrar um caminho, apresentar queixas concretas, reivindicações factíveis. Vivemos em um país democrático, não há governo tirano para derrubar. Se isso que estamos vivendo é uma “primavera”, é primavera do quê?

UPDATE: Os prefeitos das capitais concordaram em reduzir a tarifa. Vitória do Movimento Passe Livre, que conseguiu mobilizar as pessoas em torno de um objetivo. Mas e agora, como ficam os protestos contra “tudo”?


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(254) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Ricard Vidal em 19/06/2013 - 20h08 comentou:

O medo é tirar de cena as bandeiras vermelhas e entrarem as bandeiras azuis do conservadorismo ou a bandeira com o SIGMA de Plínio Salgado

Responder

    Magnus em 20/06/2013 - 11h55 comentou:

    Bandeiras partidárias no Brasil estão sem valor. A crise que vivemos é justamente essa, uma crise partidária, institucional e política. Não é trocar bandeiras, mas mudar o modo como as bandeiras possam mudar os rumos do país.

    Celia Magalhaes em 20/06/2013 - 14h40 comentou:

    Quem NÃO participa dos Movimentos Sociais tá MAIS perdido que os JORNALÕES,REVISTONAS,MIDIA NATIVA etc…

    Louro José em 20/06/2013 - 18h27 comentou:

    Participar de movimentos que nem vão a igreja passear, não incomodará ninguém. Também sou a favor das pautas, e não dessa manifestação laica de facebook, como esse rapaz do vídeo com celular. Grande merda que os intitulados manifestantes estejam sentados pacificamente, enquanto os "arruaceiros" depredam o Itaú. Antes causar danos materiais nessa estrutura, do que postar fotos e discursos vagos em """""meios e redes sociais"""""….

    Lucas Sitta em 20/06/2013 - 17h48 comentou:

    Engraçado. http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-l

    Azevedo fala do medo que tem das bandeiras se tornarem VERMELHAS. O negócio é louco., uheahuea.

    Sergio em 20/06/2013 - 23h46 comentou:

    Nem isso, Ricardo. Quando muito serão manipulados pela nossa direita sem propostas. Mas a Cynara tem razão. O que esperar da geração Facebook. Uma gente que nasceu descolada das relações humanas diretas e vive na fantasia de mostrar o que não é e dizer que faz o que não faz nas redes sociais. Informação? Só a da grande mídia. Ou então dos milhões de boatos que circulam no Face. Gente que só conhece os problemas do país pelos olhos dos outros que os tornam uma manada disforme. Mas, é moda no Face. E o que é moda pega mesmo. A moda agora é brincar de revolucionários. Imitar seus pais nas ações de décadas passadas. Só que aqueles tinham uma realidade concreta de ditadura a combater. Não precisavam de Facebook. Mas, tem algo de positivo: esta geração Face pode, em eventos como estes, ao sairem de frente dos seus laptops e tablets, perceber que existem pessoas de carne e osso e não sómente fantoches.
    Posso estar errado, Ricardo, mas acho as bandeiras da direita fascista não terão resposta às "reinvindicações" da geração Face. Muito menos os oportunistas dos PSóis e PSTus da vida que fazem política com o fígado. Que responder àqueles que ostentam cartazes como "eu quero ser feliz!", "Liberdade para Todos". Cynara tem razão. Os verdadeiros problemas do país passam ao largo das palavras de ordem da geração Face. Para parecer consequentes falam em "corrupção", repetindo as mesmas palavras de ordem da imprensa conservadora que quer ver longe um Governo que centra seus esforços na diminuição das desigualdades. Posicionam-se contra a classe política, políticos e partidos, como se tivessem alternativas de representação da Sociedade, repetindo palavras de ordem da elite conservadora que tem saudades de 1964. É uma pena. A continuar a radicalização, temo que seus únicos companheiros e aliados possam vir dos quadros do PCC e Comando Vermelho.

    vai em 21/06/2013 - 01h40 comentou:

    azul não quer dizer conservadorismo, otário.

    Força Militar em 05/05/2018 - 10h19 comentou:

    Cinara, não tem milagre, brasileiro não vai se tornar bixo objetivo de uma hora para a outra. Talvez seja até muita exigência sua que isso aconteça em intervalo tão curto de tempo. A cereja do bolo é que esse movimento saiu do controle das mãos ideológicas da esquerda extremista e engrossou com a publicidade da própria população, desta vez sem rede de televisão pra fomentar a situação. Se trata, então, de um sentimento genuíno de descontentamento e indignação. Agora é esperar pra ver se essa insurreição gerará o começo de um lento processo de aquisição de consciência política da população, ou se ela se renderá à costumeira amnésia, tornando todo esse barulho uma explosão temperamental de um gigante que voltará pro conforto da casa pra ver a final da Copa do Mundo.

Vinícius em 19/06/2013 - 20h23 comentou:

Cinara, não tem milagre, brasileiro não vai se tornar bixo objetivo de uma hora para a outra. Talvez seja até muita exigência sua que isso aconteça em intervalo tão curto de tempo. A cereja do bolo é que esse movimento saiu do controle das mãos ideológicas da esquerda extremista e engrossou com a publicidade da própria população, desta vez sem rede de televisão pra fomentar a situação. Se trata, então, de um sentimento genuíno de descontentamento e indignação. Agora é esperar pra ver se essa insurreição gerará o começo de um lento processo de aquisição de consciência política da população, ou se ela se renderá à costumeira amnésia, tornando todo esse barulho uma explosão temperamental de um gigante que voltará pro conforto da casa pra ver a final da Copa do Mundo.

Responder

    Alexandre em 20/06/2013 - 02h21 comentou:

    Bravo ²

    Felipe em 20/06/2013 - 02h29 comentou:

    Perfeita colocação, exigir algo bem estruturado agora é a mesma coisa que cobrar uma fala perfeita de um bebê. Outra coisa que me chama atenção ultimamente é que na falta de qualquer causa, levante a bandeira homosexual! Hoje é humano, é culto e lindo lutar pela minoria homosexual. Eu não sou contra, mas nem a favor. Cada um faz o que bem entender da vida, e todos tem de ser tratados igualmente.

    Fábio em 20/06/2013 - 03h29 comentou:

    Vinicius você acha e acredita que aquilo que teve nas ruas é indignação da população? Vi mais uma propaganda de cerveja ou de coca cola do que manifestação do povo. Reivindicar depois de acontecimentos esdrúxulos como a vaia da Dilma feita pela Elite ou pela propaganda politica opositora dos 10% de perca da Dilma nas pesquisas de intenção de voto, não é coisa popular. "As copas" pra mim veio a calhar para a elite (o povo que esta louco para que o brasil volte ao passado escravagista em que a população vinha vivendo), não mais como uma festa brasileira para o mundo e sim como palco de um circo pros interiores do brasil.

    Vinícius em 20/06/2013 - 17h59 comentou:

    Pra início de conversa, Fábio, o protesto não gira em torno da Dilma. Não acredito que a queda em intenções de voto da presidente tenha sido o estopim ou a razão pela qual milhares de pessoas saíram às ruas, afinal é inaceitável pensar que o elemento provocante seja algo tão recente, abstrato e específico. As vaias podem até ter aquecido as circunstâncias, mas os protestos que deram início à situação foram programados antes mesmo do jogo de abertura da Copa das Confederações. Comparativamente, mais tem a ver com a pólvora dessa explosão o Alckmin, o Feliciano e os mensaleiros do que a nossa governante.
    O fato de que um dos "gritos de guerra" é proveniente de uma propaganda mostra que o movimento é desconcentrado, mas não vejo sentido nenhum em pensar que a publicidade da Fiat instigou qualquer pessoa em sã consciência a ir pra rua manifestar.
    Respondendo à pergunta, acredito sim que a indignação e insatisfação que vêm se acumulando há anos tenha transbordado na imagem das ruas lotadas de brasileiros. Movimento estudantil ou PSTU nenhum consegue dar a partida no motor de um acontecimento como esse sem que ele já estivesse aquecido.

    Iris em 20/06/2013 - 12h24 comentou:

    Gostaria de acreditar que isso possa realmente ocorrer, mas não é o que parece.

    marlene saliba em 20/06/2013 - 12h47 comentou:

    Parabéns pela colocação…PERFEITA……….

    Alex Ribeiro em 21/06/2013 - 00h55 comentou:

    Penso dessa mesma maneira cara…

    Marla em 21/06/2013 - 02h23 comentou:

    Salve, pensei q fosse a única q pensasse assim! !Os filiados ou simpatizantes do PT estão é com medo que esse movimento prejudique o poder por eles conquistados!!!

    Fábio em 21/06/2013 - 04h25 comentou:

    queria falar mais alguma coisa interessante nesta conversa. este movimento que esta na cara que não é popular (cadê o povo) e sim político, assemelha a o meu ver com o impeachment do presidente paraguaio fernando lugo. olhe o que eu estou dizendo!
    "engraçado vi tanta gente em facebook que odiava manifestações como a melhoria do piso salarial do professor, o movimento indígena, royaltys do petroleo pra educação e muito mais; pois segundo eles, essas manifestações atrapalhavam o trafico de veículos nas ruas, e hoje são altamente a favor deste movimento. por que esse povo mudou tanto nestes dias atuais?!"
    Acho que é Difícil ser brasileiro.

    Rodolfo em 21/06/2013 - 23h59 comentou:

    A colocação do Vinícius, a qual dei meu bravo lá acima, é muito boa dentro do contexto mais amplo da política brasileira em nossa história republicana e de nosso processo histórico de subdesenvolvimento. A partir do momento em que se apoderam dessa análise e contrabandeiam para o lado dos interesses ideológicos-conservadores (fora dilma, mensalão, não ao aborto etc), começo a perder o tesão por isso tudo. Soma-se a isso a paranóia elocubrada da Marla. Tudo isso reduz o alcance do que iniciou-se pelo MPL (uma surpresa muito boa) e pode descambar para a instrumentalização dos manifestantes. Por isso gostei tanto do comentário do Vinícius e do texto da Cynara. Ambos se completam muito bem no contexto que expus arriba.

    Roberto Rocha em 21/06/2013 - 23h48 comentou:

    É isso aí Vinícius, agora é torcer para que tudo isso não esmoreça, e se transforme em mudanças importantes no Congresso, no Senado e em seguida nos governos estaduais, municipais e federais.
    Muitos estavam acomodados sem animação para começar, mas agora que a partida foi dada, não vamos deixar esmorecer….
    Parabéns a toda essa garotada, esclarecida, articulada que dá muito orgulho de ser brasileito…

Kaleb em 19/06/2013 - 20h31 comentou:

Colocação perfeita! Estou 100% contigo.

Responder

    RENATO LOPES em 21/06/2013 - 20h38 comentou:

    Concordo 100%

Egon em 19/06/2013 - 20h49 comentou:

Concordo.
Aqui na minha cidade (Itajaí-SC), ocorreria uma manifestação na quinta-feira em protesto contra o recente aumento da passagem de ônibus. Pagamos o mesmo preço de São Paulo (R$ 3,20), sendo que a cidade é minúscula (180mil habitantes) e o percurso feito todos os dias pelos usuários, obviamente, é bem menor. Além dos ônibus não serem aquela maravilha.
Mas, hoje, a prefeitura (PP) anunciou a diminuição na tarifa em 20 centavos (e de 15 centavos para quem utiliza o cartão de ônibus), "obrigando" o organizador do protesto (que pregava a ideia de "manter o foco, pois quem protesta por tudo, não protesta por nada") a transformar o evento em uma reles marcha contra a corrupção.
Entendo esta mudança dele, apesar de eu achar que, mesmo com a diminuição, o preço dos ônibus aqui sejam injustos. Porém, eu não vou mais participar.

Responder

    Alexandre em 20/06/2013 - 02h16 comentou:

    Voce é tão despresível quanto todos os políticos brasileiros no poder. Desculpe a sinceridade.

Rodrigo Brasil em 19/06/2013 - 21h25 comentou:

Com relação a seu comentário: (Isso daqui chega a ser burrice: só se “tira” políticos do Congresso –ou da presidência– pelo voto. Acordem!), discordo… embora o voto seja realmente fundamental, o povo nas ruas já derrubou um presidente, quando foi necessário (não é o caso agora).

Responder

    morenasol em 19/06/2013 - 21h48 comentou:

    quem derrubou o collor, para seu conhecimento, foi o congresso, rodrigo

    Alexandre em 20/06/2013 - 02h18 comentou:

    Quem pressionou o congresso, para seu conhecimento, foi o povo morena. Sinceramente, voce tem um discurso partidário completamente desprezível e medíocre. Antes de criticar a atitude do povo em se revoltar, se junte a ele e dê uma direção. Postar textinhos na internet dizendo sobre seu "medo" da revolução não ajuda em nada. Volta para sua casa e vive sua vidinha então, que aí voce não faz diferenca nenhuma.

    Paulinho Oliveira em 10/02/2014 - 22h19 comentou:

    Quem manobrou o povo, para seu conhecimento, foi a Rede Globo e a elite conservadora que já não se via representada pelo Collorido. Na época, fiz parte do "Fora Collor", mas minha motivação era de esquerda. Entretanto, a maior parte dos "caras-pintadas" ia lá por modismo. Exatamente como aconteceu nas manifestações de junho de 2013. Exatamente como deverá acontecer este ano, se manifestações massivas ocorrerem. Ninguém derruba governante sem haver, por trás da manifestação, um dedo forte. O Golpe de 1964 teve o apoio da sociedade civil, após uma campanha promovida pelos órgãos de comunicação capitaneados pela CIA. Eventual golpe de Estado contra a Dilma só ocorrerá se houver manipulação do povo contra o governo democrático brasileiro pelos mesmos mecanismos que movimentaram o "Fora Collor". É preciso conhecer a história e enxergar além do que se vê nas notícias, antes de desqualificar a opinião da morenasol, com a qual concordo plenamente, assim como endosso o texto da Cynara.

    Nain em 20/06/2013 - 02h26 comentou:

    ui… doeu…
    kkkkkkkkkkkk.
    Gente ignorante querendo dar pitaco em assunto sério é fogo… 🙂

    ana em 20/06/2013 - 11h42 comentou:

    Porém se não tivesse ocorrido todo aquele movimento, com certeza ele teria terminado o seu mandato tranquilamente!

    Iris em 20/06/2013 - 12h29 comentou:

    A questão é: será que foi realmente o povo que derrubou o ex-presidente Collor ou o povo foi somente massa de manobra para isso?

    Paulo em 21/06/2013 - 02h26 comentou:

    Massa de manobra da mídia que tirou o apoio ao governo Collor.

    renata em 21/06/2013 - 03h40 comentou:

    Minha gente,não acredito q depois de mais de 20 anos tem neguinho q acredita q foram os caras pintadas q tiraram o Collor?
    Alguem lembra de como O Collor ganhou as eleições? Se esqueceram de como a Globo manipulou o debate contra o Lula,favorecendo discaradamente o Collor?
    A Globo colocou,a Globo derrubou…não desmereçam a força q a imprensa tem sobre a grd massa,alguem aki acredita em resultado de pesquisa?
    Quantas pessoas mudam de opinião só pq a pesquisa aponta o grd favorito numa eleição?
    Desde pequena ouvia meu pai dizer,filha no país temos os 4 poderes,o poder da Marinha,da Aeronáutica,Exército e Rede Globo de Televisão.

    Tiago Cardoso em 21/06/2013 - 15h05 comentou:

    E falar que as eleições no BR são papo pra boi dormir ninguém fala? A única parte da frase que eu concordo é "Acordem!"

    rita em 21/06/2013 - 20h35 comentou:

    Não desconsidero a participação do povo na retirada do presidente Collor, mas acredito que se ele tivesse forte sustentação política, ou seja, apoio de grandes partidos, tudo teria acabado em pizza.

Rodrigo em 19/06/2013 - 21h31 comentou:

Como você fala em democracia sustentando um site que tem "Socialista" no nome?

Responder

    morenasol em 19/06/2013 - 21h48 comentou:

    e o que é que tem a ver uma coisa com a outra? você já leu algo sobre o socialismo?

    Paulo César em 20/06/2013 - 01h31 comentou:

    Bah Rodrigo, te informa melhor.

    Guilherme em 20/06/2013 - 13h29 comentou:

    acorda, socialismo é utopia….quem esta no poder nunca vai ser parelhado com o povo, haja visto o PT que sempre levantou essa bandeira e hj está do jeito que esta, sendo criticado ate mesmo pela autora do Blog

    Mdr em 21/06/2013 - 00h48 comentou:

    Nossa!… Do que vc tá falando?! vai estudar!! Se informe procure saber!! Grande parte das DEMOCRACIAS européias são socialistas em ideologia! Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa!!

    Mirtes em 01/07/2013 - 19h48 comentou:

    É que ainda há gente que confunde socialismo com comunismo, sabe como é, tem gente que só frequentou a escola mas nao aprendeu nada.

Max Frauendorf em 19/06/2013 - 21h52 comentou:

De fato não ter uma pauta definida tende a esvaziar qualquer movimento, mas você se engana se acha que não existe pauta. A pauta é a redução da tarifa tendo sendo a tarifa zero o objetivo final, o que significa no limite rediscutir todas as políticas públicas relacionadas à mobilidade urbana, mas agora sob a ótica da população e não do negócio e os interesses mafiosos das empresas de transporte, que aliás sustentam em grande parte as campanhas dos atuais governantes. E também se engana, se acha que a pauta dos direitos à liberdade sexual não estavam presente nas manifestações. Presenciei cartazes, bandeiras e a presença de vários grupos ligados à questão. Aliás boa parte dos presentes entende que as atuais manifestações são extensões daquelas que pipocaram nos primeiros dias da era (IN)feliciana. Acontece que tendo enfrentado a polícia truculenta o movimento funcionou como uma senha aos que tinham outras demandas não expressas em manifestações de rua, e engrossaram o movimento, provocando esta pauta difusa. O movimento da juventude funcionou como aquilo em que outros tempos, chamava-se de vanguarda. Aquela que quebra o conformismo, enfrenta a polícia "democrática" e demonstra que sim, as coisas podem mudar. É óbvio que não vai brotar magicamente uma organização popular que consiga dar conta de todas as demandas levantadas, até porque durante os governos Lula e Dilma, houve um tremendo retrocesso na autonomia e atuação dos sindicatos e movimentos populares que ou foram cooptados para o governismo oficial, ou vivem ignorados como o MST. Os partidos, ditos de esquerda, e os demais estão sendo repudiados porque não representam mais qualquer possibilidade de ruptura radical com o sistema político brasileiro, arcaico e corrupto.É claro que isto abre espaço para manipulações oportunistas, que devem ser evitadas a todo custo. Por outro lado, ampliar demais a ação de uma minoria, provavelmente infiltrada pela própria direita, é fazer o jogo conservador. São muitas as tarefas para reorganizar o movimento popular autônomo.Cobrar isto de um movimento que se desenvolve em poucas semanas reflete muito mais o medo de que a dita esquerda,atualmente no poder, com a descarada parceria do que existe de mais abjeto na política brasileira, perca o controle de uma população que está começando a perceber que migalhas não bastam.Que não adianta pregar uma renovação na mobilidade urbana e depois de eleito agir como um dócil gatinho na coleira dos empresários de ônibus.

Responder

    Alexandre em 20/06/2013 - 02h19 comentou:

    totalmente apoiado, só não vê quem não quer.

    Diego em 20/06/2013 - 14h53 comentou:

    é isso ai!

    Giorgio em 20/06/2013 - 20h44 comentou:

    Perfeito!!

    bosco em 21/06/2013 - 01h29 comentou:

    Matou a charada….perfeito, Max….então , amigo…esse mesmo povo que grita agora é quem garantiu essas instituições democráticas que nós lutamos para manter…..faço aqui minhas as palavras de Chomsky " O termo democracia pode parecer óbvio para alguns, e aí está a ameaça. Há vários tipos de democracia, várias formas de aplicação deste conceito. O que podemos pensar é: este tipo de democracia onde a esmagadora maioria da população não tem participação alguma é a que queremos?

    Wanir Vasconcelos em 21/06/2013 - 15h29 comentou:

    Max, li o texto da Cynara Menezes e acabo de ler o seu comentário. Ambos nos levam à reflexão. Por detrás da tarifa de transporte coletivo, está uma corrupção sem freios e o pior, institucionalizada. É a mesma que funciona nas licitações de obras públicas, nas questões do meio ambiente e no lixo.

    No transporte coletivo, entendo que a extinção do ISS (imposto municipal) pode por fim a esse enriquecimento ilícito de prefeitos e agentes públicos e também de governadores nas áreas metropolitanas. É o imposto, cuja parte é sonegada, serve para a alimentar o esquema. Parte da sonegação permitida pelo erário público vai para a autoridade pública, que a recebe sob o eufemismo de "caixinha de campanha" e que o PT, na questão do mensalão tentou se defender dizendo que era "caixa-dois".

    Na minha cidade, Divinópolis-MG, onde o prefeito é tucano de pouca plumagem, no PSDB, a tarifa hoje é de R$2,45, sendo quarenta e cinco centavos tirados do trabalhador,/usuário, para alimentar a corrupção. E o parâmetro para esta afirmativa é a tarifa dos ônibus circulares de Belo Horizonte, que têm o mesmo esquema, isto é, está embutido, no seu valor, a taxa da corrupção e tem uma tarifa de R$ 2,00.

    Portanto, a grande vitória do movimento pelo passe livre (MPL) ou tarifa zero, será conseguida, primeiramente, com o fim do ISS, que acaba com a moeda de troca e os contratos com as empresas poderão ser cumpridos, principalmente, nas cláusulas que exigem a qualidade do serviço prestado.

Lula em 19/06/2013 - 22h16 comentou:

Cinara, também concordo que há alguma exigência excessiva sua na definição de pautas mais direcionadas, específicas, claras, organizadas. Afinal, essa é, como você mesmo observou, a cartilha pela qual passamos todos – incluindo ainda a necessidade do líder e da representação. Mas acontece é justamente esse caminho que está em jogo, debate e dúvida.

Por outro lado, também há um vácuo conceitual (e de análise, de temperança, etc) nessas ações coletivas em comparação com as articulações partidárias e sindicais do século passado por muitas razões que precisam ser consideradas: há um alinhamento ideológico (instável, diga-se de passagem) das representações partidárias e sindicais ao poder instituído no Brasil e é claro que essas tradições políticas fazem falta, sobretudo naquilo que elas possuem de mais crítico e libertário; há um anestesiamento político que em grande parte é reflexo do enquadramento das fontes de crítica política, que foram predominantes no século XX: a Política institucional; o Jornalismo comercial e os movimentos sociais – entre eles o mesmo sindicalismo; há um distanciamento do

Esses elementos tendem a gerar um grande não coletivo que de fato pode ser apropriado pelos velhos e novos oportunistas de sempre. Não haver um líder não é necessariamente um problema, é um mérito a ser compreendido pelas novas cartilhas a serem escritas. Os formatos da política representativa vem sendo contestados há muito tempo, assim como muitas experiências de gestão deliberativa de recursos vem sendo realizadas. O que me parece mais interessante para pensarmos de forma conjunta, é saber qual fórmula usar para não jogar o bebê com a água do banho junto fora. Isso quer dizer que a fórmula precisará aproveitar as conquistas que essa forma de fazer polítca trouxe, ao mesmo tempo em que divida o poder concentrado que a gente vê hoje.

É claro que esse debate parece abstrato, generalista, distante, mas ele precisa começar por algum lugar. O terreno é de disputa mesmo, e torçamos para que as forças mais progressistas, que inclusive ajudaram a formar o PT sejam capazes de aproveitar de forma ética esse movimento.

Pra finalizar e não cansar ninguém, queria lembrar que o clima de terror, insegurança e antagonismo em relação ao Estado, assim como a necessidade de mudar e o estado de alerta e de acordado é uma condição que boa parte da 'periferia' e dos movimentos sociais no front vivem cotidianamente.

Responder

Eduardo S. em 19/06/2013 - 22h16 comentou:

Acho que o ponto é que a manifestação cresceu tanto que agora não em que se apoiar claramente. Vi um vídeo do grupo anonymous que explicava as 5 causas do movimento (http://www.youtube.com/watch?v=v5iSn76I2xs) e também vi gente na rua procurando mais coisas. A falta de uma liderança e princípios mais claros que gera esse protesto contra tudo. Acharam certo o povo protestar e decidiram ajudar, mas cada um pegou um ponto e outros pegaram só o que ouviam diariamente: "a roubalheira". Procurando pelo evento "um dia sem rede globo" no fb é fácil de ver essa alienação. Porém, esse movimento também fez muitos procurarem o que estava acontecendo de errado e protestar contra isso. Onde eu moro, por exemplo, é uma cidade pequena de 40 mil habitantes do Paraná, e o protesto motivou as pessoas a apoiarem e também a buscar melhorias pra cidade, assim como em outras cidades pequenas da região.

Responder

malvina cruela em 19/06/2013 - 22h17 comentou:

políticos e jornalistas continuam sem entender nada do que se passa…parece que não vão entende nunca,, admira que junto com os banqueiros sejam os mais odiados pelos manifestantes???

Responder

Teresa em 19/06/2013 - 22h22 comentou:

Acho que protestar contra tudo deve ser consequencia de muito tempo calado, assistindo inerte a absurdos nunca antes imaginados. Se o aumento das tarifas deflagrou toda onda de protesto, ótimo. Era a gota que faltava. Acho válido lutar pelos direitos dos homossexuais, pelo estado laico. Mas, importante, fundamental mesmo é lutar pelo direito a um sistema de saúde decente e uma educação de qualidade. A educação torna possível todas as outras lutas. Não desmereça o atual movimento pois ele pode ser apenas o início de algo muito maior. O tempo dará esta resposta. Sem partidos envolvidos, talvez o resultados nas urnas de 2014 sejam bem diferentes. Talvez haja um número imenso de votos nulos já que, absurdamente, em nossa democracia, o voto é obrigatório.

Responder

    Ferdinand Piques em 21/06/2013 - 01h16 comentou:

    Você disse exatamente o que eu ia dizer,ou melhor: escrever. Essas manifestações são SOCIAIS e não POLÍTICAS, por enquanto, como muitos querem. É um BASTA engasgado na garganta do povo, desde décadas, desde o IMPEACHMENT do Collor, desde quando esses políticos FDP resolveram ROUBAR o POVO, desde quando resolveram não mais CRIAR ESCOLAS, nem HOSPITAIS, desde quando não deram ao POVO transportes decentes nem RECURSOS para progredir,para conseguirem comprar suas CASAS PRÓPRIAS, etc., É por isso e tão somente por isso que as manifestações estão acontecendo. COBRAR desse POVO lindo e JOVEM QUE ESTÁ APRENDENDO a ir nas ruas para PROTESTAR, chega até ser CRIME! Os Partidos e os Pseudo-partidários que levantam bandeiras à décadas o que fizeram? Ficaram às espreitas do MOVIMENTO que CRESCIA devagar, cada dia mais e, hoje com o SUCESSO que o MOVIMENTO teve querem ENSINAR aos que foram às ruas como se fazer um MOVIMENTO. Ah! Dá licença! Volte a autora deste site para os livros daqueles velhos Marxistas que a JUVENTUDE não tem obrigação,pelo menos, por enquanto, enquanto ela estiver nas ruas, não tem a obrigação de saber.

luka em 19/06/2013 - 22h23 comentou:

É, fiquei bem preocupado porque aconteceu um impedimento e desqualificação total aos partidos politicos. Hoje, para aqueles jovens a pior praga é carregar uma bandeira e defender um partido.
Para uma causa de maiorias, vá lá. E as minorias? Como arregimentar uma multidão sem um conjunto de propostas e compromissos só existentes num partido politico. Como ter representantes que os defendam se o partido politico foi desqualificado.
Será que aconteceu um esvaziamento e desqualificação como a acontecida nos sindicatos?

Responder

aline em 19/06/2013 - 22h27 comentou:

Oi, Cynara! A falta de foco também me preocupa, tenho medo de que o movimento adquira um caráter direitista e conservador. Mas li um texto interessante do Marcelo Rubens Paiva, que me fez repensar. Deixo aqui alguns trechos que achei mais significativos:

"Mais do que sair com a conquista de uma pauta precisa, a grande vitória política do movimento é que cada um vai às ruas representar a si mesmo, com diferentes anseios e demandas.
Sem se sentir representado por um outro, como na atual e questionável democracia, o que o movimento está fazendo é o exercício do ideal da democracia deliberativa.
Cada um vai à praça pública colocar as suas demandas pessoais em público. E essa é a beleza do movimento.
É uma onda se formando, um novo formato de se ver/ter consciência como agente politico. Não sabemos ainda aonde isso vai dar, e nem se são possíveis conquistas políticas e sociais verdadeiras sem liderança.
O que não faz com que o movimento seja menos legítimo, ou que tenha seu mérito diminuído."

Responder

Jurair Rosa em 19/06/2013 - 22h28 comentou:

Complemento com o vídeo a seguir o que foi dito pelo Egon e Max, a respeito de não se ter uma pauta definida para o movimento: http://youtu.be/x2b4Dtav2jU.

Responder

Ana Carolina Rajão em 19/06/2013 - 22h37 comentou:

Clap Clap Clap! PERFEITO!

Responder

Bruno em 19/06/2013 - 22h40 comentou:

Interessante observar uma socialista morena afirmando que só se tira alguém do poder pelo voto. Esse pudor não parece estar presente quando se trata do Fora FHC, etc. Os protestos reuniram, de forma difusa, diversos sentimentos de descontentamento. Há um recado nas manifestações: contra a pasmaceira, a falta de transparência na gestão pública, falta de respeito à inteligência alheia com essas mistificações e bobagens ultrapassadas de golpe das elites brancas, mídia golpista, e blábláblá… cara, esses protestos são contra o aumento das tarifas nos transportes públicos, feitos de forma pouco transparente, segundo as conveniências eleitorais de uns e outros; é também contra a impunidade, os gastos da Copa, enquanto se fala na falta de recursos para educação, saúde, segurança pública… é contra os Felicianos, os cínicos como Maluf, José Dirceu… contra a PEC 37… em suma, não é porque os protestos não foram absorvidos pela agenda do PT, que eles não tem relevância ou que significam nada.

Responder

    roberto almeida em 20/06/2013 - 14h54 comentou:

    Engano seu, Bruno. Você apenas repete o que ouve sem o menor senso crítico e desconectado da realidade. O governo do PT instituiu o piso salarial nacional do professor e que hoje está em quase $2.000,00 reais por mês. Aliás, são as elites brancas que você bajula que investem contra os gastos com o ensino público, desqualificando-o como de péssima qualidade, enquanto, por outro lado, enaltece as escolas privadas. Hoje 95% das crianças estão nas escolas, enquanto em passado recente este percentual era ridículo. A questão da segurança pública não diz respeito direto ao governo do PT, mas aos governos estaduais. O PCC é obra do governo do PSDB – da elite branca – e não se assiste item na pauta que trate deste grave problema de ausência ou conivência da administração pública estadual. A impunidade está afeta a esfera do Judiciário, e é um mal que grassa no país desde o seu descobrimento – veja o caso do mensalão tucano que dorme tranquilo nas gavetas do judiciário. Os protestos significam muito – ninguém diz o contrário – mas retirar mais de 40 milhões de brasileiros da miséria também tem muito significado.

    Bruno em 21/06/2013 - 03h02 comentou:

    Caro Roberto, quem bajula as elites brancas não sou eu, mas sim o ex-presidente Lula, que viaja, mundo afora, em consultorias contratadas por empreiteiras, a preço de ouro (troco, na realidade, já que estas empresas – Camargo Correa, Odebrecht, etc – estão, como sempre estiveram, lucrando bilhões com os estádios da Copa das Confederações e da Copa do Mundo – que segundo o ex-presidente seriam custeados pela iniciativa privada). Engrançado se falar do piso nacional dos professores, já que, frequentemente, aqui em SP, eles estão em greve ou reivindicando melhores condições salariais, convocados por sindicatos ligados ao PT. O trabalhor que o senhor aparentemente defende trabalha cinco meses do ano para pagar tributos que não retornam em serviços de qualidade à população. 95% das crianças estão na escola? Para que? Para escreverem aquelas pérolas no ENEM, para entrarem analfabetos e saírem semi-analfabetos? Quem enaltece escolas privadas é, de novo, o PT, que criou um tapa-buraco chamado Prouni, para favocerer faculades privadas, em vez de investir pesado num ensino público de qualidade do fundamental ao superior. E teve dez anos para fazer isso. Não me venha com essa balela de herança maldita, 500 anos, etc. Segurança pública, amigo, é questão federal sim. Lavagem de dinheiro das drogas, tráfico ilícito de entorpecentes e seus enormes lucros são crimes federais, camarada. Coibir o tráfico nas fronteiras é questão federal. Você fala em PCC, mas já comparou os números da segurança pública em SP, em relação ao RJ, ao Nordeste, ao resto do Brasil. Impunidade está afeta à esfera judiciária? E quem passou a demonizar o Judiciário e um homem negro quando PUNIU crimes de corrupção? Acredito que foi seu partido, que desde 2005, mantem em seus quadros e realiza desagravos a José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoíno. Falando em impunidade, ainda, qual o partido que apoia uma PEC oportunista que pretende enfranquecer o MP, que apesar de todos os seus defeitos institucionais e abusos, combateu como ninguém a corrupção nesse país, de Norte a Sul, do PSDB, do DEM ao PT e PCdoB. O mensalão mineiro vai ser julgado, amigo. Um crime não compensa ou justifica outro. E decepciona ainda mais quando um partido, no qual votei em 2003, se revela o oposto do que sempre propos. Concordo contigo em relaçãos aos milhões de brasileiros que saíram da miséria; mas isso, volto a repetir, é mais que obrigação de um governante, não favor que faz, para que ache que deva ser endeusado. Talvez quem esteja a repetir sem o menor senso crítico e desconectado da realidade baboseiras que o PT (com uma mídia comprada – inclusive a tão difamada Globo, pelos petistas) repete em suas caras propagandas, seja você, não eu.

    Thomas em 22/06/2013 - 02h07 comentou:

    Bruno 10 x 0 Roberto Almeida!!!

    Li Santana em 21/06/2013 - 01h22 comentou:

    Bom, pergunta simples: se são contra 'felicianos', como responder a ausência de manifestantes ontem na aprovação da 'cura-gay'? Eram só 3 no auge do Movimento, apenas TRÊS compareceram ao ato de votação. Porque?? Aqui em BH, ontem, auge de protestos, os vereadores aumentaram seus salários em 34 % e ninguém piou… Vale lembrar, que antes da eleição de 2012, eles pediram aumento de 61% e imagens desses vereadores rodaram nas redes sociais; Resultado: a grande maioria foi reeleita e agora ganham, sob as barbas dos manifestantes, 34% de aumento. Tem teoria demais nessa prática, não? Muito cartaz, muita frase de efeito, muito Hino e nada de ação…

Sorriso em 19/06/2013 - 22h41 comentou:

É preciso pauta sim. Mas a pauta estava lá. Você que não viu. Transporte público, gastos desnecessários da Copa, Falta de respeito dos governadores e prefeitos, Saúde, Educação, a manipulação da grande mídia, etc.

AH… Gays não era pauta mesmo. E nem deveria ser. Porque só a grande mídia e um pequeno grupo realmente apoia isso!

Responder

    Gabo em 19/06/2013 - 23h46 comentou:

    Era, sim. Havia muitos gays presentes nas manifestações e vi muitas bandeiras do movimento gay. Você deve desconhecer o caráter de emergência que a discussão acerca dos direitos de uma minoria possui. Deve achar que eles devem viver à margem da sociedade mesmo. Uma pena.

    GbY em 20/06/2013 - 14h04 comentou:

    Veja os vídeos na rede social do verdadeiro movimento que está acontecendo pelo país. Televisão nõa mostra os manifestantes fazendo seus apelos! Televisão mostra os vandalos e um movimento sem causa, o que é mentira. É isso que a mídia quer, textos como o seu!!!!
    antes de escrever essas idiotices veja o verdadeiro moviemento! http://www.youtube.com/watch?v=akq1EFLODa4
    e esse aqui é ótimo pra vc pensar melhor sobre o seu texto! https://www.facebook.com/photo.php?v=536149766449

Rafael em 19/06/2013 - 22h44 comentou:

Cynara te recomendo assistir ao documentário sobre o movimento Anonymous. Chama-se We Are Legion, nele um dos integrantes do movimento compara as ações do Anonymous a um bando de andorinhas. Eles não tem um lider, mas sim vários. Esse lideres propoem diferentes caminhos simultaneamente e a massa decide qual seguir como numa reação em cadeia. A internet e o poder das rede muda tudo. É difícil entender mesmo, mas já existem alguns casos que nos ajudam a visualizar o que está acontecendo por aqui, 18 dias no Egito, Ocuppy Wall Street, entre outros tantos. Estamos acompanhando veículos de mídia tradicionais indo a bancarrota, o frenesi em torno das empresas de tecnologia (startups), projetos independentes se tornando realidade através de plataformas de financiamento coletivo. É uma revolução que está desconstruindo instituições estabelecidas. É muito natural que ecossistema político sofra com esse fenômeno. Não tem como negar que essas pessoas que estão nas ruas não se sentem representadas pelos politicos que estão no poder. Está claro que neste contexto uma pauta linear e pragmática não será aceita.

Responder

    Odemello em 20/06/2013 - 10h56 comentou:

    Protestar é ótimo. Tudo mundo tem algumas dezenas de motivos para protestar. Se há um movimento, um ‘chamamento à luta’ pelas redes sociais, melhor ainda. Modernamente, vamos lá, depois do trabalho, após a escola, antes da happy hour, e deixemos registrado o nosso protesto hoje, que amanhã tem mais, com cobertura televisiva internacional e a simpatia até de artistas (ou pelo menos eles pensam que são, 'artistas') e, vejam só!, de políticos contra os quais muitos estão protestando.

    Protestar é ótimo. Mas não vamos confundir protesto com revolução. Muito menos com mudança cultural, sem que isto seja explicitado e trabalhado a fundo. As mesmas pessoas que estão protestando são ― invariavelmente ― aquelas que jogam lixo nas ruas; furam filas; ‘molham’ a mão do fiscal ou do guarda, sempre que são flagradas em contravenções; votam nos políticos mais engraçados, só para protestar; não dispensam um privilegiozinho; não acompanham o trabalho de seus candidatos eleitos; acham que o ‘mensalão’ aconteceu mesmo; levam o Joaquim Barbosa a sério, etc., etc., etc.

    Protestar é ótimo porque, quem sabe?, um dia os protestadores (para não dizer protestantes) se darão conta de que o que está errado mesmo é o modelo de civilização no qual todos estamos enfiados; o buraco é mais embaixo, como se dizia antigamente. Nesse dia, talvez, as massas possam levar para as ruas, de forma organizada, incisiva, revolucionária, uma única e definitiva pauta: ‘Exigimos uma nova civilização, já. Vamos nos educar de novo!’. E que cada um passe a fazer a sua parte.

    Enquanto isso não acontece, vamos protestar. Vamos curtir a nossa catarse brasileira. Cartarse é ótima. Faz parte do chamado processo histórico (enquanto temos História, é claro!).

    Katia em 20/06/2013 - 19h28 comentou:

    Amei, Odermello. Fui para as ruas há muitos anos com caras pintadas e sentia naquela época um engajamento político que não existe mais. Na verdade, aqui em Ipanema, vejo muitos jovens indo para o protesto como se estivessem indo curtir uma festa, um happy hour. Pode ser que seja assim – uma catarse – mas neste momento muitos outros como eu estão de fora e olhando para tudo isto com estranheza. Toda vez que externo a minha opinião, muitos me atacam tipo é proibido não admirar os protestantes. Parece que sou menos brasileira por ter optado não fazer parte deste movimento.

TalesBrasil em 19/06/2013 - 22h51 comentou:

Lembro que esses jovens não tem legitimidade para representar o povo. Se quiserem contribuir com alguma ação devem participar da política de acordo com os mecanismos democráticos. Usem mais a inteligência para contribuir com a nação em vez de criticar e responsabilizar a classe política. Apenas estão refletindo críticas de jornalistas "especializados" que nunca colocaram alguma coisa em prática. Essa palhaçada de querer pintar a cara , invadir portões , atiçar polícia não leva a lugar nenhum. Procurem ter uma profissão e desempenhá-la com ética para desenvolvimento do país.É hora de mãos na massa e não querer bancar o revolucionador. Ainda mais esses pseudo-brasileiros fora do país.

A exemplo o Partido dos trabalhadores através de um metalúrgico, elaborou seus projetos , ganhou a confiança do povo e assumiu com sucesso mundial as mudanças sociais do Brasil.

Dá pena que muitos desses jovens que protestam são fúteis, preconceituosos e não conhecem o país

Responder

    Gabo em 19/06/2013 - 23h35 comentou:

    Desrespeitoso de sua parte chamar brasileiros aproveitando oportunidades de trabalho e estudo no exterior de pseudos, especialmente porque eles se deram ao trabalho de protestar e evidenciar o quanto se importam com a sua nação, mesmo que a distância. Eu tenho o desejo de estudar em uma universidade na Europa, mas pretendo seguir dando valor a nação materna.

    César Roma em 20/06/2013 - 00h06 comentou:

    Tales o legitimador!

    Daiana em 20/06/2013 - 14h20 comentou:

    Comentários como o seu não merece sequer ser lido.
    Em que mundo você vive? Se informe, se atualize!

    luizbr em 20/06/2013 - 18h40 comentou:

    So nao se fala qto saiu para o pvo esses projetos do pt, ninguem tem confianca no pt so os petistas que tem cabide de emprego garantido os cumpanheiros nosso e dado via BNDES aa rodo para todos inclusive paises onde temos facinoras e ditadores no governo. Alias esses nem precisam devolver nada pq temos tanto dinheiro que podemos deixar dividad e lado , pra que brasileiro paga tanto imposto dinheiro nao faz falta so faz para SAUDE, EDUCACAO, para bolso dos cumpanheirtos tem tudo.

PAULO em 19/06/2013 - 23h21 comentou:

INCLUIR ESSES TEMAS NAS MANIFESTAÇÕES NÃO SERIA "PROTESTAR CONTRA TUDO"?

CONTRADIÇÃO. NÃO ENTENDI NADA.

Responder

    Suzana em 21/06/2013 - 01h02 comentou:

    Perfeito!

Gustavo Radamés em 19/06/2013 - 23h23 comentou:

Parabéns pelo texto Cynara!!
Abraços!!

Responder

Nestor Calazans em 19/06/2013 - 23h27 comentou:

Como já disseram, a pauta existe. Projetos podem ser aprovados, mas podem ser desaprovados depois. E quanto ao dito:"São apenas slogans escritos em uma cartolina por pessoas despolitizadas que não parecem genuinamente comprometidas com o País", é o seu entendimento. Aguardemos, pois, os resultados.

Responder

    kkkkkkkkkk em 16/09/2014 - 12h15 comentou:

    Isto aí!!!!!!kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Podem desclassificar o quanto quiserem os protestos, afinal estava contra o seu governozinho. Foi desarticulado artificialmente e deu um trabalho danado não?
    Agora vocês estão vendo nas pesquisas eleitorais que não era mentira. Que sufoco de novo hein??? Vão perder seus carguinhos??????????????? Tadinhos todos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Gabo em 19/06/2013 - 23h28 comentou:

Concordo quando você diz que a população em geral negligencia a luta a favor dos direitos
civis da comunidade LGBT. Constantemente eu sou obrigado a ler na internet um discursinho fundamentalista
de pudicos, dizendo: "Estamos fartos deste assunto. Jean Wyllys deveria preocupar-se com coisas mais relevantes, como a educação e saúde". O velho ditado já diz "Pimenta nos olhos do outro é refresco". Não há solidariedade coletiva, tampouco compreensão. Eu, por exemplo, não tenho interesse algum em maconha, porém reconheço que seria de benefício imensurável a legalização, que coibiria o tráfico e a violência urbana. Entretanto, me oponho a sua observação de que o Brasil não esteja tão ruim a ponto de haver um protesto generalizado contra tudo. O Brasil está, sim (com o perdão da palavra) uma MERDA. A saúde é precária, a violência é diária, educação com professores despreparados, alguns lecionando para estudantes de ensino médio em escola pública, sem ao menos ser graduado. (Falo por experiência própria). Fui à um hospital psiquiátrico público esta semana, para pegar uma medicação e não havia sequer um psiquiatra lá. Portanto, creio que seja o momento certo para se advogar pautas de necessidade emergencial, porém, como você mesmo endossou no texto, de modo mais específico e enérgico.

Responder

Darwin frick em 19/06/2013 - 23h43 comentou:

Vocês socialistas não entendem que da pra fazer manifestação sem apoio de vocês ou de outro partido. Com o apoio partidário seja qualquer partido sempre caba num acordao. Voce parece que faz uma critica as manifestações do facebook , mas é ele que mostra que a imprensa de vocês e as que seguem a rede globo não mostram fotos denuncias como aquele baderneiro que já foi identificado no facebook.
Você está preocupado com o que aquele maluco e idiota do Feliciano fez, e nós estamos preocupados com a PEC 37 que vai punir os corruptos que por incrível que pareça são da esquerda também . è uma pena ver que o socialismo é uma mentira e Lenin nunca quis a democracia Trotsky já dizia lenin não quer a ditadura do proletariado e sim a ditadura no proletariado.
Há já que voceslutam pela comissão da verdade pergunte a um colunista de vocês que foi um articulador da ditadura militar e foi até ministro.

Responder

    Alexandre em 20/06/2013 - 19h48 comentou:

    Apoiado, sábio comentário. Dá par anotar facilmente cunho político e partidário na autora do Blog. Infelizmente essa mediocridade existe no Brasil, mas ah… democracia né.

Rodolfo em 19/06/2013 - 23h46 comentou:

Bravo.

Responder

    Ricard em 20/06/2013 - 02h37 comentou:

    Excelente comentário. Mas eu trocaria alguma palavras da última frase: "Agora é Lutar pra ver essa insurreição gerar o começo de um lento processo de aquisição de consciência política da população, e não deixar que ela se renda à costumeira amnésia(…)"

    Vinícius em 20/06/2013 - 18h43 comentou:

    Concordo, Ricard. Talvez a irritação ou incompreensão dos já politizados seja a de que isso tudo floresceu de uma simples explosão de insatisfação e não do ativismo inteligente ou do jornalismo político. Não fosse essa indignação mútua, talvez nem mesmo se Julian Assange resolvesse revelar os podres de todos os três poderes do Brasil as pessoas sairiam às ruas com essa intensidade.
    Alguns politizados já agregaram esse "gigante", ou "bebezão", como ferramenta de incentivo a essa tal aquisição de consciência política. Outros, racionalmente, duvidam que isso tudo não passe de uma paixão de verão. Como você bem disse, é preferível reverenciar e promover essa manifestação, por mais vazia em conteúdo que seja, porque o impacto desse patriotismo torto há de ser matéria-prima do progresso. Um progresso tão lento quanto tudo que há no Brasil, mas progresso.

    Janderson em 20/06/2013 - 03h09 comentou:

    Eu concordo com ambos (com o Vinícius e com a Cinara). Não tenho conhecimento político também à ponto de discutir qualquer assunto em pauta. Isso é um erro meu? Com certeza! Porém o povo brasileiro nunca foi educado para ter um interesse sobre a política do seu país. Nossa cultura é um pouco individualista em meu ponto de vista, pois apenas pensamos em nosso profissionalismo, futebol e (os piores) em novela, ou seja, TV. Talvez esse realmente seja um passo para que as pessoas se informem, gerem grupos de discussão, DIVULGUEM DE MANEIRA A EXPLODIR NA INTERNET, como o MPL fez, e tds vão pra rua novamente, e assim vai. Esse é o momento de pessoas que entendem do assunto CAÇAREM gente que estão manifestando pela mesma causa…o mercado tá aquecido nas ruas…é só procurar e chamar pra dentro. Tem que ter estratégia.

    Essa é apenas minha opinião. Do jeito que tá, nada será resolvido, porém para se resolver algo, tem q começar de alguma maneira….e começou. É se organizar e que todos os grupos q se formarem, APOIEM UNS AOS OUTROS, como o MPL fez e nós os apoiamos.

    Vinícius em 20/06/2013 - 17h40 comentou:

    Janderson, você falou exatamente o que eu deixei de falar! Muito chão separa a população ignorante e ausente que temos agora da população ciente e ativa que almejamos daqui 10 ou 20 anos. É de se esperar que esse processo comece lento e prossiga nessa baixa velocidade, visto o nosso atraso e o emaranhado de politicagem extremamente consolidado existente no país. Bom lembrar que o MPL nasceu uns bons anos atrás, e é um sinal extremamente positivo que tenham conseguido dar um passo à frente.
    Porém não é porque a indignação borbulhou ao ponto de virar manifestação que a população, em um piscar de olhos, passou a ter preocupação constante com o que acontece no Congresso. Como você bem disse, é apenas um passo pra que as pessoas comecem a discutir e não o "botão de ligar" de um povo plenamente participativo.

César Roma em 19/06/2013 - 23h46 comentou:

Querida socialista com R invertido, a resposta para sua dúvida não será encontrada em manuais de 200 anos.
Foi ironia ou li um pedido de polícia na rua?

Responder

César Roma em 20/06/2013 - 00h01 comentou:

Querida socialista com R invertido, o PR (com R ocidental) que tanto estrago faz à liberdade individual pertence à base aliada.

Responder

César Roma em 20/06/2013 - 00h05 comentou:

"Uma manifestação se distingue de uma turba pelas reivindicações e pelas causas que possui. Uma manifestação sem rumo e sem causa pode se transformar facilmente em terreno fértil para aproveitadores e arruaceiros, como vimos diante da prefeitura de São Paulo na terça-feira e, na noite anterior, diante do Palácio dos Bandeirantes."
Querida socialista com R invertido, a Veja pode copiar e colar este texto sem sofrer processo por perda e danos morais?

Responder

Liza em 20/06/2013 - 00h07 comentou:

Excelente reflexão, Cynara! Você traduziu, brilhantemente, o que penso, mas não consigo escrever. Foi como se eu tivesse fazendo um desabafo. Abs…

Responder

César Roma em 20/06/2013 - 00h09 comentou:

Querida socialista com R invertido, no post anterior você convocou todos à manifestação. Por que a mudança de hábito?

Responder

Walter em 20/06/2013 - 00h24 comentou:

A cada momento que me deparava com notícias acerca destes protestos, me perguntava, qual exatamente era a pauta, além das tarifas do transporte público. Finalmente, nas cidades onde ocorreram os reajustes, o governo recuou. Entretanto, o vandalismo e alguns protestos continuaram. Porém, faço minhas as suas palavras: "contra o quê mesmo?". Ótimo texto. Parabéns!

Responder

damastor dagobé em 20/06/2013 - 00h26 comentou:

o que mais incomoda a "esquerda" é quando o povo decide lançar fora seu cabresto e parar de seguir sua cartilha pra la de furada…essa gente só concebe a massa como cordeiros prontos a obedecer seus comandos
e fazer o que esses iluminados sabem que é melhor para o povo…o povo mesmo não sabe nada em sua eterna infância, segundo creem…o Ceacescu era um desses..que o inferno lhe seja bem quente.

Responder

Mauricio em 20/06/2013 - 00h55 comentou:

Deixar de ser passivo já é uma grande mudança. Olha a auto confiança dessa geração, eles podem conseguir o que nós mal tentamos e acreditar nisso é um excelente começo !

Responder

Tiburinho em 20/06/2013 - 01h14 comentou:

Belíssimo texto!

Responder

Padre em 20/06/2013 - 01h45 comentou:

A tigrada esquerdista está pulando que nem pipoca pq não entendem que a maioria esmagadora das pessoas, mesmo as mais humildes e beneficiárias de bolsas, simplesmente detestam as idéias da esquerda, apesar de toda a lavagem cerebral que recebem desde a mais tenra infância nas aulas de história e geografia, ministradas pelos intelectuais sistêmicos gramscianos…….o "público" de vcs não é proletariado, mas sim o lumpesinato, ou seja, aqueles para quem a destruição da sociedade judaico cristã seria uma benção, pq a odeiam tb (bandidos, psicopatas, malandros etc.). Stalin, por exemplo, só conseguiu dobrar o campesinato depois de matar de fome quase toda a Ucrânia.

Responder

Carlos Miranda em 20/06/2013 - 01h51 comentou:

Corrupção é um item genérico que não merece ser tratado? Colocação lamentável…

Responder

Ana em 20/06/2013 - 01h53 comentou:

Acredito que exista pauta sim. O movimento iniciou-se pela REDUÇÃO DA TARIFA DE ONIBUS. Agora há inúmeros movimentos sendo organizados via facebook com foco direto: contra a cura gay, contra a pec 33 e 37, etc. Claro que, nessa primeira semana, houve um manifesto generalizado; o que é natural, visto que as pessoas estão vivendo uma experiência nova, de reivindicações, de mobilização. Que seja contra a corrupção e robalheira, já que todos sabemos que o Brasil é campeão. Óbvio que não vai continuar assim, com cartazes desse tipo, generalizando tudo, ate porque já esta sendo discutido as reivindicações, sendo organizados movimentos mais ''focados''. Mas dizer que "São apenas slogans escritos em uma cartolina por pessoas despolitizadas que não parecem genuinamente comprometidas com o País" é um ponto de vista bastante curioso. Não parecem comprometidas com o País? Achava que isso se tornou discurso passado, pois esses movimentos de alguma forma quebraram a inércia de uma geração desacreditada de tudo.

Agora, é demais esperar que tudo corra perfeitamente nos eixos, com focos concretos e projetos cobrados de pessoas que um dia antes estavam mais preocupadas com o próximo episódio da novela das oito. É ingenuidade esperar tanto.

Até mesmo porque está bem claro que não há liderança alguma, não vemos projetos concretos, é apartidário, PORQUE NÃO FOI UM MOVIMENTO PLANEJADO. É novidade, e o povo está criando um senso crítico e político.

E entre sentar e ficar reclamando sobre as péssimas condições politicas e sociais do Brasil e sair as ruas reivindicando algo de fato, acho que a maioria escolheu a segunda opção.

E se está tão desfocado assim, como conseguiram reduzir as tarifas de onibus em tantos locais do país?

Responder

Luciano Baía em 20/06/2013 - 02h09 comentou:

Perfeita a análise!

Responder

Alexandre em 20/06/2013 - 02h25 comentou:

Cynara, não consigo descrever o quão descrente e passiva voçê é com seu texto. Dizer que não existe pauta para a revolução brasileira é o mesmo que dizer que os políticos governam bem, mas tadinhos, eles enfrentam problemas.

Tome cuidado para não se pautar em pensamentos assim quando na verdade VOCE NÂO FOI A RUA, e VOCE NÂO VIU DE PERTO a pauta e a revolução que o povo está gerando. Ver da televisão não conta, sabia ? Ouvir notícias de jornais que estão tendenciosos e manipulam a informação também não conta.

Só uma dica… saia a rua, converse com a revolução, PARTICIPE. Só assim terei respeito em ler novamente seus textos e acreditar em alguma preocupação sua, pois agora, suas palavras são nada mais importantes do que as dos políticos brasileiros.

Responder

Nain em 20/06/2013 - 02h29 comentou:

Achei o texto ótimo, completo! Minha esperança é que o povo amadureça… tem que ter muita dedicação e paciência, para, ainda, talvez, o povo nunca acordar.
A luta política é uma luta inglória, mas necessária!

Responder

Fabio em 20/06/2013 - 03h26 comentou:

Cynara tem como comparar o que foi gasto com a Copa, com o custo de manter outros serviços publicos, pois se fala muito da Copa ,mas ninguem compara valores, parece que fazendo 1 duzia de estadios , vai quebrar a economia do país.
Pelo que eu entendi para manter esta passagem de onibus em 3,00 ate 2016 custaria 8,5bilhões para os cofres da Prefeitura e o custo que estão divulgado com a Copa é de 28 bilhões, se vc dividir este valor pelo Brasil inteiro daria quase 1,2bi para cada Estado, mas quanto custa manter escola, hospital, estrada , iluminação etc.. com certeza este valor é muito maior do que 28 bilhões.

Responder

Felipe Alma. em 20/06/2013 - 03h31 comentou:

E protestar contra nada é o mesmo que se contentar com tudo que não se protesta. Melhor protestar contra tudo. Vai que, no tranco, um rumo é tomado e lideranças são formadas? É melhor tatear do que se acomodar. Tem que parar com essa forçação de barra da extrema esquerda.

Responder

Jose Carlos Castilho em 20/06/2013 - 03h37 comentou:

O tiro saiu pela culatra hem Morena… Longo texto que resume-se a um só fato. A esquerda, incluindo o PT, pensou que ia monopolizar o movimento e sair cagando regra e pregando sua doutrina. O povo não quis saber e começou a atacar foi o governo federal. E agora, pra onde vão correr as bandeiras vermelhas e amarelas?? Pro colo do governo federal, a "nave-mãe" da esquerdalha em geral, ou para o povo, que já rechaçou elas??

Responder

    Fábio em 20/06/2013 - 23h59 comentou:

    não vi o pt manipulando nada. só vi a direita e a mídia.

Henrique em 20/06/2013 - 03h49 comentou:

Faz o seguinte: escreve um cartaz com as causas que tu apoias e vai pra a rua protestar também, em vez de passar a procuração pra quem está insatisfeito com outras causas. Vai lá engrossar o caldo. Cada um está nas ruas pelo que calo que mais lhe dói. Vai querer impor suas insatisfações ao povo e se aproveitar como massa de manobar?

Responder

Frank Rodrigues em 20/06/2013 - 03h50 comentou:

Acho que a Cynara ainda não foi às ruas e está acompanhando os protestos, ou não, apenas pela mídia…
Será mesmo que todo esse povo protestando, em todo o Brasil, é fútil, inválido, burro e que não dá em nada?
E pauta para que, já que são tantas mazelas a desabafar, tirando o grito preso na garganta desde velhos tempos?! O povo não é redação de tv, rádio, jornal ou revista. Não podemos nos pautar nem nos guiar pela FRACA e MEDROSA imprensa, ALIADA a partidos e CONIVENTES com muitos desrespeitos com a população.

Responder

Marc em 20/06/2013 - 04h42 comentou:

Cynara é tão socialista que virou uma completa imbecil. Se esses protestos fossem contra um presidente "de direita", seu texto seria completamente diferente. Bah.

Responder

D.O.P. em 20/06/2013 - 04h52 comentou:

A filhinhazinha da ex-super-modelo na foto me lembra antiga canção de Chico;

Tá na hora de acordar, sinhazinha
Tem muito o que fazer
Tem cabeça pra tratar
Tem que ler caderno B
Hora no hoemopata
Fita no vídeo-clube
Tá na hora de acordar
Tem a vida pra viver
Tem convite pra dançar
Telefone pra você
Namorado pra ligar
Vinho branco pra esquecer

Tá na hora de acordar, sinhazinha
Não chamo uma outra vez
Que tem búzio pra jogar
Tem massagem no chinês
Instituto de ioga
Coleção nas vitrines
Tá na hora de acordar
Tá na idade de querer
Namorado pra casar
Casamento pra sofrer
A cabeça pra dançar
E a vontade de morrer
Disco novo pra rodar
Vinho branco pra esquecer

Responder

Oswaldo em 20/06/2013 - 06h41 comentou:

Não é a rapaziada de Gonzaguinha. É a direita mesmo.

http://blogumlugar.blogspot.com.br/2013/06/nao-e-

Mas parece que falas como a da Marilena Chauí sobre a classe média são consideradas fortes demais pra muita gente atualmente. O fato é que o filho do empresário que detonou as portas da prefeitura já se encontra em liberdade.
A PM paulista disse que não agiu rápido porque atua com muito cuidado, respeita manifestações e não é repressora. Se ninguém viu ironia nisso, talvez tenha sido eu que exagerei no colírio alucinógeno.

Responder

electrobird em 20/06/2013 - 07h07 comentou:

Acho tudo mutio bonito. O povo exercendo seus direitos democráticos de fazer enquete no Facebook perguntando qual o representante eleito democraticamente que eles devem destituir. Que povo burrinho e irgnorante. Sério que estamos nas mãos deles?

Parece ser é uma grande festa com cada um puxando o movimento para a própria sardinha. Lutei pelas diretas, tomei porrada da polícia para trinta anos depois ouvir gente falando que bom mesmo era no tempo da ditadura facista dos militares. E sabemos que o povão não está participando, né? É essa classe média inconformada em dividir as ruas e avenidas com os pobres que agora tem automóveis.

Responder

    Fábio em 21/06/2013 - 00h03 comentou:

    gostei mesmo!!

Douglas Hammed em 20/06/2013 - 07h12 comentou:

Olá,

Na minha humilde e simplória opinião:
Antes de reformas políticas, o brasil necessita de uma reforma cultural da política. A grande massa é antipática ao mais simplório estudo das ciências políticas e sociais, mas agora estão nas ruas. Independente do conteúdo ou independente de ser modismo viral, o simples fato dos jovens brasileiros – e outros – saírem ,em massa, para as ruas, é importantíssimo para uma revolução cultural.

Isto não é ofender quem já vem lutando, de longa data e sem holofotes. É uma alegria, que mesmo os mais oportunistas exponham-se e busquem informar-se sobre esse assunto. Quantos dragões adormecidos podem estar ai, leigos!? Quem se auto-dota politizado tem o dever de ter paciência e oferecer conceitos para que estas pessoas se posicionem melhor.

Não adianta um sábio revolucionista, com todo conhecimento somente em si. A revolução estará somente no imaginário. É na abertura da mente de um bando, que uma verdade é revelada e que os impérios caem.

Responder

electrobird em 20/06/2013 - 07h29 comentou:

Meu problema com esses protestos é que simplesmente não reconheço quem está protestando. São os caras com máscara de V de Vendetta? Ele são o quê? São anarquistas? Libertários anarco-capitalistas? São facistas pedindo a volta do regime militar?

A galera que está pedindo um golpe contra as instituições democráticas, berrando Fora Dilma e clamando pela volta dos militares não faz parte do mesmo movimento? E o que significa dar um fim ao "sistema"? Que sistema é esse? O Capitalismo? A Democracia?

O sistema que tem que ser mudado mesmo é a cultura de Gerson do Brasileiro. O que acontece em Brasília apenas reflete tudo de podre que existe no Brasil e que é perpetuado justamente por essa classe mérdia que governa o país não dos palácios e ministérios, mas das salas de estar dos bairros favorecidos e latifúndios e que parece ser quem está se manifestando contra sei lá o que, mas que suborna, corrompe, pratica nepotismo e rouba o povão desde que o Brasil começou.

Quando sai do Brasil o Presidente era o Itamar Franco e ainda não entendo muito bem esse ódio ao PT que tanto escuto por ai. O que eu noto mesmo é que não nenhum pobre dizendo "Fora Dilma". Só vejo a galerinha da Zona Sul fazendo isso.

O PT é corrupto? Sim, todo mundo diz isso e talvez até seja mesmo verdade. Mas o Brasil é corrupto de cima abaixo e a reforma devia começar em casa. Chamar os miseráveis de parasita por conta da Bolsa Família e aceitar aquele emprego que o papai arrumou com o amigão dele é muito fácil. Dizer que o governo é corrupto enquanto se suborna o PM para não levar uma multa é pior ainda.

Responder

PauloAzevedoM em 20/06/2013 - 09h39 comentou:

A articulista escreve "Vivemos em um país democrático, não há governo tirano para derrubar." e se diz de esquerda? Para afirmar um absurdo desses, só há duas hipóteses: discorda ou ignora a definição de ditadura do capital, desenvolvida ainda em meados do século XIX. Ainda, redige um texto claramente de centro, afinado com o discurso oficial, parecendo olvidar-se da origem, na revolução francesa, dos termos direita, esquerda e centro. Ah, mas em um país em que um partido político com discurso reformista, mas prática de direita, alinhada com os grandes capitalistas, diz-se de esquerda, até articulistas defensores do atual modelo de exploração das massas podem se intitular "de esquerda", não é mesmo?

Responder

Ricardo Gonçalves em 20/06/2013 - 10h14 comentou:

Esta revista chapa branca é recionária ou retardada

Responder

    Ricardo em 20/06/2013 - 10h18 comentou:

    VC quer dizer censura petista

Pedro Muniz em 20/06/2013 - 10h40 comentou:

Seguem as 5 causas dos protestos após a redução das tarifas:

1 – Não à PEC 37, que faria com que o poder de investigação fosse exclusivo da Polícia Federal e Civil, retirando a atribuição do Ministério Público e outros órgãos.

2 – Saída imediata de Renan Calheiros da presidência do Congresso Nacional.

3 – Imediata investigação e punição de irregularidades nas obras da Copa, pela Polícia Federal e Ministério Público Federal.

4 – Criação de lei que torne corrupção no Congresso crime hediondo.

5 – Fim do foro privilegiado, sob a alegação que é um ultraje ao Artigo 5º da nossa Constituição.

Responder

    GGR em 20/06/2013 - 12h30 comentou:

    6 – prisão imediata dos mensaleiros
    7 – reestruturação imediata do ensino básico, médio, etc.
    8 – enxugamento dos cabides de emprego criados nos últimos anos, no setor público, para ajudar a pagar o transporte

Jean Willis em 20/06/2013 - 10h50 comentou:

Postagem extremamente parcial, como se a minoria no país só fosse de gay.

Responder

malvina cruela em 20/06/2013 - 11h00 comentou:

Os Vândalos eram uma tribo germânica oriental, que penetrou no Império Romano durante o século V e criou um estado no norte da África, centralizado na cidade de Cartago. Os vândalos saquearam Roma no ano de 455. Quer dizer que os vândalos são os antigos alemães e escandinavos, a parte do mundo que hoje alcançou o melhor IDH e patamar civilizatório em toda a terra. Então talvez tudo deva começar mesmo com um bom vandalismo.

Responder

Paulo em 20/06/2013 - 11h26 comentou:

É estranho porque o texto dá a impressão de defender a liberdade quando é exatamente o contrário. Primeiramente não sou seguidor de nenhuma religião e acredito que essa cura gay seja completamente inútil, mas programas inúteis do Governo é o que não faltam. Outra, tal programa, caso fosse criado, ficaria a critério do suposto “paciente” em aderir a ele ou não; não seria tratamento compulsório. Desta forma, onde estaria a liberdade de a pessoa procurar ajuda a respeito de sua orientação sexual, quando a maioria dos homossexuais sustente que se fosse por opção não o seriam? Embora saiba a resposta – não é possível mudar a orientação sexual – e embora acredite nela, não são raros os casos em que homens, a principio heterossexuais – quando internados em ambientes exclusivamente masculinos (presídios, escolas militares, colégios de padres…) passaram a aderir a práticas homossexuais. Por que nesse caso é possível mudar a orientação sexual? NÃO ME OPONHO DETERMINADOS DIREITOS DOS HOMOSSEXUAIS EXTENSÍVEIS A QUALQUER PESSOA, como direito ao casamento e adoção, entretanto, ao que parece, há um temor que essa “cura gay” realmente funcione e o movimento LGBT perca adeptos.

Responder

Gabriel Pansani em 20/06/2013 - 11h34 comentou:

http://www.youtube.com/watch?v=IWP7jLK2mmM

Responder

BRgrande em 20/06/2013 - 11h35 comentou:

Desculpe mas não. Não se tira a corrupção com voto. É valido protestar por alguma coisa, mesmo que seja "a coisa." Leia isso e vais entender: http://brasilgrande.wordpress.com/2013/06/19/as-d

Responder

Ricardo em 20/06/2013 - 11h43 comentou:

"Isso daqui chega a ser burrice: só se “tira” políticos do Congresso –ou da presidência– pelo voto. Acordem!"
Collor saiu como mesmo, inteligentona?

Responder

    GGR em 20/06/2013 - 12h32 comentou:

    A pressão popular fez mesmo toda a diferença na época. Esse é um fato : quando a turba se manifesta a politicada treme nas bases rapidinho

Magnus em 20/06/2013 - 11h59 comentou:

As manifestações tem pauta sim, apenas não apareceu ainda. Mas as manifestações reforçam que os partidos foram incompetentes para fazer a reforma política. Agora a inconformação geral é sintoma de uma crise político partidária. A pauta existe, e é uma reforma político partidária, dada uma crise política e de representação que o Brasil enfrenta. Ora, pare com essa ideia de que para fazer passeata precisamos de bandeiras de partidos desacreditados e incompetentes.

Responder

Ricardo Matheus em 20/06/2013 - 12h00 comentou:

Muito bom o texto Cynara! Eu sou politizado e de minoria e desde que começaram as manifestações me senti incomodado com algo que não sabia expressar direito. Participei delas, mas não conseguia entender frases como "O gigante acordou". Por que ele estava dormindo? A população pobre e minorias sempre sofreram com medidas absurdas e com violência policial durante as pequenas manifestações (comparadas a estas) que realizaram. Alguém se lembra de como as pessoas foram tratadas durante aquela péssima empreitada contra a cracolândia? Você conseguiu expressar o que me incomodava. Essa generalização e falta de entendimento sobre como a política funciona só mostram que quem acordou agora vai apertar o snooze button e voltar a dormir. Aplaudo a intenção de participar ativamente da política, mas será igual ao Mensalão. Cobertura 24h, interação, debate e depois… só na Tv Senado.

Responder

Magnus em 20/06/2013 - 12h04 comentou:

O que está acontecendo cara Cinara, é que é apartidário porque partidos como o PT perderam o crédito perante a opinião publica instruída. Aqueles que não acreditavam mais na direita passaram a não acreditar mais na esquerda. Agora o que surgiu nas ruas é um vácuo gerado pela incompetência dos partidos em fazerem reforças estruturais nesse país. Os partidos no Brasil não tem mais legitimidade perante a opinião pública. As passeatas por serem apartidárias reforçam isso, os partidos não são mais legítimos aos olhos de muito. O PT fracassou junto com os outros partidos e é isso que muitos petistas não conseguem enteder. Seu partido fracassou, é um fracasso nacional!

Responder

Fernando Martins em 20/06/2013 - 12h32 comentou:

"…deve se sentar para negociar com o prefeito Fernando Haddad, que, a meu ver, errou em não fazer isto desde a primeira hora."
Cynara, o prefeito, todos os prefeitos eleito (exceto os reeleitos), dialogaram com a sociedade a 7 (sete) meses………. estão na prefeitura a apenas 5 (cinco) meses………… pretender deles a solução de tudo em pouco tempo é pretender a solução de nada. Concordo com vc "Protestar contra tudo é protestar contra nada".
Essa turma quer, como outras turmas, é ganhar no tapetão……….. não é do jeito que eu quero, vou pro supremo, pra rua, etc, etc, etc………. discutir projeto político não, afinal são "manifestações apolíticas". Um dos "líderes" disse que anulou o voto. São "inocentes idiotas politicos" isto sim.

Responder

GGR em 20/06/2013 - 12h39 comentou:

A manifestação tinha sim um projeto claro: redução das passagens. Projeto claro, objetivo, simples…. mas de alto impacto. Os iniciadores do processo não mudaram em um único momento foco e já disseram que vão criar novos focos. Foram se juntando outros projetos e insatisfações difusas, que compraram a causa e aproveitaram para expressar a necessidade imediata de mudanças no governo, país, etc.

Responder

Claudio em 20/06/2013 - 12h41 comentou:

Análise interessante, mas muito oportuna. A chamada então com a Yasmim Brunet nem se fala.

Responder

Jorge em 20/06/2013 - 12h46 comentou:

Quem fez acordo com os pirados fundamentalistas foi o oportunista e incompetente do seu partido, para ter maioria. Segura isso entao…

Responder

Andrea em 20/06/2013 - 12h48 comentou:

Gostaria de saber o que você está fazendo para que mudanças aconteçam no BRASIL, seu estado, seu bairro ou onde quer que seja?

Responder

Ramon. em 20/06/2013 - 13h10 comentou:

Fico imaginando se para que tenha legitimidade qualquer ato político ou social tenha que empunhar a bandeira com as cores do arco-íris.Cheguei até este texto pelo link na Carta Capital. Me decepcionei pois o título chamou atenção, achei que encontraria uma análise de que esta onda de protestos precisa agora direcionar-se, estabelecer pauta e agenda,definir estratégias. Depois vi que a tentativa é de direcionar a "energia" das manifestações para uma causa específica, a bandeira dos direitos dos homossexuais (justos e válidos) e contra aqueles que se posicionam contra (ou os que simplesmente, ignoram). É um movimento orgênico, expontâneo e não se pode negar que o Movimento Passe Livre não tinha outra bandeira a não ser referente ao transporte público e conseguiram o primeiro passo. Os outros foram surgindo por força da "aglutinação",cada um com seu interesse e insatisfação. Na Parada Gay e na agenda dos defensores das minorias existia algo que não fosse interesse específico, como o transporte público ou a saúde, por exemplo? Ou era específico como luta contra o fundamentalismo, direitos civis e pluralidade de orientações (por sinal muito válidas)?

Responder

Fábio de O. Ribeiro em 20/06/2013 - 13h18 comentou:

PRIMEIRA PARTE DO MEU COMENTÁRIO

Hannah Arendt dizia que a Política somente pode existir no espaço criado por consenso entre pessoas e grupos de pessoas diferentes. A grande teórica também ressaltava a fragilidade deste espaço. Quando grupos antagônicos se tornam irreconciliáveis, o espaço da política é destruído e só uma Terra Devastada passa a existir entre exércitos inimigos.

Os conflitos que tem ocorrido nas ruas brasileiras, com evidente risco de destruição do espaço político porque há violência e repulsa por partidos políticos, obriga-nos cuidar de nossa Democracia Representativa e a fazer o que necessário for para evitar o Totalitarismo. Nunca é demais esquecer que o pior Totalitarismo é aquele que parece democrático, que parece ser construído a partir das ruas.
Certa vez um colega meu disse o seguinte num blog onde eu discutia estas questões:

"The Antidote is logic and objectiveness; two things that differentiates humans from the animals."

Ele se refere a lógica e a objetividade como um antídoto para a rejeição da Política ou para a destruição do espaço político.

Concordo inteiramente com sua frase. Mas faço uma pequena objeção.

Para mim o problema é que nós agora não estamos diante de um fenômeno pessoal, mas diante de um problema social, político e cultural. Ontem, por exemplo, um rapaz deliberadamente investiu contra a sede da Prefeitura de São Paulo em fúria destrutiva. Seu comportamento despertou um vivo debate entre os manifestantes no Facebook. Há os que condenam e exigem que ele seja punido, mas para muitos ele é o exemplo a ser seguido. Como uma pessoa pode ver como normal um comportamento socialmente anormal e destrutivo?

Na Alemanha dos anos 1930 milhares, talvez milhões, de bons, piedosos e cristãos aderiram consciente ou inconscientemente ao nazismo. Hannah Arendt estudou o fenômeno e creditou o sucesso do nazismo a "banalidade do mal". Quando o mal se torna banal é impossível fazer qualquer distinção entre bem e mal. O mesmo parece se aplicar ao comportamento deste paulista que depredou a Prefeitura e daqueles que o apóiam e até o consideram um herói.

O heroísmo se distingue da conduta normal por seu caráter benéfico e exemplar. O que aquele rapaz fez foi destruir patrimônio público e isto é crime (não há nada de exemplar em cometer crimes, inclusive porque quando isto ocorre numa manifestação expõe a multidão à sanha repressiva dos policiais).

Não estou falando aqui que estes garotos sejam nazistas (no sentido próprio da palavra). Mas que fenômenos sociais similares podem e devem ser entendidos através de analogias.

Em seu comentário, meu amigo fez ainda um outro comentário digno de nota:

"Eventually, a line of propaganda can become so entrenched that entire nations suffer a collective psychosis."

Psicose coletiva! Esta pode ser a chave para entender o que está ocorrendo neste momento.

Psicose coletiva é, sem dúvida, uma excelente descrição do que ocorreu na Alemanha nazista. Também pode ser uma excelente descrição do que pode estar ocorrendo no Brasil. Após uma grande manifestação, outra maior se seguiu e outra muito maior ainda ocorreu. A violência não é a regra, mas já começa a ser praticada com “estilo” e a ser glorificada no Facebook.

As contradições e atos falhos sempre são muitos, mas não são vistos pela maioria. Exemplo. Várias pessoas no Facebook rejeitam de maneira enfática a partidarização do movimento. Outros, uma minoria, dizem que o movimento é apartidário e não anti-partidário.

Os partidos políticos são entidades legais e legítimas. Portanto, os militantes dos partidos têm sim direito de levar suas bandeiras para as ruas. Negar-lhes o direito de ostentar seus símbolos equivale a suprimir nas ruas um direito garantido a estes cidadãos pela CF/88. Num Estado de Direito nenhum grupo, por mais bem intencionado que seja, tem ou deve ter o direito de transformar as ruas numa espécie de Tribunal de Exceção onde as ações das pessoas são sumariamente julgadas e consideradas corretas ou inadequadas. No limite, tenho visto garotos no Facebook defendendo abertamente o espancamento dos militantes dos partidos. Isto certamente não é coisa de democratas e sim de proto-fascistas.

Responder

    Fábio em 21/06/2013 - 00h06 comentou:

    muito bom!

    GGR em 21/06/2013 - 01h19 comentou:

    analogia muito fraca amigo. Vc compara o Brasil de hoje com o pré-guerra, como se as diferenças sociais, historicas, economicas, institucionais e internacionais fossem irrelvantes.
    Pior é chamar um movimento popular legítimo, com várias mensagens contundetnes contra o governo de mera "psicose coletiva". Aliás cade o seu registro no CFP ou CFM para esse diagnóstico?
    Sobre portar bandeiras…
    Compreendo a sua posição, mas a minha impressão é que chegar com uma bandeira do Corintians numa passeata do Palmeiras é pq quer "causar". Chegar na parada gay com uma bandeira do Feliciano é querer gerar encrenca. Logo, em uma mobilização suprapartidária e ecumenica, em que as pessoas estão frustradíssimas com TODOS os partidos… chegar com bandeira de partido… bom… é pelo menos meio deselegante e fora de contexto no cenário atual.
    Sobre usuários do facebook serem proto-fascistas:
    RARARARARARARARARARA boa essa piada!

Fábio de O. Ribeiro em 20/06/2013 - 13h18 comentou:

SEGUNDA PARTE DO MEU COMENTÁRIO

As multidões são fenômenos sociais antigos e tem sido estudados há um bom tempo. Em PSICOLOGIA DAS MULTIDÕES (Gustave Le Bon, Martins Fontes, 2008) aprendemos que:

"O desaparecimento da personalidade consciente e a orientação dos sentimentos e dos pensamentos em um mesmo sentido, primeiros traços das multidões em via de organização, nem sempre implicam a presença simultânea de vários indivíduos em um único local. Milhares de indivíduos separados podem em um dado momento, sob a influência de certas emoções violentas, um grande acontecimento nacional, por exemplo, adquirir características de uma multidão psicológica. Um caso qualquer que os reúna bastará então para que sua conduta logo se revista da forma específica dos atos das multidões. Em certas horas da história, meia-dúzia de homens podem constituir uma multidão psicológica, ao passo que centenas de indivíduos reunidos acidentalmente podem não constituí-la."

Levando em conta os critérios definidos por Le Bon, devemos concluir que neste exato momento, através do Facebook e apesar de viverem em cidades e Estados diferentes, de terem diversas origens sociais, simpatias políticas, intenções pessoais e situações econômicas, centenas de milhares de brasileiros (talvez até milhões, pois a velocidade de crescimento do movimento na internet e nas ruas nos últimos dias têm sido exponencial) constituíram uma verdadeira Multidão Psicológica Temporária com uma finalidade: modificar o país.

O que os jovens querem mudar? Esta é a verdadeira questão. O movimento iniciou como uma reivindicação específica (redução das passagens), mas nas ruas há aqueles que querem a deposição de Dilma, o impedimento de Alckimin, a ilegalidade dos partidos políticos, a pena de morte, a redução da maioridade penal, o linchamento de Haddad e por aí vai. Loucuras são ditas no Facebook e automaticamente começam a ser discutidas. Nas ruas impera um certo clima de euforia e delírio. Ontem um garoto amigo meu me ligou dizendo “… é a revolução mano, é a revolução”. Não foi a revolução e hoje a realidade recuperou seu curso e ele foi trabalhar na Prefeitura de São Paulo cujo Prefeito ontem ele questionava nas ruas.

A Multidão Psicológica Temporária segue seu curso: atacando as autoridades, depredando patrimônio público, rejeitando partidos políticos, saqueando lojas, fugindo ao controle dos líderes do movimento, queimando equipamentos da imprensa que ali está para reportar e, de certa maneira, ajudar a fazer o movimento ganhar legitimidade e crescer. O céu é o limite, mas o inferno do totalitarismo está ali na esquina.

Afinal, pessoas que atacam a existência de partidos políticos só acreditam numa coisa: que o poder emana de Deus e é conferido a uma casta por ele escolhida, que o poder emana da força bruta e deve ser exercido pelo mais forte e, principalmente, que o poder emana do dinheiro e só pode ser exercido pelos mais ricos. Portanto, num país tão cheio de diferenças como o Brasil, os que neste momento usam o Facebook e as ruas para tentar destruir o sistema representativo ou a própria existência de partidos políticos brasileiros, não querem que o poder seja do povo. Querem é se apropriar do poder para pisotear o povo assim que comandarem soldados.

É evidente que os governos não podem abrir mão do poder/dever de governar. Mas isto não pode ser feito com violação das liberdades civis dos cidadãos (rejeito aqui e de maneira veemente a violência policial criminosa da PM paulista em 13/06/2013). Os governos não podem nem devem tentar silenciar a mídia para evitar a proliferação do movimento. Não podem, todavia, tolerar a violência política nas ruas especialmente quando há risco de ela se tornar a regra em virtude de sua valorização no Facebook.

Não vou discutir aqui a justiça ou não das reivindicações destes movimentos. Isto de certa maneira se tornou irrelevante: como uma psicose coletiva contagiosa eles se espalharam por todas as cidades do Brasil. Nosso trabalho agora é tentar entender o que ocorre e remediar o que pode ser remediado.

A imprensa tem que agir de maneira responsável neste momento. Ontem, porém, vi telejornalistas criticando o governo federal por gastar dinheiro demais em estádios. Curiosamente, os próprios veículos de comunicação em que eles trabalham lucraram, lucram e lucrarão fortunas com os eventos esportivos internacionais realizados nos tais estádios. Usar o clamor das ruas para encurralar um governo legitimamente eleito pelo povo e que não tem qualquer poder de decisão quando a questão é o preço das passagens de ônibus e de trem/metrô não é inadequado, é coisa de canalha não de jornalista.

Há algumas décadas, jornalistas ajudaram a construir uma Ditadura. Depois foram torturados e assassinados por ela. Espero que isto não ocorra novamente.

Responder

    GGR em 20/06/2013 - 21h28 comentou:

    amigo, embora cite o Gustave Le Bon, Martins Fontes, 2008, as teorias do Lebon são de há de mais de 100 anos atrás. Não têm respaldo empírico/científico embora os menos informados gostem de citar suas ideias que ganharam espaço no senso comum. As teorias de Lebon foram colocadas em cheque por, adivinhe quem? Ele memso: Sigmund Freud!

Fábio de O. Ribeiro em 20/06/2013 - 13h19 comentou:

Só mais uma coisa, que acho importante.

Os líderes do MPL estão dizendo na imprensa que não conseguem controlar milhares de pessoas. Fizeram merda e agora tem que ser responsabilizados. Não só isto, tentei combater os fascistas na página do Facebook do MPF e eles me BLOQUEARAM, mas os fascistas estão lá e seguem postando mensagens de ódio em favor da pena de morte, da deposição de Dilma, em favor do golpe de 1964 e por aí vai. Para mim está claro que o MPL escolheu ficar com os fascistas, portanto, doravante estarei contra eles.

Responder

Manoel Bezerra em 20/06/2013 - 13h20 comentou:

Cynara, leio que o MPL irá manter a luta pela Tarifa Zero e ampliará a pauta para Reforma Agrária, Reforma Urbana e contra o latifúndio urbano.

Responder

Patricia Silva em 20/06/2013 - 13h23 comentou:

Os gritos das manifestações não me incomodam, acho que eles são válidos e devem ser feitos, deveriam ter começado até a mais tempo e em outras ocasiões. O que eu estou com medo é do silêncio que há depois dos gritos. É o silêncio que vem depois do grito "Melhor educação", qual modelo educacional é o reivindicado ? Silêncio. Grito fora Dilma!, Qual o o modelo de governo e modelo econômico é solicitado ao Brasil? Silêncio absoluto. Grito " o fim da corrupção!", de quem apenas dos políticos ou da parcela da sociedade que não respeita as leis básica? e não para minha surpresa, novamente SILÊNCIO.

O silêncio me incomoda muito, pois ficamos sem saber se os que estão sendo questionados não entenderam a pergunta, se não querem responder, ou se simplesmente não sabe o que querem.
O que já estou vendo nos discurso dos manifestantes é não temos pauta queremos é se manisfestar a tudo… dane-se pagamos para ver o que vai dar.
Mas tem uma pergunta que não quer calar…. E nos quarteis? Os milicos estão assistindo das janelas ou já estão sentados nos tanques?

Responder

Bruna em 20/06/2013 - 13h25 comentou:

A manifestação começou desorganizada por uma razão diferente da de hoje e tomou uma proporção maior a partir do momento que o povo começou a entender a sua força! Acredito que frases prontas não fazem milagres! O conteúdo hoje da manifestação fará a diferença dos próximos anos da palhaçada da política nacional que todos estamos cansados das revoltantes histórias de corrupção, mas só os manifestantes foram às ruas ao invés de ficarem sentados escrevendo o que pensam ou deixam de achar sobre a manisfestação. Porque você não exerce um papel de orientação e liderança? Não me interessa se a Brunet está ou não está lá o que vale é a força da manifestação e o destino final dessa mobilização.

Responder

Geraldo M.Cestarióli em 20/06/2013 - 13h43 comentou:

Cynara, eu não posso discordar de uma só palavra sua. Desgraçadamente ei vi gado nas ruas, levados sem uma pauta, sem liderança . Uma imensa MASSA humana, cujo poder de mobilização está nas mãos de um tal de FACEBOOK. Depois que a festa acabar, perguntaremos: E agora José, a festa acabou, o povo sumiu e os debates viraram pó. E todos aqueles problemas que nos afligem ´e que voçê o os citou muito bem continuam, pois há no congresso nacional parlamentares retardados que querem nos remeter a um Afeganistão e outros, onde a mulher nada vale. Protestadores, por favor, olhem para os absurdos do congresso nacional, onde está a crucial reforma politica? Olhe para tudo o que acontece no seu municipio debaixo do seu nariz. Voçê acha que a Dilma pode interferir em tudo? Felizmente não, pois se assim fosse seriamos uma ditadura.

Responder

Lucas em 20/06/2013 - 13h58 comentou:

"Sou e sempre serei a favor do povo nas ruas" Cynara minha querida, pelo que vejo VOCÊ não foi pras ruas né?! Você não é "POVO"…Se quer cartazes com dizeres diferentes ESCREVA E VÁ!! Ficar no conforto da sua casa criticando é fácil… Se possui mais instrução que aqueles que estão dando entrevistas… Dê também entrevistas! AJA! Ou então…. faça como todos os brasileiros FOLGADOS que não participam e apenas criticam… Se vai mudar alguma coisa mesmo ou não… ainda eh cedo pra falar… mas a verdade é que alguma coisa está ficando diferente…

Responder

Edy em 20/06/2013 - 14h19 comentou:

Concordo com tudo o que você escreveu

Responder

Adriano em 20/06/2013 - 14h26 comentou:

VC é idiota? inflação” e “corrupção" não são importante. Os governantes que vc defende quebram o brasil, apoiam os corruptos entre outras safadezas e vc vem com lição de como protestar, com lição de se organizar. Acho que vc quer por uma entidade política a frente dos protesto.
Estamos protestando contra tudo sim! Tudo que é um erro em nossa democracia, democracia fadigada de tanta corrupção, de tantos erros que nos tornam pobres em ideias, em previsão do futuro melhor.
Abra os olhos, não aguentamos mais pessoas reacionárias e pelegas como VC.

Responder

    Isis em 20/06/2013 - 23h52 comentou:

    Concordo plenamente com você. Na minha opinião, corrupção é a raiz de todas as mazelas públicas porque pressupõe a sobreposição dos interesses individuais aos da coletividade com danos ao erário público (qualquer que seja o valor), se há desvio de verba significa que na ponta da linha vai faltar dinheiro, é questão matemática. Em relação à inflação, quem era pobre (como eu) na década de 80 sabe o que a inflação fez com nossas vidas (se é que podemos chamar aquilo de vida!), falta de acesso a tudo e expectativa zero! Entendo que as pautas suscitadas pela autora sejam relevantes, mas se comparadas à corrupção e inflação, soam ínfimas!

Eder em 20/06/2013 - 14h30 comentou:

Meu Deus!!! Cala a boca sua trouxa!!! Tantos anos esperando uma manifestação desse porte e agora vc vem com essas ladainhas de organização??? Onde já se viu uma revolta organizada???? Acorda! Tem que gritar mesmo, berrar e quebrar se for preciso!!! Todos os dias se pede paz e atenção e nunca o povo é atendido, tem que ser assim pros ladrões do governo terem um pouco de medo. Integro e torço que este movimento nunca mais adormeça! AMANHÃ VAI SER MAIOR!!!!!

Responder

Alice em 20/06/2013 - 14h53 comentou:

a manifestação só ganhou força porque nossa geração, que foi chamada de preguiçosa, está de SACO CHEIO de fazer "cara de egípcia", os políticos do nosso Brasil acham que podem fazer o que quiserem com o nosso dinheiro, mas agora o grito da indignação e da revolta está falando mais alto. Outrossim, afirmar que os cartazes citados não demonstram algum conteúdo e taxar as pessoas, porque são artistas da globo ou porque são de classe média alta de despolitizadas e sem conteúdo é preconceito. Cada um tem o direito de se manifestar e TODOS estão jogando para fora o que ficou guardado por tantos anos. QUEM SABE FAZ A HORA, NÃO ESPERA ACONTECER!

Responder

Flavio em 20/06/2013 - 15h15 comentou:

Como assim? de que adianta liberdade sexual e religiosa se não há educação, saúde e condições dignas de transporte e moradia? Pelo amor de Deus….todos os cartazes resumem sim o questionamento do brasileiro: corrupção. Esta é responsável por tudo de mazela neste país. Foca no interesse coletivo e primordial e o restante vem como crédito

Responder

malvina cruela em 20/06/2013 - 15h45 comentou:

depois não sabem pq o primeiro a ser escorraçado da manifestação é jornalista..e não somente da Globo..mas todos…advogado e jornalista são as categorias que tiram seu sustento – e não raro fortuna – puramente de dizer mentiras..

Responder

damastor dagobé em 20/06/2013 - 15h46 comentou:

e 'isso" é o que passa por esquerda em nosso país…

Responder

LINCOLN em 20/06/2013 - 15h50 comentou:

Penso que tudo isso é muito novo. Tudo é um experimento. Tudo é válido. Faltava atitude do povo nesse país. Começou por um motivo, sem motivo, não importa. Aos poucos, alguns objetivos são mostrados e organizados. O primeiro foi atingido: redução da tarifa em algumas Cidades. Para mim, o novo perfil de pensamento é muito misterioso. O jeito de se informar profundamente, atualmente, e tornar um pensamento adquirido em produtividade é algo que, para mim, é algo ainda a ser entendido pela sociedade. ACredito que, aos pouCos, surjam objetivos Claros e o que vale nesse momento é mostrar que o povo tem voz por outros meios que não é apenas no voto. Afinal, votar está sendo tão produtivo e signifiCativo Como deveria ser? É fáCil esColher um governante digno?

Responder

Bruno em 20/06/2013 - 15h54 comentou:

O movimento tem por definição o nome MPL ou seja Movimento Passe Livre; acredito que, gramaticalmente (pelo menos) isto signifique tarifa zero. E sim, as motivações são várias, oriundas de toda a insatisfação que o povo tem de governos tanto direitistas, esquerdistas, centristas e o que você preferir. Caso não perceba, ou apenas deixe de prestar atenção é mais que necessário reclamar sim de TUDO e você como uma pessoa inteligente sabe que este TUDO que parece genérico demais, é apenas o final de um Lego, que se formou a partir dos anos de péssimos governos, eleitos democraticamente claro. Sendo assim minha cara, pelo menos aguardo ancioso o que virá na abertura das próximas corridas eleitorais em todo o país; será que isto será pauta? Será, que eles (políticos) pensaram duas vezes em dizer e/ou prometer qualquer coisa? Será que os partidos deixaram de ter como afiliados quem paga mais, ou os cantores que fizeram muito sucesso?

Responder

Guilherme Scalzilli em 20/06/2013 - 16h12 comentou:

Por um triz

Falta uma infelicidade qualquer para que algum desses atos públicos nas capitais se transforme em tragédia. Alguém tropeça, puxando outros consigo, durante uma correria. Um bate-boca leva ao pugilato e a trocas de facadas ou garrafadas. Um bandido infiltrado, civil ou militar, aproveita qualquer tumulto para dar um tiro na direção da turba. Um tijolo despenca do décimo andar de um prédio. Uma bomba explode no lugar errado.

E assim, de repente, surge o primeiro cadáver dos protestos.

O simples fato de tudo estar tão sujeito ao acaso e à boa-vontade das gentes já é sintoma de perigosa fragilidade. Se considerarmos o caos probabilístico gerado por um fenômeno em que dezenas de milhares de pessoas se espremem pelas ruas da metrópole, concluímos que os anjos das passeatas vêm trabalhando como nunca. É quase absurdo que não tenha ocorrido alguma ocorrência fatal, especialmente porque as chances se multiplicam na repetição diária dos atos.

Talvez eu esteja apenas sendo pessimista, mas na base de toda medida preventiva existe uma dose de fatalismo. Depois de acontecer o pior, será inútil discutir se houve uma coincidência idiota ou a ação de malfeitores oportunistas. Não podemos menosprezar a possibilidade de que alguém esteja ansioso para que a violência fuja ao controle da imensa maioria pacifista. É necessário, portanto, que os organizadores dos protestos passem a trabalhar com esse risco de forma responsável.
http://www.guilhermescalzilli.blogspot.com.br/

Responder

sidnei oliveira em 20/06/2013 - 16h32 comentou:

Depois de ver a foto tive que entrar aqui,se o governo não baixar a passagem,a menina ai,não poderá ir desfilar em Miami ou fazer compras em NY..,isso chega a doer o coraçao,ver ela assim tão preocupada .Pq,ela tão atuante politica,não pergunta a sua amiga Veronica Serra dona do MERCADO LIVRE,de onde veio o dinheiro para comprar essa empresa???

Responder

Douglas em 20/06/2013 - 16h54 comentou:

A manifestação do povo (todos pobres e ricos) é por um basta em tudo o que o PT e os de mesma ideologia disseram que ia acabar e simplesmente repetiram. No Brasil a verdadeira revolução vem do povo e não precisamos que nenhum " politizado" venha querer pregar a sua velha filosofia falida e derrotada. É hora do povo e não de ideologias ultrapassadas. O seu texto é no mínimo tão preconceituoso com as vontades do povo quanto a "cura gay" !

Responder

Victor Monteiro em 20/06/2013 - 17h06 comentou:

As questões do post, com certeza, deveriam vir à tona!
Me preocupa o nacionalismo presente nas manifestações, principalmente as de SP, quais estive presente, este com uma liderança mal intencionada é um passo para um fascismo.
Os saques, derivam do oportunismo e falta de um norte dos manifestantes? Falta de um diálogo, que a esquerta deveria travar para a população, antes do luta com os representantes burgueses atuais?
A manifestação poderia acontecer sem “vandalismo” se o diálogo democrático fosse realizado entre pessoas que defendem, de fato, o interesse do povo.
Sem “vandalismo” não cai a máscara de quem está no poder e não se evidencia a luta de classes inerentes das manifestações.
Vivemos uma primavera do diálogo político, que começa a surgir nas redes sociais, ônibus, padarias, bares, na sociedade. Cabe aquele que é politizado, politizar. Cabe ao despolitizado, buscar por informações. Cabe a cada um definir de que lado ficará.

Responder

Paula em 20/06/2013 - 17h30 comentou:

Vão perder um pouco de força. Mas não considero contra tudo. É um basta! Precisamos de controles mais eficazes. Podemos começar com sessões de votação das câmaras e assembleias com voto aberto. Devemos e temos o direito de saber se o politico que lá colocamos está seguindo a cartilha que me fez o colocar lá.

O problema é que a indignação demorou e se aproveitou de outra indignação (a repressão violenta em SP) para ganhar corpo. Um monte de gente que sempre quis mostrar que estava MUITO descontente mas precisa ter alguém organizando as coisas. sempre foi assim e sempre será.

Responder

Orlando Bernardes em 20/06/2013 - 17h41 comentou:

O que este pessoal quer, tirando a minoria que realmente tem pauta de reivindicação, é tirar onda de revolucionário de facebook. Um bando de otários que se servem à massa de manobra da direita que quer o golpe.

Responder

Lucas Sitta em 20/06/2013 - 17h51 comentou:

(Isso daqui chega a ser burrice: só se “tira” políticos do Congresso –ou da presidência– pelo voto. Acordem!)

Ahmmmm… Alguém precisa avisar isso pro Collor.

Responder

    morenasol em 20/06/2013 - 19h17 comentou:

    lucas, quem decidiu o impeachment não foram os caras-pintadas, mas o congresso. aliás, o que o zé dirceu faz nesta foto se nem político ele é mais? de onde a dilma poderia "tirá-lo"? pra você ver a burrice…

    Isis em 21/06/2013 - 00h01 comentou:

    José Dirceu não é mais político? Ele atualmente está sem mandato, mas o cara não sai de cena, sempre foi e sempre será político! Sua condição atual é de político condenado… Quanto ao episódio Collor, é óbvio que os protestos "Cara Pintadas" foram essenciais para que o Congresso afinal votasse pelo impeachment, talvez o silêncio da população os "desencorajasse" e o episódio terminasse em pizza. Outro fator que contribuiu foi o fato de o partido do Collor à época ser pequeno e o Governo não possuir expressiva base aliada. O jogo é político e a palavra final é do Congresso, concordo com você. Mas mesmo o mais ingênuo Congressista sabe que ele depende do povo para se manterem agarrados à teta do Estado, daí cederem quando pressionados. Acho que o termo "burrice" não foi bem escolhido…

carlos em 20/06/2013 - 18h01 comentou:

Ótimo que muitos concordem. Os gestores também. E riem, riem, riem.
Difícil saber o efeito dessas aglomerações. A imprensa será independente? Os gestores terão mais respeito pelo medo de serem alvo no futuro? E o povo será cidadão chato e engajado qndo tomar gosto por se manifestar. E mais, isso já está se banalizando. Ontem perto de casa a energia caiu. A imprensa veio e disse que havia protesto. E pior, as pessoas acreditaram que era.

Responder

Amauri em 20/06/2013 - 18h14 comentou:

Meus caros,

Não ignorando a Complexidade, alguns aspectos podem ser simplificados.
Compartilhem o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=Mlp5MUO6JTc

Responder

carla em 20/06/2013 - 18h23 comentou:

cynara, gosto muito do seu blog, mas também existe impeachment ou não?

Responder

    morenasol em 20/06/2013 - 19h16 comentou:

    o impeachment é votado pelo congresso, carla. as pessoas podem ir às ruas pedir o impeachment, modificadas por acusações graves, como foi com collor e não é o caso agora. mas quem decide pelo impeachment é o congresso.

malvina cruela em 20/06/2013 - 18h24 comentou:

O Reinaldo Azevedo, o hidrófobo ultra direitista da Veja não tem a menor duvida que tudo isso é armação do comunismo internacional contra a tradicional família cristã ocidental..pode ir lá ver que está lá em seu blog com todas as letras, espuma no canto da boca e olhos revirados…
Vc vem aqui e em toda na blogosfera da “sinistra” e nenhum deles tem a menor duvida que isso tudo é mais uma armadilha do capitalismo imperialista para recuperar o poder (que nunca perderam) e eles serão o únicos beneficiados com o tresloucado gesto da juventude.
Quer dizer, múmias e dinossauros de todos os matizes endoidaram o cabeção.
Políticos e jornalistas (que provocaram todo esse mar de merda) não estão entendendo nada.
Precisa maior prova que os manifestantes estão no caminho certo?

Responder

WELLINGTON SANTANA em 20/06/2013 - 18h44 comentou:

Somente uma observação: Algumas semanas antes dos estudantes se mobilizarem contra o aumento das passagens, nossos indígenas ocuparam suas terra de onde foram expulsos nos tempos de suas avós, e a grande mídia, como de costume, fez coro com os representantes dos latifundiários dentro e fora do parlamento, dos governos e do judiciário, para criminalizar estes brasileiros natos.

Já que o movimento nas ruas não é mais somente por redução nos preços das passagens, mas por uma gama de Direitos Sociais reprimidos há séculos, urge entrar na pauta das reivindicações questões atávicas como Reforma Agrária e Urbana, Educação e Saúde Públicas de boa qualidade para todos, Auditoria da Dívida Pública dos Estados e da União, com apuração dos reais devedores e suspensão do que não é devido … Enfim, precisamos passar o Brasil a limpo e não permitir que os que cometeram crimes contra o patrimônio público e direitos humanos, jamais possam ocupar cargos e funções públicas (uma ficha limpa ad eternem). Isso é só o começo.

Wellington Santana
[email protected]

Responder

Ronaldo Silva em 20/06/2013 - 18h48 comentou:

Estas são as passeatas "facebook".

Responder

katia em 20/06/2013 - 19h16 comentou:

Não posso apoiar um movimento sem foco e sem conteúdo. O passe livre já existe para estudantes, idosos e deficientes e acho que pode haver uma negociação do resto mas o movimento esta se tornando radical e não abre a porta para uma negociar. um ponto de vista válido:
O que eu tenho visto até agora, aqui do meu canto, é que as mobilizações, organizadas a partir das redes sociais (facebook especialmente), atraem jovens de classe média que curtem as ideias lançadas pelo Anonymous (movimento transnacional de cunho aparentemente anarquista – no bom sentido). Todavia, esses jovens demonstram um nível de informação muito baixo sobre a realidade política brasileira, assumindo, muitas vezes, visões preconceituosas e distorcidas que lhes são instiladas diariamente pela grande mídia. Generalizações do tipo "todo político é corrupto" ou verdades goebbelianas, como "a carga tributária brasileira é a maior do mundo", são comuns, mas, a rejeição apriorística a todos os governantes, inclusive à Presidente da República, me parece marcante. Se estivéssemos diante de um movimento anarquista, no sentido de haver um engajamento ideológico firme e consciente, não seria de preocupar, contudo, a imaturidade política dessa moçada faz com que a condução do movimento se torne extremamente difícil, assumindo um aspecto simultaneamente caótico e frágil, suscetível a toda sorte de manipulações, especialmente por forças de extrema-direita, sob o mote unificador de insatisfações populares difusas (não identificadas objetivamente). O momento é delicado e exige toda a atenção e habilidade por parte das autoridades constituídas; não no sentido de se contraporem ao movimento (como bem assinalou o autor do texto), mas no aprofundamento da discussão, do esclarecimento direto, sem intermediários. É hora de dialogar francamente com essa galera que deseja se expressar politicamente, e fomentar o necessário amadurecimento democrático. O fator adverso, ao meu ver, são justamente as distorções produzidas por aqueles que deveriam ser os agentes responsáveis pela circulação das informações. Eu não confiaria à grande mídia a posição de "porta-voz" capaz de mediar esse diálogo, papel a que ela sempre se arroga arbitrariamente. Não é hora de meias-palavras, muito menos de desatenções; um deslize pode produzir estragos incalculáveis. Tranquilidade, firmeza e verdade no diálogo imediato.

Responder

Bacellar em 20/06/2013 - 20h36 comentou:

A PM esta agindo segundo ordens estritas de sua cupula de maneira muito bem pensada do ponto de vista da desestabilizacao nacional. Nao tenho duvidas de que os manifestantes estao servindo de massa de manobra para um golpe branco ou desgaste do governo para eleicao de 2014. infelizmente.

Responder

Nelson deAzevedoNeto em 20/06/2013 - 21h11 comentou:

E, eis que de repente, alguns se fazem de inocente!… De cínico desentendido!… Esqueceram dos insistentes avisos?!?… Ou, simplesmente, ignoraram… Fizeram pouco caso… Subestimaram!… NÃO!… DEFINITIVAMENTE, NÃO!… A CAUSA É POR 20 CENTAVOS!… NÃO!… DEFINITIVAMENTE, NÃO!… O POVO BRASILEIRO NÃO TEM, E NUNCA TEVE, O GOVERNO QUE MERECE!…

Responder

leocadia em 20/06/2013 - 22h39 comentou:

assino embaixo…disse tudo!!

Responder

Fábio em 20/06/2013 - 22h48 comentou:

Parabéns pelo texto! É exatamente o que tenho dito nos últimos dias

Responder

damastor dagobé em 20/06/2013 - 22h54 comentou:

todos os blogs da esquerda tem a mesmíssima opinião…curiosa coincidência de fazer inveja ao antigo Pravda ou o atual Granma..

Responder

Reynaldo em 20/06/2013 - 23h21 comentou:

Interessante, realmente contra tudo e contra nada. O barril de pólvora está lá só falta a fagulha, espere o governo produzir o fato (libertação através de leis feitas em cima da hora dos mensaleiros por exemplo) e a explosão cria foco e rumo.

Responder

Lêe em 20/06/2013 - 23h27 comentou:

A melhor análise sobre as manifestações até agora. Parabens! COncordo com tudo

Responder

Yacov em 20/06/2013 - 23h28 comentou:

Esse guri não sabe nada de SOCIALISMO e nem de DEMOCRACIA… Tristeza…

"O BRASIL PARA TODOS não passa na gLOBo – O que passa na gloBO é um braZil-Zil-Zil para TOLOS"

Responder

Carapeba em 20/06/2013 - 23h35 comentou:

Olá Cynara. Até concordo que o Brasil já esteve bem pior. Mas, infelizmente o PT que era, pra mim, uma espécie de reserva moral política deste país, teve que chafurdar na mesma lama dos sarneys, renans e cabrais, Brasil afora. Então, não espere muita simpatia pelos partidos políticos, dessa massa que está nas ruas. Afinal, era do PT, por exemplo, a honrosa tarefa de levantar as pautas, lembra? E por favor, não imagine que esta INDIGNAÇÃO, tenha como alvo principal o governo Dilma ou o PT. Pra mim, o que está bem claro é uma evidente repulsa por toda a classe política brasileira. No que isso vai dar? Não faço idéia. Mas tenho uma pauta ou FOCO, como queira, bem claros: REFORMA POLÍTICA e do JUDICIÁRIO JÁ. Fim dos privilégios dos parlamentares, como por exemplo, férias de 60 dias, 14º e 15º salários, do foro privilegiado e da imunidade parlamentar para que estes não sejam usados como instrumentos para a impunidade – a ficha limpa já foi um avanço, pequeno mas foi; Participação da sociedade no conselho de ética que julga o parlamentar; Maior agilidade na tramitação dos processos judiciais, maior transparência, desburocratização das exigências legais, enfim, a democratização do Poder Judiciário.

Responder

Daniela em 21/06/2013 - 00h20 comentou:

Olá,
Primeira vez no blog! Eu tenho ideias políticas bem diferentes das tuas no geral, mas concordo 100% com este post.
Conseguem juntar 200 mil nas ruas para protestar porque é um protesto vago, é quase como fazer um protesto contra a maldade, até quem é mau é contra a maldade.
Além disso, quem está nas ruas é a classe media, que com certeza têm , ao menos, acesso a internet e mesmo assim não podem perder alguns minutos para pesquisar e estudar como funciona a nossa democracia, pedir o impeachment da Dilma é uma ofensa absurda a nossa democracia, além disso uma burrice, quem aqui quer o Temer de presidente? Pedir para a Dilma tira quem foi eleito democraticamente é ainda mais bizarro.
#Vamosestudar; #vamospensar; #vamosvotardireito
Falam muito, no entanto dizem tão pouco.

Responder

Diogo em 21/06/2013 - 00h30 comentou:

Cynara, tirando o texto sobre o Lobão, o qual achei de uma estupidez ímpar, sempre fui indiferente aos seus textos, exceto esses dois últimos. Pelas minhas características, sou considerado por pessoas como vc um reaça de carteirinha, contudo vc sintetizou td q penso a respeito da esquerda em seu último texto. Acho mto pertinente sua preocupação demonstrada neste artigo, e é a mesma q mtos amigos tem levantado. Minha resposta tem sido sempre a mesma (não sei se estou certo): Isso é apenas o início, como mtos tem dito, é a saída do estado de letargia no qual o brasileiro se encontrava há anos

Responder

Diogo em 21/06/2013 - 01h08 comentou:

Continuando
dentro em breve, as pessoas perceberão q essa luta contra td não levará a lugar algum; só q agora, o povo está nas ruas clamando por uma representação q está apenas em nossas leis, ciente de sua força, passará a ocupar as ruas com uma proposta debaixo dos braços. Tenha certeza q os marqueteiros das campanhas de 2014 já estão insones pensando no trabalho q terão para eleger seus clientes diante dessa nova realidade q surge

Responder

GGR em 21/06/2013 - 01h11 comentou:

O cartaz que ela segura diz: parem com a roubalheira!!! Ora bolas, terminei de pagar impostos para o governo ontem e os governantes fazendo a farra com a nossa grana. Sem saúde, sem segurança, etc. Roubalheira pra todo lado, pagando mordomias, cabides de emprego e os mensaleiros soltos!
Parem com a roubalheira!!! Cynara, por favor, isto é protestar contra NADA?!?!?!? A mensagem não está clara ainda?!?!?!? Será que os governntes, tal qual vc, não entenderam ainda?!?!? ISSO é que me preocupa

Responder

damastor dagobé em 21/06/2013 - 01h13 comentou:

quando o ultimo politico for enforcado com as tripas do ultimo jornalista as começam a ficar bem…

Responder

Francisco alagoano em 21/06/2013 - 01h27 comentou:

Não foram os manifestantes que desqualificaram os partidos, foram os próprios partidos que se desqualificaram. Inclusive o PT. Como? Só um exemplo: unindo-se a Paulo Maluf. Ah, mas isso é democracia, alguém pode argumentar. A questão não é essa, a questão é que ao se coligar com Maluf o PT passou uma mensagem: a nossa pauta não é confiável, não é para ser levada a serio. Tudo é apenas um jogo… de poder. As pautas dos partidos são apenas meios para chegar ao poder, mesmo em detrimento do povo. Agora o povo está na rua, e a sua pauta é tão difusa que não cabe nas mãos de um partido. O melhor que pode acontecer, para o bem do PT (que no momento representa o poder por ser o Estado) é mesmo que o movimento não determine uma pauta…

Responder

Cícero Peixoto em 21/06/2013 - 01h28 comentou:

SIM, concordo, mas quais seriam as suas reivindicações caso opte em não permanecer apenas em sua cadeira escrevendo tais comentários (claro, a linha editorial de quaisquer órgãos de imprensa depende de "espetáculos com propostas tão generalizadas e inócuas como o senhor afirma, é o que garante o seu emprego)? Tudo se encontra em seu nascedouro… Aguarda-se pelo seu recrudescimento e propostas mais claras… São, hoje, vozes diversas, propostas diversas? sim, mas propostas concordantes e em uníssono. Amanhã, o prolongamento do que ocorre hoje, não mais o sono de ontem…

Responder

emmanuel lima em 21/06/2013 - 01h38 comentou:

o povo se fartou de tanto roubalheira. mas concordo é preciso que apareçam líderes do movimento com uma pauta de reivindicações e que se sentem com a presidente, os presidentes do senado e do congresso e também do judiciário. só protestar não resolve. é preciso pôr as cartas na mesa.

Responder

carlos em 21/06/2013 - 01h44 comentou:

Aqui a prova de que vcs todos são iguais.
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ning

Responder

Rafael em 21/06/2013 - 02h08 comentou:

Além desses temas que você citou, poderiam protestar pressionando o Congresso e o Executivo pelas reformas que o país tanto precisa, como a política e a tributária. Isso sim seria um avanço. No que depender da vontade política e dos interesses regionais, essas reformas nunca vão sair.

Responder

Antonio Pereira em 21/06/2013 - 02h09 comentou:

Realmente a direitona fascista está na espreita, não se pode vacilar. O movimento está muito confuso e sem posicionamento definido o que dificulta as negociações para resolver outras demandas além da tarifa do ônibus.

Responder

André em 21/06/2013 - 02h13 comentou:

Genial seu comentário! Dezenas de milhões na rua para nada!!! Faça-me o favor… há tempos reclama-se da apatia do povo frente ao ambiente político. o problema não é o Feliciano, essa aberração, mas um sistema e conveniência política que coloca ele lá e enfraquece a reação popular até que a poeira baixe e ele prossiga. Acho que questão não está no movimento explicar a que veio, mas vc entender que existe diante de nós uma nova perspectiva que não se resolverá por ideologias ou partidos.

Responder

Neco em 21/06/2013 - 02h22 comentou:

Não é verdade, seria bom ter algum objetivo bem definido.
Mas é válido principalmente para colocar os políticos cientes de que
a insatisfação é muito grande e na minha opinião isso pode fazer com que
alguns deles não sejam tão descarados em nos roubar.

Responder

Silvia em 21/06/2013 - 02h29 comentou:

Cynara, vc está precisando circular mais. Já foram organizadas as 5 principais metas dos protestos.

Responder

Angelo em 21/06/2013 - 03h14 comentou:

Os comentários precisam passar pela censura!!

Responder

Mc_ em 21/06/2013 - 03h20 comentou:

Muito obrigado por esse texto!

Responder

Anonymous em 21/06/2013 - 03h28 comentou:

Morena, você tá mais pra loira.

Responder

Lima em 21/06/2013 - 03h33 comentou:

Gostei, muito bom seu artigo, Cynara. Generalizar é inútil e perigoso. Os aproveitadores – que não são só os vândalos – mas aqueles corruptos que outrora estiveram no poder, já começaram a se manifestar na mídia para tirar proveito da situação.

Responder

JACK em 21/06/2013 - 05h02 comentou:

A PM ataca os manifestantes, mas não fazem nada com os vândalos. Precisa de mais prova da estratégia do governo? Infiltrar no movimento, pessoas com o intuito da violência, que desestruturam a credibilidade das pessoas de bem, justificando intervenções mais rigorosas por parte dos policiais, induzindo vários cidadãos a pensar, que tudo não passa de vandalismo, ou um movimento sem causa.

Responder

Eric Carvalho em 21/06/2013 - 05h08 comentou:

Amiga o comeco é assim mesmo…..quem foi Pra rua foi o povo nao a sociedade ….. Entende o que eu
digo ?

Responder

lucianodantasbs em 21/06/2013 - 06h58 comentou:

"Porque o Povo é contra a roubalheira política" – e quando alguém achou que fossemos a favor? A descaracterização e desqualificação dos protestos foi iniciada e dos que se mostraram interessados, já vejo quem compre essa balela midiática, quem perca o encanto criado com os coros quase cristãos de "eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor" e os que já se veem sozinhos, mais uma vez, em meio a um mundo – e não somente um país – de pessoas alienadas e facilmente domáveis por uma descarada e já conhecida manobra política. Triste.

Responder

Rogério em 21/06/2013 - 08h50 comentou:

Esse texto me parece tendencioso. A querida autora não leu cartazes onde se diz: "são tantos os problemas, que não cabem num cartaz"? Pessoas morrem em hospitais, crianças são baleadas covardemente e o confesso sai tranquilamente da delegacia, dentre outros casos. O povo encheu! Você não, mas o governo sabe o que queremos, sabe onde ele falhou. Todo esse crescimento deixou de lado necessidades básicas como saúde, segurança e educação. Você mora na Suiça? Me admira a CC veicular um texto desses.

Responder

Saulo Castilho em 21/06/2013 - 10h34 comentou:

Cynara, já sequestraram o movimento! Os ideais reacionários já estão sendo viralizados no Facebook. Pautas ridículas (saída de Renan Calheiros), dignas de programa do CQC se espalham pelas timelines! Eu realmente esperava por mudanças na estrutura como uma reforma política (a respeito dos vencimentos dos parlamentares inclusive) ou tributária (saindo dos produtos e indo para os rendimentos), enfim, da minha parte é total decepção. Vale lembrar também que revolta sem pauta definida causa instabilidade e pode gerar qualquer tipo de resultado… E eu prefiro nem imaginar o que pode acontecer.

Responder

mefius em 21/06/2013 - 10h46 comentou:

Lee Harvey é a solução.

Responder

Eriane em 21/06/2013 - 11h42 comentou:

Correção: tenho visto na imprensa informação errada sobre o Estatuto do Nascituro. Caso essa aberração seja aprovada, a mulher não terá o direito de abortar, ele deverá ter o filho. Assim, a bolsa estupro não seria para quem desejar ter o filho. A MULHER NÃO TERÁ OPÇÃO. A opção será pela bolsa estupro.

Responder

Jamerson Silva. em 21/06/2013 - 11h47 comentou:

Olá Cinara e demais participantes, bom dia.
Cinara, o seu texto é brilhante. Suas conclusões são pertinentes. Parabéns.
Você me fez lembrar, de uma discussão feita em sala de aula na minha turma de MBA, sobre uma vertente do mercado que afirma que “o cliente não sabe o que quer”.
Acredito que isso não é sempre verdade.
Ocorre com relativa frequência, que o cliente sente que algo muito sério o está afetando. Só não consegue delimitar com a mesma propriedade reservada aos estudiosos da área.
As diversas frases de efeito, são largamente utilizadas como instrumentos motivacionais.
Quem não se lembra do “ yes we can!” (Barack Obama). Ou do nosso saudoso “A esperança venceu o medo” (Luiz Inácio Lula de Silva). Permita, por favor, que acrescente um mais recente: “ Não tenho compromisso com o erro” (Geraldo Alckme).
Assim como os clientes do nosso exemplo, o povo nas ruas revela que deseja soluções.
Sabe que a gestão pública, padece de uma crise de moralidade.
Tantas bandeiras e tanta imprecisão, poderiam ser sintetizadas em uma:
Cumpram suas promessas de campanhas.
Precisamos fazer justiça no seguinte:
Estive pessoalmente no protesto de ontem em minha cidade, e testemunhei as questões fundamentais que você levantou sendo defendidas nos discursos.
O vandalismo além de suspeito é uma praga, que precisa ser extirpada com enérgica e legítima ação policial.
Obrigado pela oportunidade de comentar.
Um abraço.
Jamerson Silva.
( Maceió – AL)

Responder

oliveira castro em 21/06/2013 - 11h50 comentou:

São nítidos: mensalão, roubalheira que corre solta, alta carga tributária, inflação que corrói o poder de endividamento, a falta de respeito da classe política, a péssima mobilidade urbana, pessoas morrendo na fila de espera dos hospitais, ensino ruim,… De fato o movimento é desorganizado e sem agenda definida como manda o figurino, mas para o desespero do governo e sua base, o movimento é autêntico e espontâneo. E até o momento, não foi capturado pelo sistema fisiológico partidário, o que considero bastante positivo para as manifestações. Veja o que aconteceu com os sindicatos e a UNE! A ficha está caindo para esta nova classe média que no momento tem muita raiva e coloca a esquerda brasileira em sinuca de bico.

Responder

Claudio em 21/06/2013 - 11h57 comentou:

Engrassado, o grupo do Feliciano só tem a maioria na comissão porque o PT e outros partidos se desinteressaram (talvez por falta de dividendos econômicos) em preencher as vagas a que teriam direito. E havia sim em várias manifestações cartazes e menções a Feliciano, entre dezenas de outras frases. Talvez a falta de foco expresse também a falta de sensibilidade dos partidos em atender demandas reais de uma parte da população, tão preocupados que estão em exercerem o poder em benefício próprio e de seus financiadores

Responder

Fernando em 21/06/2013 - 12h27 comentou:

Ok, concordo, porém, para um bebê caminhar, primeiro deverá engatinhar. Com o tempo, ele aprenderá a caminhar. Com o tempo.
Hoje, acompanhamos o bebê GIGANTE despertar, em questão de tempos, ele estará conseguindo os primeiros passos e consequentemente dominando suas pernas.
A caminhada apenas começou, só não pode engatinhar eternamente, dominar as pernas é preciso.

Responder

Noilton H Dutra em 21/06/2013 - 14h11 comentou:

Este movimento pelo que eu entendi tem 4 facções distintas: 1- O povo gado que realmente acha que está reivindicando algo. 2- O PSDB por trás deles, manipulando. 3 – Os partidos políticos menores, querendo tirar seu quinhão de glória. 4 – Ladrões, baderneiros, assaltantes. Eles pararam o Brasil. Aqui no interior as lojas fecharam as 15, algumas indústrias também. O gado sai, calado e numa marcha sem sentido para lugares públicos, com chavões sem nexo. O que está por trás deles, o PSDB assiste sorrindo, pois quanto mais baderna melhor para mostrarem no horário político que o PT não tem controle. Coisa de quem não ganha no voto, ganha com subterfúgios inescrupulosos. Os nanicos da política tentam, pq tentam emplacar sua bandeirinha. E OS LADRÕES E BADERNEIROS SE APROVEITAM! Chega! Isto parou o Brasil que não tinha muita coisa errada assim também, não. Em situação de calamidade na Europa nós com pleno emprego e os descontentes só são os de sempre, os perdedores do PSDB.

Responder

jonas em 21/06/2013 - 14h30 comentou:

Não concordo, o povo abriu o berreiro como o recém nascido ao levar a palmada do médico, chora sem nem bem saber o porque. Agora sabe que pode chorar. Em breve vai chorar pelo que é justo, sentiu fome… chora, sentiu sede… chora, sentiu dor… chora. Aos pais cansados, só lhes resta descobrir por que chora o filho e sanar o motivo do choro. Só não é possível ignorar o choro de uma criança.

No mais vejo um monte de teóricos tentando explicar tudo, como se soubessem de tudo, vejo pessoas querendo dizer o que o povo pode ou não fazer para manifestar seu descontentamento… A verdade é que não existem regras. Pode tudo! Tudo o que for necessário para mudar o panorama terrível! Não existem regras… e deem graças a Deus porque não começaram a explodir bombas…

Responder

Ricardo B. em 21/06/2013 - 14h35 comentou:

Aqui em Floripa tinha um grupo protestando contra o Feliciano, que parou na frente da Igreja Universal e ficou cantando por ali…. Nesse caso, é muito mais interessante do que sair da rua.

Responder

Eli em 21/06/2013 - 14h37 comentou:

O lema #vemprarua deveria ser seguido pela pergunta 'pra ir pra onde?'

Responder

Marcelo Montes em 21/06/2013 - 15h32 comentou:

Os politicos sabem exatamente pq o povo esta' insatisfeito. Transporte publico de baixa qualidade nao faz parte da realidade deles assim como viver sem plano de saude.

Nao e' nada comovente dizer que nao se entende o que esta' acontecendo..

Responder

Bruno em 21/06/2013 - 15h36 comentou:

Se houve a queda das tarifas de ônibus houve OBJETIVO ALCANÇADO. Outro objetivo claro é contra a PEC37. Esta reivindicação se liga intimamente a outra mais generalizada, a corrupção. Então pode até existir jovens da casa grande que não sabem bem quais os problemas do país, mas a maioria é de trabalhadores que sofrem com baixos salários, péssimos serviços públicos e um acintoso desperdício de dinheiro público com obras desnecessárias e/ou superfaturadas.

Responder

pedro em 21/06/2013 - 16h07 comentou:

Cinara a critica é válida mas o povo brasileiro está se descobrindo como continente, antigamente existia dois pólos rj-sp e essa mobilização a partir de redes sociais, sem aquela velha, onde teria que existir partidos líderes definidos, grande teoria para se mobilizar, agora pegou os governantes completamente envolvidos no seu mundo fechado do poder, e quando esse povo sai pra rua de uma forma integral, ele se descobriu como continente e percebe a força que tem, isso é estraordinário, isso é um começo, mesmo sem causa definida, é assustador, então vejo que há algo novo no ar, porque em outro tempo, nada despertava esse povo brasileiro, que não fosse futebol, carnaval.

Responder

anderson santos em 21/06/2013 - 16h14 comentou:

Cara senhora pelo menos acordamos é fácil quando se tem uma coluna em um jornal, difícil é quando se tem que pegar onibus todos os dias e tentar nao chegar atrasado, se proteste de tudo sim! pq já chegou um basta isso é só inicio, tomara que nao tenha fim.
E vc tem alguma queixa.
A partir de agora vai se pensar melhor em roubar enganar e subverter a opnião alheia,

Responder

Thiago em 21/06/2013 - 16h23 comentou:

O que eu acho é que a revolta do povo não se resume aos míseros R$ 0,20, o que ocorre é que todos estão indignados e insatisfeitos com os seus representantes no poder quer queira ou não culpa da própria população, tendo em vista também que não há opção de votos a quem confiar, dessa forma o povo está indo as ruas mostrar a indignação e raiva da mafia inserida no meio politico, pois hoje se você quer representar o povo no congresso ou em qual estância for, VOCÊ TEM QUE VENDER A SUA ALMA E SUA DIGNIDADE, para conseguir alcançar o poder. CHEGA.

Responder

alexsandro alves em 21/06/2013 - 16h41 comentou:

Concordo contigo 100%__ Isso está mais pra uma revolução emo__ Só com idealismo romântico embalado por gritos de guerras superficiais e sonoros n levaremos o país pra frente, talvez leve pra trás, é bem mais provável… Precisamos q o idealismo vire prático e com alvo certo.

Responder

Isabel Santos em 21/06/2013 - 16h54 comentou:

Independente… Tudo isto é lastimável. E, sinceramente, sigam protestando ou tumultuando que vou continuando minha vida, pois qualquer solução que venha a acontecer não passará de uma medida paliativa.

Responder

Isabel Santos em 21/06/2013 - 16h58 comentou:

Porém, o mais estonteante, meus caros, é que Dilma e Lula jamais imaginariam passar por isto.

Responder

João em 21/06/2013 - 17h08 comentou:

Prezada Socialista Morena:

Primeiro, meus parabéns por ser socialista. Hoje em dia o socialismo, como ideia e prática, é frequentemente desvalorizado, a partir do resultado das experiências históricas mas, principalmente, por um modo de pensar que valoriza excessivamente – pra não dizer unicamente – o consumo. Isto é pobre, isto é triste, e não leva a lugar nenhum.

Mais ou menos como as manifestações que estamos vendo.

Uma coisa muito séria é parar uma cidade, ainda mais uma capital, e esse deveria ser de fato algo como um último recurso, diante de situações graves. Anos atrás, participei das mobilizações pelas Diretas Já, e alguns anos depois, fui ao encontro dos manifestantes do movimento dos caras-pintadas. Nos dois casos o que se queriam eram coisas sólidas, concretas, pelas quais fazia todo o sentido se posicionar. No primeiro caso, derrotados, tivemos o consolo de ver o capítulo final da ditadura logo a seguir. No segundo, vencemos, graças à improvável participação do motorista da casa da Dinda (por sinal, por anda o Eriberto? Essa curiosidade me ocorreu agora).

O movimento atual não chega sequer a ser um movimento. É um aglomerado. O pior, na classe média, a que pertenço e com quem convivo (pagando os meus pecados), pessoas "esclarecidas" acham que a coisa é pra valer.

Vontade sem foco, sem conteúdo político claro, não vai levar a nada. Já já essa coisa toda pára. Torçamos para que sem ocorrer nenhuma tragédia.

Responder

Roland Scialom em 21/06/2013 - 17h46 comentou:

Excelente colocação. Eu acrescentaria o seguinte: mobilizar-se para carnavalizar (fazer oba-oba) é muito mais fácil do que mobilizar-se para defender um programa. Ainda assistiremos a muita carnavalização.

Responder

Marcelo em 21/06/2013 - 20h27 comentou:

Hoje às 10h27 CBN

Após cenas de violência e de conflito com militantes de partidos políticos durante os protestos das últimas semanas em todo o país, a liderança do Movimento Passe Livre (MPL) decidiu que não fará mais convocação para manifestações, como vinha fazendo principalmente pelas redes sociais.

Em entrevista à radio CBN, Douglas Beloni, que integra o movimento, destacou que alguns partidos vinham participando desde o começo do movimento pela redução das tarifas de ônibus, reivindicação que deu origem à onda de protestos.

"O MPL não vai convocar novas manifestações. Houve uma hostilidade com relação a outros partidos por parte de manifestantes, e esses outros partidos estavam desde o início compondo a luta contra o aumento e pela revogação", afirmou.

Douglas acrescentou ainda que a diversificação das pautas de reivindicações também provocou a suspensão da convocação de protestos. Segundo ele, muitas delas são consideradas "conservadoras". "Nos últimos atos pudemos ver pessoas pedindo a redução da maioridade penal e outras questões que consideramos conservadoras. Por isso suspendemos as convocações".

O ativista destacou que o Movimento Passe Livre tem como principal causa a luta por transporte público, mas que apoia outros movimentos sociais. "Continuaremos lutando pela tarifa zero, colhendo assinaturas para viabilizar um projeto de lei nesse sentido."

Responder

affonso lourenço em 21/06/2013 - 22h02 comentou:

Perfeito Cynara.

Responder

Joffre em 21/06/2013 - 22h13 comentou:

Se lutar contra a roubalheira, políticos condenados que qualquer partido com o mínimo de decência e respeito pelo seu eleitor deveria pelo menos guardar na geladeira até tudo se esclarecer, escândalos de todo tipo. ex presidente citado no mais importante processo judicial da história não ser ao menso ouvido ou indiciado. a volta de Renan poucos anos após sua saída por um escândalo envolvendo empresa particular, Ter na mais importante comissão do congresso 3 condenados e um procurado internacional é pouco para você, sinceramente fico imaginando seus princípios éticos ou morais.

Responder

Hélio Ribeiro em 22/06/2013 - 00h22 comentou:

Hoje eu vejo governantes confusos tentando antever qual o objetivo desse movimento que não está a seu favor e também repudia a oposição. É perturbador…

Responder

Hélio Pequeno em 22/06/2013 - 00h36 comentou:

Se não há propostas, significa que há espaço para apresentá-las. Então por que não enrolar a bandeira do partido e aparecer para contribuir com propostas factíveis? Imaturidade partidária?

Responder

Paulo Dias em 22/06/2013 - 02h13 comentou:

Querida Cynara, conheci Socialista Morena a menos de um mes atras e curti muito varios textos teus.Me parece que os acontecimentos que afloraram no país nesses ultimos dias são de uma lógica cristalina.A Democracia de faz de conta que existiu até ainda agora se esfumaçou. O processo de redemocratização, a retirada dos militares , eleições diretas , o pluripartidarismo, a Constituinte e a classe política , o Congresso Nacional, o Judiciário não passavam de uma ficção. Vive-se, aqui. uma Democracia para ingles ver.Todos nós da esquerda, chegamos a ver no PT , desde o início, como a força que tiraria o país da miséria e do atraso, que essa elite , que ainda é Poder, submete o povo brasileiro. Ledo engano , o PT se vergou, tornou-se um partido fisiologico, sentado no colo dos banqueiros, governa para a burguesia,manietando os movimentos sociais, O MST ,a CUT a UNE , que foram bem atuantes nas décadas de 80 e 90. se domesticaram ,graças as benesses recebidas do governo petista LULA e DILMA. Os avanços ocorridos se mantem nos marcos do capitalismo sendo necessarios no processo de continuidade de dominação sem risco de ruptura. O vácuo politico deixado pelo PT , não impediu que o Trem da História se movimentasse. A Cidadania pede passagem. O povo brasileiro tem motivos de sobra para protestar. E a Violência já dizia Karl, esta a posto , se houver necessidade , aliás a raiz da violência na sociedade brasileira , reside na brutal concentração de renda que sonega ao povo o direito a uma vida digna. Mesmo com tantos interesses difusos, não se pode negar que a Historia desse pais esta sendo escrita e convenhamos pega mal para um a pessoa de esquerda clamar por polícia ( a polícia militar brasileira é assassina e covarde ).Vandalismo é enterrar 1 bilhão e duzentos milhões de reais no estádio de Brasília quando o SUS vive à míngua.

Responder

Rômulo em 22/06/2013 - 04h02 comentou:

O que falta para nós brasileiros é experiência em saber lhe dar com as manifestações. Eu concordo que não há uma liderança formal, a qual possa dizer o que realmente se manifestando. Ficam vagas as reclamações, sim. Talvez isso ocorra pela falta de experiência de manifestar-se, de leitura, e de conhecimento para saber como e sobre o que protestar. Por parte da polícia, ficou evidente a falta de experiência em atuar contra os manifestantes, viu-se um a polícia tensa, com medo. Por parte da mídia, é possível observar a clara falta de experiência em cobrir e lhe dar com assunto, pois o que importa não é o fato das manifestações serem pacíficas ou não, mas o que estamos protestando. Seja jornal, seja telejornais, os focos das reportagens eram iguais: mostrar o confronto, mostrar o pessoal dando flores aos policiais, mostrando o pessoal gritando "sem violência", mostrando o fogo e os atos de vandalismo.

No entanto, não dá para dizer que protestar contra tudo é protestar contra nada, pois para quem estuda ciência política, para quem analisa os problemas sociais brasileiros, para quem lê sobre seguridade social, sabe o que a população quer: mudança na política de forma rápida, que dê garantias dos direitos civis aos brasileiros do padrão Fifa. São milhões de reais gastados em estádios e obras para as Copas, em poucos meses, há corrupção – só em Cuiabá foram R$ 80 milhões de propina ao um assessor do governador ou do prefeito.

Sendo assim, eu concordo com você ao dizer que falta organização, realmente falta um líder ou líderes desses grupos, falta união falta o brasileiro ser mais político ou politizado, falta o brasileiro se inteirar mais nos assuntos relacionados à ciência política, economia, etc. Mas essa reação só foi um começo e por isso merece apoio e parabéns aos jovens que saíram as ruas. O que não concordo é que a população não mostrou o que realmente quer, basta saber os problemas que nós vivemos e basta a imprensa entrevistar, direcionar um foco diferente nos debates sobre as manifestações, parar de mostrar espetáculo. E quanto ao que a população disse para a Dilma tirar os tais políticos, podem ter escrito errado, mas com outras palavras: Sarney, Genuino, Collor, Calheeiros podem não ser tirados do poder pela presidenta, mas presos e sofrerem impeachment! Porém, com a corrupção e justiça corrupta, não saem do poder.

Responder

Flavia em 22/06/2013 - 06h57 comentou:

Não precisa falar mais nada… Totalmente de acordo com o que penso!

Responder

Elisa em 22/06/2013 - 11h47 comentou:

Acho o seguinte, com a ascensão da nova classe média, muitas coisas, que eram medianas, ou seja, já não estavam boas ficaram evidentemente mais complicadas, e a antiga classe média tem sentido isso como uma piora, e já tem se manifestado em relação a essas insatisfações há um certo tempo(lembra da tentativa de manifestação do "Cansei"? eram coisas gerais. ) Além disso coisas que não atingiam a classe média, só os mais pobres, como a violência diária(hoje os bandidos estão na Vila Mariana, não só nos bairros pobres) está chegando neles também. Em São Paulo a percepção de piora, especialmente em relação à violência, é bem clara. Fora um incômodo de alguns grupos com a ascensão dos pobres. Esse conjunto gerou esse "tudo". Mas eu acho que esse povo não tem o hábito de se manifestar então vira algo sem foco mesmo. Também concordo que algo sem foco não produzirá nada, é como uma grande reclamação coletiva, apenas um desabafo geral, pois acredito que para resolver algo você tem que ter um objetivo e apresentar uma proposta de solução, e aí se negocia. Então acho que se essas pessoas realmente querem daqui para frente serem mais participativas, têm que amadurecer nesse sentido. Só que tem uma questão: ser participativo é cansativo, tem que ser feito de forma constante, às vezes você tem que virar o chato que está sempre questionando, e muitas vezes as pessoas não querem ter esse trabalho, por isso que muitas questões acumulam.

Responder

pocoyo fawkes em 22/06/2013 - 19h27 comentou:

haha poxa morena deixa tirarem fotinhos
mas se quiser protestar por protestos mais niilistas pode, leva seu cartaz!

Responder

Fernando Fidelis em 22/06/2013 - 23h44 comentou:

Foi uma explosão e um desabrochamento. Há 30 anos não se fazia qualquer movimento no Brasil deste nível. Nós, geração "Diretas Já" e "Caras Pintadas" nos esquecemos de politizar nossos filhos e deixamos o PT entrar em todas as camadas da esquerda, subjugando-as. Nos sentimos vingados, ou melhor, mais bem representados, pacificados. Essas crianças, num momento de explosão, perceberam que têm força a partir da indignação contra a mentira da mídia tradicional e a barbárie policial. Agora o desabrochamento fará com que o acompanhamento aos nossos representantes seja mais firme, pontual e decidida. Não seremos mais eleitores carneirinhos, como fomos. O Brasil mudou e a geração mais velha tem o dever de dar suporte aos mais novos, que tem a força e precisa de apoio e orientação.

Responder

Raissa Alencar em 23/06/2013 - 02h45 comentou:

Olá, Cynara! Bom texto, mas gostaria de fazer uma observação sobre o trecho "Cabe à polícia investigar quem são estas pessoas e puni-las". Não, não cabe à polícia punir as pessoas! Em um Estado democrático de direito, suspeitos de crimes são indiciados pela polícia, denunciados pelo Ministério Público e julgados pela justiça, e uma das garantias do cidadão contra a arbitrariedade do Estado é, justamente, o devido processo legal – CF/88, art. 5º, LIV.

Responder

Fernando SB em 23/06/2013 - 04h24 comentou:

Parabéns pelo blog!
Vou copiar o que postei aos meu amigos de Facebook, que reflete um pouco o que foi escrito por ti, Cynara

"Espero que parem com esses protestos, sério mesmo. O objetivo principal foi alcançado, conseguimos combater o aumento da tarifa imposto pelo Estado e, por intermédio das manifestações, fizemos política. Só que esses protestos perderam o foco e estão sendo usados para atacar uma liderança específica, nesse caso, o PT.

Não sou entusiasta do governo da dona Dilma ou do Haddad, mas fica claro que há alguém por trás disso falando ao povo quem eles devem criticar. São quase nulas as críticas ao nosso governador e ao seu partido (PSDB), que tem muita responsabilidade pela a negligência dos serviços públicos e os problemas na cidade de todos esses anos (construção da linha amarela, aumento da violência e atuação do PCC no interior do Estado, redução drástica da qualidade nas escolas publicas, falta de políticas de desenvolvimento a regiões pobres de SP, entre outros pontos). Não acabaremos com a fome, a falta de educação, problemas na saúde, corrupção e distribuição de renda em semanas, por intermédio de passeatas, pois os mesmos problemas não começaram no mandato Lula (como estão disseminando por aí), mas há mais de 50 anos atrás, quando os regimes de ditaduras fascistas (e você achado que somente a esquerda do Evo Morales, Fidel e Hugo Chavez fazem isso) assumiram o poder.

Também, parem com essa bobagem de Joaquim Barbosa para Presidente, por favor. Qual estratégia de governo dele para combater a pobreza, distribuir renda, equilibrar a balança comercial, desenvolver nossa indústria, melhorar a saúde publica e educação? Nenhuma!
Admiro sua atuação prendendo aqueles criminosos do DF, mas para comandar o país é preciso ir de encontro contra problemas muito maiores, e inimigos muito mais poderosos (duvido que ele será exaltado pela Veja se combater quem realmente fode com nosso país). Ele tem as mesmas credenciais do "Caçador de Marajás", a quem confiamos nosso futuro anteriormente, se lembram a merda que deu?

Espero que o Brasil acorde de fato, que seus cidadãos acompanhem a política e se interessem pela nossa história, para que não se repitam os erros do passado. Se continuar do jeito que está, de fato não acordamos, só mudamos nossas rédeas à novos condutores.

Responder

Sandro em 23/06/2013 - 11h19 comentou:

Todos reclamam que brasileiro é passivo, e que aceita tudo que o governo nos impõe, vimos, essa corja do governo triplicando seus próprios salários, desviando verbas publicas, criando projetos que ferem direitos, e nós nunca nos rebelamos, agora ouvimos os gritos nas ruas contra tudo isso, é só olhar para os cartazes e lê-los, contra a pec. 37, contra o nascituro, contra a cura gay, contra a corrupção… Então do que vcs socialista estão reclamando mesmo?

Responder

Rodrigo em 24/06/2013 - 16h40 comentou:

Vamos nos organizar pessoal tem um grupo que ja esta com temas concretos:
MILITARES em CAMPANHA NACIONAL ANTI-PT e Pró-Brasil http://socmilitar.blogspot.com.br http://sociedademilitar.com.br

Responder

gilda em 25/06/2013 - 16h44 comentou:

eu acho que o governo é tirano sim.

Responder

Luana em 26/06/2013 - 17h16 comentou:

Os "Acordados" precisam acordar!

Responder

Fabio Augusto em 11/07/2013 - 19h04 comentou:

Não queira que a grande massa manipulada por todos esses anos e com educação precária seja politizada ao ponto que voce nós gostaríamos. Esse foi o inicio e as primeiras aulas de protestos. Talvez daqui a algum tempo esses jovens estejam mais politizados. Até porque, no Brasil, grande parte da população tem trauma das palavras politica e politicos. Com o poder da mobilização é possível a que a população aprenda o verdadeiro significado dessas palavras e possa se mobilizar com objetivos definidos. Obrigado

Responder

carlos em 12/10/2013 - 23h22 comentou:

mas ali na foto, claro que o povo pode tirar a presidente, e lógico que esta oculto que é pelo voto
Mas será que pelo voto tira mesmo?

Responder

Walter Paixao em 30/10/2013 - 22h29 comentou:

Cynara, parabens pelo blog, parabéns por esta foto. Gostei muito do enquadramento.

Responder

Emmanuel em 17/11/2013 - 17h50 comentou:

Só não concordo quando diz que inimigos do patrimônio privado (como anarquistas, comunistas, etc) são meros arruaceiros/aproveitadores… Isso pode ser verdade em alguma instância, mas denota certo derrotismo da sua parte Cynara – coisa que já vi você mesma criticando. Não vejo da mesma maneira, acho que intervenções urbanas são válidas e MUITISSIMO aceitáveis quando contrárias a hegemônia neoliberal.

Responder

Lucas Costa em 22/12/2013 - 21h08 comentou:

Quando o PT estava no comando dos protestos, protestar por protestar não era problema – aqueles eram os tempos da "bravata".

A desgraça é que agora, governando, o PT perdeu o controle da rua. Aí o jeito é condenar o que é feito de modo independente. É desqualificar o MPL. O qual padeceria, segundo Paulo Henrique Amorim, da doença infantil do transportismo – é bom saber que o "ansioso blogueiro", além de blogueiro, tem conhecimentos médicos.

Eu não me esqueci dos tempos da bravata – em que se podia "protestar por protestar"…

(Ainda bem que a cúpula petista não padece da mesma acefalia demonstrada por sua militância.)

Responder

Riobaldo em 22/12/2013 - 21h25 comentou:

Ensaio geral, patrocinado e instigado pela agências de inteligência americanas, com apoio e conivência da direita brasileira (veja a inação da PM PSDB, e depois a violência provocativa). Saiu pela culatra, porque os cartuchos queimados esse ano acabaram fortalecendo o governo federal que terá vitória fácil ano que vem. Estão de olho no pré-sal, uns querem comprar barato e outros vender pelo que der e ganhar uma boa comissão (não foi assim com a Vale?)

Responder

Helder em 22/12/2013 - 23h47 comentou:

Então, há mais definições sobre pauta progressiva. Por ex., vc não citou "educação padrão FIFA". Boa essa, né? Outra: os aviãozinhos da FAB carregando deputados e senadores para festas particulares. Imoral, não? Mais uma: corruptos na cadeia. Opa, essa parece pegou. Outra: fim do voto obrigatório. Transportes com mais conforto e mais subsídio – essa foi a que deu início a tudo. Outra bem legal: não vai ter COPA. Essa é genial, não? Mas acho que esse vídeo diz muito mais sobre as tas pautas progressivas. Veja, é do Rafucko, tb um cara de esquerda. https://www.youtube.com/watch?v=aO1ONaSSPTE

Responder

Roberto Rufo . em 26/12/2013 - 16h32 comentou:

Boa Tarde !

Mas quando tinha a campanha " Fora FHC " , sem ser pelo voto , a socialista morena apoiou .

Responder

Madyba em 04/01/2014 - 15h42 comentou:

Interessante…um tanto condescendente e passional, mas interessante!

Responder

CELIA em 09/01/2014 - 19h25 comentou:

HÁ UM ANOS ATRÁS FOMOS INJETADOS COM ÁGUA DROGADA. PROCURO ATÉ HOJE COMENTÁRIOS NOS MAIS DIVERSOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO. MUITOS JOVENS ADERIRAM, OU SEJA FICARAM DROGADOS, MUITOS VELHOS MORRERAM DE ATAQUE CARDÍACO, MAS ESSA É A RETROSPECTIVA 2013 QUE NÃO VI O BRASIL COMENTAR. UM ATO VELADO. QUEM PAGOU POR ISSO ? ESSA FOI A VERDADEIRA IDA PRA RUA, NÃO OS 20 CENTAVOS À MAIS NA PASSAGEM.

Responder

Flávio em 20/06/2014 - 00h30 comentou:

Sou contra protestos! Além de ineficazes, travam o trânsito nas ruas e atrasam a vida de quem trabalha e precisa sustentar a família. Deveria ser proibido, deveria ser crime contra a pátria. Sem falar nos Black Blocks, bando de criminosos que não tem nada a perder e nada a protestar; só querem quebrar, quebrar e nada mais.
Odeio estes malditos protestos, bando de inúteis.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Às ruas, camaradas


Uma das coisas mais bacanas que tem acontecido nos últimos anos no mundo é que surgiram mil e uma novas formas de se manifestar. Graças às redes sociais, as convocações para ir às ruas se…

Politik

1964 feelings: governo golpista coloca Forças Armadas nas ruas para reprimir protestos


O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou nesta quarta-feira 24, a convocação de tropas federais com poder de polícia para “garantir a lei e a ordem” na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, após a manifestação…