Socialista Morena
Politik

1964 feelings: governo golpista coloca Forças Armadas nas ruas para reprimir protestos

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou nesta quarta-feira 24, a convocação de tropas federais com poder de polícia para “garantir a lei e a ordem” na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, após a manifestação contra o governo ilegítimo de Michel Temer e suas “reformas” ter acabado em pancadaria. O governo acusa os manifestantes de […]

(Foto: Lula marques/ AGPT)
Cynara Menezes
24 de maio de 2017, 17h32
(Foto: Lula marques/ AGPT)

(Esplanada dos Ministérios envolta em gás lacrimogêneo. Foto: Lula Marques/AGPT)

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou nesta quarta-feira 24, a convocação de tropas federais com poder de polícia para “garantir a lei e a ordem” na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, após a manifestação contra o governo ilegítimo de Michel Temer e suas “reformas” ter acabado em pancadaria. O governo acusa os manifestantes de terem iniciado um incêndio nos ministérios da Agricultura e da Fazenda e pelo rompimento de vidraças em outros dois ministérios, atingidas por pedras.

“Uma manifestação que era pacífica degringolou para violência, vandalismo e agressão ao patrimônio público”, afirmou Jungmann em pronunciamento no Palácio do Planalto. Segundo ele, Temer chamou os protestos contra seu governo de “baderna”. “O presidente faz questão de ressaltar que é inaceitável baderna, inaceitável o descontrole e que ele não permitirá que atos como esse venham a turbar o processo que se desenvolve de foram democrática e com respeito às instituições”, disse o ministro.

Nem Temer nem Jungmann condenaram a violência policial sobre os manifestantes, embora, há duas semanas, o presidente tenha dito à opositora venezuelana Lilian Tintori, mulher de Leopoldo López, que “o protesto é um direito, que o povo tem o direito de protestar, é um direito universal e que não pode ser reprimido”. Temer e Jungmann tampouco mencionaram o fato de, ao contrário de Dilma Rousseff, impedirem que os protestos se aproximem do Congresso.

A senadora Vanessa Grazziotin, do PCdoB, pediu que seja feita investigação sobre os reais autores dos ataques aos ministérios. Segundo ela, “pessoas mascaradas e armadas com paus” estavam cometendo os atos violentos. Todos os ministérios foram evacuados.

glotemer

Temer acionou um decreto, publicado em edição extra pelo Diário Oficial, garantindo a “lei e a ordem” no país. Este tipo de ação é realizada somente com ordem expressa da presidência da República e em casos de “graves situações de perturbação da ordem”. A GLO (Garantia da Lei e da Ordem) prevê o uso das Forças Armadas para reprimir protestos contra o governo entre 24 e 31 de maio, justamente durante as votações no Congresso da “reforma” que irá tirar direitos dos trabalhadores.

Estamos em estado de sítio?


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
PIX: [email protected]
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

FMI volta a mandar no Brasil: “é imperativo” que reforma da Previdência seja feita,…


Após 14 anos em que não davam mais as cartas por aqui, os “sábios” do Fundo Monetário Internacional voltaram a dar ordens ao Brasil –e o que é pior, voltaram a ser obedecidos. Na sexta-feira, 21…

Politik

Surreal: Temer admite ter voado em avião de Joesley, mas diz que não sabia…


Após a divulgação, pelo site de vazamentos Antagonista, de que uma viagem da família Temer aparecia nos diários de bordo do Learjet PR-JBS, jatinho pertencente ao delator premiado Joesley Batista, dono da JBS, o Palácio…