Socialista Morena
Politik

7 de Setembro ou 1º de Abril?

Não é de hoje que os militares tentam trocar o dia da Mentira pelo dia da Pátria; em 2021 pode ocorrer o contrário

Ilustra: Aroeira
Cynara Menezes
06 de setembro de 2021, 20h20

Os militares golpistas de 1964 iniciaram sua era de atraso, corrupção e terror com duas fake news: a de que aquilo era uma “revolução”; e que teria ocorrido não em 1º de abril, mas em 31 de março. Tentavam assim fugir à verdade histórica de que os 21 anos de mando fardado no Brasil nasceram sob o estigma do Dia da Mentira.

O presidente ameaça o país com um golpe, e não se sabe se fala a verdade ou se mais uma vez mente. Aconteça o que acontecer, será um 7 de Setembro com cara de 1º de Abril, no sentido 1964 de 1º de Abril. Parodiando Marx, a farsa se repete como tragédia

No período ditatorial, o 31 de março aparecia inclusive nos livros didáticos das escolas públicas, dia da “revolução”, da “redentora”. Mas os militares, no fundo, nunca abraçaram a data falsificada, e adotaram o 7 de Setembro como marco das festividades nacionais. Criancinhas se esfalfavam sob o sol em desfiles marciais intermináveis, emulando pequenos soldados a serviço da Pátria, tão perdidos quanto os da canção que levaria Vandré ao suplício nos porões do regime.

O auge ocorreria em 1972, com a patacoada monárquico-militar do Sesquicentenário da Independência, para o qual foram trazidos ao Brasil, pelo ditador Emilio Garrastazu Médici, os restos mortais de D. Pedro I, o “herói” da independência –sem o coração, que ficou em Portugal. A urna com a ossada real foi exibida aos curiosos no Rio e depois em São Paulo, à guisa de celebração. A necropolítica verde-amarela antecipou o bolsonarismo em meio século.

Bem a propósito, o 7 de Setembro tampouco ocorreu no dia 7 de Setembro, foi uma construção meticulosamente elaborada a posteriori pelo Visconde de Mauá para estabelecer um marco patriótico para o jovem país. Não houve Grito do Ipiranga, “Independência ou Morte” coisa nenhuma: a independência teria sido assinada no dia 2 de Setembro pela mulher dele, Leopoldina, atuando como regente interina porque o marido tinha partido com a missão de conter as insurreições país afora. Pelo gosto do próprio D. Pedro, aliás, a data oficial seria 12 de Outubro, quando foi aclamado imperador. Outra farsa, portanto.

Neste 7 de Setembro, Bolsonaro promete dar uma demonstração de força de seu fraco governo colocando nas ruas os fanáticos que ainda acreditam nele e os cúmplices de suas bravatas golpistas –estes últimos cada vez mais endinheirados, a começar pelos generais do governo, cooptados a salários acima dos 100 mil reais por mês e privilégios sem fim. O patriotismo dos militares bolsonaristas vale ouro, literalmente.

O presidente ameaça o país com um golpe, e não se sabe se fala a verdade ou se mais uma vez mente. Aconteça o que acontecer, será um 7 de Setembro com cara de 1º de Abril, no sentido 1964 de 1º de Abril. Tudo a ver com Bolsonaro, profissional da mentira e também amante desavergonhado da ditadura e da tortura.

Parodiando Marx, a farsa se repete como tragédia.


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Pedro em 11/09/2021 - 18h43 comentou:

Gostaria, Cynara, se tivesse algum contato com Lula sugerir-lhe que fizesse um rápido pronunciamento sobre aproveitar o momento para intensificar a vacinação de todo mundo. O inimigo da vida parece estar de quarentena de sua sanha genocida.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Portal de Transparência do Senado ocultava salário de “Leo Índio”, primo de Carluxo


Dados do assessor do senador Chico Rodrigues são os únicos que aparecem como "fora do ar" no site

Politik

Nicolelis, cientista do projeto Andar de Novo: “Nosso próximo passo é sobreviver”


A pesquisa do brasileiro com paraplégicos está ameaçada pelo corte de verbas de Bolsonaro nas universidades públicas