Socialista Morena
Politik

As redes sociais e a falsa sensação de forra contra os políticos

Um efeito curioso das redes sociais é certa sensação de vingança que tem proporcionado alegrias efêmeras aos analfabetos políticos manipulados pela mídia. Como preferem ignorar a principal causa de suas mazelas –o fato de votarem mal em todas as eleições–, e fazer de conta que não possuem responsabilidade alguma pelo destino de sua cidade, Estado […]

Cynara Menezes
14 de janeiro de 2014, 14h22

Um efeito curioso das redes sociais é certa sensação de vingança que tem proporcionado alegrias efêmeras aos analfabetos políticos manipulados pela mídia. Como preferem ignorar a principal causa de suas mazelas –o fato de votarem mal em todas as eleições–, e fazer de conta que não possuem responsabilidade alguma pelo destino de sua cidade, Estado e País, muitos brasileiros têm recorrido ao “compartilhar” e ao “curtir” como instrumento de regozijo político. Sentados na cadeira diante do PC ou com o smartphone em punho, sentem-se indo à forra contra os governantes que eles mesmos elegeram, vibrando diante de notícias que em pouco ou nada irão modificar de verdade os graves problemas que padecemos.

Primeiro foi a prisão dos “mensaleiros”. Como a mídia falou que isto seria um marco na história brasileira, que doravante tudo ia ser diferente, os analfabetos políticos acreditaram e comemoraram nas redes sociais. Sentiram-se realizados com o Brasil novo que viria pela frente. Os maus políticos estavam derrotados. Agora tudo vai ser maravilhoso e limpo. Enquanto isso, os partidos, todos eles, já começaram a arrecadar dinheiro para suas campanhas em 2014. Milhões. De empresas privadas. Que, claro, não terão interesse em se beneficiar do governo que apoiaram. Mas o caixa 2 finalmente acabou, não é mesmo? “Compartilhar”. “Curtir”.

Agora são as cadeias brasileiras. Trata-se de um problema seriíssimo que afeta todo o País, e nenhum dos partidos políticos parece empenhado em tentar resolver de uma vez a questão porque, se fizer isso à vera, perderá votos. Existe superlotação nos presídios, para começar, porque mais de 40% dos presos teriam direito a liberdade condicional se não fossem pobres e sem condições de pagar advogados, como fazem os ricos. É preciso soltá-los, simplesmente, para diminuir a quantidade de gente presa. Quem irá se habilitar a fazer isso, se os analfabetos políticos acham que criminoso não é ser humano, mas se dizem chocados (nas redes sociais) quando vêem eles decapitarem uns aos outros diante da câmera de TV?

Seria preciso ainda rever a questão das drogas. A imensa maioria dos que foram presos nos últimos anos são pequenos traficantes, que não deveriam ser encarcerados segundo a lei, mas estão porque são negros e moram nas favelas. É preciso soltá-los também, para desafogar as cadeias. Mas vai dizer isso para a classe média que estrila toda só de ouvir a palavra “droga”, como se seus filhos não consumissem. Por defender que pequenos traficantes não deveriam ser presos, um secretário de drogas do governo Dilma Rousseff caiu. E o ministro da Justiça tem a pachorra de declarar que as prisões no Brasil são “medievais” e que “preferia morrer” a ficar numa, como se não tivesse responsabilidade alguma por não ter havido qualquer melhoria no sistema prisional nos últimos dez anos.

Há coisas tão fáceis de resolver e tão absurdas! Vocês sabiam que muitos presos não recebem –embora previsto na Lei de Execução Penal– itens de higiene, como escova, pasta de dentes e sabonete? Como uma pessoa encarcerada pode conseguir estes itens se o Estado não der? Ora, é claro que isso os coloca nas mãos das organizações criminosas, com quem têm de negociar para obter algo tão básico quanto um rolo de papel higiênico… Acabam fazendo dívidas com os “donos” das cadeias –e como vocês acham que pagam? Sem falar na alimentação podre que os presos recebem, feita por empresas privadas ligadas a políticos, certamente para se beneficiarem delas nos momentos das campanhas. Uai, mas o caixa 2 não tinha acabado com a prisão dos “mensaleiros”?

No mundo mágico das redes sociais, a solução para os problemas graves é bem menos complexa e está ao alcance de um clique: simplesmente se elege um vilão e, se ele sofrer alguma punição, já está valendo. A vilã da vez é Roseana Sarney, que pode sofrer um processo de impeachment e perder o governo do Maranhão. Obviamente não vou lamentar a saída de Roseana ou o revés para o clã cujo Estado padece há anos com seus desmandos. Mas a crise prisional infelizmente é muito maior do que os Sarney. Deveria ser alvo de manifestações gigantes pelo País, obrigando os políticos, todos, de todos os partidos, a apresentarem soluções urgentes. Isso se os analfabetos políticos estivessem de fato preocupados com a questão, e não apenas desejando uma ilusória sensação de alma lavada.

Em um momento como este, gostaria de exigir dos nossos governantes um seminário que fosse para estudar o assunto, convocar especialistas, sair em busca das melhores respostas que foram dadas no mundo para o cárcere de seres humanos que cometeram delitos. Debrucem-se sobre a questão, políticos, nós pagamos vocês para isso! Muita gente pensa, erroneamente, que o que diminui a violência é prender gente, mas nos países menos violentos do mundo o que se tem é menos gente presa e melhores prisões. Muitos dos que estão atribuindo a Roseana Sarney todas as desgraças do sistema prisional brasileiro acham que defender cegamente ideias como “lugar de bandido é na cadeia” é o que vai proteger seus lares do crime.

O que vai acontecer agora? Se Roseana Sarney for mesmo impichada, brasileiros se regozijarão nas redes sociais com mais um inimigo derrotado pela “força do povo”. Clima de final de Copa do Mundo para o “povo”, que venceu novamente. As cadeias continuarão iguaizinhas, até a próxima rebelião, quando mais uma vez os analfabetos políticos exigirão cabeças além das decapitadas. “Compartilhar”. “Curtir”.


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(80) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Roberto Locatelli em 14/01/2014 - 14h34 comentou:

Acredito muito mais na juventude que vai aos "rolezinhos" no shopping do que nesses analfabetos feicebuquianos.

Responder

    aaa em 14/01/2014 - 15h19 comentou:

    ahahahahahhahahahahahahahahhahahahahahahaahahahahahahahahahahahahahahah

    Dilmo em 14/01/2014 - 17h57 comentou:

    E quem disse que necessariamente são 2 grupos diferentes?

    Lage Quente em 14/01/2014 - 18h31 comentou:

    Lógica estranha a sua, a turma do rolezinho marca justamente pelo FACEBOOK….? "Lógica" Esquerdopata é fantástica mesmo… a arte de trocar o 6 por meia dúzia… hahhaha

    Antonio Veras em 14/01/2014 - 18h39 comentou:

    Mas eles não marcaram o "rolezinho" pelo "Face"? Comédia.

    Vitor em 14/01/2014 - 20h01 comentou:

    Conjunto interseção…

    newtoncd em 15/01/2014 - 19h33 comentou:

    Se você tivesse lido a materia que saiu hoje na Folha, feita com o rapaz que organiza os rolezinhos, você não falaria uma besteira deste tamanho.

    Danilo Henrique em 17/01/2014 - 21h01 comentou:

    Esquerdistas! Porque essa raiva toda contra a lógica? Por queeeeee?

Sonia em 14/01/2014 - 14h35 comentou:

Perfeito! Acho que até agora ninguém disse com tanta clareza como o brasileiro é burro e se deixa levar por uma "paixão de carnaval"…Abraços

Responder

Viralatas em 14/01/2014 - 14h39 comentou:

Os analfabetos políticos não estão perto de se regozijarem-se não, senhorita… os analfabetos políticos estão todos tentando mudar o foco da questão principal, que é o fato de que o ponto a que chegou a situação no Maranhão, que não é tão distante da do resto do país, mas exibe requintes de crueldade em vista da indigência dos índices que o estado apresenta em praticamente todos os indicadores. Os analfabetos políticos acham que a conscientização a respeito do domínio meio-secular da política do Maranhão pelo coronelismo da família do senador é algo que não deva acontecer. Os analfabetos políticos tentam disfarçar o fato de que o partido que está no poder há mais de uma década tem no patriarca Sarney um apoiador de primeira hora, e uma das pedras fundamentais da viabilização de seu governo.

Os analfabetos políticos tentam diminuir toda e qualquer pequena manifestação virtual que não coadune com sua agenda, claro. Porque para os analfabetos políticos está tudo bem, o país da copa e da olimpíada é uma maravilha, é só olhar nas propagandas do governo! AH, Faça-me o favor, Cynara Menezes…

Responder

    lage quente em 14/01/2014 - 18h33 comentou:

    Muito bom Viralatas…

    Ze Antonio em 14/01/2014 - 18h45 comentou:

    Me camarada quantos morreram em Campinas…
    Terá impeachment lá tbm!

    OUVIDOR DIZ QUE ‘INDÍCIOS’ APONTAM PARTICIPAÇÃO DE POLICIAIS EM MORTES (G1)

    Júlio César Fernandes Neves esteve no enterro de vítimas em Campinas.
    Ele assumiu o cargo há cinco dias e morte de 12 é o primeiro caso.
    O ouvidor das polícias do estado de São Paulo, Júlio César Fernandes Neves, que assumiu o cargo há 5 dias, foi ao velório de vítimas dos homicídios em série em Campinas (SP) para ouvir familiares nesta terça-feira (14). Segundo ele, são fortes os indícios de participação de policiais nas mortes. “De cada dez pessoas que falam do caso, nove citam a participação de policiais”, afirma Neves. “Infelizmente estou assumindo como ouvidor com este caso”, lamenta.
    Homicídios em série
    Doze homens com idades entre 17 e 30 anos foram mortos com tiros de pistolas 380 e nove milímetros entre a noite de domingo (12) e a madrugada de segunda-feira (13). Sete deles tinham antecedentes criminais.

    Baeta em 14/01/2014 - 19h55 comentou:

    realmente… estão tentando mudar o FOCO de quem vai pro pau ser julgado pelo tremsalão e mensalão mineiro… SE É QUE VÃO…

    pode ser doente da minha parte… mas tudo me cheirou a crime premeditado… pra realmente mudar toda a pauta….

    eu acho engraçado coxinha preocupado com a cadeia e aeroporto privado… SERÁ que vocês tbm não teriam privatizado estes setores?

    as cadeias estão como estão a ANOS…. e ninguem quer realmente resolver o problema… como disse cynara… resolver o problema da forma correta seria um tiro no pé pensando na eleição…

    e sobre os Sarney….. estes estão a 50 anos no poder meu fio… será que é tão fácil arrancar eles de lá? será que essa conta só vai pro PT?

    resumindo vc não entendeu nada sobre o texto… só ta afim de falar mal do governo…

    Val em 14/01/2014 - 22h37 comentou:

    Concordo com tudo o que vc falou Viralatas, e além disso acho que a manifestação, tanto nas redes sociais como nas ruas, é democrática, portanto, cada um posta o que quer ou protesta da forma que pode, e as pessoas tem o direito de acreditar nestas redes, pois, antes se utilizarem delas para protestar do que não fazer nada, não é? Entrei nesse blog através de uma postagem que vi no meu face e tive a curiosidade de ler o texto na íntegra e constatei que é um texto vazio e com exagerada crítica aos "analfabetos políticos", resultado desta política que a Socialista Morena defende. Ela começa dizendo que votamos mal… E quem disse que alguém tem votado certo? Existe opção de voto neste país de corruptos? O voto certo seria o nulo? Não sei, e rezo para que um dia possamos ter a certeza de estarmos votando corretamente.

    LG_ em 14/01/2014 - 22h38 comentou:

    serviu o chapéu?

    Sonado em 15/01/2014 - 13h37 comentou:

    A situação esta preta em SC também, vê alguem falar algo? Não? Uai, você é que me faz rir, pois o maranhão é longe demais daqui, os Sarney não são problema meu e quer me dizer que o problema aqui é desviar a atenção. Aha, ok.

    Carlos Vilanova em 15/01/2014 - 16h00 comentou:

    E depois não quer ser um analfabeto político. Parece que os problemas sociais do Brasil e a luta de classes, surgiram após o governo Lula e agora Dilma. Aliás, a família Sarney está a muito tempo na política, foi base do governo tucano também, se lembra? E por acaso, o Senhor, se lembra de quem votou na última eleição?

Emerson Rocha em 14/01/2014 - 15h06 comentou:

Perfeito!

Responder

Celso em 14/01/2014 - 15h56 comentou:

Cynara esse fim de semana em Campinas foram 12 mortos em chacinas,queima de ônibus e etc..no Maranhã o com toda a barbárie foram 3 mortos e a mídia escandalizou..Roseana cai e o Prefeito do PSB de Campinas Junto com o Governador de SP não cai?

Responder

Luis Gustavo Velani em 14/01/2014 - 17h35 comentou:

O que a autora esquece é que as discussões políticas promovidas pelas redes sociais têm um enorme potencial de levar as discussões para as urnas. Antes uma discussão nas redes sociais do que nenhuma. Achei uma crítica um tanto quanto vazia essa…

Responder

    morenasol em 14/01/2014 - 17h42 comentou:

    eu espero que você esteja certo, sinceramente. mas o que temo ver são novos tiriricas. e olha que até que ele se saiu melhor do que quem essa moçada normalmente elege

    Luis Gustavo Velani em 14/01/2014 - 17h54 comentou:

    Morena, não é uma questão de estar certo ou errado. Trata-se de se questionar o que é melhor: o silêncio absoluto ou a troca de ideias?

    Será que seria melhor se as redes sociais estivessem tomadas exclusivamente por comentários sobre o paredão do BBB ou pelas tradicionais listas de auto-ajuda (17 coisas que você deve fazer antes de morrer e bla bla bla)?

    Será que a discussão levantada, será que a manifestação de opinião dos reaças de plantão ou dos irremediáveis alienados não é melhor do que um burro silêncio que só levaria os incômodos e apreensões para as urnas, sem qualquer oportunidade de exposição e discussão de ideias contrárias?

    Estou dizendo tudo isso porque há algum tempo venho promovendo discussões políticas em minha página, e ontem e hoje a discussão sobre os rolezinhos tomou proporções bem interessantes.

    A grande parte dos comentários é de reaças postando de seus condominios um preconceito de classe que mal conseguem perceber como preconceito. Mas o debate que se seguiu foi uma oportunidade de essas pessoas conhecerem outros pontos de vista. Eu e outras pessoas argumentamos cada posicionamento colocado de forma séria, e centenas de pessoas tiveram a oportunidade de pensar diferente.

    Não tenho dúvidas de que a existência de debates como esse é extremamente construtiva para nossa democracia. Não tenho dúvidas de que o espaço existente nas redes sociais para as discussões políticas fará e tem feito diferença no nível de politização das pessoas em geral.

    Prefiro que as manifestações estejam viesadas, que sejam perversamente ignorantes, do que se não houvesse esse espaço. Pelo menos temos a oportunidade de tentar fazer nosso "trabalho" e tentar esclarecer os posicionamentos e construir consensos melhor fundamentados.

    Dilmo em 14/01/2014 - 18h02 comentou:

    Não precisa ir de um extremo para outro. O fato de analfabetos políticos que idolatram Joaquim Barbosa estarem compartilhando coisas menos imbecis (embora ainda imbecis e sem sentido) não eleva nem o nível das discussões e nem a capacidade dessas pessoas. O que estão fazendo é ler as matérias da veja ou globopontocom e querer reduzir tudo a um vilão ou a uma frase simples e ficar aí no facebook desejando a morte de politicos, bomba no congresso, sangue etc.

    Jorge SP/Londrina em 14/01/2014 - 19h13 comentou:

    No meu caso em particular, leio Veja, Folha, Estadao, Carta, alguns blogs "sujos"……e com todo esse "subsidio", reitero a vontade de "matar" alguns politicos, alguns comentaristas e alguns leitores. Falando em idolatria cega e imbecil……belo nome.

    Regina Marques em 14/01/2014 - 18h38 comentou:

    perfeito, Luis Gustavo Velani. O que será que essa tosca, autora desse discurso pensa para chamar os usuários das redes social de analfabetos políticos. Pelo contrário, as redes sociais têm ajudado às pessoas a terem mais consciência política, a se informarem e tomarem conhecimento dos fatos. Meus amigos e eu travamos debates muito interessantes na rede social, que surgem à partir de posts que curtiu ou compartilhou.

    Luis Gustavo Velani em 14/01/2014 - 22h08 comentou:

    Caros, não quis dizer que a autora do texto seja tosca. Apenas coloquei argumentos a partir de minha experiência na página (https://www.facebook.com/lgvelani) que administro, a partir do blog Voto Consciente.

    Os debates em geral variam de alto nível a uma série de ofensas.

    Mas mesmo assim acho que é fantástico que exista o espaço para esse tipo de discussão.

    Refuto a colocação de Dilmo, para quem "O fato de analfabetos políticos que idolatram Joaquim Barbosa estarem compartilhando coisas menos imbecis (embora ainda imbecis e sem sentido) não eleva nem o nível das discussões e nem a capacidade dessas pessoas. " Quem somos nós pra julgar a capacidade das pessoas?

    Tendo a ser mais humilde e acreditar que a existência de debates políticos abre uma janela de oportunidade para que as pessoas tenham interesse em se informar, em expandir sua compreensão política.

    E essa janela de oportunidade, com toda a certeza, é infinitamente melhor do que a parede de concreto do silêncio ou da pura alienação.

    Rafael em 14/01/2014 - 19h02 comentou:

    Vazia onde???
    É a mais pura verdade, esse papo de que é melhor isso do que nada, é papo de quem não se interessa em saber como funciona a política de verdade, fica só esperando a próxima denúncia do Jornal Nacional para mostrar indignação, pois do contrário não se mexe para nada. Ela mostrou que existe reivindicações muito mais pertinentes e que fariam diferença de maneira muito mais efetiva na vida dessas pessoas do que participar deste espetáculo de mensaleiros e Roseana, isso sim é vazio, pois sabemos que funciona muito mais de entretenimento do que conscientização política.

Helder em 14/01/2014 - 17h37 comentou:

Ué, quando saímos às ruas, nos criticam dizendo que "o povo não sabe o que quer, ou, o povo é manipulado, ou, a direita está à frente. O que devemos fazer, Cynara? Sair matando todos os políticos? Mas aí vc vai dizer que somos de extrema direita, que somos "coxinha"….rs. Vc não nos deixa saída…..Pelo menos no face podemos "compartilhar" nossas opiniões.

Responder

    morenasol em 14/01/2014 - 17h41 comentou:

    quem sabe não sucumbindo a polêmicas do momento e tentando debater a questão das prisões a fundo? te interessa?

    Helder em 14/01/2014 - 17h45 comentou:

    Cynara…..esse país é produtor de "polêmicas de momento". Quando começamos a debater a fundo uma, logo aparece outra mais cabeluda ainda…rs. Então, vale opiniar, participar. Não queira nos tirar isso. Já não basta a defesa da regulação da mídia, vão querer regular o face tb? Daqui a pouco vou achar que na Coréia da Norte tem mais liberdade….

    morenasol em 14/01/2014 - 17h52 comentou:

    o único que está estabelecendo assuntos sobre os quais posso tratar no meu próprio blog é você ; )

    Wendel em 14/01/2014 - 18h34 comentou:

    Será que é difícil entender a crítica que a autora faz a hipocrisia aos militantes de facebook? Gente que reclama, critica, mas não passa disto? Será difícil entender que se trata de uma provocação, compartilhar e curtir sozinhos não mudam nada, mas podem dar uma sensação falsa de estarmos fazendo alguma coisa, quando este fazer só se concretiza nas urnas, nas ruas, na mudança de mentalidade…

    hilton em 16/01/2014 - 02h11 comentou:

    Ué, mas a blogueira faz a mesma coisa: reclama, critica. O faz com mais estilo e, às vezes com alguma profundidade. Mas só por que tem mais tempo e ganha pra escrever aqui…E outra: só se acha uma alfabetizada política por que se auto proclama "socialista" … zzzzzzzzzzz

    Alessandro em 14/01/2014 - 19h49 comentou:

    Claro que não precisa regulamentar mídia…

    Deixa as Vejas, Globos e Folhas da vida distorcerem e mentirem à vontade, manipulando opinião pública.

    Isso é liberdade… liberdade para quem mente descaradamente, para quem aceita pauta de bandido (Carlinhos Cachoeira manda lembrança)…

    Liberdade é se levar por essas ondas de manipulação ("mensalão" – aliás: o mensalão tucano, a Globo não fala porque?/ "vandalismo"/ etc.) e não aceitar dar a cara a tapa quando alguém toca na ferida…

    Pobres analfabetos… tão nervosos, diante do espelho.

    Claudia em 15/01/2014 - 18h49 comentou:

    Há várias e sérias questões que caem de maduras e os "manifestantes" nem sabem do que se trata, não sabem como funcionam as instituições brasileiras, desconhecem a busca por mais informações para elaborar a SUA própria opinião. Repeat and repeat, que é isso que o povo das redes sociais mais faz. A propósito, sigo várias páginas de jornais mundo afora, blogs e troco informações com pessoas de opiniões diversas das minhas e quase todos concordam que a opinião pública nunca foi tão rasa. Abraços

Paulo Stockler em 14/01/2014 - 17h42 comentou:

Só me restou “Compartilhar”, “Curtir”… ;p

Responder

Ângela em 14/01/2014 - 17h52 comentou:

Se o povo brasileiro se olhasse no espelho saberia que na verdade vota muito bem. Nossos políticos sempre foram apenas o mais refinado produto das nossas relações diárias.

Responder

    Ricardo Lima em 15/01/2014 - 13h30 comentou:

    Interessante, Ângela. O mundo só mudará se cada um de nós mudar…

Ariadne em 14/01/2014 - 18h03 comentou:

Não concordo com a autora do texto. Acredito assim como muitos outros pensadores, inclusive filósofos franceses que acreditam que as redes sociais vieram para revolucionar mesmo. Mas primeiramente é preciso a população conscientiza-se e como isso acontece se a mídia não divulga tudo? Pelas redes sociais, é claro! Prefiro mil vezes compartilhar notícias políticas do que piadinhas ou resultados sobre o paredão do BBB.

Responder

Bira Laranjeiras em 14/01/2014 - 18h19 comentou:

Discutir a PEC 102 , desmilitarização das policias e ressocialização do preso são temas urgentes, antes que todos se tornem bandidos…

Responder

monique em 14/01/2014 - 18h56 comentou:

Aqui no RS foi denunciado um esquema de vendas de alimentos superfaturados dentro das galerias. Existe licitação publica para abrir mercearias dentro dos presídios, mas não é atrás de chocolate e refrigerante que os detentos vão. Eles querem comprar feijão, arroz, enfim, tudo aquilo que deve ter no cardápio da prisão, mas que não dá para comer devido a “excelente” qualidade. Pois bem, alguns detentos, com poder dentro da prisão, vão até a mercearia, comprar e depois revendem nas galerias pelo dobro, triplo do preço. Isso tudo feito na cara do poder público que apenas responde que o “caso é complicado” etc, etc

Responder

Celso em 14/01/2014 - 19h37 comentou:

coxinhas revoltados com os rolezinhos, tá muito engraçado..rs
https://www.youtube.com/watch?v=SbrSR5d373Y

Responder

Lenir Vicente em 14/01/2014 - 19h44 comentou:

O analfabeto político só lê a mídia golpista, manipulada e vendida. Dai acharem que se cortar a cabeça da Roseana vão achar que tá tudo muito bom, tudo muito bem. Se esquecem que houve uma vez um presídio chamado Carandiru.

Responder

    Pol Pot em 14/01/2014 - 23h44 comentou:

    Se cortarem a cabeça de Roseana Sarney certamente a única coisa que estará bem é que muito provavelmente estaremos vivendo o inicio de uma revolução embora ela esteja muito longe se ser uma Maria Antonieta que também não era flor que cheirasse bem.

Tyrone Mello em 14/01/2014 - 19h47 comentou:

é um problema sério “Curtir” e depois “Compartilhar” e acrescento “Comentar“ mas não tão sério assim porque a maioria desconhecem essas poderosas ferramentas. Não estou defendendo o facebook. De jeito nenhum mas o uso dessas tecnologias para disseminar ideias revolucionárias na perspectiva do filme Os Edukadores com “K“ de 2004. Uma “curtida“ como lembra Cynara Menezes “como instrumento de regozijo político“ isso não dá pra continuar. Tem que mudar, “Curtir” é interessante para mostrar a rede de amigos uma notícia importante social, economica, politicamente e sensibilizar e fazer debates presenciais, sem marcar encontro no facebook, é claro. “Comentar “ existem muitos comentários racistas, homofóbicos, machistas isso dá gera violência e violência e uma mudança na vida familiar. “Comentar “ podemos usar no mesmo sentido do primeiro.E finalmente “Compartilhar” compartilhar um documentário, por exemplo é interessante.

Responder

Fernando em 14/01/2014 - 19h48 comentou:

As redes sociais não são cúmplices, não estimulam ou redimam tais pessoas e comportamentos, simplesmente as desmascaram. Salve a internet, as redes sociais e o inexorável impulso para o futuro.

Responder

Rei Simões em 14/01/2014 - 19h54 comentou:

Achei com muita propriedade e acerto a matéria acima "As redes sociais…". Mas não devemos esquecer que este analfabetismo político remonta a muito mais tempo e ainda assim, com suas válvulas de escape que independiam da internet. Podemos nos lembrar que Lula só foi eleito a presidente pela primeira vez pelo fato de Roseana que estava no topo ter caído após escândalo com marido. Não podemos esquecer também, que apesar das "diretas já" o presidente Tancredo foi eleito por colégio eleitoral e que por não ter podido assumir a presidência, Sarney não poderia ter sido vice, portanto nunca presidente. Portanto sabemos que a nova democracia brasileira nada mais é que um outro golpe de estado. Vivemos assim, uma ditadura civil, onde justamente por colocar seus anseios em circos estratégicos oferecidos pelo poder, o povo sistematicamente esquece-se de tudo o que o afeta social e politicamente ao redor.

Responder

Maria em 14/01/2014 - 19h59 comentou:

Esse falso sentimento de justiça sentido ao ´compartilhar´ e ´curtir´ textos ´políticos´, previamente manipulados pela mídia, revela a incapacidade do brasileiro de sair da menoridade e da indolência herdados de um sistema patriarcal e explorador. Assim, assuntos de relevância e urgência infelizmente se tornam pouco aprofundados. Vivemos a era da pseudoparticipação e da pouca ação!

Responder

Alvaro Fernando em 14/01/2014 - 20h02 comentou:

Falou tudo!
Esse pessoal, se soubessem o poder que têm, já estaria comemorando as vitórias nas urnas há muito tempo!
Mas eles ignoram tanto e tão completamente o que seja verdadeiramente a Política que não poderia dar outra: terminam sempre como começam – trocando lamentos no Facebook…

Responder

SAMUCA DESIQUEIRA em 14/01/2014 - 20h58 comentou:

Papagaios! vêem na televisão e vêm curtir e compartilhar no facebook!! É difícil encontrar a verdade? É! Mas não é impossível, nas próprias redes sociais, encontramos post's interessantes, mas, passam por cima, procurando fotos de receitas, entre outras besteiras que só fazem engrossar o cordão dos chamados 'analfabetos políticos', infelizmente!!! Nem nas fotos de ''leões na ruas, e burros nas urnas'' prestam atenção!

Abraço,

Responder

Sâmara em 14/01/2014 - 21h19 comentou:

Vc fala pelos analfabetos políticos? vê a realidade acima dos meros mortais, nossa q gênio! proponha algo diferente.. Socialista Morena!rsrs

Responder

Lafaiete Spínola em 14/01/2014 - 21h20 comentou:

Simples! Vivemos numa sociedade de exclusões!

E a maior das exclusões é a falta de educação básica!

Em 2002 o Fernando Henrique Cardoso deixou seu último mandato com cerca de míseros 3.8% do PIB investidos na educação.

Já se passaram 12 anos! Estamos investindo pífios 5%. Se desde então, o novo governo, que recebeu o meu voto, tivesse dado a importância que a educação merece, acrescentando 1% anualmente, pergunto: Quanto estaríamos investindo, hoje?

O que se cumpriu, ao pé da letra, foi a famosa carta ao povo brasileiro. Uma grande prova foi a manutenção da dívida pública que já consome quase 50% do orçamento.

Com os 15% do PIB para a educação, criando-se uma CPMF exclusiva e fazendo uma auditoria da dívida publica, não necessitaríamos dessa esmola que é o bolsa família. Apoiei, apenas, como emergência!

Apesar das minhas publicações, nos Blogs e no Facebook, não vejo esse assunto sendo, seriamente, discutido. Talvez estejam, aí sim, esperando uma sociedade justa para a implementação dessa considerada utopia. O tempo passa, as águas rolam e o silêncio impera!

Vamos deixar de, apenas, discutir. Precisamos dar início a um projeto audacioso pela educação. É difícil, mas é o caminho!

Só assim, vamos diminuir as exclusões e as injustiças.

Só assim, deixaremos de ter uma juventude excluída, sem a necessidade de organizar “ROlezinhos"!

Em lugar de cadeias para os nossos jovens pobres, precisamos construir escolas descentes!

Necessitamos federalizar a educação básica!

Escola, em tempo integral! Grandes centros escolares, com café, almoço, janta, estrutura esportiva e transporte.

Leia meu tópico: UM PROJETO PARA A EDUCAÇÃO NO BRASIL.

Responder

Fábio Santiago em 14/01/2014 - 22h34 comentou:

"Sei não!" Vejo uma coisa acontecendo que não acho bom. Não é defendendo ninguém, mas para ser presso político no Brasil, tem que ser do PT ou ligado ao PT. A tantas imoralidades, mais feios que o "mensalão" aqui feitos por outros políticos e partidos, e só vejo eles se lascando. Nunca vi jugarem os "mensalões" dos tucanos, Sarneys, Covas,… Será que estamos limpando mesmo o País como diz a mídia?

Responder

PAULO em 14/01/2014 - 22h57 comentou:

OS ANALFABETOS POLITICOS, SÃO OS QUE ELEGEM OS MAUS PLITICOS, EM TODOS OS NÍVEIS

Responder

Sergio B em 14/01/2014 - 23h42 comentou:

A informação que chega é sempre banal e sensacionalista !

Se uma vez por semana pudessemos ter acesso a informações que nos guiassem para uma sociedade mais justa o nosso mundo seria melhor e não estariamos perdidos com tantas calmidades.

Quem é o professor do cidadão é o jornalista.

Precisamos de professores que falem a verdade e de forma mais clara para que possamos sermos mais entendidos e darmos melhores soluções para os nosso problemas.

Responder

Indignada em 15/01/2014 - 01h11 comentou:

Os petistas viraram especialista em defender o indefensável (os gastos e atrocidades das Copas e da Olimpíada, agora dfendem a família Sarney). E ainda investem o discurso colocando os críticos como analfabetos políticos…piada de salão…isso dá uma tese de doutorado "A desmaterialização da realidade: os discursos do PT e dos petistas"

Responder

Francisco Casaverde em 15/01/2014 - 02h01 comentou:

Cynara, eu sou seu fã!
Francisco Casaverde

Responder

Anderson Diego F em 15/01/2014 - 11h45 comentou:

Parabéns Cynara, excelente reflexão essa sua.

Responder

Michel em 15/01/2014 - 12h20 comentou:

Cynara, parabéns pelo texto maravilhoso!!

Penso que deveríamos imprimir, emoldurar e pendurar esse texto na parede das nossas salas.

Responder

Ellen em 15/01/2014 - 13h11 comentou:

Sim, é vdd isso. Mas alguns pontos não concordo, sobre os mensaleiros, se eles foram julgados de forma justa e foram condenados e pelo fato de políticos quase nunca pagarem por seus crimes no Brasil, acho válido a comemoração. Não quer dizer que todos achem que tudo virou um mar de rosas, mas já indicaria uma melhora para mais justiça no país. No fundo, toda essa "burrice" que vemos nas redes sociais nada mais é do que um reflexo da porcaria que são nossos políticos que não se preocupam em educar a maioria da população e, nisso, PT e PSDB podem dá as mãos, porque nenhum deles melhorou a educação. PS: Claro que mesmo o PT estando longe do ideal, ainda é mil vezes melhor do que o PSDB

Responder

Oscar P. da Mata em 15/01/2014 - 13h43 comentou:

Excelente texto! Bem vinda de volta ao universo das reflexões e dos debates acerca das questões sociais. As redes são isso: um "lugar" onde se pode encontrar e debater com gente que nunca se encontraria na vida real.

Responder

hilton em 15/01/2014 - 19h10 comentou:

Eu duvido que você escrevesse esse texto se a Roseana estivesse no PSDB. Aliás se não fosse a aliança com o PT, o Maranhã já estaria sob intervençao federal. Quem manipula quem, cara pálida?

Responder

    morenasol em 15/01/2014 - 19h15 comentou:

    já que sua capacidade cognitiva é minúscula, vou te elucidar uma coisa: no texto acima não tem nem uma só menção ao PSDB e, no entanto, há uma crítica direta ao governo federal, do PT. você é um dos analfabetos políticos que só enxergam miudezas e é incapaz de ter uma visão macro dos problemas brasileiros, sinto dizer

    hilton em 16/01/2014 - 02h00 comentou:

    Não tem menção ao PSDB (tão desprezível quanto o PT), somente porque esse argumento esgotou-se e de cara desqualifica um texto, que se pretenda minimamente sério. Sou um dos muitos analfabetos políticos que já votou no PT , trabalha numa estatal e sei de coisas que vc jamais publicaria aqui (até porque, de onde mesmo vem seu salário?)

    morenasol em 16/01/2014 - 02h03 comentou:

    foi você quem falou no PSDB, amigo! releia seu comentário. eu recebo meu salário da revista carta capital. e você? quem te paga?
    outra coisa: saber de "coisas" e não denunciar é crime de prevaricação

    hilton em 16/01/2014 - 02h25 comentou:

    Quem me paga é o governo, fiz um concurso, fui aprovado e não estou lá por ser um socialista moreno. E sim vejo, diariamente o seu partido (tão ético) empoleirado na empresa sugando o que pode para fazer o caixa 2. E você diz que eu estou prevaricando?! Intimidação rasteira , que não me pega, típica de quem se sente protegido por estar do lado do poder. É fácil , covarde e vil. Mas não será pra sempre!

    morenasol em 16/01/2014 - 02h46 comentou:

    quem não denuncia coisas erradas, prevarica. é cúmplice. não tem intimidação alguma, só a da sua consciência. ou então está mentindo.
    eu não tenho partido. voto no PT quando quero e quando não quero, voto em outro partido. gosto do PSOL também, que já foi PT. e votei no brizola. você deve ser um desses também que "não tem partido", né?

    hilton em 16/01/2014 - 02h59 comentou:

    "não tem intimidação alguma"?!!! Uau, você está mesmo num patamar muito distante do meu…eu vou lá na ouvidoria dizer "olha, seu guarda, sabe aquele ex-sindicalista que agora virou chefe e está trazendo todos os outros ex-sindicalistas pra trabalhar na área que no passado os tucanos usavam pra fazer caixa 2? , então, eles são muito burros sabe e deixam todas provas espalhadas por aí, pode procurar que é SUPER facil de achar, Mas por favor, prende todo mundo porque eu acredito em papai noel…e no Zé Dirceu" Seria engraçado, se não fosse uma tragédia que não tem fim… e voto no PSOL, SEMPRE!

newtoncd em 15/01/2014 - 19h51 comentou:

Cynara, como você pode afirmar que o povo "vota mal" se na maioria das vezes você vota num determinado candidato, mas quem se elege é outro do mesmo partido que você não gosta ou nunca ouviu falar? Por acaso você conhece alguém que votou no deputado Jean Wyllys que se elegeu com pouco mais de 13.016 votos? E a candidata Bruna Furlan de SP que teve 270 mil votos e não se elegeu por não ter atingido o "quociente eleitoral"?
Este é o sistema eleitoral mais cheio de pilantragens do mundo e está aí até hoje favorecendo os mais incrédulos personagens da política deste país.

Responder

ARMEIDA em 15/01/2014 - 21h02 comentou:

Como assim!??… é ÓBVIO que lugar de bandido é na cadeia. Onde mais seria, Cynara? Bandido tem que ser segregado, sim. Tem que ser punido, sim. Se nossas cadeias são horrorosas e não dão a menor possibilidade de correção, se existe um aparthaid no Judiciário brasileiro, se nossas elites são tão burras quanto cruéis, se temos um abismo social enorme, isso tudo é uma outra história. A tão sonhada revolução na educação tem que acontecer junto com uma reforma no sistema prisional, infelizmente. Quem mais sofre com a tragédia da falta de segurança pública é o mais pobre, que vive cotidianamente em perigo. Portanto, quem mais grita pela ausência dos bandidos, dos monstros que criamos, é a periferia. Não tenha dúvidas quanto a isso.

Responder

Tessalia em 15/01/2014 - 21h47 comentou:

Tomei "bode" para não dizer nojo mesmo das tais redes sociais, em especial o Facebook. Não entro mais. Faz tempo. É muito "revoltado" prá pouco espaço. Muito pseudo-político, pseudo-economista, pseudo-psicólogo e tudo o mais de quanto há de filósofos de botequim, que querem postar frases feitas para lhes proporcionar a ilusória sensação de que são inteligentes e engajados. É um tal de compartilhe isso e aquilo (contra políticos claro), porque para essa gente políticos vieram de Marte, não foram eleitos por eles. Essa gente com certeza continuará votar nos mesmos, como se seus protestos fossem jó um joguinho de vídeo-game da hora que alguém lhes convidou para jogar. Além disso, o que me causa mais asco foi que a maioria de uma hora para outra virou expert em direito e adora se posicionar enxovalhando qualquer um que seja pego pelas malhas da justiça, culpado ou não. Não que nossos políticos sejam santos. Não, mas o indignante é que não poupam ninguém de sua língua virulenta e nem do seu prazer em vibrar com a desgraça alheia. Parece que estamos mesmo na era do Grande Irmão, e 1984, de George Orwell nunca foi tão atual como nesses tempos atuais. Agora me desculpe Cynara, mas que os Sarney tem culpa na crise prisional lá isso tem. E é preciso tomar alguma atitude para quebrar a hegemonia daquela família no Maranhão, senão como haveriam mudanças? Querer amenizar o lado dos Sarney nesta crise, é se comportar como os tais analfabetos políticos que vc critica no texto.

Responder

marilza em 16/01/2014 - 00h52 comentou:

As redes sociais são espaços democráticos, onde os analfabetos podem se expressar sem pudor. Estão c.. e andando para a avaliação das sumidades políticas. além do mais. qual é a diferença entre votar certo ou errado, se as urnas são uma fraude?

Responder

Rafael em 16/01/2014 - 01h28 comentou:

Cynara Menezes deve achar que nós leitores somos imbecis… este poste é tão absurdo que dá preguiça de rebater o óbvio. Mas vamos lá… analisando parte por parte:

“Um efeito curioso das redes sociais (…) manipulados pela mídia.”

Vou ter que concordar. De fato, os analfabetos políticos são manipulados pela mídia. Só esquece de dizer que ela mesma faz parte da “mídia manipuladora” né? Esquece também que a mídia brasileira é dominada em boa parte pela esquerda…então não venha com esse bicho-papão de mídia manipuladora que não cola!

“Como preferem ignorar (…) problemas que padecemos.”

Legal que Cynara sabe em quem cada brasileiro que reclama do governo votou, não acham? Acha que por que a maioria da população votou mal, todos estão de acordo com esse voto… que eu lembre, não houve 100% de votos em nenhum candidato. Além disso, mesmo quem votou nos políticos no poder tem o DIREITO reclamar e cobrar os políticos. O exercício da cidadania não acaba no voto, pois como a própria diz, temos responsabilidade com o destino da cidade, Estado e país. Ela acusa os internautas de fugirem da responsabilidade cívica quando eles estão exercendo isso, mesmo que de modo superficial.
Outra coisa bacana é que ela tenta ironizar quem senta na cadeira em frente ao PC ou com smartfone como se não tivessem fazendo algo de útil… das duas uma, ou ela acha que as notícias são inúteis mesmo sendo jornalista (mais ou menos como um matemático que dissesse que números são balela) ou ela escreve e divulga seus texto no fogão…

“Primeiro foi a prisão dos “mensaleiros”(…)não é mesmo? “Compartilhar”. “Curtir”.”

Vamos começar vê-la listar algumas notícias que entram no que ela considera “notícias que em pouco ou nada modificam os problemas que padecemos”. Começa querendo desmoralizar o acompanhamento midiático do MAIOR ESQUEMA DE CORRUPÇÃO do governo Lula e Dilma: Mensalão. Já era de se esperar, já que ela é ligada a Carta Capital, aquela revista que na semana da prisão dos mensaleiros teve como matéria de capa uma reportagem sobre sapos, lembram? Pois então, Cynara acusa a mídia de passar a imagem de que acabou a má política para ocultar que a corrupção continua. O problema é que ela não prova a tese de que a cobertura da mídia no caso Mensalão serve para encobertar a corrupção. Isso porque ela sabe que um dos objetivos da mídia independente é justamente denunciar os desmandos dos poderosos! Claro que a mídia pelega, por sua vez, se vende ao poder e tenta encobrir a sujeira, chegando ao cúmulo de dizer que investigar a corrupção gera mais corrupção! Resumindo, não comprovou a tese que a mídia manipuladora gera o comportamento de analfabetização política e a falsa sensação de correção das mazelas políticas.

“Agora são as cadeias (…)da câmera de TV?”

Em seguida fala da terrível situação das cadeias. Sim, temos superlotação e condições desumanas em nossos presídios. Porém soltar o excedente da população prisional é uma medida tola. Primeiro por que isto é decretar a incompetência do Estado em confinar os criminosos. Pode soluciona-se a superlotação carcerária com outras medidas como construção de mais presídios, presídios privados, etc. Soltar simplesmente os criminosos só coloca em risco o cidadão honesto. “Ah, e os pobres que não podem pagar advogado para pegar condicional?” alguém pode se perguntar. Amigo, ao contrário do que a Cynara fez você pensar, ele não está preso porque é pobre, e sim estar preso por que é um criminoso. O fato de ser pobre não ameniza as consequências dos seus atos. A socialista morena também diz que os políticos não fazem a sua “brilhante” solução para não perder votos da massa de analfabetos políticos que desconsideram a humanidade dos criminosos. Agora ela quer forçar a barra dizendo que quem não concorde com soltar a superpopulação não liga para os direitos humanos dos presos, sendo que existe outras soluções como as já citadas, que garantem tanto a punição como os direitos humanos (de criminosos E cidadãos honestos)! Quanto ao “choque nas redes sociais” ante as cenas de selvageria ela tenta ironizar… contudo ela acaba mostrando o contrário do que queria dizer. Vemos a empatia dos “analfabetos políticos” ante a uma cena de barbaridade, ato cruel e DESUMANO que está sendo promovido pelos próprios criminosos que os “analfabetos políticos” consideravam DESUMANOS segundo a Cynara.

Responder

Rafael em 16/01/2014 - 01h29 comentou:

Continuando…

“Seria preciso ainda (…)nos últimos dez anos.”

Não querida, eles não estão presos por que são negros e moram em favelas, eles são presos porque traficaram drogas… e ainda defende que eles tem que ser soltos?! Eu não sabia que ser negro e favelado me dá o privilégio de traficar drogas sem ser punido… Em seguida falar da suposta hipocrisia da classe média quanto o consumo de drogas. Só que a classe média é um conjunto de pessoas que tem em comum a condição financeira, e não ideológica! Na classe média há sim os hipócritas, como os que defendem abertamente as drogas, os que expulsariam o filho maconheiro de casa, os que fariam de tudo para tirar os filhos do vício, etc. Este é uma das maiores mentiras esquerdistas quando deformam o conceito de classe: tentar generalizar o comportamento dos indivíduos a partir de um preconceito (conceito prévio) de classes. Os indivíduos moldam as classes, não o contrário. E é por isto que o tal secretário caiu: a maioria dos cidadãos brasileiros são contra as drogas, independente das classes sociais, e o que ele propôs seria um desgaste político muito grande para a presidente. Por fim, ela reclama do ministro da Justiça não ter melhorado o sistema prisional… mas não foi a mesma que disse que basta simplesmente soltar os criminosos pobres e os traficantes negros e favelados? Então pra que investir em sistema prisional?

“Há coisas tão fáceis (…) a prisão dos “mensaleiros”?”

Absurdo é a força de vontade para ler este texto…mas vamos lá. Primeiro, o que a má gestão e a corrupção no sistema prisional tem haver com as pessoas se manifestarem sobre as notícias nas redes sociais? E novamente apresenta a tese que a mídia fez parecer que com prisão dos mensaleiros acabou com o caixa 2. Só que única que acredita nisso é a própria, ela não prova que os “analfabetos políticos” foram manipulados pela mídia.

“No mundo mágico (…) sensação de alma lavada.”

Ah, desculpem, aí está a relação, entre os curtidores e comentadores de notícias analfabetos políticos e as mazelas das masmorras! A grande mazela do Brasil é o sistema prisional! Os males que os cidadãos de bem, trabalhadores honestos que são extorquidos por impostos absurdos e por políticos desonestos e recebem de volta serviços públicos de péssima qualidade em educação, saúde, segurança, transporte e etc são secundários, devemos priorizar a defesa dos direitos dos presidiários! Como se não se pudessem fazer as duas coisas ao mesmo tempo… e o texto está quase acabando e nada dela provar o tal “fenômeno da falsa sensação de forra dos políticos”.

“Em um momento (…) lares do crime.”

Eu não sou especialista, mas vou ter que explicar coisas básica e lógicas. Primeiro, nos países menos violentos do mundo tem menos gente presa e melhores prisão por que são menos violentos (por n motivos que não cabe ser discutido aqui) e não o contrário, de que por prenderem menos e terem melhores prisões são por isso menos violentos. E se lugar de bandido não é na cadeia, é aonde, solto? Por uma questão física, se o bandido estiver tivesse preso ele não teria como invadir os lares… Mandamos o cidadão honesto pra cadeia então? Acho que não, mas tenho uma sugestão: já que bandido não pode ficar na cadeia, que fiquem na casa de Cynara Menezes e outros defensores dos seus direitos, assim tanto a garantia dos direitos humanos vai ser fiscalizada de perto quanto os lares vão estar protegidos dos crimes.

“O que vai acontecer agora?(…) “Compartilhar”. “Curtir”.”

A socialista morena digitou e digitou e nada de provar a tese da mídia manipuladora e no final, de onde menos se espera… é que não sai nada mesmo. O que vimos foi que, diante das opiniões de “reaças” nas redes sociais, Cynara reage digitando um show de bobagens para defender agendas de esquerda como amordaçamento da mídia em relação aos crimes de poderosos “do bem” (ex: quadrilha dos mensaleiros) e apedrejamento aos poderosos do mau (ex: clã Sarney), impunidade para criminosos e cerceamento da liberdade de expressão do povo, mesmo na forma de um insignificante “Compartilhar” e/ou “Curtir”.

Responder

Ludmila em 16/01/2014 - 12h38 comentou:

E que tal esse "analfabeto político" denominado pela autora, que compartilha e curte comentários nas redes sociais, e através dessas informações trocadas nas redes, e leituras mais aprofundadas, consegue definir um político "menos pior" pra votar, porque não acredito que no Brasil hajam "votações corretas", que através das redes sociais marcam encontros para fazerem debates externos, mobilizações e protestos nas ruas. Eu sou uma cidadã que utiliza das redes sociais para ler jornais e revistas de esquerda e de direita, que compartilha e curte comentários políticos e que vai às ruas quando organizado algum protesto através das redes sociais, que define o político menos pior, menos corrupto, e não o "político correto" como define a autora, através das redes também, e não apenas. Boto minha mão no fogo que a maioria das pessoas que comentaram aqui, que leram este artigo, também se enquadram, que inclusive chegaram neste artigo através das redes sociais, e que são pessoas que não participaram dos protestos, que reclamaram que o povo não sabe o que quer, que reclamam que compartilhar politicagem no facebook é a mesma coisa que nada, mas estas mesmas pessoas que apontam o dedo, não saem de suas casas, ou das redes sociais, "para a vida real".

Responder

Gilvando Cruz em 16/01/2014 - 13h57 comentou:

Cynara Menezes, parabéns!!!
Sua autobiografia autorizada ficou perfeita.

Responder

Paulo em 16/01/2014 - 17h35 comentou:

Eu acho engraçado como a esquerda tem medo da internet se eles pudessem eles fechavam o facebook kkkkk

E depois falar em analfabetos politicos? É realmente a galera da internet é analfabeto politico, a galerinha q ganha esmola do PT e assiste a GROBO é q são letrados kkkk

Vindo de quem ta tentando livrar a cara dos Sarney's não me surpreende…

Não era a familia Sarney q o PT tanto metia o pau e q agora defende com unhas e dentes?

Responder

Galvão em 16/01/2014 - 18h03 comentou:

Se o Governo deixasse de gastar dinheiro com propaganda e investisse em construir cadeias decentes, já seria um grande avanço.

Responder

carlos prado em 16/01/2014 - 18h55 comentou:

Para que deveríamos escolher quem deve nos comandar? Que grande honra é ter esse "direito" de escolha!
O pensamento da esquerda(os socialistas adoram excluir todos os outros e dizer ser a única esquerda) é caracterizado pela crença num homem naturalmente puro que é corrompido pelas instituições sociais e que um homem iluminado pode reformar toda a sociedade para torná-la mais justa. Deriva do pensamento racionalista do iluminismo francês. Já o pensamento característico de direita, derivado do empirismo do iluminismo inglês, é mais realista e sabe que não é o homem puro e sabe que não existe um iluminado capaz de satisfazer a todos. E não adianta nascer este "iluminado" enquanto houver um cargo com a capacidade de ditar a vida de todos, pois este pode ser possuído ou patrocinado por alguém que não satisfaria a vontade geral.

Quero entender então o porque eu deveria ter consciência politica para escolher quem vai mandar em mim. Numa relação de comercio eu troco algo que eu possuo ou posso fazer por outra coisa que desejo. Ambos os lados saem ganhando se aceitarem voluntariamente os termos da troca. Se alguém vive disso e não está satisfazendo o outro lado, o cliente, então este fali. Porém não posso escolher a cada momento de quem quero adquirir os serviços oferecidos no monopólio estatal. Tenho que aceitar uma decisão momentânea da maioria por um longo período. E não posso me queixar e ir para a concorrência. O meu escolhido tem o monopólio da violência "legal" e pode acabara comigo se eu não atender as vontades dele. E mais, se numa relação de comercio justa os dois lados são beneficiados, já agora uma empresa ineficiente mais que é "amiga" do governo pode receber uma parte da pilhagem emprestada a juros negativos.
Devo mesmo escolher quem mandará em mim? Não seria melhor eu ter consciência politica para lutar por poder viver a vida como eu quero e formar minhas relações voluntariamente? Ou você é mais uma daquelas socialistas que quer um esquema de estado forte para quando sua revolução ficar pronta você poder fazer parte da classe alta, a que domina o proletário?

Responder

Ariane em 16/01/2014 - 23h01 comentou:

Grandes verdades. Discordo apenas do final, pois acredito que os políticos sabem como deveriam agir, visto existir uma vasta experiencia internacional de caminhos bem sucedidos. O problema ao meu ver é a INEXISTÊNCIA DE APOIO POPULAR para ações necessárias de cunho socialista e humanista no Brasil. E é claro, os nazistas travestidos de liberais adoram isto!

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

As vidas possíveis de José Serra


1. Após oito anos como prefeito de São Paulo, José Serra deixou o cargo com a popularidade em alta em 2012. Avaliado como “bom” e “ótimo” pela ampla maioria dos paulistanos, Serra melhorou o trânsito…

Direitos Humanos

Não só as ricas: mães e gestantes pobres também terão direito à prisão domiciliar


Supremo concede benefício a presas provisórias com filhos até 12 anos; debate se iniciou com habeas corpus a Adriana Ancelmo, ex-primeira-dama do Rio