Socialista Morena
Mídia

“Bovid-19”: variante brasileira do coronavírus preocupa o mundo

Imprensa internacional questiona se a nova cepa surgida em Manaus coloca em xeque a "imunidade de rebanho"

Ilustra de Aroeira
Cynara Menezes
25 de janeiro de 2021, 21h03

Bovid-19, Bolsovírus, B17… Oficialmente chamada de P1, não faltam sugestões de apelidos para a variante do coronavírus que surgiu no Brasil. Mais rápida, grave e letal entre os jovens do que a forma mais conhecida da doença, ela já é responsável por quase metade das infecções em Manaus. Na imprensa internacional, a “variante brasileira” ganhou manchete em todos os veículos importantes, o que certamente acarretará novas dificuldades lá fora para os cidadãos do país, já impedidos de entrar no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Como se não bastasse Bolsonaro ter tornado o Brasil “persona non grata” mundo afora (ou “pária”, como prefere seu ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo), agora temos um vírus para chamar de nosso

“Alemanha detecta o primeiro caso da variante brasileira”, titulou a Deutsche Welle, a agência pública de informações alemã, na última sexta-feira, 22 de janeiro. O homem infectado, assintomático, chegou em Frankfurt vindo do Brasil e testou positivo para a nova forma do vírus. No dia anterior, a agência havia publicado uma reportagem afirmando que a variante brasileira é uma das principais preocupações no mundo hoje, ao lado de outra surgida na África do Sul.

A rádio pública norte-americana NPR noticiou que a violenta nova onda de infecções no Amazonas contraria uma estimativa publicada em abril pela revista Science, que defendia que, como 76% dos moradores de Manaus tinham se infectado, a capital amazonense teria atingido a tal “imunidade de rebanho” –o que foi desmentido pelo surgimento da nova cepa. “Chamada P1, a variante tem cerca de 20 mutações, incluindo três que são particularmente preocupantes. Estas mutações podem fazer o vírus mais infeccioso e poderiam diminuir a eficácia das vacinas contra a variante”, diz a reportagem.

Já a britânica BBC perguntou, em manchete, nesta segunda-feira: “Quão preocupantes são as variantes do coronavírus britânica, brasileira e sul-africana?” A TV pública começa respondendo que a cepa brasileira se diferencia das outras duas por ser única. Só surgiu aqui, enquanto a sul-africana e a britânica apareceram também em outros países (pelo menos 20, no caso da primeira, e 50, no caso da segunda). Segundo a BBC, a variante brasileira é mais similar à sul-africana em termos de mutações, mas as três “podem ser mais contagiosas” do que a Covid-19 original.

Na imprensa internacional, a “variante brasileira” ganhou manchete nos veículos mais importantes do mundo, o que certamente acarretará novas dificuldades para os cidadãos do país, já impedidos de entrar no Reino Unido e nos EUA

A agência de notícias Reuters distribuiu uma matéria na sexta-feira 22 sobre o assunto. “Nova variante brasileira do coronavírus encontrada em quase metade dos infectados em cidade da Amazônia”, é o título do texto. No início do mês, outra reportagem alertava para uma frase do primeiro-ministro britânico Boris Johnson: “Reino Unido procura formas de se proteger contra a variante brasileira da Covid-19, diz PM Johnson”, dizia a reportagem. No dia seguinte, Johnson proibiu a entrada de viajantes do Brasil no país, que teve nove casos confirmados de infectados pela nova cepa até agora.

Na tarde desta segunda-feira, o Washington Post noticiou o primeiro caso nos EUA de infectado pela “variante brasileira” do coronavírus: “Minnesota confirma primeiro caso norte-americano da variante brasileira”, informou o jornal, que se refere à nova cepa como “altamente transmissível”. De acordo com o departamento de saúde do Estado, trata-se de um residente em Minnesota que viajou recentemente ao Brasil. Não à toa, uma das primeiras providências de Joe Biden foi anular a decisão de Donald Trump de permitir a entrada de brasileiros no país, festejada pelo bolsonarismo. Os viajantes que saem do país continuam proibidos de entrar nos EUA.

“Covid-19: o que sabemos sobre a preocupante variante brasileira?”, perguntou o francês Le Parisien. “Uma variante brasileira da Covid-19 preocupa o Japão”, titulou o Le Monde. “Covid-19: o exemplo brasileiro mostra a falha da imunidade de rebanho?”, questionou o Le Figaro. Na Itália, o primeiro caso de infecção pela variante brasileira foi noticiado também nesta segunda: um homem em Varese que voltou do Brasil via Madri, informou a agência de notícias italiana ANSA, acrescentando que a fabricante de vacinas Moderna já cogita uma terceira dose de reforço para conter as variantes do coronavírus.

Nesta segunda-feira, o Washington Post noticiou o primeiro caso nos EUA de infectado pela “altamente transmissível variante brasileira” do coronavírus. Biden anulou decisão de Trump e manteve a proibição de entrada de brasileiros no país

Em Portugal, os jornais noticiam a preocupação de que o país, lotado de brasileiros, sirva como porta de entrada na Europa para a nova variante detectada em Manaus. “Esta variante ainda não foi confirmada em Portugal, mas já levou o Reino Unido a cancelar todos os voos a partir de território português”, informou a SIC Notícias. “Os virologistas pedem atenção redobrada e testes diferenciados que vão começar a ser feitos em Portugal pela rede de laboratórios Synlab às novas variantes do coronavírus.”

Como se não bastasse Bolsonaro ter tornado o Brasil “persona non grata” mundo afora (ou “pária”, como prefere seu ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo), agora temos um vírus para chamar de nosso.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(1) comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Bernardo Santos Melo em 26/01/2021 - 01h49 comentou:

Brasil multi pandêmico , além do vírus lotado no palácio do planalto a variante manauara do COVID 19 já provocou o caos com direito a falta oxigênio e mortes de bebês prematuros , assim segue o fado e a sina da população amazônica .
Imagino a ira do governador Doria ao deparar-se com as dificuldades advindas dos grosseiros comentários da FAMILÍCIA CARIOCA , preconceituosos e detratores do povo chinês a turma do BOZO enoja e revolta quaisquer brasileiros de mínimo bom senso e desejoso por vacinação em massa , parece que não vivemos uma pandemia e sim um genocidio programado como bem demonstra brilhante pesquisa de cientistas políticos da USP , o que resta sabermos sobre esta plêiade de NEOFASCISTAS necrófilos que insistem na desconstrução desavergonhada de nosso futuro ?
Até quando o sargento Tainha mentirá sem ocorrer sua defenestração , talvez a senha do genocídio arquitetado mereça ser redefinida abruptamente , eu opto por afirmar que a nova tarja a ser colada na testa do Capetão seja a palavra ENCOSTO , é isso mesmo BOZO é um ENCOSTO AMALDIÇOADO , algo acima da razão e próximo da ficção de um MITO FÉTIDO que espalha seu mau agouro odioso a cada palavra proferida .
Só vejo uma solução : descobrirmos quem mandou matar Marielle ?

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

A tragédia brasileira: começa a era dos Milicos do Senhor


Confira no post as imagens mais toscas (e sinistras) da posse de Jair Bolsonaro

Politik

Há um ano, aprisionaram a esperança para que o ódio chegasse ao poder


É preciso tirar Lula da prisão o quanto antes para salvaguardar o que nos resta de democracia. Mas como?