Socialista Morena
Cultura

José Saramago, 90 anos: “Ser comunista é um estado de espírito”

Uma pergunta perseguiu o Nobel de literatura português José Saramago (1922-2010) durante boa parte de sua vida: por que o senhor continua se dizendo comunista?, ouviu centenas de vezes. E sempre respondia: “Porque ser comunista ou ser socialista é um estado de espírito”. É algo que muita gente teima em não entender e confundir com […]

(Jorge Amado e José Saramago no Pelourinho. Foto de Zélia Gattai)
Cynara Menezes
16 de novembro de 2012, 15h05

(Jorge Amado e José Saramago no Pelourinho em 1996. Foto de Zélia Gattai)

Uma pergunta perseguiu o Nobel de literatura português José Saramago (1922-2010) durante boa parte de sua vida: por que o senhor continua se dizendo comunista?, ouviu centenas de vezes. E sempre respondia: “Porque ser comunista ou ser socialista é um estado de espírito”. É algo que muita gente teima em não entender e confundir com partidos ou regimes fracassados… Sinto imensa saudade de Saramago.

Reproduzo um texto do escritor sobre o tema:

“Que significa hoje ser escritor comunista? À margem das distinções mais ou menos sutis que poderíamos fazer entre ser-se um escritor comunista e um comunista escritor (não é certamente o mesmo, por exemplo, ser-se jornalista comunista e comunista jornalista…), creio que a pergunta não vai dirigida ao alvo que mais importa. Pelo menos em minha opinião. Tiremos o escritor e perguntemos simplesmente: Que significa ser hoje comunista? Desmoronou-se a União Soviética, foram arrastadas na queda as denominadas democracias populares, a China histórica mudou menos do que se julga, a Coreia do Norte é uma farsa trágica, as mãos dos Estados Unidos continuam a apertar o pescoço de Cuba… Ainda é possível, nesta situação, ser-se comunista? Penso que sim. Com a condição, reconheço que nada materialista, de que não se perca o estado de espírito.

Ser-se comunista ou ser-se socialista é, além de tudo o mais, e tanto como ou ainda mais importante que o resto, um estado de espírito. Neste sentido, foi Ieltsin alguma vez comunista? Foi-o alguma vez Stalin? A epígrafe que pus em Objeto Quase, tirada de A Sagrada Família, contém e explica de modo claro e definitivo o que estou a tentar exprimir. Dizem Marx e Engels: ‘Se o homem é formado pelas circunstâncias, é necessário formar as circunstâncias humanamente’. Está aqui tudo. Só um ‘estado de espírito comunista’ pode ter presente, como regra de pensamento e de conduta, estas palavras. Em todas as circunstâncias.”

(jornal Público, 10/10/1998)

Em 2008, Saramago foi sabatinado pelo jornal Folha de S.Paulo e declarou o seguinte sobre a “pergunta inevitável”:

“Como é que depois da queda da União Soviética, do derrubamento do muro de Berlim, dos processos de Moscou, da invasão da Hungria, como você continua a ser comunista? Eu poderia responder perguntando: ‘Você é católica? Como é que continua católica após a Inquisição?’ Mas disse: eu sou aquilo que se podia chamar ‘um comunista hormonal’. O que isso quer dizer? Da mesma maneira que tenho no corpo um hormônio que me faz crescer a barba, há outro hormônio que me obriga, mesmo que eu não quisesse, por uma espécie de fatalidade biológica, a ser comunista. é muito simples. Mais tarde, comecei a dizer que ser comunista é um estado de espírito. E é. Pode-se ler Marx, as obras mais importantes que Lenin escreveu, mas no fundo, no fundo, é um estado de espírito. (…) Marx nunca teve tanta razão como agora.”

E, por fim, por que o socialismo não deu certo, Saramago?

“O socialismo não se pode construir nem contra os cidadãos nem sem os cidadãos, e por isto não ter sido entendido é que a esquerda é hoje um campo de ruínas onde, apesar de tudo, uns quantos ainda teimam em buscar e colar fragmentos das velhas ideias com a esperança de poderem criar algo novo… ‘Irão consegui-lo?’, perguntaram-me, e eu respondi: ‘Sim, um dia, mas eu já cá não estarei para ver…’

(Cadernos de Lanzarote, volume V)

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(9) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Paulo César em 16/11/2012 - 15h47 comentou:

Que texto confuso para um assunto tão interessante! Acho que tem um problema na diagramação que me faz ter dificuldade de separar o que foi dito por quem, e em que momento.. Ou é picuinha de designer 😛

Enfim, eu realmente me incomodo com a visão endemoiada do comunismo que a maiora das pessoas tem.. Mas o que se pode fazer se a propaganda é tão forte né?

A propósito, genial a comparação com o catolicismo! Eu não gosto de religiões, mas essa sacada dele foi demais: o fato da igreja ter feito coisas monstruosas não deveria ser usado como uma critica à religião em si. Bem interessante, vou tentar guardar isso para evitar mais preconceitos…

Responder

    morenasol em 16/11/2012 - 15h54 comentou:

    é simples: tudo que está entre aspas foi escrito por saramago. tudo que não está, não

    puelocesar em 20/11/2012 - 12h01 comentou:

    Ok, agora eu sei que estou sendo cuzão. Eu admito, mas dá uma olhada nessas dicas de citação: http://www.smashingmagazine.com/2008/06/12/block-… (ignore as partes de código)

    Eu sei que o importante é o conteúdo, mas apresentação faz uma diferença para os ceguetas como eu 😛

Natália em 03/11/2013 - 19h28 comentou:

Concordo bastante.. mas o principal motivo para não ter dado "certo" o comunismo /socialismo, é que ambos nunca existiram.. Segundo Marx, para chegar no comunismo, seria necessário inicialmente ter um capitalismo avançado, no sentido de que , não há como dividir pobreza. Quando chegar nesse estado de avanço, haverá uma redução significativa da desigualdade social, consequentemente a introdução do socialismo, este, um modo de produção passageiro, assim como o mercantilismo (no período de transição do feudalismo ao capitalismo). E consequentemente o comunismo. Entretanto é notório que hoje é utópico, que a humanidade não chegou nem perto de conhecer de fato o socialismo ou comunismo, além do primitivo.

Responder

ceticista em 26/05/2014 - 21h55 comentou:

██ A culpa eh sempre dos EUA e das potencias capitalistas. Admitir os pproprios erros os comunistas nao fazem.

Esse mimimi de Comunismo ideal ta no mesmo patamar da religiao: Cheia de promessas e cumprimento q eh bom, nada.

Capitalismo tem seus defeitos mas ate agora por bem ou por mal é ainda bem-sucedida (mesmo com crises).

Agora se a Socilaista Morena quiser mudar algo se candidate a presidente: deixe a teoria e parta pra pratica em vez de so reclamar do cpaitalismo e blablabla. Ou entao va pra Venezuela, Coreia do norte e faça especialização em Comunismo Real.

BOA SORTE, pq ate agora so tem discurso.

Responder

    Géssica em 27/05/2014 - 12h34 comentou:

    "Capitalismo tem seus defeitos mas ate agora por bem ou por mal é ainda bem-sucedida (mesmo com crises)" => Poderia ser mais específico quando diz que o capitalismo é 'bem-sucedido'? Em que medida? Gostaria de entender seu ponto de vista porque, a meu ver, o capitalismo é excludente e por isso, e mais, mal-sucedido.

    Guilherme em 14/11/2014 - 14h33 comentou:

    "Ou entao va pra Venezuela, Coreia do norte"
    Tava faltando esse lindo argumento! Agora sim!! <3

João Carlos Correia em 20/12/2014 - 18h09 comentou:

Saramago faz muita falta, tanto literariamente como politicamente…

Responder

Gilson Zonato da Luz em 10/11/2017 - 21h54 comentou:

Não concordo quando se diz que “o comunismo não deu certo” tomando por base a queda do regime na antiga URSS. Só a formação dessa extraordinária união de repúblicas já serviria de exemplo para admitir seu sucesso. A fantástica resistência dos comunistas, tanto na Rússia em guerra quanto em toda a Europa e Ásia — inclusive nos outros países do mundo, lutando (sem armas) para que seus governos não apoiassem o Eixo — contra o Nazifascismo foi outra lição de coragem e determinação de homens e mulheres engajados em um pensamento político. O progresso incrível da Rússia, tornando-se em cinquenta anos de uma nação ainda quase feudal em uma super-potência industrial, senhora de tecnologia atômica e espacial. Com um povo, segundo alguns dizem, escravo, no entanto completamente atendido em suas necessidades materiais básicas: ensino e saúde para todos, livre da miséria e pobreza extrema. Nas quais convivem até hoje, mesmo nos países capitalistas mais ricos, grupos numerosos de cidadãos. Não entendo ter fracassado um regime que levou a pobre Rússia czarista à altura da maior potência capitalista, apesar de essa contar com o apoio de todas as nações ricas do planeta e a escandalosa exploração dos mais pobres, enquanto àquela era imposto um bloqueio econômico imoral, de produtos essenciais e de troca de tecnologias. E ameaçada permanente de invasão e sabotagem, tendo por isso de desviar quantias fabulosas de melhorias para seu povo para empregá-las em armas e programas de defesa. Não entendo o Comunismo ter fracassado e ter levado a China, também em prazo curtíssimo, ao pedestal da antiga URSS, estando a um passo de atingir o topo. E não se diga que esse sucesso da China é devido à implantação de núcleos capitalistas em algumas cidades (esta derivação merece comentários à parte), pois antes disso a China já despontava como a terceira potência mundial e seu sistema político, de comando, ainda é plenamente comunista. E a Coréia do Norte, tão maldizida, não tivesse também desviado esforços e recursos imensos para fortificar suas defesas, certamente já teria sido invadida, como qualquer Iraque, Afeganistão, Honduras, Líbia, Granada, Panamá. E como dizer fracassado o Comunismo, quando em uma pequena ilha um valente povo comunista há mais de meio século resiste ao canto de sereia a às ameaças do dragão sinistro às suas portas, impedindo-lhe todo acesso a bens e conhecimentos que lhe faltam, e mesmo assim tornando-se uma nação líder em atendimento médico básico, em educação desde a primária à superior, em desenvolvimento de tecnologias avançadas, como equipamentos nanotecnológicos e vacinas contra cânceres. Para a implantação do Comunismo houveram matanças? Fomes? Destruição? Sujeição de alguns grupos humanos a outros? Sim, claro que houve. E para a implantação do Capitalismo. não houve? Foi tudo pacífico, ninguém se machucou, todo mundo aceitou mansamente? Como os índios e os negros? E acabou a História, o Capitalismo venceu, agora o mundo é feliz e os que pensam em um mundo comunista (os bens comuns a todos) sumiram? Bom, chega, isso não é mais um comentário, é quase um livro…

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

Paulo Coelho: “Por que Lula insiste tanto? Está escrito que não vão deixá-lo sair”


Em entrevista exclusiva, escritor fala sobre seu novo livro, "Hippie", e comenta a situação política do país

Cultura

É a periferia na academia: para passar na Unicamp agora tem que ouvir Racionais


A universidade pública colocou o quinto álbum do grupo, Sobrevivendo no Inferno, na lista de obras obrigatórias para o vestibular 2020