Socialista Morena
Cultura, Feminismo

Pedro Juan Gutiérrez: contra a depilação e o sexo “limpinho”

Evoco um dos meus autores contemporâneos favoritos, o cubano Pedro Juan Gutiérrez, para jogar a pá de cal na “polêmica” em torno da depilação da atriz Nanda Costa nas páginas da Playboy. Vivemos tempos coxinhas, em que a beleza desnuda de uma moça vira coadjuvante diante da moda, exportada pelo Brasil, de arrancar a cera […]

Cynara Menezes
15 de agosto de 2013, 21h32

(O saleroso Pedro Juan em foto do alemão radicado em Cuba Sven Creutzmann)

Evoco um dos meus autores contemporâneos favoritos, o cubano Pedro Juan Gutiérrez, para jogar a pá de cal na “polêmica” em torno da depilação da atriz Nanda Costa nas páginas da Playboy. Vivemos tempos coxinhas, em que a beleza desnuda de uma moça vira coadjuvante diante da moda, exportada pelo Brasil, de arrancar a cera os pelos genitais –quase todos, atualmente. Graças à ditadura da perereca pelada, homens (e mulheres) deixaram de apreciar a suavidade e o mistério dos pelinhos pubianos… O selvagem monte de pelos negros encaracolados da atriz acabaria rejeitado, com certo nojinho, por supostos amantes do sexo feminino.

O querido Xico Sá já defendeu brilhantemente o bosque de Nanda em uma crônica no seu blog. De minha parte, declarei o que pensava sobre o tema no twitter: “Quem gosta mesmo de manga não implica com fiapo”. E prometi publicar aqui essa entrevista curta que fiz com Pedro Juan em agosto de 2005, quando ele veio ao Brasil lançar seu livro O Ninho da Serpente (Companhia das Letras). O cubano, que se gaba de ter transado com mais de 200 mulheres, explica por que depilar e se perfumar em excesso não combinam com o bom sexo. “Às vezes esquecemos que somos animaizinhos”, diz. E não é?

***

Abaixo a depilação*

Desde Trilogia Suja de Havana, seu primeiro livro, Pedro Juan Gutiérrez vem guiando leitores pelo lado P&B da ilha de Fidel Castro: em vez de praias paradisíacas, miséria, violência, prostituição e sexo, muito sexo. O Ninho da Serpente, lançado agora no Brasil, traz o rito de passagem do adolescente Pedro Juan, um relato autobiográfico que inclui a perda da virgindade do anti-herói com uma puta velha e repleta de varizes… De tão crus e cínicos, os relatos causam gargalhadas. O autor de 55 anos, que esteve em São Paulo para divulgar o livro, se mostra revoltado (na ficção e na realidade) com o “excesso de civilização” que obriga a mulher a se depilar e perfumar demais.

A fêmea mais limpinha do seu livro é uma bezerra. Gosta de mulheres sujas?
É que em Cuba se sua tanto! E o suor, o cheiro do corpo humano, me excitam muitíssimo… Digo a minha mulher: não use desodorante! Quando ela limpa a casa e está mais suada, fico louco. Ela se deixa levar e curte muito… Às vezes esquecemos que somos animaizinhos. O cheiro nos excita, não é só a visão.

Acha as mulheres de hoje excessivamente depiladas e perfumadas?
Sim. Gosto das axilas e do sexo sem depilar… E muito perfume paralisa a minha parte animal. Creio que a maioria dos humanos funciona igual, mas lhes dá vergonha dizê-lo. Estamos tão protegidos dentro da nossa faceta civilizada que nos envergonhamos de gostar do sexo sujo, com alguém que cheira normal. Há um excesso de civilização cosmético, de sabão.

Há quatro anos você me disse que já tinha estado com 200 mulheres (leia aqui). A conta aumentou?
Chegou a 230, não muito mais… Já tenho 55 anos, filha. Até quando poderia continuar nesse ritmo? Vou ser sincero: estou com uma mulata com a qual me sinto muito bem sexualmente, emocionalmente. E, quando você se sente bem, não necessita ser infiel.

Isso é algo novo em sua vida, não?
Não, sempre tive etapas de fidelidade, não fui um infiel permanente… Mas agora estou mais tranqüilo.

Já começou a falhar, a usar Viagra?
Tenho um medo do Viagra! Vou te confessar: ainda posso fazer sexo uma vez ao dia, normalmente. Há dias que estou mais estimulado e faço duas, três vezes… Se fico dois, três dias sem transar, já fico de mau humor. Parece que tenho um excesso de testosterona.

*Texto originalmente publicado na revista VIP de setembro de 2005


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(10) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Danny Fields em 15/08/2013 - 21h57 comentou:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=101515135

Responder

Carlos Fischborn em 16/08/2013 - 00h31 comentou:

Achei legal aquela história lá na China, onde uma universitária (Kang Yikun, se não me engano) se tornou também uma símbolo sexual por causa de apenas uma foto onde ela aparece coberta de roupas até o pescoço. E ela parece linda mesmo, até botei a foto como plano de fundo no PC.
Quanto a essa ditadura da depilação, gosto mais de mulheres com pelos no púbis prq é muito mais charmoso. No resto do corpo depende da quantidade, se for exagerado acho feio. A única coisa que (infelizmente, talvez) não consigo tolerar é buço.

Responder

Deivid em 16/08/2013 - 01h16 comentou:

Isso eh questao de gosto nao civilidade demais…. pelo eh um detalhe um tanto quanto inconveniente!

Responder

Cética em 16/08/2013 - 01h39 comentou:

A cada celeuma que esse "supostos" amantes das mulheres criam,quando vêm um pentelho feminino,só me confirma o que já penso a muito tempo;há pouquíssimos homens que realmente gostam de mulher ( com tudo que isso implica) o que tem muito por ai, é cara que até curte mulher,desde que; depilada,sem estrias,sem celulite,magra mas gostosa,sem cheiro íntimo e tal e qual uma boneca de cera. Triste é ver as mulheres reais se matando pra se adequar nesse "gosto" completamente irreal,pra não dizer,violento.

Responder

@wag em 16/08/2013 - 01h57 comentou:

Eu defendo que mulheres parem com essa ideia torta de depilar tudo. Os pelos pubianos dão um ar de charme e sensualidade.

Responder

autopoeta em 16/08/2013 - 12h19 comentou:

Fico grato por este post!

Convido @s [email protected] das mulheres naturais a participarem do Exalai – Movimento pela Natureza da Mulher: http://www.facebook.com/exalai

Responder

Fred em 17/08/2013 - 18h05 comentou:

lembro-me que 15-10 anos atrás o depilação-total era coisa rara, mesmo algo que a garota só fazia pro namorado em momentos especiais e com algumas tinha que insistir, era uma surpresa especial que saia da rotina… agora a coisa se inverteu p o lado oposto, todas estão lisas-total, isso agora virou rotina, todas estão iguais, minha última namorada passaram-se meses e foi até terminar o namoro e eu nunca nem vi a cor do carpete, dizia que ‘não se sentia bem’… pelinhos fazem parte, é maravilhoso na hora que a mão vai descendo e vc sabe que o/ chegou lá…

Responder

Ivaldo Pontes em 18/08/2013 - 01h29 comentou:

Essa assepsia coxinha da genitália sem pelos não é de todo estranho.
Há muita gente reprimida e preconceituosa que, se pudesse, baniria da
natureza líquidos, cheiros e pelos associados ao sexo. Para essa gente
valeria no céu e na terra a insípida lenda dos anjos com suas bundinhas
brancas.

Responder

Levinson Santos em 27/08/2013 - 17h29 comentou:

Quem se impressionou com o modesto bosque da Nanda, é porque ainda não viu a belíssima e vasta floresta da checa Zuzana Z ou Zuzana Zeleznovova.

Responder

wellington em 23/07/2014 - 09h49 comentou:

achei mto legal a nanda ter deixado os pelos pubianos. pode-se dizer q hj em dia, ela foi original rsrs

fiescaixa.net

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

O homem que Vinicius amou


Louco pelas mulheres, Vinicius de Moraes também amou um homem e a ele dedicou sonetos e canções: o chileno Pablo Neruda. Os dois poetas se conheceram em julho de 1945, quando Neruda veio ao Brasil…

Cultura

Dicas Literárias para um Natal Vermelho (quarta edição)


Pode faltar peru, pode faltar panetone, mas a tradicional lista de Natal do blog é infalível. A máxima aqui é: se é para gastar dinheiro no Natal, que seja com livros (confira aqui, aqui e aqui…