Socialista Morena
Cultura

Morre Fidel, o penúltimo de uma geração que ensinou ao mundo que era possível se rebelar

Não sou fã incondicional de Fidel Castro. Consigo ver seus erros e admirá-lo pelos seus acertos. Fidel foi uma das figuras históricas mais importantes de todos os tempos. Com ele, se vai o penúltimo de uma geração que ensinou ao mundo que era possível se rebelar contra o sistema, que era possível não ficar calado, […]

Cynara Menezes
26 de novembro de 2016, 15h06
fidellendo

(Pausa na revolução para ler. Foto: Andrew St. George)

Não sou fã incondicional de Fidel Castro. Consigo ver seus erros e admirá-lo pelos seus acertos. Fidel foi uma das figuras históricas mais importantes de todos os tempos. Com ele, se vai o penúltimo de uma geração que ensinou ao mundo que era possível se rebelar contra o sistema, que era possível não ficar calado, de cabeça baixa, se resignando com as injustiças, com a miséria, com a fome. Penúltimo porque ainda resta Raúl, seu irmão e parceiro, coadjuvante de uma história em que Fidel foi um dos indiscutíveis protagonistas.

Quais foram os erros? Para mim, o maior deles foi, como em quase todas as experiências de socialismo real, confundir socialismo com falta de democracia. Quase todas: no Chile de Salvador Allende nunca se censurou ou executou ninguém por discordar do regime. Mas durou pouco.

O grande equívoco de Fidel e dessa geração de comunistas, em que pese seu brilhantismo, foi achar que é possível todo mundo pensar do mesmo jeito. Deste erro se originaram todos os demais: os fuzilamentos, a perseguição aos homossexuais, a censura. É impossível, num país, estado ou cidade, que todos os cidadãos pensem da mesma maneira. É impossível haver um lugar onde todo mundo seja socialista (e a recíproca é verdadeira). Não é natural no ser humano a ausência de divergência.

E os acertos de Fidel? O maior deles foi representar, ao longo de 60 anos, um colossal contraponto a um império gigantesco e a uma concepção hegemônica de mundo, e apenas com palavras. Por isso discursos tão longos: o verbo sempre foi sua principal arma contra os inimigos. Ao contrário dos Estados Unidos, Cuba jamais invadiu país algum, só se defendeu. Envia médicos a outros países, não soldados. Fidel escapou de 638 tentativas de assassinato, das maneiras mais absurdas possíveis: desde plantar uma mulher para seduzi-lo e envenená-lo até um charuto explosivo.

Para conhecer Fidel e o porquê de ele inspirar gerações a combater as desigualdades e a injustiça no mundo, o melhor a fazer é olhar menos para o Fidel dos primeiros anos da revolução e mais para o Fidel derradeiro: ler os artigos que ele escrevia para o Granma, órgão oficial do Partido Comunista cubano. Ali está toda a filosofia dos seus últimos anos sobre a terra.

Fidel evoluiu muito como ser humano e foi capaz de reconhecer alguns erros do passado, como em relação aos homossexuais. “Foi um momento de grande injustiça e fomos nós que fizemos isso”, disse ao diário mexicano La Jornada em 2010. Era, ao final da vida, um estudioso das ciências, um homem interessado em medicina tradicional e nas plantas medicinais, na agricultura orgânica, na questão climática e ambiental e, claro, na crise do capitalismo.

O mundo fica pior sem Fidel Castro. Não porque fosse perfeito, mas porque representava, paradoxalmente, o que reprimiu durante tantos anos entre os seus conterrâneos: uma voz dissonante em um mundo onde se quer impor o pensamento único de que acumular é o verdadeiro sentido da vida, sem se importar em destruir tudo no caminho. Com erros e acertos, passará à História como um homem valente que lutou a vida inteira por algo que parece em extinção: ideais. Um revolucionário até o fim.

Algumas frases dos últimos textos de Fidel Castro:

“Embora muitas pessoas no mundo sejam enganadas pelos órgãos de informação, quase todos em mãos dos privilegiados e dos ricos, que publicam estas imbecilidades, as pessoas acreditam cada vez menos nelas. Ninguém gosta de ser enganado.”

“Os povos aprendem e a resistência cresce frente às crises do capitalismo, que se repetem cada vez com maior frequência; nenhuma mentira, repressão ou novas armas poderá impedir a derrocada de um sistema de produção crescentemente desigual e injusto.”

“A América Latina e o Caribe, em seu conjunto, dispõem de terra, água e recursos energéticos sem necessidade de promover a produção de gás de xisto mediante fratura hidráulica como fazem os Estados Unidos, com riscos provados para a própria saúde dos cidadãos desse país.”

“Tenho ideias do que se pode e deve ensinar a uma criança. Considero que a falta de educação é o maior dano que lhe podem fazer.”

“Considero que lhe faltou altura ao discurso do Presidente dos Estados Unidos quando visitou o Japão, e lhe faltaram palavras para escusar-se pela chacina de centenas de milhares de pessoas em Hiroshima, apesar de que conhecia os efeitos da bomba. Foi igualmente criminal o ataque a Nagasaki, cidade que os donos da vida escolheram ao acaso. É por isso que resulta preciso martelar sobre a necessidade de preservar a paz, e que nenhuma potência se tome o direito de matar milhões de seres humanos.”

“Lutar pela paz é o dever mais sagrado de todos os seres humanos, quaisquer que sejam suas religiões ou país de nascimento, a cor de sua pele, sua idade adulta ou sua juventude.”

“A saúde física e mental, e o espírito de solidariedade são normas que devem prevalecer, ou o destino do ser humano, este que conhecemos, perder-se-á para sempre. Os 27 milhões de soviéticos que morreram na Grande Guerra Pátria fizeram-no também pela humanidade e pelo direito a pensar e a ser socialistas, ser marxistas-leninistas, ser comunistas, e a sair da pré-história.”

“Cada dia podemos aprender algo novo. Ajudar os demais e ajudar-nos no possível a nós mesmos.”

“A esmagadora vitória de 1959, podemos afirmá-lo sem sombra de chauvinismo, converteu-se em exemplo do que uma pequena nação, lutando por si própria, pode fazer também pelos outros.”

“Eu respeito todas as religiões embora não sejam professadas por mim. Os seres humanos procuram uma explicação da sua existência, desde os mais ignorantes até os mais sábios.”

“Ninguém que seja honesto concordará jamais com os atos terroristas, mas, acaso o Presidente dos Estados Unidos tem o direito de julgar e o direito de matar; a se converter em tribunal e ao mesmo tempo em carrasco e levar a cabo tais crimes, em um país e contra um povo situado no lado oposto do planeta?”

“As multinacionais ianques jamais vão renunciar ao controle das terras, das águas, das minas, dos recursos naturais de nossos países.”

“Verdade, compatriotas, que o capitalismo é coisa maravilhosa! Se calhar somos os culpados de que cada cidadão não tenha um submarino particular na praia.”

“Marxistas e cristãos sinceros, dos quais conheci muitos; independentemente de suas crenças políticas e religiosas, deviam e podiam lutar pela justiça e pela paz entre os seres humanos.”

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Duas versões delirantes da direita burra sobre os médicos cubanos e uma suspeita


1. O médico cubano malvado: Fidel Castro e Dilma Rousseff estão planejando fazer uma revolução comunista no Brasil em pleno século 21, liderada pelos 4 mil médicos que virão ao País. Ao chegar às cidades…

Politik

Não são os EUA que financiam Yoani; é Cuba e a esquerda arcaica


Tão risível quanto achar que aqueles meninos militantes de movimento estudantil que fizeram protestos são “orquestrados por Cuba”, como perpetraram alguns jornalistas brasileiros, é achar que é culpa dos Estados Unidos que Yoani Sánchez, uma…