Socialista Morena
Kapital

Para o MPF, governo Dilma cometia “crime” ao manter gás e gasolina baratos

Ministério Público Federal no Rio acusa de improbidade administrativa Conselho da Petrobras por política de preço. Aumentos abusivos de Temer são considerados normais

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Da Redação
06 de dezembro de 2017, 20h15

Desde agosto, o gás de cozinha já subiu 67,8%. Nesta terça-feira, aumentou pela sexta vez consecutiva e está sendo vendido, em média, a 80 reais o botijão. É uma mudança brutal em relação à política adotada nos governos do PT desde 2003, quando a Petrobras passou a praticar dois preços para o gás de cozinha, um para os botijões menores e outro para os maiores, para defender os consumidores mais pobres, para quem o botijão pesa enormemente no bolso.

Foi só Temer tomar o poder que a coisa mudou e a estatal, nas mãos dos tucanos, esqueceu os pobres: em junho, a Petrobras instituiu uma nova política de preços para o gás considerando as cotações internacionais, a taxa de câmbio e a margem de lucro. Daí os aumentos exorbitantes que estão levando as pessoas pobres a voltarem aos tempos da lenha. A evolução é insana. Acompanhe pelo levantamento de um leitor do site no twitter. O gás praticamente dobrou de preço desde o golpe.

A gasolina, ao contrário da expectativa dos paneleiros que foram às ruas contra Dilma, também está subindo sem parar. Os aumentos somam 12,75% nos últimos cinco meses, também desde que a Petrobras mudou a política de preços. Agora é impossível abastecer o carro por menos de 4 reais o litro.

O que o Ministério Público fez em relação aos aumentos exorbitantes do gás e da gasolina? Nada. Pelo contrário: hoje o Ministério Público Federal no Rio de Janeiro anunciou que está movendo uma ação civil pública por improbidade administrativa contra os ex-integrantes do Conselho de Administração da Petrobras no governo Dilma Rousseff porque defendiam preços baixos para o gás e a gasolina! Quer dizer: preço baixo é crime e preço alto é perfeitamente legal.

Em vez de levar em consideração a intenção social da política de preços que vem desde 2003, quando Lula assumiu, os procuradores da República enxergaram razões eleitoreiras

Segundo o MPF-RJ, os valores praticados foram utilizados para controlar a inflação nos anos de 2013 e 2014, o que pelo visto também virou crime. Os acusados são o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, a ex-ministra do Planejamento, Miriam Belchior, a ex-presidenta da Petrobras, Graça Foster, o ex-comandante do Exército, general Francisco de Alburquerque, o ex-presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o ex-secretário-executivo de Minas e Energia, Marcio Pereira Zimmermann, o economista Sérgio Franklin Quintella, o empresário Jorge Gerdau, e José Maria Ferreira Rangel, da Federação Única dos Petroleiros.

Todos são culpados, de acordo com o MPF, pela “defasagem” dos preços dos combustíveis em relação ao mercado internacional, “sem apresentarem qualquer fundamento relacionado ao interesse da Companhia”. Curioso, porque neste período, antes de começar a Lava-Jato, a Petrobras estava entre as 20 maiores empresas do mundo, segundo o ranking da revista Forbes.

Em vez de levar em consideração a intenção social da política de preços que vem desde 2003, quando Lula assumiu, os procuradores da República Claudio Gheventer, Gino Augusto de Oliveira Liccione, André Bueno da Silveira e Bruno José Silva Nunes, autores da ação, enxergaram razões eleitoreiras. “Em realidade, eles atuavam segundo orientação do governo federal, que intentava segurar a inflação, tendo em vista as eleições presidenciais de 2014”, disseram.

Na ação, o MPF pretende ainda a condenação da União Federal, de forma subsidiária, ao ressarcimento dos danos causados à Petrobras por abuso de poder, enquanto acionista controladora da estatal, em razão do uso indevido da Companhia para fins de combate à inflação.

Clique aqui para ler a íntegra da ação.

Com informações da assessoria do MPF-RJ

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(4) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

ari em 06/12/2017 - 22h17 comentou:

Quando a gente acha que já viu tudo, eis que a PF prende reitor e vice reitora da UFMG, a “Quanto é” escolhe o homem do ano, o chefe do Circo de Curitiba, o Brasil é declarado o país mais perigoso para ambientalistas e pessoas que defendem os direitos humanos e essa ação contra a Dilma
Enquanto isto, malas de dinheiro correm de lá para cá e de cá para lá, a Eletrobrás é fatiada e vendida a preço de banana e o pior congresso de nossa história torna-se cúmplice do Temer ao apoiar medidas de massacre do nosso povo, como a reforma trabalhista, entre outras
Quando se pensa que o nazi-fascismo está morto, eis que ele começa a se mexer no caixão. Ah, antes que me esqueça, o número de casos de sífilis, sim, sífilis, aumentou 27 % no ano passado por falta de recursos

Responder

Antonio Carvalho em 07/12/2017 - 11h28 comentou:

O MPF atualmente tem sido o mentor do golpe e é contra a tudo que beneficia o povo.
São uns bostas que não tinham voz e agora quer ditar uma nação.Fora vagabundos,pilantras e golpistas.

Responder

Marcos F. em 07/12/2017 - 12h30 comentou:

É a inversão de valores. O MPF aceita o lobby da Shell? Cansou! O judiciário brasileiro perdeu a vergonha na cara. Estão destruindo o trabalho sério que um dia o MPF teve nesse país. O achismo, a perseguição política se tornou o novo modelo de acusação nesse país. Estão usando o MPF para atribuições de interesses particulares e pelo que me consta isso ilegal! A insanidade do membros do MPF-RJ é evidente, é revoltante – a burrice ganhou espaço.

Responder

Ângela Valério Horta de Siqueira em 07/12/2017 - 15h06 comentou:

Somos o que seria a Venezuela, não fosse a garra, as ganas e a politização de seu povo defendendo seu governo popular. Vergonha de ser um cordeiro dócil a caminho do matadouro. Meu consolo, é que isso uma hora muda!

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Hoje roubaram o futuro das crianças pobres do Brasil. Agradeçam aos paneleiros


Das sacadas gourmet dos apartamentos de classe média alta e alta, soavam panelas contra o governo Dilma. No asfalto, vestidos com suas camisetas da CBF como se fossem legítimos patriotas, pediam “educação e saúde padrão…

Politik

Comissão de Orçamento aprova dinheiro para passaportes, serviço que já é pago pelo cidadão


Por Katia Guimarães* A Comissão Mista de Orçamento aprovou nesta terça-feira, 4 de julho, o projeto que suplementa a Polícia Federal (PF) em mais de 100 milhões de reais para retomar a emissão de passaportes,…