Socialista Morena
Politik

A governabilidade mais bizarra do mundo

No salão verde do Congresso, no domingo à noite, o queixo da mulher de Eduardo Cunha, Claudia Cruz, treme. Ladeada pela filha, a bela e loira Bárbara, a ex-apresentadora da TV Globo chora e sorri ao mesmo tempo, de nervosismo e êxtase. Seu marido ganhara a queda-de-braço com o governo e se tornara o presidente […]

Cynara Menezes
02 de fevereiro de 2015, 19h01
eduardocunha

(Eduardo Cunha, o novo presidente da Câmara. Foto: Wilsom Dias/ Agência Brasil)

No salão verde do Congresso, no domingo à noite, o queixo da mulher de Eduardo Cunha, Claudia Cruz, treme. Ladeada pela filha, a bela e loira Bárbara, a ex-apresentadora da TV Globo chora e sorri ao mesmo tempo, de nervosismo e êxtase. Seu marido ganhara a queda-de-braço com o governo e se tornara o presidente da Câmara dos Deputados.

– Por que a senhora está tão emocionada?, pergunto.

– Ah, são tantas décadas… É praticamente uma vida inteira em comum.

A poucos metros dali, o pastor Everaldo, aquele ex-candidato à presidência da República que disse que “casamento é entre homem e mulher”, também comemorava a eleição do colega fundamentalista (Everaldo é da Assembleia de Deus; Cunha é da Sara Nossa Terra).

– Agora ele e a presidente têm que se entender, pelo bem do Brasil. Mas Dilma precisa ver que o Congresso não é um bando de empregados dela, que ela trata como se fosse criancinha de escola. É um poder independente.

Encontro Arlindo Chinaglia, o candidato derrotado do governo na disputa. Ele parece atônito. Pergunto, de supetão:

– Mas como é que se governa assim?

Arlindo encolhe os ombros e vira as palmas das mãos para cima, naquele conhecido gesto de “e eu sei lá?” Insisto mais um pouco:

– Teve gente dizendo que o Lula também perdeu eleições para a presidência da Câmara. Mas esse caso me parece diferente. Eduardo Cunha é inimigo declarado de Dilma e a recíproca é verdadeira.

Arlindo tenta dizer que não é bem assim:

– Olha, essa versão… No contato pessoal com a presidenta, ele sempre foi… sempre foi… sempre foi… Como eu diria? Qual é mesmo o termo? (Olha para os lados em busca de socorro dos assessores.) Ele sempre foi mais gentil, até, do que eu. E a função, como presidente da Câmara, é outra. Não é o mesmo que ser líder do PMDB, ele agora tem o dever da imparcialidade.

De outros petistas, ouvi após a eleição a seguinte frase:

– Que merda!

Obviamente, o pior aconteceu. A situação já não estava boa para o governo Dilma neste segundo mandato e a eleição de um inimigo da presidenta para o comando da Câmara não ajuda em nada, muito pelo contrário. O que vai acontecer nos próximos meses? Imaginem-me fazendo neste momento o mesmo gesto de Arlindo Chinaglia.

Os cálculos de Dilma e do PT me escapam. Se era para sofrer essa derrota acachapante na Câmara, para que tantas concessões à direita na montagem do ministério? Se o PT apoiou Renan Calheiros para a presidência do Senado, por que não agiu igual com Cunha, já que sua vitória era inevitável? Se não queria de jeito nenhum a eleição de Cunha, por que o governo não tentou atrair deputados com promessas, já que as fará do mesmo jeito? Sabe-se que Renan aconselhou Dilma a compor com Cunha, conselho que ela não seguiu antes da derrota, mas que seguirá após a derrota. Ou seja, não restará opção à presidenta a não ser ceder ao inimigo. “Ceder”, vocês sabem: dar cargos a ele e seus aliados –e isso sem nenhuma garantia de que ele colocará os temas que interessam ao governo na pauta. Bye, bye, regulação econômica da mídia…

Não é só Chinaglia, estamos todos atônitos. Que governabilidade é essa que se constrói cercando-se de inimigos nos ministérios e no Congresso? Me parece bizarro. Quem garante que estes “aliados” não serão capazes de tentar derrubar Dilma em vez de “garantir a governabilidade”? Ainda no domingo, a pergunta que os jornalistas mais faziam a Cunha era:

– O senhor vai receber o pedido de impeachment da presidente?

Problemático quando se sabe que, ao acenar tanto à direita, o PT se desfez completamente do apoio da parcela da esquerda que ajudou Dilma durante a campanha. Quem defenderá a presidenta nas ruas se for preciso? E eu sei lá?

A sensação de que este governo vai repetir a mediocridade do segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso, ao contrário de, como Lula, fazer um segundo mandato melhor que o primeiro, não me abandona. Oxalá eu esteja errada. Estamos em fevereiro ainda, mas a presença de Eduardo Cunha na presidência da Câmara me causa arrepios, sobretudo pela certeza de que tentará impor ao País os projetos conservadores tão de seu agrado como fundamentalista religioso –foi Cunha quem articulou a ida do pastor Marco Feliciano para a presidência da Comissão de Direitos Humanos, em 2011. Aposto como teremos péssimas surpresas nos próximos dias.

“Ah, Dilma ainda pode compor com ele”. E isso é uma boa notícia?


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(43) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

@licantr0 em 02/02/2015 - 19h36 comentou:

diante do cenário, o bordão do Tiririca parece obsoleto

Responder

jupira correa em 02/02/2015 - 19h52 comentou:

Infelizmente, o que mais me causa espécie, é que a vitória de Cunha, na presidência da Câmara, era uma vitória anunciada. Daqui pra frente tudo se espera. O PT me parece inerte, conformado…

Responder

Super Sincero em 02/02/2015 - 20h31 comentou:

Se o nobre deputado agir no sentido de extinguir o famigerado "custo-feminismo", que usurpa todos os recursos do Estado para garantir privilégios para mulheres como aposentadorias e pensões privilegiadas, farta distribuição de benesses para elas (saúde DA MULHER, segurança DA MULHER, bem-estar DA MULHER…), e ainda rebaixa a produtividade ao mostrar para o homem que ele é cidadão de segunda classe, periga o Brasil entrar nos trilhos de novo. De qualquer forma, uma coisa é certa: esse é, sem qualquer sombra de dúvida, o último mandato do PT. Teremos, no próximo pleito, a eleição de muitos mais parlamentares da chamada extrema-direita, o que não é bom… mas é melhor que feministas no poder.

Responder

    mvirgilios em 02/02/2015 - 21h34 comentou:

    O feminismo é a raiz dos males do país??? Com tanta coisa séria pra discutir você quer ficar fazendo piada?

    Super Sincero em 02/02/2015 - 23h43 comentou:

    É mesmo? Sabe o que é cálculo atuarial? Tem ideia de como se formam as séries de pagamento previdenciários? Você faz ideia de que como se calcula o fator previdenciário, e que, para favorecer as mulheres, a tábua atuarial de homens e mulher é a mesma, embora mulheres se aposentem antes, mesmo vivendo mais? Sabe como se forma a queda de ineficiência laboral, quando homens sabem que as mulheres que trabalham a seu lado, embora vivam mais e recebam mais do Estado, se aposentarão antes? Piada é o seu comentário.

    roseli em 03/02/2015 - 03h28 comentou:

    Faca o favor de considerar no calculo atuarial a dupla jornada de trabalho das mulheres brasileiras. Inclusive as que sustentam sozinhas suas famílias, que hoje são mais de trinta e sete por cento. Se isto não vale cinco anos de aposentadoria, penso que esta é uma discussão equivocada.

    Super Sincero em 03/02/2015 - 10h34 comentou:

    A dupla jornada é uma falácia. E mesmo que não fosse, não é questão de natureza pública, e sim privada. Nenhum homem deveria ser obrigado a pagar para que a mulher dos outros limpem a própria casa. Além do mais, querer comparar a jornada de nove horas de um homem ao volante de um ônibus, com calor de 60 graus e ruido de 100 decibeis, com a "dupla" jornada da mulher, 8 horas no conforto do escritório e mais 2 de serviço doméstico É PIADA. Não, não vale 5 anos. Na verdade, mulheres vivem mais, portanto, têm que se aposentar DEPOIS dos homens, não antes.

    Antonio Carlos em 03/02/2015 - 05h55 comentou:

    E as razões para a existência dessa diferença de tratamento previdenciário entre os gêneros, você sabe ou já ponderou? A dupla jornada a que são submetidas as mulheres, especialmente as mães, considerou?

    HiroNakamura em 03/02/2015 - 14h53 comentou:

    Bom dia,

    Seu argumento é valido, embora peque pela justiça social.

    A lei é igual para todos na medida da sua desigualdade. Logo, se torna justo que as mulheres sejam "beneficiadas" pelas políticas governamentais, mesmo sendo a previdência responsável, se não me engano, pelo segundo maior rombo nas contas públicas. E não se trata só da dívida histórica que o Brasil e o planeta tem com as mulheres, mas o fato de ainda estarem em condição desfavorável na balança.

    Você usa o argumento do homem como motorista sofredor e as mulheres como executivas bem sucedidas, e desconsidera as quase 7 milhões de empregadas domésticas no país. E assim como tem homens que trabalham nessa função, tem mulheres motoristas e cobradoras de ônibus também.

    Me perdoe a Sinceridade, mas sua rixa com as mulheres me parece muito mais uma questão pessoal, do que uma opinião isenta.

    Abraço.

    Super Sincero em 03/02/2015 - 21h11 comentou:

    Errado. 93% dos acidentes de trabalho acometem HOMENS. Portanto, na média, homens estão muito mais próximos do perfil que eu tracei, e mulheres muito mais próximas do perfil que eu descrevei. Usei esses exemplos como PROXY, e os dados históricos permitem que se considere essa uma boa proxy da realidade de homens e mulheres trabalhadores.

    Vitor em 05/02/2015 - 12h39 comentou:

    Tb achei essa "PROXY" bem forçada… Pode ter certeza que a grande maioria das mulheres (e dos homens) não trabalha no conforto do escritório…

    Super Sincero em 03/02/2015 - 21h14 comentou:

    Tem razão. Para haver justiça, a lei deve tratar desigualmente os desiguais. Um exemplo: aquele que vive mais deve ser aposentar depois, para que haja justiça. Se aquele que vive mais se aposenta ao mesmo tempo de aquele que vive menos, é injusto. Se se aposenta antes, é covardia e privilégio.

    @joaopaulonapoli em 03/02/2015 - 14h48 comentou:

    Ô, Super Sincero… Por que não mostra a cara? Covardia? Medo de ser exposto, depois dessa saraivada de bobagens que disse?
    Antifeminista, normalmente, não mostra a cara nos comentários.
    E quem não mostra a cara é covarde.

    Super Sincero em 03/02/2015 - 21h12 comentou:

    Mangina, nem vou dormir essa noite de tanta preocupação com o seu comentário ad hominem.

    @rghidini em 04/02/2015 - 16h55 comentou:

    Super Sincero…Super Misógino…Super Ignorante…Super Tosco…Super Machista…Super Machão…Super Dor de Cotovelo…

falcão em 02/02/2015 - 22h34 comentou:

Esse sujeito é crente? A, esquecí: Até o diabo é !

Responder

Luciano Herlon em 02/02/2015 - 23h33 comentou:

Já esta mais que na hora de Lula guiar o PT de volta a seu berço. Não dá mais mais fazer um governo de coalizão aonde a pauta do dos derrotados é imposta garganta abaixo do governo. Se ela for esperta, fara com o congresso nacional o mesmo que Obama vem fazendo nos Estados Unidos, ou seja, da andamento aos projetos de interesse da sociedade e deixa o ônus de vetar esses projetos à camará dos deputados, deixa os deputados se lascarem junto aos seus eleitores. Dilma governe por medida provisoria e deixe o congresso a ver navios, melhore sua comunicação com a sociedade e desde de já corte as verbas de publicidade do PIG, essa será a melhor lei dos médios.

Responder

    Vitor em 03/02/2015 - 13h42 comentou:

    Quem direcionou o PT à essa governabilidade foi o próprio Lula…
    No resto concordo com vc!

    Luciano Herlon em 04/02/2015 - 21h31 comentou:

    Valeu Vitor! é justamente isso que eu disse, cabe ao Lula esse processo de retorno do PT as sua origens, pois foi ele que iniciou esse governo de coalizão que descaracterizou o partido e suas bandeiras. A esqurda esta logo ali e é lá que o PT deve ficar. Grande abraço!

    Vitor em 05/02/2015 - 12h40 comentou:

    Sem dúvida! Mas duvido e muito que ele faça isso… O Lula de hoje é muito diferente do Lula dos anos 80 e 90…

    heleno em 05/02/2015 - 15h05 comentou:

    gostei.

Pedro Galindo em 02/02/2015 - 23h43 comentou:

Se Dilma conseguir terminar o mandato, já terá sido uma vitória…

Responder

tania em 03/02/2015 - 00h05 comentou:

Tudo é possível ao invés de ser governo ele vá lhe dar uma v bela de uma banana!

Responder

Acorda em 03/02/2015 - 00h24 comentou:

Será que não percebem que não é a Dilma quem manda nesse País? Acorda povo brasileiro que reelegeu a mesma M* para o congresso. Focaram tanto na Dilma e esqueceram do resto (resto esse que governa 90% do País).

Responder

che guevara em 03/02/2015 - 00h27 comentou:

Tomara que aprove o impeachment! Nao da pra continuar desta maneira!!!!

Responder

Carlos Magno Barbosa em 03/02/2015 - 01h09 comentou:

Com esses 'aliados', a presidenta nem precisa de inimigos.

Responder

Cícero em 03/02/2015 - 07h44 comentou:

Calma! Com a eleição do Eduardo Cunha, o PT e aliados (PC do B, PSD e alguns peemedebista ligados ao Temer) perderam uma batalha, mas não a Guerra.

A Guerra continua. Não nos esqueçamos que o recém-eleito presidente da Câmara foi citado pela Polícia Federal na Operação Lava-Jato. Seu nome está nas mãos do Janot. Nos próximos dias, saberemos os nomes de todos os envolvidos, já que as empreiteiras envolvidas tinham contratos e tocavam obras em quase todos o Estados do país, sobretudo em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Portanto, logo saberemos se o Procutador-Geral da República, Dr. Rodrigo Janot, é ou não é um agente público imparcial. Quero ver se ele denunciará a todos (fala-se em cerca de 50 políticos) ou se poupará alguém. Se for um promotor realmente imparcial, deverá denunciar também o Sr Eduardo Cunha, cujo nome foi citado na Operação Lava-Jato e, pois, por ter foro privilegiado, deverá ser julgado pelo STF.

Por outro lado, temos o Senado em que o PT e aliados são maioria e o Presidente Renan Calheiros tem fortes laços de amizade com a da presidente Dilma Rousseff. Diga-se mais que, dos 19 senadores da bancada do PMDB, 15 deles apoiam Renan e são aliados do PT no Senado.

O único problema é que, apesar de Dilma ser uma pessoa honesta (isto é reconhecido até por adversários), ela, no entanto, não tem vocação política, quero dizer, molejo político (jogo de cintura) capaz de costurar alianças ou, ao menos, convencer e granjear mais parlamentares para o seu time na Câmara. Ela é um pouco enrolada neste aspecto.

Já com o Lula, a coisa é diferente. Ele tem facilidade de conversar e convencer. E quando é criticado ou ofendido, ele já tem a resposta na ponta da língua e responde imediatamente às críticas e às ofensas na mesma proporção e até com maior intensidade. Lula tem experiência e vocação política. Se ele tivesse voltado em 2014 (como era o desejo da maioria dos petistas), as coisas hoje, certamente, seriam diferentes.

Mas 2018 logo estará despontando, e ele , com certeza, voltará. Quase todo o Norte e Nordeste simpatiza com Lula. Rio de Janeiro, com o Pezão à frente, dá Lula na próxima eleição. Em Minas Gerais, agora com o Pimentel, Lula tem grandes chances de vencer neste Estado. E até em São Paulo (onde poderá explorar a omissão do Governo Alckmin na questão da água) ele tem um grande número de eleitores. Enfim, voltando em 2018, Lula tem forte possibilidade de vencer qualquer adversário.

O problema agora está em Dilma. Ela tem de parar de gaguejar em público e ir com tudo pra cima de acusadores na iminência de eventual tentativa de a Câmara, por seu atual Presidente iniciar um processo de impeachment. (pois somente a Câmara pode dar início a esse tipo de acusação).

Há probabilidades de impeachment da Dilma, pois agora as velhas raposas voltaram e, unidos à hienas, abutres e chacais, com o apoio da Mídia Golpista, tentarão usurpar o Poder pela trama do impeachment. E aqui eu não culparia somente a Dilma, mas quase todos os deputados e ministros da Base da Presidenta foram reticentes, não reagiram aos ataques e acusações da oposição, principalmente, o Sr Ministro da Justiça que fica em seu gabinete, sentado, assistindo de braços cruzados a todas as injustiças contra seus pares sem dizer uma só palavra. Quem tem um amigo (Ministro da Justiça) assim, não precisa de inimigos. Com o Sr Zé Cardozo, o Ministério da Justiça se transformou na casa da mãe joana: qualquer um, ali dentro, sobretudo delegafo da PF, MANDA mais do ele. Só por Deus!

Todavia, ainda que haja um eventual impeachment da Dilma, ELE VOLTARÁ (em 2018) e ressumirá o Poder. Quem viver, verá!

Responder

    Vitor em 03/02/2015 - 13h48 comentou:

    Lá vem mais um súdito do Lula achando que ele é o messias…
    As pessoas esquecem que foi Lula quem fez as alianças com o PMDB! E Lula que ESCOLHEU Dilma como candidata, ou seja, o fracasso deste Governo tb é de responsabilidade DELE!

    Cícero em 04/02/2015 - 11h43 comentou:

    Prezado Vitor! É para mim uma honra estar entre os milhões e milhões de admiradores e eleitores de um dos maiores Estadistas da História deste país: LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA!!!!!!

    Os tucanos já governaram o país e o resultado foi um desastre. Fernando Henrique Cardoso foi um governante medíocre e maquiavélico (discípulo declarado de Nicolau Maquiavel). Durante seu governo, Fernando Henrique Cardoso (página suja da nossa história) humilhou idosos aposentados a quem chamou de "vagabundos", ofendeu trabalhadores com palavras vexatórias, usou da força e da violência para impor sua política despótica, desprezou as classes menos favorecidas e em função do seu descaso em combater os problemas sociais mais emergentes, aumentou o desemprego. Com o aumento do desemprego no governo FHC, alastrou-se a miséria, muitos morreram de fome, outros viveram dias de agonia, ainda outros passaram a viver em completo estado de penúria e desolação durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Amigo de banqueiros, ricos e potentados, FHC excluiu o pobre e privilegiou o rico. Talvez isso explique a rejeição e intensa repulsa de 80% dos cidadãos brasileiros ao seu governo arbitrário, despótico, maquiavélico.

    Com o Lula, a classe média aumentou seu poder de compra, milhões saíram da linha da pobreza, foram gerados milhões de empregos, enfim, Lula dirigiu seu governo para as classes menos favorecidas, até então, excluídas por FHC; criou programas sociais, investiu em todos os campos da economia, levando o Brasil a figurar entre as dez maiores economias do Planeta. Lula fez muito, em 8 anos. Talvez isso explique porque seu governo é aprovado como ótimo por 80% dos brasileiros e, certamente, será inscrito na história como o maior estadista do Brasil. Foi implacavelmente perseguido pelo PIG, mas resistiu, insistiu, triunfou. Como poderia a Globo destruir um homem apontado pelas maiores mídias do planeta, como “a personalidade mais influente do mundo’ (Revista Time); “A personalidade do ano” (Jornal francês “Le Monde”); ou ainda: “Governo Lula, a 5ª melhor iniciativa mundial de Combate à corrupção” (na avaliação da ONU); os Estados Unidos atribuiram ao governo Lula o posto de “8º governo mais transparente do mundo”; etc. São tantos os elogios da mídia e das instituições democráticas internacionais ao Lula que dariam pra encher umas dez páginas deste blogue

    Por isso, prezado Vitor, admiro o presidente Lula. Por isso votarei nele sempre que candidato a presidente ele for.

    Vitor em 05/02/2015 - 12h44 comentou:

    Meu caro, o voto é pessoal e intransferível, então é muito positivo que você vote em quem achar melhor…
    Eu sinceramente já perdi totalmente a ilusão com o PT… Fizeram muitas coisas boas, mas muitas coisas ruins tb… Voto neles enquanto o adversário for o PSDB, que considero pior…
    No entanto, acho que você exagera um bocado, no seu comentário, que aliás está muito mais passional que racional…
    Abraços!

Objete em 04/02/2015 - 07h17 comentou:

com as promessas dos dividendos do pré-sal para saúde e educação. Como pensar em regulação da mídia para torná-la mais democrática, a reforma política sem os gastos de campanha pagos por empresas e tantos outros sonhos do povo brasileiro engolfados por esse nariz de águia. Dilma e suas lideranças têm mais é que convocar o povão pras ruas.

Responder

Marcos Ferraz em 04/02/2015 - 10h38 comentou:

Texto bizarro. Perfeito para revista de fofocas.

Responder

Paulo Cezar de Mello em 04/02/2015 - 10h49 comentou:

A impressão é de que o PT (pelo menos a porção que ocupa os escalões do governo) é um doente que se trata tomando veneno. Pode ser que o PT esteja agora na posição de um PS francês, de um PSOE espanhol, que no exercício do poder acabou se tornando mais uma agremiação obsoleta. Pode ser que esteja chegando a hora de se descobrirem novos caminhos para o pensamento e a prática de esquerda, com uma visão de mundo nova que não se encontra nos movimentos institucionalizados que estão aí. Quem faz este comentário é um cara que vota no PT desde a primeira eleição de que o partido participou e não vê alternativa no quadro atual. E fica pensando agora: acabou um tempo pra que outro comece?

Responder

Raffa em 04/02/2015 - 15h23 comentou:

Quase impossivel não generalizar todos envolvidos nessa aliança macabra!!! Cunha é um cara de pau oportunista!!! Renan é um barão da velha escola do Sarney e ambos estão envolvidos em vários escandalos inclusive o Lavo Jato!!! Vamos todos aqui refletir de verdade o que aconteceu nos ultimos doze anos de bom e de ruim em nosso País!!! Agora sem fanatismo, pois politica não é time de futebol. Aceitem os acertos e os erros!!! Contem os acertos e erros!!! E pensem como será Brasil para o seu filho, neto, pais, avós subrinhos e tios daqui 8 anos! Não estou em cima do muro! Tenho já a minha opinião formada diante desse cenário. E você acha que está certo em sua opinião? PQ?

Responder

Cícero em 04/02/2015 - 16h54 comentou:

É para mim uma honra estar entre os milhões de admiradores e eleitores de um dos maiores Estadistas da História recente deste País: LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA!!!!!!

Com o Lula, a classe média aumentou seu poder de compra, milhões saíram da linha da pobreza, foram gerados milhões de empregos, enfim, Lula dirigiu seu governo para as classes menos favorecidas, até então, excluídas por FHC; criou programas sociais, investiu em todos os campos da economia, levando o Brasil a figurar entre as dez maiores economias do Planeta. Lula fez muito, em 8 anos. Talvez isso explique porque seu governo é aprovado como ótimo por 80% dos brasileiros e, certamente, será inscrito na história como o maior estadista do Brasil. Foi implacavelmente perseguido pelo PIG, mas resistiu, insistiu, triunfou. Já são quatro vitórias fantásticas do PT sobre os tucanos em eleições para presidente, mesmo com todo apoio que tem o PSDB de setores da Mídia nativa, a qual, há mais de uma década combate os petistas, tentando menoscabar os avanços e conquistas experimentados pelos brasileiros nos últimos 11 anos, o PT venceu todas e, salvo caso de usurpação do Poder sob a farsa de um injustificado impeachment, em 2018 o Partido dos Trabalhadores, com a volta do Lula, tem tudo parqa vencer mais um pleito para Presidência da República. Como poderia o PIG destruir um homem apontado pelas maiores Mídias do Planeta, como “a personalidade mais influente do mundo’ (Revista Time); “A personalidade do ano” (Jornal francês “Le Monde”); ou ainda: “Governo Lula, a 5ª melhor iniciativa mundial de Combate à corrupção” (na avaliação da ONU); os Estados Unidos atribuíram ao governo Lula o posto de “8º governo mais transparente do mundo”; etc. São tantos os elogios da Mídia e das instituições democráticas internacionais ao Lula que dariam pra encher umas dez páginas deste blogue

Por isso, caro Vitor, admiro o presidente Lula. Por isso, votarei nele sempre que candidato a presidente ele for.

Responder

léo em 04/02/2015 - 20h31 comentou:

Mas bah tchê! quanto pessimismo, o homem é gente boa, temos que acreditar, pois vocês acreditaram na Dilma e no discurso dela, e olha o que ela fez?? tudo o que não pregou na campanha.

Responder

@Montanh4 em 04/02/2015 - 23h59 comentou:

As pessoas não dão importância pras eleições de deputados estaduais, federais e de vereadores. Esses são, na minha opinião, os cargos mais importantes que votamos nas eleições, por se tratarem de nossos representantes diretos, alguém que teoricamente seria de mais fácil contato/relação com o eleitor.
As pessoas centralizam as responsabilidades nas mãos dos cargos maiores mas esquecem (ou não entendem) como o sistema político funciona.

Responder

Eduardo em 05/02/2015 - 02h04 comentou:

Se Dilma tivesse apoiado Cunha a traição dele ao acolher o pedido de impeachment seria mais perfeita, como foi a de Barbosa. Afinal Barbosa foi indicado pelo PT. Portanto Dilma está correta ao não apoiar Cunha, pois perdida na peleia é melhor que pela traição da qual não se tem defesa.

Responder

Ursie em 05/02/2015 - 19h53 comentou:

Só uma dúvida, pq usar o vocábulo fundamentalista, exclusivamente, para evangélicos? Considero um erro crasso, afinal, mais fundamentalista que todos os católicos que mataram milhares em nome de Deus, não existe! Por favor!

Responder

    morenasol em 05/02/2015 - 21h02 comentou:

    é exatamente o contrário: não uso o termo evangélico pra falar de um fundamentalista. tem fundamentalista evangélico, católico, muçulmano… eduardo cunha é um fundamentalista. se eu o chamasse de evangélico estaria equiparando-o aos milhões de evangélicos decentes que tem no brasil

    Ursie em 11/02/2015 - 12h14 comentou:

    Fiz a pergunta, porque ainda não tive a oportunidade de ler (procuro bastante) tal expressão relacionada a católicos, umbandistas, muçulmanos… que não sejam decentes… só li referências a evangélicos indecentes.

Helio Santos em 11/02/2015 - 03h39 comentou:

O impeachment da Dilma: http://brasildecarneeosso.com/2015/02/09/gandra-m

Responder

oneway em 14/02/2015 - 19h18 comentou:

voces falam em democracia, mas fazem tudo oposto, e a mesma ladainha socialista…. dois discursos um privado (interno) e outro publico… quer dizer ninguem pode fazer oposicao a voces que sao taxado de fundamentalista e outros termos, tem que concordar com toda safadeza pra deixar de ser fundamentalista!!!

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

O que diria Florestan das alianças do PT?


Na semana passada, transcrevi uma antiga entrevista que fiz com Florestan Fernandes e deixei no ar uma pergunta: “O que diria Florestan se soubesse das alianças do seu PT, que não pôde ver chegar ao poder?”…

Politik

Veja quem passa à História como golpista. Nunca mais vote neles


Os senadores que votaram pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff nunca mais deveriam ser eleitos para um cargo público, por uma razão básica: não respeitam eleições. Jogaram no lixo o voto de 54 milhões de…