Socialista Morena
Cultura

Brasília abre mostra de cineastas negras

Por Andreia Verdélio, da Agência Brasil De 4 até 11 de julho a Caixa Cultural apresenta em Brasília, no Teatro da Caixa, a mostra Diretoras Negras no Cinema Brasileiro. Serão exibidos 45 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens, fazendo uma retrospectiva da produção cinematográfica feita por cineastas negras brasileiras. A mostra quer destacar a resistência dessas […]

(A atriz Ruth de Souza no filme
Cynara Menezes
04 de julho de 2017, 14h38
(A atriz Ruth de Souza no filme

(A atriz Léa Garcia no filme O Dia de Jerusa, de Viviane Ferreira)

Por Andreia Verdélio, da Agência Brasil

De 4 até 11 de julho a Caixa Cultural apresenta em Brasília, no Teatro da Caixa, a mostra Diretoras Negras no Cinema Brasileiro. Serão exibidos 45 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens, fazendo uma retrospectiva da produção cinematográfica feita por cineastas negras brasileiras.

A mostra quer destacar a resistência dessas mulheres no mercado, já que não existe nenhum movimento de cineastas negras e cada uma trabalha suas próprias questões. Dentre elas, se destacam atualmente Elen Linth e Keyla Serruya (Amazonas), Larissa Fulana de Tal (Rio de Janeiro), Eliciane Nascimento (Brasília) e Renata Martins (São Paulo).

Entre outros temas, os filmes de ficção e documentários que serão exibidos na mostra retratam aspectos do cinema negro brasileiro, o lugar da mulher negra na sociedade, a cura e o fortalecimento feminino, a luta das empregadas domésticas, a representação racial no universo infantil e a luta por moradia na América Latina.

A programação ainda traz dois debates abertos ao público, um sobre as perspectivas e transformações da mulher negra no cinema nacional, e outro sobre o percurso das diretoras negras no cinema brasileiro.

diretorasnegras

A mostra também terá uma sessão com audiodescrição e closed captions para portadores de necessidades especiais. O documentário Leva, de Juliana Vicente e Luiza Marques, sobre o movimento dos sem-teto do centro de São Pauloserá exibido no domingo (9), às 17h30.

O filme Amor Maldito, da pioneira Adélia Sampaio, será exibido em duas sessões. A cineasta começou, em 1969, aprendendo tudo na prática, como diretora de produção de diversos longas-metragens. Dirigiu vários curtas e, em 1984, tornou-se a primeira diretora afrodescendente a dirigir um longa-metragem no Brasil, Amor Maldito, uma história de amor entre um casal de lésbicas.

“A ousadia do filme forçou Adélia Sampaio e sua equipe a trabalharem em regime de cooperativa. As salas de cinema (comerciais) não aceitaram exibir o filme, que foi proposto ser divulgado como filme pornô”, informou a Caixa Cultural.

A programação da mostra está disponível no site da Caixa Cultural e na página da mostra no Facebook.. A entrada é gratuita, limitada à lotação do teatro.

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

Uma trilha sonora para o Dia da Consciência Negra


Nosso festival de música africana/negra particular para ouvir no 20 de novembro

Politik

Pare tudo e assista à entrevista de Putin a Oliver Stone no Nocaute


Ninguém chegou tão perto do russo mais importante do mundo com um microfone numa mão e uma câmera na outra