Socialista Morena
Feminismo

Caso das praticantes de ioga evidencia como o homem se sente dono do corpo da mulher

Empresário bolsonarista filmou moças na Lagoa Rodrigo de Freitas e as expôs nas redes sociais com comentários obscenos

Ricardo Roriz (à direita) com Eduardo Bolsonaro em 2017. Foto: reprodução
Cynara Menezes
04 de agosto de 2020, 23h23

Duas moças estavam praticando ioga tranquilamente na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, como costumam fazer todos os fins de semana. Nem imaginavam que estavam sendo filmadas de longe por um homem, em idade já avançada, que se achou no direito de publicar o vídeo em seu instagram, fazendo comentários obscenos diante da cena.

O empresário Ricardo Roriz, que apareceu na convenção do PSL em julho de 2018 ostentando uma tatuagem de Jair Bolsonaro na perna, possui uma loja de artigos militares no Rio com mais de 200 mil seguidores no facebook. Na época, ele foi retratado na Folha de S.Paulo pelo escritor de extrema direita Leandro Narloch como a personificação do eleitor “desiludido com o PT”.

Como uma das moças filmadas sem consentimento é advogada e deu queixa à polícia, Roriz colocou o rabo entre as pernas e pediu desculpas afirmando ter sido uma publicação “infeliz” –mas só após a Polícia Civil abrir uma investigação sobre o caso.

“Eu virei um filme pornô do dia para a noite, para as pessoas usarem quando elas quiserem. Isso é muito bizarro. Eu não sou isso, não optei por isso. Eu nunca mais vou fazer minha prática de ioga, porque eu nunca mais vou voltar a pensar que minhas pernas estão para o ar num movimento bonito, vou pensar num idiota qualquer se masturbando. É muito triste que as pessoas façam isso com outras sem nenhum tipo de pudor ou remorso”, disse Mariana Maduro ao G1.

“Quando eu cliquei, só comecei a vomitar, não conseguia parar de vomitar. Eu não consigo parar de ouvir a voz desses dois, o riso, o ‘blau blau blau’, não consigo tirar esse momento da minha cabeça e pensar ‘quantos vídeos ele tem meu?’. Porque eu estou ali todo fim de semana. Meu Deus do céu. Quantas vezes o meu corpo já não foi usado para essa coisa nojenta? Eu me sinto suja.”

View this post on Instagram

Eu acabei de ser vítima dessa violência brutal! Posto aqui para q vocês possam compartilhar em suas redes e me ajudar a derrubar esse Instagram de pessoas doentes. Até quando as mulheres serão violadas o tempo inteiro?!?! Até quando será engraçado abusar e violar uma mulher? Até quando será tão “normal” violentar uma mulher, que se posta a violência com gracejo!!?! Até quando VOCÊ vai fechar os seus olhos para essa triste realidade?! Somos vítimas 24h/dia e você homem não tem ideia do que é isso (que bom!). Fazendo meu Acroyoga no local em que sempre faço, sofri esse abuso. E quem vc acha que vai ficar sem ir lá amanhã? Eu ou esses doentes? Claro que eu, pq agora só consigo vomitar e chorar. Mas VOCÊ pode ajudar denunciando esse IG, compartilhando o post e se indignando. Não são todos os homens q são assim e que bom! #abusosexual #abusopsicologico #abusoemocional #abusoécrime #heforshe #sheforshe

A post shared by Prof. Mariana Maduro (@prof.mariana.maduro) on

Nesta terça-feira, a advogada postou um vídeo no instagram onde denuncia que Ricardo Roriz, ao contrário do que diz em sua nota de esclarecimento, já havia feito outras imagens dela e de seu grupo de ioga, dando zoom nos corpos das mulheres e com seu parceiro comentando: “Ninguém aqui quer ver ioga, queremos ver alcatra abrindo”. “Somos todas alcatra”, Mariana lamenta. “Hashtag somos todas alcatra. Somos um pedaço de carne.”

Foi a segunda denúncia de uso indevido de imagem de mulheres nas redes em menos de duas semanas. No final de julho, a modelo plus size Bia Gremion decidiu processar o “humorista” Leo Lins (também bolsonarista, claro) por pegar uma foto em seu instagram e republicá-la no perfil dele com o objetivo de zombar de sua aparência. Lins ainda por cima utilizou a foto de Bia com o namorado, um homem trans, para fazer propaganda de seu show de stand up.

O que estas histórias têm em comum? Elas evidenciam como o homem se sente dono do corpo das mulheres, como acha que pode dispor do corpo até de mulheres que não conhece. Esta é a origem de todos os crimes de estupro desde o princípio dos tempos, e das desculpas que os homens dão para a violência sexual contra a mulher: aquele corpo estava ali exposto, portanto estava “pedindo” para ser “usado”.

Isso se reflete nos julgamentos sobre o nosso corpo –se ele é atraente ou não, se está acima ou abaixo do peso–, nossa aparência e inclusive sobre as roupas que usamos, cuja “adequação” é o homem que quer decidir. Com as redes sociais, ele se sente no direito ainda de proferir sua opinião  em público e, como se vê, chega a invadir perfis alheios para acessar fotos de corpos. Sente-se proprietário inclusive de corpos de mulheres desconhecidas em fotografias na internet.

É como se nosso próprio corpo não nos pertencesse, e sim ao homem. Daí o sentimento de posse, os ciúmes, a violência. Como é “dele”, o homem acha que pode fazer o que quiser com nosso corpo sem pedir permissão: expor nas redes sociais, apalpar em espaços públicos e até nos matar, como tem acontecido cada vez mais no Brasil de Bolsonaro. Segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os casos de feminicídio cresceram 22,2% entre março e abril deste ano em 12 estados do país em comparação ao ano passado.

Como é “dele”, o homem acha que pode fazer o que quiser com nossos corpos sem pedir permissão: expor nas redes sociais, apalpar em espaços públicos e até nos matar, como tem acontecido cada vez mais no Brasil de Bolsonaro

Só no mês de agosto já houve casos como o da jovem Raiane Miranda, de 20 anos, morta a facadas pelo ex-namorado no Amapá; o de Pollyana Moura, de 34 anos, enfermeira que trabalhava no combate à violência contra mulheres e crianças no Distrito Federal e foi assassinada pelo namorado, também a facadas; o da diarista Marcia Cardoso, de 39 anos, enforcada pelo companheiro após uma festa em Colombo, no Paraná; e o de Gisele Ramos, de 24 anos, encontrada morta com um tiro na cabeça ao lado da filhinha de 4 anos em Xaxim, Santa Catarina.

Para enfrentar a violência contra a mulher não basta aumentar a pena para o feminicídio. A mudança tem que vir na formação, em casa e na escola. É preciso uma mudança de mentalidade. Enquanto os homens acharem que são proprietários de nossos corpos, continuaremos a ser expostas, assediadas, violentadas e mortas.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(3) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Paulo Roberto Martins em 05/08/2020 - 12h20 comentou:

Estes escrotos bolsonaristas sentem prazer nestes procedimentos porque no íntimo são castrados e impotentes.Odeiam mulheres,sentem-se atraidos por uniformes,militares,armas e tudo que lembra homens.São homossexuais enrustidos,com vergonha de assumirem sua situação.Sabem que,no mundo real,não tem condições de conquistar uma mulher inteligente,bonita e bem resolvida.

Responder

André em 05/08/2020 - 19h05 comentou:

A reportagem contém um erro: NÃO VI NENHUM HOMEM NESSE VÍDEO, MAS APENAS UNS VERMES IMPOTENTES, RIDÍCULOS, QUE NÃO TEM CORAGEM DE ASSUMIR SUA HOMOSSEXUALIDADE LATENTE SE ESCONDENDO ATRÁS DE FANTASIAS MILITARES E ARMAS! ESSES CARAS SÃO TÃO COVARDES QUE REALMENTE AO VEREM DUAS MULHERES LINDAS, SE SENTEM INTIMIDADOS E EXPÕEM SUA FALTA DE CORAGEM AO MOSTRAR QUE O MÁXIMO QUE PODEM FAZER É FICAR DE LONGE OLHANDO, FALANDO BESTEIRAS E SE MASTURBANDO, CONSCIENTES DE QUE VÃO MORRER ASSIM! PIOR DE TUDO QUE SÃO TÃO BURROS, QUE AINDA EXPÕEM O QUANTO SÃO FRACASSADOS EM REDE NACIONAL. ESSES CARAS TEM QUE SER BOLSONARISTAS MESMO, POIS É AONDE O GRUPO DOS FRACASSADOS PODEM SE REUNIR!

Responder

yared em 07/08/2020 - 12h48 comentou:

a Justiça, amparada por leis rígidas deveria pegar pesado com essa carniça bolsonarista ou qualquer outro que se atreva a esse tipo de invasão. é inconcebível que esse ser abjeto e vil ainda tenha a cara de pau de pedir desculpas, achando que seu ato nojento foi “tirado de contexto”.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Feminismo

Desconstruindo Maria Bonita (e os cangaceiros)


"Uma visão romântica do cangaço não é compatível com um momento em que discutimos feminicídio", diz biógrafa da mulher de Lampião

Feminismo

Vai para a Costa Rica: presidente de centro-esquerda e vice negra terão gabinete 50-50


Carlos Alvarado e Epsy Campbell, primeira mulher negra eleita para a vice-presidência na América Latina, terão um ministério paritário