Socialista Morena
Politik

Lula: “Quero que a Lava-Jato vá fundo. O que sou contra é criminalizar a pessoa pela imprensa e não pelos autos”

Muito abatido, afinal se passou apenas um mês da morte de sua companheira Marisa Letícia, mas indignado. Foi este o Lula que transpareceu no depoimento dado ao juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal, em Brasília. Com a voz por vezes embargada, por vezes raivoso, batendo na mesa, o ex-presidente disse que dará quantos depoimentos […]

Cynara Menezes
14 de março de 2017, 23h49
lulamassacre

(Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

Muito abatido, afinal se passou apenas um mês da morte de sua companheira Marisa Letícia, mas indignado. Foi este o Lula que transpareceu no depoimento dado ao juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal, em Brasília. Com a voz por vezes embargada, por vezes raivoso, batendo na mesa, o ex-presidente disse que dará quantos depoimentos forem necessários à Justiça para defender sua honra. Disse estar sendo submetido a “quase um massacre” nos últimos três anos e desafiou qualquer empresário a provar que tenha pedido dinheiro a algum deles, inclusive da mídia. “Quem sabe está na hora de chamar o dono da Globo, da Record, da Bandeirantes para prestar depoimento para ver se eles me delatam?”, provocou.

Lula defendeu a Lava-Jato, mas criticou que a operação esteja servindo para promover condenações usando os meios de comunicação, sem apresentar provas. “Quero que a Lava-Jato vá fundo, para ver se acaba com a corrupção. O que sou contra é tentar criminalizar a pessoa pela imprensa e não pelos autos do processo. Sabe quantas horas eu tenho de notícias contra mim no Jornal Nacional? 16 horas. Nenhum político no mundo aguentaria isso. Eu quero provas. Alguém tem que dizer qual é o crime que eu cometi, onde que eu cometi. 71 anos de vida, eu cansei.”

Leia abaixo as principais frases do depoimento de Lula. A íntegra em vídeo pode ser conferida ao final do texto.

***

Massacre – Há cerca de três anos eu tenho sido vítima de quase um massacre. O que é um cidadão que foi presidente da república, que foi considerado o presidente mais importante da história deste país, que saiu com 87% de aprovação de bom e ótimo, que fez com que o Brasil fosse respeitado no mundo inteiro e virasse protagonista internacional, de repente é pego de surpresa por manchetes de jornais e da televisão todo dia, todo santo dia, no café da manhã, no almoço e na janta, alguém insinuando: ‘tal empresário vai prestar uma delação e vai acusar o Lula’, ‘tal deputado vai prestar uma delação e vai acusar o Lula’. ‘Agora vamos prender fulano, agora vamos pegar o Lula’. ‘Prenderam a Odebrecht, vai delatar o Lula’. ‘Prenderam a OAS, vai delatar o Lula’. ‘Prenderam Bumlai, vai delatar o Lula’. Prenderam Delcídio, vai delatar o Lula’. ‘Prenderam o papa, vai delatar o Lula’… Eu esperando pacientemente. Por isso estou muito orgulhoso e prazeroso de estar aqui para poder, na frente de um juiz imparcial, contar a versão deste fato.

O PT – Primeiro: me ofende profundamente a insinuação de que o PT é uma organização criminosa, porque é o mais importante partido criado neste país, criado pelos trabalhadores, dirigido pelos trabalhadores e que fez neste país o que ninguém nunca fez. E combater a corrupção não é virtude, é uma obrigação moral e ética, isso aprendi com uma mulher que nasceu e morreu analfabeta. Segundo: este partido conseguiu fazer com que as instituições fossem fortalecidas. O Ministério Público tinha o apelido de engavetador. No meu governo, pela minha vocação sindical, eu fazia questão de fortalecer a corporação e indicar o representado pela instituição. A Polícia Federal quantos processos eram engavetados? Quantas pastas sumiram neste país? No meu governo, a PF tinha que fiscalizar, tinha que investigar, teve dinheiro para investimento em inteligência, os delegados sabem como foram valorizados. E eu dizia que só tem um jeito de ninguém ser pego neste país: ser honesto, não fazer nada errado.

Prisão – A Controladoria Geral da República não existia, era uma peça de ficção quando eu cheguei no governo. Eu coloquei primeiro o ministro Waldir Pires, ex-governador da Bahia, e depois um juiz, nosso amigo Jorge Hage, que quem conhece sabe que não brinca em serviço. Ele sabe que a ordem que recebeu foi: tem que controlar e tem que fazer com que as pessoas saibam que honestidade não é mérito, é obrigação. O senhor sabe o que é levantar todo dia achando que a polícia está na porta de casa porque eu vou ser preso? Eu duvido: antes, durante e depois, os que estão presos e os que vão ser presos, que tenha um empresário ou um político que tenha a coragem de dizer que um dia me deu 10 reais. Ou que tenha coragem de dizer que um dia o Lula pediu 5 centavos pra ele. E não faço isso porque sou melhor do que os outros, não. Faço isso porque quem chegou à presidência da república como eu cheguei depois de perder três eleições não tinha o direito de errar. Fiquei oito anos no meu mandato sem ir num jantar, num aniversário, num casamento, exatamente para não dar pretexto para aqueles que vão tomar um champanhe e vêm pedir um favor.

Verdade – Se tem um brasileiro neste momento que quer a verdade, que deseja a verdade neste país, sou eu. Portanto, estou à inteira disposição.

Cerveró – Só tem um brasileiro que podia ter medo do depoimento de Cerveró pela relação que tinha com ele, que é o Delcídio. Eu não tinha relação com o Cerveró. Portanto, não tive nenhuma preocupação com o depoimento de nenhum empresário, de nenhum diretor da Petrobras porque não tenho essa relação com eles. Delcídio contou uma inverdade neste processo. Não conheço, não tive convivência com Cerveró, portanto o problema era do Delcídio, que teve convivência com ele ainda no governo anterior, antes do meu governo, quando foi diretor de óleo e gás da Petrobras. Não foi comigo. Não surgiu essa conversa. Não se tocou (no nome do Cerveró) e muito menos no nome do Bumlai, de que foi pedido coisa pro Bumlai. É um absurdo, eu não sei o que o Delcídio esperou fazer com isso. Certamente, depois de preso alguns dias, as pessoas começam a encontrar um jeito de sair da cadeia e resolve jogar a culpa em cima dos outros. Era sabido, por todo mundo que acompanha todo este processo, da relação histórica do Delcídio com o Cerveró. Tem até um livro publicado por uma jornalista da revista Veja que mostra toda a relação do Delcídio com o Cerveró, ela é muito antiga. Não conheço o Cerveró, conheço agora que ficou famoso. Eu o via en passant em reuniões coletivas, portanto não tinha nenhum interesse de tirá-lo ou de colocá-lo.

Delcídio – Por tudo que eu vejo todo dia na imprensa, tem alguém instigando falar meu nome. Fico sabendo todo dia nos blogs, nos colunistas: ‘fala o nome do Lula’, ‘cita o nome do Lula’. Vi uma entrevista do Delcídio na GloboNews que parecia que tinha recebido o prêmio Nobel da delação. Depois que faz a bobagem que fez, se é que fez, teria que jogar nas costas de alguém. Minha relação com Delcídio era uma relação institucional e ele sabe disso.

Bumlai – Conheci Bumlai na campanha de 2000, o PT governava o Mato Grosso do Sul e eu precisava fazer uma gravação para um programa de televisão para falar com o setor do agronegócio. E o governador do PT me disse que tinha um amigo e me levou na fazenda dele, me parece em Miranda. Fui nessa fazenda, uma boa fazenda, até depois fui pescar nessa fazenda, fiquei quatro dias no rio Miranda e não peguei nenhum peixe. Mas gravei o programa, foi um programa de sucesso, depois eu ganhei as eleições e estabeleci uma relação com o Zé Carlos Bumlai. Fiquei sabendo que o Bumlai tinha feito o empréstimo pela imprensa. Bumlai era meu amigo, qual o crime do Bumlai em ligar para mim? Eu ligava, tinha um profundo respeito pelo Bumlai. O Bumlai sabe que a relação que tinha comigo não permitia que discutisse qualquer negócio, porque eu não levo ninguém para casa para discutir negócio. Negócio eu discutia no palácio. Se o senhor soubesse quantas pessoas usam o meu nome em vão… Tem gente que faz campanha em meu nome, tem gente que é candidato em meu nome, tem gente que faz panfleto dizendo que eu tô apoiando…

Cargos – Está ficando costumeira a falta de entendimento do que é um governo de coalizão. No depoimento do presidente Fernando Henrique Cardoso ele foi muito bem ao explicar o que é um governo de coalizão. Você tem que construir uma maioria no Congresso Nacional para montar o governo. os partidos que compõem a base do governo indicam ministros e indicam cargos. Todas as pessoas indicadas são pessoas com mais de 30 anos na Petrobras. Se aparecia alguma denúncia de corrupção no GSI (Gabinete de Segurança Institucional), essa pessoa não era indicada. Se indicar um nome qualquer, este nome vai para a Casa Civil, da Casa Civil vai para o GSI, faz um levantamento e se não tiver nenhuma denúncia é mandado para o conselho de administração e o conselho indica. Não é o presidente da República que indica. É assim que funciona em qualquer lugar do mundo. O presidente recomenda ao conselho a indicação de tal pessoa indicada por tal partido político a partir da capacidade técnica da pessoa. A bancada do PMDB de Minas Gerais indicou o Zelada. Cerveró foi indicado pelo PMDB, quase com certeza absoluta. Pra mim, se uma força política indicasse ele ou outra pessoa e tecnicamente ele fosse reconhecido pelo conselho da empresa, pra mim estava perfeito. Durante todo esse tempo não houve uma única denúncia contra nenhum deles. A denúncia começou a acontecer porque o juiz Moro começou a fazer escuta durante oito anos num bandido chamado Youssef e aí então em oito anos dá para pegar alguma coisa.

Instituto Lula – Muita gente pode achar que sou arrogante, que sou petulante. Quando deixei a presidência da República, por conta do povo brasileiro tinha sido quase o presidente mais importante do mundo nos dez primeiros anos do século 21. Este país passou a participar do G8, que nunca participava, do G20, do Brics, com muita importância. Criou a Unasul, criou a Celac, não deixou a Alca entrar aqui… Fizemos a maior política de inclusão social da história, 36 milhões de pessoas saíram da extrema pobreza, 40 milhões ascenderam à classe média. Isso é uma Argentina, uma Colômbia. Tudo isso em 12 anos. Eu saí da presidência, queria que os países da América Latina e da África adotassem as políticas públicas que adotamos: o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida, o salário mínimo. Por isso criei o instituto, para viajar o mundo tentando mostrar o exemplo do que este país fez em pouco tempo. Eu tive o prazer de ser um ex-presidente da República que em todas as viagens do mundo que fiz era recebido pelos presidentes. Hoje nós estamos numa situação que o presidente não tem coragem de ir na Bolívia. Um país que era motivo de orgulho virou motivo de tristeza pela pequenez. Nós quase chegamos a ser a quinta economia mundial. Por mediocridade não chegamos.

Provas – Eu sinceramente quero lhe agradecer a oportunidade de prestar este depoimento, porque estou com muita coisa na garganta para falar. Eu tô cansado de ver procurador dizer que não precisa de prova, que ele tem convicção. De juiz dizer ‘eu não preciso de prova, eu tenho fé, vou votar com fé’. Eu quero provas. Alguém tem que dizer qual é o crime que eu cometi, onde que eu cometi. 71 anos de vida, eu cansei. Cansei de ver as instituições que eu ajudei a criar desde a Constituinte para valorizá-las, desprestigiadas por comportamento pessoal. Gente que não pode abrir uma geladeira, ver uma luz que começa a dar declaração. Gente que liga o barbeador começa a falar, achando que é microfone. Eu sempre valorizei o Ministério Público, a PF. E sempre valorizei o poder Judiciário. Indiquei quase todos os ministros, nunca pedi um favor pessoal porque a instituição tem que ser forte não para me ajudar, mas para garantir a democracia. Lamentavelmente, tem pessoas que não pensam assim. Eu quando vejo um jovem procurador ir para a televisão falar uma hora e meia e depois dizer ‘não me peçam provas, eu tenho convicção’, não dá. Não dá para aceitar isso como uma coisa séria.

Mídia – Eu queria que meus depoimentos fossem todos numa semana só, para desvendar esses mistérios todos e acabar com essa hipocrisia: ‘fulano vai delatar e o Lula vai ser citado’. Quem sabe está na hora de chamar o dono da Globo, da Record, da Bandeirantes para prestar depoimento para ver se eles me delatam? Porque os que eles dizem que vão me delatar duvido que tenham coragem, porque não têm nenhuma prova e nunca conversaram comigo sobre qualquer crime.

Joyce Hasselmann – Doutor, eu aprendi a andar de cabeça erguida. E sabe que custa muito. Para quem nasce na elite, não precisa nada. mas para quem vem lá de baixo, não deixar ninguém colocar a cangaia no seu pescoço não é fácil. Eu acusei uma jornalista em qualquer lugar democrático do mundo ela seria presa, porque falou de um ex-presidente da República. Ela foi prestar julgamento e nossa advogada me chamou de doutor, aí o juiz começou a rir. ‘Ah, mas ele não é doutor’. E ela disse: ‘estou chamando ele de doutor porque ele tem vários diplomas de doutor honoris causa’. O juiz deu uma gargalhada, e pouco tempo depois inocentou a jornalista. Eu vou recorrer até a Suprema corte. Aos 71 anos, não sei quanto tempo de vida que eu tenho, mas tenho fé em Deus de ver essa jornalista ser julgada. Em nome da liberdade de imprensa ninguém pode avacalhar a vida dos outros.

Lava- Jato – Da Lava-Jato hoje no Brasil se fala no café da manhã, no almoço, na janta e ainda depois da novela. Se só passa isso na televisão? Tem gente que acha que sou contra a Lava-Jato. Pelo contrário, eu quero que a Lava-Jato vá fundo, para ver se acaba com a corrupção. O que sou contra é tentar criminalizar a pessoa pela imprensa e não pelos autos do processo. O que sou contra é execrar. Conheço pessoas que se estivessem em liberdade seriam mortos na rua. Sabe quantas horas eu tenho de notícias contra mim no Jornal Nacional? 16 horas. Nenhum político no mundo aguentaria isso. E eu vou matá-los de raiva, porque toda pesquisa vou aparecer na frente, para eles saberem que nem sempre podem brincar com as pessoas.  O juiz, o promotor, o delegado, não têm que ficar fazendo pirotecnia com as pessoas. Primeiro apura, investiga, e condene. Quando condenar, bote ele na cadeia. E acabou. Um cidadão que nasce no Nordeste e não morre até os cinco anos de idade não tem medo de cara feia. E eu quero defender a minha honra, que é o valor mais importante que tenho.

 

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Surreal: Temer admite ter voado em avião de Joesley, mas diz que não sabia…


Após a divulgação, pelo site de vazamentos Antagonista, de que uma viagem da família Temer aparecia nos diários de bordo do Learjet PR-JBS, jatinho pertencente ao delator premiado Joesley Batista, dono da JBS, o Palácio…

Politik

Fim da corrupção SQN: denúncia contra Temer é rejeitada na CCJ pela segunda vez


Em menos de seis meses, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara rejeitou duas denúncias contra o presidente que os paneleiros colocaram no lugar de Dilma para "acabar com a corrupção"