Socialista Morena
Mídia

Neomacartismo: página do MEC no face chama jornalista Ancelmo Gois de “agente da KGB”

Ministro fez ataques ao jornalista no perfil oficial do ministério, cujos administradores são pagos com dinheiro público

O jornalista Ancelmo Gois. Foto: divulgação
Da Redação
30 de janeiro de 2019, 22h14

Para “rebater” a notícia dada pelo colunista do jornal O Globo, Ancelmo Góis, de que o Instituto Nacional de Educação de Surdos está tirando do ar vídeos sobre personagens como Karl Marx, Friedrich Engels, Marilena Chauí, Antonio Gramsci e Friedrich Nietzsche, o ministro da Educação Ricardo Vélez Rodrigues está usando o perfil oficial da pasta no facebook para atacar o jornalista. Em nota publicada na página do MEC, Ancelmo, um dos mais respeitados jornalistas brasileiros, é chamado, em um perfil do governo federal e cujos administradores são portanto pagos pelo contribuinte, de “agente da KGB”, a polícia da extinta União Soviética.

A nota do MEC cita uma entrevista dada ao site da ABI em 2009 em que o jornalista contou como, na juventude, aos 20 anos, tinha sido militante do Partido Comunista Brasileiro e ido para a União Soviética estudar. Hoje Ancelmo tem 70 anos. Ou seja, 50 anos se passaram, mas não para o ministro da Educação de um governo que vive nos tempos da guerra fria e do macartismo, quando pessoas eram perseguidas apenas por se situar ideologicamente à esquerda. A paranoia anticomunista está tomando conta dos órgãos públicos. E com nosso dinheiro.

Além disso, usuários do twitter estão desmentindo a afirmação do MEC de que alguns vídeos foram tirados do ar antes de Vélez assumir o ministério. Um vídeo, por exemplo, sobre Feminismo, foi censurado há poucos dias.

O perfil de Vélez no twitter também reproduziu a nota utilizando o perfil da assessoria de comunicação social do ministério, também paga pelos cidadãos.

Em 2017, Bolsonaro já havia acusado Ancelmo de ser “agente da KGB”, mas em sua página pessoal do youtube.

Atacar um jornalista por meio de um perfil oficial do governo federal nas redes sociais é um grave atentado à liberdade de expressão e de imprensa, garantida na Constituição, utilizando a estrutura do Estado. Este fato torna absolutamente necessário que o neomacartismo de Bolsonaro e seus auxiliares seja investigado. Cadê o MP?

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(2) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Paulo Cezar Soares em 30/01/2019 - 23h25 comentou:

O presidente e seus ministros parecem personagens da novela global O Tempo Nâo Para, que terminou há poucos dias. Vivem com a cabeça no passado. Não apresentam nada de novo. E analisam tudo de forma ideológica ou moralista. Algumas declarações sejam a ser bizarras. A lista tem crescido assustadoramente. Após o golpe que defenestrou a presidente Dilma Rousseff r, o país está passando por um retrocesso preocupante.Enquanto isso, a desigualdade social continua se alastrando.

Responder

Fabio Berlinga em 31/01/2019 - 13h31 comentou:

Boa tarde, companheira. Estou pensando nisso desde que assisti a um VT do JN em dezembro passado. Acho que tá na hora de jornalistas e veículos trocarem “liberdade de expressão” por Liberdade de Imprensa. Nunca houve tanta liberdade para qualquer um expressar os piores absurdos. A segunda, sim, é que corre perigo. Parabéns pelo trabalho.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Direitista Macri também prometeu isenção de imposto de renda para os pobres –e não…


Bolsonaro faz a mesma promessa que seu ídolo não cumpriu, pelo contrário: mais trabalhadores argentinos pagam impostos do que antes

Politik

O PT derrota a elite (e sua imprensa) pela quarta vez com a força…


O PT não é um partido perfeito, longe disso. O PT cometeu erros. Mas, se fosse derrotada hoje, Dilma Rousseff o seria pelos acertos do PT. Não pelos erros. A elite brasileira e a imprensa…