Socialista Morena
Feminismo

O “chá de lingerie” e as dez dicas sobre sexo que nunca sairão na revista Nova

Eu não sabia até outro dia, mas as noivas, além dos gastos com enxoval, decoração, festa e outros itens dessa indústria milionária que é o casamento, agora também fazem “chá de lingerie” com as amigas antes de subir ao altar. No tal chá, a futura esposa desfila diante das amigas em trajes supostamente sexies que […]

Cynara Menezes
07 de fevereiro de 2014, 19h52

Eu não sabia até outro dia, mas as noivas, além dos gastos com enxoval, decoração, festa e outros itens dessa indústria milionária que é o casamento, agora também fazem “chá de lingerie” com as amigas antes de subir ao altar. No tal chá, a futura esposa desfila diante das amigas em trajes supostamente sexies que irão “apimentar” seu casamento. Para fazer isso, claro, se gasta uma grana e já há várias casas especializadas lucrando com o novo “mimo”.

Fico pensando: quando foi que a vida sexual das pessoas pulou da cama para a carteira? Como algo tão gratuito quanto transar com quem se deseja passou a ter um custo? Não estou falando de prostituição, obviamente, mas da relação entre casais. É preciso hoje toda uma parafernália que vai desde o ambiente “propício” até a vestimenta “adequada” para simplesmente ficar pelado e transar. Existem lindas roupas íntimas, concordo, mas o que mais me impressiona é constatar quanta gente se mostra capaz de acreditar que usar uma lingerie é fundamental para fazer alguém ser amado ou desejado. De onde vem isso?

Uma das promotoras dessa “lingeriezação” do sexo no Brasil é a revista Nova, da editora Abril. Cerca de 200 mil pessoas compram mensalmente a publicação, famosa por dar “dicas” sexuais às leitoras. Chamadas como “orgasmos que farão você ter um city tour no paraíso”, “100 perguntas proibidas de fazer corar sexperts”,  “o novo papai-e-mamãe” ou “101 dúvidas sobre sexo que você não encontra nem no google” já fizeram a Nova virar gozação (ops!) nas redes sociais. A pior delas, talvez, foi quando o twitter da revista pediu aos leitores para revelar que “apelidinho” davam aos testículos… Sério!

A Nova é a versão brasileira da norte-americana Cosmopolitan, de quem copia tudo –inclusive as tais dicas sexuais. Em 2012, o site Nerve trouxe as 44 sugestões mais ridículas feitas pela revista, do tipo: “bata no pênis dele de um lado para o outro como se fosse uma bola de tênis”; “cozinhe nua e coloque um pouco de suco de tomate em seus mamilos”; “use sua escova de dentes elétrica e o IPhone no modo vibracall”; “quando vocês estiverem jantando, diga alguma coisa pornô como ‘olha como eu devoro essa carne, é assim que quero te devorar’”. Uau. (Confira mais bizarrices aqui.)

É incrível a capacidade do mercado de transformar até a sexualidade, algo íntimo, em produto vendável. Será que nós, homens e mulheres, precisamos mesmo dessas dicas bizarras para ter prazer com nossos parceiros? Ou será que, como tudo no mundo capitalista, a intenção é apenas… vender revista?

Pensando nisso, a revista online EverydayFeminism reuniu 10 dicas sobre sexo bem mais úteis e verdadeiras. A principal crítica às sugestões da Nova é que elas são baseadas em uma visão de sexualidade heteronormativa e machista. Pior ainda: estão focadas não em melhorar sua relação consigo mesma ou com seu corpo, mas apenas em agradar e satisfazer o homem. Além disso, quase todas as sugestões são variações sobre o tema “apimentar” o sexo –como se as novidades excitantes na cama fossem capazes de resolver todos os seus problemas.

Então, aqui estão 10 dicas que irão realmente ajudar você a ter uma vida sexual satisfatória e que a Nova nunca deu e provavelmente nunca dará. (Texto traduzido e adaptado. Original aqui).

***

Dez Coisas que a Nova não ensina sobre o sexo

Por Erin McKelle, na EverydayFeminism

1. Você e seu parceiro deveriam estar preocupados com o seu prazer

Muitos dos artigos sobre sexo da Nova são focados em satisfazer os homens. Títulos como “O sexo que ele deseja”, “O que ele pensa durante o sexo”, “Deixando ele louco”, “Como deixar seu homem totalmente apaixonado por você”, dão uma ideia.

Até mesmo revistas ditas “femininas” não dão às mulheres as informações sobre como satisfazer a elas mesmas!

Nossa cultura é tão dominada pelo homem que as mulheres quase nunca acham informações acuradas sobre seu próprio prazer sexual –nem mesmo em publicações supostamente escritas para elas!

Na realidade, ambos os parceiros devem ter prazer sexual, e o foco não pode estar apenas em um de vocês. O ideal seria que todos pudessem experimentar o prazer (talvez até tendo orgasmos!) e se deveria falar das necessidades de cada um dos envolvidos.

Comuniquem-se. Digam um ao outro o que vocês querem. Não sabem? Então experimentem! Vejam o que pode ser gostoso e tentem. E se seu parceiro não quer fazer isso ou não se importa de ter certeza se você está se divertindo, então talvez ele não seja o melhor para você.

2. Ótimo sexo = ótima comunicação

Já falei sobre isso no item anterior, mas é algo tão importante que merece sua própria seção.

Comunicação é tudo quando se fala de sexo.

Sexo não é  apresentar novidades a alguém e esperar que eles gostem e façam o mesmo por você. É falar e expressar o que você necessita e deseja, assim como o que seu parceiro precisa e deseja. É dizer “mais disso” ou “Eu realmente gosto quando você faz isso”. É dizer “eu não gosto quando você faz isso”, “isso não é gostoso” e até mesmo dizer “pare”.

E um dos melhores lugares para falar sobre sexo é, na verdade, fora do quarto. Crie um lugar com seu parceiro onde vocês possam falar de tudo e onde não haja nada que não possa ser dito. Reserve um tempo, quando ambos estiverem mental e emocionalmente disponíveis, para vocês se sentarem e falarem sobre sua vida sexual.

E então… Sejam honestos.

3. Assegure-se de saber como se prevenir de DSTs se você quiser

Se você quer evitar infecções e doenças, então precisa ter certeza de que está sempre tomando cuidado. A Nova nunca parece muito interessada nessa parte da saúde sexual.

Se você ou seu parceiro (ou ambos) não fizeram o teste HIV, use algum método interno ou externo, como camisinha.

É importante também fazer exames regularmente. “Regularmente” significa coisas diferentes para pessoas diferentes. O ideal é fazer exames a cada novo parceiro, mas se você faz isso a cada seis meses ou a cada ano, tudo bem também.

4. É perfeitamente OK não ser selvagem na cama

A Nova frequentemente publica artigos sobre como apimentar as coisas no quarto, sempre de acordo com a filosofia da revista, que é ter seu parceiro a seus pés. Em alguns casos, as pessoas até mesmo justificam traições dizendo que as coisas não estavam mais interessantes ou que o sexo estava entediante. É uma pressão imensa, especialmente porque vivemos numa sociedade que demoniza o sexo de outra maneira que não seja a relação monogâmica, “manter as coisas interessantes”. Mas como dizer que seu sexo é entediante? Realmente precisamos mudar nossos hábitos? Ou é a mentalidade o problema?

Muitas pessoas também se sentem realmente incômodas com isso porque não querem ficar “selvagens”. Algumas pessoas são perfeitamente felizes com o sexo “normalzinho”que têm.

Mas reportagens como as da Nova pressionam as mulheres a se sentir como se tivessem que fazer truques circenses para manter seu parceiro interessado –não importa se você está ou não curtindo isso. A realidade é que o que faz você se sentir confortável fazendo (ou não fazendo) é perfeitamente OK. Você não tem que apimentar as coisas se não quer ou se não vê necessidade.

5. Você não precisa mudar seu corpo para ter um sexo melhor

Seu corpo é legal do jeito que é. Isso pode soar clichê, mas continua sendo verdadeiro!

Suspeite de qualquer um que diga que você necessita mudar alguma coisa em seu corpo.

Nunca ache que você é o problema, porque você não é. A sociedade é. A Nova reforça muito os estereótipos sobre o corpo, e é importante lembrar que nenhum deles é verdadeiro. É tudo baseado na mentira de que magreza é saudável e atraente, e gordura é feio e obsceno.

Perder 5, 10, ou 20 quilos ou fazer 20 minutos de abdominais por dia não vai fazer sua vida sexual melhor. Colocar silicone nos seios não vai fazer você se sentir mais sexy. E usar bolas de pompoarismo para “apertar” sua vagina não vai lhe proporcionar mais prazer.

O que eles estão vendendo é um jogo machista. Se recuse a jogá-lo.

6. Não existe nenhuma pressão

Sério, não há nenhuma. Você não precisa ter sexo em nenhum momento a não ser quando estiver pronta, você não precisa ter sexo anal se não é o que você gosta, e você não precisa de lingerie para seduzir seu parceiro.

Sexo tem que ser divertido!

Tem que ser gratificante, despreocupado e fazer você se sentir bem. Você não deve se sentir pressionada a fazer certas coisas, agir de certa forma, atuar de certa maneira ou fazer algo da maneira certa para não parecer “vulgar”. Se seu parceiro está pressionando você, fale sobre isto. Se ele não parar, considere romper o relacionamento. Você merece ser respeitada. E isso significa que sexo não pode ser o resultado de manipulação ou coerção.

7. Sexo bom não precisa terminar em orgasmo

Existe um mito machista, heteronormativo, de que o sexo termina quando o parceiro masculino ejacula na vagina de sua parceira.

Sexo termina quando você decide que terminou.

Não há um ponto certo onde ele oficialmente acaba ou que você precisa parar. Vocês fazem as regras.

Sexo não tem que terminar em orgasmo. Pode acabar quando você quiser!

E se você não está tendo orgasmos, mas quer, fale para seu parceiro sobre isso e descubram maneiras de chegar até ele.

8. Sexo bom não tem que ser com um homem

A Nova fala como se todos os seus leitores se identificassem como mulheres e como se todos os seus parceiros românticos se identificassem como homens. Nós sabemos que isso está distante da realidade.

Bom sexo não tem nada a ver com orientação sexual ou o gênero da pessoa com quem você está transando.

9. Sexo bom sempre envolve consentimento

Consentimento deve estar presente para o sexo existir. Ou então é abuso sexual. Ponto.

Consentimento é respeito. É desejo mútuo. Não tem nada a ver com coerção ou aparente desprendimento. Se seu parceiro respeita você, irá se assegurar que tem seu consentimento. Claramente. Sem nenhuma suposição. E se você respeita seu parceiro, fará o mesmo.

Respeito –para consigo mesma e para com o outro– é garantia de bom sexo.

10. Você pode proporcionar bom sexo a si mesma

Sexo na Nova, e em praticamente toda a sociedade, parte da prerrogativa de que você tem um parceiro. Mas o fato é: sexo não tem que envolver outra pessoa para acontecer!

A masturbação tende a ser apagada de nossa perspectiva cultural porque é tratada com vergonha e tabu. Mas nós sabemos que a masturbação é normal, prazerosa e saudável! Ter bom sexo consigo mesmo pode inclusive levar a ter bom sexo com futuros ou atuais parceiros.

Isto ajuda você a aprender mais sobre sua sexualidade e seu corpo e, como resultado, pode ajudar você a articular melhor seus desejos. Você poderá mostrar onde tocar, o que fazer, como e por quanto tempo.

Então, por favor, masturbe-se se você quiser. Explore seu corpo. Navegue por seus desejos. Você se sentirá orgulhosa por haver feito isso.

Lembre dessas regras para ter bom sexo. E mais importante: escreva as suas!


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(47) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

graziela em 07/02/2014 - 22h30 comentou:

"E usar bolas de pompoarismo para “apertar” sua vagina não vai lhe proporcionar mais prazer." Isso não é correto. As bolas de pompoarismo são uma alternativa médica para fortalecer a musculatura da região, o que leva a "apertar" a vagina e existe evidências de que proporciona melhora das sensações na região sim, além de ajudar em outros problemas médicos.

Responder

    morenasol em 07/02/2014 - 22h33 comentou:

    graziela, o que o texto diz é que nem as bolas de pompoarismo (que eu acho interessantes) serão capazes de garantir que sua vida sexual será boa.

    Sueli em 08/02/2014 - 13h28 comentou:

    Apertar a vagina reduz as chances de prolapso de bexiga e útero. Há maiores chances de aumentar o prazer masculino e relativamente o feminino, visto que para a maioria das mulheres o prazer está no toque e não na penetração. Usar não faz mal, pelo contrário faz bem, se aumentar o prazer melhor ainda. Usar desde que sinta vontade.

    Renata em 08/02/2014 - 13h28 comentou:

    Exatamente o que eu ia dizer. Gostei do texto, mas esse ponto sobre o pompoarismo destoa porque, se tem uma técnica que ajuda demais a mulher a conhecer o orgasmo, é o pompoarismo. Fora isso, ok!

    ana em 08/02/2014 - 14h35 comentou:

    Concordo com Renata e Sueli. Bola fora do texto. E não acho que receber lingeries de presente seja algo tão estapafúrdio assim… sinceramente é o primeiro texto do blog da Cynara que não curti.

    Carlos em 10/02/2014 - 12h29 comentou:

    Meu deus, a interpretação de texto passou longe aqui…

    graziela em 11/02/2014 - 05h50 comentou:

    Taí, eu acho que tem que ter muito boa vontade para interpretar um texto, cujo sentido direto das frases é incorreto. Isso, para mim, é falta de critério com dados científicos. Sobre o argumento dado anteriormente, nada nunca será capaz de garantir alguma coisa, quanto mais prazer. Nem a defendida conversa sincera do texto. Logo, esse argumento para a interpretação do texto não é lógico. Outro exemplo: "Colocar silicone nos seios não vai fazer você se sentir mais sexy." Acho abrir uma pessoa para enfiar silicone dentro, horrível. Contudo, já houvi muita gente que sim se acha mais sexy após a cirurgia. Logo, mais uma frase cientificamente incorreta que requer interpretação. Será que requer realmente? Não vejo garantias de que essa não seja a opinião do autor. O ponto é: qualquer dessas coisas criticadas pode levar você a se sentir mais sexy, independentemente do asco que o autor tenha pela atitude. E as atitudes defendidas por ele não garantem nada. Assim, as frases taxativas usadas que requerem tanta interpretação – e cada um dá a sua – me parecem mais coisa de quem gosta de vomitar regras morais.

Neyse em 07/02/2014 - 22h51 comentou:

http://www.ted.com/talks/lang/es/esther_perel_the… 🙂

Responder

J. Fernandes em 08/02/2014 - 02h25 comentou:

ela tem razão no ponto que a cultura consumista é foda, até as pessoas são descartáveis hj… mas só que é o seguinte, essa parte de "o sexo pode acabar na hora que você quiser" é mentira, mulher que corta o tesão é zuado!

Responder

    Paulo Souza Jr. em 08/02/2014 - 14h03 comentou:

    Que bobagem. Essa é uma visão generalista e precipitada. Não é a cultura consumista que faz as pessoas se tornarem "descartáveis", mas a cultura social e familiar, nem sempre influenciada pelo consumismo. Nem todos aqueles que "consomem" dicas como as dessas revistas tratam as pessoas como "descartáveis".
    Na época feudal, mulheres eram "descartáveis" após serem estupradas. Isso é devido ao caráter humano, qualquer que seja o sistema implementado.

    Giuliana em 09/02/2014 - 15h49 comentou:

    Zuado ou não, baby, o sexo pode sim acabar na hora que você (homem ou mulher) quiser. O que corta tesão é fazê-lo sem vontade. Preste atenção no que fala!!

Gabriela em 08/02/2014 - 03h09 comentou:

"5. Você não precisa mudar seu corpo para ter um sexo melhor
6. Não existe nenhuma pressão"

Concordo plenamente, mas tenho a impressão de que uma ínfima minoria enxerga isso. A opinião de que essas suas afirmações são utópicas e que a competição/pressão existe sim – prevalece.

Eu tenho certeza de que, quando conseguirmos nos libertar da imposição da beleza e da busca pelo sexo perfeito (=impossível), seremos mais felizes.

Porque, no final, quando "fazemos as contas", o que pesa mais é o entendimento, a aceitação, a livre e espontânea aceitação entre os parceiros.

E quão cegos ainda somos a respeito disso…

Responder

Debora em 08/02/2014 - 03h15 comentou:

Que texto idiota!

Responder

    samuel em 08/02/2014 - 04h08 comentou:

    falou a sadomaso

    Carlos em 10/02/2014 - 11h19 comentou:

    Apresente ARGUMENTOS SÓLIDOS demonstrando por que o texto é idiota. Enquanto isso, até prova em contrário, a idiota aqui é VOCÊ, Débora, sinto muito, pois xinga por xingar (que infantilidade isso, hein?)!

    O texto é excelente (tanto a parte da Cynara quanto a parte adaptada da publicação estrangeira) e faz cair por terra esses mitos midiáticos que são lançados para distorcer, "in the love of money", uma relação tão natural quanto a existente entre homens/mulheres (ou quaisquer outras combinações de gênero que se puder fazer!). Particularmente, como homem, sempre achei desnecessárias essas "apimentações" e me dava engulhos cada nova capa de "Nova" que eu via manchando as bancas com as chamadinhas sobre sexo recheadas de expressões "provocantes".

    Parabéns à lucidez da autora do texto, que espero incentivar as mulheres a repensar seu papel na sociedade e nos relacionamentos (isso, claro, pra quem precisar!).

maria eduarda em 08/02/2014 - 03h21 comentou:

mesmo comprando a revista não vi matérias tao diferentes do suas dicas .alem do que tem gente que gosta das dicas que aquilo melhora sim a relação dela do mesmo jeito que gostam de sexo normal ,outras pessoas gotas de coisa diferentes nem por isso devem ser condenadas

Responder

    André Pessoa em 08/02/2014 - 08h44 comentou:

    Por favor, aponte onde no artigo tem qualquer tipo de condenação a quem gosta de "coisas diferentes". Não existe. As críticas são somente à revista, e não a quem a lê ou mesmo segue suas dicas.

Lu Gomes em 08/02/2014 - 04h41 comentou:

Curto bastante seu site, mas esse texto foi super boooooring :s

Responder

William em 08/02/2014 - 04h45 comentou:

Pra quem não sabia o que era chá de lingerie você conhece muito os textos da Nova hein?

Sobre o tópico 5

Na verdade o sexo melhora sim quando você está melhor fisicamente, todo mundo sabe disso. Se vc é sedentá[email protected] mal consegue transar. As mulheres ficam com nojo de transar com homens gordos. Acho que deve ser praticamente todas, o sexo cai se o homem engorda, ele faz a maioria do serviço pesado na hora do sexo. Não é uma imposição machista. É uma imposição estética mas também tem sua dose de verdade.

A maioria dos homens que conheço se preocupa com o orgasmo feminino e se preocupa em gozar depois que a mulher goza, pelo menos dizem. Muitas mulheres não conseguem chegar ao orgasmo, tem várias causas, desde a frigidez até o cara ser uma bosta na cama, ou ela mesmo ser ruim na cama. Um dica é o sexo oral e usar dedos, quase sempre funciona pra ajudar a chegar no orgasmo.

Responder

    Flávia em 09/02/2014 - 03h44 comentou:

    Claro que ela conhece,para se dissertar sobre um assunto tem-se que fazer uma pesquisa sobre tal.De fato,o fisicamente que ela aborda no texto é aquele imposto na revista Nova o físico perfeito,barriga zero etc etc.

    Alinny Vilela em 11/04/2014 - 02h33 comentou:

    Meu marido era magro qdo nos conhecemos e com o tempo engordou e de forma alguma nossa vida sexual piorou, com o tempo e a intimidade ficou ainda melhor, passamos a conhecer nosso corpo, saber o que dá prazer um ao outro, saber como gostamos de fazer sexo só com o primeiro beijo, se hoje será mais romântico ou mais agressivo, etc…ele engordou e nunca senti nojo de transar com ele, como vc afirmou, continuo sentindo tesão por ele, sentindo prazer com o seu corpo, sentindo vontade de fazer sexo com ele só pelo cheiro, o calor do corpo, a voz dele, o olhar…essas coisas é que realmente fazem a diferença, sexo para mim é, além do prazer óbvio, é a vontade extrema de estar junto, conectado, de querer ser por alguns instantes "um só", querer dar e sentir prazer, fazer bem ao outro que se ama e isso independe da estética corporal. Engravidei, fiquei com a barriga enorme, depois engordei, agora emagreci e mesmo assim ele sente tesão por mim, as dificuldades com a barriga foram contornadas com posições sexuais novas que por sua vez proporcionaram prazeres diferentes e são usadas até hoje, as marcas no meu corpo jamais fizeram diferença pq o que ele acha sexy em mim é o meu cheiro, meu beijo, minha risada…acho que vc nunca fez sexo com amor…

Renata em 08/02/2014 - 09h54 comentou:

Muito bom o texto! No meio de uma vasta disposição
de informações que orbitam em torno desse tema, creio q esse artigo veio trazer algo novo. Aqui, não se coloca a mulher a serviço do prazer masculino!

Responder

Tsunami em 08/02/2014 - 10h35 comentou:

Sexo é mercadoria a muito tempo, mas o interessante é ver como para os homens é pura excitação e para as mulheres são técnicas para satisfação do outro. O homem compra revista de mulher pelada, ve pornografia na internet, e claro que todos eles já pagaram pra transar. O que se oferece a mulher é lingeries fantasias, tecnicas de boquete e como ser sexy. A indústria pornográfica desconhece o público feminino , são poucos os filmes que existem que pensam na excitação da mulher( ou é impressão minha talvez, vai saber). E sem falar que lingerie é um troço desconfortável pra caramba. Se sentir sexy com calcinhas de tecidos duros enfiadas no rabo? Sério só dá tesão mesmo de tirar rsrr

Responder

vivi em 08/02/2014 - 10h56 comentou:

Sua vida sexual deve ser bem pacata, monótona e chata. Brinquedos, surpresas, vestimenta pra quem está há muitos anos juntos faz uma diferença. Ser feminista não é ser contra tudo e todos. É viver sem essas regras do que a mulher pode ou não fazer. Quem quer usa. Quem quer usar a calcinha da vovó use. Que preconceito sem sentido com a vida sexual alheia…

Responder

Loiva em 08/02/2014 - 11h48 comentou:

Como assim? terminar a relação antes do orgasmo dele? Qual o carinho e consideração com o parceiro? Ele deve se preocupar com o meu prazer e eu co o dele. Isso cheira a feminismo sexista.

Responder

    Flávia em 09/02/2014 - 03h50 comentou:

    Feminismo sexista?Então deixa eu entender,pelo visto no sexo o dia que a mulher não ter um orgasmo,o que é comum devido a fatores externos/indisposição é necessário ela esperar o homem ter o orgasmo?Preocupar-se com o prazer alheio é querer,não uma máscara relacionada aos seus sentimentos.A preocupação não gera um orgasmo,tanto nele ou nela,vai muito além do prazer,porque sexo não se resume a um momento e sim a diversos fatores.É preferível ser honesta com o parceiro do que oferecer uma coisa que você não está fazendo da mesma maneira quando estivesse disposta, não é?

Victor Fernandes em 08/02/2014 - 12h12 comentou:

Concordo com tudo que diz! Sou homem, hetero, e nunca me sentiria satisfeito no sexo sem que minha parceira também se sentisse assim.
Já venho desacreditando nesses mitos absurdos há algum tempo, porque, ao menos na minha experiência pessoal, o ato feito com vontade mútua elimina quase sempre elimina as variáveis.
Quando os dois querem e se curtem, não tem sexo normalzinho, nem falta de clima, nem saudade das bolinhas…

Responder

    Paulo Souza Jr. em 08/02/2014 - 14h29 comentou:

    Meu caro, você e sua parceira são de uma forma, mas outras pessoas tem personalidades diferentes e então poderão se identificar com os modos ensinados por estas revistas. Esses procedimentos para o sexo são baseados em pesquisas de sexologia, trabalho qualificado, e quem presta esses serviços deve ser remunerado e adequadamente, pois são as necessidades desses profissionais que passaram 5 ou ás vezes 10 anos estudando, se esforçando.

    Logo, é de direito da empresa comercializar essas idéias que são apenas dicas e não manuais de como fazer sexo, para corresponderem ao que precisam pagar de salário para esses profissionais.
    Quem compra uma revista como a Nova, muitas das vezes sabe que ela vende essas idéias, se elas são absurdas para você, então não compre, comprará quem quiser, se não servem para ninguém, ninguém irá comprar.

    André em 10/02/2014 - 09h50 comentou:

    Verdade pura, Victor!

Paulo Souza Jr. em 08/02/2014 - 14h20 comentou:

Cara Cynara.

As dicas dessas revistas podem parecer idiotas para você, mas para outras pessoas, acredite, elas são maravilhosas e fazem bem e até funcionam, porque a mulher vê que seu parceiro está satisfeito e então também de certa forma se excita. Muitas dessas dicas são baseadas em estudos de sexologia e são somente dicas, não manuais de como fazer sexo. Logo, não há nenhuma comercialização dos métodos sexuais e nenhum egoísmo, até mesmo porque também só irá seguir as dicas quem se identificar com tais modos.

Inventar novos hábitos de comercialização, dentro do bom senso, favorece a todos, gera mais riqueza para a empresa, agregando valor aos serviços, que aumenta o lucro dos donos, que esses então consomem também mais, consumindo produtos e serviços de outra empresa e esta, vendendo mais, cresce mais, contratando mais funcionários ou aumentando o salário dos que já estão lá. Essa é uma das causas que fazem o capitalismo funcionar melhor que o socialismo.

Responder

Jorge em 08/02/2014 - 14h39 comentou:

Muitas coisas certas, mas muita besteira vazia escrita nesse texto, como ultimamente é de se esperar de textos "feministas", infelizmente.

Responder

Edson em 08/02/2014 - 20h10 comentou:

Filha comece a dar muito rápido na guerra dos sexos você perdeu a hora do recreio. Seu problema é só falta de dar o resto tem cura!

Responder

Lenir Vicente em 08/02/2014 - 21h19 comentou:

Muito bom Cynara! kkkkk sexo é bom, mas é melhor ler Nova primeiro kkkk

Responder

Edson em 09/02/2014 - 03h26 comentou:

Discordo quando diz que a revista Nova é hetero. Na verdade a revista Nova ensina como ser uma homossexual só e feliz. No máximo como ter um bom amante ou ser uma boa amante.

Quanto as dicas, uma mulher bonita chama atenção de um homem sim. Está se esquecendo que o homem não tem botão 'power'. Sua visão é pura feminina, que é diferente dos homens. Uma lingerie faz diferença sim. Homem 'funciona' bem com estímulos visuais, auditivos e sensoriais. Em outras palavras (chulamente falando), pau do homem só fica duro se bem estimulado.

Responder

Ana Li em 09/02/2014 - 03h51 comentou:

O problema não é ganhar a lingerie, meninas. Eu AMO lingeries e amo usar elas pro meu namorado, sempre que posso, faço isso. O problema é que as revistas passam uma ideia de que você sempre deve estar linda, cheirosa (nada de cheiros natural do seu corpo, óbvio), com lingeries perfeitas.
Eu até acho legal a ideia do tal "chá de lingerie", mas isso é porque eu gosto de me vestir dessa forma algumas vezes. E mesmo quando não acontece de eu me vestir de uma forma diferente, nada muda entre eu e meu parceiro. O que deve haver é, de fato, prazer para os dois. Seja na forma de se vestir ou não, numa brincadeira, em sexo mais "normal", ou em sexo selvagem.
O errado é fazer as mulheres acreditarem que elas tem que estar sempre lindas e perfeitas. Aliás, não é assim que um relacionamento dá certo, nem tem como.
Mas enfim, a ideia do chá de lingerie é interessante *-*
Porém, nada que deva ser obrigado ou dito às mulheres o tempo todo: sejam sexies e estejam sempre arrumadas para seus parceiros.

Responder

Jeorge Charlles em 09/02/2014 - 05h35 comentou:

Esqueçam a revista nova, aquilo é uma devassidão machista, mercadológica, insensível, temos dicas mais muitos mais interessantes, fora desse mundo louco de negócios, que só quer faturar, aqui no blog da socialista morena(risos), um sexo menos capitalista e opressor e mais comunista e sensível(risos). Vejo que o patrulhamento de todos os lados e todas as frentes quer interferir até na vida íntima de pessoas e casais. Que coisa!

Responder

lucas em 09/02/2014 - 18h20 comentou:

Na juventude tinha um amigo que dizia que a mulher deveria usar lingerie preta pra ficar mais sexy. Sempre achei que bastava ser mulher pra ser sexy. Talvez uma taça de vinho antes.

Responder

André em 10/02/2014 - 09h52 comentou:

Parabéns pelo texto. NOVA é na verdade velha, de tão babaca!

Responder

fabio murakami em 10/02/2014 - 13h05 comentou:

lingerie nenhuma concerta a falta de criatividade . na hora "h" É PRECISO MAIS QUE ISSO..tesão com ou sem (eu prefiro sem) lingerie é a arma sensual da mulher de verdade….

Responder

Gabriela em 11/02/2014 - 09h43 comentou:

observando os comentários, vejo que o machismo impregnou no cotidiano de forma que quase ficou invisível para muita pessoas.

Responder

Décio em 11/02/2014 - 15h24 comentou:

O país afundando em violência e protestos e os SOCIALISTAS que não trabalham discutindo sexo. Faz sentido.

Responder

    morenasol em 12/02/2014 - 18h17 comentou:

    vou deixar seu comentário aqui só para as pessoas se divertirem um pouco. "socialistas não trabalham". oi? que tal estudar um pouco? te faria bem

Donato Lopes em 11/02/2014 - 20h10 comentou:

Quero assomar-me e assinar, com GARRAFAIS INTEIRÍSSIMAS, ao teor integral desta dissertação….. de que adianta o casal jovem, masculino e feminino, planejar e se programar para grandes festas, enormes pompas e supimpas galhardias para a sociedade, se o principal não é o ter, mas o ser, o entender, o entrelaçar, o amar, o querer, o renunciar, o carinhar, o sexuar, o beijar…… nesse pique todo já se foram 31 anos com a minha querida, estimada, amada e eterna companhia… Erismar Alves Lopes!!!! Sou radialista e jornalista aposentado do interior da Paraíba!!!!!!!!!!

Responder

Iêdo MedeirosJúnior em 21/02/2014 - 16h30 comentou:

Muito comoda essa posição de não se posicionar. O grande defeito da esquerda brasileira é a sua fragmentação! Eu já cai nesse armadilha em 1991 quando sai do PT para fundar um partido revolucionário o PSTU.

Responder

Sussurros em 22/11/2014 - 15h08 comentou:

Interesante artigo!
Sem duvidas o mais importante para uma vida sexual realmente satisfatória não é seguir os padrões da mídia/sociedade e sim o que nos faça sentir bem, ao final de contas a vida está cheia de sabores e cores e cada um tem sua preferencia de como curtir a vida íntima!

Responder

Adriano em 09/03/2015 - 00h24 comentou:

Podem xingar de machista, sexista, etc…mas, vamos falar sinceramente, vai, sem caôzada, pelo menos dessa vez, falemos a Verdade: toda feminista muito radical, muito chata, muito cheia de blá, blá, blá…é batata: não trepa bem há anos! Não dá a xotinha ou o rabinho bem gostoso há séculos, ou pior, NUNCA deu gostoso pra ninguém. Não neguem não, vai, parem de mentir, sejam honestas, as feministas pentelhas aqui do blog: vocês não transam gostoso há milênios, falem a verdade. Estão na maior secura há milhões de anos. Isso não é machismo, é apenas a constatação nua e crua da realidade fática das vidas de seres humanas normais que vocês são, e que precisam de pinto, sim, como qualquer mulher (até lésbica gosta de pinto, senão não compravam consolos de borracha, vibrador, etc), e falta de pinto faz mal pra qualquer mulher, todo psicanalista sabe disso desde Freud. Então, parem de tapar o sol com a peneira e vão dar essas xotinhas o mais rapidamente possível. Amém.

Responder

    morenasol em 09/03/2015 - 01h29 comentou:

    e quem nos garante que você transa? amigo, não tente adivinhar a vida sexual alheia. fica meio mico

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Feminismo

Frota perde ação para ministra de Dilma e apela à baixaria contra juiz


Inconformado porque Eleonora Menicucci foi absolvida, ex-ator e atual guru "intelectual" da direita saiu do fórum acusando o juiz de "julgar com a bunda"

Feminismo

Vai para a Costa Rica: presidente de centro-esquerda e vice negra terão gabinete 50-50


Carlos Alvarado e Epsy Campbell, primeira mulher negra eleita para a vice-presidência na América Latina, terão um ministério paritário